sábado, 17 de novembro de 2018

O Enterro dos Ossos – Renata Maggessi


Simetria. Uma pessoa que tenha algum transtorno ligado à simetria, tem a sensação de que coisas ruins podem acontecer se algo estiver fora do lugar. Por vezes, os pensamentos negativos que tomam conta da pessoa e as atitudes que tem são inexplicáveis, no entanto, parece ser a forma que encontra para aliviar e se ver livre dos pensamentos obsessivos.


O prólogo da obra de Renata Maggessi, O Enterro dos Ossos, nos leva ao ano de 1981 numa casa alugada no Recreio dos Bandeirantes, bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro. O cão de Eliseu – ainda criança – brincava no jardim. Hulk cavou o terreno e encontrou “algo sujo”. A constatação dos pais do menino, Sérgio e Luisa, logo veio: aquilo era um osso humano.

A história tem uma passagem de tempo quando começamos o capítulo primeiro da obra. Tem início no ano de 2009 – setembro daquele ano. O corpo de uma mulher é encontrado na areia da praia, por Caio e seus amigos.

“...o assassino tentou copiar a tatuagem do tornozelo direito no esquerdo. Observe as linhas. Perceba como elas são parecidas. O mesmo aconteceu com a bochecha. Ela tinha uma pinta na bochecha esquerda. O meliante “criou” uma pinta na bochecha direita (...) É óbvio que esse cara tem problema com simetria.”

Outros crimes ocorrem e ossos são encontrados. Tudo indica que nos crimes há violência sexual contra a vítima e que seu executor tem fixação por simetria. Sua obsessão por perfeição se revela na sua ação criminosa, como quem busca corrigir um erro de quem, para ele, é imperfeito. Marcas, incisões, tatuagens, podem ser feitas para dar ao corpo “imperfeito” a simetria necessária para satisfazer o distúrbio do assassino.

Diante do cenário de crimes que ocorrem, não faltam também questões que envolvam as relações humanas. Benjamin, personagem que assume o protagonismo, se vê novamente tocado por uma ex-namorada. Luana o procura anos depois do rompimento da relação, mas o seu passado esconde alguns fatos desconhecidos pelo ex-namorado. Por Benjamin o leitor acompanha também uma história de encontros e desencontros, que se travam por meio dos relacionamentos que ele constitui.

Vale mencionar que a vida dos personagens, ou pelo menos de boa parte deles, se cruza, como perceberá o leitor logo no início, formando uma teia de relações que levantam dúvidas, expões aflições e traumas de alguns personagens, conecta-os a eventos presentes e passados. Esse emaranhado de relações cria uma trama que requer atenção do leitor para sacar as entrelinhas do que vai sendo revelado e contado pela autora de forma natural (sem alardes), dando continuidade e seguindo a trajetória da história que se propôs a contar.

“E o pior é que não há indícios de quem seja o assassino. O cara não deixa rastros...”

O Enterro dos Ossos, da escritora Renata Maggessi, foi publicado pela Editora Coerência em 2018 (246 páginas). A autora nos brinda com uma trama policial, que se passa no Brasil, e que traz personagens que, além de serem ligados aos crimes (pelas relações ou por se envolverem nas investigações), carregam seus conflitos pessoais.

Interessante observarmos que Renata Maggessi usa de um recurso que desperta a curiosidade do leitor. Em dado momento as impressões sobre o psicopata são apresentadas a quem lê, mas há informações que vão surgindo e dando corpo à história. Adentramos então, duas vertentes: de um lado a visão de quem busca pelo assassino e de outro o criminoso e sua obsessão pela simetria na execução dos crimes.

Tramas policiais me atraem e o livro objeto da resenha, me fisgou. A escritora ambienta a história em seu tempo. Temos referências a situações e costumes contemporâneos, tais como músicas e o uso de aplicativo de mensagens. No que refere-se ao espaço temporal, temos um salto inicial, como foi mencionado anteriormente, que vai do prólogo ao capítulo primeiro. Depois temos mais um novo avanço no tempo, de oito anos.

O Enterro dos Ossos é uma trama e tanto, que prende a atenção de quem lê e consegue nos confundir e fascinar. Os diálogos são usuais e dão agilidade ao desenrolar da história, mesmo trazendo detalhes cotidianos dos personagens. As cenas curtas se intercalam como um quebra-cabeça que vai sendo montado, até chegarmos ao desfecho.

Não posso deixar de comentar sobre a capa, que nos coloca em total sintonia com o conteúdo do livro, atraindo a atenção do leitor. Além disso, as páginas também receberam acabamento com adornos e um crânio na numeração das páginas. Instigante.

É um livro para te prender – simetricamente – do início ao fim, que usa de um jogo interessante com o leitor ao deixar o assassino exposto, mas tratar das ligações que se cruzam e que revelam muito dos personagens. Renata apresenta um primeiro romance de uma escritora que promete boas tramas para os leitores. Que venham mais!

Sobre a autora

Renata Maggessi é jornalista e pós-graduada em Literatura Brasileira pela UERJ. Carioca, escolheu a cidade de São Paulo como morada, onde vive com seu marido e sua filha. Apaixonada por tudo o que envolve escrita e leitura, iniciou sua carreira literária a partir de diversas publicações em antologias de contos, a maioria de terror e suspense. É membro da ABERST (Associação Brasileira dos Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror) desde janeiro de 2018. O Enterro dos Ossos é seu primeiro livro solo publicado.

Ficha Técnica

Título: O Enterro dos Ossos
Escritor: Renata Maggessi
Editora: Coerência
Edição: 1ª
Número de Páginas: 246
ISBN: 978-85-5327-072-9
Ano: 2018
Assunto: Literatura policial brasileira


Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email de confirmação):

Anuncie e Publique Conosco

Posts mais acessados da semana

SROMERO PUBLISHER

LIVRO DESTAQUE

LIVRO: TRAVESTIS BRASILEIRAS EM PORTUGAL

FUTURO! - ROBERTO FIORI

ENCONTRE UMA EDITORA PARA O SEU LIVRO

LIVRO: TRAVESSURAS DA MINHA MENINA MÁ

Passaram por aqui


Labels