9 grupos no Facebook que todo bom leitor deve conhecer

Por Ademir Pascale Todos os dias são criados novos grupos no Facebook sobre assuntos e gostos diversos. Nós leitores e apaixonados...

sábado, 23 de outubro de 2021

Participe da antologia (e-book) CONTOS, MINICONTOS E POEMAS INFANTOJUVENIS - VOL. III. Leia o edital


PARTICIPE DA ANTOLOGIA (E-BOOK): CONTOS, MINICONTOS E POEMAS INFANTOJUVENIS - VOL. III

REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO NA ANTOLOGIA DIGITAL "CONTOS, MINICONTOS E POEMAS INFANTOJUVENIS - VOL. III":

1 - Escrever um conto, miniconto ou poema do gênero infantojuvenil (tema livre). Aceitaremos até 2 minicontos, poemas ou contos por autor. Caso sejam aprovados, os 2 textos serão publicados.

2 - SOBRE O CONTO, MINICONTO OU POEMA: até 4 páginas, fonte Times ou Arial, tamanho 12, incluindo título. Espaçamento 1,5.
     
3 - Tipo de arquivo aceito: documento do Word (arquivos em PDF serão deletados).

4 - O conto, miniconto ou poema não precisa ser inédito, desde que os direitos autorais sejam do autor e não da editora ou qualquer outra plataforma de publicação.

5 - Idade mínima do autor para participação na antologia: 18 anos completos. Menores de idade irão precisar de autorização dos pais ou responsável, caso o poema seja aprovado.

6 - Envie o poema pré-revisado. Leia e releia antes de enviá-lo.

7 - Data para envio do conto: do dia 23/10/21 até 24/11/21.

8 - Veja ficha de inscrição no final desse texto. Leia, copie as informações e preencha. Envie as informações da ficha + o conto ou poema para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: CONTOS, MINICONTOS E POEMAS INFANTOJUVENIS - VOL. III

CUSTO PARA O AUTOR:

R$ 50,00 por texto aprovado. Caso o autor envie 2 minicontos, contos ou poemas e tenha os dois selecionados, o valor será R$ 100,00. As informações para depósito serão informadas ao autor no e-mail que enviaremos caso o conto ou poema seja aprovado.
O valor servirá para cobrir os custos de leitura crítica e revisão, diagramação e divulgação da obra.

A antologia será digital (e-book) e gratuita para os leitores baixarem através de download, ela não será vendida. A antologia será amplamente divulgada nas redes sociais da Revista Conexão Literatura: Fanpage, Instagram e Grupos do Facebook, que somam cerca de 200 mil seguidores.

O resultado será divulgado no site www.revistaconexaoliteratura.com.br e na fanpage www.facebook.com/conexaoliteratura, até o dia 25/11/21.

OBS: Enviaremos certificado digital de participação para os autores selecionados.


NOSSOS CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO:

A) - Criatividade;

B) - Textos preconceituosos, homofóbicos, racistas ou que usem palavras de baixo calão, serão desconsiderados;

C) - Seguir todas as regras para participação.

OBS.: Ademir Pascale, idealizador do concurso, disponibilizou para download uma apostila intitulada "Oficina Jovem Escritor", com dicas para quem está iniciando no mundo da escrita. Baixe gratuitamente, leia e pratique: CLIQUE AQUI.


FICHA DE INSCRIÇÃO DO AUTOR(A)

Nome completo do autor(a):

Seu Pseudônimo (caso use), para publicação na antologia:

Idade:

Título da poesia, conto ou miniconto:

E-mail 1:
E-mail 2 (caso tenha):

Biografia em terceira pessoa (escreva sobre você num máximo de 7 linhas):


IMPORTANTE: Envie todas essas informações da ficha de inscrição para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: CONTOS, MINICONTOS E POEMAS INFANTOJUVENIS - VOL. III

O envio da ficha de inscrição + poesia para o e-mail indicado significa que o autor(a) leu todas as informações e regras dessa página para participação na antologia.

Não fique fora dessa. O concurso cultural será amplamente divulgado nas redes sociais.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.


Compartilhe:

Autor(a) divulgue o seu livro - Conheça o Pacote Divulgação Para Autores

 


VEJA O QUE ENGLOBA NO PACOTE DIVULGAÇÃO PARA AUTORES:


1 - Entrevista com o autor
a) - A entrevista será publicada no site da revista: www.revistaconexaoliteratura.com.br
b) - A entrevista também será publicada em uma edição da revista digital Conexão Literatura
OBS.: a entrevista é elaborada via e-mail e inclui foto do autor + capa do livro.

2 - Divulgação nas Redes Sociais
a) - Divulgaremos a entrevista em nossa fanpage com mais de 188 mil seguidores: clique aqui
b) - Divulgaremos a entrevista em nosso Instagram com mais de 10 mil seguidores: clique aqui

Bônus
a) Publicação do release do livro (ou sobre o trabalho literário do autor) em nosso site: www.revistaconexaoliteratura.com.br
b) Divulgação da página do release em nossa fanpage com mais de 188 mil seguidores: clique aqui
OBS.: o autor envia o release pronto + imagens para nós. No release o autor poderá incluir a sinopse do livro, links de venda, biografia do autor, foto do autor, capa do livro, redes sociais, comentários de quem já leu, etc.

VALOR PROMOCIONAL DO PACOTE DIVULGAÇÃO:
Apenas uma única parcela de R$ 100,00

A PROMOÇÃO É POR TEMPO LIMITADO, ENTÃO GARANTA JÁ A SUA DIVULGAÇÃO

DIVULGAMOS LIVROS FÍSICOS (IMPRESSOS) E DIGITAIS (E-BOOKS, LIVROS NA AMAZON, WATTPAD, ETC). 

PODEM USAR ESSE PACOTE DIVULGAÇÃO: ESCRITORES, ROTEIRISTAS, ILUSTRADORES, REVISORES, CAPISTAS, ETC.

OBS.: Pode ser pago via depósito, doc ou transferência para nossa conta no Bradesco. Também aceitamos cartão de crédito. Caso opte por cartão de crédito, enviaremos a solicitação de pagamento através do site PayPal, que é fácil e seguro.

Além de escritores do Brasil, também divulgamos autores portugueses.

INTERESSADOS É SÓ ENTRAREM EM CONTATO. ESCREVA NO ASSUNTO DO E-MAIL: "TENHO INTERESSE NO PACOTE DIVULGAÇÃO". 
* ESCREVA PARA: ademirpascale@gmail.com ou contato@livrodestaque.com.br
Compartilhe:

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Implode: novas vozes da literatura do Paraná se unem em lançamento coletivo de livros


Provocar ou fazer colapso para dentro é a definição do ato de implodir. Também é a ideia por trás de "Implode", lançamento coletivo de livros que reúne novas vozes da poesia e prosa do Paraná.

 

O evento literário será realizado em 6 de novembro, das 15h às 19h, no espaço cultural Alfaiataria, em Curitiba. O encontro será presencial, porém com todas as medidas sanitárias e restritivas necessárias.

 

Serão lançadas obras recém-publicadas por 11 autoras e autores nascidas ou residentes no Paraná. A seleção de livros é marcada pela heterogeneidade de formatos, gêneros, temáticas, com títulos assinados por Alanna Ajzental, Keythe Tavares,  Brune, Agnes Ignácio, Richard Roch, Daniele Rosa, Ísis Odara, Iamni, Ronie Rodrigues, Rafaela Tavares e Natasha Tinet

 

Criar uma convergência de vivências e estilos literários para potencializar o alcance da arte é uma das motivações para o evento. Já a opção por um lançamento presencial e coletivo surgiu como uma ideia de fortalecimento e uma resposta aos desafios de passar mais de um ano e meio em isolamento físico em um período político marcado por medidas que negligenciam ou até sufocam a arte e cultura nacional. 

 

Além da leitura de trechos das obras e venda de exemplares assinados, o encontro terá a discotecagem e música com DJ Amanda W. T. / Blues Kozmico e o pocket show de Brune apresentando o EP Ametista 

 

O "Implode" foi abraçado pela Alfaiataria, espaço de investigações e práticas artísticas interdisciplinares. Nela são realizadas atividades de formação, apresentação de teatro, dança, música, saraus, mostras de vídeo, performances, exposições e conversas. Além de uma programação própria pensada e organizada pelas artistas idealizadoras, Janaina Matter e Luana Navarro, o espaço também acolhe projetos e ações propostas por artistas de outros contextos.

 

A alfaiataria Cultural segue os protocolos relacionados ao combate ao COVID-19, tais como, medição de temperatura na entrada, higienização frequente dos ambientes. O uso de máscara é obrigatório em todos os espaços da Alfaiataria. Respeitando os decretos municipais o espaço opera com público reduzido.

 

Serviço

6/11

Das 15h às 19h

Alfaiataria (Rua Riachuelo, 274 - Centro, Curitiba, PR

Livros:

Brune

Sei que nada disso é real mas não suportaria a verdade

Editora Urutau

58 páginas

R$ 35

 

Iamni

De dentro do ônibus um aceno

Editora Urutau

51 páginas

R$28

 

Richard Roch

Maratonistas do Quênia

editora Urutau

52 páginas

R$30

 

Alanna Ajzental

Musa Medusa

editora Urutau

74 páginas

R$ 40

 

Ronie Rodrigues

Apagar histórias com a língua

Editora Urutau

56 páginas

R$ 40

 

Rafaela Tavares

Peixes de Aquário

Editora Urutau

252 páginas

R$ 50

 

Natasha Tinet

Uma alegria difícil

Kotter

83 páginas

R$ 39,70

 

Daniele Rosa

Perpétuo

Ed. Urutau

52 páginas

R$ 40

 

Keythe Tavares

Heranças

editora Urutau

56 páginas

R$ 40


Compartilhe:

O canal “Contos de Encruzilhada”, de Evy Mello e Hugo Brasarock, por Cida Simka e Sérgio Simka

Hugo Brasarock e Evy Mello - Foto divulgação

Os escritores Evy Mello e Hugo Brasarock tiveram uma ótima sacada: resolveram abrir um canal no YouTube para divulgar contos, histórias, lendas e “causos” assombrados criados por eles.

Confira a entrevista macabra que eles concederam à revista Conexão Literatura.

Fale-nos sobre vocês.

Evy Mello: Encontrei em Hugo Brasarock o parceiro perfeito para a construção do projeto que tanto sonhei: escrever contos de terror à brasileira. Hugo é um artista completo: transpira talento e brasilidade genuína em tudo que faz – letra, melodia, ritmo, traço... Canta, compõe, desenha, toca, escreve com autenticidade uma prosa deliciosa, recheada de tradição e regionalismo.

É um marinheiro do asfalto. Consegue universalizar a região que retrata ao resgatar lendas e histórias das mais gostosas de ouvir em roda. Fui conquistada por essa prosa brejeira. Essa é a marca Brasarock.

Hugo Brasarock: Quando Evy Mello e eu decidimos escrever contos de terror juntos, fiquei com certo receio. Afinal, ela está entre as minhas referências de autores idolatrados. Artista das letras, possui uma escrita refinada com estética impecável e profunda. Acadêmica e intelectual, tem a habilidade de ativar áreas emocionais do cérebro com suas combinações, estrategicamente elaboradas, de palavras e ideias. 

É uma inspiração criativa e estimulante. Resgatou meu poder de escrita com suas abordagens reflexivas e poéticas. Sim. Ela consegue ser poeta, mesmo num conto macabro.

Por fim, achei que o contraste de estilos entre nossos parágrafos daria um resultado interessante. E cá estamos, aterrorizando a literatura brasileira.

Fale-nos sobre o canal. Por que resolveram criá-lo?

Evy Mello: De certa forma, o canal “Contos de Encruzilhada” é um meio de compartilhar as conversas mais gostosas que Hugo e eu construímos ao longo deste ano. Quando nos conhecemos, Hugo já tinha experiência com o gênero terror, já havia escrito o genial “A véia barrageira”; eu ainda iniciava minhas tentativas, inspirada pelos amigos Sérgio Simka e Cida Simka, havia acabado de publicar o conto “A casa da esquina oposta”. Claro que adorei a experiência e, daí em diante, eu e Hugo iniciamos nosso projeto de escrita conjunta de contos de terror. 

O que nos uniu, além do gosto comum pelo gênero, foi a percepção de que havia a necessidade e a vontade de dar um toque brasileiro às histórias. Explico: de minha parte, sempre foi um incômodo, a cada vez que lia alguma história de terror, produzida por um brasileiro, encontrar cenários bem distantes dos nossos, uma forma de “cópia” das paisagens norte-americanas ou europeias. Às vezes, começava a ler a narrativa, empolgada, até me deparar com alguma personagem Steve, que assassinava alguma Mary, e ao longo da história nenhum José, ou João, mas um Joseph ou um John. 

Em outras palavras: por que não buscar em nossa realidade, em nossas lendas, em nossa cultura, em nossos assassinos em série, a inspiração para a criação de nosso terror? E não falta matéria para inspiração. Eu, por exemplo, sempre admirei essa fonte de criação em Zé do Caixão. 

Claro que sou leitora de Edgar Allan Poe, H.P. Lovecraft, Mary Shelley, Bram Stoker, Lord Byron... Li 13 vezes “O Morro dos ventos uivantes”. A aversão ao estrangeiro, portanto, não faz parte de minha vida e acolho com muita tranquilidade a excelente influência que estes autores exercem em minha escrita. Mas penso que isso deve ser traduzido para nossas cores e sabores.

HUGO Brasarock: O canal é também uma espécie de incentivo ao contato mais íntimo com esse gênero, já que cada conto é um relato escrito, real ou não, na diferença de estar na linguagem vídeo. Por fim, acabamos por vestir nossa faceta de professores, trazendo textos para as pessoas ‘lerem’ com seus olhos e ouvidos.

EVY Mello: É esse projeto que o canal “Contos de Encruzilhada” sintetiza. Hugo é um mestre em aferir brasilidade em tudo o que toca. Utilizar a mídia como meio de promover a leitura, como forma de dialogar com as pessoas. E como forma de expandir horizontes. 

HUGO Brasarock: O que mais me agrada também, além da ‘brasilidade’ de nossa proposta é o efeito que obtemos com a mistura de nossos estilos. Os textos reflexivos e cheios de conflitos internos das personagens escritas por Evy Mello, bem como sua narração quase poética, carregada do que considero o máximo da sofisticação literária em fusão com minha escrita crua e direta, com neologismos e expressões populares, resulta num texto dinâmico e de aspecto ligeiro. Em forma de vídeo, então, potencializa-se esse efeito.

EVY Mello: Essa tem sido nossa mais nova missão. Temos abraçado isso com muito desvelo, profissionalismo e comprometimento. Esperamos que todos gostem e nos acompanhem, se inscrevam e interajam conosco pelo canal! Esperamos por vocês! Mas... Não se esqueçam: Assistam de LUZES APAGADAS se tiverem coragem! Lembrem-se de que alguns contos são inspirados em histórias reais... 

Você pode mandar sua história para a gente pelo canal, inclusive!

Link para o canal:

https://www.youtube.com/channel/UCozQaX-CjreqO5F5ZqtCfpw/featured

Link para o livro “A lenda da Velha Barrageira”, de Hugo Brasarock:

https://www.autografia.com.br/produto/a-lenda-da-velha-barrageira/


CIDA SIMKA

É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019), O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020), Horror na biblioteca (Editora Verlidelas, 2021) e O quarto número 2 (Editora Uirapuru, 2021). Organizadora dos livros Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020), Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020), O medo que nos envolve (Editora Verlidelas, 2021) e Queimem as bruxas: contos sobre intolerância (Editora Verlidelas, 2021). Colunista da revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA

É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela editora Uirapuru. Colunista da revista Conexão Literatura. Seu mais recente trabalho acadêmico se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020) e seu mais novo livro juvenil se denomina O quarto número 2 (Editora Uirapuru, 2021).

Compartilhe:

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

"A narrativa de Arthur Gordon Pym", único romance de Edgar Allan Poe


"A narrativa de Arthur Gordon Pym de Nantucket" é o único romance de Edgar Allan Poe. Foi publicado em duas edições em 1837 na "Southern Literary Messenger", mas não foi concluído devido à demissão de Poe da revista. O romance completo foi publicado em julho de 1838 (sem o nome de Poe, pois pretendia ser a narrativa real de Pym) com o gigantesco subtítulo:

"Contendo os detalhes de um motim e de um assombroso massacre a bordo do brigue americano Grampus, em rota para os mares do sul, no mês de junho de 1827. E mais a história da recaptura do navio pelos sobreviventes, seu naufrágio e a terrível provação pela qual passaram em virtude da fome; seu resgate pela escuna britânica Jane Guy; o breve cruzeiro desta embarcação no Oceano Antártico; sua captura e o massacre da tripulação em um arquipélago no paralelo oitenta e quatro de latitude sul; juntamente com as incríveis descobertas no extremo sul a que essa lamentável calamidade deu origem."

A história começa em uma narrativa convencional em primeira pessoa de uma exploração no mar, mas depois segue para um motim, canibalismo, selvageria e ambiguidade avassaladora. A obra influenciou grandes escritores como Melville, Baudelaire e Verne.

Características físicas da nova edição: Formato: 14 x 21 cm / 400 páginas (aproximadamente) / Capa brochura (capa dura se atingirmos 300%)

Esta edição inclui: ✓ 23 ilustrações da artista russa Ragni Uribva ✓ Prefácio de Lídia Alcântara ✓ Estudo sobre Poe de Cleber Vinicius Amaral Felipe ✓ Posfácio de Marcio Markendorf

Lançamento: dia 31 de outubro de 2021 https://www.catarse.me/arthurgordonpym 

Compartilhe:

terça-feira, 19 de outubro de 2021

Já está disponível o e-book "CONTOS, MINICONTOS E POEMAS INFANTOJUVENIS - VOL. II", baixe o seu


FICHA TÉCNICA: 

TÍTULO: Contos, minicontos e poemas infantojuvenis II
ORGANIZADOR: Ademir Pascale
COAUTORES:
Tania Costa - A Menina Flor
Obam ɛ Ɛdhuu - Ghwyee náa pɛɛ milak
Ciça Ribeiro - "Infância" e "O Avesso Englobou Meu Quarto"
Iraci José Marin - "Afonso queria ver o mar" e "No reino de Astradã"
Géssica Maria Menino - Charles
Denise Peres Martins Rezende - As travessuras de Dede
Roberto Schima - A Amiguinha Olívia
Luiz Fernando Abreu Araújo - A poça d'água
Thithi Johnson - A Cidade dos Hipopótamos Azuis
Regiane Silva - Vó Maria
Zodja Rego Barros - A luz de uma estrela
Nº DE PÁGINAS: 46
TIPO: E-book
ANO: 2021

PARA BAIXAR O E-BOOK GRATUITAMENTE: CLIQUE AQUI.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.
Compartilhe:

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

O livro Chá e terapia, de Marco Antonio Palermo Moretto, por Cida Simka e Sérgio Simka


O professor e escritor Marco Antonio Palermo Moretto está lançando seu mais novo livro: Chá e terapia.

Moretto é doutor em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem e tem pós-doutorado em Ciências da Religião pela PUC-SP.

Ele fala aos leitores da revista Conexão Literatura um pouquinho sobre seu livro:

Marco Antonio Palermo Moretto
Chá e terapia é um livro de memórias, há muito tempo eu queria fazer reflexões sobre a vida, ou melhor, partes da vida. Assim, comecei a fazer reflexões sobre o trabalho, amigos, relacionamentos e também sobre aqueles momentos especiais que acontecem na vida da gente e provocam sentimentos muito íntimos, às vezes parece um livro de autoajuda, mas pode ser um motivador e um incentivador para que as pessoas parem e pensem sobre suas vidas. O conteúdo do livro foi escrito em épocas de muita introspecção.

Serviço:

 Número de páginas: 58

Edição: 1 (2021)

ISBN: 978-65-88543-26-9

Formato: A 5 (14 X 21 cm)

Acabamento: Brochura com orelha

Tipo de papel: Pólen 80g

Link para o livro:

https://www.todasasmusas.com.br/livro_cha.html


CIDA SIMKA

É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019), O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020), Horror na biblioteca (Editora Verlidelas, 2021) e O quarto número 2 (Editora Uirapuru, 2021). Organizadora dos livros Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020), Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020), O medo que nos envolve (Editora Verlidelas, 2021) e Queimem as bruxas: contos sobre intolerância (Editora Verlidelas, 2021). Colunista da revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA

É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela editora Uirapuru. Colunista da revista Conexão Literatura. Seu mais recente trabalho acadêmico se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020) e seu mais novo livro juvenil se denomina O quarto número 2 (Editora Uirapuru, 2021).

Compartilhe:

Lésbia: um grito de emancipação feminina no Brasil da belle époque

 Na virada dos séculos 19 e 20, enquanto a maioria das mulheres era obrigada a se conformar com o papel de "rainha do lar", a escritora Maria Benedita Bormann revolucionava os costumes com um romance que agora ganha edição revisada e atualizada pela Editora 106

Acharam imorais os trabalhos de Lésbia os néscios e os dissolutos de que, em geral, se compõe a massa social, quando, de fato, a imoralidade só existia em seus obtusos cérebros, incapazes de compreendê-la. – Lésbia

Délia foi o pseudônimo escolhido pela romancista e jornalista Maria Benedita Bormann para exceder o fado da submissão da sociedade patriarcal do século 19. Em sua obra, Lésbia, a gaúcha radicada no Rio de Janeiro da vibrante belle époque se valeu do privilégio de sua emancipação pelo estudo e pela independência de opiniões para narrar as aventuras e desventuras de Arabela, jovem com educação requintada e grande sensibilidade que supera o casamento marcado pela repressão e humilhação com sua habilidade e sucesso como escritora, tornando-se objeto da obsessão de muitos homens. 

A obra foi um marco da literatura por sua ousadia, mas teve poucas edições, e agora é redescoberta, voltando em publicação luxuosa, revisada e atualizada pela Editora 106, com uma diagramação que permite maior fluidez de leitura para o público contemporâneo. Bormann serve-se do personagem como alter ego para apresentar a luta de uma mulher que deve enfrentar o menosprezo e a cobiça masculina para se impor. No entanto, não deixa de lado os infortúnios da vida, como ser traída pelo seu próprio coração no momento em que julga ter alcançado a maturidade emocional que supostamente a imunizaria de mais decepção e tragédia.

O romance, que conta com a preciosa contribuição da doutora em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais, Maria do Rosário A. Pereira, referência em pesquisas sobre a literatura brasileira, é repleto de provocações impensáveis para sua época. Como um certo espelho da vida de Bormann (ou Délia, pseudônimo que escolheu), mulher autocentrada, culta, bela, segura de si e com toques de ironia, Lésbia revela que os problemas enfrentados pela protagonista, como o machismo estrutural, ainda se estenderiam por mais de um século. Assim como a abolicionista Emília Freitas – autora de Rainha do Ignoto –, Bormann antecipou discussões importantes, como o empoderamento feminino, o abuso doméstico, o desejo da mulher e a depressão.

Ficha Técnica: LÉSBIA
Edição revista e atualizada
Maria Benedita Bormann (Délia)
Selo: 106 Clássicos
Páginas: 176
Formato: brochura, 16x23x1cm
Peso: 260g
Preços: R$ 62,90 (versão impressa); R$ 44,00 (ebook)
ISBN versão impressa: 978-65-88342-07-7
ISBN versão ebook: 978-65-88342-08-4
Gênero: Romance de época, Literatura brasileira, Clássicos

Sobre a autora: Nascida em Porto Alegre a 25 de novembro de 1853, Maria Benedita Bormann era filha de um funcionário público do Brasil imperial e descendente de nobres da região de Pelotas (RS). Aos dez anos, mudou-se com a família para o Rio de Janeiro, então capital, onde recebeu fina educação, incluindo idiomas estrangeiros, pintura e música. Escreveu crônicas e folhetins para periódicos de prestígio, como a arrojada Gazeta de Notícias e a subversiva Gazeta da Tarde, além de O País e O Cruzeiro. Mesmo com as reservas próprias da cultura de sua época, tratava de temáticas consideradas temerárias, como educação e emancipação da mulher, divórcio e críticas à suposta supremacia masculina. Assinando com o pseudônimo “Délia”, Bormann teve quatro romances e dois livros de contos publicados em vida. Foi casada com o militar e político José Bernardino Bormann, homem igualmente culto, e faleceu em 1895, no Rio.

Sobre a editora: A Editora 106 nasceu do encontro entre Omar Souza, editor com mais de 22 anos de experiência em diversas casas editoriais de renome, e a psicanalista Fernanda Zacharewicz, proprietária da Aller Editora, especializada em livros voltados para o universo psicanalítico. Com um escopo editorial que se reflete nos vários selos sob os quais publica suas obras, como: 106 Biografias, 106 Ideias (ensaios, Filosofia, História etc.), 106 Pessoas (desenvolvimento pessoal, espiritualidade, negócios etc.), 106 Histórias (ficção histórica e contemporânea), 106 Clássicos (obras e autores consagrados), 106 Crônicas (textos produzidos por alguns dos melhores cronistas nacionais e internacionais), entre outros, a editora prioriza representar os mais diversos públicos.

Compartilhe:

"Sonhei em português!", nova exposição do Museu da Língua Portuguesa, será inaugurada em 12 de novembro

 

Marco Del Fiol Si Lao - Foto divulgação

Mostra temporária debate temas relacionados aos deslocamentos humanos contemporâneos, apontando como tal experiência é atravessada pela questão da língua

Sonhei em português!, a nova exposição temporária do Museu da Língua Portuguesa, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, já tem data confirmada de inauguração. Os visitantes poderão apreciá-la a partir do dia 12 de novembro.  

A mostra tematiza a questão da migração no século XXI, mostrando como tal experiência é atravessada pela questão da língua. Com curadoria de Isa Grinspum Ferraz, a exposição ficará em cartaz até junho de 2022, no primeiro andar da sede do museu, localizado na Estação da Luz, em São Paulo, tradicional ponto de partida e chegada de migrantes no coração do bairro do Bom Retiro, que também tem todo o seu povoamento baseado na imigração.  

O título vem de um dos depoimentos exibidos na exposição e alude ao momento simbólico em que o imigrante concretiza sua ligação pessoal com a terra que o recebeu. “As línguas são diferentes porque refletem ideias, valores, conhecimentos e visões do universo também diferentes entre si. Cada língua é uma visão do cosmo, com seus provérbios, suas sonoridades, seus ritmos e sua poética própria. Cada uma delas organiza a seu modo a experiência do mundo”, explica a curadora Isa Grinspum Ferraz. Entre os migrantes que aparecem na mostra estão a chinesa Si Lao, o senegalês Papa Faty Diaw e a paraguaia Maria Teresa Ayala de Pereira (fotos em anexo). Brasileiros que foram morar no exterior também relatam suas histórias de vida.

Sonhei em português!, em processo de montagem ao longo de outubro, terá experiências visuais, audiovisuais, ambientes sonoros e obras criadas exclusivamente para o projeto. Nomes como a cantora e pesquisadora Fortuna, a diretora da Associação Cultural Videobrasil Solange Farkas e o artista Edmar de Almeida participam da exposição. Completam o time convidado pela curadoria do Museu da Língua Portuguesa, o poeta Augusto de Campos, o artista Leandro Lima, o documentarista Marco Del Fiol, o Coletivo Bijari e o Estúdio Laborg.  

A exposição temporária Sonhei em português! conta com patrocínio do Grupo Volvo e apoio do Mattos Filho Advogados, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.  

SOBRE O MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA
A reconstrução do Museu da Língua Portuguesa é uma realização do Governo Federal, por meio do Ministério do Turismo, e do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, concebida e realizada em parceria com a Fundação Roberto Marinho. A EDP é patrocinadora máster e os patrocinadores são Grupo Globo, Itaú Unibanco e Sabesp – todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O apoio é da Fundação Calouste Gulbenkian.   

A Temporada 2021 do Museu conta com patrocínio do Grupo Volvo e do Itaú Unibanco, apoio da Booking.com e do Grupo Ultra e das empresas parceiras Cabot, Mattos Filho Advogados, Faber-Castell, Verde Asset Management e Bain&Company. Rádio CBN, Revista Piauí e Guia da Semana são seus parceiros de mídia. O IDBrasil Cultura, Educação e Esporte é a Organização Social responsável pela sua gestão. A Temporada é realizada pelo Ministério do Turismo, por meio da Lei de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO  
Exposição temporária “Sonhei em português!”  
A partir de 12 de novembro
R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)  
Grátis para crianças até 7 anos  
Grátis aos sábados  
Acesso pelo Portão A (em frente à Pinacoteca)  
Venda de ingressos pela internet:  
https://bileto.sympla.com.br/event/68203   

Museu da Língua Portuguesa  
Praça da Luz s/n - Luz - São Paulo  
De terça a domingo, das 9h às 16h30 (permanência até 18h)  
www.museudalinguaportuguesa.org.br   

Compartilhe:

Poeta paulista lança "O que habita inabitáveis lugares" abordando as relações humanas durante a pandemia

 


Livro de Math'eus Borges tem viés artesanal, é interativo e reflete sobre as relações humanas durante o isolamento social

"O que habita inabitáveis lugares" é o novo livro do poeta e produtor cultural Math'eus Borges.O segundo título do autor foi escrito durante a pandemia e traz uma série de reflexões sobre as relações humanas durante o isolamento social. O livro é uma publicação da Antípoda Editorial e foi contemplado em 2020 pelo edital Proac Expresso Lab, premiação em literatura no estado de São Paulo. O projeto gráfico é de Juliana Travassos, a capa e as ilustrações são de Lucas Bandeira e o projeto editorial, de Tiago Mine.

De acordo com Math'eus, a pandemia e o isolamento social são apenas um pano de fundo para as poesias. "É um livro sobre relações, sobre convivência ou sobre ausência das convivências. Ele passa por diversas temáticas, como amor, política, perda, saudade e morte, que, desde 2020, ganharam uma outra dimensão poética e simbólica", conta. O lançamento do título faz parte do projeto "Ocupação Estanca", ação de ativismo cultural desenvolvida em parceria com outros artistas e que promove a interação entre literatura, artes visuais, fotografia, arte de performance e intervenção urbana.

"O que habita inabitáveis lugares" é um livro com viés artesanal, já que tem características diferentes de outras publicações, como costura aparente, linhas que extravasam as páginas e sobrecapa. Além disso, é uma publicação interativa: "O leitor pode completar palavras e trechos, decidir desfechos, fazer anotações e desdobrar as capas para contar uma nova história visual. A ideia é explorar um ambiente artesanal da poesia e é nessa fricção que surge a relação com o leitor", finaliza o poeta.

Serviço

O Que Habita Inabitáveis Lugares

Math'eus Borges

Antípoda Editorial

130 páginas

R$ 29,90 + frete (pré- venda)

R$ 34,90 + frete (após o lançamento) – OBS: Acho que convém não publicar este detalhe agora, cortaria. 

ISBN: 978-65-995905-0-4

Pré-venda: 

linktr.ee/aosprimatas

Sobre o livro

"O que habita inabitáveis lugares", do poeta Math'eus Borges, é um livro de poesia que trata das relações humanas durante a pandemia de Covid-19. A partir da abordagem de temas que ganharam uma nova perspectiva durante o isolamento social, o autor reflete sobre os novos tipos de relacionamentos e hábitos. O que habita inabitáveis lugares é uma publicação interativa, que convida o leitor a completar trechos e decidir desfechos, e faz parte do projeto "Ocupação Estanca", que explora diversos processos artísticos em parceria com outros artistas. A publicação foi ilustrada por Lucas Bandeira, editorada por Tiago Mine e conta com projeto gráfico de Juliana Travassos.


Sobre Math'eus Borges

Atualmente com 29 anos, nasceu em Suzano/SP numa quarta-feira de primavera. É neto de caipiras, caboclos, mestiças e analfabetos e graduando em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Em sua vasta experiência como artista e articulador cultural constam livros, filmes, performances, intervenções urbanas, um podcast dedicado a poesia falada (AosprimatasPodcast), idealização e curadoria de eventos culturais como "D'êscambô – Festival Multicultural", além de outras ações socioculturais, atuação em fóruns e redes, festivais e intercâmbios nacionais e internacionais, além de integrar comissões dedicadas ao debate e a implantação de políticas públicas em âmbito cultural.  Math'eus também á ator, dramaturgo, arte-educador e iluminador, além de CEO da Okê! Produções Culturais e apaixonado por canetas de todos os tipos.

Mais informações sobre outras ações do projeto "Ocupação Estanca" no Instagram @aosprimataspoeta

Compartilhe:

domingo, 17 de outubro de 2021

Jamila Mafra e a Obra Por Amor e Fé, Os Dias Em Auschwitz (Mafra Editorial)


Mia vivia uma vida feliz e normal com sua família e seu namorado na Alemanha dos anos 30. Fiel às suas crenças, propagava os ensinamentos de sua religião com prazer e devoção. Até que a chegada de Hitler ao poder pôs em xeque toda a sua vida e a vida dos membros de sua família.

Ameaçada por uma propagação nazista cada vez mais explícita, Mia via seus templos serem destruídos e sua religião ser perseguida cada vez mais. Proibida de demonstrar atos públicos de fé, ela, a família e o namorado começam então a exercer sua religião de forma velada. No entanto, a estratégia não funciona por muito tempo.

Mia então vê uma série de acontecimentos inesperados e dilacerantes tomar conta de sua vida. Terá que lidar com a morte, com a solidão, com a perseguição e a tristeza assoladora de uma alma angustiada. Sua fé será capaz de mantê-la de cabeça erguida diante de tantas atrocidades cometidas pelo regime nazista e pela constante ameaça do pior, que parece cada vez mais perto? 



SOBRE A AUTORA:

Jamila Mafra, Paulista, nascida na cidade de Guarujá, é advogada, Especialista em Docência no Ensino Superior, Professora de Geografia, pós-graduada em Ensino de Astronomia, editora e escritora.

A autora escreve romances, contos, ficção científica e poesias. Além de publicar suas obras através da Mafra Editorial, também participa ativamente de antologias diversas lançadas por outras editoras. 

NA AMAZON: CLIQUE AQUI. 

Compartilhe:

sábado, 16 de outubro de 2021

Confira a lista dos selecionados da antologia CONTOS E POEMAS ASSOMBROSOS - VOL. III


LISTA DOS SELECIONADOS DA ANTOLOGIA "CONTOS E POEMAS ASSOMBROSOS - VOL. III":

01 - Michele da Silva Santos - O Pacto
02 - Kátia Surreal - A ilusão da mordida
03 - Luan Kruczewski - Renascido das trevas 
04 - Luiz F. Haiml - Morto
05 - José Manuel da Silva - "O Pássaro" e "Mármore"
06 - Roberto Schima - À Mestra Sem Carinho
07 - Bruno M. Garcia - Lua Branca, Lua Preta
08 - Thaisa Yukari Hazaoka de Oliveira - Os Malditos
09 - Regiane Silva - O dia da partida
10 - Ícaro Uriel Brito França - A escolha de Adão
11 - Tarija Pozo - Olho mágico
12 - Malu Gouvêa - Em nome do pai
13 - Álvaro de Azevedo  - Beijos de Caronte

PARABÉNS aos autores selecionados.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels