segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Marcela Farias e o livro No mundo dos sonhos, por Cida Simka e Sérgio Simka

Fale-nos sobre você.

Sou escritora de ficção, além disso, gosto de escrever poesias, tendo e-book na Amazon, além de outro romance, ‘O que há no seu coração?’. Tenho 33 anos, apesar de que aparento, segundo dizem as boas línguas, ter menos. Risos. Sou formada em História, contudo, não me adaptei à sala de aula, por isso, a História serviu-me de conteúdo para construção das minhas histórias de ficção. Às vezes costumo desenhar, pintar... Enfim, gosto da arte na minha vida, pois é o jeito de expressar as minhas emoções, análises, sonhos e fé. Sou solteira, moro atualmente em Campo Grande-MS sonhando em ser reconhecida como escritora internacionalmente. Risos.

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre o livro. O que a motivou a escrevê-lo?

No mundo dos sonhos foi o meu primeiro livro de ficção e o único a ser físico até então, mas já tenho outro no mercado apenas como e-book... Ele veio de um projeto anterior, pois logo que terminei a graduação, estava desempregada, daí pensei, irei realizar o meu sonho de escrever um livro. Só que não consegui, pois na época senti que precisava ter mais experiência de vida, e desenvolver os diálogos entre os personagens, entre tantas outras coisas. Além de que logo comecei a trabalhar e não fui disciplinada o suficiente para prosseguir. Anos depois, quando estava de férias na casa da minha família, finalmente consegui, peguei a velha ideia de escrever sobre sonhos e pronto. Só que aí, pesquisando e vivendo na prática, descobri que publicar um livro no Brasil é mais difícil do que escrever. Não é fácil, principalmente se você não tem dinheiro para isto. Depois que publica, precisa sozinho divulgar feito um condenado. Aí vem o X da questão: já é difícil manter a disciplina para escrever um livro, o que inclui muita leitura e pesquisa, imagina se você ainda tiver que divulgar, o que é necessário mais tempo do que escrever?!

Escolhi falar sobre os sonhos porque eu sou sonhadora. A minha protagonista, a Rosa, tem muito de mim, principalmente quando eu era adolescente. Claro que mudei algumas coisas como pessoa, mas é sempre bom ressaltar que não é a minha biografia. Resumidamente é a história de uma adolescente de dezessete anos que depois de pedir para Deus para realizar sete sonhos, toda vez que a noite cai abre uma passagem no quarto que a conduz a um mundo enigmático de sonhos... Existem muitos mistérios nesta comovente história. Com teor existencialista, que entrelaça a fantasia à realidade, posso dizer que foi a descoberta de que eu queria tornar-me escritora. E foi um aprendizado.

Como analisa a questão da leitura no país?

Péssima. Porém acredito sinceramente que tem jeito. Uma das dificuldades para nós, escritores brasileiros, é porque grande parte da população brasileira não tem o hábito da leitura. Já vendi muito livro na rua, caminhando por centros comerciais, embaixo de um sol escaldante, e sempre pergunto para as pessoas se elas possuem o hábito de ler. A maioria das pessoas fica envergonhada de assumir que ‘não’, em grande parte se deve ao fato de termos passado por um processo histórico injusto que não nos permitiu ter tempo de inserir na cultura da população brasileira a leitura literária antes da Era da Informática, entre outros fatores. Obviamente que há muitos best-sellers do Brasil, no entanto, a maioria são de livros estrangeiros. Não tenho nada contra isso, aliás, eu também costumo ler muitos livros estrangeiros, daqueles que se tornaram filmes, só que isto prejudica o desenvolvimento do escritor brasileiro, muitos desistem de ser escritor, ou como ocorre com uma grande parte: continuam escrevendo, mas demoram para publicar outro, não dão o seu melhor por falta de tempo, pois tem outro trabalho para pagar as contas, e sabe que não será valorizado mesmo se o livro for fantástico.
Devo ressaltar que esta desvalorização sobre a literatura brasileira não inclui escritores que são psicólogos, psiquiatras ou coaches, e por quê? É uma longa história!

O que tem lido ultimamente?

Minha leitura é bem variada, de livros comerciais a não comerciais. Gosto de ler história de amor, terror e suspense, ficção científica, aventura etc. É por isso que as minhas histórias de fantasia possuem um pouco de tudo. Gosto muito de livros de história com linguagem mais acessível, romance clássico ou contemporâneo, entre outras coisas. Tenho lido livros estrangeiros e, obviamente, brasileiros, pois, se sou escritora, preciso valorizar os livros dos meus colegas de profissão do Brasil. Contudo, a minha dificuldade é achar os livros, justamente porque ter em mãos os livros de escritores independentes brasileiros é mais difícil, pois não há uma distribuição dos livros em livrarias on-line e físicas e nas bibliotecas, e muito menos se ouve falar dos escritores independentes, por mais que o escritor faça de tudo para ser conhecido. Assim, divulgação de escritor independente sem dinheiro é trabalho de formiguinha.

Que dica poderia fornecer a quem deseja escrever?

Não desista da literatura mesmo que você saiba que é difícil, assim, ter amor por escrever e ler é a primeira dica. Há escritores brasileiros que conseguiram reconhecimento, então, se você sonha com que suas obras se tornem famosas, tudo é possível. Você já assistiu àquele filme emocionante contando a história de um escritor famoso antes da fama? Pois é! Dê a sua essência à obra e, aos poucos, vai descobrindo o gênero literário com o qual se identifica e também aos poucos irá conseguir melhorar a sua escrita. Escritor não nasce do dia para noite, seja o primeiro a acreditar no seu potencial. Muita divulgação é necessária, mas a criatividade da sua obra é mais importante.

Link para o livro:

http://www.selojovem.com.br/pd-663aa4-no-mundo-dos-sonhos.html?ct=&p=4&s=1

CIDA SIMKA
É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019) e O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020). Organizadora dos livros: Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020) e Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020). Colunista da Revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA
É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela Editora Uirapuru. Membro do Conselho Editorial da Editora Pumpkin e colunista da Revista Conexão Literatura. Seu mais novo livro se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020).

Compartilhe:

Um comentário:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Anuncie e Divulgue Conosco

Posts mais acessados da semana

COMUNIDADE INFLUXO

SONHOS FULGURANTES - ROBERTO MINADEO

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels