Mafalda: uma garotinha com visão aguçada, por Ademir Pascale

Mafalda Muitos leitores nascidos no final da década de 80 ou 90, provavelmente nunca ouviram falar da personagem Mafalda. Criada em 19...

Mostrando postagens com marcador Feminismo e literatura. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Feminismo e literatura. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Por que ler As Brumas de Avalon?

Por Fernanda Mellvee


“Todas as mulheres são, na verdade, irmãs para a Deusa”
 (Marion Zimmer Bradley, As Brumas de Avalon).

      Marion Zimmer Bradley, em As Brumas de Avalon, soube com muita competência criar personagens femininas com características distintas, pontos de vista e objetivos completamente diferentes, mas todas dotadas de forte personalidade e capazes de lutar por seus ideais, tornando os Cavaleiros da Távola Redonda, assim como seu rei, meros coadjuvantes. Outro aspecto interessante nesta obra é a reflexão que a autora faz sobre a condição feminina no início da Idade Média, abordando temas como casamento por conveniência, homossexualidade, liberdade sexual e aborto, que eram bastante discutidos na época em que o livro foi escrito, nos meados da década de oitenta. Os excertos abaixo exemplificam o questionamento a respeito de liberdade sexual e do casamento por amor e não por conveniência:

“E por um momento de paixão iria arrastá-lo a um compromisso para toda a vida? Os costumes das festas tribais eram mais sinceros, um homem e uma mulher que tivessem o sol e o luar no sangue podiam juntar-se, como queria a Deusa, e mais tarde, se o desejassem, morar juntos e criar filhos, depois pensava-se em casamento. Sabia, no fundo do coração, que não tinha realmente vontade de casar-se com Lancelot, ou qualquer outro. ” (BRADLEY, 2008, p.98-99).

“O que estou fazendo? Será apenas por ter me falado em nome da Deusa, de sacerdote a sacerdotisa? Ou será apenas porque, quando ele me toca, ou me fala, eu me sinta mulher e viva novamente, depois de todo este período em que me senti velha, estéril, semimorta, neste casamento com um homem morto e uma vida morta? (...). Pensou num desafio: Sou uma sacerdotisa, meu corpo é meu, para ser dado em homenagem a ela! ”
(BRADLEY, 2008, p. 145).
 Morgause, Morgana e Viviane, as três grandes personagens do romance na adaptação cinematográfica
     Além da discussão sobre o papel da mulher no início da Idade Média, que nos leva a uma reflexão sobre a condição da mulher na atualidade, com As Brumas de Avalon, Marion Zimmer Bradley nos apresenta um mundo diferente, repleto de crenças, onde a magia se une à religião e o Cristianismo e o Paganismo dividem o mesmo espaço. Em síntese, todos estes elementos distintos e, até controversos, contribuíram para tornar esta obra fascinante e tão atual, apesar de retratar uma época remota e de ter sido lançada há mais de três décadas."

Referências:
BRADLEY, M. As Brumas de Avalon. Rio de Janeiro: Imago, 2008.


Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA
clique sobre a capa

DO INCISIVO AO CANINO - BERT JR.

MAFRA EDITIONS

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

DIVULGUE O SEU LIVRO

FUTURO! - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels