quarta-feira, 22 de abril de 2020

Alberto Hupsel e o livro “Apaguem ela agora”

Alberto Hupsel - Foto divulgação
Alberto Hupsel é um advogado e escritor carioca de 35 anos. Fã de filmes, séries e games, foi sua paixão pelo universo geek que fez com que começasse a escrever peças de teatro para a escola aos dezessete anos. Em 2018 lançou o seu primeiro ebook, Os Últimos Dias de Aluben, uma história de aventura em um cenário pós-apocalíptico que foi publicada em português e inglês. Apaguem Ela Agora é o seu segundo livro. A história, com muito humor e quebrando a quarta parede, foi inspirada por diversos games, entre eles Doki Doki Literature Club, Thimbleweed Park e The Hex. Seu instagram é @albertohupsel, embora seja mais fácil encontrá-lo online no Steam jogando Dota 2 com o perfil Hupsel.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário

Alberto Hupsel: Eu comecei a escrever casualmente no colégio, usando alguns colegas de classe como protagonistas para histórias engraçadas em que o grupo encarava aventuras na Idade Média ou no futuro. Gostava tanto que algumas vezes escrevia até mesmo durante a aula (crianças, não cometam este equívoco). Curioso que deixei a escrita meio de lado no período da faculdade, mas assim que me formei comecei a planejar a minha primeira obra mais séria, chamada de Os Últimos Dias de Aluben. Esse foi um livro tendendo para o lado dark, com anjos e demônios em um ambiente pós-apocalíptico. Depois dele veio Apaguem Ela Agora, que é uma narrativa bem mais leve, com muita aventura mas também bastante comédia.

Conexão Literatura: Você é autor do livro “Apaguem ela agora”. Poderia comentar? 

Alberto Hupsel: Acho que ninguém seria capaz de adivinhar de onde veio a ideia de escrever Apaguem Ela Agora. Então, a principal inspiração veio depois que eu li uma entrevista dada pelo desenvolvedor de games Dan Salvato. Ele é o criador de um jogo chamado Doki Doki Literature Club (DDLC), um visual novel, ou seja, o game é basicamente um livro digital, embora você, como jogador, tome decisões pelos personagens em certos momentos da história. 

DDLC começa como um jogo bonitinho copiando típicos animes japoneses onde o protagonista conhece quatro garotas no clube de literatura do colégio. O jogo inicia com diálogos meigos, vários clichês do gênero e então você acha que vai ser esse lenga-lenga e um simulador de namoro pelas próximas horas até o final. Mas aí é que o bicho pega. De repente o jogo vira de cabeça para baixo e se apresenta como (spoiler!) sendo de terror psicológico. O game começa a tratar de assuntos como depressão e há até cenas de suicídio. No final das contas, é revelado (spoiler²!) que uma das quatro garotas sabia que era uma personagem de videogame e queria que o jogador amasse apenas ela. O legal é que o desenvolvedor usa truques incríveis no jogo. Você pode até abrir o arquivo do game no seu computador e deletar o ficheiro de um personagem para mudar o rumo da história. 
O Dan Salvato disse algo que me marcou muito ao afirmar que apenas em um videogame seria possível usar as táticas que ele usou para gradualmente transformar DDLC de um simulador de namoro para um jogo de terror psicológico que mexia com a cabeça do jogador. Afinal, apenas em um game o jogador poderia sair do jogo e mexer nos arquivos para mudar a história.

Depois de terminar Os Últimos Dias de Aluben eu decidi que queria escrever um segundo livro, mas queria também escrever algo que só seria possível de existir no formato de, bem, um livro. Além disso, eu queria também trabalhar em algo mais leve que pudesse fazer as pessoas rirem. Daí surgiu a ideia de começar Apaguem Ela Agora. E, relaxem, o livro é bem mais light do que o game que eu listei acima, um misto de aventura com comédia, escrito em primeira pessoa. 


A história se passa no universo de Aeris, povoado por personagens de ficção que foram criados por um autor do Mundo-Lá-De-Fora, que é a nossa realidade aqui no planeta Terra. Aeris, no entanto, possui algumas regras e limitações que nem mesmo os personagens entendem no início. Alguns itens são proibidos de existir lá, como o cigarro, embora possam ser contrabandeados de outros mundos. Os personagens também não podem dizer palavrão, e toda vez que dizem uma das chamadas “palavras proibidas” o texto no livro simplesmente mostra a frase <palavra apagada>. Os personagens também podem sofrer “bugs” literários dependendo de como são tratados, o que pode resultar na fala trocada por um parágrafo de ação, por exemplo. 

A figura máxima de Aeris é o Rei, um homem poderoso e com poderes mágicos que toma as decisões da sua fortaleza. A história de Apaguem Ela Agora gira em torno de Anna, uma mulher de dezoito anos que sonha em ser a protagonista de sua própria aventura. No dia em que ela finalmente realiza seu desejo, ela percebe que o universo de Aeris está mudando. Aeris sempre foi um lugar de muita paz, mas o Rei, agora, tem criado situações em que heróis, vilões e monstros se enfrentam em combates violentos. O Rei acha que apenas um enredo com muita violência e sangue é capaz de fazer sucesso no Mundo-Lá-De-Fora, por isso que ele quer mudar o cotidiano dos personagens. A Anna, no entanto, decide colocar um ponto final nos seus planos. Ela decide viajar para encontrar o Rei na sua fortaleza em uma aventura quem inclui passeios em navios piratas e até cidades com ninjas e arenas de gladiadores. 
Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro? 

Alberto Hupsel: A fase de planejamento é sempre a mais difícil, em que você escreve e apaga umas duzentas ideias diferentes. Eu geralmente divido o planejamento em três fases: história, personagens e capítulos. Na primeira fase eu sento na frente do computador, abro uma página no Word e começo a pensar no foco principal da história. Em Apaguem Ela Agora, esse foco foi mais fácil. Eu desde cedo queria que os personagens soubessem que fazem parte de uma história e eles enfrentam basicamente o próprio autor do livro. Eu sempre quis manter um tom cômico misturado com aventura e quebra da quarta parede, que é também quando o próprio personagem fala com o leitor.

A segunda fase foi um pouco mais complicada, quando comecei a elaborar os personagens. Demorei um pouco até chegar na Anna, uma mulher jovem, cheia de energia e com a língua bem afiada. Dei a ela alguns elementos que são citados algumas vezes na história, algumas vezes até em situações cômicas, como o penteado com trança que ela adora. Também fiz dela uma excelente cozinheira, que é outra perícia que acaba sendo importante em vários momentos da aventura. Sempre que eu adiciono particularidades como essas eu gosto que elas tenham alguma relevância a mais na história além de “ah, essa coisa está ali e é isso”.


Depois da Anna, comecei a elaborar outros personagens importantes. O segundo deles acabou sendo o “Primeiro Leitor”, um homem misterioso que vive enrolado em um manto e nunca mostra a sua verdadeira forma. Enquanto a Anna é energética e faz as coisas muitas vezes sem pensar, o Primeiro Leitor é mais contido, sábio e funciona meio que como um tutor e Mestre Jedi para a nossa protagonista. Ah, e com esse nome há rumores de que ele até conheceu o verdadeiro criador de Aeris...

Outro personagem importante é a Makoto, uma mulher negra com longos cabelos azuis e roupas exóticas. Ela foi uma das primeiras personagens criadas pelo autor do Mundo-Lá-De-Fora, mas acabou esquecida e abandonada. A Makoto tem temperamento forte e explosivo. Ao ser criada, o autor do Mundo-Lá-De-Fora fez com que ela fosse excelente em combate corpo-a-corpo e também uma expert com armas de fogo e espadas. Ah, ela também é musculosa e muito bonita. Infelizmente, tanta perfeição acabou sendo um tiro no pé. Aparentemente o criador de Aeris ficou entediado com ela e acabou deixando a Makoto de lado, o que fez com que ela acabasse esquecida e tendo que se virar sozinha.

Depois de ter os personagens em mente, é hora da última fase: planejar os capítulos. Eu começo a elencar os capítulos no computador e escrever o que vai acontecer em alguns deles. Algumas vezes escrevo poucos parágrafos para resumir cada capítulo, mas outras vezes acabo enchendo uma página inteira. Todo esse processo deve levar uns dois meses. Com tudo resumido e fácil de acompanhar, finalmente é hora de começar a escrever. 

Ah, mas nem tudo vai de acordo com os capítulos resumidos, claaaaaro. Então eu acabo fazendo várias mudanças e vida que segue. Para acabar todo o livro eu devo ter levado uns dez meses. Não escrevi todo dia, claro, mas alguns dias eu escrevia umas seis horas seguidas. Depois disso ainda tive períodos de revisão em que mudei uma coisa ou outra, mas a história mesmo ficou pronta em pouco menos de um ano.

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho que você acha especial em seu livro?  

Alberto Hupsel: Vou compartilhar um trecho que aparece no início. É logo depois da Anna receber o título de protagonista e ganhar uma festa para celebrar a ocasião. A palavra Protagonista, aliás, aparece em título maiúsculo no livro pois vários títulos e designações carregam um valor muito importante para os personagens. 

É também neste trecho que a Anna abre um envelope contendo a sua primeira missão na nova carreira. Ela começa a elaborar formas de se tornar uma protagonista visualmente única para ser facilmente notada pelos leitores do Mundo-Lá-De-Fora, o que, em tese, poderia ajudá-la a ser famosa. Eu gosto desta passagem pois mostra que, mesmo sendo uma protagonista de um mundo fictício, a Anna não é capaz de fugir de burocracias que nós leitores também encontramos no nosso dia a dia.

Ele se afastou enquanto eu brincava com o meu cabelo. A mecha branca continuava ali e, sinceramente, eu planejava mantê-la para ter uma lembrança do dia em que me tornei uma Protagonista. Okay, certo, esse não era o motivo principal. Eu apenas gostava dos fios brancos e achava que eles me deixavam mais elegante. Mesmo que o Rei tivesse falado de brincadeira, eu pensei em mudar o meu visual para fazer mais sucesso. Talvez um par de óculos falsos e um cachecol? Não, não, o mundo não estava preparado para uma cozinheira hipster.

– Está gostando da festa, Anna? – Mestre Zaixon perguntou.

– Sim, Mestre. Eu ainda quero ver o senhor dançando até o final da noite.

Ele sorriu e apanhou um envelope fechado de dentro da roupa, entregando-o para mim em seguida.

– O que é isso?

– É a sua primeira aventura como Protagonista. Vamos, abra e leia.

Eu fiz como ele pediu. Arranquei o selo e apanhei uma carta escrita com letras garrafais.

 “À Sra. Ana.

Parabéns por ter virado uma Protagonista. A sua primeira missão é ir até a Vila de Setimus e matar os homens-lagartos que vivem por lá. Boa sorte! PS: Esta carta também acompanha o boleto com a primeira mensalidade da Ordem dos Protagonistas, com vencimento para o próximo dia dez. O não pagamento implica o cancelamento do título de Protagonista e multa. Obrigado

                                                                                                                Att.
                                                                                                                Hestor Quir

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir o seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário? 

Alberto Hupsel: Seguem alguns links referentes a Apaguem Ela Agora, onde é possível ler mais sobre a obra ou comprar um exemplar. Além disso, o meu instagram é @albertohupsel

Clube de Autores: clique aqui.
Skoob: clique aqui.
Amazon: clique aqui.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta? 

Alberto Hupsel: Sim! Na verdade, estou na fase de planejamento do meu próximo livro, chamado... Apaguem Ela Novamente! Sim, é uma sequência de Apaguem Ela Agora. Quem sabe não escrevo um terceiro volume e fecho uma trilogia? Enfim, enquanto o primeiro livro mostra Anna em um cenário basicamente medieval, a sequência leva Anna e seus amigos para um mundo futurista e apocalíptico, com direito a computadores super avançados, robôs e (várias) outras surpresas. 

Perguntas rápidas:

Um livro: Apaguem Ela A--- ...O Senhor dos Anéis
Um (a) autor (a): J. K. Rowling  
Um ator ou atriz: Harrison Ford
Um filme: Star Wars Episódio V: O Império Contra-Ataca
Um dia especial: Todos os dias marcados como sexta-feira no calendário. Já sabem a resposta para os dias não especiais, né? 

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário? 

Alberto Hupsel: Sim, comprem Apaguem Ela Agora! ...brincadeira (em parte). Quero agradecer a todos os envolvidos pela chance de dar uma entrevista. Também quero dizer que sou um grande fã de arte digital em 2D e em 3D, e desde o meu primeiro livro eu tenho entrado em contato com artistas de todo o mundo para que eles pudessem desenhar os personagens das minhas histórias. Tenho uma página em https://www.artstation.com/hupsel com várias artes de personagens recentes e mais antigos, que foram gentilmente produzidos por pessoas de talento incrível. E sim, várias versões da Anna podem ser vistas lá também. Obrigado!
Compartilhe:

Um comentário:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Anuncie e Divulgue Conosco

Posts mais acessados da semana

COMUNIDADE INFLUXO

SONHOS FULGURANTES - ROBERTO MINADEO

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels