Os 9 Canais Mais Legais do Youtube Para Quem Curte Livros e Assuntos Nerds

Se você adora livros e todo o universo que envolve literatura, além de assuntos nerds, dos quais 90% dos leitores curtem, como séries,...

Mostrando postagens com marcador Horror. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Horror. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 25 de junho de 2021

Participe da antologia (e-book) HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME VI. Leia o edital


PARTICIPE DA ANTOLOGIA (E-BOOK): HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME VI

Ouça o áudio da apresentação da antologia:


REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO NA ANTOLOGIA DIGITAL "HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME VI":

1 - Escrever um poema ou conto de suspense ou terror. Aceitaremos até 2 contos ou 2 poemas por autor. Caso sejam aprovados, os 2 textos serão publicados.

2 - SOBRE O CONTO OU POEMA: até 4 páginas, fonte Times ou Arial, tamanho 12, incluindo título.
     
3 - Tipo de arquivo aceito: documento do Word (arquivos em PDF serão deletados).

4 - O conto ou poema não precisa ser inédito, desde que os direitos autorais sejam do autor e não da editora ou qualquer outra plataforma de publicação.

5 - Idade mínima do autor para participação na antologia: 18 anos completos. Menores de idade irão precisar de autorização dos pais ou responsável, caso o conto ou poema seja aprovado.

6 - Envie o conto ou poema pré-revisado. Leia e releia antes de enviá-lo.

7 - Data para envio do conto ou poema: do dia 26/05/21 até 26/06/21.

8 - Veja ficha de inscrição no final desse texto. Leia, copie as informações e preencha. Envie as informações da ficha + o conto ou poema para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME VI

CUSTO PARA O AUTOR:

R$ 50,00 por conto ou poema. Caso o autor envie 2 poemas ou 2 contos e tenha os dois selecionados, o valor será R$ 100,00. As informações para depósito serão informadas ao autor no e-mail que enviaremos caso o conto ou poema seja aprovado.
O valor servirá para cobrir os custos de leitura crítica e revisão, diagramação e divulgação da obra.

A antologia será digital (e-book) e gratuita para os leitores baixarem através de download, ela não será vendida. A antologia será amplamente divulgada nas redes sociais da Revista Conexão Literatura: Fanpage e Grupos do Facebook e Instagram, que somam cerca de 180 mil seguidores.

O resultado será divulgado no site www.revistaconexaoliteratura.com.br e na fanpage www.facebook.com/conexaoliteratura, até o dia 27/06/21 (a data poderá ser prorrogada).

OBS: Enviaremos certificado digital de participação para os autores selecionados.


NOSSOS CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO:

A) - Criatividade;

B) - Textos preconceituosos, homofóbicos, racistas ou que usem palavras de baixo calão, serão desconsiderados;

C) - Seguir todas as regras para participação.

OBS.: Ademir Pascale, idealizador do concurso, disponibilizou para download uma apostila intitulada "Oficina Jovem Escritor", com dicas para quem está iniciando no mundo da escrita. Baixe gratuitamente, leia e pratique: CLIQUE AQUI.


FICHA DE INSCRIÇÃO DO AUTOR(A)

Nome completo do autor(a):

Seu Pseudônimo (caso use), para publicação na antologia:

Idade:

Título do conto ou poesia:

E-mail 1:
E-mail 2 (caso tenha):

Biografia em terceira pessoa (escreva sobre você num máximo de 7 linhas):
 

IMPORTANTE: Envie todas essas informações da ficha de inscrição para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME VI

O envio da ficha de inscrição + poesia ou conto para o e-mail indicado significa que o autor(a) leu todas as informações e regras dessa página para participação na antologia.

Não fique fora dessa. O concurso cultural será amplamente divulgado nas redes sociais.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.


Compartilhe:

segunda-feira, 17 de maio de 2021

Um presente para os leitores: e-book HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME V. Baixe o seu gratuitamente


Já está disponível para download o e-book "HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME V". Baixe o seu:

FICHA TÉCNICA:
Título: Histórias para ler e morrer de medo - Volume V
Organizador: Ademir Pascale
Coautores:  
Cleber Gimenes Freitas e Erica Ribeiro de Almeida - Clara
Idicampos - Velho fantasma
Pedro Gustavo Januário - Carcaça de Sentimentos
Roberto Minadeo - Zunido no Ouvido
Sid Fontoura - O Mistério de Baztan
Hélio Sena - Por todo lado o lago
Cecília Torres - O portal 666
Roberto Schima - O Poço
Luiz F. Haiml - "A segunda aliança" e "Pelos pecados do pai"
Fran Pigosso - Ursinho de pelúcia e sangue
Ney Alencar - "O Grito do Mapinguari" e "O Pescador de Homens"
Paulo de Barros Gabriel - Honra
Maikon Barboza - A Suspensão da Descrença
Sérgio Simka e Cida Simka - O vento que soprava no vale
Nelly (Emanoely de Jesus dos Santos) - "O Rio da pedra" e "Marisol"
Denis Leandro Carvalho Fioravante - Carlos Gomes
Nº de páginas: 108
Ano: 2021
Tipo: E-book (Livro digital)

PARA BAIXAR O E-BOOK GRATUITAMENTE: CLIQUE AQUI.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.

Compartilhe:

terça-feira, 27 de abril de 2021

Participe da antologia (e-book) HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME V. Leia o edital


PARTICIPE DA ANTOLOGIA (E-BOOK): HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME V

Ouça o áudio da apresentação da antologia:


REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO NA ANTOLOGIA DIGITAL "HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME V":

1 - Escrever um poema ou conto de suspense ou terror. Aceitaremos até 2 contos ou 2 poemas por autor. Caso sejam aprovados, os 2 textos serão publicados.

2 - SOBRE O CONTO OU POEMA: até 4 páginas, fonte Times ou Arial, tamanho 12, incluindo título.
     
3 - Tipo de arquivo aceito: documento do Word (arquivos em PDF serão deletados).

4 - O conto ou poema não precisa ser inédito, desde que os direitos autorais sejam do autor e não da editora ou qualquer outra plataforma de publicação.

5 - Idade mínima do autor para participação na antologia: 18 anos completos. Menores de idade irão precisar de autorização dos pais ou responsável, caso o conto ou poema seja aprovado.

6 - Envie o conto ou poema pré-revisado. Leia e releia antes de enviá-lo.

7 - Data para envio do conto ou poema: do dia 03/04/21 até 01/05/21.

8 - Veja ficha de inscrição no final desse texto. Leia, copie as informações e preencha. Envie as informações da ficha + o conto ou poema para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME V

CUSTO PARA O AUTOR:

R$ 50,00 por conto ou poema. Caso o autor envie 2 poemas ou 2 contos e tenha os dois selecionados, o valor será R$ 100,00. As informações para depósito serão informadas ao autor no e-mail que enviaremos caso o conto ou poema seja aprovado.
O valor servirá para cobrir os custos de leitura crítica e revisão, diagramação e divulgação da obra.

A antologia será digital (e-book) e gratuita para os leitores baixarem através de download, ela não será vendida. A antologia será amplamente divulgada nas redes sociais da Revista Conexão Literatura: Fanpage e Grupos do Facebook, Instagram e Twitter, que somam cerca de 160 mil seguidores.

O resultado será divulgado no site www.revistaconexaoliteratura.com.br e na fanpage www.facebook.com/conexaoliteratura, até o dia 02/05/21 (a data poderá ser prorrogada).

OBS: Enviaremos certificado digital de participação para os autores selecionados.


NOSSOS CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO:

A) - Criatividade;

B) - Textos preconceituosos, homofóbicos, racistas ou que usem palavras de baixo calão, serão desconsiderados;

C) - Seguir todas as regras para participação.

OBS.: Ademir Pascale, idealizador do concurso, disponibilizou para download uma apostila intitulada "Oficina Jovem Escritor", com dicas para quem está iniciando no mundo da escrita. Baixe gratuitamente, leia e pratique: CLIQUE AQUI.


FICHA DE INSCRIÇÃO DO AUTOR(A)

Nome completo do autor(a):

Seu Pseudônimo (caso use), para publicação na antologia:

Idade:

Título do conto ou poesia:

E-mail 1:
E-mail 2 (caso tenha):

Biografia em terceira pessoa (escreva sobre você num máximo de 7 linhas):
 
Sinopse do seu conto (se for poema não precisará de sinopse). Escreva no máximo 10 linhas:


IMPORTANTE: Envie todas essas informações da ficha de inscrição para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME V

O envio da ficha de inscrição + poesia ou conto para o e-mail indicado significa que o autor(a) leu todas as informações e regras dessa página para participação na antologia.

Não fique fora dessa. O concurso cultural será amplamente divulgado nas redes sociais.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.


Compartilhe:

quinta-feira, 22 de abril de 2021

Curte ler histórias de terror? Conheça "NOITES SOMBRIAS", de Ademir Pascale e baixe o e-book gratuitamente


APRESENTAÇÃO 

Num mundo difícil e cruel, Ademir Pascale apresenta personagens incompreendidos pela sociedade e protagonistas que lutam pela liberdade, mas que muitas vezes acabam indo parar no pior lugar possível: o inferno.
"Noites Sombrias" mescla várias histórias do autor que vão do terror até a fantasia e ficção científica. Um grito no meio da escuridão que irá fazer até os mais fortes estremecerem.
Leia, aventure-se e reze pela sua alma.

— Vou morrer, disse-me ele, tenho de morrer desta deplorável loucura. Aqui, e só aqui, está o meu fim. Tenho medo dos acontecimentos futuros, não por eles mesmos, mas por seus efeitos. Estremeço com a ideia de qualquer incidente, mesmo do mais trivial, que possa influir nesta intolerável agitação de espírito. Na verdade, não tenho aversão ao perigo, exceto no seu efeito absoluto — no terror.
Edgar Allan Poe, A Queda da Casa de Usher

FICHA TÉCNICA

Título: Noites Sombrias - Contos de Terror
Autor: Ademir Pascale
Quantidade de contos: 17 contos
Nº de páginas: 65
Tipo: E-book (Livro digital)
Lançado em maio de 2020

compartilhe com os amigos ;)

SOBRE O AUTOR

Ademir Pascale é paulista, escritor e ativista cultural. Criador e editor da Revista Conexão Literatura (www.revistaconexaoliteratura.com.br). Participou em vários livros, tendo contos publicados no Brasil, França, Portugal e México. Autor do livro “O Clube de Leitura de Edgar Allan Poe” (Editora Selo Jovem), organizador do livro “Possessão Alienígena” (Editora Devir) e dos e-books "O Legado de Edgar Allan Poe", "O Legado de H. P. Lovecraft", "O Legado de Bram Stoker", "Histórias Para Ler e Morrer de Medo, Vol. I, II, III, IV e V".
Entre em contato: ademirpascale@gmail.com

Compartilhe:

terça-feira, 30 de março de 2021

Stephen King e Stanley Kubrick: livro e filme "O Iluminado" (The Shining), por Ademir Pascale

Jack Nicholson
O nome de um é Stanley Kubrick, do outro Stephen King, o título do longa é "O Iluminado". Com o nome destes dois dinossauros envolvidos só poderia resultar num excelente trabalho.

O INÍCIO
Procurando um novo projeto para rodar, Kubrick se depara com o livro "The Shining", de Stephen King e em 1980, lança o longa-metragem "O Iluminado" que, no meu ponto de vista, é o longa que possui os movimentos de câmeras mais incríveis do mundo cinematográfico e isso porque foi elaborado na década de 80, época em que o protagonista Jack Nicholson abusava de sua juventude, mas sempre se mostrando um ator maduro. O destaque nas atuações vai sem dúvida nenhuma para "Nicholson", já a péssima atuação da atriz Shelley Duvall (Wendy), não atrapalha tanto e não baixa a cotação do longa que é excelente. Jack Nicholson não deixa muito espaço para outras atuações, nem mesmo para o pequenino ator Danny Lloyd (Danny Torrance, O Iluminado) que hoje deve estar beirando os seus 50 anos.

Sendo aéreas ou terrestres, as imagens são espetaculares e o operador de câmera deve ter sido um dos mais habilidosos que já existiu no mundo da sétima arte. Geralmente em uma resenha crítica, só é citado o nome dos atores e diretores, mas não devemos nos esquecer que um filme é elaborado na maioria das vezes por dezenas de pessoas. E para que um filme seja ótimo, toda a equipe também deve ser ótima, desde os câmeras até os assistentes e acredito que o assistente de direção Brian Cook, deve ter tido uma grande participação, não deixando o mérito apenas ao excêntrico Stanley Kubrick. 
Cena do filme
O longa é um tremendo suspense/terror. Os longa-metragens do mesmo gênero que estão sendo lançados ultimamente, não chegam nem perto, pois se compararmos as datas, notaremos que na década de 80 não existia os mesmos recursos de hoje, efeitos especiais, etc. e mesmo assim "O Iluminado" bate de frente com qualquer filme do mesmo gênero e ultrapassa as expectativas de qualquer bom cinéfilo.

Sobre o livro "The Shining", de Stephen King, Kubrick não seguiu a trama da história ao pé da letra e a modificou consideravelmente, dando uma pitada ao final do filme que só ele, Stanley Kubrick sabe fazer, dando a oportunidade de darmos diversos finais para um único longa-metragem, dependendo da criatividade de cada um, o que faz do final algo completamente incerto.

O livro de Stephen King fez tanto sucesso, que foi traduzido para diversas línguas e teve as mais variadas artes de capa.

Caso ainda não tenha lido o livro ou assistido "O Iluminado", não perca tempo e procure por eles. 

Título Original: The Shining
Gênero: Terror
Duração: 144 min.
Ano: EUA - 1980
Distribuidora: Warner Bros.
Direção: Stanley Kubrick
Roteiro: Diane Johnson e Stanley Kubrick, baseado em livro de Stephen King
Direção de Fotografia: John Alcott
Desenho de Produção: Roy Walker

CURTA A FANPAGE DA REVISTA CONEXÃO LITERATURA: CLIQUE AQUI
Compartilhe:

quarta-feira, 10 de março de 2021

Participe da antologia (e-book) HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME IV. Leia o edital


PARTICIPE DA ANTOLOGIA (E-BOOK): HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME IV

REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO NA ANTOLOGIA DIGITAL "HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME IV":

1 - Escrever um poema ou conto de suspense ou terror. Aceitaremos até 2 contos ou 2 poemas por autor. Caso sejam aprovados, os 2 textos serão publicados.

2 - SOBRE O CONTO OU POEMA: até 4 páginas, fonte Times ou Arial, tamanho 12, incluindo título.
     
3 - Tipo de arquivo aceito: documento do Word (arquivos em PDF serão deletados).

4 - O conto ou poema não precisa ser inédito, desde que os direitos autorais sejam do autor e não da editora ou qualquer outra plataforma de publicação.

5 - Idade mínima do autor para participação na antologia: 18 anos completos. Menores de idade irão precisar de autorização dos pais ou responsável, caso o conto ou poema seja aprovado.

6 - Envie o conto ou poema pré-revisado. Leia e releia antes de enviá-lo.

7 - Data para envio do conto ou poema: do dia 15/02/21 até 17/03/21.

8 - Veja ficha de inscrição no final desse texto. Leia, copie as informações e preencha. Envie as informações da ficha + o conto ou poema para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME IV

CUSTO PARA O AUTOR:

R$ 50,00 por conto ou poema. Caso o autor envie 2 poemas ou 2 contos e tenha os dois selecionados, o valor será R$ 100,00. As informações para depósito serão informadas ao autor no e-mail que enviaremos caso o conto ou poema seja aprovado.
O valor servirá para cobrir os custos de leitura crítica e revisão, diagramação e divulgação da obra.

A antologia será digital (e-book) e gratuita para os leitores baixarem através de download, ela não será vendida. A antologia será amplamente divulgada nas redes sociais da Revista Conexão Literatura: Fanpage e Grupos do Facebook, Instagram e Twitter, que somam cerca de 160 mil seguidores.

O resultado será divulgado no site www.revistaconexaoliteratura.com.br e na fanpage www.facebook.com/conexaoliteratura, até o dia 18/03/21 (a data poderá ser prorrogada).

OBS: Enviaremos certificado digital de participação para os autores selecionados.


NOSSOS CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO:

A) - Criatividade;

B) - Textos preconceituosos, homofóbicos, racistas ou que usem palavras de baixo calão, serão desconsiderados;

C) - Seguir todas as regras para participação.

OBS.: Ademir Pascale, idealizador do concurso, disponibilizou para download uma apostila intitulada "Oficina Jovem Escritor", com dicas para quem está iniciando no mundo da escrita. Baixe gratuitamente, leia e pratique: CLIQUE AQUI.


FICHA DE INSCRIÇÃO DO AUTOR(A)

Nome completo do autor(a):

Seu Pseudônimo (caso use), para publicação na antologia:

Idade:

Título do conto ou poesia:

E-mail 1:
E-mail 2 (caso tenha):

Biografia em terceira pessoa (escreva sobre você num máximo de 7 linhas):
 
Sinopse do seu conto (se for poema não precisará de sinopse). Escreva no máximo 10 linhas:


IMPORTANTE: Envie todas essas informações da ficha de inscrição para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME IV

O envio da ficha de inscrição + poesia ou conto para o e-mail indicado significa que o autor(a) leu todas as informações e regras dessa página para participação na antologia.

Não fique fora dessa. O concurso cultural será amplamente divulgado nas redes sociais.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.


Compartilhe:

terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

ENTREVISTA: Jorge Alexandre Moreira e o livro “Numezu”, por Cida Simka e Sérgio Simka


Fale-nos sobre você.

Nasci em 1972 em Pilares, subúrbio do Rio de Janeiro. Aprendi a ler muito cedo em casa, com minha mãe, e os livros estão na minha vida desde que posso me lembrar. Comecei a escrever contos de terror a caneta em folhas de caderno aos 12 anos e não parei mais. Em 2003, lancei meu primeiro romance de forma independente, Escuridão, um terror ambientado na Amazônia com um conflito entre Brasil e EUA como pano de fundo. Em 2018 lancei Parada Rápida, um suspense sobre uma mulher que desaparece em um posto de gasolina durante uma viagem de férias, e, em 2019, lancei Numezu, que ganhou o Prêmio Aberst como melhor livro de terror e foi finalista do Jabuti. Além disso, tenho algumas participações em antologias e alguns contos publicados separados. 

ENTREVISTA: 

"Numezu" foi finalista do Prêmio Jabuti 2020 e vencedor do Prêmio Aberst 2020. Como você encara essas premiações? Elas ajudaram a alavancar as vendas do livro? Qual foi a inspiração para ele? 

Gosto muito do que escrevo. Quase sempre, quando termino de escrever algo, aquilo me agrada. Se não, eu provavelmente teria largado no meio. Mas agradar o outro já é outra história. Então é muito legal, muito quentinho no coração, quando você começa a receber feedbacks positivos daquilo que escreve. E prêmios como esses são um feedback de outro nível. A Aberst é uma associação maravilhosa, íntegra e muito rigorosa, no que se refere a seu prêmio. As pessoas entendem do assunto e gostam de terror, policial e suspense. O Jabuti é um sonho de qualquer escritor e chegar à final, publicado pela Monomito, uma editora pequena, disputando com grandes nomes do mercado, foi uma vitória incrível. Maravilhoso. 

As premiações ajudaram bastante nas vendas, sim. Vivemos num mundo saturado de conteúdo e informação. Ninguém tem tempo para ler tudo, ver tudo. Ter uma referência, "esse livro foi premiado", sempre é um ponto de partida para uma escolha. 

Eu estava do alto de um penhasco, olhando o mar, quando vi um barquinho, sozinho, lá no meio do oceano. Me veio uma conjectura sobre o que poderia estar acontecendo lá e, logo na sequência, uma indagação se, talvez, alguém não poderia estar passando por apuros, naquele lugar tão lindo e paradisíaco. Daí, começou.

Fale-nos um pouco sobre os seus outros livros.   

Escuridão se passa em uma região remota e misteriosa da Amazônia, onde as copas das árvores formam uma cobertura tão espessa que o sol jamais chega ao chão. Nesse lugar, que é evitado pelos índios e até pelos militares, uma equipe de biopiratas norte-americanos que operava clandestinamente perde contato com a base e, alguns dias depois, é encontrada morta. No mesmo período, um grupo de militares brasileiros que investigavam a ação de estrangeiros naquela área é encontrado morto, também. Ambos os países pensam que foram atacados pelo outro lado e mandam mais tropas, mas, na verdade, há um terrível mistério milenar nessa região, que esses homens estão prestes a descobrir.

Parada Rápida é uma novela, um meio-termo entre um conto e um romance. Ela conta a história de um casal que retornava para casa após uma viagem de férias e decide parar em um posto. Enquanto o marido vai ao banheiro, a mulher e o carro desaparecem e ninguém vê nada, nem os frentistas. É um thriller de suspense com ritmo alucinante. Meus leitores que não curtem tanto histórias sobrenaturais consideram a melhor coisa que já escrevi. 

Águas Mortas, meu último lançamento, é um conto que está disponível separado, em e-book Kindle, mas que também veio como conteúdo bônus na edição em e-book de Numezu. Ele conta a história de uma vila de pescadores às voltas com o surgimento de um estranho tipo de peixe. É uma história misteriosa, cheia de crítica social e curtinha, mas bem interessante.

Como analisa o mercado editorial brasileiro no que tange aos livros de terror/horror?   

Eu acho que as perspectivas para o futuro são muito boas. Tudo bem que o brasileiro que lê não é tão dado a ler ficção, mas, dentre os que leem ficção, o terror e o suspense são bastante lidos. E temos ótimos nomes ganhando a atenção do público, como Márcio Benjamin, Oscar Nestarez, Paula Febbe, Claudia Lemes. Acho que quando o grande público leitor brasileiro conhecer os talentos nacionais, o resultado será muito bom. Acredito, até, que pessoas que não leem ficção habitualmente passem a ler mais.

O que tem lido ultimamente?  

Não estou me atendo a nenhum gênero. Estou lendo guiado por uma combinação de texto bem escrito e prazer. Se não ganhar minha atenção, largo. Comecei esse ano lendo "Caixa de Pássaros", de Josh Malerman, que é maravilhoso. Ano passado, os destaques ficaram para "O Sol é para Todos", de Harper Lee; "O Problema dos Três Corpos", de Liu Cixin; "Cama de Gato", de Kurt Vonnegut; "Mãos Secas com Apenas Duas Folhas", de Paula Febbe.

Quais os seus próximos projetos?    

Eu nunca falo sobre o que estou escrevendo. Não falo nem sobre o que é, nem para minha esposa. Em Numezu, por exemplo, ela só desconfiou seria um livro relacionado com barcos por conta da quantidade de pesquisas sobre veleiros que eu fazia, mas eu não falei nada. Mas posso dizer que tenho dois grandes projetos na manga. Um é uma novela que escrevi nos anos 90 e que precisa de muita revisão, mas é uma das coisas que mais gostei, dentre tudo que já escrevi. O outro é um romance que comecei e parei, há uns três anos, por conta de umas inconsistências de roteiro que eu não conseguia resolver. Mas vem coisa aí. Espero que vocês gostem.


CIDA SIMKA

É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019), O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020) e Horror na biblioteca (Editora Verlidelas, 2021). Organizadora dos livros Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020) e Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020). Colunista da revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA

É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela editora Uirapuru. Membro do conselho editorial da Editora Pumpkin e colunista da revista Conexão Literatura. Seu mais novo livro infantojuvenil se intitula Horror na biblioteca (Editora Verlidelas, 2021).

Compartilhe:

terça-feira, 5 de janeiro de 2021

Já está disponível o e-book "Bruxas". Baixe o seu gratuitamente


Sinopse: Nesta obra o leitor encontrará diversos contos e poemas de autores criativos que usam como tema principal as "Bruxas". 

Ficha técnica:

Título: Bruxas

Organizador: Ademir Pascale

Alessandro Mathera - O dia em que as artes quase morreram

Diego Angelo Silveira (Odrek Gonne) - O Amuleto Vermelho

Frederico Maximiliano Antunes Rocha (Max Rocha) - A Bruxa Daciana e A Origem da Bruxa

Idimarcos Ribeiro Campos (Idicampos) - Estrada de ferro e Linha interditada

João Gabriel Fernandes Manzi - Matinta Perera 

Kamila Cristina Moraes Alves (Kamila C. Moraes) - A caçadora

Nancy de Souza Correia Amorim (Scarlett-Hayalla) - Adeus Minha Amiga

Pedro Guastelli Fadini - Um conto de Halloween

Roberto Schima - Das Estrelas

Maria Vânia Abreu Pontes (Vânia Pontes) - Porção do Amor

Vinícius de Oliveira Resende (Vinícius Oliveira) - As mulheres de Sangagré

Elcio Aldrin Pantoja da Costa (Elcio Aldrin) - Chapéu de Palha

Tamires Nogueira da Silva (Tami Nogueira) - Que o fogo me faça esquecer

Nº de páginas: 76

Ano: 2021


PARA BAIXAR O E-BOOK GRATUITAMENTE: CLIQUE AQUI.

COMPARTILHE ;)


OBS.: para conhecer e participar de nossas antologias: clique aqui.






Compartilhe:

quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

Giovani Porti e o livro Lydia Moth, por Cida Simka e Sérgio Simka

Giovani Porti - Foto divulgação

Fale-nos sobre você.

Nascido em 1998 no Rio de Janeiro. Giovani ama escrever e publicou seu primeiro conto chamado “Pássaros”, em 2017, alcançando 4º lugar, em sua categoria, nos mais vendidos da Amazon. Seu segundo conto, de terror, "Lydia Moth" alcançou o 6º lugar, em horror, nos mais baixados em seu lançamento. Giovani Porti, atualmente, cursa Jogos Digitais e desde a infância é um gamer assíduo. Apaixonado por ocultismo, também é tarólogo e amante das faces da Lua.

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre o livro. O que o motivou a escrevê-lo?

Lydia Moth foi um pesadelo que tive no final de 2019. Era um daqueles sonhos loucos que nada faz sentido, que estou perdido e bem assustado. Queria passar essa sensação a quem tivesse contato com essa história. Primeiro, por minha faculdade, pensei em desenvolver um jogo sobre este pesadelo. Mas ainda não sou formado, não me sentia tão preparado. Aquela história fervia em minha cabeça, pedia para ser escrita, contada! Então comecei a escrever. Foi a obra a que mais me dediquei, a narrativa ganhava vida em minha cabeça como nenhuma outra antes. Os personagens se construíram de forma tão natural e tudo foi emocionante. Publiquei como um conto na Amazon, mas não estava satisfeito. Essa história não acabava ali.

Respirei por um tempo e em uma das minhas meditações a continuação surgiu. Foi mágico, certamente foi um presente do Universo. Em uma das cenas do livro existe uma consulta de tarot, onde eu joguei as cartas na realidade e assim foi escrito no livro. A conexão dessa história é muito forte e me deu todo tipo de emoção ao escrevê-la.

Fale-nos sobre outro livro seu.

Lydia será meu primeiro romance publicado. Mas já escrevi alguns contos como Pássaros, Pesadelos de Helena e Através das Grades.

Pássaros foi minha primeira publicação, um conto dramático que emocionou bastante meus leitores. "A vida é apenas um romance meloso entre o nascimento e a tragédia final que aguarda todos nós.", este conto também está disponível em formato físico, comigo, e em e-book na Amazon.

Pesadelos de Helena e Através das Grades são contos de terror gratuitos, disponíveis no WattPad.

https://giovaniporti.wixsite.com/autor

Como analisa a literatura de terror/horror escrita por brasileiros?

Sou muito fã da literatura nacional. Nosso povo escreve bem, apesar de todas as dificuldades que temos num país que não valoriza literatura. Somos guerreiros e apaixonados.

O terror nacional é tão magnífico. Temos Raphael Montes, um dos grandes nomes da nossa literatura. Recentemente li “Uma mulher no escuro” e é o tipo de história pela qual sou apaixonado! A cada capítulo um novo suspeito, você desconfia de cada personagem e o autor vai manipulando seu pensamento para no final lhe dar um choque.

Um nacional que está na lista dos favoritos é “Blasfêmia” da Maria Carolina Passos e Pathy dos Reis. Foi um dos livros que me fizeram querer escrever, fazer parte desse universo. Sou muito grato a Maria Carolina Passos que LEU Lydia Moth e deu uma opinião para colocar na orelha do meu livro. Imagina um fã receber um presente desses?

Também temos meus colegas de editora e amigos Jessé Diniz, autor de “Mary: A lenda como você nunca viu” e o Robson Gundim, autor de “Enquanto eles não vêm”, que são grandiosos!

O que tem lido atualmente?

Esse fim de ano resolvi dedicar ao calhamaço “It: a coisa” do Stephen King, mas li “O iluminado” do mesmo autor. Li alguns do Josh Malerman como “Inspeção” e “Piano Vermelho”. Também autores nacionais como Brendo Hoshington, Kenny Teschiedel, Renan Messias. Li “Amor Imperdoável” da autora Dresa Guerra que também deu uma opinião para orelha de “Lydia Moth”. Esse ano foi repleto de boas leituras, ótimas companhias para o período de isolamento.


CIDA SIMKA

É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019) e O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020). Organizadora dos livros Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020) e Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020). Colunista da revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA

É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela Editora Uirapuru. Membro do Conselho Editorial da Editora Pumpkin e colunista da revista Conexão Literatura. Seu mais novo livro se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020).


Compartilhe:

domingo, 6 de dezembro de 2020

Já está disponível para download o e-book HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VII


Ouça o áudio da apresentação da antologia HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VII



LISTA DOS CONTOS E AUTORES QUE COMPÕE A ANTOLOGIA "HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - CONTOS E POEMAS DE TERROR - VOLUME II"

01 - Rozz Messias - "Criaturas da lua"
02 - Gilson Salomão Pessôa - "Peçanha contra o Debulhador"
03 - Roberto Schima - "Repugnante Prisão"
04 - Paulo de Barros Gabriel - "O Guardião" e "Terra de Ninguém"
05 - Victor Galdino - "Doutores da Agonia"
06 - Katia Simões Parente - "Perseguição"
07 - Miguel S. Romanelli - "Quinze de Fevereiro"
08 - Fernando Antonio Prado Gimenez - "Dois dias de medo"
09 - Nancy de Souza Correia Amorim (Nancy Scarlett-Hayalla) - "Apocalipse Lycan" 
10 - Evelyn Mello e Sérgio Simka - "Vida in__til"
11 - Ricardo Stefoni - "Ultima Consulta" e "O toque"
12 - Cida Simka e Sérgio Simka - "Randival Luttoiv"
13 - Gisele Wommer - "O remédio"
14 - Maria Vânia Abreu Pontes (Menina da luz encantada) - "Sobrevivente"
15 - Cleber Gimenes Freitas - "Faminta"
16 - Ney Alencar - "O Grito do Hobergsgubben"
17 - Gustavo do Vale Gomes - "Antes do Sol Nascente"
18 - Wilian Franco de Oliveira - "Amor" e "Parecenças"

PARA FAZER O DOWNLOAD DO E-BOOK: CLIQUE AQUI.

COMPARTILHE ;)

Compartilhe:

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Participe da antologia (e-book) Histórias Para Ler e Morrer de Medo - Contos e Poemas de Terror - Volume II


PARTICIPE DA ANTOLOGIA (E-BOOK): HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - CONTOS E POEMAS DE TERROR - VOLUME II

Sinopse: Diversos contos e poemas de terror e sobrenaturais irão compor essas páginas tenebrosas com textos criados por autores criativos. Histórias para o leitor ler e morrer de medo. 

Ouça o áudio da apresentação da antologia HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VII



REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO NA ANTOLOGIA DIGITAL "HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - CONTOS E POEMAS DE TERROR - VOLUME II":

1 - Escrever um conto ou poema do gênero terror. Aceitaremos até 2 contos ou poemas por autor. Caso sejam aprovados, os 2 contos ou poemas serão publicados.

2 - SOBRE O CONTO ou POEMA: até 4 páginas, fonte Times ou Arial, tamanho 12, incluindo título.
     
3 - Tipo de arquivo aceito: documento do Word (arquivos em PDF serão deletados).

4 - O conto ou poema não precisa ser inédito, desde que os direitos autorais sejam do autor e não da editora ou qualquer outra plataforma de publicação.

5 - Idade mínima do autor para participação na antologia: 18 anos completos.

6 - Envie o conto ou poema pré-revisado. Leia e releia antes de enviá-lo.

7 - Data para envio do conto: do dia 18/10/20 até 19/11/20 (a data poderá ser prorrogada).

8 - Veja ficha de inscrição no final desse texto. Leia, copie as informações e preencha. Envie as informações da ficha + o conto ou poema para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: ANTOLOGIA HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME II

CUSTO PARA O AUTOR:

R$ 50,00 por conto ou poema. Caso o autor envie 2 contos ou poemas e tenha os dois selecionados, o valor será R$ 100,00. As informações para depósito serão informadas ao autor no e-mail que enviaremos caso o conto ou poema seja aprovado.
O valor servirá para cobrir os custos de leitura crítica e revisão, diagramação e divulgação da obra.

A antologia será digital (e-book) e gratuita para os leitores baixarem através de download, ela não será vendida. A antologia será amplamente divulgada nas redes sociais da Revista Conexão Literatura: Fanpage e Grupos do Facebook, Instagram e Twitter, que somam cerca de 150 mil seguidores.

O resultado será divulgado no site www.revistaconexaoliteratura.com.br e na fanpage www.facebook.com/conexaoliteratura, até o dia 22/11/20 (a data poderá ser prorrogada).

OBS: Enviaremos certificado digital de participação para os autores selecionados.


NOSSOS CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO:

A) - Criatividade;

B) - Textos preconceituosos, homofóbicos, racistas ou que usem palavras de baixo calão, serão desconsiderados;

C) - Seguir todas as regras para participação.

OBS.: Ademir Pascale, idealizador do concurso, disponibilizou para download uma apostila intitulada "Oficina Jovem Escritor", com dicas para quem está iniciando no mundo da escrita. Baixe gratuitamente, leia e pratique: CLIQUE AQUI.


FICHA DE INSCRIÇÃO DO AUTOR(A)

Nome completo do autor(a):

Seu Pseudônimo (caso use), para publicação na antologia:

Idade:

Título do conto ou poema:

E-mail 1:
E-mail 2 (caso tenha):

Biografia em terceira pessoa (escreva sobre você num máximo de 7 linhas):

Sinopse do seu conto (se for poema não precisará de sinopse). Escreva no máximo 10 linhas:


IMPORTANTE: Envie todas essas informações da ficha de inscrição para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: ANTOLOGIA ANTOLOGIA HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOLUME II

O envio da ficha de inscrição + conto para o e-mail indicado significa que o autor(a) leu todas as informações e regras dessa página para participação na antologia.

Não fique fora dessa. O concurso cultural será amplamente divulgado nas redes sociais.

COMPARTILHE ;)



Compartilhe:

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

SEXTA-FEIRA 13: "NOITES SOMBRIAS", de Ademir Pascale, comemora mais de 10 mil downloads


APRESENTAÇÃO 

Num mundo difícil e cruel, Ademir Pascale apresenta personagens incompreendidos pela sociedade e protagonistas que lutam pela liberdade, mas que muitas vezes acabam indo parar no pior lugar possível: o inferno.
"Noites Sombrias" mescla várias histórias do autor que vão do terror até a fantasia e ficção científica. Um grito no meio da escuridão que irá fazer até os mais fortes estremecerem.
Leia, aventure-se e reze pela sua alma.

— Vou morrer, disse-me ele, tenho de morrer desta deplorável loucura. Aqui, e só aqui, está o meu fim. Tenho medo dos acontecimentos futuros, não por eles mesmos, mas por seus efeitos. Estremeço com a ideia de qualquer incidente, mesmo do mais trivial, que possa influir nesta intolerável agitação de espírito. Na verdade, não tenho aversão ao perigo, exceto no seu efeito absoluto — no terror.
Edgar Allan Poe, A Queda da Casa de Usher

FICHA TÉCNICA

Título: Noites Sombrias - Contos de Terror
Autor: Ademir Pascale
Quantidade de contos: 17 contos
Nº de páginas: 65
Tipo: E-book (Livro digital)
Lançado em maio de 2020

compartilhe com os amigos ;)

SOBRE O AUTOR

Ademir Pascale é paulista, escritor e ativista cultural. Criador e editor da Revista Conexão Literatura (www.revistaconexaoliteratura.com.br). Membro Efetivo da Academia de Letras José de Alencar (Curitiba/PR). Chanceler da Academia Brasileira de Escritores (Abresc), título entregue por seu trabalho na disseminação da literatura e cultura. Participou em vários livros, tendo contos publicados no Brasil, França, Portugal e México. Autor do livro “O Clube de Leitura de Edgar Allan Poe” (Editora Selo Jovem), organizador do livro “Possessão Alienígena” (Editora Devir) e dos e-books "O Legado de Edgar Allan Poe" e "Histórias Para Ler e Morrer de Medo".
Entre em contato: ademirpascale@gmail.com

Compartilhe:

domingo, 5 de julho de 2020

EXCLUSIVO: O escritor Oscar Nestarez e a literatura de horror, por Cida Simka e Sérgio Simka

Oscar Nestarez - Foto divulgação
O renomado escritor Oscar Nestarez concedeu uma entrevista muito bacana sobre seus livros, sua pesquisa acerca do horror e fornece outros esclarecimentos que só o leitor da revista Conexão Literatura tem o privilégio de ler.

Fale-nos sobre você.

Sou um paulistano nascido em dezembro de 1980. Paulistano mesmo: vim ao mundo no hospital 9 de Julho, ao lado da Av. Paulista, e sou um incurável e apaixonado torcedor do São Paulo Futebol Clube. Lá pelo meio da infância, graças à minha mãe, que adorava cinema, música e literatura, fui apresentado ao universo do horror, de onde nunca mais saí. 

Hoje, sou pesquisador e ficcionista da literatura de horror, além de tradutor. De certa forma, sempre escrevi: fiz graduação em publicidade e propaganda na ESPM-SP e trabalhei como redator publicitário por doze anos. “Encerrei” a carreira em 2013, quando fui demitido e decidi me dedicar integralmente à literatura. Em 2014, ingressei no mestrado em Literatura e Crítica Literária da PUC-SP, estudando Edgar Allan Poe e Mário de Sá-Carneiro, e, após concluí-lo, comecei o doutorado na FFLCH-USP em 2018, estudando a produção contemporânea de literatura de horror no Brasil. Nesse período, publiquei uma coletânea de contos, Horror adentro (editora Kazuá) e um romance, Bile negra (editora Pyro), além de contos em inúmeras antologias, prefácios, apresentações e outros paratextos.

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre seus livros.

Minha primeira publicação ocorreu em 2013 - o estudo “Poe e Lovecraft - Um ensaio sobre o medo na literatura”, que foi o resultado da monografia de uma especialização em História da Arte que cursei. O livro está esgotado, mas pode ser baixado gratuitamente pelo meu site [https://www.terratreva.com/post/pdf-poe-e-lovecraft-um-ensaio-sobre-o-medo-na-literatura]. A seguir, publiquei uma coletânea de contos, Sexorcista e outros relatos insólitos, de tiragem pequena, creio que 150 exemplares - estão esgotados, também. 

Penso que minha primeira publicação ficcional de maior relevo seja a coletânea Horror adentro, lançada em 2016 por meio de um concurso literário realizado pela editora, a Kazuá. São treze contos em que procuro explorar diferentes possibilidades estruturais e temáticas de uma narrativa literária, sempre tendo em vista as potências do horror. Paralelamente à escrita desses contos, compus também meu primeiro romance, Bile negra, publicado originalmente em 2017 pela editora Empíreo e com uma reimpressão da Pyro, o selo de horror da mesma editora. Trata-se de uma narrativa de horror psicológico em medida dupla - tanto temática quanto estrutural. Na história, procurei trabalhar o meu maior medo, que é o de “enlouquecer conscientemente”. 

Fale-nos sobre sua participação em antologias.

Tanto Bile negra quanto Horror adentro seguiram, ou seguem, carreiras animadoras. E como resultado tenho experimentado a felicidade de ser convidado para publicar em diversas antologias. Destaco minha participação em duas delas: Mulheres vs. Monstros [https://loja.claudialemes.com.br/mulheres-vs-monstros], idealizada pela Cláudia Lemes, em que autores e autoras escolheram alguma personagem feminina consagrada da literatura, do cinema ou mesmo da mitologia para criar suas histórias - meu conto, intitulado “Nellie vai para casa”, teve como protagonista a Eleanor Vance, do romance A assombração da Casa da Colina, da Shirley Jackson; destaco também a Galeria Clarke de Suspense e Mistério, da editora Wish, em que cada autor criou uma história a partir de uma ilustração do Harry Clarke - meu conto é “O gato no vácuo”, e presta uma discreta homenagem ao gato preto de Poe.  

Você é pesquisador da literatura de horror. Fale-nos sobre sua pesquisa de mestrado e doutorado.

Com prazer. Embora eu sempre tenha sido curioso, minha pesquisa começou “oficialmente” na especialização que realizei em História da Arte, na FAAP-SP, de 2009 a 2011. Na época, tive aulas de literatura com uma professora maravilhosa, Thais Rodegheri Manzano, que até hoje me influencia. Lembro-me de ouvi-la falar e pensar: “meu sonho é conhecer uma fração do que essa mulher conhece, e comunicar isso com uma paixão semelhante.” Ela foi a minha orientadora na monografia, que depois se transformou em minha primeira publicação - um estudo bastante lato sensu, mais apaixonado do que embasado, da literatura de horror a partir de Lovecraft e de Poe, os maiores nomes desse campo. 

Essa publicação resultou em convites para que eu falasse sobre literatura de horror em eventos literários, dando palestras, etc. Mas eu sentia que precisava aprofundar a pesquisa, conhecer mais. Então, ingressei no Mestrado da PUC-SP, onde pesquisei o fantástico a partir dos contos “Ligéia”, de Edgar Allan Poe e “A grande sombra”, do português Mário de Sá-Carneiro, à luz de estudos de Tzvetan Todorov, Irène Bessière, Remo Ceserani, Davi Roas e Giorgio Agamben. Minha dissertação também está disponível para download aqui.   

Já no doutorado, que está em curso, pesquiso a literatura de horror brasileira contemporânea. Por meio dela, procuro responder perguntas fundamentais que sempre me fiz: o que é a literatura de horror? Como se constitui? Como se desvincula do gótico e do fantástico? Quais são as singularidades de textos de horror produzidos no Brasil? É um trabalho muito estimulante. Até porque posso aproveitar o lugar “estratégico” que ocupo, tendo contato frequente com leitoras e leitores, editoras e editores e outras escritoras e outros escritores de horror. Minha qualificação aconteceu em março deste ano (2020). Então, se tudo der certo, e a pandemia assim permitir, concluirei o doutorado no comecinho de 2022.

Que dicas poderia fornecer a um escritor que deseja escrever sobre horror?

Escrever sobre horror como um pesquisador, ou um crítico? Bem, a dica principal é a de sempre: ler o máximo possível. Ficção e não ficção, estudos, teses, etc. Quanto à ficção, não me refiro somente a textos de horror, mas de outras vertentes literárias, também, porque é isso que vai permitir ao crítico entender o lugar ocupado por narrativas de horror no contexto literário atual. E recomendo, é claro, exercitar muito a escrita. Porque textos críticos e teóricos têm natureza bem diferente daqueles ficcionais; constituem-se mais de uma conversa com o leitor. E é preciso cuidar para que essa conversa não fique maçante, entediante. 

Uma pergunta que não fizemos e que gostaria de responder.

Interessante isso! Acho que eu gostaria de responder à seguinte pergunta: “Há cerca de vinte anos, na época da graduação, você achava que estaria onde está hoje?”

Eu diria que não, de jeito nenhum. Até porque eu era um tanto desorientado em termos de carreira ou vocação. Quando criança, já pré-adolescente, eu queria ser cineasta na Romênia, dirigindo filmes de horror. Mas logo a realidade se apresentou e percebi que era um plano um tanto inviável. Eu tinha uma vaga ideia de que gostaria de trabalhar com algo envolvendo criação artística, mas não tinha muito rumo. Até fiz um exame vocacional - que acabou indicando a publicidade. E mesmo na faculdade eu não tinha muito norte, acabei indo pra redação publicitária porque possuía alguma imaginação e escrevia medianamente. Enfim, fui mais reagindo aos movimentos da vida do que agindo; e se me dissessem, naquela época, que estaria onde estou hoje, eu duvidaria muito. Porque não me sentia capaz de tomar as rédeas da minha própria vida. No entanto, foi o que aconteceu, e hoje eu não poderia ser mais feliz, me sentir mais realizado. Claro que ainda tenho muita coisa pra fazer, mas eu não gostaria, de jeito nenhum, de estar em qualquer outro lugar ou tempo que não este, que não no agora.

Seu site:

Leia a entrevista com a Cláudia Lemes:


CIDA SIMKA
É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019) e O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020). Organizadora dos livros: Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020) e Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020). Colunista da Revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA
É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela Editora Uirapuru. Membro do Conselho Editorial da Editora Pumpkin e colunista da Revista Conexão Literatura. Seu mais novo livro se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020).
Compartilhe:

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Cesar Bravo é destaque da nova edição da Revista Conexão Literatura, nº 59 (Maio/2020)



EDITORIAL

Mesmo em quarentena a Revista Conexão Literatura não para. Anunciamos recentemente o concurso literário “Os três melhores contos”. Os vencedores terão seus contos publicados na edição de junho de nossa revista, além de serem entrevistados. Também disponibilizei a apostila “Oficina Jovem Escritor”, que é o conteúdo de uma oficina que ministrei para autores iniciantes. O leitor encontrará tanto o link do concurso como da apostila nas páginas desta edição que destaca o grande escritor Cesar Bravo. Confira entrevista exclusiva que fizemos com ele.

“A beleza de qualquer classe em sua manifestação suprema excita inevitavelmente a alma sensitiva até fazer-lhe derramar lágrimas.” - Edgar Allan Poe

Participe da nossa edição de Julho. Saiba como, acesse:
www.revistaconexaoliteratura.com.br/p/midia-kit.html


Para baixar a edição da Revista Conexão Literatura nº 59: CLIQUE AQUI.

Assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail notícias atualizadas sobre o mundo da literatura. Chegará um e-mail para você confirmar a inclusão:

Insira o endereço do seu e-mail logo abaixo e receba nossas atualizações:


Ademir Pascale - Editor-Chefe
Compartilhe:

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Conto: "Amor Vampiro", por Roberto Schima



*Por Roberto Schima

    Chovera muito nos últimos dias.
    E as noites, tempestuosas, só traziam maus presságios.
    Vênus surgiu no céu e, breve, foi seguido por uma e outra estrela.
    Enfim, as nuvens de mau agouro e os relâmpagos aterradores foram embora.
    O Sol, na direção oposta, ainda era visível rente a linha do horizonte e seu dourado mesclava-se ao rubro como se uma mortalha de sangue separasse o que era divino dos pecados mundanos.
    Mas o crepúsculo não tardaria a findar e, na noite sem luar, tudo aquilo que fosse comparsa das trevas, estenderia suas asas sobre a terra.
    As luzes dos lampiões não seriam páreo para o que estaria por vir.
    O sacerdote, aflito, bem o sabia.
    - O tempo urge, José! - gritou ao jovem. - Oh, que agonia!
    Ao lado do esquife, José sequer virou seu rosto para o religioso. Sentia-se hipnotizado, pasmo, lívido, o retrato de um vazio que somente a mais profunda tristeza poderia pintar. Suas mãos tremiam. Seus ouvidos ainda sentiam ecoar o vozerio do ancião. A memória daqueles momentos permanecia nítida: os flertes, o nervosismo, a aceitação, os encontros, o calor em seus braços, as promessas e o compartilhar de respirações.
    - Depressa! - bradou o religioso. - Por Nosso Senhor!
    José deu mais um passo e, assim, pôde vê-la melhor. O tremor apoderou-se de seu corpo.
    - Ma-Ma-Maria... - balbuciou.
    O mausoléu pareceu ecoar sua voz mais nitidamente do que o clamor do sacerdote.
    Ou seria efeito da tortura que, então, flagelava o infeliz rapaz?
    José precisava agir rapidamente. Ele bem o sabia. Vários outros no vilarejo haviam passado por isso. A "cura" era muito bem conhecida. Sim, seu cérebro tinha uma consciência fria e cristalina do fato, e do que deveria fazer, não obstante, dentro de seu peito, uma ínfima chama arder, queimar sua alma como se ela fosse um papel de arroz. E ele, desgraçadamente, sentia o fogo a consumi-lo.
    - Maria!
    A estaca, agora, mirava para o centro do busto da vampira.
    Ela havia sido bela.
    Ela era bela!
    Apesar de sua palidez extrema, do vermelho obsceno em sua boca e do par de caninos cujas extremidades projetavam-se sobre o carnudo lábio inferior, o encanto daquele corpo não fora de todo maculado.
    - Rápido! - insistiu o velho sacerdote.
    Muito magro, a custo mantinha-se em pé. Somente a força ferrenha de quem combatera o Mal durante toda a sua existência fazia-o conservar um sopro de vida. Essa seria a sua derradeira missão, o seu último combate. Lastimava por ver-se obrigado a utilizar as forças de outro para tal. Lastimava por ter sido José, o infeliz escolhido; e, Maria, a vítima da vil criatura que ainda perambulava nas redondezas.
    O jovem reposicionou a estaca.
    A ponta aguçada tocou o seio esquerdo.
    O martelo foi erguido mais alto do que o necessário.
    - Eu estou vivo. Você pertence ao umbral, Maria. Porém, ao afundar em seu peito esta estaca, a vida será igualmente extraída de mim. Apagar-se-á a luz assim como o ocaso lá fora. Maria!
    As paredes espessas tornaram-se mais opressoras.
    As chamas dos lampiões tremeluziram.
    A atmosfera ficou mais gélida.
    - Vamos! - incitou o ancião, tossindo.
    Mas José, no instante derradeiro, hesitou. Petrificado, ele percebera.
    Os olhos de Maria... Eles se abriram!
    E, em sua mente, José escutou:
    "Ah, meu querido, apesar de morta... eu existo!"
    - Não! - gemeu o rapaz.
    O coração ficou descompassado. O sangue palpitou na estrada jugular.
    Ele fitava os olhos frios daquela coisa que, um dia, fora a sua amada Maria.
    Coisa...
    "É ela", corrigiu a pequena chama em seu peito.
    Coisa...
    "Não é ela!", gritou-lhe o cérebro em protesto.
    Coisa...
    O sacerdote, embora fraco e doente, decidiu avançar e tomar do martelo e da estaca, cumprindo ele próprio o amargo fardo. O exalar de sua respiração condensava-se diante dos olhos.
    Todavia, tarde demais se tornara.
    Martelo e estaca caíram pesadamente ao chão.
    O religioso emitiu um longo gemido, a dor de mil punhais.
    José, no fundo de seu ser, desejou lamentar, entretanto, não o conseguiu.
    Braços finos e brancos, dedos pálidos de unhas salientes detiveram sua razão no ar.
    E ele chorou.
    "Oh, meu amor, minha tortura, amor vampiro, por que teve de partir?"
    "Ah, meu doce José, nenhum destino assinado a sangue irá nos separar. Eu ainda sou. Eu existo."
    E repetiu na mente dele a voz na sepultura:
    "Eu existo!"
    Imediatamente, uma força não natural fez o sacerdote desabar sobre o piso de mármore, prostrado, desacordado, engolido por uma camada de névoa.
    A derradeira missão fracassara.
    A criatura ergueu seu torso com a mesma leveza do nevoeiro.
    A boca fria e carnuda entreabriu-se, os seios empinaram-se, braços de gelo envolveram o apaixonado José. E, então, os caninos.
    "Ah, Maria, sua boca em meu pescoço, seus caninos rompendo-me a carne evocam a doçura. Sim, doçura! Além da dor, além do medo, além da sanidade, além de meu amor pelo Senhor, todas as barreiras que a desgraça nos fez separar. Sim, agora, volto a mirá-la ternamente."
    O líquido precioso trafegou veloz pela estrada jugular.
    O esgar no rosto de José tanto poderia ser de dor, quanto de prazer.
    "Venha para mim, José. Venha! Juntos, seremos parte dessa noite e muitas outras que virão."
    "Oh, amada, pelo destino de mim separada. Criança da noite, embora levada. Ao seu lado renascerei tão certo quanto a vida que de mim se esvai. E, mais uma vez, juntos enfim, pelo séculos e séculos do porvir, seremos um, sempre um, como um eclipse que o dia trai e a noite atrai. O ontem, o amanhã, e, pela eternidade... o infinito Agora."
    E, assim, José morreu para a vida a fim de viver para a morte.
    Aquilo que se chamara Maria aguardou paciente ao lado dos dois homens.
    Quando a coisa que se chamara José despertasse, ambos teriam o primeiro aperitivo a repartir. Diziam que o vinho melhorava conforme o tempo, contudo, aquela encarquilhada garrafa de carne a seus pés teria tão pouco a oferecer...
    Ah, seria uma linda noite estrelada, afinal de contas!
    Muitas outras presas esperavam por eles, sob as cobertas do medo.
    E, na noite sem luar sobre o vilarejo, os comparsas das trevas estenderiam suas asas sobre a terra.


SOBRE O AUTOR:
Quando garoto, eu colecionava gibis de terror. Ganhei "Frankenstein", de Mary Shelley, aos treze anos. Assistia aos filmes da Hammer. E lia pelos cantos as histórias de R. F. Lucchetti. Desenhei diversos monstros também. Ah, sim, fui um garoto que amava os monstros. Apavoravam-me, mas eram meus amigos. Informações: Google, Clube de Autores, Amazon, Wattpad. Contato: rschima@bol.com.br.
Compartilhe:

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Naomi Grossman, atriz que interpretou Pepper em American Horror Story, participou da Horror Expo

Se você acompanha séries e assistiu Amerin Horror Story, você conhece Naomi Grossman, que interpretou Pepper e Samantha Crowe na série que conquistou fãs. A atriz norte-americana esteve presenta na maior feira de horror da América Latina, a Horror Expo, que aconteceu no último final de semana (18, 19 e 20 de outubro) no Pavilhão do Anhembi, que fica localizado na cidade de São Paulo.

A atriz nasceu no Colorado, mas tem uma forte ligação com a América do Sul, posto que já morou na Argentina. Ela também fala castelhano e arriscou falar português na Horror Expo.

Na segunda temporada da franquia - American Horror Story: Asylum -  a atriz interpretou a marcante Pepper, uma das internas de Briarcliff e que sofria de microcefalia. Já em American Horror Story: Freak Show, a personagem teve o seu passado contado, ou seja, foi a primeira personagem da série que participou mais de uma temporada.

Naomi interpretando Pepper em American Horror Story

A aparência de Pepper mexeu muito os fãs, principalmente quando descobriram como era Naomi fora das câmeras. Para a composição da personagem ela levava de duas a três horas para realizar a maquiagem, colocar as próteses e se transformar.

Sua volta à série se deu interpretando a satanista Samantha Crowe em American Horror Story: Apocalypse, a mais recente temporada da série e que foi veiculada em 2018.

No último dia da Horror Expo, Naomi participou de um painel em que falou sobre sua carreira e teve espaço para perguntas do público que estava no local.


Compartilhe:

Mick Garris, lendário cineasta, marcou presença na Horror Expo.

Parceiro de longa data do diretor Steven Spielberg e do escritor Stephen King, Mick Garris, cineasta americano, esteve presente na Horror Expo - a maior feira de horror da América Latina que teve sua primeira edição em São Paulo. O evento aconteceu no Pavilhão do Anhembi nos dia 18, 19 e 20 de outubro.

Mick Garris dirigiu grandes clássicos do horror/terror tanto para o cinema quanto para a televisão. No evento, o cineastra recebeu o prêmio Horror Expo Lifetime Achievement Award.

Garris possui em seu currículo trabalhos que moldaram a história do entretenimento e cultura pop.  Podemos citar  a série “Amazing Stories” (“Histórias Maravilhosas”), criada por Steven Spielberg e que foi ao ar entre os anos de 1985 e 1987, vencendo cinco Emmy Awards, e “Masters of Horror” (“Mestres do Horror”), produção exibida entre nos anos de 2006 e 2007.

Sob a direção de Mick, “Masters of Horror” reuniu grandes nomes do horror/terror, como John Carpenter, Larry Cohen, Don Coscarelli, Joe Dante, Guillermo Del Toro, Tobe Hooper, John Landis, Dario Argento, Eli Roth, entre muitos outros. Garris também participou em séries como “Tales From The Crypt” (“Contos da Cripta”), “Pretty Little Liars”, “Witches of East End” (“As Bruxas de East End”), “Shadowhunters” e ” Once Upon a Time”.


Com 67 anos de idade, o cineasta também tem produções para a TV.  Ele dirigiu adaptações de obras de Stephen King, como “Sleepwalkers” (“Sonâmbulos”, 1992), “The Stand” (“A Dança da Morte”, 1994), “The Shining” (“O Iluminado”, versão de 1997 estrelada por Rebecca De Mornay, Steven Weber e Melvin Van Peebles), “Riding the Bullet” (“Montado na Bala”, 2004), “Stephen King’s Desperation” (“Desespero”, 2006), “Bag of Bones” (2011). Também foi responsável por clássicos do terror cult, como “Critters 2: The Main Course” (“Criaturas 2”, 1988) e “Psycho IV: The Beginning” (“Psicose 4: A Revelação”, 1990), além de ser escritor/roteirista de “Batteries Not Included” (“O Milagre Veio do Espaço”/”O Milagre da Rua 8”, 1987), “The Fly II” (“A Mosca 2”, 1989), “Hocus Pocus” (“Abracadabra”, 1993) e, dentre outros, “Michael Jackson’s Ghosts”, famoso curta-metragem escrito por Garris, Stephen King e Michael Jackson, e estrelado pelo saudoso Rei do Pop.

Sua trajetória teve início como vocalista da banda de rock Horsefeathers. Ele foi noemado conselheiro fixo no Hollywood Horror Museum. Atualmente atua tanto com sua produções como com o podcast "Post Mortem", que é parte da rede Blumshouse.



Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels