sábado, 11 de março de 2017

Crônica - Os espinhos do amor


Uns relacionamentos são feito de flores, tudo é maravilhoso, perfeito, nada pode estragar um namoro/noivado/casamento. Ledo engano! Temos que enfrentar os espinhos, que muitas vezes podem fazer um machucado considerável na pessoa.

Quando estamos apaixonados, tudo ao redor para que some, estamos focados só na pessoa do qual nos faz bem e procuramos fazer de tudo para agrada-la (o), mas mesmo assim somos feridos(a) e atordoados com brigas, seja elas grandes ou pequenas.

Namoro é igual uma balança, ela tem que ficar equilibrada, não pode pender para nenhum dos lados, se isso acontecer. Pare! Analise, reflita e o melhor de tudo, tenha sempre um diálogo saudável com seu companheiro (a), uma conversa pode mudar muita coisa.

Qual importância de falar uma coisa tão óbvia? O amor é muito complexo, ainda mais quando você está ferido por conta desse sentimento que muitas vezes pode e faz muito bem para nós, mas que pode fazer muito mal.


Outro ponto que devo levar em consideração é quando uma das partes precisam se humilhar, para ter um pouco de atenção, amor, carinho e afeto. Necessita se humilhar desse jeito? Não! Quando o amor é verdadeiro, não tem esse lance de praticamente mendigar tudo isso. 

Os espinhos sempre vão aparecer, o melhor jeito é não deixar que o ferimento se abra e torne uma grande infecção. 


Compartilhe:

10 comentários:

  1. Oiii tudo bem???

    Não concordo muito com o lado que a cronica tomou, falando só da dor, as pessoas tem a leve tendencia de só ver o lado ruim, a dor doí incomoda, mas é 20% ou menos de um relacionamento, o restante é bom, mas as pessoas tendem a lembrar somente dos 20, e os 80 simplesmente escondem debaixo do tapete, como se não fosse necessário para a equação fechar. Se ultrapassar esse limite não é mais amor.
    Acredito que um relacionamento só funciona quando se tem vontade. Se um não tem mais vontade não acontece.
    Lembre-se sempre, aquela frase o opostos se atraem deveria ser como teatro mágico falou: Os opostos se distraem, os dispostos se atraem.
    Bjs Rafa

    ResponderExcluir
  2. Hey!

    Senti uma mágoa na crônica, sou uma pessoa de muitos amores, então aprendi muito com isso, talvez por isso não tenha me atraído tanto.

    Sucesso.
    http://fonteliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Achei interessante a sua crônica, apesar de não concordar 100% rsrs. O amor doi mesmo, e dói muuuito se não for correspondido. As feridas são algo que tem só que passar,m as não devemos nos deixar abalados com elas. Até mais ver
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Assim como tudo na vida os relacionamentos e o amor não são perfeitos, mas são coisas que incrementam e muito as nossas vidas, mesmo que nem sempre seja da maneira que imaginávamos. Por mais desagradável que seja o sentimento sempre é possível aprendermos algo com ele, e assim evoluirmos sentimentalmente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?
    Seu texto é bem profundo, mas gostei muito!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Olá, pois é, quando somo calejados, geralmente encaramos o amor com ressalvas, muitas vezes perdendo a chance de ser feliz. Pois temos que sempre pensar positivo, mas claro com aquela pitada de cuidado.

    ResponderExcluir
  7. Oiee Rafael ^^
    Felizmente, eu ainda não passei por nada disso...haha' e espero não passar tão cedo, apesar de saber que pode ser uma coisa boa. A gente sabe que o lado ruim é tão ruim que quase nem vale a pena tentar, né? Ou vale, não sei *-* vamos ver...
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  8. Concordo com alguns muitos pontos da crônica.
    Bem profundo e com muitas verdades.

    ResponderExcluir
  9. Oi,
    Seu texto foi bem profundo concordei com algumas coisas, o amor não é só dor, o amor é o companheirismo é confiar e pensar que aquela pessoa está ali porque você depositou uma confiança nela para se relacionar .

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Uma coisa que a vida nos ensina é que a única perfeição é a divina. Só Deus é perfeito e nada mais.
    Eu diria que os relacionamentos são como as rosas, elas tem seus espinhos, mas é a beleza, perfurme e delicadeza que atraem. E se ela te machucar você vai procurar outra forma de segura-la, se a rosa valer a pena. E assim como são as rosas são os relacionamentos.
    Não é o amor que doí ou nos faz sofrer, porque é o amor é puro e belo. O que doí e nos faz sofrer é a forma de se relacionar.

    Até breve!
    Suka

    ResponderExcluir

Baixe a Revista

baixar

E-mail: contato@fabricadeebooks.com.br

>> Para participar das edições: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Assista ao vídeo

INSCREVA-SE---->

Anunciante:

Anuncie e Publique Conosco

Posts populares

Inscreva-se e receba nossas novidades por e-mail:

Drago Editorial

LIVRO: JÚLIA

LIVRO: AS CRÔNICAS DO AMANHECER

LIVRO: NÃO É COM VINAGRE QUE SE APANHAM MOSCAS

LIVRO: DOIS ANJOS E UMA MENINA

REVISÃO DE TEXTOS

REVISÃO DE TEXTOS
Revise o seu texto conosco.

Gostou do nosso trabalho?

Passaram por aqui


Labels