Entrevista com Georgina Célia Maksoud, autora do livro "Sem medo de viver"

Georgina Célia Maksoud - Foto divulgação Georgina Célia Maksoud nasceu no início dos anos 50 no Guarujá, onde cresceu acalentando o sonho d...

Mostrando postagens com marcador Japão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Japão. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 17 de junho de 2021

Mauricio de Sousa é convidado especial em encontro online da Japan House São Paulo


São Paulo, junho de 2021 – 
A Japan House São Paulo exalta a importância dos quadrinhos na relação entre Brasil e Japão em uma live especial com o cartunista brasileiro, Maurício de Sousa, no dia 22 de junho, às 20h, no canal do YouTube da instituição nipônica. Sob o título “Os quadrinhos como ponte entre Brasil e Japão”, o bate papo conta as participações de Akira Yamada, Embaixador do Japão no Brasil e Eduardo Saboia, Embaixador do Brasil no Japão, e será mediado por Natasha Barzaghi Geenen, diretora cultural da Japan House São Paulo.

Aberta ao público e gratuita, a live ressaltará a influência dos quadrinhos em todo o mundo. Indo além do entretenimento, os mangás (quadrinhos japoneses) exercem o importante papel de aproximar o público estrangeiro da cultura e dos valores do povo nipônico. No encontro virtual, os convidados também destacam a rica amizade de Osamu Tezuka, pai do mangá moderno, com o criador da Turma da Mônica, Mauricio de Sousa, objeto de exposição virtual organizada pela Embaixada brasileira e disponível no site  https://mspjapan.co.jp/event2021-pt/.

Essa não é a primeira vez que a Japan House São Paulo destaca as criações de Mauricio de Sousa em sua programação online. Estão disponíveis no YouTube da instituição uma entrevista com o artista e vídeos que destacam a coletânea “Turma da Mônica - Lendas Japonesas” (Ed. JBC) por meio das contações de histórias em torno dos folclores japonês Momotaro e O Coelho da Lua, que narram sobre amor, amizade, colaboração, compartilhamento de saberes e generosidade. No site, a instituição disponibiliza a edição especial do quadrinho “Turma da Mônica: Brasil e Japão, 110 anos de amizade”, lançado em 2018 para celebrar a data. E nas redes sociais há conteúdo sobre a cartilha “Turma da Mônica e a Escola no Japão”, material em formato de gibi, que relata uma aventura literária criada para apresentar a cultura japonesa para famílias estrangeiras que vivem no Japão, colocando de forma didática algumas tradições que ajudam crianças brasileiras a se adaptarem às escolas nipônicas. 

Serviço

Japan House São Paulo

Live ‘Os quadrinhos como ponte entre Brasil e Japão’ com Mauricio de Sousa, Akira Yamada, Embaixador do Japão no Brasil e Eduardo Saboia, Embaixador do Brasil no Japão

Quando:  22 de junho, às 20h (Terça-feira)

Onde:  Canal do YouTube da Japan House São Paulo no Youtube

 

Especial Turma da Mônica: Brasil e Japão, 110 anos de amizade (Edição Especial)

Link: Site Japan House São Paulo

 

Cartilha: Turma da Mônica e a Escola no Japão

Link: Redes Sociais Japan House São Paulo

 

Turma da Mônica - Lendas Japonesas: O Coelho da Lua

Link: https://www.youtube.com/watch?v=-9_weohk_d0

 

Turma da Mônica - Lendas Japonesas: Momotaro

Link: https://www.youtube.com/watch?v=Ku_5rUKaL88

 

JHSP Entrevista: Mauricio de Sousa

Link: JHSP ENTREVISTA: MAURICIO DE SOUSA (LEGENDAS EM JAPONÊS) (日本語字幕)

 

Acompanhe a JAPAN HOUSE São Paulo nas redes sociais:   

Site: https://www.japanhousesp.com.br  

Instagram: https://www.instagram.com/japanhousesp    

Twitter: https://www.twitter.com/japanhousesp  

YouTube: https://www.youtube.com/japanhousesp  

Facebook: https://www.facebook.com/japanhousesp  

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/japanhousesp  

  

Sobre a Japan House São Paulo (JHSP): 

A Japan House é uma iniciativa com a finalidade de divulgar os diversos atrativos, atividades e medidas governamentais do Japão, ampliando o conhecimento de toda a comunidade internacional referente à cultura japonesa. Inaugurada em 30 de abril de 2017, a Japan House São Paulo foi a primeira a abrir as portas, seguida por Londres (Inglaterra) e Los Angeles (EUA). Atua como plataforma pública na geração de oportunidades de cooperação e intercâmbio entre o Japão e o Brasil, nas mais diversas áreas como artes, negócios, esportes, design, moda, gastronomia, educação, turismo, ciência e tecnologia. Apresentando o Japão, promove exposições, seminários, workshops e inúmeras outras atividades em sua sede, em outros espaços e digitalmente. Em fevereiro de 2020, a Japan House São Paulo alcançou a marca de 2 milhões de visitantes, sendo considerada uma das principais instituições culturais da Avenida Paulista. Desde abril de 2020, a instituição possui a Certificação LEED na categoria Platinum - o mais alto nível de reconhecimento do programa - concedida a edificações sustentáveis.  

Compartilhe:

sexta-feira, 24 de julho de 2020

Conheça mais sobre conceitos japoneses na programação online da Japan House São Paulo

São Paulo, julho de 2020 - A Japan House São Paulo segue trazendo em suas redes sociais o projeto #JHSPONLINE, com programação repleta de conteúdo e atividades que tem como objetivo trazer informações sobre o Japão contemporâneo, respeitando o distanciamento social. A programação especial visa apresentar diariamente, diversos temas como gastronomia, literatura, arte e assuntos gerais que abordam conhecimentos, dicas e curiosidades sobre o país nipônico.

Para o período entre 27 de julho a 7 de agosto, os costumes japoneses seguem com grande importância na programação, agora apresentando o Meishi, nome usado para designar "cartão de visita" como parte de uma tradicional formalidade no Japão. A troca de cartões é revelada como fundamental não somente no ambiente dos negócios, mas também na vida cotidiana.

Outro ponto da cultura japonesa explorado é o Hanabi Taikai - festividade japonesa realizada durante o verão em diversas cidades de todo o país, onde são queimados fogos de artifício – é destacada em uma postagem para o público conhecer mais sobre a história dessa importante comemoração japonesa.

Confira abaixo a programação completa entre 27 de julho a 6 de agosto:

27 de julho – Segunda-feira

Os tipos de Wagashi com Cristiane Sampei

Wagashi é o nome utilizado para os doces tradicionais japoneses. Feitos de maneira artesanal, são muito delicados e refinados e consumidos em todo o Japão. Nesse vídeo, a chef patissière que, em 2018, ganhou uma bolsa de estudos para aprimorar seus conhecimentos sobre a confeitaria japonesa in loco, fala um pouco sobre os diferentes tipos de wagashi.

28 de julho – Terça-feira, às 16h

Conversa com o Educativo/ A Artesania Japonesa: Entre a cabeça e as mãos

Um encontro inspirado pela exposição “Japão 47 Artesãos”, que esteve em cartaz na Japan House São Paulo em 2019, explora a artesania na cultura japonesa, além de discutir a relação entre arte e artesanato, a importância do trabalho manual e o diálogo entre a tradição e a contemporaneidade no artesanato japonês.


Contação de História Momotaro - ‘Turma da Mônica - Lendas Japonesas’ 

Dando sequência à parceria com Mauricio de Sousa Produções, agora ampliada com inclusão da Editora JBC, a Japan House São Paulo apresenta em sua programação online a contação de história Momotaro, do recém-lançado livro ilustrado Turma da Mônica - Lendas Japonesas, feita pelo renomado escritor e poeta André Kondo.

29 de julho – Quarta-feira

Gastronomia - Hoshigaki

Com conteúdo elaborado com consultoria especial de Kyoko Tsukamoto (Café Sabor Mirai) e Telma Shiraishi (Restaurante Aizomê), semanalmente uma receita com referências nipônicas vai ao ar, especialmente pensada para a #JHSPONLINE. Essa semana, o tradicional caqui seco japonês terá destaque em receita de Telma Shiraishi.

30 de julho – Quinta-feira

CLUBE DE LEITURA // 10º ENCONTRO: O Livro do Chá, @ Okakura Kakuzō

O Clube de Leitura prevê a realização de encontros com a curadoria de Natasha B. Geenen, diretora cultural da JHSP e Paulo Werneck, editor da Quatro Cinco Um, e vai considerar livros traduzidos diretamente do japonês para o português para ampliar o acesso dos brasileiros a este universo literário. A proposta é que os participantes tenham uma discussão informal com a mediação de Paulo Werneck e um convidado especialista no assunto da vez.

SOBRE O LIVRO: https://bit.ly/2VSn7Az 


*ATENÇÃO: durante a quarentena, os encontros do Clube de Leitura serão realizados online, por meio da plataforma Zoom. O link para o acesso será enviado por e-mail após a inscrição.

31 de julho – Sexta-feira

Budô - Artes marciais japonesas | Aikidô - alongamento para crianças

No Japão, o conceito do Budô fala sobre a prática de artes marciais modernas que, além de seus preceitos técnicos e de aprimoramento físico, possuem fortes raízes filosóficas e morais. Seus modos de conduta são transmitidos e perpetuados para desenvolver o corpo e a mente com a mesma importância, fruto de muita disciplina e dedicação. Mestres dos esportes apresentados na exposição "Dō: a caminho da virtude" a compartilharem, por meio de vídeos, alguns movimentos simples e que podem ser testados em casa, além de importantes aspectos filosóficos de cada modalidade. 

03 de agosto – Segunda-feira

Kumiki

No Japão, kumiki refere-se a variedades de artesanato em madeira, especialmente quebra-cabeças e encaixes. Produzido pela Japan House Los Angeles, o vídeo traz um exemplo dessa arte e passatempo. 

04 de agosto – Terça-feira, às 16h

Conversa com Educativo /

Kengo Kuma: O espaço, a luz e a transparência

Responsável pelo projeto arquitetônico da Japan House São Paulo e de diversas outras obras, Kengo Kuma é um dos mais expressivos arquitetos japoneses da atualidade. Nesta conversa, a partir de alguns de seus trabalhos, falaremos sobre a criação de espaços diáfanos e contemporâneos, que dialoguem com seu entorno, com a cultura japonesa, com técnicas artesanais e com o respeito pelos materiais.


Costume japonês 

Meishi é nome usado para designar "cartão de visita". A troca desses cartões tem muita importância na cultura japonesa e há uma etiqueta especial para essa ação. 

05 de agosto – Quarta-feira

Gastronomia - Shochu Coffee

Com conteúdo elaborado com consultoria especial de Kyoko Tsukamoto (Café Sabor Mirai) e Telma Shiraishi (Restaurante Aizomê), semanalmente uma receita com referências nipônicas vai ao ar, especialmente pensada para a #JHSPONLINE. Essa semana, uma variação de café com o destilado japonês Shochu Coffee será ensinada em receita de Kyoko Tsukamoto 

06 de agosto - Quinta-feira, às 19h, no Instagram

Conversas JHSP: Natasha Barzaghi Geenen (Diretora Cultural da JHSP) e Zeca Camargo (jornalista e apresentador)   

Natasha Barzaghi Geenen conversa com Zeca Camargo. O jornalista, que já esteve no Japão por diversas vezes, incluindo uma longa estadia de quase um mês, por ocasião de reportagens especiais para os 100 anos da imigração japonesa no Brasil, em 2010, conta sobre suas impressões sobre o país nipônico.

07 de agosto – Sexta-feira

Hanabi Taikai

Durante o verão japonês, festivais de fogos de artifício (Hanabi Taikai) acontecem em diversas cidades essas importantes comemorações serão apresentadas ao público e sua história abordada. 

Acompanhe a JAPAN HOUSE São Paulo nas redes sociais:  

Instagram: @japanhousesp  
Compartilhe:

quarta-feira, 17 de junho de 2020

Mauricio de Sousa celebra o Dia da Imigração Japonesa no Brasil numa live especialíssima


Desenhista comentará a presença da cultura japonesa nos livros Viagem do Brasil ao Japão e Lendas Japonesas, estrelados pela Turma da Mônica

Em comemoração ao Dia da Imigração Japonesa no Brasil, no dia 18 de junho, às 19 horas, o desenhista Mauricio de Sousa realizará uma live sobre os livros Viagem do Brasil ao Japão (Melhoramentos) e Lendas Japonesas (JBC), da Turma da Mônica, que abordam a cultura daquele país. A transmissão, intitulada Turma da Mônica e Japão – Uma História de Amizade será mediada pelo editor Sidney Gusman, e acontecerá no canal oficial da Mauricio de Sousa Produções (MSP) no YouTube e no Facebook.

O pai da Turminha possui forte conexão com o Japão e faz questão de trazer um pouco dessa rica cultura em seus trabalhos. Na live, ele estará acompanhado dos autores das obras acima citadas.

Em Uma Viagem do Brasil ao Japão, escrito por José Santos, Mônica vence um concurso de redação que envolveu alunos de diversas escolas brasileiras. A personagem é premiada com uma viagem, com direito a seis acompanhantes, ao país que sediará as Olimpíadas 2021, e a mais quatro cidades brasileiras onde vivem famílias de imigrantes japoneses.

Ao lado de Mônica, a turma do bairro do Limoeiro embarca em uma aventura pela Terra do Sol Nascente, e conhece mais sobre os costumes e tradições da região.

Já em Lendas Japonesas, os textos são do escritor e poeta André Kondo, e a Turma da Mônica interpreta os personagens das lendas da cultura popular nipônica. Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali e Chico Bento dão vida a Urashima Taro, Momotaro, Tokoyo, Issunboshi, o Coelho da Lua e outras figuras que perpetuam valores e virtudes do Japão.

Durante o bate-papo, o pai da turminha mais querida do Brasil também contará curiosidades e histórias que vivenciou em suas visitas ao Japão.

Serviço:

Turma da Mônica e Japão – Uma história de amizade: Live comemorativa do Dia da Imigração Japonesa no Brasil
Data: 18/06/2020
Horário: 19h
Local: Canal oficial da MSP no YouTube e Facebook (https://www.youtube.com/channel/UC6bvaeZ7n1LYynzjrIVWudg)

Sobre a Mauricio de Sousa Produções

A Mauricio de Sousa Produções é a maior empresa de entretenimento do Brasil, responsável por uma das marcas mais admiradas do país, a Turma da Mônica. A MSP investe em inovação e produz conteúdos em todas as plataformas com a mais alta tecnologia, alinhando educação, cultura e entretenimento. No licenciamento, trabalha com 150 empresas que utilizam seus personagens em mais de 4 mil itens. No universo digital, o canal no YouTube da Turma da Mônica já chegou a 14,5 bilhões de visualizações, sendo a maior audiência para Mônica Toy, conteúdo desenvolvido exclusivamente para esta plataforma; além do engajamento e interações orgânicos com os fãs em mídias sociais. Na área editorial, possui um dos maiores estúdios do setor no mundo e já tem mais de 300 títulos de livros e mais de 1,2 bilhão de revistas em quadrinhos, responsáveis pela alfabetização informal de milhões de brasileiros.
Compartilhe:

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Livro “Kaná: da terra do sol nascente para a terra dos frutos de ouro” relata a vinda dos japoneses ao Brasil

A obra é baseada em fatos reais e revela detalhes da travessia enfrentada pelos imigrantes

Era o final da primeira quinzena de agosto do 12º ano da era Showa, o equivalente ao ano de 1937 pelo calendário cristão. O navio Naha Maru partia do porto de Naha, incrustado a sudoeste da ilha de Okinawa, a maior do arquipélago de Riyu-Kiyu, ao sul do Japão, no Oceano Pacífico. Assim, inicia-se a história relatada no livro

Kaná: da terra do sol nascente para a terra dos frutos de ouro, publicado pela Literare Books International.

Detalhista, a autora Kazuco Akamine conta a história de diferentes imigrantes japoneses que decidiram entrar em um navio acreditando na possibilidade de emprego nas fazendas cafeeiras e em dias melhores. Vieram em busca das terras com infinitas espécies de frutas, muitas desconhecidas por eles, e da prosperidade relatada por parentes que embarcaram anteriormente, na mesma aventura. Mas, a história não era tão simples e alegre como parecia.

Muitas vezes, esquece-se o quanto os imigrantes sofreram nas mãos dos donos de terra do Brasil. As condições de trabalho não eram boas e o choque entre culturas era grande, principalmente em relação à alimentação. Além disso, para conseguir chegar ao país, precisavam enfrentar uma longa viagem de navio – nesta parte da narrativa, é possível conhecer as histórias de outros personagens e suas motivações para vir à América.

A descrição não economiza palavras ao explicar o sofrimento dos imigrantes, mas transborda a resiliência do povo japonês. Ao longo das páginas, o leitor terá contato com algumas lendas de Okinawa,  contextualização  histórica  e  uma visão da vida e tradição japonesa contada por eles.

O livro também ilustra qual era o papel da mulher na sociedade naquela época, sendo a sua principal função a de progenitora. Kaná é a protagonista da obra, e vem ao Brasil na esperança das boas águas do país que poderiam ajudá-la a engravidar e se aventura com o marido nessa nova missão. Ao chegar ao país, eles encontram uma realidade muito diferente das cartas otimistas enviadas pelos parentes para Okinawa.

Kaná: da terra do sol nascente para a terra dos frutos de ouro
Autora: Kazuco Akamine
Literare Books International – 2 edição – 192 páginas – 2019 - R$ Formato: 16x23 cm
ISBN : 978-85-9455-094-1

Sobre a autora Kazuco Akamine
É empresária, foi estilista no setor de Alta Costura e se sente abençoada por ter tido uma profissão tão glamorosa, com a qual pode beneficiar muitas entidades, com o resultado de seus desfiles.

Como empresária, recebeu o título Semeadores do Paraná e prêmio literário com o conto “Polvo com olhos de gato”. Escreveu e lançou o livro de poemas “Laçando a lua”, com renda totalmente revertida para o Hospital Erasto Gaertner, especializado no tratamento do câncer.

Considera seu grande privilégio ter sido educada no colégio japonês Hana Yome Gaakô, com ensino embasado na filosofia Seicho-No-Ie.

Palestrante durante décadas, foi ainda a fundadora de diversas entidades de classe empresariais e filantrópicas, como o Conselho da Mulher Executiva da Associação Comercial do Paraná, Associação das Mulheres de Negócios (BPW), Associação Comercial e Industrial de Campina Grande do Sul e Quatro Barras.

Atuou como Vice-presidente da Sociedade de Assistência aos Lázaros e Defesa Contra a Lepra, hoje Sociedade Eunice Weaver. Fundou o Lions Clube Pico-Paraná, sendo sua primeira presidente. Atuou como diretora de Cultura do Município de Campina Grande do Sul e conselheira Fiscal da Provopar, no Governo Jaime Lerner.

Faz parte do Centro de Letras do Paraná e ocupa a cadeira XV cujo patrono é Olavo Bilac, na Academia Internacional de Cultura sediada em Brasília.

Foi fundadora e é a atual presidente da Associação Kazuco Akamine, focado em crianças da periferia.
Compartilhe:

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Editora Contexto lança biografia de Rosa Miyake, apresentadora do icônico programa Imagens do Japão

Na obra “Rosa da Liberdade”, a trajetória da cantora e atriz é o pano de fundo da história da TV brasileira da imigração japonesa

A vida e a obra de Rosa Miyake, cantora nipo-brasileira de maior sucesso do país, são retratadas no livro “Rosa da Liberdade” do jornalista Ricardo Taira, que chega em outubro às livrarias pela Editora Contexto, no ano em que é comemorado os 110 anos da imigração japonesa no Brasil.  O autor conta como Rosa se tornou um símbolo e uma figura querida para os nikkeis, como representante maior de sua cultura no Brasil, além de uma grande apresentadora e cantora de sucesso. Sua imagem foi nacionalmente conhecida como apresentadora do programa Imagens do Japão. Repleto de fotos, o livro apresenta um momento importante da história da TV brasileira e também da formação de nosso país como terra de imigrantes.

A obra é uma narrativa emocionante que traz várias curiosidades como o dia em que Rosa ensinou uma canção em japonês para Roberto Carlos, no momento da primeira apresentação do cantor para a comunidade nipônica, no bairro da Liberdade.  O próprio Roberto Carlos a convidou posteriormente para se apresentar no seu programa musical Jovem Guarda. Chamada de Rosinha pelo rei, a cantora se tornou a caçula de um grupo que tinha a participação de Erasmo Carlos, Wanderléa, Martinha, Eduardo Araújo, Wanderley Cardoso, Jerry Adriani e de outros nomes consagrados do pop nacional.

A cantora veio de Lins, cidade do interior paulista, para brilhar em rede nacional. A filha de imigrantes ultrapassou as fronteiras do Brasil e chegou a ter êxito do outro lado do mundo, na terra de seus ancestrais. Este livro biográfico narra a incrível odisseia vivida por Rosa, mostrando como a garota tímida se transformou no símbolo da comunidade japonesa. Seu programa, Imagens do Japão, o mais longevo da TV brasileira, era assistido por todos e motivo de assunto para todos.

Os imigrantes japoneses e seus descendentes a conhecem como uma das maiores estrelas oriundas da comunidade de origem nipônica. Já os não descendentes talvez se lembrem de sua voz no jingle da Varig, que inaugurava, então, a rota Brasil-Japão. Ao lado do ator Luiz Gustavo, Rosa Miyake também foi a protagonista da novela Um Poema de Amor, da TV Tupi, dirigida por Antônio Abujamra.

Sobre o autor: Ricardo Taira é paulistano do bairro do Brás. É formado em música clássica, mas nunca exerceu profissionalmente os dotes adquiridos no período de conservatório musical. Como jornalista, passou pelas principais redações de emissoras de tv do país, tendo também atuado na tve da Espanha na década de 1980. Hoje exerce a função de coordenador geral de jornalismo da TV Cultura da Fundação Padre Anchieta-SP. Pela Editora Contexto, publicou também “A história de Rolando Boldrin: Sr. Brasil”, junto com Willian Corrêa.

A Contexto: Idealizada pelo historiador Jaime Pinsky e especializada em ciências humanas, a Editora Contexto está presente há 31 anos no mercado editorial brasileiro, publicando obras voltadas para a universidade e para o público geral. Mais informações no portal www.editoracontexto.com.br

Rosa da Liberdade
Autor: Ricardo Taira
Páginas: R$ 29,90
Preço: 128
Editora Contexto                     
Compartilhe:

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Querida konbini, de Sayaka Murata, é um best-seller internacional de uma das principais vozes da nova literatura japonesa


A obra aborda relações de gênero e satiriza obsessão pela normalidade. 

As onipresentes cadeias de minimercados são parte fundamental da vida urbana no Japão: refeições prontas, revistas, artigos de higiene pessoal, peças de roupa, serviços como entregas ou pagamentos de contas, tudo isso é oferecido, 24 horas por dia, 365 dias por ano. E foi observando as konbinis japonesas (abreviação do termo em inglês para loja de conveniência), que Sayaka Murata identificou o cenário perfeito para seu romance.

A protagonista e narradora de Querida konbini é Keiko Furukura. Aos 36 anos, Keiko nunca se envolveu romanticamente e, desde os 18, trabalha numa konbini – todos insistem que ela arranje um trabalho sério ou, pior ainda, um marido. Keiko, no entanto, está satisfeita consigo mesma. Deslocada desde a infância, é na loja, com regras estritas para os funcionários e dinâmica precisa de funcionamento, que ela consegue pela primeira vez se sentir uma peça no mecanismo do mundo.

Para que as pessoas normais finalmente parem de se meter em sua vida, ela inicia um relacionamento de fachada com Shiraha, ex-colega de trabalho misógino e sociopata. Apesar de o pretendente e a situação estarem bem longe de oferecer a Keiko qualquer melhora em seu cotidiano, família e amigos respiram aliviados pelo fato de ela se aproximar um pouco mais da normalidade.

Pelo olhar único de sua protagonista, Murata cria um retrato realista e absurdo da vida contemporânea, satirizando nossas obsessões e abordando temas essenciais: normalidade e estranheza, relações de trabalho e de gênero, e a forma como as pessoas (em particular as mulheres) são pressionadas para atender às expectativas alheias. Questões complexas como a repulsa ao sexo e os hikikomori, pessoas que se isolam do convívio social, também estão presentes. Ao escancarar os pequenos rituais, fingimentos e meandros da busca por um lugar ao sol na sociedade, a autora nos coloca frente a frente com a pergunta: o que é, afinal, ser normal?

Sobre a autora
Sayaka Murata nasceu em 1979 em Inzai, na província de Chiba, próxima a Tóquio. Fã de mangás e ficção científica, desde a infância já escrevia histórias.
Frequentou a Universidade Tamagawa em Tóquio e passou a estudar escrita criativa paralelamente. Querida konbini, seu décimo livro, marcou seu nome entre os mais celebrados da nova literatura japonesa: a obra chega à marca de 700 mil exemplares vendidos no Japão, ganhou o prêmio Akutagawa, um dos mais prestigiosos do país, e rendeu à autora um lugar entre as mulheres do ano da Vogue Japão em 2016. A obra está no prelo ou publicada em 18 idiomas pelo mundo e já atingiu status de best-seller internacional.

Antes, Murata havia recebido os prêmios Gunzo e Noma, em 2003 e 2009, ambos voltados para novos escritores, e o prêmio Yukio Mishima, em 2013.
Os temas abordados por ela costumam se relacionar à não conformidade dentro da sociedade japonesa nas relações de gênero, trabalho e na
sexualidade, frequentemente incorporando aspectos distópicos ou de horror. Seu conto “Um casamento limpo”, sobre um casal que deseja conceber
um filho sem fazer sexo, foi publicado na Granta Vol. 13: Traição, também em tradução de Rita Kohl.

Curiosamente, Murata, que mora em Tóquio, também trabalhou por mais de uma década em uma konbini, desde a faculdade até quase um ano depois do sucesso estrondoso deste romance. O trabalho na loja a ajudava com a rotina da escrita e lhe permitia uma das suas atividades preferidas: observar pessoas comuns em seu dia a dia.

REPERCUSSÃO

“É uma história de amor, em outras palavras, entre uma deslocada e uma loja.”
Katy Waldman, The New Yorker

“Curto, elegante, irônico [...] uma exploração incomum sobre o que cada um precisa deixar para trás para poder participar do mundo.”
Dwight Garner, The New York Times

“Keiko é uma personagem quase kafkiana, mortalmente séria em circunstâncias absurdas […] Murata conta histórias de mulheres que não se encaixam, que não estão cumprindo com os deveres da conformidade da classe média.”
Nicolas Gattig, Japan Times

“[Sayaka Murata] tem um olho muito afiado para o grotesco, para algo que pode ser ao mesmo tempo engraçado e horripilante.”
Ginny Tapley Takemori, tradutora do livro para o inglês, em entrevista ao New York Times

EVENTO
Palestra e bate-papo: Querida konbini, de Sayaka Murata, e a literatura japonesa contemporânea

Com Donatella Natili (professora da UnB, especialista em literatura japonesa moderna e contemporânea, com pós-doutorado na Universidade de Waseda, em Tóquio, onde também foi professora), Rita Kohl (tradutora literária, formada em letras pela USP e com mestrado na Universidade de Tóquio. Traduziu obras de autores como Yoko Ogawa, Haruki Murakami, Sayaka Murata e Hiro Arikawa) e Victor Hugo Kebbe (especialista em antropologia social, com graduação, mestrado e doutorado pela Ufscar. Foi pesquisador associado da Shizuoka University e da Nazan University).

Data: 19 de setembro, quarta-feira, às 19h
Evento aberto ao público. Retirada de senha no local 1h antes do início.
Local: Japan House — Av. Paulista, 52 — Bela Vista. São Paulo
Compartilhe:

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

O Homem que Passeia, de Jiro Taniguchi

Jiro Taniguchi nos apresenta "O Homem que passeia", através das suas caminhadas, frequentemente mudas e solitárias, através da cidade onde reside.
Nestas páginas com um estilo introspectivo e intimista, que se distancia dos estereótipos habituais do mangá, sucedem-se pequenas histórias sem diálogo, onde o personagem partilha com outros o prazer da contemplação e de andar sem destino.

Caminhando devagar, ele escuta e cheira. Para e observa. É impossível não nos sentirmos alheios e indiferentes ao mundo, em contraste com este olhar puro. Passeando por estas páginas, reaprendemos a olhar e, quem sabe, a vivenciar com mais atenção as pequenas coisas.

Serviço:
Roteiro: Masayuki Kusumi;
Desenhos: Jiro Taniguchi;
Tradução: Arnaldo Oka;
Formato: 17 x 24 cm;
Estrutura: 244 páginas PB;
Capa: Brochura (com sobrecapa);
Peso: 470 g;
Código Devir: DEV111395;
ISBN: 978-85-7532-666-4;
Preço: R$ 55,00
http://devir.com.br
 
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels