Jantar dos Deuses - Por Ademir Pascale

Arte: Dante Gabriel Rossetti Por Ademir Pascale Ela olhou para o céu estrelado. A névoa, com seu fino véu, cobria a densa vegetação. O ar gé...

Mostrando postagens com marcador Wellington Budim. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Wellington Budim. Mostrar todas as postagens

sábado, 5 de janeiro de 2019

Wellington Budim, autor do livro "Teu Pecado" e vencedor do Prêmio Belas Artes de Literatura 2018

Wellington Budim - Foto divulgação
Wellington Budim nasceu no dia 10 de março de 1979 em São Paulo. Graduou-se em Letras e cursou Roteiro. Atua como pesquisador no Acervo Fotográfico da Editora Abril. Descobriu muito cedo a paixão pelos livros e familiarizando-se à leitura, sentiu a necessidade de construir suas próprias histórias. Decidiu então que era o momento de compartilhá-las, publicando seu suspense policial de estreia; Teu Pecado, considerado o Best Seller da editora e vencedor do Prêmio Belas Artes da Literatura 2018. Autor dos Contos Entre Andares e Desolação Krumer publicados nas antologias Quando a noite cai e Horror Show.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Você é autor de Teu Pecado, uma obra na qual você criou personagens humanos e não fantasiosos. Fale mais sobre seus personagens.


Wellington Budim: Quando a ideia do enredo me surgiu, uma das coisas com que mais me preocupei foi justamente isso, criar uma história onde os personagens fossem tão humanos quanto eu ou qualquer um dos leitores. Não usei estereótipos, não criei rótulos, não quis simplesmente dividi-los em mocinhos ou bandidos, heróis ou vilões. Criei homens e mulheres, crianças e adultos que enfrentaram problemas, que acertaram e erraram em suas escolhas, amaram e odiaram com a mesma intensidade. Cometeram pecados como qualquer outra pessoa. Uma vez alguém me disse que ninguém é cem por cento bom ou mau. Que cabe a nós dosarmos essas duas medidas. Eu guardei isso comigo e refleti muito quando criei cada um dos quase quarenta personagens.


Conexão Literatura: Você ganhou recentemente o Prêmio Belas Artes de Literatura 2018, ficando em 1º lugar. Conte pra gente como foi o processo da inscrição e como foi o momento em que você ficou sabendo que foi o vencedor.

Wellington Budim: Eu estava no Rio de Janeiro em uma feira literária, no primeiro dia do mês de dezembro, quando recebi uma mensagem no meu whatsapp avisando que meu livro estava entre os quatro finalistas e que a votação, através de curtidas na foto da capa, havia começado. Eu demorei um tempo para entender o que estava acontecendo e quando realmente entendi, comecei a pedir votos lá mesmo na feira. A votação foi encerrada no dia 20 e o anuncio do vencedor só no dia 25. Tivemos cinco dias de ansiedade. Quando acordei na manhã de natal, vi que tinha mensagens de amigos que souberam primeiro que eu e estavam me parabenizando. Foi o melhor presente que eu poderia ganhar.

Conexão Literatura: No seu ponto de vista, qual a importância dessa premiação em sua carreira literária?

Wellington Budim: É uma importância muito grande. Ainda mais vindo por um primeiro trabalho. Cinco meses após o seu lançamento. As vezes ainda me pego questionando se tudo o que tem acontecido desde o momento em que me lancei como autor é realmente verdade, se não estou sonhando. Não é uma tarefa fácil ser escritor. Os obstáculos são muitos e a desmotivação é cada vez maior. Um prêmio como este te faz esquecer de todas essas coisas e a focar apenas no que interessa, o reconhecimento.
Eu vejo muito além do certificado, do troféu, esse prêmio deu-se pela votação popular, havia comentários e elogios dos leitores, o que me trouxe orgulho, satisfação e a certeza de que estou no caminho certo. Qualquer que fosse o resultado eu já me sentiria feliz, porque em um país onde a literatura é tão desvalorizada, nós autores nacionais somos sim guerreiros sobreviventes.

Conexão Literatura: Você pretende participar de novos concursos culturais?

Wellington Budim: Se houver oportunidade pretendo sim. Como dizem, o não nós já temos, por que não tentar o sim?

Conexão Literatura: Sobre a sua obra, como o leitor interessado deverá proceder para adquirir um exemplar e saber mais sobre o seu trabalho literário?

Wellington Budim: O livro esgotou na editora a qual foi publicado. Mas recentemente recebi uma proposta de outra casa editorial para a segunda edição agora em 2019. Edição esta que vira com uma surpresa; exemplar de colecionar em capa dura. O leitor que tiver interesse em saber mais sobre este livro ou qualquer outro trabalho pode entrar em contato comigo em uma das minhas redes sociais Facebook e Instagram: Wellington Budim.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Wellington Budim: Sim. Na véspera de natal revelamos a próxima obra, intitulada “Aldeia dos Mortos” e disponibilizamos o Book Teaser nas redes sociais.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Wellington Budim: Quero aproveitar para agradecer todas as pessoas que contribuíram curtindo a foto do livro, e especialmente a Horus RM que não só patrocinou a publicação de Teu Pecado como contribuiu para todo o sucesso. Esse prêmio com toda certeza é nosso. 
Compartilhe:

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Wellington Budim e o livro "Teu Pecado" (Editora Constelação)

Wellington Budim - Foto divulgação
Wellington Budim nasceu no dia 10 de março de 1979 em São Paulo. Graduou-se em Letras e cursou Roteiro. Trabalhou no acervo do Jornal O Estado de São Paulo e hoje atua como pesquisador iconográfico na Editora Abril. Descobriu muito cedo a paixão pelos livros e familiarizando-se à leitura, sentiu a necessidade de construir suas próprias histórias. Decidiu então que era o momento de compartilhá-las, apresentando o seu suspense policial de estreia; Teu Pecado.  

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário? 

Wellington Budim: Tanto como leitor quanto como escritor eu comecei bem cedo. Embora eu só tenha publicado o meu primeiro livro agora, eu sempre li e escrevi. Publicava em blogs e páginas literárias. Meus primeiros anos escolares foram essenciais para essa minha capacitação, eram escolas que investiam no incentivo a leitura e formavam bons leitores exigindo ao menos uma leitura mensal. Foi ali que tudo começou, fui tocado pela magia dos livros.
 O primeiro que li foi “A menina e a fantasia de Mery Weiss” que contava a história de uma menina que tinha um amigo imaginário. Fiquei tão fascinado com essa imaginação, com essa capacidade de criar, que comecei a escrever as minhas próprias histórias. Lembro que eu chegava a fazer livro mesmo, o miolo com folha de sulfite, a capa de cartolina... (rsrs) Então eu descobri o ônibus biblioteca, e ali eu fui apresentado aos autores que passaram a ter um lugar especial em minha estante; Machado de Assis, Camilo Castelo Branco, José de Alencar, Marcos Rey, Stephen King e aquele que me trouxe inspiração para criar muitas histórias: Sidney Sheldon.   
Conexão Literatura: Você é autor do livro “Teu Pecado” (Editora Constelação). Poderia comentar?

Wellington Budim: Sim, “Teu Pecado” foi o livro que escolhi para me lançar como autor nesse mundo mágico da literatura. e que tive a sorte de logo de início poder contar com pessoas que acreditaram na história e me ajudaram a torna-la pública, como no caso do patrocinador; a Horus RM Auditoria e Consultoria. Foi um livro que demorou a ser concluído por causa da minha falta de tempo na ocasião, mas foi um livro gostoso de escrever. Com personagens marcantes e uma trama cercada por muitos segredos e reviravoltas, onde todos são vítimas e ao mesmo tempo todos são culpados. O suspense está presente do prólogo até o último capítulo, como também está presente muitos mistérios que farão com que o leitor fique com a chamada “pulga atrás da orelha.” O que me chama a atenção em “Teu Pecado” e acho que vai chamar a do leitor também é que os personagens são muito humanos. Riem, choram, amam, odeiam, cometem erros e pecados como todos nós. Até mesmo os vilões acabam tendo seus momentos de heroísmo. Afinal ninguém é vilão ou herói o tempo todo, não é mesmo? Costumo dizer que todas as pessoas possuem o seu lado 50% bom e 50% mau. Cabe a cada um escolher em qual deles quer se manter a maioria do tempo. Aqui, os personagens são pessoas que poderíamos encontrar no trabalho, no shopping ou até mesmo na esquina da nossa rua. A diferença é que a maioria deles escolheram caminhos errados no passado e um belo dia, são confrontados pelas consequências dessas escolhas.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro?

Wellington Budim: Bom, antes de começar a escrever qualquer história eu tenho pra mim, meio que um ritual de criação. Idealizo mentalmente todo o enredo, os personagens, os conflitos, os ápices da história. O segundo passo é fazer um esboço, transpassar todas essas ideias para o papel. E a terceira etapa e em minha opinião a mais importante, é a pesquisa. Se o autor não a faz, não consegue transpassar o domínio sobre aquilo o que quer falar, ai a história não passa a verdade necessária. Tudo vira uma mentira empurrada garganta abaixo do leitor. “Teu Pecado” exigiu bastante leitura, pesquisas na internet e conversas com profissionais da saúde, uma vez que o livro apresenta uma personagem enfermeira e uma iridologista. Sobre Iridologia toda a pesquisa foi feita com a ajuda do meu irmão Ricardo Budim, que trabalha com iridologia e me ajudou a criar uma personagem que transpassasse verdade. Fora isso ainda tem duas leitoras betas Rosely Budim e Solange Santos, que me ajudavam nesse processo do que é ou não convincente e aceitável, além da impecável revisão de Letícia Godoy, é claro.
Demorei cerca de quatro anos para concluir, levando em consideração o tempo em que o livro ficou em standby. 

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do qual você acha especial em seu livro?

Wellington Budim: “Quando alguém nos magoa profundamente (...) Temos três opções: magoar também, ignorar ou amar ainda mais.” Essa é uma das falas que eu mais gosto de um personagem importante na história. Acho que ele quer nos dizer que não importa os nossos erros, os pecados, os acertos e desacertos. No final é o perdão que sempre prevalece. É o primordial.

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir o seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?


Wellington Budim: O livro começa a ser vendido em pré-venda com preço especial no dia 04 de junho nas lojas online: Amazon, Americanas, Estante Virtual, Mercado Livre, Shoptime e Submarino.  E o leitor pode saber um pouco mais sobre mim e o meu trabalho curtindo a fanpage: @teupecadooficial, e-mail: wellington_rw@hotmail.com ou acessando minhas redes sociais: Facebook: Wellington Budim Autor e Instagram: Wellington Budim.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Wellington Budim: Existe. Ainda é muito cedo para entrar em detalhes, mas estou trabalhando em uma duologia agora. Estou trazendo o ambiente do Hospital citado em “Teu Pecado” para esses dois novos livros e os recheando com muito mistério, suspense e uma dose de investigação policial. Que é o que eu gosto de fazer e o que em minha opinião atrai leitores. Eu acredito que o leitor tem que sentir interesse, prazer e estímulo pela leitura, se não o livro é esquecido no meio do caminho.

Perguntas rápidas:

Um livro: Se houver Amanhã – Sidney Sheldon
Um (a) autor (a): Sidney Sheldon
Um ator ou atriz: Julia Robert
Um filme: O Silêncio dos Inocentes
Um dia especial: Tenho vivido tantos dias especiais desde que decidi me lançar como autor que fica difícil escolher um só. Mas eu vou arriscar o dia em que recebi uma foto da minha mãe no whatsapp. Ela estava cortando beterrabas, a faca ficou toda vermelha, parecendo sangue. Então ela fotografou e me mandou com a descrição: Lembrei do seu livro. Ali eu entendi que o livro estava acontecendo e estava presente na mente das pessoas.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Wellington Budim: Quero agradecer a todos que de alguma forma contribuíram  para que o meu sonho se tornasse real e agradecer em especial aos leitores de “Teu Pecado.” Espero que a leitura seja tão prazerosa quanto foi para mim escrever esta história. E que devorar insaciavelmente este livro seja o único pecado.
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels