Participe da antologia (e-book) CONTOS E POEMAS ASSOMBROSOS - VOL. VI. Leia o edital

  Participe da antologia (e-book) CONTOS E POEMAS ASSOMBROSOS - VOL. VI.  Leia o edital:  CLIQUE AQUI.

Mostrando postagens com marcador Infinitos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Infinitos. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

Crônica "Infinitos", por Roberto Fiori


Quem nunca chorou, igual a uma criança perdida, quando terminou de assistir a um filme em um cinema ou em na sala de estar de sua casa? Quem não se desesperou ao perder o próprio pai? Ou, se isso fosse imaginável, o que aconteceria com a sanidade de uma pessoa ao ver seu planeta ser destruído, juntamente com 8 bilhões de seres humanos?

Revolta, tristeza, perplexidade, neuroses, psicoses, manias, síndromes do pânico, stress, uma ou várias dessas características poderiam ser adquiridas ao ver toda Humanidade ser consumida em um único segundo. O cataclisma do impacto de um asteroide com nosso mundo parece estar sempre à beira de uma repetição. Há uma neurose persistente, uma ideia recorrente pertencente ao Transtorno Obsessivo Compulsivo, quando se é anunciado que um cometa ou um bólido passará perto da órbita terrestre.

Vivemos ainda na Idade Média do conhecimento. A imensa maioria dos homens e mulheres acham que, ou a Terra é plana como a superfície de uma piscina, ou acreditam piamente que uma ou outras raças são superiores às demais.

Mas esses são dois exemplos. O que ocorre é a superstição e a crença em que muitos estão atrelados, devido a ideias que foram passadas na infância ou foram adquiridas por influência de outrem. Quando pararmos de nos preocupar com tais superstições e nos voltarmos para problemas reais, como a fome e a ausência de habitação e educação para bilhões, então estaremos no rumo certo.

Existem cada vez mais estrelas, Galáxias e planetas sendo descobertos, mês após mês. É muito possível que o Universo não tenha fim. Que os mundos e estrelas que o compõem sejam fruto de uma sequência de Big-Bangs ou, como o astrônomo Fred Hoyle afirmou, que a matéria seja criada a partir do zero. Infinitos... como seria a ideia do infinito, se o ser humano é finito em todos os aspectos? Pode-se conceber uma representação do infinito através da Fita de Möbius. Quando você segura uma tira de papel e faz uma meia torção em uma das pontas, para a seguir unir as extremidades desse novo objeto, você tem a Fita de Möbius. 

Ela é infinita em si mesma, ou seja, se você seguir sua superfície, sem tirar o dedo de cima da fita, acabará chegando ao mesmo local de início. Não há fim, nem começo. Não há diferenças nas partes que você toca com o dedo. Na verdade, ninguém se torna louco ou imprevisível, ou adquire demência precoce, nem se torna psicopata só de ver e manipular tal fita.

Ainda assim, não compreendemos inteiramente a a ideia do infinito. Mas um homem, Georg Cantor, atingiu a maturidade intelectual para afirmar que a ideia de uma classe de infinitos é maior do que outra. Ou seja, falando em termos simples, o conjunto dos números reais R é maior que o conjunto dos números naturais N, pois R contém N, e R é maior que N, por conseguinte. Esse pode ser visto como um exemplo de paradoxo, mas é possível provar que R > N, bem como é possível provar que C (conjunto dos números complexos) > R, sendo que C será composto de todos os números reais, mais o total de números imaginários, ou as raízes de números negativos.

A ideia do infinito vem desse matemático, que afirmou e demonstrou que o conjunto dos objetos sólidos de três dimensões é maior do que o conjunto dos objetos planos de duas dimensões, que é maior do que o conjunto dos objetos de uma dimensão (retas, por exemplo), que é maior que o conjunto do objeto de zero dimensão (o ponto geométrico). Assim, poderíamos dizer que objetos com dimensão maior que 3, existindo em planos superiores de existência, existiriam fora de nossa imaginação, a não ser que estudemos sua projeção sobre a terceira dimensão. Um objeto com 4 dimensões teria como dimensão extra, superior à terceira dimensão, a dimensão temporal. Não conseguimos visualizar o tempo, como dimensão, nesse caso, somente poderemos medir o tempo como variável numérica, e que seria medido pela contagem de eventos que ocorrem periodicamente.

O homem é um ser paradoxal. No filme de longa-metragem “Jornada nas Estrelas – A Volta para Casa”, o capitão James Tiberius Kirk afirma que, no século XX, a Humanidade é composta de pessoas de personalidade psicopata. Ele não estava de todo certo, nem de todo errado. Há mais de 2 milhões de presidiários só nos E.U.A., a maioria acusada de crimes que vão desde o latrocínio até o estupro seguido de morte.

O homem não é um ser bom. Ele é imperfeito, suas virtudes são, em muitos e muitos casos, menores que seus defeitos. É por isso, talvez, que nós ainda não fomos visitados por seres de outras partes do Universo, isso se houver alguma raça extraterrestre que tenha nos estudado com atenção.

Um dia, quando esse período de transição de uma classe evolutiva para outra passar, e nos tornemos responsáveis, adultos em todos os sentidos e destituídos de doenças ou compulsões, poderemos visitar nossos irmãos em Alpha Centauri, a 4 anos-luz de distância, Rigel, Sirius, Betelgeuse, Arcturus, as Galáxias de Andrômeda, os aglomerados da Ursa Menor e Ursa Maior, enfim, todos os tipos de planetas nos receberão de braços abertos, como seres vivos pertencentes à Fraternidade Universal. Mas é necessário um esforço de nossa parte. Não conseguimos nada do acaso. Mesmo os textos de Fantasia e Ficção Científica que muitos leitores adoram foram escritos à custa de noites sem dormir e períodos de extrema atividade intelectual, à custa de suor e muito esforço.


SOBRE  O AUTOR:
Roberto Fiori é um escritor de Literatura Fantástica. Natural de São Paulo, reside atualmente em Vargem Grande Paulista, no Estado de São Paulo. Graduou-se na FATEC – SP e trabalhou por anos como free-lancer em Informática. Estudou pintura a óleo. Hoje, dedica-se somente à literatura, tendo como hobby sua guitarra elétrica. Estudou literatura com o escritor, poeta, cineasta e pintor André Carneiro, na Oficina da Palavra, em São Paulo. Mas Roberto não é somente aficionado por Ficção Científica, Fantasia e Horror. Admira toda forma de arte, arte que, segundo o escritor, quando realizada com bom gosto e técnica apurada, torna-se uma manifestação do espírito elevada e extremamente valiosa.

Roberto Fiori sempre foi uma pessoa que teve aptidão para escrever. Desde o ginásio, passando pelo antigo 2º Grau, suas notas na matéria de redação eram altas, muito acima da média. O que o motivava a escrever eram suas leituras, principalmente Ficção Científica e Fantasia. Descobriu cedo, pelo mestre da Fantasia Ray Bradbury, que era a Literatura Fantástica que admirava acima de qualquer outro gênero literário.

Em 1989, sob a indicação de uma grande amiga sua, Loreta, que o escritor conheceu a Oficina da Palavra, na Barra Funda, em São Paulo. E fez uma boa amizade com o maior professor de literatura que já tive, André Carneiro. Sem dúvida alguma, se não fosse pelo André, Roberto nos diz que jamais saberia o que sabe hoje, sobre a arte da escrita. Nos cursos que ele ministrava, o autor aprendeu na prática a escrever, as bases de como tornar uma mera história de ficção em uma obra que atraísse a atenção das pessoas.

“Futuro! – Contos fantásticos de outros lugares e outros tempos” é uma obra parte Fantasia, parte Ficção Científica, parte Horror, e que poderá vir a se tornar realidade, quer em outra época, no futuro, quer em outra dimensão paralela à nossa. Vivemos em um Cosmos que não é o único, nessa teia multidimensional chamada Multiverso. Ele existe, segundo as mais avançadas teorias da cosmologia. São Universos Paralelos, interligados por caminhos ou “wormholes” – buracos de minhoca. Um “wormhole” conecta dois buracos negros, ou singularidades, em que a gravidade é tão elevada que nada pode escapar de sua atração gravitacional, nem mesmo a luz. Em tais “wormholes”, o tempo e o espaço perdem suas características, tornam-se algo que somente pode-se especular e deduzir matematicamente.

“Futuro! – Contos fantásticos de outros lugares e outros tempos” é uma coletânea de treze contos e noveletas. Invasões alienígenas por seres implacáveis, ameaças vindas dos confins da Via Láctea por entidades invencíveis, a luta do Homem contra uma raça peculiar e destrutiva ao extremo, terrível e que odeia o ser humano sem motivo algum. Esses são exemplos de contos em que o leitor poderá não enxergar qualquer possibilidade de sobrevivência para o Homem. Mas, ao lado de relatos de pesadelo, surgem contos que nos falam de emoções. Uma máquina pode apresentar emoções? Ela poderia sentir, se emocionar? Nosso povo já esteve à beira da catástrofe nuclear, em 1962. Isso é realidade. Mas e se nossa sobrevivência tivesse sido conseguida com uma pequena ajuda de uma raça semelhante à nossa em tudo, na aparência, na língua, nos costumes? E que desejaria viver na Terra, ao lado de seus irmãos humanos? Há histórias neste livro que trazem ao leitor uma guerra milenar, que poderá bem ser interrompida por um casal, cada indivíduo situado em cada lado da contenda. E há histórias de terror, como uma presença, não mais que uma forma, que mata, destrói e não deixa rastros. 
Enfim, é uma obra de ficção, mas que poderá vir a se revelar algo palpável para o Homem, como na narrativa profética da destruição de um planeta inteiro.

PARA ADQUIRIR O LIVRO OU SABER MAIS: CLIQUE AQUI.


Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA
clique sobre a capa

DO INCISIVO AO CANINO - BERT JR.

MAFRA EDITIONS

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

DIVULGUE O SEU LIVRO

FUTURO! - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels