terça-feira, 8 de outubro de 2019

Outros tempos, outros mundos




Robert Silverberg é um dos mais importantes escritores de ficção científica de todos os tempos. A antologia Outros tempos, outros mundos, lançada pelo Círculo do Livro é um bom exemplo da habilidade do autor e se tornou um clássico do gênero.
Silverberg mistura a ficção científica com biologia, psicologia, filosofia, em um emaranhado instigante.
O primeiro conto do livro, “O homem que jamais esquecia”, mostra as agruras de uma pessoa incapaz de esquecer. A maioria das pessoas considera, ingenuamente, que a capacidade de se lembrar das coisas é uma benção, mas ela pode ser um martírio. O protagonista é rejeitado pela sociedade e vive o tempo todo viajando – tanto para evitar locais que já conhece nos mínimos detalhes quando para evitar pessoas que o conheçam.
“Ismael apaixonado” é um dos contos mais curiosos do volume – e certamente um dos mais interessantes já escritos por um autor de ficção científica. Nele, um golfinho responsável por limpar as turbinas de um mecanismo que desaliniza água do mar se apaixona por uma cientista. A grande sacada: o conto é narrado pelo próprio golfinho, o que faz o escritor usar de contorcionismos estilísticos para simular o modo de pensar e de se expressar de um cetáceo.
“Viagem de ida sem volta” nos conta a história de um astronauta que se apaixona por uma mulher de uma colônia terrestre – uma mulher monstruosa para nossos padrões. É uma curiosa investigação psicológica que flerta com a teoria freudiana.
“Nascer do sol em Mercúrio” mostra uma missão para espacial que corre o risco de terminar com a morte de todos os tripulantes porque um dos astronautas decide se matar. Uma interessante abordagem psicológica, inclusive sobre inteligências alienígenas. Daria um ótimo filme de suspense.
“Os exógamos” traz uma interessante questão antropológica. Em um planeta distante, colonizado por humanos, duas famílias se transformaram em clãs que não se misturam por séculos: os Clingert (morenos) e os Baille (loiros). Como tal, cada um cria uma cultura totalmente diferente – além das diferenças exteriores. A inimizade entre eles é tão grande que famílias Baille que tenham filhos morenos são apedrejadas. Tudo se complica quando um rapaz Baille encontra uma moça do clã rival e se apaixona por ela. Silveberg usa esse plot Romeu e Julieta como uma investigação antropológica. 
“Um descer suave” mostra um computador especializado em terapias psicológicas que enlouquece graças ao contato com seus pacientes. O interessante aí é que a história é narrada em primeira pessoa.  Da mesma forma que em “Ismael apaixonado”, o destaque fica por conta da maneira como o escritor se coloca no lugar do personagem, um golfinho no outro conto, um computador aqui.
Enfim, uma coletânea obrigatória. Um único ponto negativo: a horrível capa, com imagem que mostra o horrível robô filme Logan´s run e uma fonte que deveria remeter à ficção científica, mas é apenas datada (e provavelmente já era datada na época em que o livro foi publicado).

Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

REVISÃO E LEITURA CRÍTICA

Posts mais acessados da semana

Anuncie e Publique Conosco

LIVRO "VAIVÉNS DA ALMA"

LIVRO "JORNAL EM SÃO CAMILO DA MARÉ"

LIVRO: CONVERSA NOTURNA E OUTRAS HISTÓRIAS

LIVRO DESTAQUE

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels