Mostrando postagens com marcador Thiago Fernandes. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Thiago Fernandes. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 27 de julho de 2020

Thiago Fernandes e o livro O Fantasma de Vila Esperança, por Cida Simka e Sérgio Simka

Thiago Fernandes - Foto divulgação
Fale-nos sobre você.

Comecei cedo na arte da “criação”. Quando criança desenhava quadrinhos com personagens de séries que assistia na TV (séries japonesas, norte-americanas), sempre elaborando situações inéditas, com muito diálogo e ação. Minha mãe sempre me incentivava e eu mal sabia que já estava atuando como um legítimo roteirista. O tempo passou e acabei deixando os desenhos e histórias em quadrinhos para trás, pois estava descobrindo um novo talento, lá pelos meus vinte anos: os poemas. Escrevi pouco mais de cinquenta, um após o outro, brincando com as rimas, em versos e estrofes. Minha mãe, mais uma vez, amou!

Porém, somente em meados de 2003, com vinte e dois anos, foi que descobri que tinha o dom de aliar a criação com a escrita. No meu primeiro livro – Dragões da Noite – criei um reino gigantesco, com muitos personagens e lugares diversos, em quase mil páginas divididas em dois volumes. De lá para cá já foram mais oito livros (todos infantojuvenis) e ainda há muitos por vir.

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre o livro.

“O Fantasma de Vila Esperança” foi o campeão de vendas entre os anos de 2007 e 2011. Apesar de ter sido a primeira grande aventura dos amigos, Ju, Elô, Paulinho, Régis e Bocão, os mistérios envolvendo as crianças da pequena cidade atraíram os leitores e causaram ótimas avaliações. A história começa com o desaparecimento da irmã de Henrique, um menino ainda novo na cidade, quando ambos exploram a entrada de uma mina abandonada. Os cinco amigos se juntam para tentar entender o que pode ter acontecido, mas mal sabiam que, a partir daquele momento, já estariam despertando a ira de um terrível ser.

A estratégia dele é simples; iniciar o domínio sobre Vila Esperança pelo lado mais fácil: as crianças. À medida que os cinco amigos vão investigando, aproximam-se mais dos segredos e mistérios que cercam o poderoso inimigo (um Palhaço), as ações vão se tornando perigosas e cada passo dado poderá ser o último.

Fale-nos sobre a coleção "A Turma 5".

A coleção foi publicada pela primeira vez em 2007 e chegou em 2011 com seis obras disponibilizadas para venda. Além de “O Fantasma de Vila Esperança” a coleção conta, também, com os títulos “O Enigma do Monstro”, “O Mistério do Além”, “A Colônia do Medo”, “O Jogo Mortal” e “O Cavaleiro das Sombras”.  Em todas elas, apesar de seus títulos “apavorantes”, sempre me preocupei em deixar boas mensagens, algo que pudesse fazer o leitor refletir. As palavras-chave na coleção são amizade, companheirismo, doação, luta e a minha preferida, coragem.

Em todas as aventuras os cinco amigos vão precisar de todas elas, na prática, pois o objetivo é mostrar que, para vencermos grandes obstáculos ou desafios, precisamos de amigos, precisamos de ajuda, precisamos ter coragem. Ninguém jamais conseguirá vencer sozinho, não obterá vitória sem alguém para se apoiar. A coleção vai além de simples histórias que todo mundo gosta de ler, ela mostra que podemos substituir os personagens e seu cenário fictício pela vida real e as nossas batalhas diárias. O segredo é não desistir, nunca.

Como analisa o mercado de livros infantojuvenis atualmente?

A meu ver, com tudo o que vivencio desde 2007, vejo um mercado discreto, hoje. Naquela época, talvez, não houvesse tantos títulos no gênero e o cenário econômico favorecia as vendas. Depois dos eventos esportivos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, que a meu ver foram decisivos para a nossa situação econômica atual, vimos uma crise surgir e que até hoje se reflete na sociedade brasileira (alta taxa de desemprego aliada aos diversos escândalos de corrupção, impeachment, Lava-Jato etc.).

 A pandemia em que vivemos, claro, dificulta ainda mais o cenário, pois as escolas e colégios realizam adoções de livros do gênero, mas, como costumo dizer, haverá sempre um novo nascer do Sol e com ele tudo se renova. Devemos seguir em frente, pois só depende de nós.

Que dica poderia fornecer a um escritor principiante?

Don’t stop! Rsrsrs – Nunca pare. Jamais desista. Não há vitória sem sacrifício. Sempre ouvi de pessoas bem próximas (geralmente são muito próximas, mesmo) coisas do tipo – “Não gaste dinheiro com isso. No Brasil ninguém lê.” Ou “Você é doido de mexer com literatura em um país onde ninguém gasta dinheiro com livro” – então fiz uma escolha; decidi absorver tudo o que me diziam, que poderia dar errado, e transformei em combustível em mim mesmo, para quando estivesse mais fraco (sim, os grandes sonhos pesam e existem esses momentos) eu pudesse me lembrar de que poderia quebrar as barreiras que muitos achavam ser intransponíveis. Em outras palavras, viva, sonhe e lute. Tudo junto, todo dia!

O que deseja para o futuro?

Que todos tenham acesso à leitura. Que as escolas mais pobres possam ser as mais favorecidas. Que crianças e adolescentes, aqueles que residem, lá no interior do sertão do Brasil, possam ter livros de qualidade (conteúdo e físico), porque conheço belos trabalhos realizados por guerreiros anônimos, também conhecidos como professores, que lutam todos os dias para levarem o gosto da leitura para as salas de aula e, acreditem, eles conseguem obter resultados surpreendentes. Só precisamos de pessoas que acreditem, que se interessem, que façam valer a pena. 


CIDA SIMKA
É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019) e O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020). Organizadora dos livros: Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020) e Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020). Colunista da Revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA
É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela Editora Uirapuru. Membro do Conselho Editorial da Editora Pumpkin e colunista da Revista Conexão Literatura. Seu mais novo livro se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020).
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Anuncie e Divulgue Conosco

Posts mais acessados da semana

COMUNIDADE INFLUXO

SONHOS FULGURANTES - ROBERTO MINADEO

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels