segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Para quem não gosta de poesia, por Simone Fontarigo


“Se eu gosto de poesia? Gosto de gente, bichos, plantas, lugares, chocolate, vinho, papos amenos, amizade, amor. Acho que a poesia está contida nisso tudo”

Assim o grande poeta Carlos Drummond de Andrade definiu o que é poesia. E com essa definição derrubou por terra os argumentos de quem dizia não gostar de poesia por ser coisa de pessoas sentimentais e sonhadoras demais. Coisa de mulherzinha...

Ledo engano. Nem só de “que não seja imortal, posto que é chama / mas que seja infinito enquanto dure”, do enorme Vinícius de Morais, vive a poesia. 

Está aí Edgar Allan Poe, grande poeta do terror, com o seu “O Corvo”: 

“E esta ave estranha e escura fez sorrir minha amargura / Com o solene decoro de seus ares rituais / "Tens o aspecto tosquiado", disse eu, "mas de nobre e ousado, Ó velho corvo / emigrado lá das trevas infernais! / Dize-me qual o teu nome lá nas trevas infernais" / Disse o corvo, "Nunca mais".”  

A poesia brasileira, por sua vez, tem diversos exemplos de poetas que usaram a poesia para fazer uma crítica social, sem perder a beleza da forma e a qualidade artística.

O que dizer de Ferreira Gullar e suas poesias que trazem temáticas políticas e sociais:

“O funcionário público não cabe no poema / com seu salário de fome / sua vida fechada em arquivos / Como não cabe no poema o operário / que esmerila seu dia de aço e carvão nas oficinas escuras”
Paulo Leminsk também usa a poesia para fazer críticas sociais:

“Na luta de classes / todas as armas são boas / pedras, noites, poemas”
Poderia citar muitos outros, como Castro Alves e sua “Canção do Africano”, “A Flor e a Náusea”, de Carlos Drummond de Andrade, ou “Epitáfio para o Século XX”, de Affonso Romano de Sant`anna. São poesias lindas, que estão longe se serem sentimentais e sonhadoras. 

Deixo então, aqui, um desafio para quem diz que não gosta de poesia: leia poesia. Se quiser, pode começar pelos poemas citados acima. Ou não. Opção é o que não falta. 

Se colocarmos a palavra “Poesia” na busca no Google, encontramos a mensagem “Aproximadamente 176.000.000 de resultados”. Com certeza, algum desses vai te agradar. Depois me conta. 


Simone Fontarigo é jornalista e escritora, com poesias e contos publicados em diversas antologias. Nascida e criada no Rio de Janeiro, é casada e tem um filho.

simone.fontarigo@gmail.com

 

Compartilhe:

3 comentários:

  1. Excelente artigo fiquei com vontade de ler de pesquisar mais poesias🤩

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, Simone! Sou suspeito pra falar, mas poesia é a melhor forma de sentir a vida. E a vida abrange tudo o que você escreveu e ainda muito mais, inclusive a própria.rsrs

    ResponderExcluir

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Anuncie e Divulgue Conosco

Posts mais acessados da semana

COMUNIDADE INFLUXO

SONHOS FULGURANTES - ROBERTO MINADEO

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels