Conexão Nerd: Teoria da Conspiração, por Ademir Pascale

Cena do filme Teoria da Conspiração POR ADEMIR PASCALE Hoje não irei comentar sobre colecionáveis ou heróis, mas sobre um filme, um li...

Mostrando postagens com marcador ficção e realidade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ficção e realidade. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Elementos místicos em conto de García Marquez intrigam romancista contemporâneo

 


O baralho de predizer adultérios mistura ficção e realidade e homenageia a capacidade humana de adaptação

“Não há tempo melhor que o futuro”. A frase de abertura de O baralho de predizer adultérios (Autografia), segundo romance de Frederico Monteiro, chega ao mercado coincidentemente quando a humanidade aguarda o fim de uma pandemia que interrompeu o tempo presente das pessoas. A espera no futuro, a chance de recomeçar, parece aguardada como nunca. No livro, ela se passa na Araraquara real, município no interior do estado de São Paulo, onde o autor mora.

- Os acontecimentos foram todos criados, inventados, muito embora tragam enorme carga de realidade. A existência de um baralho com o poder de prever adultérios é um dos pontos místicos do romance. Há outros.”, provoca Frederico que começou a escrever este livro em 2017.

O baralho de predizer adultérios é uma homenagem ao futuro e à capacidade humana de adaptação. O adolescente Silvano, cujo nome representa também o conhecimento esotérico, recebe um misterioso baralho que tem como função única antecipar adultérios. Ao mesmo tempo em que faz o baralho funcionar, o protagonista amadurece. Amores e separações, riqueza e pobreza, fugas e desencontros, além do constante diálogo com a sua própria consciência, tomam conta da rotina do herói.

Numa das passagens do texto, a conversa com a consciência se dá sutilmente:

- Por que me tratam assim?

- Ainda usa aquele baralho?

- Uso.

- É isso. As pessoas têm medo do futuro. 

 

A inspiração para O baralho de predizer adultérios veio da obra de Gabriel García Márquez, embora Monteiro não se lembrasse de exatamente qual livro, razão que o levou a reler o escritor colombiano enquanto escrevia. A imagem do baralho de predizer adultérios persistia no imagi­nário de Frederico Monteiro, “sempre vinculada a um mundo mítico e impossível”.

 

Na coletânea A incrível e triste história da Cândida Erêndira e sua avó desalmada o penúltimo conto faz referência ao tal baralho: Blacaman, o bom vendedor de milagres. No conto, o bara­lho é referido apenas como moeda de troca. O tal Blacaman com­pra uma criança - que será seu fiel ajudante - e entrega ao seu pai, além de um real e dois quartillos, também um baralho de predizer adultérios. 

 SOBRE O AUTOR

FREDERICO TEUBNER DE ALMEIDA E MONTEIRO é paulista de Araraquara. Escreve desde a adolescência, em especial contos e romances. Em 2016, publicou, na versão digital, a coletânea de contos “Sabrina sabe voar”. Em 2019, o romance Babel e agora O baralho de predizer adultérios, ambos pela Autografia. Trabalha como defensor público do Estado há 12 anos e prepara seu terceiro romance e uma coletânea de contos. 


SERVIÇO

O baralho de predizer adultérios

Páginas: 288

Formato: 16cm x 23 cm

Preço: R$ 47,90

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels