Jane Austen: Livros e Filmes

Jane Austen, Thibaudet e um retrato da burguesia do séc. 18 Nascida em 16 de dezembro de 1775, a britânica Jane Austen foi uma das...

Mostrando postagens com marcador Feira. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Feira. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 5 de novembro de 2020

2ª FeLib Itinerante terá formato online

Duo Flor de Cacau - Foto: Catarina Ribeiro

Sucesso na primeira edição, iniciativa da Feira do Livro de Brasília ocorrerá em 40 escolas da rede pública do Distrito Federal

Promover o encontro do leitor com o autor e, assim, estimular o gosto pela leitura ainda na infância. Com essa premissa, a Feira do Livro de Brasília dá seguimento ao projeto itinerante para levar o mundo mágico da literatura aos estudantes da Educação Infantil e Ensino Fundamental I. Entre os dias 23 de novembro e 18 de dezembro, a 2ª edição da iniciativa proporcionará contação de histórias e contato com autores a 40 unidades da rede pública de ensino.

Ceilândia, Sol Nascente, Estrutural, Gama, São Sebastião, Planaltina, Samambaia, Paranoá e Itapoã são algumas das cidades que receberão a 2ª FeLib Itinerante. Ao todo, 22 regiões administrativas serão contempladas com as contações de história de Patrícia Berg, Tia Mari e dos grupos "Matrakaberta" e "Duo Flor de Cacau". Mesmo sendo realizadas de forma virtual, as apresentações seguirão os padrões dos encontros presenciais da primeira edição.

O contato com a produção literária ficará a cargo dos autores de literatura infantil. Nesta edição, os escritores Álvaro Mordenell, Irís Borges, João Rodrigues e Nyedja Gennari apresentarão os bastidores das histórias que encantam os estudantes. Ao fim do projeto, as 40 escolas receberão 12 livros cada, totalizando 480 obras entregues gratuitamente.

As apresentações também terão tradução para LIBRAS e, inicialmente, serão disponibilizadas para duas escolas por dia. Após as unidades de ensino receberem o projeto, os vídeos ficarão disponíveis para todo o Brasil no canal no Youtube do Instituto Latinoamerica, organizador da Feira do Livro de Brasília.

Autor João Rodrigues e Matrakaberta - Foto: Catarina Ribeiro

De acordo com o presidente da entidade, Atanagildo Brandolt, a FeLib Itinerante surgiu da necessidade de descentralizar o acesso a literatura, fazendo o caminho inverso do tradicional, levando a magia da Feira do Livro de Brasília diretamente às escolas públicas mais distantes da área central da capital. "Quanto ao novo formato que nos obriga a pandemia, é a oportunidade possível para manter nosso compromisso e cumprir a missão de incentivar e fomentar o gosto pela leitura, principalmente entre as crianças e jovens", explica.

Segundo ele, o Instituto Latinoamerica já trabalha com o audiovisual desde a sua fundação, há quase 20 anos. Inclusive, no início de outubro, estreou no canal do Instituto a web-serie Memória Viva Eco-História do Planalto Central, que retrata em cinco capítulos a história da região, desde os primeiros vestígios da ocupação humana até os dias atuais.

Sobre a 36ª Feira do Livro de Brasília, prevista para ser realizada em setembro, em comemoração aos 60 anos da capital federal, Brandolt diz ainda não ter data prevista. "Adiamos para 2021. Tudo vai depender do controle da Covid-19", pondera.

FeLiB Itinerante é uma ação da Feira do Livro de Brasília promovida pela Câmara do Livro do Distrito Federal e Instituto Latinoamerica, com fomento da Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo.

1ª edição – A 1ª FeLiB Itinerante foi realizada em duas etapas, que ocorreram entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020, de forma presencial. O projeto contemplou 15 escolas públicas, entre unidades urbanas e rurais, das regiões de Sobradinho, Sobradinho II, Fercal e Planaltina, além de distribuir gratuitamente 225 livros para bibliotecas das escolas.

Serviço:
2ª FeLiB Itinerante
Quando: 23/11 a 18/12/2020
Onde:  13 Regionais de Ensino
Quanto: projeto gratuito, destinado a estudantes de escolas públicas
Mais informações: (61) 99259-2824 |

Produção executiva: Ester Braga - Abèbè Produções
Assessoria de Imprensa: Agenda Cultural Brasília

 

Conheça as histórias:

Autor - João Rodrigues (Contador: Grupo Matrakaberta):

- Quer conhecer as diferenças?

- Quer conhecer o universo?

- O menino que achava que empinava pipa;

- Cantando e contando histórias de João

- Identidade ( história contada pelo próprio autor)

 

Autora - Nyedja Gennari (Contadores de História: Duo Flor de Cacau)

- Fora de moda;

- A Cobra Jurema

- Fofoca Reversa

- O Mundo azul de Samuel

- Guto o Sapo Bocudo

 

Autor - Álvaro Modernell (Contadora de História: Tia Mari)

- Dia de Chuva;

- O Pé de meia mágico;

- Poupança, a porquinha do Zequinha;

- O Poço dos Desejos;

- Somos diferentes, mas somos iguais.

 

Autora Íris Borges (Contadora de História: Patrícia Berg)

- Bia e os Filhote: animais domésticos

- Bolas! Quantas bolas!

- Cartas para meus amores

- De que bruxa você tem medo?

- O medalhista

- O navio

- Passeando por Brasília

- Quer conhecer meus livros?

- Rosa Morena

- Será que é história?

- Você leva pão de queijo hoje, mamãe?

- Eu amo escritores

Compartilhe:

terça-feira, 3 de março de 2020

Feira e-cêntrica de publicações independentes apoia inovação no mercado editorial brasileiro

Crédito foto: Layza Vasconcelos
Editoras, autores independentes, coletivos criativos e artistas gráficos de todo o Brasil expõem livros especiais, HQs, zines e artes gráficas, na Vila Cultural Cora Coralina em Goiânia

Mais de 100 publicadores independentes de seis estados e do Distrito Federal integram a feira e-cêntrica, nos dias 7 e 8 de março, na Vila Cultural Cora Coralina, no Centro de Goiânia. Expositores apresentam, para público de todas as idades, seus livros especiais, histórias em quadrinhos, zines e artes gráficas. A programação gratuita inclui oficinas, minicurso e rodas de conversa com escritores, editores e pesquisadores, exposições de arte, além de lançamentos literários. Apoio: Lei Municipal de Incentivo à Cultura e apresentação do Fundo de Arte e Cultura de Goiás, por meio do edital de fomento à literaura de 2018.

A feira e-cêntrica é uma ação de apoio à inovação do mercado editorial e, em 2020, integra o Projeto Madalena Caramuru. Realizado pela Nega Lilu Editora e pela Casa da Cultura Digital, o trabalho visa impactar a cadeia produtiva do livro de ponta a ponta: estimulando a leitura, formando novos autores, motivando a autopublicação e buscando circulação independente para a produção gráfica e literária. 

“A qualificação de leitoras e leitores, a valorização da autoria, a atualização do papel das editoras, distribuidoras e livrarias e a busca de novos modelos de negócios estão entre os aspectos fundamentais para a inovação no mercado editorial”, defende a coordenadora e curadora da e-cêntrica, a escritora e editora Larissa Mundim. 

De acordo com ela, a estratégia da e-cêntrica passa também pelo combate à invisibilidade da produção gráfica e literária nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil, pelo fortalecimento e ampliação da atuação de pessoas racialmente e sexualmente sub-representadas desta cadeia produtiva e pela busca de alternativas de difusão e comercialização da produção. Para além da feira de publicações independentes, o trabalho desenvolvido pela e-cêntrica pode ser conhecido em www.e-centrica.org .

Expositores

As editoras, selos literários, coletivos criativos e artistas gráficos que compõem a feira passaram por processo seletivo que considerou esta visão e-cêntrica. Sendo assim, para a curadora, juntamente com a qualidade do trabalho, a representatividade foi critério fundamental na escolha dos expositores. “Gênero, sexualidade e as questões étnico raciais estão contempladas pela curadoria”, ressalta Mundim. Segundo ela, aos poucos a e-cêntrica vem atraindo o interesse de publicadores indígenas, idosos e de pessoas com deficiência, cuja autoria já está representada desde as primeiras edições da feira.

A primeira edição da e-cêntrica teve 64 expositores e a segunda contou com 80. Com o aumento do número de editoras, selos literários, coletivos criativos e artista gráficos, a curadoria garantiu a ampliação de representatividade. Assim, em 2020, cresceu a participação de mulheres, negros, LGBTQIs e autores indígenas estão contemplados por meio de publicações de editoras como a AUA (DF) e a Pólen Livros (SP).

Atividades formativas

Os trabalhos gratuitos de formação se iniciam um dia antes da feira, com a Oficina Peripatética de Escrita Criativa, conduzida pela escritora e jornalista Cássia Fernandes (GO), nas ruas do Centro de Goiânia. Ao todo são mais de 20 oficinas, rodas de conversa e o minicurso com a editora Lizandra Magon (Pólen Livros). As inscrições estiveram abertas até 3 de março e mais de 300 vagas foram disponibilizadas para pessoas interessadas em leitura, escrita, literatura e em estratégias pedagógicas de estímulo à leitura. 

Ainda há vagas para os bate-papos, com destaque para as rodas de conversa conduzidas por escritoras e editores de todo o Brasil. No sábado, “Lesbiandade na obra de Cidinha da Silva”, é destaque na programação, com a presença da autora. Ainda no dia 7, diversidade, inclusão e acessibilidade é tema da conversa com quatro autores goianos: Ademar de Queiroz, Ana Christina da Rocha Lima, Carla Lacerda e Chyntia Barcellos.

No dia 8, a ilustradora Ciça Fittipaldi, indicada pela quinta vez para o Prêmio Hans Christian Andersen, discute aspectos do mercado editorial com os ilustradores Juliana Russo Burgierman (SP), Luana Santa Brígida (GO) e Nestor Junior (SC). O negócio livreiro é destaque na pauta de domingo, por meio do bate-papo “Novas estratégias de distribuição no mercado editorial”, que reúne Larissa Mundim (GO), Lizandra Magon (SP), Rodrigo Acioli (PE) e Wallison Gontijo (MG). Confira abaixo a programação completa da feira e-cêntrica de publicações independentes.

Lançamentos literários

A feira também dedica espaço para a aproximação entre leitores e autores, nos encontros programados para 19h30, no sábado, e 18h30, no domingo. Este ano os lançamentos literários coletivos trazem a Goiânia Cidinha da Silva (Parem de nos matar, Pólen Livros), Eliete Della Violla (Sim, autopublicação), Juliana Russo Burgierman (Pequenos acasos cotidianos, Sala Aberta), Ricardo Rodrigues (Nosso amor não é bom pra ninguém – breve catálogo de desamores, da Experimentos impressos) e Tatiana Nascimento (Leve sua culpa branca pra terapia, padê editorial). 

A literatura goiana estará representada por Gustavo Neiva Coelho, que lança Dias de chuva, publicado pela Trilhas Urbanas. O livro artesanal Peri patê, antologia poética resultante da Oficina Peripatética de Escrita Criativa também virá a publico na noite de domingo, com costura manual, tiragem limitada, especial para colecionadores.

Exposição

O produto das oficinas de carimbos artesanais, linogravura e as três oficinas de desenho ganha espaço para exposição nesta edição da feira. A galeria Antonio Poteiro da Vila Cultural Cora Coralina foi incorporada ao espaço da feira e-cêntrica e vai receber uma exposição individual de Sophia Pinheiro: Tekoypy ‒ a origem do mundo Mbyá-Guarani. A artista também traz a público os originais do retrato de Madalena Caramuru, arte que norteou a criação de identidade visual da feira e-cêntrica. 

Madalena Caramuru

A feira e-cêntrica integra o projeto Madalena Caramuru que, além desta ação de difusão da produção gráfica-literária independente, promove um programa de capacitação para gestores de bibliotecas públicas em Goiânia e Região Metropolitana. Entre abril e novembro de 2020, com apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás, a NegaLilu Editora e a Casa da Cultura Digital irão realizar seminários mensais para discussões ancoradas em dois marcos legais: Política Nacional de Leitura e Escrita (PNLE) e sobre o Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL).

Este programa de capacitação foi idealizado para fortalecer as bibliotecas públicas, mas está aberto a toda a comunidade interessada na cadeia produtiva do livro, no mercado editorial, em estratégias pedagógicas de qualificação da leitura e estímulo à escrita. Entre os profissionais convidados para a condução dos debates e dos grupos de trabalho formados pelos gestores de bibliotecas públicas estão: Alessandra Roscoe (DF), Aline Rochedo Pachamama-Churiah Puri (RJ), Claudine Duarte (DF), José Castilho Marques Filho (SP), Larissa Mundim (GO), Maria das Graças Monteiro (GO), Veridiana Negrini (SP) e Volnei Canônica (RS).

SERVIÇO

Feira e-cêntrica: 

7/3 – 11h às 20h

8/3 – 13h às 20h30

Vila Cultural Cora Coralina, atrás do Teatro Goiânia, em Goiânia

ENTRADA FRANCA

PROGRAMAÇÃO

6/3 sexta

9h  ̶  Oficina Peripatética de Escrita Criativa, com Cássia Fernandes  – parte 1

Local: Vila Cultural Cora Coralina (ponto de saída)

14h – Publique-se! Oficina de zine para professores, com Rico Lopes e Delza Eloy. Local: Centro Cultural UFG

17h30– Que negócio é esse?

Local: O Jardim/Evoé Café 

Convidados: Larissa Mundim (NegaLilu),  Lizandra Magon (Pólen Livros), Rodrigo Acioli (Titivillus), Wallison Gontijo (Impressões de Minas) e Wilson Rocha (Livraria Palavrear)

20h30 – Sarau #maisumsemdor e festinha de abertura da feira e-cêntrica

Local: Evoé Café

7/3 sábado – Vila Cultural Cora Coralina

9h  ̶  Oficina Peripatética de Escrita Criativa, com Cássia Fernandes – parte 2  

9h às 12h– Oficina de narração de histórias, com Juliana Mado 

9h – SINGULARIDADES: desenho e transgressão, com Ana Paula Francotti. Presença de modelo vivo

14h– Oficina de poesia, com Lucão

14h – Oficina de carimbos artesanais, com Rebellium Coletiva

14h – Oficina de livro cartonero, com Tatiana Nascimento 

14h – Minicurso: Edição de texto e representatividade, com Lizandra Magon 

13h – Faço seu retrato (cego), se você fizer o meu: Intervenção artística com Ana Francotti   

17h15 – Bate-papo: Diversidade, inclusão e acessibilidade

com Ademar de Queiroz, Ana Christina da Rocha Lima, Carla Lacerda e Chyntia Barcellos 

19h30 - Lançamento literário coletivo

Parem de nos matar, de Cidinha da Silva (Pólen Livros)

Sim, de Eliete Della Violla (autopublicação)

Pequenos acasos cotidianos, de Juliana Russo Burgierman (Sala Aberta)

Nosso amor não é bom pra ninguém – breve catálogo de desamores, de Ricardo Rodrigues (Experimentos impressos)

8/3 domingo - Vila Cultural Cora Coralina

10h – Oficina de Colagem, com Wolney Fernandes

10h – Oficina de Modelagem em Massinha como estratégia de mediação de leitura, com Larissa Toschi

10h – Oficina de zine, com Adriana Mendonça e Ilda Santa Fé 

14h – Oficina de Encadernação artesanal, com Telma Camargo 

14h – Oficina de Linogravura, com Luiz Antena

14h às 17h – Oficina de Desenho contemporâneo, com Patrícia Ferreira

14h – Roda de conversa: Desafios contemporâneos da ilustração no mercado editorial, com Ciça Fitipaldi (GO) e convidados: Juliana Russo Burgierman (SP), Luana Santa Brígida (GO), Lucas Gehre (DF) e Nestor Júnior (SC)

15h – Bate-papo: Lesbiandade na obra de Cidinha da Silva, com a presença da autora

16h – Roda de conversa: Novas estratégias de distribuição no mercado editorial, com Larissa Mundim (GO), Lizandra Magon (SP), Rodrigo Acioli (PE) e Wallison Gontijo (MG)

18h30 - Lançamento literário coletivo

Dias de chuva, de Gustavo Neiva Coelho (Trilhas Urbanas)

Leve sua culpa branca pra terapia, de Tatiana Nascimento (padê editorial)

Peri patê, vários autores (autopublicação resultante da Oficina Peripatética de Escrita Criativa)

Expositores da feira e-cêntrica 2020:

Alegrias Ilustradas (DF), Âmbar (GO), Ana Francotti (SP), Ana Póvoas (GO), Andorinea (DF), André Giusti (DF), Artera Galeria (GO), Arthur Moura Campos (SP), Ateliê ReTina (RS), Ateliê Tipográfico UFG (GO), AUA Coletivo (DF), Bibliofuscoteca (GO), Borogodó Editora (SP), Capitonê (GO), Carlos Edu Bernardes (GO), Cátia Ana (GO), Célia Gondo (GO), Cida Carneiro (GO), Cristiane Sobral (DF), Coletivo Bichofeo (SP), Coletivo e/ou (GO), Coletivo Fiasco (GO), David Mendoza (GO), Decimal (RS), Diogo Rustoff  (GO), Dita Livros (SP), Êbe Jaque e autores do Coletivo AVÁ (DF), Edições Barbatana (SP), Edições Kisimbi (DF), Editora Aleph (SP), Editora Nautilus (DF), Editora Trilhas Urbanas (GO), Eduardo Calazans (DF), Efêmera Azul (GO), Eliete Della Violla (SP), Experimentos Impressos (RS), Fanzinaço-Fanzinação (GO), Flor Absurda (SP), Flor de Saturno (GO), Front’Ana (GO), Gazy Andraus (GO), gomes e maia (SP), Hidrolands Grafish Atelier (GO), I botons e adesivos (GO), Impressões de Minas (MG), Isdrúxula (DF), João Guedes (SP), Juliana Minelli (RJ), Juliana Russo – Sala Aberta (SP), Jurupiá (GO), Kelly Alonso Braga (SP), Kuanza Produções (SP), Livraria Leodegária (GO), Livraria Palavrear (GO), Lote 42 (SP), LTG (DF), Lucão (GO), Mandrake Comic Shop (GO), Marilda Jorge Restaurações (GO), martelo casa editorial (GO), Marú (GO), Max Andrade (DF), MMarte (GO), MOP ‒ Mostra de Publicações Independentes (PE), Nanda Fer Pimenta (DF), NegaLilu (GO), Negócios Manuais (DF), Nestor Junior (SC), O Jardim (Vários), O sexo da palavra (MG), Outubro Edições (DF), padê editorial (DF), Patuá (SP),  Patworkpat (GO), Pedro Tostes (SP), Pedro Gabriel Campos Brasil (GO), Pio! Zines (GO), Pólen Livros (SP), Polim (GO), Rafaela Jemmene (SP), Rebellium Coletiva (GO), Rocinante Antiquário (GO), Ruptura Espaço Cultural (GO), Santa Brígida (GO), Selo Tinta de Raposa (DF), Sophia Pinheiro (RJ), Susano Correia (SP), Suzy Livros (GO), TC Objetos Com Arte (GO), Tiago Holsi (GO), Titivillus Editora (PE), Thiago Dornelas (GO), Velame Branco (GO), Wagner Mello (RS), Zé Ninguém (GO), Zonzo Escapes (DF).

Mesa coletiva de autores:

Day Fernandes (GO), Dill Ferreira (GO), Eddy Samadhi (DF), Gustavo Mendes (GO), Hulda Rode (GO), Larissa Brasil (GO) e Wélcio de Toledo (DF)

Ficha técnica | Projeto Madalena Caramuru – Etapa 1

Curadoria: Larissa Mundim
Arte: Sophia Pinheiro
Design Gráfico: Bia Menezes
Produção: Ademar de Queiroz e Natalliê Mundim 
Assistência de produção: Ana Caroline Silva Santos
Coordenação geral: Larissa Mundim
Compartilhe:

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

"Um novo dia para Francisco", por Ademir Pascale

Foto divulgação
*Por Ademir Pascale

O dia está amanhecendo. Francisco gosta daquela sensação que só as manhãs lhe proporcionam. O ar fresco enche-lhe os pulmões e a brisa fria faz sentir-se vivo. Vivo para mais um dia de labuta. Os feirantes já ocupam toda a rua. A banquinha de frutas já está armada e como de costume, Francisco tem que passar lá para pegar duas bananas que seu Juca, o proprietário, cede sem pestanejar. Aliás, todos os feirantes o conheciam pelo carisma que irradiava e pela força positiva que seu sorriso transmitia. As bananas lhe davam força suficiente para conseguir chegar até o meio-dia. Empurrando sua carroça, ia esbanjando alegria. Vez ou outra parava para cumprimentar os transeuntes ou os comerciantes da vila. Tira o boné e se curva perante os mais idosos. E faz isso quantas vezes for preciso. Os olhos atentos preparavam as mãos calejadas: papelão, latinhas e equipamentos eletrônicos usados. Tudo isso rendia alguns trocados, mas algumas coisas ele não vendia e até se apegava, como um radinho de pilhas da década de 80 que encontrou dentro de um saco de lixo. Sua carroça era equipada, enfeitada e colorida. Na traseira tinha uma antena de carro que encontrou no meio da sucata. O radinho fixo na parte interna da carroça era a sua alegria. Uma das laterais estampava a frase: “Dirigido por mim, guiado por Deus”, a outra simplesmente “Francisco”, com a letra “F” grande, completamente desproporcional ao restante das outras letras.
Os dentes esbranquiçados e lustrosos continuavam à mostra, mesmo com o suor escorrendo na testa. Fez uma parada rápida para beber água, trazida num squeeze que estava dentro de uma mochila velha. Vislumbrou o cenário da feira lá de longe. O colorido das frutas, verduras e legumes, o vai e vem das pessoas, um cenário bonito e alegre que o inspirava em sua jornada.
O meio-dia já vinha chegando e a fome já ia apertando. Era hora de parar, estacionar a carroça, sentar-se na calçada, abrir a mochila e pegar o lanche que estava embrulhado num papel de pão de padaria: dois pães com mortadela que foram consumidos em poucas abocanhadas, restando apenas um pedaço que fora jogado para um cãozinho com olhar de pidão. Francisco se levanta e estira os braços e as pernas, coça a barriga, olha para o céu e vê a imensidão daquele azul infinito. Fecha os olhos e os abre novamente, imaginando como é estranho estar num planeta suspenso no nada, girando e girando infinitamente como uma valsa que nunca se acaba.
O latido lhe faz despertar de seus pensamentos. É hora de voltar ao trabalho.
Francisco esfrega as mãos, abre o largo sorriso e começa a empurrar novamente a sua carroça, agora bem mais pesada. Os moradores da vila já o conhecem e facilitam seu trabalho, deixando nas portas das casas os papelões, revistas, jornais velhos e latinhas. Raramente ele encontra um aparelho eletrônico. Algumas pessoas também deixam roupas, mas muitas não lhe servem: roupas de crianças e trajes femininos. Essas ele vende num brechó.
As garotas também conhecem muito bem Francisco, galanteador como sempre, nunca deixa de ser cordial com ninguém. Seu sorriso é marcante e sua presença traz conforto. Sabe aquelas pessoas que nós queremos sempre estar próximos? Pois uma delas é Francisco.
Embaixo do sol escaldante, o corpo ainda esguio de cinquenta e poucos anos sua molhando as roupas, dando sinais de que logo deverá parar e fazer o trajeto de retorno vendendo os objetos que encontrou, já separados dentro do carrinho, como de costume.
Os compradores confiam em Francisco e avaliam os seus produtos sem muitos questionamentos. Os papelões, assim como as latinhas, são pesados. O dono do brechó paga pelas roupas. A lojinha de eletroeletrônicos usados compra o único aparelho que ele encontrou no dia: um DVD Player com um controle remoto preso em fita adesiva, com alguns riscos e com uns quatro anos de uso, mas em pleno funcionamento.
Francisco volta feliz, com o radinho ligado com as pilhas que acabara de comprar, sintonizado numa estação de rádio FM.
Ele passa rapidamente numa casa do norte e compra um pedaço de carne de sol e um pouco de mandioca, pois a noite fará uma janta especial. Entra no cortiço. Prende a carroça no portão com uma corrente e vai para seu quarto, o de número oito.
Após tomar banho de canequinha, prepara o jantar. Enquanto come a carne de sol frita com mandioca, olha os pôsteres que estão colados na parede: Trio Parada Dura, Raul Seixas, Secos & Molhados. Todos estão lá, como nos dias anteriores. Liga a TV de tubo que já está sintonizada em seu canal preferido. Retira os chinelos, senta em sua poltrona rasgada, coloca os pés sobre uma almofada e assiste ao noticiário, até adormecer.
...

O dia está amanhecendo. Francisco gosta daquela sensação que só as manhãs lhe proporcionam. O ar fresco enche-lhe os pulmões e a brisa fria faz sentir-se vivo. Vivo para mais um dia de labuta.

Sim, este será mais um feliz e ótimo dia em sua vida.
Compartilhe:

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Feira e-cêntrica de publicações independentes recebe inscrições para expositores até 7 de fevereiro

Crédito da imagem: Layza Vasconcelos
A terceira edição da feira e-cêntrica de publicações independentes abre inscrições para 100 expositores em 2020. Até o dia 7 de fevereiro, publicadores de todo o Brasil podem se candidatar a uma vaga para a exposição de livros especiais, zines e artes gráficas. Programada para 7 e 8 de março, na Vila Cultural Cora Coralina, em Goiânia, a feira e-cêntrica é realizada pela NegaLilu Editora e pela Casa da Cultura Digital e conta com o apoio do Fundo de Arte e Cultura e da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Editoras independentes, selos literários, coletivos criativos, ilustradores, designers e artistas gráficos interessados em participar da e-cêntrica podem se inscrever no site www.negalilu.com.br . Para esta edição da feira, não haverá cobrança de taxa de inscrição.

“O nosso desafio é ampliar a representatividade dos expositores, que já é crescente deste a edição passada, consolidando a e-cêntrica como feira nacional”, comenta a coordenadora e curadora, Larissa Mundim. A primeira edição foi realizada com 64 expositores e a segunda com 80 publicadores de seis estados.

Segundo ela, os participantes da feira podem compreender a e-cêntrica como uma ação de apoio à inovação do mercado editorial. “Mais do que uma estratégia de circulação da produção gráfica-literária independente, buscamos realizar um evento que fortalece agentes sub-representados, repensa modos de produção, discute o redimensionamento dos papéis estratégicos na cadeia produtiva do livro e estimula a leitura”, ressalta a coordenadora.

Além da exposição e venda de livros especiais, zines e artes gráficas, a feira prevê programação formativa com oficinas, rodas de conversa e minicursos, lançamentos literários e exposições de arte. As inscrições para estas atividades estarão abertas em 9 de fevereiro, quando a programação completa será divulgada pela NegaLilu Editora e pela Casa da Cultura Digital. Em 2020, a e-cêntrica integra a programação do Projeto Madalena Caramuru.

SERVIÇO
Feira e-cêntrica – Inscrições para expositores
Prazo: até 7 de fevereiro
Onde: www.negalilu.com.br

Compartilhe:

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Literatura e audiovisual nas oficinas da Fenelivro

Raimundo Carrero - Foto divulgação
O premiado escritor Raimundo Carrero, que lançou recentemente pela Cepe Editora a tetralogia definitiva Condenados à Vida, ministrará duas oficinas literárias durante a 4ª Feira Nordestina do Livro (Fenelivro), no Centro de Convenções, em Olinda.

A primeira oficina acontece nesta quinta-feira (20), segundo dia da feira, das 14h às 17h. "Falarei da construção de uma novela e o trabalho com as cenas", adianta Carrero. Como toda a programação é gratuita, basta chegar e se acomodar. Debruçada na mesma temática, a segunda oficina ministrada por Carrero ocorrerá no sábado (22), das 9h às 11h.

Outra oficina que deve interessar aos amantes da leitura será voltada para a construção do livro em si, de maneira artesanal. Na sexta-feira (21), às 14h, a editora Mariposa Cartonera ensinará ao público técnicas básicas de encadernação e pintura. Será exibido ainda um tutorial de como diagramar o livro usando como ferramenta o programa Word. A ideia é que cada participante saia com seu livro produzido.

Aliando iniciação ao audiovisual a partir da literatura, a proposta da oficina baseada no TVPE Escola é produzir videopoemas com dispositivos móveis, com direito a edição. "A ideia é que os roteiros produzidos sejam veiculados na TV Pernambuco", diz o instrutor Raphael França. As oficinas ocorrerão de 20 a 23 de setembro, das 14h às 17h, com dez vagas para cada dia. 
Compartilhe:

segunda-feira, 27 de março de 2017

Projeto Autores & Livros - Parque Mall

Feira Literária do Projeto Autores & Livros no Shopping Parque Mall Indaiatuba em Abril.

Nos próximos dias 7 e 8 de Abril  das 10.00 às 16.00 horas, estará acontecendo o Encontro Literário do Projeto Autores & Livros no Shopping Parque Mall Indaiatuba.

O evento contará com a presença de dezenas de escritores de Indaiatuba.

PROGRAMAÇÃO:

Dia 07 – Sexta
10.00 horas – Abertura.
15.00 horas – Contação de Histórias com Maria do Céu Aruângua.
16.00 horas – Encerramento.

Dia 08 – Sábado

10 horas – Abertura.
11.00 horas – Roda de Debate com os Escritores: Antonio Penna, Cybele Meyer e Wladimir Soares.
11.40 horas – Como Escrever um Livro com Marcos Otero.
13.00 horas - Encerramento

Os autores estarão vendendo e autografando suas obras, bem como, batendo um papo com os leitores e visitantes.

Alguns dos escritores que estarão presentes no evento:

Antonio da Cunha Penna, Maria do Céu Aruângua, Adelisa Silva, Airton Sobreira, Bruno Peron, Claudia Rato, Dárcio Romanelli, Luiza Salla, Moacir Torres, Marcos Otero, Otanir Vaz Pinto, Renata Pilger, Rodrigo Otaguro, Cybele Meyer, Jeferson Luiz Cabeça, Vera Ivanov, Wladimir Soares, muitos outros. Participação da TemDesenhos (caricaturas).

O evento é realizado pelo Estúdio EMT, Projeto Autores & Livros e Shopping Parque Mall Indaiatuba.

SERVIÇO:
Feira Literária do projeto Autores & Livros
Dia 07 de Abril das 10.00 às 16.00 horas

Dia 08 das 10.00 às 13.00 horas.
Local: Shopping Parque Mall Indaiatuba

Rua das Primaveras, 1050 - Jardim Pau Preto, Indaiatuba – SP.

Telefone: (19) 3115-3400 - Entrada Franca



Compartilhe:

domingo, 19 de março de 2017

USP promove a Feira de Livros da Física

O Centro Acadêmico da Física (Cefisma), do Instituto de Física (IF) da USP, promove, entre os dias 21 e 23 de março, das 9 às 20 horas, a Feira de Livros da Física.

O evento reúne diversas editoras, com títulos de seus catálogos vendidos com no mínimo 25% de desconto. A feira é aberta ao público interessado, mas especialmente estudantes (de qualquer área do conhecimento).As editoras confirmadas são: Aleph, Blucher, Boitempo, Cia das Letras, Editora 34, EdUnesp, EdUSP, Livraria da Física, Nova Alexandria, Perspectiva, Veneta.

A atividade é gratuita, não há necessidade de inscrição e acontece no Instituto de Física da USP, próximo ao Edifício Amélia Império Hamburger.

A programação completa está no site da Feira. Mais informações pelo telefone: (19) 97111-4015, ou pelo e-mail cefisma@cefisma.org.br, ou na página do facebook.



Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels