Apoio e incentivo à leitura

FAÇA UM BRASIL DIFERENTE ONDE A NOSSA ÚNICA ARMA SEJA OS LIVROS Olá, sou Ademir Pascale, criador da REVISTA CONEXÃO LITERATURA. Sabemos que ...

Mostrando postagens com marcador Vaivéns da alma. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Vaivéns da alma. Mostrar todas as postagens

domingo, 3 de novembro de 2019

Roseane Sousa e o livro “Vaivéns da alma”

Roseane Sousa - Foto divulgação
Roseane Sousa é natural de Santo André, no ABC paulista. Formada em Pedagogia e Letras, é professora de Ensino Fundamental, revisora de textos e está, gradativamente, construindo uma nova identidade: a de escritora. Amante de gatos e de livros, é uma pessoa de mente inquieta, tecendo, desde criança, realidades paralelas. Mas foi somente há quatro anos que teve a ideia de escrever e publicar essas realidades. Desde então, vários rabiscos foram feitos e uma pasta cheia de projetos habita uma gaveta em sua escrivaninha. Vaivéns da Alma é o primeiro desses projetos a se concretizar e ser compartilhado com o público.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Roseane Sousa: Meu início no meio literário foi como leitora. Os livros me encantam desde muito pequena. E sempre gostei de criar histórias, inventar mundos, recriar histórias existentes à minha maneira. Quando criança eu me destacava nas aulas de redação na escola e dizia que queria ser escritora quando crescesse. Mas eu cresci e, por muito tempo essa ideia existiu apenas como a lembrança de uma fantasia infantil. Eu sempre fui muito tímida; sou de uma época em que internet e toda essa facilidade que se tem hoje de fazer contatos sem sair de casa, de publicar um livro de forma independente… era algo que não existia e minha timidez de certo modo me barrava na tomada de iniciativas. 
A paixão pela leitura nunca me abandonou, sou uma devoradora de livros e chegou um momento em que consumir histórias alheias já não era suficiente pra mim. Ideias  começavam a brotar de tal forma que eu precisava extrapolar as fronteiras do meu pensamento. E foi assim que, há cinco anos, caminhando na praia e imaginando-me outra pessoa, em outro lugar, com outra história, me dei conta de que poderia compartilhar essa imaginação com o mundo escrevendo. Passei cerca de uma semana envolvida com a escrita da história que invadiram meu pensamento naquele dia na praia. Guardei e nunca mais voltei a ela (e não sei se um dia voltarei). Mas outras ideias foram surgindo e eu comecei a escrever um romance, (Des)amores, que está descansando há um longo tempo, mas que pretendo retomar e terminar até meados do ano que vem. Eu não conhecia nada no meio literário quando comecei a escrever, não fazia ideia de meios a que se pode recorrer para publicar, como editar um livro, não sabia de concursos literários, nada. Comecei, então, a pesquisar e fui descobrindo muita coisa. Participei de games e oficinas literárias, fiz uma pós-graduação em que me dediquei a revisão de textos autopublicados, conheci escritores através das redes sociais… Ao mesmo tempo, o drama de minha protagonista em Vaivéns da Alma, foi se apresentando pra mim e eu decidi me dedicar a essa história. Comecei de uma forma completamente aleatória, sem técnica, sem organização nenhuma. Eu pensava numa cena, pegava um papel e escrevia. Depois digitava e salvava num arquivo. Cheguei num ponto, uns dois anos atrás, em que eu tinha mais de 80 arquivos de texto com pedaços da história. E eu precisava, então, encaixar essas partes, dividir em capítulos, preencher as lacunas… era um quebra-cabeça enorme. Na minha cabeça existia uma sequência, eu conhecia começo meio e fim da história. Mas eu precisava ordenar as ideias que estavam soltas, criar elos entre elas. Eu precisei imprimir todos esses arquivos, pra ir lendo, separando, numerando… Deu muito trabalho. A cada leitura, eu mudava alguma coisa. E não acho que esteja bom ainda. Eu me forcei a publicar, defini como meta participar do Prêmio Kindle desse ano (depois de muita pesquisa e indecisão sobre como e onde publicaria), para que, assim, eu tivesse um prazo para terminar. Tive que aceitar que meu filho cresceu, precisava ganhar o mundo, mesmo que ainda carregasse defeitos de sua criação.

Conexão Literatura: Você é autora do livro “Vaivéns da alma”. Poderia comentar?

Roseane Sousa: Vaivéns da Alma conta a história de Olívia, uma jovem professora que é sexualmente violentada por um paquera. Após esse evento, não só ela, mas toda sua família, fica psicologicamente abalada. Esdras, um agregado da casa, e por quem Olívia nutre um ambíguo sentimento de raiva e identificação, é quem medeia as relações que se tornam conturbadas entre ela e os membros da família.
Vivenciando experiências de compaixão e de preconceito, Olívia passa a acompanhar as investigações contra seu algoz, ajudando, inclusive, a descobrir uma outra vítima.  Encontra em Esdras apoio emocional para conseguir lidar com os altos e baixos de seus sentimentos. Aos poucos, a relação entre eles vai mudando de rumo. 
É uma história que acompanha a rotina de pessoas comuns que precisam aprender a lidar com as adversidades da vida, buscando meios de controlar os sentimentos, próprios e alheios.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro?

Roseane Sousa: Foram quatro anos desde o momento em que as primeiras cenas surgiram em minha mente até o final da última revisão. Embora não seja o foco da história, o que mais pesquisei foram as questões sobre violência contra a mulher, estupro e o tratamento disso no meio jurídico. Para isso, li o que consta na legislação, no código penal. Estudei vários artigos e livros sobre o assunto e enviei dúvidas e trechos do livro a um advogado que me auxiliou bastante. Também procurei ler depoimentos de vítimas e parentes de vítimas de estupro para tentar construir meus personagens. Outros detalhes eu fui pesquisando conforme a necessidade durante o processo de escrita.

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho que você acha especial em seu livro?

Roseane Sousa: Um trecho? Difícil… é como escolher fotos pra expor no telão no aniversário de um filho: dá vontade de colocar todas! Vaivéns da Alma é uma história muito especial pra mim, eu mergulhei no mundo daquelas personagens, ri e chorei com elas. Vou destacar aqui um trecho em que as lembranças da violência vivida pela personagem voltam a atormentá-la:

“Raiva, medo, desespero… Meu corpo se separava de meu cérebro e eu já não tinha controle sobre ele, que tremia histericamente, me impulsionando para longe do homem que eu beijava minutos atrás. Dirijo mecanicamente. O celular toca. Não enxergo direito, não consigo ler as placas… O celular continua tocando. As lágrimas embaçam minha visão. Meus olhos estão embaçados… minha vida, de repente, está embaçada… O celular não para de tocar. Imagens se formam em minha mente: carro, música, estrada. Uma casa vazia, o som de animais, um toque violento… Sinto raiva, nojo, medo, repulsa… Vejo um sol forte, uma estrada. Sinto cansaço e muita dor… Dói o corpo, dói o peito, dói a alma… Incerteza, deslocamento, vergonha… Delegacia, hospital, confusão… Um corpo, um rosto, um olhar: Breno! Imagens difusas, flashes de um passado que eu pensava ter enterrado… Engano tolo. Estava apenas guardado em algum ponto esquecido do meu cérebro…”

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir um exemplar do seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

Roseane Sousa: O e-book está disponível na Amazon  e, em breve, pretendo publicar a versão impressa, por enquanto também pela Amazon. Quem quiser me acompanhar ou entrar em contato, pode seguir minhas páginas no instagram e facebook:
Instagram: @roseanesousa78 (https://www.instagram.com/roseanesousa78/ )

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Roseane Sousa: Sim. Como já citei, tenho um outro romance em andamento, além de alguns contos que pretendo organizar e ideias para romances ou novelas, rascunhados, esperando tempo para serem desenvolvidos.

Perguntas rápidas:

Um livro: não se pergunta isso a um leitor! Como posso escolher só um? Rs… No momento, A inquilina de Wildfell Hall, da Anne Brontë.
Um (a) autor (a): José Saramago, Eça de Queiroz, Guimarães Rosa. (também não consigo pensar em um só!)
Um ator ou atriz: Fernanda Montenegro
Um filme: Ao mestre com carinho
Um dia especial: o dia em que me tornei mãe.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Roseane Sousa: Gostaria, primeiramente, de agradecer à revista Conexão Literária pela oportunidade e quero fazer um convite aos leitores: experimentem a leitura de Vaivéns da Alma, me procurem nas redes sociais, digam-me quais foram suas impressões. Essa troca é muito importante para que eu possa aprimorar o meu trabalho.
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA
clique sobre a capa

BAIXE O E-BOOK GRATUITAMENTE

APOIO E INCENTIVO À LEITURA

APOIO E INCENTIVO À LEITURA
APOIO E INCENTIVO À LEITURA

INSCREVA-SE NO CANAL

INSCREVA-SE NO CANAL
INSCREVA-SE NO CANAL

DO INCISIVO AO CANINO - BERT JR.

MAFRA EDITIONS

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

DIVULGUE O SEU LIVRO

FUTURO! - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels