O Grande Gênio Tim Burton, por Ademir Pascale

Por Ademir Pascale Timothy William Burton (Tim Burton), nasceu em Burbank, na Califórnia, no dia 25 de agosto de 1958. Burton foi um garoto...

Mostrando postagens com marcador Cabanagem. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cabanagem. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 9 de agosto de 2021

Cabano, personagem de Gian Danton, vira série de quadrinhos


Meu livro Cabanagem está dando frutos. O personagem principal deu origem a um personagem de quadrinhos publicado na revista Mestres do Terror, com desenhos de Juliano Kaapora. 

Na série, o Cabano está fugindo da perseguição imperial quando se depara com os principais seres mitológicos da Amazônia. É uma mistura de espada e magia (no estilo Conan) com terror. 

A primeira história foi publicada na revista Mestres do Terror 75 e foi tema da capa. A revista pode ser pedida pelo e-mail revistacalafrio@gmail.com.

Compartilhe:

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Gian Danton e o livro Cabanagem, por Cida Simka e Sérgio Simka


Fale-nos sobre você.

Eu sou roteirista de quadrinhos desde 1989. Comecei escrevendo histórias de terror para a revista Calafrio, em parceria com o compadre Bené Nascimento. Colaborei com quase todas as editoras nacionais e alguns de outros países, como Portugal e Inglaterra. Entre os meus trabalhos mais conhecidos na área de quadrinhos está a premiada graphic novel Manticore e a participação no álbum MSP+50, em homenagem ao Maurício de Sousa. Também escrevi diversos livros sobre quadrinhos, comunicação e metodologia científica. Cabanagem é meu terceiro romance. Antes dele vieram o Galeão (de fantasia histórica) e O uivo da górgona (de terror).  

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre o livro Cabanagem. O que o motivou a escrevê-lo?

O que me motivou a escrever o Cabanagem foi a percepção de que a maioria das pessoas, mesmo da Região Norte, sabe muito pouco sobre a revolta cabana. Um amapaense sabe muito mais sobre a revolução farroupilha do que sobre a cabanagem. 

Eu mesmo sabia muito pouco até que, num evento aqui no Amapá, um rapaz que já tinha lido meus outros livros me perguntou porque eu não escrevia sobre a cabanagem no Amapá. Cabanagem no Amapá? Pelo que eu sabia, a cabanagem tinha acontecido em Belém. Essa conversa me levou a pesquisar sobre o assunto. Baixei teses, artigos, comprei livros. E fiquei impressionado com o que descobri. A cabanagem foi a mais ampla revolta de toda a história do Brasil. Depois que o movimento foi derrotado em Belém, os cabanos se espalharam por locais que iam do Maranhão ao Amazonas. Além disso, é a única revolta brasileira que é consequência direta da revolução francesa. Quando a família real fugiu para o Brasil, eles, como vingança contra Napoleão, resolveram invadir a Guiana Francesa. Acontece que o local estava cheio de revolucionários que tinham sido enviados por Napoleão para lá como punição. E, acreditando que o inimigo de meu inimigo é meu amigo, os portugueses abriram as portas do Brasil para esses revoltosos, muitos dos quais foram para Belém e chegaram a participar da revolução cabana! Escrever o livro foi uma forma de chamar a atenção para isso e levar as pessoas a procurarem saber um pouco mais sobre esse evento.  

O livro é focado num grupo de revoltosos que está fugindo na direção do Amapá e todas as dificuldades encontradas no caminho. Mas, além dos fatos históricos, eu acrescentei mais uma coisa, algo que tem um significado muito grande para mim: a mitologia amazônica. Assim, os seres da floresta se dividem, alguns apoiando os cabanos, outros apoiando as forças de repressão.  

Fale-nos sobre seus outros livros de ficção.

Galeão é uma fantasia histórica que se passa no século XVIII, em um galeão perdido no Atlântico depois de uma tempestade que o deixou à deriva. Mas começam a acontecer coisas estranhas, como pessoas que não poderiam estar lá e de repente surgem no navio. O uivo da górgona é uma história de zumbis, mas misturada com crítica social.   

Fale-nos sobre seus livros voltados à comunicação.

Eu tenho uma variedade enorme de livros e artigos na área de comunicação. Mas se pudesse destacar, destacaria meus livros sobre quadrinhos, em especial os sobre roteiro (já são três, entre eles a bíblia do roteiro de quadrinhos, o livro mais completo já publicado sobre roteiro no Brasil) e os que analisam a relação dos quadrinhos como a ciência, como Watchmen e a teoria do caos e A ciência e os quadrinhos.  

Como analisa o mercado de HQs brasileiro?

O mercado mudou muito desde que comecei. Na minha época, um editor publicava uma grande tiragem de uma revista e pagava o desenhista e o roteirista. Hoje em dia só Maurício de Sousa tem tiragens maiores. A maioria do que é publicado são edições autorais, com tiragem que variam de 300 a 1.000 exemplares. Por um lado, facilitou muito para que novos autores possam publicar seus trabalhos - e vendê-los na internet. Por outro lado, os quadrinhos passaram a se focar em público muito específico. Virou nicho de mercado.  

Quais são os seus próximos projetos?

Eu tenho escrito quadrinhos de terror para a revista Calafrio, incluindo agora uma série baseada no personagem do livro Cabanagem. Também estou escrevendo um livro sobre os quadrinhos de terror no Brasil. E mais dois ou três projetos que talvez se tornem realidade.  

O livro foi financiado via Catarse? 

Sim. O Catarse é uma plataforma de financiamento coletivo em que a pessoa ajuda a publicar o livro e recebe recompensas, que podem ir do próprio livro até camisas e cards. Nossa meta era de 3.500 reais e ultrapassamos 4 mil. Agora o livro está em pré-venda no site da editora: https://aveceditora.com.br/produto/cabanagem


CIDA SIMKA

É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019) e O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020). Organizadora dos livros Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020) e Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020). Colunista da revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA

É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela Editora Uirapuru. Membro do Conselho Editorial da Editora Pumpkin e colunista da revista Conexão Literatura. Seu mais novo livro se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020).

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels