quinta-feira, 3 de maio de 2018

Bárbara Kristina e o livro "Os Sentimentos das Sombras"

Bárbara Kristina - Foto divulgação
Muito determinada e com uma pitada de loucura, Bárbara Kristina sempre foi um garota sonhadora, nunca se refreou diante dos limites que o mundo impõe, fugindo frequentemente para a imaginação. Amante de diversas artes, já fez aulas de balé e participou de oficinas de teatro, além de ter sido medalhista na área da matemática. Leitora desde pequena, sempre possuiu muito incentivo de sua família, e, aos dez anos, começou a dar seus primeiro passos na literatura escrevendo pequenas poesias. Contudo, foi apenas quando enfrentou a fase mais dura de sua vida que recorreu ao conforto das palavras, descobrindo um grande gosto por escrever.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?


Bárbara Kristina: Posso dizer que tive início bem cedo nas artes literárias. Meus pais, minha irmã e meus familiares sempre incentivaram a leitura, e, com dez anos comecei a escrever pequenas poesias e até mesmo comecei a escrever um livro de ficção com doze anos, mas naquela época nunca vi como algo mais concreto. Com quinze anos, ao ser diagnosticada com depressão, comecei a ver na escrita uma forma de terapia, e algo que já era agradável virou uma forma de ajuda com a doença, o que me fez querer seguir além das minhas antigas fronteiras na arte literária.

Conexão Literatura: Você é autora do livro “Os Sentimentos das Sombras” (Editora Chiado). Poderia comentar?

Bárbara Kristina: O livro “Os Sentimentos das Sombras” conta a história de Cíntia, uma guerreira que vive em um mundo medieval onde as mulheres são totalmente submissas. Trabalhando como chefe de exército do reino de Asteroidea, Cíntia foi a primeira figura feminina a atingir tal posição podendo conseguir sua liberdade. Junto com a rainha Catarina (que, por mais que governe independente de um homem, não pode ser considerada livre), enfrentam todos os desafios de serem pioneiras em mostrar que as mulheres devem ser respeitadas assim como os homens, contudo, o peso de tal missão a levou para caminhos difíceis de se trilhar. Por mais que seu enredo possua um fundo feminista, a história também trata das dificuldades que enfrentamos ao querer seguir nossos sonhos, e, por causa de uma sociedade que tenta nos moldar, muitas vezes, deixando de lado nós mesmos para que possamos atender às expectativas dos que estão a nossa volta, mesmo que isso custe a nossa felicidade.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro?

Bárbara Kristina: A princípio, quando comecei a escrever o livro, sempre me preocupou muito o processo de continuidade da história, para que não tenha “buracos” no decorrer da trama. Sempre procurava fazer uma linha de lógica que, mesmo o livro sendo uma ficção, mostrava que nada ali dentro acontecia por acaso e que tudo possuía uma ligação. Cheguei a pesquisar sobre as possibilidades que se encaixavam na época, uma vez que se trata de uma realidade medieval. Contudo, em meio as pesquisas e escritas, levei dois anos para escrever este livro.

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do qual você acha especial em seu livro?

Bárbara Kristina:
O corpo de Cíntia estremeceu todo. Em um segundo, já sabia o que estava para aparecer. Olhava para todo canto, desejando mais do que tudo que ela desaparecesse, que ela nunca mais fosse vista em canto nenhum. Mas ela apareceria, e levaria mais um.
Não, ela não levaria mais um, não.
A sombra apareceu bem na frente dos dois. Sendo a mais negra de todas, Tales assustou-se quando viu a criatura, calmamente, olhando de um para o outro. Cíntia também se assustou com a reação dele. Ele nunca havia visto uma sombra antes. Por que agora?
A sombra, diferente das outras vezes, só ficava ali parada, sem ir atrás de sua presa. A chefe de exército não entendeu a reação que ela estava tendo. Sempre decidida, a sombra vai atrás. Questionamentos invadiam sua cabeça e faziam dela um redemoinho de perguntas sem respostas. Não entendia nada que estava acontecendo, até Tales enfim falar:
— Ela está esperando — disse Tales, que, ao ver a cara de desentendimento de Cíntia, esclareceu. — Ela está esperando ver quem de nós dois irá até ela.
Agora fazia sentido. Ela quer que a gente escolha quem vai morrer. Quem irá morrer no meio da floresta em chamas. Para Cíntia, era óbvia a resposta desta pergunta. Seria ela. E mais ninguém. Ninguém mais morreria.
— Tales, corre! — falou decididamente, sem nenhum tom de dúvida na sua voz. — Eu que irei com ela. Vá, fuja!
— Entretanto, como tu ficarias? — Tales tentou  persuadi-la, sem nenhum sucesso.
— Ficarei bem. Agora, vá! — falou mais uma vez, sem deixar dúvidas de sua resposta final.
Tales, ao ver que nunca conseguiria vencê-la, usou sua última carta da manga. Jogou-a para o chão, sem nenhuma dó, e, sem pensar, correu na direção que a sombra estava pairando. A sombra, em resposta, levantou sua mão, deixando-a na altura do rosto de Tales. Cíntia, sem conseguir movimentar-se, tentou de tudo, sem nenhum sucesso. Apenas conseguiu gritar, enquanto Tales desaparecia junto à sombra, deixando apenas suas roupas.
Chorou. Era mais um que morrera. E ela não fizera nada. A floresta em chamas ia se apagando misteriosamente a cada lágrima que Cíntia deixava cair no chão. Aos poucos, a floresta se mostrava um campo cheio de cinzas e cascas de árvores queimados. E Cíntia apenas ficava ali. Encolhida e chorando.
Até que sentiu que algo a vigiava. Resolveu averiguar o que estava ocorrendo e, quando olhou para trás, viu uma jovem moça com cabelos ruivos observando-a atentamente.
Seu peito alastrava-se de culpa... Quando acordou dentro da carruagem, com Catarina a observando.
— Estás bem, Cíntia? — perguntou desconfiadamente a rainha.
— Estou bem — falou calmamente. — Foi apenas um pesadelo.


Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir um exemplar do seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

Bárbara Kristina: Neste momento, o livro está disponível no site da Chiado Editora, em formato físico e digital. Também tenho uma loja virtual (https://barbarakristina.loja2.com.br), no qual trabalho apenas com o físico, todavia, creio que mais tarde aparecerão em outras plataformas, como Cultura, Leitura, Fnac, Saraiva...

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Bárbara Kristina: Existem sim! Este livro, na verdade, trata-se da primeira obra de uma duologia. Neste momento estou escrevendo o segundo título, mas também possuo outras obras as quais pretendo publicar após terminar a série, incluindo o primeiro livro que escrevi, mas está inacabado.

Perguntas rápidas:

Um livro: Graceling - O Dom Extraordinário
Um (a) autor (a): Lemony Snicket (Daniel Handler)
Um ator ou atriz: Johnny Deep
Um filme: O Hobbit
Um dia especial: 24/12

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Bárbara Kristina: Gostaria apenas de agradecer a todos que participaram, participam ou participarão deste processo de integração com a literatura. Desejo muito que, nesta minha entrada por um “novo universo”, eu possa conhecer e compartilhar ainda mais dessa arte que desde pequena tanto me fascina ao transformar o mundo ao nosso redor usando apenas papel e tinta.
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: contato@fabricadeebooks.com.br

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email de confirmação):

Anuncie e Publique Conosco

Posts mais acessados da semana

EDITORA DRAGO

EDITORA PENALUX

LIVRO DESTAQUE

LIVRO: TRAVESTIS BRASILEIRAS EM PORTUGAL

FUTURO! - ROBERTO FIORI

ENCONTRE UMA EDITORA PARA O SEU LIVRO

LIVRO: TRAVESSURAS DA MINHA MENINA MÁ

Passaram por aqui


Labels