Mostrando postagens com marcador Algum lugar entre o mundo e o espelho. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Algum lugar entre o mundo e o espelho. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 17 de maio de 2021

Negar Emrani e o livro Algum lugar entre o mundo e o espelho (Paradise Ocean Books)


Biografia da Autora:

Negar Emrani, nasceu em Mashhad, Irã, formou-se em Biotecnologia. Após anos de carreira na ciência, devido à crise econômica no Irã, ela encontrou a oportunidade de se especializar em Literatura e na Arte da poesia, que eram seus interesses pessoais há anos.

Algumas de suas obras na forma de poesia contemporânea foram publicadas em jornais não-iranianos, como "Asymptote Journal Tinge Magazine" "Tinderbox", "The Literati Quarterly".

Suas canções e letras também foram publicadas em coleções como "Khorasaneh" (o livro de letras da província de Khorasan), às vezes com música ou apenas por escrito. 

Sinopse da Obra:

Usando uma mistura da linguagem direta com a linguagem emocional subentendida, Negar Emrani traz, em Algum Lugar Entre o Mundo e o Espelho, diversos aspectos que permeiam não apenas vivências pessoais, mas aquelas que, de certa forma, mesmo sendo privadas, são os revérberos de toda uma sociedade.

Neste conjunto de poemas veremos o destrinchar dos mais profundos e – às vezes – controversos sentimentos da consciência humana perante seu ambiente e suas contrariedades, que ora fazem com que o leitor se identifique, ora fazem com que se aprofunde numa cadeia de misteriosas conotações sobre a solidão, a luta, a guerra, a força feminina, a sombra familiar e os reflexos da mente e, principalmente, do coração. Afinal, seriam esses reflexos emocionais, muitas vezes invisíveis para uns, e até mesmo abstratos demais para serem transformados em palavras concretas, mas tratados de forma rica e singela pela autora, justamente o que há entre o mundo e o espelho?

Link da Amazon: https://www.amazon.com/gp/product/B08BF628T6/ref=dbs_a_def_rwt_bibl_vppi_i0


Poesia

A Profetisa

Eu sonhava com terrenos chuvosos,

De uma mulher que estava 

Espalhando os cabelos à luz

Para que os pássaros pudessem colher grãos

Espalhados pelo chão.


Sonhei com dentes de leão 

Que não tinham nada a dizer ao vento.

Sonhei com uma joaninha

De uma asa costurando o chão no céu

E as folhas secas vagando ao léu.


A seca estava sobre nós, e minha mãe 

Estava se encolhendo em um canto da sala,

Juntando a chuva em seus olhos.


Alguma mulher 

Sai do espelho todos os dias,

E ela está se aproximando

Enquanto o mundo 

Aos poucos vai se acabando. 


Um dia para o aniversário dela,

Outro dia para sua morte

Sem sorte.


Alguma mulher 

Dentro do meu punho esquerdo,

Na crista dos meus seios, 

Entre os meus cabelos

Algumas vezes molhados!

Ela sai, e tudo o que resta dela

São as pegadas dela 

Marcadas em minha testa.


Alguma mulher, 

Cujo cabelo é a própria pobreza,

Estica dentro 

Dos meus braços para o amanhã.


Eu nunca soube

Qual dente podre 

Me deu meu sorriso.

Eu tenho escondido

A tristeza entre os pistácios, 

Ano a ano,

Pobre tentativa de fugir dos enganos. 


A morte está próxima.

Sentada, estou assistindo o pôr do sol,

Antes de murchar o último girassol. 


Um dia uma árvore crescerá 

Como uma profetisa em meu corpo,

Uma profetisa sem milagres,

Tudo o que ele poderá fazer

É separar o vento em duas partes.

 

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Posts mais acessados da semana

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels