segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Crítica - A Maldição da Residência Hill (1ª Temporada)


Título Original: The Haunting of Hill House

Direção: Mike Flanagan

Ano Lançamento: 12 de Outubro de 2018

Duração: 60 min

Elenco: Michiel Huisman, Carla Gugino, Henry Thomas, 
Elizabeth Reaser e Oliver Jackson-Cohen

Episódios: 10

Temporada: 1

Gênero: Drama, Terror

Origem: Estados Unidos

Um grupo de irmãos cresceram no que se tornaria a casa assombrada mais famosa do país. Agora, adultos, eles são forçados a retornar à mansão após uma tragédia e juntos precisarão enfrentar os fantasmas de seu passado — alguns ainda assombram suas mentes enquanto outros podem estar observando das sombras da Residência Hill.

Impressões:

Saudações cinematográficas, queridos leitores do Blog da Revista Conexão Literatura, tudo bem com vocês? Espero que estejam bem! Vamos com uma super novidade da Netflix? Uma série de terror que em poucos dias já obtém um enorme sucesso. 

A Maldição da Residência Hill, acompanha a vida de uma família que se mudou recentemente para essa mansão, com o passar do tempo, coisas bizarras começam a acontecer em toda casa, deixando os membros da família perturbados e aterrorizados.

A série foi adaptada do romance escritor por Shirley Jackson, saindo das páginas para dez episódios assustadores, levando os espectadores em assistir até o fim e acompanhar o desenrolar da família em entender todos os acontecimentos. 


Um local quase deserto no oeste de Massachusetts, distante de qualquer estrada, está fincada a sinistra residência Hill. Os Crains planejam reforma-la o mais rápido possível e ter um bom retorno financeiro com à venda. Porém! Tudo acaba saindo errado, o casarão possui uma história sombria e cheio de mistérios. 

Os acontecimentos fazem um verdadeiro inferno na vida de todos os Crains, cada membro segue o seu próprio destino com o passar do tempo, até que duas décadas depois que tudo de mais bizarro acontece, os irmãos e o pai retornam para a mansão. 

Toda história poderia ser contada em um filme de duas horas, Flanagan consegui de forma brilhante, estruturar cada episódio, colocando o foco principal em um personagem diferente, preenchendo diversas lacunas de até cinco cenas diferentes. 


O ponto forte de toda série é fugir do óbvio, focando em toa ambientação e no clima do que no susto em si. O fator medo surge não dos fantasmas e sim de lugares e situações, trazendo o terror psicológico em cada episódio.

Ambientação possui cenários escuros e um clima acinzentado, deixando o espectador apreensivo, a qualquer momento alguma coisa irá surgir das sombras. 


O potencial cada vez mais forte da Netflix, só prova que estão preparados em produzir séries/filmes de qualquer gênero e época, ganhando cada vez mais espaço na sétima arte. 

Vale a pena? Com toda certeza! Um seriado impecável até mesmo nos mínimos detalhes, assustador, perturbador e aterrador em cada episódio.




Compartilhe:

2 comentários:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email de confirmação):

Anuncie e Publique Conosco

Posts mais acessados da semana

DRAGO EDITORIAL

LIVRO DESTAQUE

LIVRO: TRAVESTIS BRASILEIRAS EM PORTUGAL

FUTURO! - ROBERTO FIORI

ENCONTRE UMA EDITORA PARA O SEU LIVRO

LIVRO: TRAVESSURAS DA MINHA MENINA MÁ

Passaram por aqui


Labels