Mostrando postagens com marcador Edney Silvestre. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Edney Silvestre. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Novo romance de Edney Silvestre leva a viagem emocionante no Brasil de 1964

‘O ÚLTIMO DIA DA INOCÊNCIA’ CHEGA ÀS LIVRARIAS NO INÍCIO DE AGOSTO, EM LANÇAMENTO DA EDITORA RECORD

Um foca. Um iniciante no jornalismo, tão ambicioso quanto desesperado para ganhar fama e escapar da penúria em que vive. Este é o protagonista da emocionante viagem ao recente passado brasileiro, tão cheio de paralelos com nosso presente, a que Edney Silvestre nos leva em “O último dia da inocência”. O novo romance chega às livrarias na primeira semana de agosto.

Ao aceitar a dica de um tarimbado fotógrafo, o protagonista sem nome vai se enredando em uma trama onde nada é o que parece, ninguém é quem diz ser, e crimes vêm sendo encobertos desde a ditadura de Getúlio Vargas. Padrinho político do presidente João Goulart. Que irá fazer naquele dia, o comício mais perigoso de sua gestão. Anunciará a reforma agrária e a nacionalização de empresas norte-americanas. O dia fatídico é: sexta-feira, 13 de março de 1964.

“Toda profissão tem que começar em algum lugar. Aquele era uma merda, mas era tão bom quanto qualquer outro, se você não tem porta de entrada, nem quem o indique. Repórter de polícia é o degrau mais baixo na cadeia alimentar do jornalismo. Acima eu não tinha acesso. Abaixo não havia mais ninguém”.

Enquanto todos os repórteres estão no centro do Rio de Janeiro, o jovem órfão vindo do interior vai para o subúrbio, seguro de estar na trilha do grande furo jornalístico de sua vida.  Sem imaginar a armadilha em que seria jogado.

A História do Brasil e a história do personagem sem nome se misturam numa narrativa vertiginosa, cheia de reviravoltas e complôs. Edney Silvestre permeia o livro com personagens reais - Juscelino Kubistchek, Tancredo Neves, Carlos Lacerda, Leonel Brizola, o barão Stuckart, Jango e Maria Thereza, entre outros – e histórias reais – o Comício da Central, o suicídio de Vargas, o incêndio da boate Vogue, o tsunami provocado pela construção de Brasília. Compartilha com seu personagem um ídolo da juventude: Otto Maria Carpeaux. E o insere em um ambiente de conflitos políticos decisivos para a História do país. E do mundo.

Sinopse

Do autor do best-seller Se eu fechar os olhos agora. Em meio às tensões do dia do comício de João Goulart na Central do Brasil, um jovem jornalista – indiferente às conspirações políticas à sua volta – se vê testemunha de um assassinato, do qual se torna o principal suspeito. Enquanto tropas do Exército, conspiradores e manifestantes vão se juntando no centro do Rio de Janeiro, o jovem – que não se recorda de ter cometido o crime – busca, por diversos pontos da cidade, desesperadamente, quem possa ajudar a inocentá-lo. Inteiramente passado em 13 de março de 1964, ‘O último dia da inocência’ mistura situações e personagens reais a criações fictícias. A primorosa reconstrução do ambiente político brasileiro tem papel decisivo no desfecho da trama. Também primorosa é a recriação do Rio de Janeiro. Nessa obra-prima de recomposição de uma topografia afetiva, fruto de pesquisa meticulosa, o autor costura ficção de primeiríssima grandeza, em que se descortinam personagens destinados a permanecer na memória do leitor.

Sobre o lançamento

‘O Último Dia da Inocência’, chega às livrarias e já tem eventos de lançamento marcados no Rio de Janeiro e em São Paulo.

No Rio, o lançamento será nesta terça-feira, 13 de agosto, às 19h30, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon. Em São Paulo, será em 15 de agosto, quinta-feira, às 18h30, na Livraria Martins Fontes Paulista. 
Compartilhe:

domingo, 12 de junho de 2016

Eu leio e recomendo: Edney Silvestre


Na literatura nacional da atualidade, um autor que destaco e tenho uma imensa admiração, é o jornalista e escritor Edney Silvestre.

Muitos o conhecem por ser um extraordinário repórter da TV Globo, sendo correspondente internacional nos Estados Unidos e que cobriu os ataques terroristas em setembro de 2001.

Em sua carreira literária, Edney Silvestre é considerado um dos 100 brasileiros mais influentes de acordo com a revista Época. 

Edney é um autor premiado, ganhando em 2010 o Prêmio Jabuti de melhor romance e o Prêmio São Paulo de Literatura, também em 2010 na categoria estreante, com o seu primeiro romance “Se eu fechar os olhos agora”, lançado pela editora Record em 2009.

O autor possui outros livros de grande sucesso de público e crítica, seu mais novo trabalho é o de contos, “Welcome to Copacabana & outras histórias” lançado agora em maio pela editora Record.

Impossível falar de um único livro do Edney, então sugiro que se possível, leia todos os livros que ele lançou. O autor possui uma escrita fabulosa e que prende o leitor logo nas primeiras páginas.
Eu leio e recomendo: Edney Silvestre.


Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Anuncie e Divulgue Conosco

Posts mais acessados da semana

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels