sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Gilmar Milezzi, autor de Requiescat in Pace: Crônicas da Cidade dos Mortos, comenta sobre seu livro e futuros projetos

Gilmar Milezzi
Nascido no fim da década de 1950, na cidade de Tubarão, em SC, Gilmar Carlos Milezzi, viveu a adolescência em Florianópolis, num período de grandes manifestações políticas e culturais. Nessa época, o menino sonhador, frequentador assíduo das sessões dominicais do Cine Glória, pensava em ser escritor. Por conta disso, mergulhava nos livros de Emílio Salgari, Julio Verne e Mark Twain, os quais ele lia com a vontade de quem queria aprender os segredos de uma boa narrativa. Por influência direta do pai, leitor voraz de histórias em quadrinhos, tornou-se também um ávido consumidor de gibis, os quais costumava trocar na fila do cinema.
De tanto viajar nas histórias de aventuras e fantasia, decidiu que um dia escreveria suas próprias histórias. Desse vago projeto, acalentado e empurrado com a barriga durante anos, surgiram algumas peças infantis, contos e crônicas, publicados em pequenos jornais e blogs ou simplesmente esquecidos numa gaveta. Gilmar Milezzi é autor da obra “Requiescat in Pace: Crônicas da Cidade dos Mortos”

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Gilmar Milezzi: O início propriamente foi com o advento da internet. A possibilidade de publicar em blogs me fez tirar meus escritos da gaveta. O primeiro livro, Zaphir, um romance de aventura e fantasia, foi todo publicado dessa forma, até que eu o publiquei também em formato impresso e na Amazon, em 2014. Desde então, começou outra jornada: levar o livro até o leitor. Eu o vendo nas feiras literárias e pela internet.

Conexão Literatura: Você é autor de "Requiescat in Pace: Crônicas da Cidade dos Mortos", disponível na Amazon. Poderia comentar?

Gilmar Milezzi: A ideia desse livro surgiu durante as noites insones, quando trabalhava em empregos noturnos. A solidão das madrugadas, e os tipos estranhos que apareciam durante essas jornadas, me levaram a imaginar a história de um escritor sem recursos que arruma um emprego como vigia noturno de um cemitério. A partir dessa ideia inicial, criar a jornada do escritor na cidade dos mortos foi muito fácil. Na verdade, creio que elas sempre estiveram em minha mente. O capista é o Jean Milezzi, meu filho.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro?

Gilmar Milezzi: Eu pesquisei apenas para confirmar as citações que faço de Dante e Edgar Allan Poe, que foram introduzidos na história em certo trecho. O resto é fruto de minhas próprias convicções do que seria uma vida após a morte, junto com muita imaginação, é claro.

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do qual você acha especial no seu livro?

Gilmar Milezzi: Eu tenho um carinho especial por toda a obra e seria difícil destacar um trecho em especial, mas vamos ver:

“Debruçado sobre o caixão, o coveiro estava tão absorto no que fazia, que não percebeu nossa presença. Com movimentos frenéticos, quase febris, ele tentava despir o cadáver de uma jovem mulher. Eu fiz menção de tentar impedi-lo, mas Berenice me conteve e fez sinal de que tinha algo em mente.
Ela fechou os olhos e soltou um gemido. Era um lamento quase inaudível, mas que de repente pareceu preencher toda a capela. O coveiro estacou e finalmente percebeu que não estava só. Ele olhou ao derredor, mas não conseguiu nos ver”.


Conexão Literatura: Se você fosse escolher uma trilha sonora para o seu livro, qual seria?

Gilmar Milezzi: Há um trecho no livro, em que há um cortejo de almas penadas, que eu escrevi pensando no Bolero de Ravel como fundo musical. Creio que essa obra cairia bem para um filme a partir do livro.

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir o seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

Gilmar Milezzi: Eu ainda estou tentando reunir recursos para fazer o livro impresso, mas Requiescat in Pace está disponível na Amazon, formato ebook. O livro pode ser localizado por este link: https://goo.gl/f0Yp9I
O primeiro capítulo está disponível no blog, neste endereço: http://feedproxy.google.com/~r/blogspot/eFHMP/~3/Fsn6T2riISc/cronicas-da-cidade-dos-mortos.html

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Gilmar Milezzi: Tenho mais dois livros em revisão e logo serão disponibilizados em formato ebook. O primeiro, Noites Sombrias, é um livro de contos de horror. O segundo reúne contos diversos e ainda não tem título. Além desses estou escrevendo o segundo livro de Crônicas da Cidade dos Mortos e a Continuação de Zaphir – A Guerra dos Magos.

Perguntas rápidas:

Um livro: Cem anos de Solidão
Um (a) autor (a): Hermann Hesse
Um ator ou atriz: Paulo Autran
Um filme: Dersu Uzala, de Akira Kurosawa
Um dia especial: O dia que Zaphir chegou da gráfica. Nunca mais vou esquecer a emoção que senti.
Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário? Gostaria apenas de acrescentar que Requiescat in Pace – Crônicas da Cidade dos Mortos alcançou mais de cem mil leituras no Wattpad, quatro mil indicações dos leitores e outro tanto de comentários, até o momento em que o retirei, em razão da publicação na Amazon.

Gilmar Milezzi: Gostaria de informar o endereço dos blogs onde eu publico minhas histórias:
www.aguerradosmagos.blogspot.com com histórias de horror e fantasia;
www.agavetamagica.blogspot.com com contos, poemas e artigos diversos.

Capista do livro Requiescat in Pace: Crônicas da Cidade dos Mortos: Jean Milezzi. 

INSCREVA-SE NO CANAL "CONEXÃO NERD"---->
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Baixe a Revista

baixar

E-mail: contato@fabricadeebooks.com.br

Curta Nossa Fanpage

Assista ao vídeo

INSCREVA-SE---->

Anunciante:

CANAL CONEXÃO NERD

Posts populares

Inscreva-se e receba nossas novidades por e-mail:

Drago Editorial

LIVRO: NÃO É COM VINAGRE QUE SE APANHAM MOSCAS

LIVRO: DOIS ANJOS E UMA MENINA

REVISÃO DE TEXTOS

REVISÃO DE TEXTOS
Revise o seu texto conosco.

Anuncie e Publique Conosco

Instagram

Gostou do nosso trabalho?

Passaram por aqui


Labels