quinta-feira, 14 de abril de 2016

5 diferenças entre o livro e o filme em “2001, uma odisseia no espaço”

1 – No livro, o monólito não é preto todo o tempo


Diferente do filme, em que o monólito sempre aparece negro, em um momento no livro o objeto misterioso é cristal (mas mantém o formato retangular): no início da história, quando é encontrado pelo homens macacos.

2 – A cena do macaco tocando o monólito é bem diferente



No livro, quando os homens macacos vêem o monólito em cor cristal, são atraídos para ele e passam por um processo de aprendizado por controle mental. O objeto manipula toda a tribo de uma vez, forçando-os a fazer movimentos mais finos, como dar nó em uma folha de planta. O processo acontece várias vezes em um período que dura um ano. Já no filme, tudo acontece instantaneamente. O macaco toca o monólito e fica mais inteligente.

Outra diferença do livro para o filme é que, durante o controle mental, o monólito (em cristal) passa a mostrar formas luminosas em seu interior. Segundo o próprio Arthur C. Clarck, “... perde a transparência e é envolto em uma luminescência pálida e leitosa. Fantasmas irresistíveis e indefinidos se moveram por sua superfície e em suas profundezas. Fundiram-se em barras de luz e sombra, e depois formaram aros de entrelaçados que começaram a girar lentamente.”

Possivelmente, a dificuldade de reprodução dessa cena fez Kubrick optar pelo monólito sempre preto.

3 – Não há Skype no livro


Na segunda parte do livro e do filme, acompanhamos o Dr. Heywood Floyd indo para a Lua, a fim de analisar uma descoberta misteriosa: o monólito negro, chamado de A.M.T.-1. Enquanto aguarda a viagem, no filme, Floyd utiliza um aparelho muito semelhante ao Skype para falar com a esposa. Quem atende é sua filha.

A cena profética de uma tecnologia que só foi inventada quase 50 anos depois não aparece no livro. Na verdade, no livro, Floyd tem três filhos, mas é viúvo.

Uma tecnologia profética que livro e filme acertaram é o tablet, sendo no livro chamado de Newspad. Durante a viagem, no livro, Floyd conecta seu Newspad (que tem o tamanho de uma folha de almaço) ao circuito da nave e tem acesso às últimas notícias da Terra. Já no filme, os astronautas na Discovery (David Bowman e Frank Poole) utilizam aparelho semelhante para assistir uma entrevista sobre a missão enquanto almoçam.

4 – Após Hal ser desligada, Bowman consegue manter contato com a Terra


Uma das partes mais emblemáticas da história é o momento em que Hal aparentemente ganha consciência. Ele mata os astronautas hibernados na Discovery e Poole, mas Bowman sobrevive e desliga a inteligência artificial que comandava a nave. A partir daí acontece uma mudança na narrativa entre filme e livro: no filme, Bowman segue em direção a Saturno sozinho e incomunicável.

Por outro lado, no livro, Bowman consegue enviar um reporte à Terra com informações do ocorrido. Quem recebe a mensagem é o próprio Dr. Heywood Floyd, que responde contando o verdadeiro propósito da viagem. Trata-se de outra diferença com relação ao filme, pois no longa-metragem a mensagem vem de uma gravação colocada dentro da Discovery acionada automaticamente após Bowman desligar Hal.

5 – A chegada de Bowman à Saturno é diferente... e o final é melhor explicado


Bowman viaja na Discovery em direção à Saturno (no livro) / Júpiter (no filme), encontra um monólito gigante (o livro o descreve com um quilômetro e meio de altura) e começa uma jornada surreal que termina em um quarto de hotel. Esse é o momento do filme que mais confunde os desavisados, pois tanto a viagem para dentro de Saturno quanto a chegada no quarto de hotel, aparentemente, não tem explicação.

No livro tudo fica mais claro. Ao entrar no portal, Bowman (em uma cápsula da Discovery) segue em uma viagem com menos psicodelia e momentos mais elucidatórios. O primeiro deles acontece quando passa em uma espécie de cemitério de naves, mostrando que outros planetas e civilizações também foram atraídos pelo monólito e chegaram ao mesmo local em que Bowman está. Em outro momento, Bowman vê um sol vermelho, o que demonstra estar em uma galáxia mais antiga que a nossa.

Ao chegar no quarto de hotel, o astronauta toma banho, liga a TV e, ao trocar os canais, vê uma série transmitida na Terra dois anos antes (exatamente quando Floyd chegou ao A.M.T.-1 na Lua). Na série, os personagens estão em um quarto idêntico ao dele. Assim, Bowman entende que tudo aquilo foi preparado para recepcioná-lo. Ao fim do dia (sim, ele fica apenas um dia no quarto. O fato de no filme ele envelhecer pode ser entendido como uma alusão à passagem diferente do tempo), ele evolui e se transforma em uma “Criança-estrela”.


Compartilhe:

2 comentários:

  1. Saturno? A viagem no filme á até Júpiter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, acabei de fazer uma pequena alteração no quinto tópico para abarcar sua questão. Na verdade, os planetas são diferentes entre o livro e o filme. Eu poderia ter feito um 6º tópico sobre isso. Rs!

      Excluir

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: contato@fabricadeebooks.com.br

>> Para participar das edições: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Inscreva-se e receba nossas novidades por e-mail:

Anuncie e Publique Conosco

Anunciante:

LIVRO: 666 - SINAIS - MARLI FREITAS

Posts populares

LIVRO DESTAQUE

Drago Editorial

FARO EDITORIAL

LIVRO: NARRATIVAS DO MEDO

REVISÃO DE TEXTOS

REVISÃO DE TEXTOS
Revise o seu texto conosco.

Gostou do nosso trabalho?

Passaram por aqui


Labels