Autor(a) divulgue o seu livro, conheça o Pacote Divulgação Para Autores

Autor(a), saiba como divulgar o seu livro conosco, acesse: http://www.revistaconexaoliteratura.com.br/2020/09/autora-divulgue-o-seu-livro-co...

Mostrando postagens com marcador Alice no mundo de Ohnos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Alice no mundo de Ohnos. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 13 de abril de 2022

ENTREVISTA COM ESCRITOR: M. E. Rodrigues e o livro Alice no mundo de Ohnos, por Cida Simka e Sérgio Simka


Fale-nos sobre você.

Eu era uma criança extremamente curiosa e criativa. Sendo filha única, acho que aprendi desde cedo a viver bem comigo mesma, entende, saber me entreter e reinventar a realidade. Com o tempo fui entendendo também a relevância que o mundo natural tinha para mim, eu via aquele mundo, e queria não apenas recriá-lo através da escrita, mas preservar o original, minha eterna inspiração suprema. Assim, cresci, e rumei para a carreira de bióloga. Atualmente sou mestranda em botânica, professora de educação ambiental infantil e (finalmente, posso dizer) escritora. Acredito que através da educação, unindo ciência e arte em variadas formas, podemos atuar positivamente no mundo, construindo no agora um futuro possível e feliz.

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre o livro; o que motivou a escrevê-lo?


Na verdade, isso é curioso. O livro foi escrito em apenas cinco dias, porque a ideia original era enviá-lo para um edital de chamada de livros que eu tinha descoberto, mas que fechava em uma semana. Ou seja, era tudo ou nada, escrever ou não em sete dias. Não custava tentar, então em cinco dias consegui fechar o enredo. A verdade é que acho que esse enredo é muito inspirado por cortes do meu cotidiano, e essa história já me habitava, eu só precisei de fato parar e escrever, e ela ganhou vida sozinha. Bem, o livro não foi selecionado, então eu parei e lapidei ainda mais o original, parei e busquei outras oportunidades. Até que a Sinna abriu o edital de originais e, felizmente, o feedback foi superpositivo e decidimos trabalhar juntos para torná-lo real :)

Qual a sua opinião sobre a questão da leitura no país? O que tem lido ultimamente?

Certamente numa escala geral, em meio à quantidade de entretenimento com o qual somos bombardeados constantemente, a leitura pode ter reduzido sim. Porém, uma coisa que gosto de ressaltar, é que ela é imortal. Você parar e ler um livro, se conectar com um enredo, é um sentimento único, e apreciado por diversos motivos, e mesmo que menos pessoas leiam, é impossível sua extinção. Até porque, parte do gostar de ler também tem a ver com hábitos, e hábitos são passíveis de aprendizado. Além de tudo, o principal fator visto atualmente não é nem a questão da redução de leitores, apenas a mudança no formato de produção, venda e acesso à leitura. A internet mudou isso em todos os setores, não apenas no mundo dos livros, é questão de acharmos o equilíbrio entre o que queremos e o que funciona no ramo atualmente.

Como o leitor poderá conhecer mais sobre seu trabalho? 

Acho que a plataforma que eu mais gosto e utilizo (mesmo que não tanto rs) é o instagram, meu perfil é: @dudaro. Além disso, tenho um site, no qual você pode encontrar mais textos meus e informações: https://escritaduda.wixsite.com/folhasvivas 

Você pode ainda me enviar um e-mail se quiser conversar sobre algo mais específico do meu trabalho, o que é sempre bem-vindo: escrita.duda@gmail.com

O que tem lido ultimamente?

Atualmente estou lendo três livros, cada um com um ritmo/motivo/influência na minha vida.

1. Assinatura de todas as coisas (Elizabeth Gilbert) - um romance intenso, de enredo rico e complexo. Tenho gostado muito, e me ajuda a enxergar outras formas de viver, outras possibilidades, o tipo de leitura de que mais gosto.

2. A vida não é útil (Ailton Krenak) - para me lembrar também da realidade, me fortalecer no que desejo e acredito para o mundo, e lembrar do que é essencial nessa vida.

3. As cem linguagens da criança (Loris Malaguzzi ) -  com o objetivo de me aprimorar pedagogicamente (pensando no meu trabalho como professora de educação ambiental), e estar mais aberta à escuta para as crianças, as verdadeiras peças fundamentais no presente, para um melhor futuro.

Uma pergunta que não fizemos e que gostaria de responder.

Sempre gosto de pensar em ações que mudam o mundo para algo mais próximo do que eu acredito que é sua melhor versão. Entre os pensamentos, defini alguns pontos, e agora compartilho eles com vocês:

1. Cuide de você mesmo, física e psicologicamente, sua primeira casa existencial. Uma pessoa verdadeiramente mais feliz naturalmente terá efeitos mais positivos no mundo.

2. Seja empático. Desenvolver empatia com o próximo é essencial para construir um caminho de compreensão do coletivo, facilitando o caminho até a empatia ambiental com todos os organismos e a Terra como um todo.

3. Auxilie as pessoas a sua volta, em projetos no seu bairro, cidade, país… Ações locais somadas fazem diferenças globais.

4. Questione tudo e informe-se. A consciência sobre problemas é dura de carregar, mas só assim podemos fazer algo sobre.

5. Não seja materialista. Minimalismo. Coisas são necessárias, mas não o consumo excessivo. Lembre dos 5 Rs (repensar, recusar, reduzir, reutilizar, reciclar). Busque produtos naturais, de procedência confiável, não exploratória de pessoas ou do meio ambiente. Não faz sentido querer mais do que não precisamos quando existem poucos sem o mínimo necessário.

6. Reduza ou pare o consumo animal. As indústrias mais predatórias do planeta.

7. Apoie a ciência. Os cientistas não estão lá inventando fatos e informações, eles literalmente fizeram de sua função de vida investigar a própria vida em toda sua amplitude e buscar formas de preservá-la.

8. Por último mas não menos importante: NÃO acredite no papo de que suas ações individuais não fazem diferença. Um grupo relativamente pequeno de pessoas pelo mundo quer que acreditemos nisso, mas é mentira.

Link para o livro: https://www.editorasinna.com.br/alice-no-mundo-de-ohnos-pre-venda


CIDA SIMKA

É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019), O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020), Horror na biblioteca (Editora Verlidelas, 2021) e O quarto número 2 (Editora Uirapuru, 2021). Organizadora dos livros Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020), Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020), O medo que nos envolve (Editora Verlidelas, 2021) e Queimem as bruxas: contos sobre intolerância (Editora Verlidelas, 2021). Colunista da revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA

É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela editora Uirapuru. Colunista da revista Conexão Literatura. Seu mais recente trabalho acadêmico se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020) e seu mais novo livro juvenil se denomina O quarto número 2 (Editora Uirapuru, 2021).

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA
clique sobre a capa

DO INCISIVO AO CANINO - BERT JR.

MAFRA EDITIONS

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

DIVULGUE O SEU LIVRO

FUTURO! - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels