sexta-feira, 10 de julho de 2020

Laura Figueiredo e o livro Palavras piratas, por Cida Simka e Sérgio Simka

Fale-nos sobre você. 

Nasci na cidade de Guará – interior do estado de São Paulo. Sou graduada em Letras e pós-graduada em Tradução (Inglês/Português) pela UniABC.  Sou professora, revisora, poetisa e contista. Comecei a minha trajetória como escritora ao participar dos IV e VI Concursos da UniABC de Poesia com os poemas “Tributo a Rosa” e “Identidade”, ficando em 3º lugar, respectivamente. E a partir disso comecei a escrever e não parei mais. Minha primeira publicação foi o livro de poesias “A Semântica dos Caos” (2016) e, em seguida, publiquei “O Mistério de D. Amélia e outros contos” (2018). Fui convidada a participar de algumas antologias: participei do livro “Antologia Poética de Professoras Poetas” (2018) com o poema “O Belo”, “Histórias do Isolamento”(2020), com o conto “O Refúgio”,  todos  publicados pela Editora Todas as Musas e o livro “Aquela Casa” (2020), com o conto “Cercas Vivas Mortais” pela Editora Verlidelas (RJ).

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre o livro que está lançando.

Minha mais nova produção é um livro de poemas intitulado “Palavras piratas, poemas de amor e ódio”.  Nesse livro o “eu” lírico é mais ousado. Ele não questiona a atitude da alma humana ao lidar com as metamorfoses dos sentimentos. O poeta se despe para encarar todas essas transformações que navegam entre o amor e o ódio. Há poemas de absoluto amor, mas também há poemas de intenso ódio. Para tanto, ele pirateia e brinca com as palavras, dando a elas o sentido que quiser. Palavras que são subtraídas dos sentimentos mais profundos da alma humana. E a elas são somadas outras palavras que se multiplicam até chegar à superação. Superação de ter conseguido aprofundar um pouquinho mais no conhecimento da “alma”. É livro em que o “eu” lírico escreve com mais ousadia, sem muito pudor. É um “eu” lírico mais amadurecido.

Fale-nos sobre seus outros livros.

Na minha primeira publicação “A Semântica do Caos e outros Contos”, os poemas eram de puro questionamento. O “eu” lírico não entendia as dicotomias dos sentimentos.  Os poemas retratam entender as várias facetas do ódio, do amor, do sofrimento, da esperança, do vampirismo, e assim, como desvendar o caos desses sentimentos tão mutantes? É um livro de busca ao entendimento da alma humana, mais ingênuo.

Meu segundo livro é de contos de mistérios. Totalmente inverso ao primeiro, embora tenha como objetivo o desvendamento.  “O Mistério de D.Amélia e outros Contos” busca desvendar o que há além do Universo. Procura mostrar o que há atrás das atitudes das pessoas, para assim entender as consequências. Fala também dos mistérios do poder da natureza. Alguns contos levam o leitor a refletir sobre causas, consequências, amores eternos, esperança.

Você prefere poesia ou conto?

Por incrível que possa parecer, gosto dos dois. A poesia surge de repente como reação a alguma indignação ou questionamento. Quando isso acontece, sento-me diante do computador e em menos de dez minutos sai uma poesia.

A ideia do conto também surge de repente, porém demora mais para ser concluído. O que me atrai no conto é o desafio de criar um conflito sem deixar pistas para o leitor. E, assim, esse conflito vai até, praticamente, ao final do conto. Muitas vezes o desfecho do mistério é revelado no último parágrafo.  

Não conseguiria escolher um dos dois. Fico com os dois.

O que tem lido ultimamente?

Gosto de variar a minha leitura entre clássicos atemporais e contemporâneos. Há pouco tempo reli “Sagarana” de Guimarães Rosa, que eu gosto muito; “Mensagem” de Fernando Pessoa, “A Lírica de Camões”, “Grito das Estrelas” de Priscila Debly. Atualmente, estou lendo “Aquela Casa” e na fila estão: “Corpo-Luto” de Eduardo Cardoso e “Histórias de Isolamento”. E tenho mais alguns em mente.

Entrevista com Eduardo Cardoso, autor do livro “Corpo-Luto”:

Sobre a antologia “Aquela Casa”:


CIDA SIMKA
É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019) e O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020). Organizadora dos livros: Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020) e Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020). Colunista da Revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA
É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela Editora Uirapuru. Membro do Conselho Editorial da Editora Pumpkin e colunista da Revista Conexão Literatura. Seu mais novo livro se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020).

Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Anuncie e Divulgue Conosco

Posts mais acessados da semana

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

REVISÃO E LEITURA CRÍTICA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels