Mostrando postagens com marcador Os velhacos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Os velhacos. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Helena Douthe e o livro “Os Velhacos” (Editora Insight)

Helena Douthe - Foto divulgação
Helena Douthe é natural de Curitibanos (SC). Graduada em Administração pela PUCPR. Ocupa a cadeira 39 da Academia Virtual Internacional de Poesia, Arte e Filosofia - Patrono Guimarães Rosa. Escreveu o livro “Ajoelhar Jamais”, em coautoria com Franccis Yoshi Kawa. Participou, por duas vezes, publicando seus poemas na Revista Carlos Zemeck – Arte e Cultura. Na Antologia: “Palavra é Arte Poesias”, Projeto Apparere, livro “Sonhei Que…” publicou o poema “Versos Matizados”. Publica poesias, contos, pensamentos, aldravias e crônicas no site www.recantodasletras.com.br. Romancista, letrista, poetisa, idealista e sonhadora.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Helena Douthe: Em 2015, um amigo meu uruguaio apresentou-me um projeto na qual contava sobre assuntos referentes ao tempo da ditadura militar, fiquei curiosa e, ali despertou meu interesse sobre o assunto. Foi então que Franccis Yoshi kawa convidou-me para trabalhar num livro que ele começara a desenvolver no Japão, que coincidentemente tinha como pano de fundo o mesmo assunto. Em meu horário livre eu gostava de escrever poesias como hobby. Decidi então experimentar a prosa formando assim uma parceria, que se tornaria futuramente nosso primeiro romance publicado “Ajoelhar jamais” pela Editora Appris. Fiquei apaixonada! No inicio de 2018 começamos a desenvolver animados nosso segundo romance “Os Velhacos”.

Conexão Literatura: Você é coautora do livro “Os Velhacos” (Editora Insight). Poderia comentar?

Helena Douthe: “Os Velhacos” é um romance surpreendente. Desmoraliza a canalhice na politicagem, o que é um assunto grave, porem, de forma suave. Contada passada no século 19 até meados dos anos 70, joga a tona a bandidagem que rolava em nosso país, misturada a uma boa história de amor e uma pitada de bom humor.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro?

Helena Douthe: O livro começou a desenvolver-se em fevereiro de 2018 e foi finalizado em agosto de 2018, ou seja, foram seis meses de trabalho. Minha parte é de caracterização e sentimentos, o que, de certa forma não preciso pesquisar, apenas vem de dentro de mim, é fácil. Adoro detalhar as pessoas, suas roupas, perfumes, gírias, sotaques, formas. E, falar sobre sentimentos é melhor ainda, sendo que sou poetisa e amo o que faço.

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do qual você acha especial em seu livro?

Helena Douthe: Sem sombra de dúvida é o final, mas esse trecho seria indelicado de minha parte revelar. Em especial as duas últimas linhas.

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir um exemplar do seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

Helena Douthe: O livro “Os Velhacos” está à venda nas Livrarias Curitiba, na Editora Insight e no site www.amazom.com.br. Publico meus textos no site www.recantodasletras.com.br e no facebook com nome Helena Dolberth.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Helena Douthe: Escrevo para o publico infantil, o livro “As três rosas” (com colaboração de Franccis Yoshi Kawa), “Sapo Lelé e a Lesma Lucia”, “A Tóti e a Traca” serão publicados em 2019. 

Perguntas rápidas:
Um livro: “Manual do guerreiro da luz” 
Um (a) autor (a): Paulo Coelho
Um ator ou atriz: Mel Gibson
Um filme: Coração valente
Um dia especial: O dia em que um poema que é importante pra mim foi publicado na revista Carlos Zemeck. Chama-se “Tudo em mim”.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Helena Douthe: Gostaria de encerrar com um poema:

Beijos de luz

Doces amendoados
Iluminados esperados
Acesos florescerão 
Chaves do coração

Beijos de luz carinhos adicionados
Fluxo de paz energizado
Amor condicionado
Em ondas de gratidão voam, vão.

Muito obrigada!

Compartilhe:

Franccis Yoshi Kawa e o livro “Os Velhacos” (Editora Insight)

Franccis Yoshi Kawa - Foto divulgação
Franccis Yoshi Kawa nasceu na Colônia Esperança, no município de Arapongas, no Paraná. Estudou no Colégio Nilo Cairo de Apucarana e Colégio Emilio de Menezes de Arapongas. É formado em Ciências Contábeis Pela UFPR. Trabalhou na Petrobras Distribuidora S/A, Transportadora Dalçóquio e nas transportadoras do Grupo Battistela, Cotrasa e Rodomar. Ocupa a cadeira 38 da Academia Virtual Internacional de Poesia, Arte e Filosofia – Patrono Victor Hugo.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Franccis Yoshi Kawa: Minha primeira experiência foi no jornalzinho mimeografado no Colégio Estadual Emilio de Menezes em Arapongas, quando tinha 16 anos. Meu primeiro romance começou a ser desenvolvido no Japão depois de quarenta anos sem escrever. Conhecendo a parte poética de Helena Douthe, resolvi mostrar para ela meu material, oferecendo inclusive uma parceira para elaboração do livro, sendo que carecia da parte emocional e características físicas para alguns personagens. Fiquei feliz, pois além de aceitar o desafio da prosa, ela também colaborou criando novos personagens, tornando assim “Ajoelhar jamais”, nossa obra publicada em 2017 pela Editora Appris. O segundo livro “Os Velhacos” foi um projeto nosso, cansado de ver tanta bagunça na politica, resolvemos fazer nosso protesto, misturando um pouco de romance e ação.

Conexão Literatura: Você é coautor do livro “Os Velhacos” (Editora Insight). Poderia comentar?

Franccis Yoshi Kawa: A classe dominante cheia de privilégios dita leis, manipulam a opinião pública e reescrevem a história. Os políticos vão se sucedendo e vão contando versões. São perspectivas daqueles que vencem as eleições. O que de fato existe de verdade em suas narrativas? 

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro?

Franccis Yoshi Kawa: Qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência, não houve aprofundamento nas pesquisas históricas. Acredito que foram seis meses para conclusão da obra.

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do qual você acha especial em seu livro?

Franccis Yoshi Kawa: “Juliana nunca mais foi vista na cidade, mas as pessoas lembravam dela como se ainda estivesse ali, tal era a força da marca que deixou por onde passou. Na memória das pessoas, ficou a imagem de uma jovem imponente, determinada e com olhar destemido, como uma fotografia congelada no tempo. Dentro  do imaginário popular, era uma heroína em busca de justiça. Toda vez que surgia a notícia de um politico mau-caráter, seu nome era invocado, como advertência.”

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir um exemplar do seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

Franccis Yoshi Kawa: O livro terá seu lançamento no dia 8 de maio de 2019, nas Livrarias Curitiba, loja Shopping Jardim da Américas, Curitiba, PR, mas pode ser adquirido antecipadamente em todas as filiais, na Editora Insight e no site www.amazon.com.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Franccis Yoshi Kawa: Sim, um romance, um livro de ficção sem falar de política. Já basta a realidade, cujo enredo supera qualquer episódio fictício. 

Perguntas rápidas:
Um livro: Irmão Karamázov
Um (a) autor (a): Dostoiévski
Um ator ou atriz: Caterine Deneuve
Um filme: Titanic
Um dia especial: Dia 8 de maio de 2019, lançamento do livro “Os Velhacos”.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Franccis Yoshi Kawa: Agradeço a Conexão Literatura pela oportunidade de apresentar o meu trabalho e da coautora Helena Douthe.

Compartilhe:

quarta-feira, 10 de abril de 2019

Os velhacos, por Franccis Yoshi Kawa e Helena Douthe (Editora Insight)

Franccis e Helena uniram-se literalmente para deixar à público uma história que reúne política, contravenção, família, bandidagem e assassinatos, aliás, um tema que está intimamente ligado à vida desse nosso Brasil.
Velhacos, segundo a definição dos dicionários são aqueles que fazem fraudes, trapaças, que são traiçoeiros; que buscam enganar outra pessoa; tratantes; que fingem ser inocentes, mas agem com espertezas.
Esta é a definição dos primeiros componentes das famílias Araújo e Marques, os protagonistas desta saga brasileira de mais de 100 anos, com requintes de argúcia entre vilões que se transformaram em heróis e novos heróis que aparecem com o tempo.
Juliana acreditava na hombridade de seu antepassado, homenageado com uma estátua na praça principal da cidade. Era um herói, até o dia que seu pai resolveu disputar a eleição para prefeito. O opositor, que era de uma família amiga, se transformou em inimigo feroz, vasculhando o passado da família e expondo a verdade escondida. No dia que a estátua de seu trisavô foi derrubada, a bela jovem idealista inicia uma guerra para defender a honra de seus antepassados, debaixo de amor e fogo cruzado. A saga inicia no século XIX e segue até meados dos anos 1970, recheada de aventuras e reviravoltas.

Texto de autoria de Neyd Montingelli

Lançamento previsto para 08 de maio. Mais informações em breve, mas o livro já pode ser adquirido no site da Editora Insight: https://editorainsight.com.br/produto/os-velhacos/
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Posts mais acessados da semana

Anuncie e Divulgue Conosco

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels