Mostrando postagens com marcador Rede Globo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Rede Globo. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 17 de novembro de 2020

Os segredos de Mariana Rios

Em "Basta sentir", obra com nota de abertura pelo padre Fábio de Melo, a prestigiada atriz conta sua história desde o início da carreira e revela o método que a permitiu conquistar tudo que sempre sonhou

Poucos sabem, mas entre os muitos desejos e sonhos desta jovem atriz e cantora que cresceu em Araxá, interior de Minas Gerais, havia um em especial: uma rasteirinha com miçangas bordadas de uma famosa marca da cidade. Era uma sandália cara que a família não podia comprar, mas isso não abalou a vontade de ter, muito menos de desistir deste sonho.

Os anos passaram e, depois de muita batalha, veio o reconhecimento. Aos 22 anos, após passar no teste para o elenco de Malhação, Mariana Rios foi convidada para fazer a primeira campanha publicitária. O cliente? Justamente a marca das rasteiras que tanto amava. Um ano depois, ela comprou uma franquia da grife e pôde ter toda a coleção no próprio guarda-roupa. 

É com esta e outras histórias de vida que a atriz, cantora e apresentadora Mariana Rios, seguida por mais de 9 milhões de fãs nas redes sociais, mostra a forte relação entre os sonhos e os sentimentos no livro Basta sentir – Como realizar seus sonhos de maneira simples e prática, lançamento da Editora Planeta.

Na quarta capa da obra, o prefaciador Pe. Fábio de Melo deixa uma mensagem que reforça as palavras trazidas por Mariana nas 192 páginas: “O ser humano é a conjugação de infinitos mistérios... Dispense os postulados da razão, recrute os do coração”, disse ele.

Basta Sentir é um guia para resgatar a autoestima e a esperança por dias melhores e mais felizes. O método revelado por Mariana é preciso: tem sete pilares com atividades práticas que vão ajudar o leitor a enfrentar desafios e ativar ferramentas internas que já possui, mas precisam ser colocadas em ação – como a meditação.

“Não é milagre, nem merecimento, nem abracadabra: é poder dirigido.
 De onde ele vem? De nenhum lugar externo, uma vez que já existe em cada
um de nós. Você não precisa adquirir esse poder. Você já o tem, mas
deve entendê-lo, utilizá-lo, dirigi-lo e reforçá-lo quando o primeiro
de seus objetivos se concretiza!” 
(Basta sentir, página 15)

Mariana Rios Botelho tem 35 anos de idade, é cantora, compositora, atriz e soma em sua carreira papéis que marcaram o cinema e a televisão brasileira em novelas, como Malhação, Salve Jorge, Araguaia e Além do Horizonte. Além dos 9 milhões de seguidores, tem uma audiência que ultrapassa 1 milhão de views em vídeos no YouTube e Instagram e, por meio deles, inspira as pessoas com suas músicas e postagens sobre crescimento pessoal e mensagens motivacionais.

FICHA TÉCNICA:
Título: Basta sentir – Como realizar seus sonhos de maneira simples e prática
Autora: Mariana Rios
Editora: Planeta | Selo Academia
ISBN: 978-65-5535-285-6 | 978-65-5535-207-8 (ebook)
Páginas: 192 páginas
Formato: 14 x 21 cm
Preço: R$ 39,90
Links de venda: https://amzn.to/3kbVZ8J

Sinopse: E se houvesse uma maneira de transformar seus sonhos em realidade? E se, além disso, o processo dependesse exclusivamente de você, com as ferramentas internas que já possui?  Ainda criança, criei meu próprio método para concretizar o que eu desejava. E você verá, através de minhas histórias pessoais, como isso foi possível. Conquistei muito mais do que imaginava e, ao constatar que as coisas estavam dando certo para mim, comecei a dividir minha experiência com outras pessoas para que elas pudessem modificar a vida delas.

Agora, chegou o momento de compartilhar o meu tesouro com você. Afinal, o mundo se tornará um lugar mais tranquilo se todos nós formos capazes de ter a vida que idealizamos! Prepare-se para começar uma jornada incrível de autoconhecimento e realização. Você pode conseguir tudo que deseja. Basta sentir!

Sobre a autora: Mariana Rios iniciou a carreira artística aos 7 anos em sua cidade natal, Araxá, Minas Gerais, cantando em mensagens publicitárias para empresas da região. Dali para apresentações em bares e festivais de música foi um pulo. Aos 18 anos, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde fez formação em Teatro. 

Sua projeção para todo o Brasil veio com a personagem Yasmin, em Malhação (2008), que lhe rendeu diversos prêmios por sua atuação. Depois disso, viriam outros papeis importantes em produções da TV Globo. Ao longo dessa trajetória, Mariana nunca deixou os palcos de lado. Continuou gravando álbuns e realizando shows por todo o Brasil. A inspiração para este livro vem de sua história pessoal na qual a realização dos sonhos, através de um processo específico, tem um papel fundamental. 

Redes sociais
Instagram: planetadelivrosbrasil
Facebook: planetadelivrosbrasil
Linkedin: editora-planeta-do-brasil
Twitter: PlanetaLivrosBR

Site: https://www.planetadelivros.com.br

Compartilhe:

Conheça "A mulher de silicone", do autor Daniel Adjafre


Sinopse: Num futuro próximo, companheiros e companheiras sintéticas se tornaram uma forma prática e usual de combater a solidão. Yuri vive há anos com uma dessas companheiras, por quem é obcecado. Após um acidente, Kimi é destruída. É quando Nina, após passar anos presa por assassinato, chega e lhe pede abrigo. Yuri agora irá conviver com uma mulher de verdade, o que lhe provocará sentimentos conflitantes e uma nova obsessão.

Para aber mais ou adquirir: clique aqui.

Sobre o autor:

Daniel Adjafre ingressou em 2000 na TV Globo como autor–roteirista. Criou e colaborou em diversos programas, dentre os quais destacam–se as séries Casos e Acasos, SOS Emergência, Cidade dos Homens, A Cara do Pai, as novelas A Vida da Gente e Sete Vidas, e foi autor–titular de Deus Salve o Rei. É mestre em Teatro pela UNIRIO. Lecionou na Universidade Estácio de Sá na graduação de cinema e na pós–graduação de roteiro. Como dramaturgo teve encenadas as peças: A barganha, Casamentos e Precipícios, Um instante antes da queda, Vida fácil porque não é a sua.

Este é o seu primeiro romance. 

Perfil no Instagram: @daniel_adjafre

Canal YouTube: https://youtube.com/channel/UCSV3UWEgkNbjUfcwBzOh1cg

Compartilhe:

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Novela "Bom Sucesso" incentiva a leitura e buscas por livros citados aumentam

Grazi Massafera em episódio de Bom Sucesso - Foto divulgação
*Por Ademir Pascale

Muitas obras são comentadas nos episódios da novela Bom Sucesso, da Rede Globo, como "A Bela e a Fera, "Peter Pan", "Branca de Neve", "Alice no País das Maravilhas", "Dom Quixote de La Mancha", "O Mágico de Oz", "A letra escarlate", "Gabriela Cravo e Canela", etc. Sherlok Holmes também é super comentado na trama da novela e sempre que são comentados nos episódios as buscas pelo título crescem até 15% nos sistemas de busca, algo positivo para estimular a leitura.

Num país onde a mídia televisiva não valoriza os livros e o incentivo à leitura, com ressalva de alguns pouquíssimos programas, temos que nos alegrar quando surge uma novela que cita títulos clássicos, dá nomes de personagens de livros aos seus personagens e contam pequenas histórias. Esse é o caso de Bom Sucesso, novela da Rede Globo, escrita por Rosane Svartman, Paulo Halm e com direção artística de Luiz Henrique Rios. Na trama, Alberto, interpretado por Antônio Fagundes, é o editor-chefe da Prado Monteiro, uma grande editora de livros no Brasil que está à beira da falência. Cenário atual em nosso país, com livrarias fechando as portas e editoras que lutam para sobreviver. Paloma, interpretada pela atriz Grazi Massafera, é uma costureira que vive com os três filhos no bairro Bonsucesso, no Rio de Janeiro. A personagem passa por dificuldades financeiras e tem uma dura rotina, ela é apaixonada por livros e se transporta na fantasia que as histórias lhe proporcionam. Aliás, o nome de seus três filhos são de personagens de livros: Alice (da obra Alice no País das Maravilhas), interpretada por Bruna Inocencio, Gabriela (da obra Gabriela, cravo e canela), interpretada por Giovanna Coimbra e o mais novo Peter (da obra Peter Pan), interpretado por João Bravo. Outros personagens, como Marcos (Romulo Estrela), filho do editor Alberto, também mostra afeição pelos livros e batiza o seu estabelecimento em Búzios de Peter Pan, um bar localizado na região dos Lagos do Rio de Janeiro.
A novela também cita o atual cenário de algumas das grandes editoras do Brasil na questão das publicações de celebridades. Na trama o editor Alberto defende a publicação de autores renomados e a republicação de clássicos da literatura, mas com uma visão diferente do pai os filhos Marcos e Nana (Fabiula Nascimento) enxergam uma esperança na publicação de obras contemporâneas.

São programas e novelas assim que precisamos, que incentiva e que agrega valor, algo bom e positivo para o crescimento pessoal de qualquer pessoa, pois é isso que a leitura proporciona: visão ampla. Valorizando o povo brasileiro com programas ou matérias que trazem conteúdo, certamente estarão construindo um futuro melhor para o nosso país e quem sabe um dia os escritores brasileiros serão mais valorizados, algo que ainda caminha a passos lentos.

Também é possível ouvir podcasts sobre literatura com Antônio Fagundes. Vale a pena, acesse: https://audioglobo.globo.com/gshow/podcast/feed/714/clube-do-livro

A novela vai ao ar de segunda à sábado, às 19h, na Rede Globo.

Fotos: Antônio Fagundes e Grazi Massafera - divulgação
Compartilhe:

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Incentivo à leitura em Bom Sucesso, novela da Rede Globo

David Junior, Grazi Massafera e Romulo Estrela - Foto divulgação
*Por Ademir Pascale

Num país onde a mídia televisiva não valoriza os livros e o incentivo à leitura, com ressalva de alguns pouquíssimos programas, temos que nos alegrar quando surge uma novela que cita títulos clássicos, dá nomes de personagens de livros aos seus personagens e contam pequenas histórias. Esse é o caso de Bom Sucesso, nova novela da Rede Globo, escrita por Rosane Svartman, Paulo Halm e com direção artística de Luiz Henrique Rios. Na trama, Alberto, interpretado por Antonio Fagundes, é o editor-chefe da Prado Monteiro, uma grande editora de livros no Brasil que está à beira da falência. Cenário atual em nosso país, com livrarias fechando as portas e editoras que lutam para sobreviver. Paloma, interpretada pela atriz Grazi Massafera, é uma costureira que vive com os três filhos no bairro Bonsucesso, no Rio de Janeiro. A personagem passa por dificuldades financeiras e tem uma dura rotina, é humilhada no local de trabalho tanto por sua chefe como por algumas clientes. Mas apesar desses e outros problemas, é uma apaixonada por livros e se transporta na fantasia que as histórias lhe proporcionam. Aliás, o nome de seus três filhos são de personagens de livros: Alice (da obra Alice no País das Maravilhas), interpretada por Bruna Inocencio, Gabriela (da obra Gabriela, cravo e canela), interpretada por Giovanna Coimbra e o mais novo Peter (da obra Peter Pan), interpretado por João Bravo. Outros personagens, como Marcos (Romulo Estrela), filho do editor Alberto, também mostra afeição pelos livros e batiza o seu estabelecimento em Búzios de Peter Pan, um bar localizado na região dos Lagos do Rio de Janeiro.
A novela também cita o atual cenário de algumas das grandes editoras do Brasil na questão das publicações de celebridades. Na trama o editor Alberto defende a publicação de autores renomados e a republicação de clássicos da literatura, mas com uma visão diferente do pai e vendo a editora à beira da falência, os filhos Marcos e Nana (Fabiula Nascimento) enxergam uma esperança na publicação da biografia da atriz Silvana Nolasco (Ingrid Guimarães), celebridade amada por uma legião de fãs e que bomba nas redes sociais, mas que não gosta de escrever. Em um dos episódios a personagem diz que não gosta de ler e muito menos de escrever. Não curte sequer assinar o próprio nome. Então certamente o livro não será escrito por ela, mas por um ghost writer (escritor fantasma), profissional que faz esse tipo de trabalho. Então será que o livro que você tem em casa daquela ou daquele youtuber famoso(a) foi realmente escrito por ele(a)?

Essa novela veio no momento certo, é atual e incentiva à leitura. Os brasileiros precisam se conscientizar de que a leitura salva e faz enxergar além. E isso não é apenas para os telespectadores, mas para a mídia em geral, pois valorizando o povo brasileiro com programas ou matérias que trazem conteúdo, certamente estarão construindo um futuro melhor para o nosso país e quem sabe um dia valorizarão mais os escritores brasileiros, algo que ainda caminha a passos lentos.

A novela vai ao ar de segunda à sábado, às 19h, na Rede Globo.
Compartilhe:

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Renata Di Carmo e o livro Anele – A menina dos olhos de mundo, por Sérgio Simka e Cida Simka

Renata Di Carmo - Foto divulgação
Fale-nos sobre você.

Trabalhei como autora-roteirista para a TV Globo por uns bons anos, fui contratada em 1999. Quer dizer, tem um tempinho... Já escrevi como free-lancer para o SBT. Colaborei no roteiro do filme “Nzinga Atabaques”, em uma parceria com o saudoso Gugu Olimecha. Sou diretora e roteirista do curta-metragem “Safári”. Também estive à frente de projetos culturais e socioculturais como articuladora cultural em alguns, em outros como tutora, como diretora teatral, mediadora, instrutora etc. Isto em instituições como a Prefeitura do Rio, na Secretaria de Cultura e Subsecretaria de Cidadania e Cultura; em Londres em um projeto da People´s Palace em parceria com a Anistia Internacional, além de outras instituições... Também tenho paixão por ser atriz. Trabalhei nas novelas “Cabocla”, “Desejos de Mulher”, no “Zorra Total”, na série “Canal Saúde” exibida na TV Brasil, entre muitos outros trabalhos. Fiz muito teatro, muitas peças... As últimas foram “Shakespeare é brasileiro”, “Feliz ano novo de novo”, “O que estraga é a convivência”... Estive em vários comerciais, nacionais e internacionais... Já apresentei um programa especial na MULTIRIO... Enfim, a gente trabalha.

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre seu livro.

O livro é resultado de um concurso promovido pela editora Uirapuru, onde eu fui selecionada para publicação. Me senti muito contente quando vi meu nome em primeiro lugar e sabia que iria publicar. Demorou um pouco, devido a inúmeros motivos, escrever no nosso país envolve muitas coisas... Mas agora ele está aí, ganhou corpo. Não quero dar muito spoiler, mas “Anele” é a história de uma menina preta da periferia que descobre uma passagem secreta para um outro mundo no porão de sua casa, um lugar abarrotado de livros e de lembranças de seu avô. Além da passagem, na aventura que terá de enfrentar nesse outro lugar, ela vai descobrir também uma missão muito importante. E posso dizer que esse outro lugar é a moradia de sujeitos muito especiais, outros nem tanto.

O que a motivou a escrevê-lo?

Um desejo de criar representatividade e de motivar a leitura. Pensei em uma aventura que fosse um pouco brasileira, que dialogasse com a cultura brasileira, mas que também estivesse imersa em um lugar de sonhos, onde tudo é possível. Quis criar um universo simbólico a partir do lúdico, onde as pessoas se reconheçam de alguma forma.

Como analisa a questão da leitura no país?

Acho que as coisas melhoraram, mas temos que cuidar para que isso não se perca. Porque ter melhorado não quer dizer nem mesmo que está razoável. As pessoas leem mais hoje, os jovens leem mais... As ofertas estão mais diversificadas, as narrativas são mais inclusivas, muito mais ricas... Mas ainda é pouco. O livro precisa chegar ao público, que às vezes considera caro comprar um livro. Só que isso depende do custo para a publicação do livro, uma série de coisas... Então, formas de acesso a esta literatura precisam ser pensadas também. Motivar a leitura é importante, tornar o brasileiro um público leitor... Isso passa pelos nossos hábitos, pela escola, pelo lar, e também pode ser motivado pelos meios de comunicação, pelas instituições... O conhecimento não pode estar atrelado ao privilégio de alguns, não é seara de alguns. A situação melhorou, mas ainda há muito o que avançar. E nesse momento onde as pessoas estão consumindo menos em todas as instâncias da vida social, é urgente vislumbrar a leitura como vital em nosso processo de formação. Eu sei que entre comprar um pão e um livro a população comprará o pão, mas precisamos sempre pensar formas de viabilizar o acesso à leitura. E podemos fazer isso em organizações, com iniciativas coletivas, ou individualmente, comprando um livro e dando a alguém, por exemplo.

Para você, o que é ser escritor?

Outro dia fui convidada a falar em uma escola por Leonardo Maia, coordenador pedagógico deste colégio, um cara completamente comprometido com a educação e com a formação de cidadãos. Era um café literário e eu estava lá para bater um papo com os jovens e as crianças sobre literatura, sobre como é ser uma escritora, uma autora, para falar sobre ser artista e para responder as perguntas deles... E quando eu mostro a capa do livro, uma menina bem pequena olhou e exclamou “Sou eu na capa do livro!”. Bom, isto não resume o que é ser escritora para mim, mas sem dúvida esta é uma das respostas. Talvez a principal, no momento.

Quais são os seus próximos projetos?

Nesse momento quero mesmo me concentrar no livro. Ir ao encontro das pessoas, participar de ciclos de leitura, ir às escolas encontrar os jovens, continuar esse trabalho de palestras e bate-papos em torno do livro e dos assuntos que ele suscita... Eu tenho outras coisas em mente, claro, outros projetos, desejos... Mas o meu presente é da “Anele” e os “seus olhos grandes feito o mundo”. Acho que vai ser bom olhar o mundo pelos olhos dela um pouquinho.


*Sérgio Simka é professor universitário desde 1999. Autor de cinco dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a coleção Mistério, publicada pela Editora Uirapuru. Membro do Conselho Editorial da Editora Pumpkin e integrante do Núcleo de Escritores do Grande ABC.

Cida Simka é licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Coautora do livro Ética como substantivo concreto (Wak, 2014) e autora dos livros O acordo ortográfico da língua portuguesa na prática (Wak, 2016), O enigma da velha casa (Uirapuru, 2016) e “Nóis sabe português” (Wak, 2017). Integrante do Núcleo de Escritores do Grande ABC.
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Anuncie e Divulgue Conosco

Posts mais acessados da semana

COMUNIDADE INFLUXO

SONHOS FULGURANTES - ROBERTO MINADEO

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels