Participe da antologia (e-book) CONTOS E POEMAS ASSOMBROSOS - VOL. VI. Leia o edital

  Participe da antologia (e-book) CONTOS E POEMAS ASSOMBROSOS - VOL. VI.  Leia o edital:  CLIQUE AQUI.

Mostrando postagens com marcador Autora. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Autora. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 2 de maio de 2022

Conheça o livro O Jogo dos Zeros, da autora NSMoraes


Esta é a história de uma garota aparentemente comum, que tem o sonho de juntar dez mil reais para dar como entrada em uma casa só dela. Isso não é nada fácil quando se é uma artista circense no Brasil dos anos noventa, que foi criada em uma família russa. Para piorar, ela não tem nenhuma educação financeira em sua juventude e comete todos os “pecados mortais” com o pouco dinheiro que ganha. Mas tudo muda da noite para o dia, em um evento inesperado. Mal sabia ela que seu vício em videogames de RPG moldaria sua maneira de enxergar as finanças. Acompanhe as peripécias e o amadurecimento financeiro de uma menina que traçou um caminho tortuoso até se entender com as finanças. A história da garota chamada Natalia é mais uma prova da importância da educação financeira na vida das pessoas no Brasil e no mundo. Veja como uma circense nascida na União Soviética se tornou uma autora brasileira e investidora na Bolsa de Valores.

SAIBA MAIS, ACESSE: https://nsmoraes.com.br/pre-venda-do-livro-o-jogo-dos-zeros-com-frete-gratis/

Compartilhe:

sábado, 30 de abril de 2022

Entrevista com NSMoraes, autora do livro "O Jogo dos Zeros”


Naturalizada brasileira, Natalia foi circense por vinte anos da sua vida. Começou trabalhando aos cinco anos como artista mirim e passou pelos maiores circos do Brasil.

Após o fim da carreira de artista, lançou a sua primeira obra em meados de 2016 e desde então segue carreira de escritora. Hoje é conhecida pelos leitores como NSMoraes.

A autora escreve no gênero fantasia e aventura com pitadas quentes de romance e terror. 

ENTREVISTA: 

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário? 

NSMoraes: O grande estímulo para terminar de escrever a minha primeira obra foi saber que finalmente eu poderia publicá-la de forma totalmente independente. Agradeço à Amazon e sites como Clube de Autores por essa experiência. O início foi extremamente difícil. Eu era novata em tudo. Cometi muitos erros. Apesar das dificuldades, o lançamento foi divertido. As pessoas arregalavam os olhos ao saber que escrevi um livro. Ninguém esperava. 

Conexão Literatura: Você é autora do livro "O Jogo dos Zeros”. Poderia comentar? 

NSMoraes: Decidi sair um pouco da minha zona de conforto e escrevi um livro de não-ficção no estilo “relato autobiográfico”. Passei por muitos apertos pela falta de educação financeira – tanto nas escolas quanto em casa – e depois que algo muito específico aconteceu comigo (vão ter que ler para descobrir), percebi que era uma boa história para contar. E o tema coincidiu com o momento de “explosão” de investidores novos no Brasil. Tudo se encaixou perfeitamente. O livro conta com momentos emocionantes, divertidos e tensos. É para todos. 

Conexão Literatura: Como é o seu processo de criação? Quais são as suas inspirações? 

NSMoraes: Música, roteiros (filmes e séries) e personalidades. É isso...rsrsr. É um pouco complicado falar do processo todo. As inspirações se entrelaçam e criam verdadeiros mundos. Personalidades se misturam em uma alquimia maluca e de repente eu tenho alguém em mente que não me deixa dormir. No dia seguinte eu tenho que escrever sobre ele ou ela. Geralmente as minhas histórias se originam de um personagem (personalidade) e não de um lugar ou acontecimento. 

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do seu livro especialmente para os nossos leitores?  

NSMoraes: A minha avó foi uma professora do ensino fundamental, e sobrevivente da guerra. O meu avô, como quase todos os homens da época, foi um militar e um veterano. Ambos tinham muitas histórias para contar e algumas vão ficar comigo para sempre; como quando, em plena guerra, a vó e as suas irmãs reviravam os lixos de “pessoas mais afortunadas” para juntar cascas de batata. Levavam o que encontravam para casa, lavavam bem lavadinho e fritavam. Desde então, quando faço uma batata assada com casca aqui em casa, lembro-me da minha avó. Quando ela me contou isso pela primeira vez, a minha reação não foi de tristeza, horror ou compaixão. Só me lembro de ter pensado: “Que ideia genial!”. 

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deve proceder para adquirir o seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário? 

NSMoraes: O melhor lugar para me encontrar é no meu site: www.nsmoraes.com.br

O Jogo dos Zeros foi lançado pela editora Flyve e o livro físico pode ser adquirido aqui: https://flyve.com.br/product-detail/o-jogo-dos-zeros

Também é possível ler o ebook no Kindle: https://www.amazon.com.br/Jogo-dos-Zeros-NS-Moraes-ebook/dp/B09SGR4G4M

Não uso redes sociais, mas tenho perfil no Skoob: https://www.skoob.com.br/autor/21721-ns-moraes. Caso queira entrar em contato, basta enviar um e-mail pela página de contato do site. 

Conexão Literatura: Quais dicas daria para os autores em início de carreira? 

NSMoraes: Divirta-se ao escrever. Viva e avida de escritor. O livro é uma obra de arte e também um produto, nunca se esqueça disso. As dificuldades não param, mas com experiência você vai conseguir lidar com elas de uma forma mais eficaz. Nunca espere pela inspiração. Escrever é um trabalho. Lembre todos os dias o motivo que te levou a escrever e não desista. 

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta? 

NSMoraes: Vários! Contudo, antes de iniciar qualquer outra coisa, preciso terminar o terceiro livro da trilogia “Segredos de um Reino sem Nome”. Essa é a minha prioridade. 

Perguntas rápidas: 

Um livro: O Conde de Monte Cristo.

Um ator ou atriz: Mads Mikkelsen em Hannibal.

Um filme: Avatar de James Cameron.

Um hobby: Criar semi joias e costurar.

Um dia especial: O dia em que conheci o meu marido. 

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário? 

NSMoraes: Gostaria de parabenizar a revista pela iniciativa e o trabalho que fazem. Desde o cuidado e o carinho até os preços que praticam demonstra o quanto a equipe está investida em ajudar o leitor a se conectar com o autor. A responsabilidade é como a de uma casamenteira. Uma vez que o leitor se apaixona pela obra de um autor, floresce um relacionamento duradouro.

Compartilhe:

terça-feira, 26 de abril de 2022

Conheça o livro "Florescer", da autora Joyce Viana


Biografia: Joyce Viana Silveira, 30 anos, mineira de Belo Horizonte, autora, produtora e gestora de conteúdo, bacharel em Direito, pós graduada em Direito Penal, estudante de Teologia e apaixonada por Jesus Cristo.  

Sinopse do livro Florescer:  Mais do que um livro de autoajuda, esta é uma obra de autoconhecimento, onde a autora compartilha com seus leitores, seus questionamentos internos, sua maneira de reagir diante das mais variadas situações da vida, que podem levar os mais sensíveis a um esgotamento mental, quando confrontados com suas próprias inquietações. Este é um livro que trata, sobretudo, da incessante busca das pessoas por si mesmas e do quanto conhecer seus próprios limites é importante para aqueles que almejam equilíbrio e fortaleza mental. 

Trecho do livro Florescer: “O outro revela em nós tudo aquilo que queremos esconder, seja o preconceito, o racismo, as nossas incertezas, nossas fraquezas, os medos, as angústias, as nossas fortalezas, e ele nos desconstrói de uma forma súbita, de um jeito que nós mesmos não conseguiríamos sozinhos em nosso próprio mundo”. 

Você pode acessar o livro através do site da editora Letras Virtuais, Magazine Luiza e com a própria autora. 

Redes Sociais: Instagram: @joycevianas_

linkr.bio/joycevianaa

Compartilhe:

Entrevista com Juliana Ester Lunkes, autora dos livros "Sobre o caminhar” e “Espalhando poesias”


Juliana Ester Lunkes nasceu em 1979, passou seus primeiros anos em Quatro Pontes, interior do Paraná. Graduou-se em Ciências Biológicas em 2001, atuou como professora, estudou e trabalhou no campo das artes, das terapias e do yoga. É uma caminhante. Peregrinou o Caminho Francês de Santiago de Compostela em 2012, o Caminho Português de Santiago de Compostela em 2014 e segue percorrendo outros caminhos e trilhas no Brasil, na Europa e no Peru. Atualmente reside em Foz do Iguaçu, Paraná. 

ENTREVISTA: 

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário? 

Juliana Ester Lunkes: Escrevo desde menina, escrevia meio que sem perceber (porque me fazia bem) e um pouco mais crescida me dei conta: eu escrevo! Rsrsrs. Também na escola escrevia peças de teatro, na faculdade peças para teatro de fantoches sobre Educação Ambiental, quando trabalhei no departamento de cultura, escrevia textos para teatro e para outros eventos. Às vezes, me inscrevia em concursos de poesias e tenho participação publicada em 5 Antologias, resultado desses concursos. 

Conexão Literatura: Você é autora dos livros "Sobre o caminhar” e “Espalhando poesias”. Poderia comentar? 

Juliana Ester Lunkes: Sobre o Caminhar, um livro escrito em prosa poética, foi minha estreia “solo” na literatura, em 2019. Foi quando resolvi, de fato, me dedicar ao universo literário. Digo que é um livro que foi escrito pela minha alma, pois vivi cada palavra e cada trecho me remete à uma experiência de vida. Espalhando Poesias surgiu espontaneamente em 2020 e foi publicado na versão e-book em 2021. São poesias sobre a vida, sobre as emoções e sobre quem somos. Escrito em uma linguagem nova, mais leve do que a usada em Sobre o Caminhar. 

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seus livros? 

Juliana Ester Lunkes: Sobre o Caminhar foi escrito quase todo durante uma longa viagem que fiz para a Europa em 2015. Foi um período como que sabático. Só tive coragem e tempo de reunir meus escritos em 2019, quando resolvi publicá-lo. Espalhando Poesias é uma coletânea de poemas que escrevi em 2020, então posso dizer que levou um ano para ficar pronto. 

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho que você acha especial em seus livros?  

Juliana Ester Lunkes: Sobre o Caminhar: “Quando as ondas do infinito se fizerem perceber em teus ouvidos, quando a canção vier do além-mar, corre, se quiseres, mas vai descalço. O terreno que tua alma habita não é feito de matéria, é feito de energia.” 

Espalhando Poesias: “No fim, a vida é feita de histórias para contar... É feita de histórias que contam a origem das marcas e sensações que temos no corpo... De histórias que contam os desenhos que trazemos no coração... De histórias gravadas no tempo de nossa memória...” 

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir os seus livros e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário? 

Juliana Ester Lunkes: No meu instagram: julianaesterlunkes. Lá o leitor irá encontrar parte da minha história, bem com vídeos e fotos. Sobre o Caminhar está disponível para compra em versão física no site do Clube de Autores e também na Amazon; e a versão e-book disponível na Amazon. Espalhando Poesias no momento está em versão e-book também na Amazon. 

Sobre o Caminhar

https://www.amazon.com.br/Sobre-Caminhar-Juliana-Ester-Lunkes/dp/8556979440

https://clubedeautores.com.br/livro/sobre-o-caminhar 

Espalhando Poesias:

https://ler.amazon.com.br/kp/embed?asin=B0992QN5DC&preview=newtab&linkCode=kpe&ref_=cm_sw_r_kb_dp_EBZTHATPQ2454B1CH387 

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta? 

Juliana Ester Lunkes: Com certeza. Sigo escrevendo e já tenho a concepção e parte do material para o meu próximo livro. 

Perguntas rápidas: 

Um livro: A Divina Comédia

Um (a) autor (a): John O´donuhue

Um ator ou atriz: Selton Melo

Um filme: Sweet Tooth (seriado)

Um dia especial: O dia que viajei para fazer o Caminho de Santiago de Compostela. 

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário? 

Juliana Ester Lunkes: Encerro com mais um trecho de Sobre o Caminhar: “Que os ventos uivantes confortem todos os povos, que o amor se espalhe por todas as direções. Que a dor, seja sempre vista com amor, por todos. Que aquilo que não se vê, se torne visível.”

Compartilhe:

segunda-feira, 25 de abril de 2022

Entrevista com Joyce Viana, autora do livro "Florescer”


Joyce Viana Silveira
, quase 30 anos, mineira de Belo Horizonte, autora, produtora e gestora de conteúdo.

É bacharel em Direito, pós graduada em Direito Penal, nas horas vagas estuda Teologia e possui um semestre cursado de Jornalismo.

É cristã e possui uma fé inabalável, apaixonada pelos animais, por poesias, Clarice Lispector e por vinhos.

Literalmente uma camaleoa, se precisar muda de opinião quantas vezes for preciso, pois, entende que amadurecer é florescer sem perder suas raízes.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Joyce Viana: Desde criança, fiz da escrita minha melhor amiga e nunca mais parei.

Sempre escrevia cartinhas para os namorados das minhas amigas como se fossem elas, por saber escrever poesias e textos mais bonitos. 

Na faculdade de Direito, participei de uma coletânea de poesias com outra autora mas infelizmente não vingou por dar prioridade para a faculdade.

Depois disso, comecei a ser chamada para escrever para sites jurídicos e eu amava conciliar o Direito e a Escrita. Hoje entendo que juntos formamos um time de peso!

Mas, foi só ao término da faculdade e inicio de 2020 que finalmente comecei no meio literário com o meu primeiro livro publicado.

Conexão Literatura: Você é autora do livro "Florescer”. Poderia comentar? 

Joyce Viana: O livro Florescer nasceu para mim no inicio de 2020 em meio a crise mundial e ao novo vírus. Ele é meu primeiro livro e por isso também é o mais especial.

No meio de um isolamento assustador, eu, juntamente com outra autora tivemos a ideia de escrevermos um livro juntas falando sobre a saúde mental impactada pelo isolamento, porém, entendemos mais a frente que nosso projeto precisaria se dividir em dois e cada uma seguiu o seu caminho.

Neste processo, entendi que eu precisava falar sobre saúde mental, comportamento humano e fé e que essa seria a minha linha, mas nunca parei para escrever o livro. Ele veio como um presente de Deus nos meus sonhos. Sempre acordava de madrugada e tinha todas as mensagens do livro prontas em minha mente apenas para passar para o papel.

Florescer é mais que um livro de autoajuda, é um livro de autoconhecimento, isso pois, nele eu não busco ajudar alguém a sair de um momento de angústia, mas, a entender a razão pela sua angústia. Ele veio para mim como uma resposta de Deus para aliviar sentimentos guardados que tinha há anos e, talvez, para responder perguntas de pessoas que eu nem mesma conheço.

E através dele, quero que as pessoas se divirtam; chorem; sintam saudades; se apaixonem; deem gargalhadas; busco uma conexão profunda, de almas e que juntos possamos chegar a algum lugar.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro? 

Joyce Viana: Como eu disse anteriormente, o isolamento social me forçou a escrever sobre o comportamento das pessoas e o impacto na saúde mental delas. Minhas pesquisas foram basicamente pautadas em conversas com familiares, amigos e pessoas conhecidas e em como eles foram impactados pelo isolamento.

Além de claro, assistir noticiários e ler bastante sobre o assunto e ver o quanto o número de suicídios aumentou nesta época, além de divórcios e mulheres que eram agredidas pelos companheiros.

Neste período, passei a me questionar se o ser humano deixou de ser humano ou ele passou a ser verdadeiramente humano a partir de agora.

Entre tantos questionamentos, me vi escrevendo sobre todos eles para não surtar literalmente e também nunca me dei muito bem com especialistas em saúde mental pois não gosto muito de falar, prefiro escrever.

Percebi que era o caminho para mostrar ao mundo o que eu sentia e também de alguma forma impactar a vida dessas pessoas.

Neste processo de idas e vindas da escrita, demorei em média 1 ano e meio para deixar o livro pronto para publicação. 

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho que você acha especial em seu livro?

Joyce Viana: “Se as borboletas fossem como nós, se sentiriam incapazes de ser quem nasceram para ser e morreriam sendo lagartas”. 

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir o seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário? 

Joyce Viana: Pode acessar minhas redes sociais. Por lá, eu faço postagens diárias sobre o livro além do meu trabalho. O livro está disponível comigo, com a editora Letras Virtuais e também em sites como Magazine Luiza.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta? 

Joyce Viana: Sim. Na verdade, existem alguns. Mas, por ora, estou em um projeto solo de um livro de poesias.

Perguntas rápidas:

Um livro: Bíblia Sagrada

Um (a) autor (a): Clarice Lispector

Um ator ou atriz: Meryl Streep

Um filme: O diabo veste prada

Um dia especial: Dia do meu batismo na Igreja.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário? 

Joyce Viana: Quero agradecer a oportunidade de mostrar o meu trabalho, pois, acredito ser importante dar cada vez mais espaço para a literatura no Brasil!

Hoje, digo que vivo o meu propósito de vida, vivo pela arte da escrita e me sinto abençoada por isso! Mas, abençoados seriam todos aqueles que pudessem viver pelo que acreditam e assim fazer a diferença no mundo em que vivemos!

Compartilhe:

sábado, 9 de abril de 2022

Livro "Azul Índigo", de R. C. Nugem


O que Azul Índigo tem de tão especial? É ao mesmo tempo uma narrativa e um romance, uma saga que aborda a relevância do incomum, do não visível, do natural e do sobrenatural que não é especificamente uma coisa ou outra, são ambas. É uma literatura complexa mas não complicada, dentro de uma visão holística de saberes e de experiências que são tratados de forma transversal, permitindo inúmeras reflexões. Como possui uma visão global, os acontecimentos se dão de forma espiral, em ciclos, retomando e avançando na história. Ele narra a construção de um novo mundo, uma Nova Terra. Esse novo mundo é uma realidade ficcional que se expande para além do planeta. Ele mostra todo o processo de construção dessa nova realidade. Talvez seja um mundo impossível, mas sem dúvida ele é um mundo desejado por todos. 

Azul Índigo acontece no ano de 2073, quando a Terra, em seu movimento natural pelo universo (expansão da galáxia), entrou na quinta dimensão. Esse fato desencadeou uma mudança radical, permitindo a humanidade de desenvolver a terceira visão. Nesse momento, todas as pessoas sem exceção, enxergaram os espíritos daqueles que já morreram mas, que por algum motivo, ainda estão presentes. Então, eles se dão conta de que a morte não existe e, que o mundo espiritual sempre esteve presente, só não era possível interagir com ele. A Zona Sombria, local onde dominam os espíritos maléficos e ignorado por todos, começa a expandir os seus domínios. Então, os mestres dos raios de luz, que vigiam a humanidade desde o início dos tempos, se apresentam em suas naves, para organizar e iniciar a Nova Terra. Só que nem todas as pessoas poderão continuar as suas vidas no planeta, pois é chegado o momento de separar o joio do trigo. Nesse cenário cosmopolita, oito personagens iniciam as suas novas vidas, socorrendo os espíritos perdidos e escravizados na Zona Sombria. 

É o livro que dá início à Saga de mesmo nome, Azul Índigo, e a sua sinopse é mostrada a seguir.

A Terra adentrou o espaço da quinta dimensão no seu curso natural pelo universo, modificando a realidade. A população desenvolveu a terceira visão e começou a enxergar e a interagir com o mundo espiritual. Os que eram considerados mortos ou voltaram para as suas famílias ou, vieram realizar a sua vingança. A Zona Sombria, local até então ignorado pela humanidade, é controlado pelos espíritos malignos, que querem estender os seus domínios. O apocalipse é anunciado e no meio ao caos, as naves espaciais dos mestres dos Raios de Luz, que vigiavam a Terra há milênios, se fazem visíveis. Eles vêm ao mundo preparar a Nova Terra, assumindo o comando do planeta. Eles vieram retirar os véus que cobriam os olhos da humanidade em nome da verdadeira liberdade, acabando com as crenças limitantes e libertar o homem de seu karma. Eles são os instrumentos da alquimia universal, dissolvendo todos os condicionamentos mentais e emocionais, para a ampliação da consciência espiritual cósmica baseada nos valores do bem. No entanto, nem todos terão permissão para habitar a Nova Terra, pois é chegado o momento de separar o joio do trigo e muitas pessoas serão exiladas para outros planetas. Enquanto isso, oito personagens agem em suas novas vidas cotidianas em um cenário cosmopolita, adaptando-se à nova realidade e desenvolvendo novas habilidades, de acordo com o desejo do criador do universo.

Para ler o livro é só procurá-lo nos e-books na Amazon (formato de leitura kindle, tablet e celular), no Hotmart e no Google Livros. Os livros impressos em língua portuguesa estão disponíveis em Portugal, Estados Unidos, Canadá, França, Reino Unido, Itália, Holanda, Bélgica, Japão, etc. Em breve estarão disponíveis em francês e em inglês. Para contatar a autora e saber mais a respeito da saga, é só acessar os links abaixo:

Facebook - https://www.facebook.com/R.C.NugemWriter

Amazon - https://www.amazon.com/R.-C.-Nugem/e/B09WYDP3XW

Instagram - https://www.instagram.com/r.nugem/

Hotmart - https://hotmart.com/product/azul-indigo/Y69302709P

E-mail: indigobleu107@gmail.com

Wattpad - https://www.wattpad.com/myworks/306644411-azul-indigo (dois capítulos para leitura livre).

Compartilhe:

sexta-feira, 8 de abril de 2022

Entrevista com R. C. Nugem, autora do livro "Azul Índigo”


Doutora e Professora em administração, saúde pública e epidemiologia. Natural de Canoas, no Rio Grande do Sul, morando na França desde 2018. Sempre amou escrever e já ganhou vários concursos de poesia e contos quando estava na escola. Até o momento, só havia publicado artigos e livros científicos sobre as pesquisas acadêmicas realizadas. A vida leva a outros rumos e o sonho de se tornar escritora só começou a se tornar realidade em 2021, com o esboço do já imaginado “Azul Índigo”, na gaveta desde 2016, que ganhou finalmente corpo e força, sendo publicado de maneira independente em 2022. Para ela, ser escritora de ficção-fantasia é, de alguma forma, fazer os outros sonharem ou, despertarem...

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

R. C. Nugem: Desde a época da escola eu tinha facilidade em escrever e uma imaginação criativa. As professoras sempre me elogiavam muito e, sempre que havia um concurso na escola, eu participava e ganhava. Uma professora até me incentivou a me tornar escritora, mas meu pai não me permitiu porque ele me dizia que não se pode viver de livros. Então, eu busquei outra profissão, mas sempre escrevi, tenho vários artigos e capítulos de livros publicados. O meu currículo lattes tem um bom tamanho. 

Conexão Literatura: Você é autora do livro "Azul Índigo”. Poderia comentar? 

R. C. Nugem: Na verdade a ideia me veio na mente em 2016, restando na gaveta da minha mente, até finalmente consegui passá-la ao papel. E não vou parar nele, esse é o primeiro da série que levará o mesmo nome – Azul Índigo, pois, ele finaliza prometendo uma continuação.  Creio que é o livro mais cosmopolita de todos os tempos, os personagens principais são diferentes uns dos outros. É necessário ter uma mente bem aberta a novos cenários e situações, porque Azul Índigo veio para abalar a Terra.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro? 

R. C. Nugem: Eu pesquisei muitas coisas diferentes que fazem parte do universo do livro antes de escrevê-lo, precisei estudar as dimensões, um pouco de física quântica, mas não me limitei ao que é conhecido, eu quis ir além e deixei a minha imaginação guiar as dimensões e as situações abordadas no livro. Eu escrevi o Azul Índigo em seis meses, trabalhando muitas horas nele, diariamente. Aproveitei que a pandemia nos deixou mais livres para iniciarmos outras atividades, então, eu creio que ele não se parece com nenhum outro livro do mesmo gênero.

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho que você acha especial em seu livro?  

R. C. Nugem: Eu separei alguns trechos, porque no livro o tempo não é síncrono, então inicia-se no presente, mas volta-se ao passado para que se possa entender o porquê dos acontecimentos no presente. Azul Índigo: “É difícil entender o início de toda essa transformação. Poderia ser a confirmação de várias profecias conhecidas de vários povos, desde a antiguidade. Algumas pessoas dizem que é o Juízo Final, ainda arraigadas em suas crenças, outras dizem que demorou muito tempo para se compreender o que era tão simples – o invisível está presente, assim como o vento, que não se pode ver, no entanto se pode sentir. O excesso de confiança no mundo material e a falta de contato com o mundo espiritual, levou a humanidade a criar um vazio em seus corações, o qual se tentava preencher com os bens materiais, mas esse vazio não se preenchia nunca. 

..............................................................................................................................................

O cenário na face da Terra desde então, era o deserto quase absoluto. Um imenso vazio nas cidades e os poucos que permaneceram em suas casas, circulavam como zumbis pelas ruas a procura de alimentos. Entravam em grandes supermercados e carregavam os seus carros com tudo o que podiam transportar. Alguns, mais ousados, pegaram veículos de maior porte ou mais caros nas concessionárias vazias, as quais mais pareciam um depósito de carros que não serviriam a mais ninguém. 

..............................................................................................................................................

Nesse novo ciclo não somente as formas humanas habitarão a Nova Terra, mas outros seres possuindo outros corpos, vindos de outros pontos do Universo partilharão do mesmo espaço. O conhecimento que esses seres possuem fará a Nova Terra avançar tecnologicamente e eticamente. O casamento entre esses seres dará origem a outros seres, pelo cruzamento dos genomas, assim multiplicando a diversidade universal. Esse é o desejo do criador, diversificar e unir as almas, em uma vibração de amor, paz e respeito mútuos. Uma vez que a Nova Terra será criada, não haverá espaço para o mal dentro dela. Aos que ainda precisavam expiar pelos seus erros, será dada uma nova oportunidade de viver em um outro planeta.

..............................................................................................................................................

Em seu sono o seu espírito se liberta de seu corpo e vai ao encontro desse chamado, enquanto o seu corpo descansa na Atlantis. Com a liberdade de se deslocar no espaço-tempo sem barreiras, rapidamente ela se vê ao pé de uma montanha. Nesse momento o seu espírito capta com força o chamado recebido e ela encontra a flor azul. Ela sabe que tem alguém precisando de sua ajuda e que ela não pode negar isso a ninguém. Ao tocar a flor, ela sente uma energia forte e perturbada invadir o seu espírito. Memórias que não são suas começam a desfilar em sua mente. Por um momento ela consegue enxergar Dak-Ho na sua frente. No mesmo instante, Dak-Ho que estava concentrado em sua meditação diária procurando pelas energias diferentes presentes na Zona Sombria, sentiu a presença de Índigo.

..............................................................................................................................................

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir o seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário? 

R. C. Nugem: No Brasil, ele está disponível na Amazon em forma de e-book. Em outros países ele está disponível em versão impressa e e-book, somente em português. Até o final de abril a versão em francês será publicada e, até o final de maio a versão em inglês. Quem quiser me contatar é só me procurar nas redes sociais, como Facebook e Instagram. O início do livro está disponível no Wattpad também, para aqueles que estão curiosos. Na Amazon é só procurar por Azul Índigo ou por R. C. Nugem. 

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?  

R. C. Nugem: Sim, como eu já havia dito, o Azul Índigo não finalizou a história toda, ele terá a continuação e, até o final desse ano pretendo lançar o Vermelho Rubi, que está em esboço nesse momento. No entanto, a série se chamará Azul Índigo, pois é uma saga. Além da continuação, eu quero traduzi-lo para o japonês, coreano e chinês até o final desse ano, além das outras traduções já citadas.

Perguntas rápidas:

Um livro: O Sol é para Todos (Harper Lee)

Um (a) autor (a): Victor Hugo

Um ator ou atriz: Nia Vardalos

Um filme: Meu Casamento Grego

Um dia especial: Todos são especiais, estou sempre aprendendo.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário? 

R. C. Nugem: Agradeço a oportunidade e estou disponível para conversar com os meus leitores.

Compartilhe:

quarta-feira, 6 de abril de 2022

ENTREVISTA COM ESCRITOR: Greici Ferrari e o livro Simplesmente rara, por Cida Simka e Sérgio Simka


Fale-nos sobre você.

Nasci no ano de 1983 em Ibirubá/RS, cresci em Erechim/RS e desde 2010 resido em Bento Gonçalves/RS, onde atuo como pedagoga no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS). Sou graduada em Pedagogia, especialista em Orientação Educacional e Supervisão Escolar, mestre em Educação, uma das idealizadoras da Associação 9 p Brasil (em processo de constituição) e mãe da Manuela. Em meus diferentes papéis insisto em ser inteira: e é assim que estabeleci minha relação com a escrita. Simplesmente Rara é minha primeira obra, almejo que os leitores se identifiquem e que a vida siga inspirando a novas escritas.

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre o livro. O que motivou a escrevê-lo?

Passamos por um processo de diagnóstico tenso que durou um ano, nesse período eu buscava encontrar respostas em pesquisas e publicações do que poderia estar acometendo minha filha, paralelo a isso registrava nossa história.

Após o diagnóstico da síndrome 9p ¬¬- alteração genética no cromossomo 9, no caso de minha filha uma supressão de parte superior do cromossomo, que ocasiona atraso global de desenvolvimento - optei por criar um blog e contribuir com famílias que passavam por situações semelhantes.

O blog cumpriu seu papel, encontrei um grupo de famílias que foi crescendo também a partir do blog. Nos constituímos como uma verdadeira rede de apoio e hoje estamos nos constituindo como Associação 9p Brasil. Contudo, passamos por situações de preconceito, em nosso caso a síndrome não é visível, logo questionada. A própria demora na aquisição de linguagem foi tachada como preguiça. Como pedagoga conhecia o desenvolvimento infantil, já escrevia e ao ler “Quarto de Despejo” de Carolina Maria de Jesus, cheguei à conclusão de que precisava apresentar nossa história para o mundo. 

Por mais que a leitura ainda não seja um hábito unânime, eu acredito no poder dos livros. Antes mesmo de começar a estruturar Simplesmente Rara tinha claro o desejo que chegasse a muitos. Afinal, empatia, amor incondicional e respeito são temáticas que perpassam a escrita e para que a inclusão ocorra de fato poderia ser interessante a sociedade conhecer os desafios e alegrias da convivência com uma criança atípica.

Papai é Pop, de Marcos Piangers foi o livro que inspirou a transformar meus textos em crônicas. O tema era denso, a leitura precisaria ser leve e fluida. Foi assim, unindo uma temática social, desafios, progressos e até mesmo uma pitada de humor, que nasceu Simplesmente Rara. Livro para emocionar e tocar para práticas inclusivas.

Se tiver outros livros, fale-nos sobre eles.

Durante o processo de publicação de Simplesmente Rara percebi que a escrita estava se tornando cada vez mais necessária. Tive insônias, descobri que escrevia poesias, uma delas foi aprovada em uma antologia da Editora Expressividade, ainda sem data veiculada para publicação. Também tenho uma crônica na coletânea “Com a palavra, a mulher” - Bellelê Projetos Literários - lançamento no dia 08 de março de 2022. Pretendo publicar novas obras, já que literalmente me encontrei na escrita.

Como analisa a questão da leitura no país?

Sabemos que o Brasil é um país imenso, desigual e que pouco investe em políticas públicas para incentivo à leitura. Logo, boa parte da população não tem acesso. O estímulo à leitura precisa acontecer desde a infância, escolas e famílias, têm papel fundamental na construção de uma sociedade leitora. Se ainda temos escolas sem bibliotecas e pais analfabetos, ou que dizem abertamente aos filhos: “não tenho tempo para ler com você”, estamos mesmo falhando. Além de observarmos o contexto macro, acredito que precisamos dirigir o olhar para nossas práticas. Como mãe leio com minha filha, possibilito que do jeito dela ela também conte histórias, mesmo sem saber ler, envolvida nesse ambiente vem me provocando para que escrevamos um livro juntas. Nossa prática pode parecer insignificante. Todavia, acredito que se cada pai e se cada mãe tivesse condições para contar histórias a seus filhos, o hábito da leitura poderia se consolidar e consequentemente o país passaria a outro patamar.  

O que tem lido ultimamente?

Este ano estou me desafiando a ler autores contemporâneos, que assim como eu estão iniciando na escrita, e clássicos, que são leituras que me prendem. No momento estou lendo “A hora da estrela” - Clarice Lispector. Minha organização literária também é aberta ao meu momento, já senti que precisava de um abraço e optei pelo porto seguro de uma releitura. A leitura tem papel fundamental em minha construção como gente e escritora.

Link para o livro: https://besourobox.com.br/simplesmente-rara-880


CIDA SIMKA

É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019), O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020), Horror na biblioteca (Editora Verlidelas, 2021) e O quarto número 2 (Editora Uirapuru, 2021). Organizadora dos livros Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020), Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020), O medo que nos envolve (Editora Verlidelas, 2021) e Queimem as bruxas: contos sobre intolerância (Editora Verlidelas, 2021). Colunista da revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA

É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela editora Uirapuru. Colunista da revista Conexão Literatura. Seu mais recente trabalho acadêmico se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020) e seu mais novo livro juvenil se denomina O quarto número 2 (Editora Uirapuru, 2021).

Compartilhe:

terça-feira, 5 de abril de 2022

Entrevista com Negar Emrani, Poeta Iraniana e Autora da Obra “Algum Lugar Entre O Mundo e o Espelho” (Paradise Ocean Books)


Biografia da autora

Negar Emrani, nasceu em Mashhad, Irã, formou-se em Biotecnologia. Após anos de carreira na ciência, devido à crise econômica no Irã, ela encontrou a oportunidade de se especializar em Literatura e na Arte da poesia, que eram seus interesses pessoais há anos. Algumas de suas obras na forma de poesia contemporânea foram publicadas em jornais não-iranianos, como "Asymptote Journal Tinge Magazine" "Tinderbox", "The Literati Quarterly". Suas canções e letras também foram publicadas em coleções como "Khorasaneh" (o livro de letras da província de Khorasan), às vezes com música ou apenas por escrito. 

Sinopse e link do livro

Usando uma mistura da linguagem direta com a linguagem emocional subentendida, Negar Emrani traz, em Algum Lugar Entre o Mundo e o Espelho, diversos aspectos que permeiam não apenas vivências pessoais, mas aquelas que, de certa forma, mesmo sendo privadas, são os revérberos de toda uma sociedade. Neste conjunto de poemas veremos o destrinchar dos mais profundos e – às vezes – controversos sentimentos da consciência humana perante seu ambiente e suas contrariedades, que ora fazem com que o leitor se identifique, ora fazem com que se aprofunde numa cadeia de misteriosas conotações sobre a solidão, a luta, a guerra, a força feminina, a sombra familiar e os reflexos da mente e, principalmente, do coração. Afinal, seriam esses reflexos emocionais, muitas vezes invisíveis para uns, e até mesmo abstratos demais para serem transformados em palavras concretas, mas tratados de forma rica e singela pela autora, justamente o que há entre o mundo e o espelho? 

Conexão literatura: Você poderia contar aos nossos leitores sobre seu início no mundo literário?

Negar Emrani: Desde criança me interesso por Literatura, mas por causa do meu campo de estudo - que é Biotecnologia e Ciências Naturais - não tive tempo para me dedicar a isso. Então, a primeira chance apareceu quando me formei no mestrado em 2012 e decidi parar os estudos de doutorado porque eu não via um futuro brilhante para isso no Irã. Naquela época, eu me deparava com muito tempo livre e um vasto mundo à minha frente. Lembro que comecei a escrever em grupos de poesia no Facebook. A primeira vez que minhas palavras foram vistas, foi em uma página do Facebook chamada “Poetas Sem Fronteiras”. Este foi um marco em minha vida. Depois disso, comecei a ler mais, estudar e receber cada vez mais opiniões de críticos profissionais, tanto na Internet quanto em encontros regulares semanais e mensais de poetas. Demorou cerca de dois anos até que minha primeira poesia fosse publicada nas páginas de um jornal de arte. Enquanto isso, minhas letras de música receberam mais atenção, sendo que algumas foram usadas por músicos. Mas tudo isso foi apenas no Irã. A primeira vez que um dos meus poemas foi publicado fora do Irã foi quando conheci o Sr. Seyed Morteza Hamidzadeh em 2016 e o ​​Sr. Kaveh Akbar em 2017. Desde então, graças a Deus, meu trabalho foi lido em todo o mundo. 

Conexão literatura: Você é autora de um livro de poesias em Língua Portuguesa, poderia comentar?

Negar Emrani: Puxa, ainda é inacreditável. Quer dizer, é uma necessidade fundamental para qualquer ser humano ser ouvido e visto por outros indivíduos. Eu nunca poderia ter sonhado com isso, ser lida em outros idiomas que não o farsi e o inglês, ser lida por mais pessoas ao redor deste nosso lindo mundo. Agora, eu sei que há mais pessoas neste universo com quem eu tive a chance de falar, é claro, não diretamente, mas mesmo desta maneira significa muito para mim e eu gostaria de poder ler ou ouvir comentários de pessoas que me leram, seja em inglês ou português. Essa chance maravilhosa que tive me fez sentir menos solitária. 

Conexão literatura: Como foi o processo de escrita do trabalho e quanto tempo levou para concluir seu livro? 

Negar Emrani: Ah... As poesias que estão publicadas no livro “Algum Lugar Entre o Mundo e o Espelho” não estão realmente relacionadas entre si. Eles são o resultado de todos e quaisquer eventos que aconteceram comigo na vida real, em todos esses anos, de 2012 até 2018. Por isso são tão pessoais, românticas principalmente. Cada uma delas foi escrita devido às minhas experiências pessoais na vida. 

Conexão literatura: Você poderia destacar um trecho que você considera especial em seu livro?

Negar Emrani: Isso é como pedir a alguém para escolher um filho favorito entre seus filhos. Eu realmente não posso fazer isso porque eu tenho sentimentos por todos eles, já que todos eles nasceram com verdadeiros sentimentos palpáveis ​​na minha vida real. Então, me perdoe, mas, não, eu não posso. 

Conexão literatura: Como o leitor interessado deve proceder para adquirir seu livro e conhecer um pouco mais sobre você e sua obra literária?

Negar Emrani: Bom, o livro está publicado em português e pode ser encontrado na Amazon em Língua Portuguesa. Além disso, tenho um perfil no Skoobs e Goodreads. Então, acredito que qualquer pessoa que queira conhecer meu trabalho pode me seguir lá. E, claro, sempre há o Instragram e ficarei feliz em entrar em contato pessoalmente com os leitores (Dedos cruzados, pois o governo do Irã está muito ansioso para restringir a Internet). 

Conexão literatura: Há novos projetos na agenda?

Negar Emrani: Ultimamente não tenho conseguido escrever muito, embora tenha lido mais, principalmente navegando nos campos da psicologia e da filosofia. Mas acredito que algumas poesias minhas serão publicadas em uma antologia e estou trabalhando em um novo livro. Tudo depende da gentileza do meu querido editor em publicá-las ou não. 

Perguntas rápidas:

Um livro: “Sin: Selected Poems of Forugh Farrokhzad”, traduzido e editado por Sholeh Wolpé, 2007.

Um autor: Arthur Schopenhauer

Um ator ou atriz: É muito difícil escolher um. Há muitos. Daniell Day-Lewis, Nicole Kidman, Anthony Hopkins, Denzel Washington, Meryl Streep ...

Filme: O Paciente Inglês

Um dia especial: O dia em que pudemos construir e abrir uma escola para meninas com problemas de visão em Mashhad, Irã, em nome do meu falecido pai. Observar os alunos e sua paixão foi a coisa mais alegre que me aconteceu desde então. 

Conexão literatura: Quer encerrar com mais comentários ou mensagens aos leitores?

Negar Emrani: Agradeço essa chance que a revista me concedeu. A vida é cheia de surpresas, sejam alegres ou dolorosas, todas elas têm lições para mostrar a todos nós. Não quero parecer uma pregadora. Só quero dizer o quanto sou grata por ter tido a chance de experimentar as maiores surpresas da vida e, ultimamente, tenho conseguido abraçar todas elas. Desejo o mesmo para todos, ver além de cada experiência e descobrir o verdadeiro sentido da vida. Os sonhos podem se tornar realidade mesmo que você ainda os tenha apenas sonhado.

PARA SABER MAIS OU ADQUIRIR O LIVRO: CLIQUE AQUI.

Compartilhe:

sábado, 2 de abril de 2022

Conexão real entre pais e filhos


Uma história sobre economia do cuidado e paternidade ativa

A paternidade ativa são as ações, o cuidado físico e emocional que se dá ao filho. É a maneira única de olhar, de falar e de cuidar da criança. Esse envolvimento traz como possibilidade uma melhor qualidade de vida e a criação de vínculos afetivos mais fortes e saudáveis para todos.

Trazer alguém ao mundo e criar não é uma tarefa fácil, nem para pais e nem para mães. A complexa relação entre pais e filhos, desde as situações mais cômicas às mais dramáticas, é temática do livro “O pai de Carlinhos”, publicado pela editora Literare Books International, escrito por Cynara Monteiro Mariano. A obra retrata a vida de um menino, Carlinhos, de nove anos que, como todo garoto de sua idade, gosta de se divertir, e se considera uma criança quase completa, quase feliz.  

Em sua vida, existe amor e cuidado da família, a presença da mãe é constante, mas o pai vive atarefado e sem tempo para brincar. Em dado momento, o pai passa por uma grande mudança profissional, tendo que se reinventar, após perder o emprego. Ele começa a passar os dias em casa e, aos poucos, se envolve mais com o filho, mudando toda a relação entre os dois. Ao ficar mais próximo do menino, entende a importância da convivência com o filho e a família passa a ser mais unida.

A autora da obra é casada e mãe dos gêmeos Hector e Iorrana, de nove anos, que lhe propiciaram o resgate da ludicidade e da magia da infância, inspirando-a a lançar uma coleção de livros de literatura infantil, adequada ao ensino fundamental, com a finalidade de abordar temas relevantes, atuais e sensíveis para o contexto da educação das crianças e seu relacionamento com as famílias e em outros ambientes, para promover uma difusão lúdica, porém não negligente, dos conhecimentos acumulados como mãe, mulher, educadora e professora universitária, que se dedica a uma visão de educação a se popularizar para a emancipação democrática e plural de mentalidades.

Com ilustração de Santuzza Andrade, a obra conta uma história linda sobre a relação entre pais e filhos e, principalmente, amor.

SOBRE A AUTORA

Cynara Monteiro Mariano – Natural de Fortaleza, Ceará. Advogada e professora da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC), doutora em Direito pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR), com estágio Pós-Doutoral pela Universidade de Coimbra (Portugal) e mestre em Direito pela UFC. Ex-Membro do Conselho Universitário da UFC, no qual representou a extensão universitária. Vice-Presidente do Instituto Latino-Americano de Estudos sobre Direito, Política e Democracia – ILAEDPD, membro do Instituto Cearense dos Advogados, ex-presidente da Fundação Superior de Advocacia do Ceará – FESAC e da Comissão de Estudos Constitucionais da OAB-CE. Ex consultora da CAPES e integrante do Grupo Assessor Especial da Diretoria de Relações Internacionais (GAE/DRI/CAPES). Parecerista de revistas e periódicos científicos na área jurídica e autora de vários livros já publicados na área.

Ficha técnica

O pai de Carlinhos
Autora: Cynara Monteiro Mariano
Editora: Literare Books International – 1ª edição – 32 páginas – 2022
Formato: 20 x 25 cm
Categoria: Literatura Infantojuvenil
ISBN do físico: 9786559222711
ISBN digital: 9786559222728
Loja Literare Books: https://bit.ly/loja-pai-de-carlinhos
E-book: https://amzn.to/3sMFWG4
Instagram: @literarebooks
À venda nas principais livrarias físicas e plataformas digitais

Crédito da foto da autora Cynara Monteiro Mariano: Literare Books International


Compartilhe:

quarta-feira, 30 de março de 2022

Entrevista com Juliana K. Tavares, autora do livro "Não me abandone!”


Juliana K. Tavares nasceu em Chapecó-SC, e formou-se em Publicidade e Propaganda pela Univali. Ela mora no litoral catarinense, onde trabalha com Marketing e Terapia Holística.

A autora escreve histórias desde 2003, começou escrevendo fanfics de animes. Depois em 2019, ela sentiu que era a hora de dar outro passo na sua vida literária e decidiu escrever a sua primeira história autoral que foi publicada na Amazon em formato ebook.

Juliana escreveu as histórias: Amor além das estrelas!, Não me abandone!, Contos Sobrenaturais!, Miss Galáxia e A Escolha do Guardião. Suas obras podem ser encontradas tanto no formato físico como digital, nas plataformas Amazon, UICLAP e Inkspired.    

ENTREVISTA: 

Revista Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Juliana K. Tavares: Então... eu comecei em 2001 a me interessar por animes e mangás, e de alguma forma isso desencadeou em mim uma grande vontade de escrever histórias, iniciei minha carreira literária escrevendo fanfics. Após isso, eu levei alguns anos até ter coragem para publicar a minha primeira história autoral, tanto que inicialmente eu assinava as minhas obras com o pseudônimo de Megan W. Logan, daí mais tarde resolvi usar o meu próprio nome. 

Revista Conexão Literatura: Você é autora do livro "Não me abandone!”. Poderia comentar? 

Juliana K. Tavares: Este é o meu segundo livro publicado de maneira independente. A história é a respeito de Jason e Lori, um casal que tem a vida virada de pernas para ao ar, após uma revelação de um segredo, que coloca em risco o casamento aparentemente feliz deles. E Jason faz de tudo para conseguir o perdão de Lori, no entanto, não será tão fácil. Esse livro está sendo vendido na Amazon em versão ebook e na UICLAP em formato físico. 

Revista Conexão Literatura: Como é o seu processo de criação? Quais são as suas inspirações? 

Juliana K. Tavares: Meu processo de criação é simples, surge de uma maneira natural, tudo me inspira, ás vezes são filmes, animes, seriados, livros, como também a vida cotidiana, o nosso dia a dia. Sempre quando me vem uma ideia, eu anoto e guardo para mais tarde trabalhar nela. Procuro me informar a respeito dos assuntos a qual escrevo, faço pesquisas para não cometer erros. 

Revista Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do seu livro especialmente para os nossos leitores?  

Juliana K. Tavares: “Emma, ao perceber a intenção de Jack, ficou muito preocupada, pois a coisa estava começando a ferver para ambos os lados. Tom somente observou tudo de forma neutra, porém, ao ver que seu rival apanharia ao vivo e a cores da esposa ali na frente de todos, deu um sorriso de canto involuntário.

— Qual é a graça, Tom? — inquiriu a empresária, revoltada ao notar o sorriso na face do esposo.

— O Jason vai apanhar da escandalosa e eu vou assistir de camarote, isso vai ser muito engraçado! A propósito, vou buscar a pipoca, já volto — declarou antes de realmente caminhar até a cozinha.

— Era só o que me faltava, que situação mais constrangedora!

Infelizmente a intuição de Emma estava alertando-a que algo de ruim aconteceria ali, provavelmente um potencial escândalo, mas por sorte a imprensa foi barrada no portão principal. Para aquela festa foram convidados apenas os amigos mais chegados, que não sairiam espalhando segredos por aí caso houvesse algum tipo de tumulto. No entanto, ela odiava não poder controlar aquela situação, que fugia totalmente de suas mãos, só esperava que nada de muito grave acontecesse.” 

Revista Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir o seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário? 

Juliana K. Tavares: Para saber mais sobre mim e adquirir meus livros em versão ebook e físico o leitor pode acessar os seguintes sites: 

Meu Blog - https://escritorajulianaktavares.blogspot.com

UICLAP - https://uiclap.bio/Juliana_K_Tavares 

Amazon - https://is.gd/ebooks_amazon_juliana 

Inkspired - https://getinkspired.com/en/u/juliana-k--tavares 

Instagram - https://www.instagram.com/juliana.k.tavares/ 

Revista Conexão Literatura: Quais dicas daria para os autores em início de carreira? 

Juliana K. Tavares: Acredite sempre no seu potencial, nunca desista no primeiro obstáculo do caminho, por mais difícil que ele seja. Tente respeitar o seu tempo, um dia você chega lá, mesmo que demore um pouco, nunca desanime. Procure ler de tudo, desde romance, ficção cientifica, terror, mangás e quadrinhos, pois às vezes aquela história diferente pode te ajudar a abrir novos horizontes criativos. Assista também seriados, documentários, desenhos, animes, doramas, seja eclético, porque isso vai te ajudar na hora da criação de uma nova história. E o mais importante, não se desestimule por conta das críticas, tire delas o combustível para ser cada vez melhor no que você faz. 

Revista Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta? 

Juliana K. Tavares: Sim, existe sim! Inclusive, eu tenho um novo livro que foi disponibilizado recentemente em duas plataformas, em formato físico e digital. A obra se chama: Miss Galáxia, a história é uma mistura de romance, fantasia e ficção científica. 

Perguntas rápidas: 

Um livro: A companheira de viagem – Fernando Sabino

Um ator ou atriz: Orlando Bloom

Um filme: O Senhor dos Anéis – (A trilogia).

Um hobby: Assistir doramas.

Um dia especial: Todos são especiais. 

Revista Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário? 

Juliana K. Tavares: Seja perseverante, tenha fé e não desista de seu sonho, por mais que a caminhada esteja difícil. Acredite em você!

Compartilhe:

terça-feira, 22 de março de 2022

Por que às vezes é tão difícil crer?

 Jackie Hill-Perry responde à pergunta no lançamento "Santo, santo, santo: como a santidade de Deus nos leva a confiar nele"

Ainda pouco conhecida no Brasil, Jackie Hill-Perry é autora best-seller e voz aplaudida nos EUA, especialmente em tópicos como relacionamento, teologia, espiritualidade, estilo de vida e questão racial. Palestrante requisitada, sua audiência nas mídias sociais atinge mais de 600 mil pessoas toda semana.  

Seu primeiro livro Garota gay, bom Deus: A história de quem eu era e de quem Deus sempre foi (Editora Fiel) ganhou o prêmio na categoria “Melhor Novo Autor de 2018”, pela The Gospel Coalition. Em Santo, santo, santo, lançamento da Editora Mundo Cristão, Jackie conduz o leitor a refletir acerca de quem Deus realmente é.

A partir de seu estilo de escrita cativante, que alia ensino bíblico e um texto próximo de quem o lê, a autora mostra que Deus não é como nós. Ele é diferente. Ele é santo. E é exatamente isso que o torna confiável. Para Jackie, a santidade divina é essencial para a natureza de Deus e fundamental para o ser de Deus. É sua santidade que o torna bom, amoroso, terno e fiel. Em sua santidade, Deus

é belo e eternamente atraente. A dificuldade que muitos têm de crer em Deus reside no desconhecimento de quem ele é. 

“Não há ninguém maior. Ninguém melhor. Ninguém mais digno de nosso ser completo. E creio que, à medida que você o enxergar como ele é, desejará ser como ele também. Santo.”
Jackie Hill-Perry 

Em Santo, santo, santo, Jackie Hill-Perry sacode a poeira da religiosidade insípida e oferece aos leitores e às leitoras a possibilidade de redescobrirem uma vida baseada na certeza do amor de Deus. Leitura recomendada para toda e qualquer pessoa que deseja se aprofundar em temas importantes da fé bíblica, sinaliza a rota estabelecida pelo Criador para a transformação pessoal, a paz e a plenitude.

Ficha técnica:
Título: Santo, santo, santo
Editora: Mundo Cristão
Autora: Jackie Hill-Perry
ISBN: 978-65-5988-057-7
Páginas: 144
Preço: R$ 39,90
Onde comprarAmazon

Sobre a autora: 

Jackie Hill Perry é autora, poetisa, professora bíblica e artista. Desde que se tornou cristã, tem sido compelida a usar seus dons de falar e ensinar a fim de compartilhar a luz do evangelho de Deus da maneira mais autêntica possível. Em casa, é esposa de Preston e mãe de Eden, Autumn e Sage.

Site

www.jackiehillperry.com

Perfis da autora:

Instagram: 
@jackiehillperry

Twitter: @JackieHillPerry

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA
clique sobre a capa

DO INCISIVO AO CANINO - BERT JR.

MAFRA EDITIONS

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

DIVULGUE O SEU LIVRO

FUTURO! - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels