segunda-feira, 21 de setembro de 2020

A DANÇA DA ÁGUA, de Ta-Nehisi Coates

 


Em seu primeiro romance, roteirista de Pantera Negra remonta sociedade escravocrata americana do século XIX sob a perspectiva dos escravizados

 

“Eu me perguntava quem poderia preencher o vazio intelectual
que me atormentava depois da morte de James Baldwin.
Claramente é Ta-Nehisi Coates.”
Toni Morrison

As plantações de tabaco nos Estados Unidos, sobretudo nas colônias do Sul, garantiram a riqueza e a manutenção de privilégios dos grandes senhores de terra ao longo do século XIX. Tudo isso à custa do trabalho e do sangue de pessoas escravizadas. Quando enfim o declínio recai sobre as fazendas do interior da Virgínia, Howell Walker percebe que precisará preparar um substituto para assumir a administração de sua propriedade. Só que seu único herdeiro não tem a menor aptidão para desempenhar o papel. E o jovem Hiram, apesar de muito mais capacitado, é filho ilegítimo de Walker e, acima de tudo, um escravizado.

 
Primeiro romance do premiado jornalista Ta-Nehisi Coates, A dança da água, lançado no Brasil pela Intrínseca, fala da escravidão nos Estados Unidos sob um ponto de vista diferente. A trama com elementos mágicos, por vezes surrealista, gira em torno do jovem Hiram, que, depois de quase morrer afogado nas águas do rio Goose ao lado do meio-irmão, descobre um poder extraordinário e até então oculto dentro de si. Desse breve encontro com a morte brota uma grande urgência: Hiram precisa escapar do lugar que ao mesmo tempo foi seu lar e prisão desde o nascimento. Fruto de uma década de escrita e pesquisa, A dança da água foi lançado com exclusividade para os assinantes do clube do livro da editora, o intrínsecos, em julho.
 
Ta-Nehisi Coates narra toda a atrocidade infligida a homens, mulheres e crianças negros através de gerações de escravizados, compondo um relato comovente e místico sobre destino e propósito, perda e separação. A história de Hiram Walker é a de uma criança separada à força da mãe, negligenciada pelo pai e privada do direito de definir o rumo da própria vida. Mas também é a história de como a cultura e as tradições de um povo sobreviveram às inúmeras tragédias impostas a ele ao longo de gerações. Citando o emblemático abolicionista Frederick Douglass na epígrafe do livro, Coates reforça o desejo de que seu relato histórico, ainda que ficcionalizado, contribua para a criação de um novo paradigma sobre os muitos séculos de escravidão. “Meu papel foi contar o papel do escravo. Para a história do senhor não faltam narradores.”


“Um trabalho de imaginação impressionante e imenso significado histórico.”
 Rolling Stone

TA-NEHISI COATES é escritor em residência no Arthur L. Carter JournalismInstitute, na NYU. É autor dos best-sellers The Beautiful StruggleWe Were Eight Years in Power e Entre o mundo e eu, este ultimo vencedor do National Book Award, em 2015. Ta-Nehisi é beneficiário do MacArthur Fellowship e, atualmente, também roteirista dos quadrinhos da Marvel Pantera Negra e Capitão América. (Foto: John D. & Catherine T. MacArthur Foundation)

Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Anuncie e Divulgue Conosco

Posts mais acessados da semana

COMUNIDADE INFLUXO

SONHOS FULGURANTES - ROBERTO MINADEO

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels