quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Daniel Renattini e o livro “Herdeiros das Estrelas – O Filho do Sol”

Daniel Renattini - Foto divulgação
Daniel Renattini é formado em Design Digital pela Anhembi Morumbi, escultor, mestre em reiki e apaixonado por dublagem. Admirador de super-heróis desde a infância, sonhava em criar os próprios personagens, até que surgiu o amor pela literatura. Depois das primeiras histórias engavetadas, de um período morando na Nova Zelândia e da orientação de escritores mais experientes, decidiu avançar com a série Herdeiros das Estrelas. O primeiro volume, O Filho do Sol, foi publicado graças ao financiamento coletivo pelo Catarse. Já participou da coletânea de contos Café Express: a história por trás do Oeste, publicado na Amazon, e já escreveu para o site Burn Book e À Paulista.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?


Daniel Renattini: Então, eu não fui muito diferente de um autor jovem e iniciante, que sonhava em publicar o próximo Harry Potter. Mas alguns meses antes de ter esse desejo, eu detestava ler. Depois de ter arriscado uma primeira leitura, por vontade própria, com Eragon, aos treze anos, alguma coisa remexeu dentro de mim e descobri que eu também queria criar mundos como o que li. Com a minha não vasta experiência, o primeiro livro não vingou e cartas dos “não” de algumas editoras estão guardadas até hoje. Depois de quase oito anos, entre longos hiatos sem escrever por falta de motivação e orientação, algo começou a mudar. A primeira mudança foi descobrir que havia autores nacionais que escreviam fantasia! Sim, eles existem! E quando mandei uma mensagem ao Eduardo Spohr, autor de A Batalha do Apocalipse e da trilogia Filhos do Éden, ele me respondeu uma semana depois com muito conteúdo. Eu fiquei boquiaberto, como se estivesse entrando em Nárnia. Daí pra frente, comecei a estudar mais sobre os processos da escrita e conhecer outros escritores, alguns dos quais eu considero como professores e amigos.
 
Conexão Literatura: Você é autor do livro “Herdeiros das Estrelas – O Filho do Sol”. Poderia comentar?

Daniel Renattini: Essa história nasceu lá atrás, na mesma época em que eu escrevia o meu primeiro livro, quando eu tinha uns catorze, quinze anos. Nessa mesma época começou a passar Avatar: A Lenda de Aang, que foi, e ainda é, a minha principal referência. Eu não cheguei a fazer sequer dez páginas do primeiro rascunho e guardei. Aos vinte anos, retomei essa história. Quando li o que já tinha escrito, a primeira coisa que fiz foi esquecer tudo, exceto o nome e o poder do personagem e onde ele vive: São Paulo. Alex é um rapaz de dezoito anos que controla o fogo. Ao mesmo tempo dessa descoberta, ele precisa aprender a lidar com as emoções, com a namorada em coma, com o sumiço do pai e com os dramas da transição para a vida adulta. Mas ele não é o único elemental, termo que uso para descrever as pessoas com poderes. Aos poucos, Alex começa a descobrir um novo mundo, o qual os super-heróis estão bem próximos da realidade. E os vilões também. Audiotrailer de “O Filho do Sol”: https://www.youtube.com/watch?v=gSt59JtrOxc, com as vozes de Marcelo Campos (Trunks, Zoro e Mu de Áries) e Marco Ribeiro (Homem de Ferro e Yusuke).

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro?

Daniel Renattini: Hum... Lembra que eu falei dos conteúdos que o Eduardo Spohr me enviou? Os estudos começaram aí, em meados de 2013. Foram semanas ouvindo podcasts, lendo apostilas, livros e fazendo anotações. Depois de uns quatro meses fazendo isso, tirei mais uns meses para rabiscar ideias. Tudo que me vinha à mente eu escrevia, fosse uma palavra, uma cena de referência que vi em uma série, um diálogo, um lugar. Até mesmo algumas pessoas que conheci serviram de referência para a criação de personagens. Também pesquisei bastante para entender melhor como os poderes e habilidades dentro do meu universo funcionariam. Histórias em quadrinhos, animes e filmes de super-heróis ajudaram bastante nessa questão. Foram mais alguns bons meses de trabalho. Acabou levando mais tempo do que imaginei porque preferi já estruturar a série toda, com todos os personagens e não apenas o primeiro volume. Então decidi começar a primeira versão, que mal chegou a cinquenta páginas. Desde o momento em que eu comecei as pesquisas e os estudos pra essa história, até o momento do ponto final, da oitava versão, foram praticamente três anos. Três longos e prazerosos anos.

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do qual você acha especial em seu livro?

Daniel Renattini: Claro! Aqui vai uma amostra de poder flamejante.

“Ambos sentiram calafrios quando viram os olhos do garoto, tomados por uma energia feroz. E não era tudo. Antes castanho-claros, agora os olhos de Alex emitiam um brilho vermelho alaranjado, como brasas incandescentes. Chamas envolviam seus braços e chamuscavam as mangas, enquanto uma luz escarlate revestia o corpo todo.
A manifestação da aura.
Alex havia derrubado o muro que barrava a autoconfiança e a capacidade de manipular o fogo. Agora suas chamas estavam livres. No entanto, liberava mais poder do que sabia controlar. O jovem do fogo não estava consciente de seus atos, por estar tomado de todas as emoções possíveis. Coragem, medo, alegria, tristeza, determinação... A que mais comandava naquele momento era a raiva.”

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir um exemplar do seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

Daniel Renattini: Para comprar um exemplar, pode ser pelo site https://danielrenattini.lojaintegrada.com.br/ ou diretamente comigo, quando vou aos eventos literários. Recentemente abri meu site pessoal (www.danielrenattini.com.br), espaço o qual os leitores também podem ouvir o audiotrailer de O Filho do Sol e conhecer outros trabalhos. Ah! E meu Instagram é @danielrenattini.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Daniel Renattini: Ô se existem! Estou prestes a lançar uma antologia no mesmo universo de Herdeiros das Estrelas. São seis contos. Inclusive, um deles é sobre a juventude de um dos personagens de O Filho do Sol. Além disso, estou produzindo um romance de ficção científica e também cuidando do segundo volume de Herdeiros das Estrelas. Tenho procurado ir em escolas para incentivar novos escritores e leitores, principalmente em um país que necessita disso. Eu considero que esse é um projeto que eu quero ter para sempre.

Perguntas rápidas:

Um livro: Sobre a escrita
Um (a) autor (a): Felipe Castilho
Um ator ou atriz: Hugh Jackman
Um filme: Logan
Um dia especial: O lançamento de O Filho do Sol

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Daniel Renattini: Algumas pessoas podem achar que escritores têm o ego inflado e, de fato muitos têm, mas ainda assim, dificilmente algum deles chegaram onde estão sem um apoio. Seja uma palavra de incentivo, uma leitura crítica, uma chamada de atenção. Tudo isso é importante para um escritor, principalmente vindo das pessoas mais próximas. Eu não cheguei até aqui sozinho. E eu não ia querer de outra forma.
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email de confirmação):

Anuncie e Publique Conosco

Posts mais acessados da semana

DRAGO EDITORIAL

LIVRO DESTAQUE

LIVRO: TRAVESTIS BRASILEIRAS EM PORTUGAL

FUTURO! - ROBERTO FIORI

ENCONTRE UMA EDITORA PARA O SEU LIVRO

LIVRO: TRAVESSURAS DA MINHA MENINA MÁ

Passaram por aqui


Labels