Mostrando postagens com marcador Conexão Literatura. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Conexão Literatura. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 14 de julho de 2020

Netflix - Ligue Djá: O Lendário Walter Mercado


Título Original: Mucho Mucho Amor: The Legendo of Walter Mercado 

Direção: Cristina Costantini e Kareem Tabsch 

Duração: 01h35 min 

Ano Lançamento: 08 de Julho de 2020 

Elenco: Walter Mercado, Willy Acosta e Lin-Manuel Miranda 

Gênero: Biografia, documentário 

Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Todos os dias, ao longo de décadas, Walter Mercado — o astrólogo icônico que não seguia limitações de gênero — encantava 120 milhões de telespectadores latinos com sua extravagância e positividade. 

Impressões: 

Ligue Djá! Quem não se lembra do icônico bordão dos anos 90 através da televisão brasileira? Pois é! O tempo passa muito rápido, estamos ficando velho e ligando o modo saudosista para relembrar toda explosão de quem foi o Walter Mercado. 

Netflix apostou e acertou! Um documentário que segue uma linha através do tempo, para contar quem foi o astrólogo e vidente, Walter Mercado. Conquistando o Mundo com o seu carisma, jeito misterioso e suas roupas chamativas. 

Walter Mercado foi um enorme sucesso nas décadas de 90 e início de 2000. Mas, muito antes, de forma mais simples ele já era fenômeno na américa latina, arrastando verdadeiros fieis que o seguiam para aonde ele fosse. 

O documentário leva para o público de forma nua e crua os altos e baixos do astrólogo, mostrando inclusive o duro golpe que ele sofreu com seu antigo empresário, acabando até mesmo na justiça em busca dos seus direitos. 

Infelizmente, três meses após o lançamento desse documentário Walter Mercado veio falecer por complicações renais. 

Um dos pontos principais do documentário é o grande evento de celebração aos 50 anos de carreira de Walter Mercado. Mostrando uma legião de fãs que viajaram de todos os cantos para estarem na celebração única do vidente. 

Walter Mercado não nega o seu nível alto de narcisismo, mesmo estando “aposentado” dos holofotes e mídia em geral, ele continua se preocupando com sua aparência, modos de vestir e até mesmo com alguns luxos. Merecido! 

Inclusive! O documentário é imparcial, mostrando o depoimento de várias pessoas que conviveram com Walter, até mesmo aquele empresário que deu um duro golpe na vida do vidente. 

Vale a pena? Sim! Vamos voltar para os anos 90 e relembrar de forma carinhosa o jeito extravagante de Walter Mercado, com suas previsões para o futuro, mensagens de amor e o principal. Levar paz para todos com o seu jeito irreverente.


Compartilhe:

domingo, 12 de julho de 2020

Netflix: #AnneFrank – Vidas Paralelas



Título Original: #AnneFrank: Parallel Stories 

Direção: Sabina Fedeli e Anna Migotto 

Ano Lançamento: 01 de Julho de 2020 

Duração: 01h 35min 

Elenco: Helen Mirren, Arianna Szorenyi 

Gênero: Documentário 

Origem: Itália 

Sinopse: 

Helen Mirren usa o diário de Anne Frank para contar sua história no filme, que é dedicado à sua memória e foi criado para marcar o que seria seu aniversário de 90 anos. O documentário também presenta a história de outras cinco mulheres que, quando jovens, também foram deportadas para campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. 

Impressões: 

Apenas um único diário foi responsável para fazer sucesso no mundo inteiro. Dentro dele? O sonho de uma garota judia ser destroçado pelo regime nazista. Anne Frank é o retrato sensível de uma família que busca de todas as maneiras fugir da crueldade da Segunda Guerra Mundial. 

#AnneFrank – Vidas Paralelas, mostra de uma forma ainda mais sensível o sofrimento daquelas pessoas (milhões) que perderam suas vidas em diversos campos de concentração. Famílias inteiras, sonhos perdidos e vidas perdidas por um motivo banal: eliminar os judeus. 

É inegável o sucesso que o diário de Anne Frank é para o Mundo. Ela trouxe toda sua angustia em páginas que mostram eles se escondendo dos soldados nazistas, porém! O final trágico para todos da família. 

O documentário é o mais novo sucesso da Netflix. Helen Mirren narra de forma ampla todos os familiares que perderam alguém do seu vínculo nos campos de concentração, tendo o foco e ligações entre a família Frank. 

Destaque para filmagens originais dos campos, mostrando todo o horror de crianças, idosos e mulheres que vivenciaram de perto o horror da Guerra. Esse documentário não é recomendado para pessoas sensíveis, por conter em alguns trechos, cenas fortes do período mencionado. 

O roteiro é gradual, mostrando de forma cronológica o período que toda família de Anne ficou escondido no anexo secreto da casa. Vale ressaltar que sendo o documentário, é de se esperar inúmeras fotos do acervo pessoal, cumpriram de forma brilhante o seu papel, mostrando foto até então desconhecidas do público. 

Foi um período nebuloso na história da humanidade, perdurando até os dias de hoje na memória dos sobreviventes e de pessoas que nunca imaginaram tamanha crueldade do ser humano para com o seu semelhante. 

#AnneFrank – Vidas Paralelas cumpre de forma intensa, emocionante e sensível o objetivo de levar para os espectadores os momentos da pequena Anne junto com sua família, mostrar os vários lados da crueldade com os judeus.


Compartilhe:

terça-feira, 31 de março de 2020

Jane Austen é destaque da nova edição da Revista Conexão Literatura (nº 58/Abril)


EDITORIAL

Num período difícil de nossas vidas, temos que ter em mente que não devemos parar. Mesmo em nossas residências, temos que exercitar o nosso corpo e nossa mente. E como todo início de mês, chega mais uma edição fresquinha de uma das maiores revistas de literatura do país: Revista Conexão Literatura. Esperamos continuar com esse trabalho de levar informação, cultura e lazer por muito tempo e temos certeza que dias melhores virão.

“Muitas vezes perdemos a possibilidade de felicidade de tanto nos prepararmos para recebê-la. Por que então não agarrá-la toda de uma vez?” - Jane Austen

Participe da nossa edição de Maio. Saiba como, acesse:
www.revistaconexaoliteratura.com.br/p/midia-kit.html

Acesse e curta:
Para baixar a edição da Revista Conexão Literatura nº 58: CLIQUE AQUI.

Assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail notícias atualizadas sobre o mundo da literatura. Chegará um e-mail para você confirmar a inclusão:

Insira o endereço do seu e-mail logo abaixo e receba nossas atualizações:


Ademir Pascale - Editor-Chefe
Compartilhe:

sábado, 30 de junho de 2018

Já está disponível a nova edição da Revista Conexão Literatura, nº 37 (Julho/2018)

Em julho de 2015, publicávamos a edição de nº 1 da revista Conexão Literatura, tendo como destaque de capa o escritor Oscar Wilde. Foi uma edição experimental que em poucos dias deu um bom resultado. Recebemos e-mails de leitores e autores que gostariam de participar da edição de nº 2. Em cada edição tivemos algum aprendizado, fomos melhorando aos poucos e esperamos melhorar cada vez mais. Nossos leitores já somam mais de 100 mil e sabemos que não são apenas do Brasil, mas de Portugal, EUA, Itália, Espanha e outros países. Atualizamos nosso site: www.revistaconexaoliteratura.com.br e fanpage: www.facebook.com/conexaoliteratura, diariamente, com notícias relevantes sobre o mercado literário.

Confira nesta edição o resultado do concurso cultural de contos “Os Viajantes do Tempo”, além dos dois contos selecionados e entrevista com os vencedores. Entrevistas com autores, contos, resenhas e ótimas dicas de livros lhe aguardam.

Para anunciar, participar da próxima edição da revista ou patrocinar as nossas edições, entre em contato ou acesse a página: http://www.revistaconexaoliteratura.com.br/p/midia-kit.html

Tenham uma ótima leitura e até a próxima edição!
Para baixar a edição da Revista Conexão Literatura nº 37: clique aqui

Assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail notícias atualizadas sobre o mundo da literatura. Chegará um e-mail para você confirmar a inclusão:

Insira o endereço do seu e-mail:



Compartilhe:

domingo, 4 de março de 2018

Revista Conexão Literatura, nº 33 - Março


Março, mais precisamente dia 08 de Março, comemoramos o Dia Internacional da Mulher: escritora, leitora, guerreira, mãe, companheira... Não poderíamos deixar de destacar esta bela imagem em nossa capa que também remete aos livros de Literatura Fantástica, tema destaque desta edição, com matéria exclusiva da qual você poderá conferir nas páginas da revista.

Anuncio que já está na pauta os destaques das duas próximas edições. E digo mais, serão incríveis.

Entrevistas, contos, resenhas, dicas de livros e muito mais lhe aguardam nas linhas das páginas desta edição.

Editor ou autor, não fique de fora: para participar ou anunciar em nossa próxima edição de nº 34 (abril, 2018), acesse a página em nosso site: http://www.revistaconexaoliteratura.com.br/p/midia-kit.html

Tenham uma ótima leitura e até a próxima edição!
Para baixar a edição da Revista Conexão Literatura nº 33: clique aqui

Para ficar informado sobre as novas edições da revista e receber em seu e-mail notícias sobre o mundo da literatura, assine a nossa newsletter:

Insira o endereço do seu e-mail:



Compartilhe:

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Revista Conexão Literatura alçando voo e atingindo cada vez mais leitores


A Revista Conexão Literatura vem alcançando cada vez mais leitores em cada edição publicada. Fazemos nosso trabalho com carinho e os leitores, como sempre, podem ler os nossos periódicos gratuitamente e saber mais sobre o universo dos livros. O nosso trabalho é prazeroso e árduo, pois todos os meses temos que estar com uma nova edição prontinha para ser lida. Temos que entrevistar escritores, buscar lançamentos, cuidar de resenhas e organizar tudo, para que todo início de cada mês a nova edição esteja disponível para download. Hoje contamos com mais de 83 mil seguidores nas redes sociais Facebook, Twitter e Instagram.

Agradecemos de coração aos comentários positivos que recebemos todos os dias e o apoio dos blogs e sites literários que fazem nossas edições alcançarem cada vez mais leitores, seja no Brasil ou Portugal. Fica aqui nossos sinceros agradecimentos:

Site "Encanto Literário"
Blog "Tomo Literário"
Site "Livreando"
Fanpage "Sonhando através de palavras"
Blog "Colecionando Romances"
Blog "Literaleitura"
Site "Sala Literária"
Site "Sugestões de Livros"
Site "Absurtos"
Site "Cafeína Literária"
Blog "Conta-se um livro"
Blog "Dose de poesia"
Site "Books time Brasil"
Site "Literagindo" 
Blog "O Sopro de Esopo"
Blog "Até a última página"
Blog da jornalista "Míriam Santiago"
Blog do jornalista "César Silva"
Blog "Pensamentos e opiniões"

OBS: caso o leitor saiba de mais sites, blogs ou grupos literários que estejam comentando sobre a nova edição da nossa revista de fevereiro, é só postar o link aqui nos comentários que incluiremos nesta lista :) Forte abraço.
Compartilhe:

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Crítica - Operações Especiais

Título Original: Operações Especiais 

Direção: Tomás Portella
Duração: 01h30 min
Lançamento: 15 de Outubro de 2015
Elenco: Cléo Pires, Fabrício Boliveira, Marcos Caruso e Thiago Martins
Gênero: Drama/Acão
Origem: Brasil 

Rio de Janeiro, 2010. Formada em turismo e trabalhando como atendente em um hotel, Francis (Cléo Pires) se anima com a possibilidade de entrar para a polícia civil. Ela presta o concurso e, após ser aprovada, passa a frequentar o curso de habilitação para policial. Trata-se do mesmo período em que ocorreu a invasão no Complexo do Alemão, com traficantes de vários morros cariocas fugindo para cidades periféricas. É o que acontece em São Judas do Livramento, cidade no interior do estado do Rio de Janeiro, que passa a lidar com uma onda de crimes sem precedentes. Para combatê-los é enviada a unidade liderada pelo incorruptível delegado Paulo Froes (Marcos Caruso), que conta com a presença da ainda iniciante Francis. No batalhão ela precisa lidar com a desconfiança dos demais policiais, especialmente Roni (Thiago Martins), e também com as dificuldades da profissão, dos perigos inerentes ao ofício até a corrupção existente ao seu redor. 

Análise: 

Saudações cinematográficas, queridos leitores do site da Revista Conexão Literatura, tudo bem com vocês? Espero que sim! Hoje vamos falar de um incrível filme nacional, sucesso de bilheterias e de críticas, o escolhido para ser analisado é “Operações Especiais”. Bora lá? 

O longa retrata toda rotina e árduo trabalho da polícia civil do Rio de Janeiro, enfrentando diversos perigos e combatendo o crime nas ruas da cidade maravilhosa. Ação do começo ao fim. 


O foco principal está em torno da vida da jovem Francis, formada em turismo e trabalhando como atendente em um conhecido e refinado Hotel, vê sua vida mudar por completo quando o seu local de trabalho é invadido por bandidos fortemente armados. É a partir daí que toda a vida da protagonista toma um rumo completamente improvável. 

Francis se anima com uma chance de mudar sua vida, fazer parte da polícia civil, após ser aprovada no concurso, passa à frequentar o curso de habilitação para policiais, uma trajetória árdua e desgastante. 

O filme mostra uma realidade nua e crua da rotina dos policiais, toda violência que o Rio de Janeiro está passando nos últimos anos, vale lembrar que uma parte do filme mostra o período da invasão das forças armadas no Complexo do Alemão, do qual vários traficantes fugiram dos morros para cidades periféricas. 


Roteiro e direção são os pontos fortes do filme, bem estruturado, uma sintonia plana e fluída do começo ao fim, outro destaque é a fotografia, mostrando o lado violento da cidade maravilhosa, coisa que a mídia por muita vezes esconde ou passa uma simples “maquiagem”. 

Em se tratando de um filme que retrata todas as dificuldades da profissão, não deixaram de mencionar todo o lado podre e sujo da corrupção. 


O elenco dispensa comentários, uma verdadeira tropa de elite de atores e atrizes, em destaque para Cléo Pires no papel da jovem policial Francis. 

Esse é um dos poucos filmes nacionais que prenderam minha atenção do início ao fim, um longa que mostra toda uma realidade e falta de equipamentos para os policiais, do qual se arriscam todos os dias para proteger a sociedade.

Compartilhe:

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

'Suspense e Mistério" na nova edição da Revista Conexão Literatura (Fevereiro/18)

Você curte livros de suspense e mistério? Caso sim, aproveite bem esta edição. Geralmente os livros do gênero policial ou terror trazem uma boa dose de suspense e mistério. Nomes como Agatha Christie e Edgar Allan Poe estão no topo da lista dos leitores que curtem o gênero. Leia matéria especial nas páginas da revista.

Nesta edição publicamos os três contos vencedores do concurso cultural de contos “Helsing – Caçadores de Monstros”, assim como entrevista com ambos autores. Outros autores também receberam menção honrosa por seus contos.

Entrevistas, contos, resenhas, dicas de livros e muito mais lhe aguardam nas linhas das páginas desta edição.

Para participar ou anunciar em nossa próxima edição de nº 33 (março, 2018), acesse a página em nosso site: http://www.revistaconexaoliteratura.com.br/p/midia-kit.html
Aproveite e assine o nosso Feed de notícias, ele fica na lateral direita da página do nosso site, com o título: "Inscreva-se e receba nossas novidades por e-mail:", basta inserir o seu e-mail e clicar no botão "Incluir", em seguida chegará um e-mail em sua caixa postal pedindo a sua confirmação, confirme e pronto, você receberá as novidades da Revista Conexão Literatura.

Tenham uma ótima leitura e até a próxima edição!

VEJA O QUE VOCÊ ENCONTRARÁ NESTA EDIÇÃO DE FEVEREIRO/18:

Editorial: por Ademir Pascale, pág. 03
Parceiros da Revista Conexão Literatura, pág. 04
Especial: Suspense e Mistério (capa), pág. 05
Resultado do concurso de contos “Helsing – Caçadores de Monstros”, pág. 08
Entrevista com Tito Prates, vencedor do concurso de contos “Helsing”, pág. 10
Conto: “Vampiro à Paulista”, por Tito Prates, pág. 14
Entrevista com Marli Freitas, vencedora do concurso de contos “Helsing”, pág. 21
Conto: “Sem Rastros”, por Marli Freitas, pág. 24
Entrevista com Juan Daniel Diniz Quintana, vencedor do concurso de contos “Helsing”, pág. 28
Conto: Reminiscências da Besta, por Juan Daniel Diniz Quintana, pág. 31
Resenha do livro “Bolerus”, de Vanderley Sampaio, por Marcos Fidêncio, pág. 36
Resenha do livro “Umami”, de Alan Santiago, por Eudes Cruz, pág. 41
Resenha do filme “Bright”, por Rafael Botter, pág. 45
Entrevista com o autor Vanderley Sampaio, pág. 47
Entrevista com o autor Roberto Fiori, pág. 51
Entrevista com a autora Angela Aguiar, pág. 59
Estudo: Cinema, literatura e reflexões sobre ideologia de gênero e construção de identidade: um estudo em “Boys don't cry” e “The danish girl”, por José Flávio da Paz, pág. 64
Conto: “A Esfera”, por Ademir Pascale, pág. 89
Conto: “Carnaval na Juréia”, por Míriam Santiago, pág. 92
Saiba como participar da próxima edição da Revista Conexão Literatura, pág. 97
BAIXE A NOVA EDIÇÃO DA REVISTA CONEXÃO LITERATURA, Nº 32: CLIQUE AQUI.


Compartilhem a nossa revista com os seus amigos, ela é gratuita. Para compartilhar no Facebook: Clique aqui.

Compartilhe:

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Crítica: A Vida é Bela


Título: A vida é bela
Título Original: La vita é bella
Direção: Roberto Benigni
Duração: 01h57min
Data de Lançamento: 5 de fevereiro de 1999
Elenco: Roberto Benigni, Horst Buchholz, Marisa Paredes e Nicoletta Braschi
Gênero: Drama, Comédia e Guerra
Origem: Itália

Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial na Itália, o judeu Guido (Roberto Benigni) e seu filho Giosué são levados para um campo de concentração nazista. Afastado da mulher, ele tem que usar sua imaginação para fazer o menino acreditar que estão participando de uma grande brincadeira, com o intuito de protegê-lo do terror e da violência que os cercam.

Análise:

Saudações cinematográficas, leitores do site da Revista Conexão Literatura, tudo bem com vocês? Espero que sim! Hoje vamos falar de um belo filme, emocionante do início ao fim, tocante e intenso, uma obra da sétima arte que nos deixa maravilhados. 

O filme que vamos falar é “A Vida é Bela”, dirigido e atuado pelo brilhante e inigualável Roberto Benigni, sendo ele o personagem principal desse drama história, no papel do judeu Guido e tendo como plano de fundo a Segunda Guerra Mundial e todo o horror do nazismo.

Vale lembrar que “A Vida é Bela”, está disponível no catálogo da nossa querida e amada Netflix.


Vamos acompanhar a vida do bem humorado e esperto Guido, personagem marcado pela irreverência e sua disposição em contemplar o belo da vida, do qual tenta amenizar os horrores da grande guerra. 

Guido tem sua vida familiar abalada, quando recebe ordem para ser enviado para um campo de concentração, junto com o eu filho, o pequeno Giosué, sendo um pai amoroso e inteligente, Guido consegue fazer com que o seu filho acredite que tudo isso que está acontecendo é apenas um jogo, para que o menino não veja o verdadeiro horror da Guerra, do qual estão todos inseridos e com suas vidas contadas.

Roberto Benigni mostra uma verdadeira mescla em sua atuação, passando do cômico para o apaixonado, indo em direção da angústia para o drama, não foi por acaso que recebeu o Oscar de melhor ator, no total, o filme recebeu três estatuetas: melhor ator protagonista, melhor filme estrangeiro e melhor trilha sonora. Mais que merecido!


Durante o filme, podemos conhecer em detalhes todo o encanto da Itália, com suas belas paisagens e ar bucólico, notamos o belo em meio ao caos. Ponto forte para toda produção de fotografia, eles conseguiram equilibrar todo o fator histórico do período da Segunda Guerra Mundial.

O roteiro é outro destaque importante, um texto inteligente, fluído e leve, do qual se manteve regular durante todo o filme, deixando uma rica mistura e perfeita combinação mesclando cenas impactantes e comoventes.

Romantismo permeia de forma avassaladora em uma parte do filme, quando o protagonista se apaixonada pela bela e jovem professora, Dora. Guido faz de tudo para conquistar o coração da professora, sua frase marcante em todo o filme é: “Bom dia princesa”.


Vale à pena? Com toda certeza! Não restam dúvidas que esse filme merece ser assistido e admirado por todos os elementos que compõem e o torna uma obra prima única da sétima arte.


Compartilhe:

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Extraordinário sucesso de "Extraordinário"


Saudações literárias e cinematográficas, queridos leitores do blog da Revista Conexão Literatura, tudo bem com vocês? Espero que sim! Hoje trago para todos, uma super novidade dos cinemas do qual tem quebrado vários recordes de bilheteria e sendo um sucesso mundial. 

O filme "Extraordinário", bateu recorde de bilheteria, chegando na casa dos US$ 200 milhões ou "R$ 647 milhões". Um resultado positivo para toda produção do filme, boatos de que "Extraordinário" poderá concorrer ao Oscar de melhor maquiagem. 


Vale lembrar que até o momento, o Brasil arrecadou em bilheterias o equivalente à US$ 16.6 milhões. 

Uma prévia sobre o filme: nascido com uma deformidade facial que o impediu de ir a escola por muito tempo, um garoto vira o herói da quinta série. Um filme de superação e lição de vida. No elenco temos a brasileira Sônia Braga que faz o papel da mãe de Julia Roberts e avó de Jacob Tremblay. Owen Wilson faz o pai do jovem Jacob.

Compartilhe:

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Poesia - 2018 de 363


Adeus 2017! Foi muito bom o ano,

Seja bem-vindo 2018, é só chegar.

Não se apresse, curta o momento

Deixe fluir toda brisa de energias

Positivas.

Sinta os dias fluírem, no ritmo certo

Em uma harmonia igual o som

De uma nota musical.

Deixe tudo que foi feito em 2017,

Seja bom ou ruim.

Reflita novas ideias para esse ano,

Coloque em ação os seus sonhos.

Busque felicidade!

Amores, fuja das dores! Corra!

Deixe o sabor de 2018 invadir sua alma.

Aprecie da melhor maneira esse ano,

Viva! Agradeça! Contemple os detalhes!

Feliz 2018!


Compartilhe:

domingo, 26 de novembro de 2017

Série - Marvel’s The Punisher


Titulo: O Justiceiro
Título Original: Marvel’s The Punisher
Direção: Gail Barringer
Duração: 55 – 60 min
Lançamento: 7 de novembro de 20167
Elenco: Joe Bernthal, Ebon Moss-Bachrach, Bem Barnes e Amber Rose Revah
Temporadas: 1
Episódios: 13
Gênero: Drama, policial e ação
Origem: Estados Unidos

Sinopse: O crime não dura quando Frank Castle está por perto. O veterano de guerra é impiedoso na sua guerra contra malfeitores, alimentada pelo ódio gerado quando sua família foi pega no fogo cruzado durante um tiroteio entre mafiosos.

Saudações literárias! Leitores da Revista Conexão Literatura, tudo bem com vocês? Espero que sim! Hoje trago mais uma crítica de uma série original da nossa amada e querida Netflix! A série em questão é “O Justiceiro”, o anti-herói da Marvel que finalmente ganhou uma série solo. 

Frank Castle é o personagem principal, cuja família foi brutalmente morta em um fogo cruzado durante um tiroteio no Central Park, Nova York. Sua sede de vingança foi em busca desses sujeitos que cometeram esse terrível crime, matando todos! Castle é um ex-fuzileiro naval e utiliza-se de habilidades com armas brancas e armas de fogo, para combater o crime na cidade de Nova York. No submundo do crime, Castle ganha o apelido de “Justiceiro”.


Ele aparece pela primeira vez, na série original da Netflix “O Demolidor”, o sucesso foi tão grande que decidiram fazer uma série solo do anti-herói mais famoso dos quadrinhos Marvel. Uma dica! Vale à pena assistir primeiro O Demolidor pra só depois cair de cabeça no O Justiceiro, pois no decorrer dos episódios, existem muitas referências e até personagens que fizeram parte do seriado anterior. 

Dividido em treze episódios, com duração de aproximadamente 60 minutos, vamos acompanhar um pouco mais da vida de Frank Castle, notamos vários flashbacks mostrando sua família no trágico atentando, fazendo isso um pesadelo diário em sua vida.

No geral, a série não perdeu o foco de toda sua premissa original dos quadrinhos, os produtores fizeram pequenas alterações que não muda nada em toda série e no acompanhamento de Frank Castle por justiça e sede de vingança.


Essa série é indicada para todos aqueles que gostam de uma dose bem generosa de pancadaria, tiroteio e muito, mas muito sangue. 

A produção está impecável! Eles souberam explorar todo o submundo de Nova York com Castle na cola dos bandidos. Só uma dica! Não chega ser spoilers, mas o primeiro episódio está de arrasar, é muito punk!


Destaco toda atuação de Joe Bernthal, ele deu vida ao personagem dos quadrinhos, atuação impecável que não tem nenhum aspecto negativo, ficou incrível! 



Essa é uma série que mostra o lado negro dos seres humanos, capaz de moldar um homem em fera na busca de suas presas.

Foi uma conquista de peso essa parceria Marvel e Netflix, foi uma aposta que deu muito certo.




Compartilhe:

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Já está disponível a nova edição da Revista Conexão Literatura (Agosto/2017)

EDITORIAL

Nesta nova edição de Conexão Literatura, destacamos um dos mestres do terror e suspense nacional: J. Modesto. Com uma escrita de qualidade e várias obras publicadas, Modesto mostra que tem fôlego para publicar muito mais. Confira a entrevista exclusiva que fizemos com ele nas páginas da revista.
Entrevistas, contos e crônicas fazem parte desta edição. Leia, comente e compartilhe com os amigos ;)

Forte abraço e até a próxima edição :)

PARA BAIXAR A REVISTA CONEXÃO LITERATURA, Nº 26: CLIQUE AQUI.


Compartilhe:

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Escritor e músico Martinho da Vila, destaque da nova edição da Revista Conexão Literatura (Julho/2017)


EDITORIAL

Nesta nova edição de Conexão Literatura, da qual completamos 2 anos de existência, entrevistamos o grande músico e escritor Martinho da Vila, que está lançando seu 15º livro “Conversas Cariocas” (Editora Malê). Confira na pág. 05.
Nas próximas páginas o leitor poderá conferir também mais 2 audiolivros gratuitos cedidos pela editora Alyá (Universidade Falada), super dicas de livros, entrevistas com escritores e uma com o organizador Vitor Abdala, que comenta sobre o livro “Narrativas do Medo” (Editora Autografia), do qual fui convidado e participo com o conto “O Balanço da Velha Árvore”. A obra tem participação de 17 autores e prefácio elaborado pelo ícone do terror R. F. Lucchetti. O livro será lançado na Bienal do Livro do Rio de Janeiro.
Espero que curtam essa edição e se possível, compartilhem em suas redes sociais.
Mas, antes de terminar meu editorial, deixarei uma mensagem: procure fazer o bem para o próximo, pois o mal é muito fácil de fazer e faz parte do instinto primitivo do ser humano. Fazer o bem geralmente é mais difícil, não é verdade? Um bom exemplo foi algo que vivenciei recentemente: na fila de uma padaria, a atendente ao pegar os pães para uma cliente, fez algo que ela não gostou e não me recordo bem o que foi. Essa cliente largou os pães sobre o balção e foi falar aos gritos com o gerente. Pensei no mesmo momento: e se fosse o contrário? E se essa atendente tivesse tratado super bem essa cliente, será que ela iria com a mesma intensidade chamar o gerente e agradecer pelo bom atendimento da funcionária? Duvido muito, pois fazer o bem, como eu disse anteriormente, é muito mais difícil e reclamamos mais do que agradecemos. Então, procure agradecer mais, nem se for pelos pequenos gestos. Faça o dia de alguém mais feliz, pois fazendo isso certamente o seu também será bem mais alegre e produtivo.

Forte abraço e até a próxima edição :)

PARA BAIXAR A REVISTA CONEXÃO LITERATURA, Nº 25: CLIQUE AQUI.


Compartilhe:

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Itaú Cultural apresenta espetáculo com poemas musicados de Conceição Evaristo e literatura dedicada às mulheres negras

Tendo à frente o músico Renato Gama, Canto de Vida e Obra reúne música, literatura e encenação para apresentar ao público 10 poemas da escritora mineira,  homenageada na atual mostra da série Ocupação no Itaú Cultural

O Itaú Cultural recebe nos dias 10 e 11 de junho (sábado e domingo) o músico Renato Gama em Canto de Vida e Obra, espetáculo lítero-musical conduzido pela poesia e “escrevivências” da escritora mineira Conceição Evaristo, homenageada na 34º exposição da série Ocupação, em cartaz no instituto até o dia 18 de junho. Unindo música e teatro, Gama coloca melodia em 10 poemas da escritora mineira, com foco nas palavras que empoderam a mulher negra e a história de vida da autora, como em Vozes-mulheres, Menina, Fêmea-Fênix e Malungo, brother, irmão.

Em cena, Renato Gama reúne a banda formada pelo contrabaixo e violão de Ronaldo Gama, seu irmão, as baterias de Leo Carvalho e Priscila Hilário, e a flauta de Mariana Per, atriz e musicista que, entre uma música e outra, mergulha nos poemas de Conceição Evaristo. Com a escritora já revelou o seu desejo de ser bailarina e cantora, o espetáculo conta, ainda, com um número da bailarina Malu Avelar em sua referência.

“Por meio da música e do teatro, cantaremos e contaremos a vida e a obra de Conceição Evaristo, com seus poemas que a tornaram uma referência na poesia e empoderam a mulher negra e sua história de vida que demonstra a luta para a sua emancipação, motivando muitas mulheres de seu tempo”, conta Renato Gama. “Lançamos luz à sua vida-poema, encenando, cantando e tocando e, assim fazendo valer a construção do século da mulher”, complementa.

O espetáculo, assim como a produção literária de Conceição Evaristo, é inspirado em histórias comuns e cotidianas, que se tornaram uma fonte de identificação e motivação para mulheres negras, marginalizadas inclusive na literatura. Abordando os desafios que a vida impõe a essas mulheres em sua obra, a escritora fala também de si: do crescimento na favela do Pindura Saia, em Belo Horizonte, da partida para o Rio de Janeiro ainda jovem, da convivência com a filha Ainá Evaristo, de sua relação com dona Joana, sua mãe.

Sobre os artistas
Leo Carvalho é baterista, e acompanha personalidades musicais brasileiras como Daniela Mercury e Bete Carvalho. Atualmente, além de tocar nas bandas Nhocuné Soul e Morabeza Nação, desenvolve um trabalho como educador.

Malu Avelar, preta-mineira, é bailarina. Participou de trabalhos como Concerto, coreografado por Tindaro Silvano, o espetáculo ANTONIA Como se em sua Dança Quisesse Reinventar o Ciclo do Nascer e do Morrer, por Morena Nascimento, as performances Frotage, com o performer Fernando Admouc, e Cor-po Excluso, criada em parceria com o músico Gustavo Felix, assim como Cores, Corpos e Timbres. Participou de experiência na Cia. Treme Terra, no espetáculo Peles Negras e Máscaras Brancas, e atualmente é integrante da Cia. Sansacroma, passando pelo processo de Dança da Indignação.

Mariana Per é graduada em artes plásticas. Sua formação inicial como flautista foi na Escola Municipal de Música, e passou por algumas orquestras de São Paulo. Como artista-educadora, faz da contação de história uma ferramenta importante no seu trajeto. Atualmente, une as duas paixões, a palavra e a música, cantando poemas e histórias, como vocalista do grupo Morabeza Nação.

Priscila Hilário é baterista e percussionista. Traz no rock sua verve musical, dedicando ainda muita atenção aos estilos musicais brasileiros.

Ronaldo Gama é musico e arranjador. Acompanhou musicalmente diversos artistas, como Dudu Nobre, Raça Negra e Nhocuné Soul entre outros. Hoje, além de ser professor do conservatório de música de Guarulhos, desenvolve um projeto de pesquisa sobre o samba.

Renato Gama é musico, ator, produtor musical com trabalhos realizados com a banda Nhocuné Soul e para artistas como Nelson Triunfo, Joana Flor, Tita Reis. Compôs e produziu a trilha musical de alguns espetáculos teatrais, como: A saga do Menino Diamante, Fulero Circo, Rua Florada, Conjugado, o infantil A Guerra dos Quatros Elementos e também do filme O Olho e o Zarolho. Criou e dirigiu o espetáculo 3Áfricas e vem criando músicas para poemas de poetas e poetisas, como Conceição Evaristo, Cuti e Allan da Rosa, entre outros.

SERVIÇO
Espetáculo Canto de Vida e Obra
Com Mariana Per, Malú Avelar, Leo Carvalho, Renato Gama e Ronaldo Gama, Priscila Hilário e Leandro Néri
Dia 10 de junho de 2017 (sábado), às 20h
Dia 11 de junho (domingo), às 19h
Classificação indicativa: Livre
Duração aproximada: 60 minutos
Sala Itaú Cultural (224 lugares)
Entrada gratuita
Distribuição de ingressos:
Público preferencial: 2 horas antes do espetáculo (com direito a um acompanhante)
Público não preferencial: 1 hora antes do espetáculo (um ingresso por pessoa)
Todos os shows têm interpretação em Libras


Compartilhe:

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Carolina de Jesus, destaque da nova edição da Revista Conexão Literatura (Maio/2017)


EDITORIAL

Considero essa edição super especial, pois destacamos nela Carolina de Jesus, uma autora não tão conhecida nos dias atuais, mas que teve um papel muito importante para a literatura nacional. Com uma vida sofrida, rompeu barreiras e chegou a alcançar mais de 40 países. Saiba mais sobre Carolina nas páginas da revista.
Na página de parceiros da revista apresentamos novos sites e blogs que estarão nos apoiando, ajudando-nos a disseminar ainda mais a literatura.
Já na coluna “Conexão Nerd”, fizemos um vídeo especial intitulado “Os Imortais do Cinema”, não deixe de conferir e caso ainda não seja inscrito em nosso canal, inscreva-se.
Os leitores, autores, editoras e lojas agora poderão apoiar as edições da nossa revista e até serem patrocinadores, concorrerem a livros e souvenirs, serem divulgados, etc. Saiba mais sobre o projeto de apadrinhamento que fizemos no site Padrim, acesse: www.padrim.com.br/conexaoliteratura
Confira também excelentes entrevistas com autores, dicas de livros, crônicas e contos.

Forte abraço e até a próxima edição ;)

Ademir Pascale - Editor
Twitter: @ademirpascale
http://www.revistaconexaoliteratura.com.br
PARA BAIXAR A REVISTA CONEXÃO LITERATURA, Nº 23: CLIQUE AQUI.


Compartilhe:

domingo, 30 de abril de 2017

Crônica - O Gato Mágico – Parte 2


Sim! Agora os leitores conhecerão o motivo de a minha gata chamar “A fedido” e não “A fedida”, senta que lá vem história, ou melhor! Uma bela crônica.

Relembrando, fazendo um pequeno resumo, a fedido era pra sido prato principal de cachorro e acolhi-a em minha casa e hoje é o maior xodó. Vou deixar o link da primeira crônica para refrescarem à memória. O gato mágico parte 1. 

Chega de mistério! Hoje revelarei o tão famoso nome e o motivo da escolha. Então vamos lá, chega de enrolação.


Creio que a grande maioria dos leitores já tenha assistido ou pelo menos ouvido falar daquela série animada, que fez muito sucesso nos anos 90, que é o “Doug”, estrelado por ele mesmo (lógico né!), que é apaixonado pela Patti Maionese, mas ele não é o ponto em questão e sim um personagem secundário que é o Roger Klotz, rival de Doug.

É agora que chegamos à melhor parte, Klotz no desenho tem um “gato”, até então ele achava que fosse um gato e não uma gata, e adivinhem qual o nome? Sim! O Fedido!

Até então, Roger acreditava que o fedido fosse um gato, mas em um determinado episódio o fedido começa a passar mal, aí eles levam o bichano para o veterinário e recebem uma bela notícia, que o fedido é na verdade a fedida, além disso, o bichano de estimação de Klotz estava esperando filhotes, para alegria de seu dono. 


Aqui foi a mesma coisa, em partes, que explicarei agora. Quando o fedido chegou, tanto que vocês conhecem toda história e tudo mais, quando fui lavar no veterinário para castrar, descobrimos que o bichano era fêmea, na mesma hora lembrei-me desse episódio do Doug. Acabou ficando conhecida como, “A fedido”, quis permanecer esse nome com um jeito bem humorado. Falando nisso, ela desapareceu de novo e não sei para onde foi.


Compartilhe:

sábado, 8 de abril de 2017

Morais de Carvalho cede entrevista e comenta sobre a obra Todos Iguais, Poucos Diferentes (Chiado Editora)

Morais de Carvalho
Diana é o seu primeiro nome, por ser nome de princesa, segundo sabe. Nasceu na longínqua Moimenta da Beira, onde nada acontece e tudo se transforma em paisagens verdes e vivas. O seu amor por viagens só é ultrapassado pela paixão incondicional por gatos. O destino já a levou até à entrada da Área 51 nos EUA, bem como a um passeio pela fronteira da Faixa de Gaza. Apaixonada por mudanças, o que mais a admira na vida é o fato de não saber o amanhã. O amanhã não é de ninguém.

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Morais de Carvalho: É difícil fazer com que alguém compreenda os nossos sentimentos e quão profundos eles são. Assim, a escrita é muitas vezes a única forma que eu encontro para expressar os meus pensamentos e angústias acerca do mundo em que vivemos. Comecei por escrever alguns textos que guardei só para mim. Mais tarde participei no Campeonato Nacional de Escrita Criativa e fiquei em segundo lugar. Experimentei também publicar alguns textos no meu blog, mas faltava algo. No ano passado dei por mim a atravessar momentos de grande reflexão. O mundo à minha volta parece-me tão louco, mas percebi que para o mundo eu é que não era normal. Então comecei a escrever o "Todos Iguais, Poucos Diferentes" com o simples objetivo de fazer as pessoas pensar. Parece simples, mas não é! Comecei então a escrever durante a minha hora de almoço e o livro começou a ganhar forma... Aquelas palavras são uma extensão de mim mesma e digamos que sinto um pouco de alivio quando as pessoas me abordam e mandam mensagens, incrédulas por se identificarem com a personagem principal do livro.

Conexão Literatura: Certamente você leu vários livros, qual livro foi mais importante para você?

Morais de Carvalho: "Ensaio Sobre a Cegueira" de José Saramago. Os verdadeiros valores humanos completamente despidos, em vez de disfarçados como no nosso dia-a-dia.

Conexão Literatura: Qual a importância da literatura em sua vida?

Morais de Carvalho: O mais importante da literatura é fazer sentir. Sentimentos verdadeiros, genuínos, desprovidos de falsos interesses ou nascidos da pressão social na qual vivemos. Enquanto escrevo não tenho que fingir gostar do patrão ou que não me apercebi dos olhares inquisidores de determinadas pessoas. Enquanto escrevo sou livre. E isto diz tudo acerca da importância da literatura na minha vida: dá-me liberdade.

Conexão Literatura: O que é que realmente a motivou a escrever "Todos Iguais, Poucos Diferentes"?

Morais de Carvalho: Estar cansada. Estou cansada deste mundo e da inércia comum a quase todos os seres humanos. Estou cansada deste sistema que toda a gente parece não ver, mas que nos suga o tempo e a vontade. Estou cansada de que a minha vida me escorregue por entre os dedos e que a sociedade não me dê a mínima hipótese de a agarrar.

Conexão Literatura: O personagem central do livro "Todos Iguais, Poucos Diferentes" é louco ou nós é que somos os loucos por pertencer à sociedade moderna?

Morais de Carvalho: Nós é que somos os loucos, não tenho qualquer dúvida acerca disso. Também sou da opinião de que a nossa cegueira é tão grande que se quisermos sair desta linha reta que todos percorremos, se quisermos abrir os olhos e ver pela primeira vez, entramos num ponto sem retorno onde a loucura será certa. Não sei para onde a nossa sociedade caminhará, mas sei até onde caminhou, e tenho a certeza absoluta de que escolhemos a direção errada. É melhor nem continuar a minha resposta, porque já estou a sentir a angústia a chegar. Se quiserem pensar, se quiserem abrir os olhos e ver, leiam o "Todos Iguais, Poucos Diferentes".

Conexão Literatura: Como os leitores poderão saber mais sobre você e o seu livro? Qual a rede social mais fácil para te seguir?

Morais de Carvalho: Gosto muito que os leitores me mandem mensagens: quer acerca do livro ou dando a sua opinião sobre o nosso mundo, sobre a actualidade. Se quiserem adquirir uma obra autografada a maneira mais fácil é através do facebook: https://www.facebook.com/moraisdecarvalhoescritora
Respondo também a todos os emails que enviarem para: dianaisabeldecarvalho@gmail.com  
Convido ainda os leitores a dar uma espreitadela no meu blog: moraisdecarvalho.blogspot.com

Conexão Literatura: Existem novos livros em pauta?

Morais de Carvalho: Esta pergunta é difícil de responder! Não gosto de falar sobre os meus projetos enquanto não passam disso mesmo, projetos, porque muita coisa pode mudar. Posso começar a escrever um livro sobre ficção científica e acabar por lançar uma obra sobre gatos. Sempre tendo o telhado de vidro da nossa sociedade como plano de fundo. Mais não digo.

Perguntas rápidas:

Um livro: Ensaio Sobre a Cegueira
Um (a) autor (a): José Saramago
Um filme: Forrest Gump
Um dia especial: 22 de Agosto (o dia em que a Roma - a minha gatinha - entrou pela primeira vez em minha casa)
Um desejo: Parem! Agora, Acordem!

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Morais de Carvalho: Quero agradecer esta oportunidade de me poder expressar para vocês. O público brasileiro é aberto, sentimental e comunicativo e eu adoro estas características. Obrigada!

Para adquirir o livro "Todos Iguais, poucos Diferentes": Clique aqui.
*Entrevista elaborada pelo colunista/colaborador Wilson Brancaglioni
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Anuncie e Divulgue Conosco

Posts mais acessados da semana

COMUNIDADE INFLUXO

SONHOS FULGURANTES - ROBERTO MINADEO

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels