9 grupos no Facebook que todo bom leitor deve conhecer

Por Ademir Pascale Todos os dias são criados novos grupos no Facebook sobre assuntos e gostos diversos. Nós leitores e apaixonados...

Mostrando postagens com marcador Lívio Meireles Capeleto. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Lívio Meireles Capeleto. Mostrar todas as postagens

domingo, 25 de agosto de 2019

A CASA Projetos Literários, Lívio Meireles Capeleto e o trabalho de agenciamento literário no Brasil

Lívio Meireles Capeleto - Foto divulgação
A CASA Projetos Literários, a 1ª agência literária brasileira a atuar nas regiões Norte/Nordeste do Brasil e que agencia escritores de todo o país comemorou no mês de julho 5 anos de atuação no mercado editorial brasileiro. Lançada em 2014 por um jornalista que também é editor e empreendedor, a CASA Projetos Literários já organizou e negociou mais de 35 obras de 30 autores de todos os lugares do país. Neste ano a agência promete novidades e para sabermos sobre elas e como um agente literário trabalha em meio a uma grave crise do setor editorial nacional, conversamos com Lívio Meireles Capeleto, fundador e CEO da agência. Confira abaixo a entrevista: 

ENTREVISTA:

Conexão Literatura - Olá Lívio. É um prazer conversar com você. Apresente um pouco da história da CASA Projetos Literários para nossos leitores.

Lívio Meireles – Sempre um prazer falar com você e seus leitores. A CASA começou há 5 anos em Recife/PE, onde eu residia. Através das minhas experiências anteriores como livreiro, gestor de comunicação e marketing de livraria, como editor e diretor executivo de uma editora entendi que o mercado editorial e literário das regiões Norte/Nordeste tinha potencial para um trabalho de orientação para autores e seus projetos. Nos meus 17 anos de atuação no mercado editorial  encontrei livros com conteúdo de qualidade que não tinham uma boa apresentação, não eram bem editados e não tinham um planejamento antes ou pós-lançamento. Além disso vários escritores não sabiam e ainda não sabem o que fazer para alcançar um público maior do que o da sua região. Entendi que poderia usar meus conhecimentos e em 2014 comecei a apresentar caminhos de como ser assertivo na empreitada de escrever e saber comunicar sua escrita. Começamos atendendo os autores da região Norte/Nordeste e hoje representamos autores de todo o país. 

Conexão Literatura – Nestes 5 anos o que foi mais desafiador para vocês como uma empresa inovadora no setor editorial? 

Lívio Meireles – Agradeço o elogio a respeito da inovação. Realmente pensamos a agência diferente do modelo tradicional onde os escritórios de agenciamento têm um line-up com muitos escritores de vários seguimentos. Trabalhamos com poucos autores e temos um serviço personalizado, criterioso e que acompanha o dia a dia dos nossos agenciados. Acredito que a maior barreira que enfrentamos no nosso dia a dia como empresa é fazer com que os escritores e escritoras brasileiros entendam as vantagens de ter uma agência para representá-los e ser seu backoffice em todas as demandas que ele terá ao se lançar no mercado editorial. Principalmente num país como o Brasil, onde temos dimensões continentais e preconceitos na mesma proporção. Muitos que escrevem e muitos que atuam no mercado editorial ainda pensam que o agente é dispensável no diálogo entre a editora e o escritor, o que na verdade sempre será o oposto: o agente suaviza e amplia as relações entre escritores e seus editores. 

Conexão Literatura – E esse cenário já mudou? 

Lívio Meireles – Ainda não. Estamos ainda bem no começo de uma mudança de cenário da profissionalização de escritores e escritoras no nosso país. Os autores ainda não compreendem que sem orientação, não conseguirão sozinhos romper a barreira do amadorismo e passarem para o próximo nível de profissionalização e reconhecimento de sua escrita abrindo portas para carreira literária de verdade. Essa mudança vêm atrelada a uma outra ainda muito maior que a dos autores do nosso país: a leitura precisa ser valorizada por todos. O brasileiro não lê e quando lê termina por não ter bons critérios de escolha. Se não temos uma valorização da leitura a maioria dos leitores não têm condições de analisar se um livro é melhor que o outro e isso nos leva a uma produção de literatura que não preza pela qualidade e sim pela quantidade. Conheço jovens autores que lançam vários livros por ano nas plataformas digitais. Essa corrida precisa realmente ser ganha nesta velocidade? Será que algo não está escapando aos olhos e a mente desses escritores? Todos que trabalham na cadeia produtiva do livro precisam repensar esses paradigmas. Na minha opinião quando lemos mais e melhor temos mais condições de produzir uma literatura com mais qualidade e principalmente, uma literatura que permanece, uma literatura atemporal.

Conexão Literatura - Como você, agente literário, têm acompanhado a chamada crise no mercado editorial brasileiro? 

Lívio Meireles – Tenho lido, pesquisado números e conversado com várias pessoas para chegar ao meu posicionamento que compartilho agora com os seus leitores: 
Não existe de verdade uma grave crise no mercado editorial brasileiro. O que estamos vendo eu chamo muito mais de uma crise de Gestão de alguns players do setor. O planejamento deles foi construído com projeções erradas e dentro de zona de conforto muito grande. Algumas editoras que vendiam apenas para essas livrarias e no mundo dos negócios você não pode colocar todos os ovos em uma mesma cesta. O resto você e seus leitores já sabem: livrarias fechadas, muita gente desempregada, editoras e autores sem receber e uma desconfiança generalizada que não ajuda em nada o mercado. Entendo que essa crise também passa por uma falta de planejamento das instituições sobre como ampliar o número de leitores no país. O livro não pode ser vendido como um produto descartável, sazonal, apenas por moda. Infelizmente pelo menos 50 por cento dos leitores brasileiros consomem uma literatura descartável, que não leva o leitor a refletir e a entender como o livro na verdade é uma ferramenta de conhecimento e não apenas um produto de lazer. O livro não foi feito para isso!  Mas sou um otimista realista e tenho certeza que essa nuvem negra em breve vai passar. 

Conexão Literatura – Durante esse período de 5 anos a frente da CASA Projetos Literários qual foi o momento mais emocionante para você e sua equipe? 

Lívio Meireles – Na verdade temos sempre vários momentos emocionantes dentro da agência. Mas cada livro pronto de nossos autores agenciados é uma linda emoção. Porquê nos envolvemos desde o início com a chegada do original passando por todo o processo de edição, revisão, design até a aprovação do arquivo, busca e recebimento do livro pronto. E quando eles chegam sempre ficamos muito, muito felizes e emocionados.

Conexão Literatura – E quais as novidades para este aniversário de 5 nos da CASA que você apresentará para o público de escritores e o público leitor? 

Lívio Meireles - Bem, sempre temos novidades na agência mas vou apresentar uma em primeira mão para você e os leitores da Conexão Literatura. Ainda neste mês de Agosto vamos lançar o selo editorial NOVACASA em parceria com a Editora Madrepérola de Londrina/PR. Um selo voltado para romances, fantasia, aventura e ficção científica que rá editar apenas originais dos nossos autores agenciados num formato de edição premium com todos os livros no formato capa dura, projeto de ilustração personalizado, processo de revisão profissional e brindes exclusivos.  Essa iniciativa demonstra o quanto a CASA Projetos Literários valoriza os autores que ela representa e que são, na sua maioria, autores iniciantes mas com grande potencial. Queremos que esses autores tenham um excelente cartão de visita para apresentar aos publishers das editoras. Sabemos o quanto os editores brasileiros procuram hoje autores que já estão preparados para o mercado e a CASA Projetos Literários apresentará esses autores dessa maneira para o nosso mercado editorial. 

Conexão Literatura – Excelente notícia. Uma verdadeira revolução no negócio de agenciamento no país não é mesmo? 

Lívio Meireles – Sim! É uma ação inédita no nosso meio. Perdi as contas de quantos autores conversaram comigo e apresentaram seu 1º livro completamente constrangidos por terem embarcado em situações adversas tanto na autopublicação quanto em projetos editoriais muito diferentes do que eles tinham em mente. Creio que podemos falar que o selo NOVACASA é uma micro-revolução! Não queremos brigar com as grandes editoras e os players do mercado. Nosso foco será entregar ao autor uma completa e excelente experiência no seu primeiro lançamento além de trazer orgulho e o reconhecimento do público leitor, dos seus pares e do mercado como um todo e assim abrir portas para uma carreira literária que já começa no rumo certo. Além disso todos os livros do selo NOVACASA terão sua versão em e-book distribuídos e comercializados nas principais lojas de livros digitais do país, o que trará uma expansão ainda maior da carreira e das obras dos autores que estarão conosco. 

Conexão Literatura – Muito bom! Parabéns pela sua iniciativa e que vocês da CASA e agora do selo NOVACASA tenham muito sucesso! Para finalizar algum conselho para os novos autores que vão ler essa entrevista? 

Lívio Meireles – Primeiro gostaria de agradecer o valoroso espaço que vocês sempre abrem para nós da CASA e para nossos autores agenciados. Longa vida para a Conexão Literatura. Para os autores eu deixo um pensamento que sempre coloco para o os escritores que agencio: Se você quer realmente e deseja ter o seu trabalho como escritor reconhecido trabalhe duro, todos os dias, lendo, relendo, trabalhando seu original, fazendo cursos presenciais e a distância, participando de eventos, conversando e principalmente, observando autores que já estão no mercado e que tenham boas práticas. Trabalhe focado, aprendendo e principalmente busque ideias originais. Não trabalhe uma história de Sci-fi ou um romance de época apenas porque está na moda! Trabalhe sempre com sinceridade e honestidade pois no final é isso que sua história deverá transmitir aos seus leitores. 
Compartilhe:

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Lívio Meireles, 1º agente literário do Nordeste, comenta sobre a importância do seu ofício

Lívio Meireles Capeleto
Lívio Meireles Capeleto é jornalista e radialista de formação com Pós Graduação e MBA em Marketing. Atuou como gestor de comunicação e marketing das Livrarias Saraiva e Siciliano, Diretor Executivo da Editora Carpe Diem e Coordenador da Feira Internacional do Livro de PE na Fliporto – Festa Literária Internacional de Pernambuco. Atualmente trabalha como o 1º agente literário do Nordeste, produtor cultural na área literária e CEO da CASA Agenciamento Literário e Projetos Culturais, representando autores de todo o Brasil.

ENTREVISTA
:

Conexão Literatura: Você é jornalista e radialista de formação com Pós Graduação e MBA em Marketing. Atuou como gestor de comunicação e marketing das Livrarias Saraiva e Siciliano, Diretor Executivo da Editora Carpe Diem e Coordenador da Feira Internacional do Livro de PE na Fliporto – Festa Literária Internacional de Pernambuco. Com toda essa experiência, atualmente trabalha como o 1º agente literário do Nordeste, produtor cultural na área literária e CEO da CASA Agenciamento Literário e Projetos Culturais, representando autores de todo o Brasil. Poderia comentar?

Lívio Meireles: Desde o início do meu aprendizado profissional, sempre gostei de lidar com gente e ideias. A comunicação me levou a ser um profissional, mas existia uma paixão pelos livros desde a minha infância. Cheguei a ganhar prêmios na biblioteca da escola onde estudei como leitor do mês, várias vezes. Depois de trabalhar mais de quatorze (14) anos na área de comunicação e eventos, resolvi dar uma guinada em minha vida profissional. Foi quando o grupo Saraiva, hoje Saraiva e Siciliano, estava retomando a sua presença no varejo em Pernambuco. Fui contratado de imediato para trabalhar na área de comunicação, primeiramente cuidando da imagem da empresa em Pernambuco, e depois assumi a coordenação Nordeste, trabalhando diretamente com a coordenação de uma equipe de médio-porte e gestando regionalmente as demandas de comunicação, marketing e evento - função que exerci com muito orgulho durante os nove anos em que trabalhei no grupo. Fui convidado pelo curador da Fliporto - Festa Literária Internacional de Pernambuco, e diretor da Editora Carpe Diem, para assumir a direção dos negócios editoriais da mesma e para que passasse a gestar, de uma maneira mais profissional, tanto a editora quanto a Fliporto. Quando estive à frente como diretor-executivo da Editora Carpe Diem, pude expandir o conhecimento com relação a produção do livro. Conviver com designers, revisores, escritores, defender projetos junto ao conselho editorial de uma editora, dialogar com gráficas, distribuidores, isso me mostrou o outro lado do mercado e somou muito para que, junto com a minha experiência anterior de varejo, eu pudesse ganhar uma visão 360º do que é o mercado editorial e o ciclo de produção de um livro. Nesse momento, encontrei realmente o nicho, o target, em que gostaria de trabalhar, pelo resto da minha vida. Tenho a plena convicção de que ter optado por trabalhar no mercado editorial foi a melhor decisão, pelo dinamismo e espaço para crescimento e profissionalização do meio, ocasionada pela imensa demanda reprimida de público leitor em nosso país e por proporcionar a vivenciar o que desde o início me movimenta: gente e ideias.

Conexão Literatura: No seu ponto de vista, qual a importância do agenciamento de escritores?

Acesse o site: clique aqui
Lívio Meireles: Extremamente importante e necessário! Visualizem essa imagem: o local de trabalho de um editor em uma editora média brasileira, que publica autores nacionais. Atrás da estação de trabalho dele, uma pilha com mais de cinquenta originais para serem lidos e avaliados. Como e em quanto tempo, esse editor dará vencimento a essa demanda, do que vale a pena ser editado, do que merece ser defendido junto ao conselho editorial? Agora, multiplique isso durante 1 (um) ano. É impossível prever como ele resolverá esse problema sozinho, ou mesmo com uma equipe. Deixo claro que não estou colocando em cheque a competência dos editores, mas o que existe é uma demanda imensa para ser resolvida em pouco tempo. Agora, imaginem a angústia de um escritor com o seu original no meio dessa pilha. Em quanto tempo ele terá resposta sobre uma possível publicação? De quanta agonia esse escritor sofrerá sem receber um “sim” ou “não” da editora? Para evitar essas duas cenas dramáticas é que a figura do agente literário é importante. Este profissional faz a triagem inicial e conduz o autor referente a sua obra, indicando os caminhos que ele deve seguir: alterar, melhorar, corrigir; além de preparar a apresentação adequada da obra e do autor à editora, com fins de uma real atenção, negociação e futura publicação. Ele também cuida do agendamento do autor em eventos e participações, trabalhando na continuidade de sua carreira literária.
Em um mercado profissional como a Europa e os Estados Unidos, nenhum autor chega a uma editora com o seu original sem o aval de um agente literário. Se este autor tentar, não passará da recepção das editoras e nem mesmo na recepção destas conseguirá deixar o seu original. O agente literário é a ponte profissional necessária para que um autor consiga dialogar, de maneira assertiva, com o mercado editorial, esteja ele onde estiver: Cingapura, México, Nova Zelândia, São Paulo, Rio de Janeiro. No Brasil, a figura do agente literário ainda é visto como uma utopia. Mas nos próximos cinco anos, com o boom que estamos vivendo de autores nacionais produzindo originais diariamente, o próprio mercado vai entender a real necessidade da função estratégica que um agente literário exerce.

Conexão Literatura: Poderia comentar sobre os autores agenciados da CASA - Agenciamento Literário e Projetos Culturais?

Lívio Meireles: Temos no escritório autores dos mais diversos perfis. Literatura estrangeira, infantil, infanto-juvenil, jovem adulto, romance, poesia, ficção, literatura de época, conto, prosa. Autores entre vinte e sessenta anos, experientes e iniciantes. Gente do Nordeste, do Sul/Sudeste, até de Portugal. Todos estão lá porque identifiquei neles uma característica que talvez seja um dos principais motivadores para fazer o que faço hoje: todos são preocupados em entregar aos seus leitores o melhor que podem produzir em termos literários.

Conexão Literatura: Além do agenciamento de escritores, vocês também fornecem outros serviços essenciais para promover um autor no cenário literário. Fale mais sobre os serviços fornecidos pela CASA.

Lívio Meireles: São vários. Os principais são: Agenciamento de Escritores para Projetos Editoriais e Eventos Literários (feiras, festas, bienais, encontros, lançamentos); Divulgação de Escritores, Editoras, Livros e Projetos Literários, para o Mercado Literário Nacional e Internacional; Produção, Execução e Curadoria de Eventos Literários; Avaliação e orientação profissional para escritores e projetos editoriais regionais, nacionais e internacionais; Avaliação de originais e leitura crítica; Avaliação e criação de projetos para editais do Ministério da Cultura e das Secretarias Estaduais e Municipais de Cultura. Fazemos também uma prestação de serviços personalizada, como planejamento, organização e assessoria de imprensa para lançamento de livros em todo o país, e consultoria para distribuição de livros em livrarias e outros pontos de venda.

Conexão Literatura: Como os interessados deverão proceder para saber mais e adquirir um dos serviços fornecidos pela CASA - Agenciamento Literário e Projetos Culturais?

Lívio Meireles: Para saber mais a respeito do nosso trabalho, os autores devem visitar nosso site: www.casaagenciamento.com.br, e enviar suas dúvidas por e-mail:  casa.agenciamento@gmail.com

Conexão Literatura
: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Lívio Meireles: Tenho visto e lido muitas ações e movimentos de pessoas que, de uma hora para outra, sem embasamento, expertise ou propriedade se apresentam como agentes literários e/ou produtores culturais em literatura. Entendo que estamos vivendo uma crise econômica e que todos nós precisamos pagar nossas contas e sobreviver no caos. Mas, por favor, não podemos fechar os olhos para uma invasão de oportunistas que causam descrédito e dúvidas sobre o árduo trabalho de agenciamento literário e produção cultural no target literário! Peço aos publishers, produtores, diretores e gerentes em secretarias municipais e estaduais de cultura e principalmente aos ESCRITORES: busquem saber quem é essa pessoa que diz conhecer todo mundo, que consegue tudo, que fala com todos, que entra em qualquer lugar... Aprendam a diferenciar os reais profissionais que estão no meio editorial a fim de realizar um trabalho sério. Meu background de mercado já beira os quinze (15) anos e ainda acordo todos os dias buscando aprender mais e mais! Eu e minha equipe desenvolvemos um trabalho sério e coerente. Agenciamento literário é coisa séria!

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels