Participe da antologia (e-book) POESIAS AO LUAR - VOL. V. Leia o edital

                Participe da antologia (e-book) POESIAS AO LUAR - VOL. V .  Leia o edital:  CLIQUE AQUI.

Mostrando postagens com marcador Acredite. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Acredite. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 10 de março de 2022

Entrevista com Joaquim Cândido de Gouvêa, autor do livro "Acredite! nada importa sonhar… Acredite!"


JOAQUIM CÂNDIDO DE GOUVÊA
, brasileiro, “mineiro”, nascido na cidade de São João do Nepomuceno, Estado de Minas Gerais, no dia 21.12.1940. Economista, com alguns Cursos Superiores voltados ao Mercado Financeiro, aposentado no Banco do Brasil S.A.

Possuo, vários poemas publicados no Brasil e no Exterior em participações diversas. Minha atuação nessas publicações é mais centrada em Lisboa-Portugal, no projeto da Editora Colibri no Livro MUNDO(S) em que comecei na edição 6 e atualmente estamos na edição número 19. Somos um total de 20 escritores somente. A coordenação é feita pelo Dr. ÂNGELO RODRIGUES. Em Lisboa, também participei em uma Mesa de Debates sobre o tema ESCREVO POR QUÊ.

Nas participações no BRASIL, recebi uma Menção Honrosa no Livro VII PRÊMIO ESCRITOR MARCELO DE OLIVEIRA SOUZA.

Sou Acadêmico da Academia Internacional de Letras e Artes de Cruz Alta - RS, em que ocupo a Cadeira de número 203.

Na parte musical sou autor da letra de cinco músicas com a Parceira RENEE BRAZZIL colocando a melodia.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi seu início no meio literário?

Joaquim Cândido de Gouvêa: Para melhor compreensão, darei informações de como aprendi gostar de escrever. Sou descendente de família simples. Meu pai era bancário e minha mãe, além dos serviços domésticos, era costureira. Na idade de 15 anos, na cidade de Juiz de fora – MG, começou a trabalhar em um “ateliê” de costura. Naquela época, as mulheres da sociedade usavam o “ateliê” para a confecção dos seus vestidos. Assim, ela pela sua dedicação de muitos anos, tornou-se uma das principais funcionárias no trabalho.

Após o casamento, foi residir em Três Rios – RJ, e, para complementar as despesas, começou a costurar para fora aproveitando os conhecimentos profissionais.

Eu, com 8 anos de idade, tinha muita pena dela, pois, após o trabalho doméstico diário, ficava até tarde da noite costurando. Procurando acompanhá-la, me colocava ao lado da máquina de costura e lá ficava até o momento em que ia dormir.

Para me dar uma ocupação, ela providenciava lápis, borracha e papel, colocando alguma peça sobre a mesa pedindo para eu descrever. Assim, por ali, naquela idade, parti a navegar nesse mar da redação. Em outra oportunidade, sorrindo me desafiava. Dizia uma frase e pedia para que eu escrevesse todo o meu entendimento.

Foi assim o início do meu aprendizado para aprender enxergar imagem e descrever, bem como escutar uma frase e dar o entendimento.

Vamos pular agora para os meus 24 anos e já casado. Eu me lembro muito bem que continuava ativo nesse desejo de escrever. Eram contos, poemas, frases de amor outras coisas assim. Fazia com enorme prazer. Todavia, em determinado dia, aborrecido com a vida e com as dificuldades da “ocasião”, peguei todo o material escrito, devidamente selecionado e coloquei fogo. A MARIA JOSÉ, minha esposa, ficou brava comigo pelo destempero. Alegava sempre que tudo iria passar!

Devíamos ACREDITAR.

A partir dessa data, continuei a escrever, mas não com a mesma frequência... era tudo de vez em quando!

Vamos agora dar um outro pulo para a jornada dos anos vividos. No ano de 2016 me aposentei aqui nos Estados Unidos. Já era aposentado no Brasil. Com os dias fiquei decepcionado por não estar acostumado a ter o tempo ocioso. Rapidamente me imaginei aquele Senhor idoso em frente a televisão, escutando jornais, sem mais o que fazer.

Desgostoso, tive a ideia então de aproveitar o tempo, as intuições e começar a escrever ativamente outra vez. Com essa decisão o trabalho se tornou intenso. Em um determinado dia, minha filha caçula ALESSANDRA, ao ver aquele monte de folhas escritas e querendo me ajudar, sugeriu que eu fizesse um Livro. Prontamente aceitei a ideia, juntei as folhas e contei: 160 poemas. Estava ali o primeiro Livro. O número 160 de poemas que adoto em cada Livro, portanto, nada místico e sim uma pura sugestão inicial. Até hoje mantenho esse número nos Livros existentes.

Aproveitando a oportunidade, quero informar que até hoje tenho 33 Livros prontos a serem editados e com 160 poemas cada Livro. Estou escrevendo o de número 39 com o Título SENTIMENTOS. A diferença na numeração é porque eu tenho, também 5 romances escritos.

Desta forma foi o início no meio literário e não penso em terminar de escrever tão cedo.

Conexão Literatura: Você é autor do Livro "Acredite! nada importa sonhar… Acredite!". Poderia comentar?

Joaquim Cândido de Gouvêa: Claro que sim! O livro tem o número 37 e foi escrito no período de 18.06.2021 a 16.08.21. A edição coube a Editora Trevo e foi lançado recentemente no dia 23.02.22. Eu tinha acabado de lançar o Livro MAIS DO QUE BUQUÊ no dia 28.06.21 e senti na “pele” a dificuldade em editar um Livro. Não imaginava que era assim! MAS É. Eu não sou um autor conhecido! Além do mais, com o problema do vírus, tudo ficou difícil para todo mundo. Desemprego, doenças, mortes, dificuldades para a internação, enfim vivíamos momentos jamais vividos. 

Assim envolvido com tanta adversidade, um dia, sem ser convidado, esse DESCONHECIDO meu, o DESÂNIMO bateu a minha porta. Felizmente, olhei pela janela e disse para mim: AQUI NÃO! VOCÊ NÃO ENTRA! Como em todos os momentos adversos da vida, irei superar! O interessante é que, logo após esses pensamentos, acordei pela manhã com um sussurrar nos ouvidos: ACREDITE! ESCREVA... LEIA... NÃO SONHE APENAS... ACREDITE!

Levantei um pouco assustado e decidi: isso mesmo vou continuar a escrever e o Título será esse: ACREDITE! NADA IMPORTA SONHAR! ACREDITE. Claro que o foco também obedece a mesma direção: ACREDITRAR.

Convido aos leitores e leitoras que estão apreciando esta entrevista para comprarem o Livro! Terão uma surpresa, quem sabe! Vejam só! O segundo poema do Livro (O NOVO AMOR) trata o amor de uma aluna que se apaixona pelo Professor e ele, também, por ela. Esta História constatei ser uma história real entre a Rose e o Ricardo Luiz. A vida é uma caixinha de surpresas e, talvez, a tão esperada vivência amorosa você venha encontrar estampada em um dos poemas. Creia! O aconselhamento, a passagem, enriquecerão seu interior. E esse coração, considerado malvado, arranhado pelas decepções, irá novamente se acalmar com outra percepção. Verá todo seu interior trazendo essa “coisa” gostosa que é verdadeiramente amar.

Vou sorrir ao receber um e-mail: Joaquim! Eu sou outra Rose ou, quem sabe, um outro Ricardo Luiz.

Conexão Literatura: Como é o seu processo de criação? Quais são as suas inspirações?

Joaquim Cândido de Gouvêa: Eu tenho o hábito de escrever por toda manhã. Às vezes (diante da vontade) me envolvo com o escrever pelo dia inteiro. As inspirações vêm do coração. Escrevo a caneta nos rascunhos. Releio no mesmo dia ou no dia seguinte. Faço, se necessário, correções e, a seguir, coloco os poemas revisados no computador. Faço toda a mecânica sozinho. Quando surge à vontade declamo armazenando no celular. Possuo mais de 500 poemas declamados com fundo musical.

A intuição se aproxima ao ver algo diferente acontecer. Cores das flores; um olhar imaginado; o Luar; o pôr do Sol sobre o mar ou morrendo atrás das montanhas; a folha seca caindo no outono e, pelo ar, se juntando às raízes para proteção do inverno, das geadas, servindo como adubo ou mesmo um cobertor; o fantasiado piscar para o convite do amor. Enfim, somente elementos positivos. Todas as estrofes, no final, são positivas e alentadoras de que tudo vai passar. Mesmo sem o raro poder, semeio a esperança, e que a bonança chegará saltitante.


Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do seu Livro especialmente para os nossos leitores?

Joaquim Cândido de Gouvêa: Neste Livro, um dos poemas que achei bem interessante, foi a constatação do poema O NOVO AMOR ser um caso verdadeiro. De vez em quando, recebo e-mails dizendo: “Li seu Livro, eu já vivi essa história! Outras que neles também constam, gostaria de viver, mas ainda não”.

Um outro destaque, me considero um CONTADOR DE HISTÓRIAS DE AMOR. Falando especificamente sobre o Livro, tem no seu conteúdo, uma coletânea de versos em que procuro levar ao leitor, sonhos de felicidade. Uso uma linguagem simples, com palavras carinhosas, populares, a fim de que, com facilidade, o leitor possa viver dentro do contexto dos poemas. Acredito usar, até mesmo, expressões infantis, bem puras para o belo coração do leitor absorver.

Sobre destacar trechos especiais, sem sombra de dúvida, estaria fazendo julgamento pessoal dos poemas, considerados como frutos do coração que, por mim, são todos belos.

Para melhor exemplificar, eu, poeta, comparo um Livro de Poemas a um jardim. Os poemas ali distribuídos, encharcados de poesia, são as flores que, carinhosamente, foram plantadas pelo fiel “Jardineiro”. Assim, quando olho para esse jardim, se porventura ainda não está florido, pelo menos mostra o “colo” verde amparando a cada broto de flor que está pronta para aflorar.

Então, quando o fenômeno se dá, todas as flores são belas. Em variadas cores se mostram as rosas, as margaridas, as azaléas, todas, enfim, esguias, bailam com sua roupagem. Cada um, ao se imaginar passeando por esse jardim, terá, acredito eu, que normalmente se perguntar: qual a mais bela cor?

Vou ainda adicionar: sem imaginar no formato de tão bela flor!

Tenho certeza de que, de súbito, a admiração toma conta do coração. Como? Alguém mais incrédulo pode perguntar. Neste caso a resposta é fácil: basta olhar com os OLHOS DA ALMA! Assim, com cada letra o poeta sonha, devagarzinho forma uma palavra, com ela navega formando um verso e este, com a não embarcação, borbulha nas ondas do mar e aporta em uma estrofe. Delicadamente formada, o poeta sorri e, na imaginação o poeta abraça a procura do soneto, do rondó francês, ou outras coisas mais. Bate no peito! Consegui! Estou feliz!

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir o seu Livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

Joaquim Cândido de Gouvêa: Para comprar o meu Livro basta entrar no site da EDITORA TREVO.COM. O meu Livro aparece em primeiro lugar para as vendas. Estou sempre à disposição dos leitores no meu e-mail mjgouvea@hotmail.com

Conexão Literatura: Hoje você mora nos EUA. Como analisa a questão da leitura no Brasil?

Joaquim Cândido de Gouvêa: Não quero ser inconveniente na resposta posto que estou aqui por 21 anos e não tenho dados estatísticos para comentar. Todavia, não poderia deixar de afirmar que tenho saudades dos grandes poetas com suas lindas músicas. Alguns já falecidos e outros ainda vivos, mas um pouco abafados pela mídia, internet e TV. Confesso que dá saudade.

Aqui a leitura é intensa. Citarei somente uma. Em Boston, por exemplo, você vê todo mundo lendo em qualquer lugar. Na condução; tomando café da manhã; nos parques: nos bosques, enfim, toda a população envolvida na leitura. Dá para se admirar!

Conexão Literatura: Quais dicas daria para os autores em início de carreira?

Joaquim Cândido de Gouvêa: Em primeiro lugar, NUNCA DESISTIR. Escutará de tudo! As críticas, guarde-as com carinho! Examine-as! As que achar pertinentes, estude-as e corrija, se for o caso. As demais, deixe o tempo consagrar.

Outra coisa: pela manhã, ao se levantar, abra a janela, inspire o ar matutino, puro, leve-o não somente aos pulmões, mas também ao coração. Inspire devagar, constate Deus entrando no seu corpo, por esse puro ar. Guarde-o por alguns segundos! A seguir, expire imaginando que algo ruim está colocando para fora, entregando a Deus para que possa ser purificado. Agora, não na imaginação, mas de verdade, Deus, com sua bondade, purificou aquele ar e lhe entrega de novo para você inspirar. Tenho certeza de que se sentirá melhor!

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Joaquim Cândido de Gouvêa: Claro que sim! ACREDITAR no que escrevo e continuar a publicar. Embora com 81 anos, estou sempre ativo e pronto a novos projetos. Eu tenho um amigo que diz ser eu a figura Grega: PHOENIX! Nunca desanimo e estou sempre a procurar! Atualmente, um dos projetos é montar um studio para eu gravar algumas declamações. Um outro seria procurar intensificar a divulgação das músicas e, finalmente, continuar (como já disse) escrever e publicar os meus Livros na maneira do possível. Trata-se de uma tarefa difícil posto que faço tudo sozinho.

Perguntas rápidas:

Um Livro: THE SECRET, escrito por Rhonda Byrne. Acredito muito na força do pensamento. Em muitos poemas abordo que o nosso NORTE é olhar de cabeça erguida para frente. Ponha o ponto lá no horizonte e vá buscar. Certamente irá conseguir: BASTA ACREDITAR!

Gosto também de Livros com temas espirituais como os da Zibia Gaspareto, entre outros.

Um autor: Não citei anteriormente sobre o tema Livros, mas o meu autor preferido é o Paulo Coelho. 

Um ator ou atriz: Sem sombra de dúvidas o Tony Ramos. Como atriz como esquecer da Divina Fernanda Montenegro e a Lilian Cabral.

Um filme: Difícil citar um, pois adoro aqueles que envolvem romance. A preferência primeira é para aquele de uma história real. Não sou muito adepto a filmes de guerra, mesmo sabendo ser aquele tipo criado no computador.

Um hobby: escrever.

Um dia especial: Cada dia para mim é especial e agradeço ao levantar: VIVER VALE A PENA! A ALEGRIA CHEGA RÁPIDO AO MEU CORAÇÃO. Sou simples e procuro estar sempre alegre... este sentimento acalma e faz bem a alma. Quando participo de Concursos Literários, cada resultado, para mim é especial e encharca-me de alegria. Sou bem infantil neste particular e vibro como se fosse uma criança. Desde que comecei a participar dos Concursos, a Comissão Julgadora sempre escolheu o meu poema para fazer parte do Livro e, isto me coloca muito feliz.

Não poderia terminar esta entrevista sem citar, com grande detalhe, os nomes que juntos participamos nas músicas por nós criadas. Assim temos:

A LAREIRA – Letra de Joaquim Cândido de Gouvêa e Emanuel Henrique de Castro na melodia;

ASSIM SERA; TE AMO COMO POETA; O AMOR NÃO TEM PRESSA; CAFÉ PERFUMADO DE AMOR – Letra de Joaquim Cândido de Gouvêa e Renee Brazzil na melodia.

Desejo manifestar meu sincero agradecimento a REVISTA CONEXÃO LITERATURA pela atenção dispensada ajudando na divulgação dos meus Livros.

PARA ADQUIRIR O LIVRO, ACESSE: https://editoratrevo.com.br/produto/acredite-nada-importa-sonhar-acredite-joaquim-gouveia/

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA
clique sobre a capa

DO INCISIVO AO CANINO - BERT JR.

MAFRA EDITIONS

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

DIVULGUE O SEU LIVRO

FUTURO! - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels