Mostrando postagens com marcador Livros. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Livros. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 3 de maio de 2021

Seção "LEITORES INDICAM", da Revista Conexão Literatura


PARTICIPE DO PROJETO DE INCENTIVO À LEITURA DA REVISTA CONEXÃO LITERATURA E INDIQUE UM LIVRO:

Tire uma foto com o livro que você está lendo ou que deseja indicar a leitura. Autores também poderão tirar fotos com seus próprios livros. *REGRAS PARA PARTICIPAR:* - Envie uma foto sua com o livro (bem nítida). - No e-mail que mandar a foto anexada, mande no corpo do e-mail o título do livro e autor, mande seu nome e estado onde reside. Diga também que autoriza a publicação da sua foto. - Mande tudo para o e-mail: ademirpascale@gmail.com - aos cuidados de Ademir Pascale
Compartilhe:

sexta-feira, 30 de abril de 2021

Revista Conexão Literatura, nº 71 - Maio/2021 - Baixe a sua


EDITORIAL

Nossa edição de maio destaque a youtuber Lívia Corbellari, do canal Livros por Lívia. Confira nas próximas páginas a entrevista exclusiva que fizemos com ela. 

O leitor também poderá conferir dicas de livros, crônicas, contos, poemas, entrevistas e dicas para participação em antologias de contos e poemas.

Participe da nossa edição de junho, seja com conto, crônica ou poema. Você também poderá divulgar o seu livro ou editora. Saiba como: clique aqui.

Tenha uma ótima leitura!


Para baixar a edição da Revista Conexão Literatura nº 71: CLIQUE AQUI.

Ademir Pascale - Editor-Chefe

Compartilhe:

sexta-feira, 23 de abril de 2021

SEÇÃO "LEITORES INDICAM", da Revista Conexão Literatura


PARTICIPE DO PROJETO DE INCENTIVO À LEITURA DA REVISTA CONEXÃO LITERATURA E INDIQUE UM LIVRO:

Tire uma foto com o livro que você está lendo ou que deseja indicar a leitura. Autores também poderão tirar fotos com seus próprios livros. *REGRAS PARA PARTICIPAR:* - Envie uma foto sua com o livro (bem nítida). - No e-mail que mandar a foto anexada, mande no corpo do e-mail o título do livro e autor, mande seu nome e estado onde reside. Diga também que autoriza a publicação da sua foto. - Mande tudo para o e-mail: ademirpascale@gmail.com - aos cuidados de Ademir Pascale
Compartilhe:

ENTREVISTA: Lindamir Salete Casagrande e a série Meninas, Moças e Mulheres que Inspiram, por Cida Simka e Sérgio Simka


Fale-nos sobre você.

Sou Lindamir Salete Casagrande, licenciada em Ciências com habilitação em Matemática, mestra e doutora em Tecnologia e professora de matemática aposentada da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Atualmente sou professora voluntária atuando no Programa de Pós-Graduação em Tecnologia e Sociedade (PPGTE) da UTFPR. 

Sou a filha caçula de uma família de oito irmãos, que tirava seu sustento das atividades na roça (como era boa aquela época). Iniciei minha escolarização em uma escola multisseriada no interior do Paraná e, quando estava na 6ª série, minha mãe disse que eu não estudaria mais, pois, já sabia o suficiente para uma mulher (esse era um pensamento frequente na época). Mas eu amava estudar e via na continuidade dos estudos a única forma de mudar meu futuro. Fugi de casa para ir até a escola e fazer a matrícula e assim consegui dar continuidade a minha trajetória escolar e não parei até hoje.

Sempre gostei de matemática e consegui realizar meu sonho de ser professora de matemática. Confesso que não gostava de escrever, até acreditava que não sabia escrever. Também não era muita adepta da leitura e entendo que isso era reflexo do pouco estímulo à leitura que me foi oferecido tanto na infância quanto no ensino fundamental e médio. 

Com o tempo, desenvolvi o prazer da leitura e o hábito e desejo de escrever. Durante o mestrado me aproximei do estudo de história de mulheres e comecei a escrever sobre. Inicialmente como artigos científicos, publicados em revistas da área. Com a aposentadoria surgiu um questionamento sobre o que fazer agora? Não tinha mais aulas para dar nem o contato com meus estudantes. Bateu um vazio, uma insegurança, um medo. 

Então resolvi me dedicar ainda mais a pesquisar sobre as trajetórias de mulheres que marcaram a humanidade por suas ações, descobertas, invenções, pioneirismo, força e luta. Comecei a escrever essas histórias em uma linguagem acessível às crianças e adolescentes e que têm agradado também aos adultos. Assim estou me descobrindo uma escritora ou como gosto de nominar, contadora de histórias.

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre a coleção. O que a motivou a escrevê-la?

Ao longo da história, muitas mulheres foram invisibilizadas, silenciadas, ocultadas, tiveram suas produções, invenções e criações usurpadas por homens com os quais conviviam. Mesmo as que conseguiram assinar seus feitos tiveram pouco registro e divulgação resultando na falta de conhecimento e reconhecimento de suas trajetórias e contribuições.

A série Meninas Moças e Mulheres que Inspiram foi pensada para resgatar e levar as histórias de mulheres para o público infantojuvenil para torná-las cada vez mais conhecidas e sirvam de inspiração para as crianças, de modo especial às meninas. A ideia é intercalar a história de uma mulher estrangeira com outra brasileira para dar visibilidade às nossas conterrâneas que muito contribuíram para o desenvolvimento de nosso país e do mundo. Outra condição é que todos os livros sejam ilustrados por mulheres de diversas idades, origens etnicorraciais, localizações geográficas e perfis criativos. Este objetivo está sendo alcançado quando observamos as características das quatro ilustradoras que me ajudaram a constar as histórias já publicadas. Esta diversidade oferece traço único para cada livro ao considerar que as ilustradoras contam a história por meio dos desenhos, da imagem imprimindo nelas sua forma de ler o texto e oferecendo aos leitores e leitoras uma outra forma de ler os livros. Assegurar que as ilustrações sejam feitas por mulheres é uma forma de dar visibilidade e espaço para as artistas brasileiras, garantindo e construindo um espaço para divulgar seus trabalhos, sua arte, sua criatividade. 

As mulheres selecionadas para terem suas vidas contadas nos livros da série são de diversas origens, formações e época histórica em que viveram. Optei por contar as histórias desde a infância até a morte (quando já ocorreu) para evidenciar que aquela mulher um dia foi criança, gostou de coisas comuns, frequentou escola, enfim, é foi/é pessoa como outra qualquer, mas que decidiu que suas ações seriam destinadas a mudar o mundo. Nos livros destaco os fatos mais marcantes nas vidas delas e tenho ciência que muitas coisas ficaram de fora.

Iniciamos a série com o livro Marie Curie: uma história de amor à ciência que foi lindamente ilustrado por Vanessa Martinelli. Marie Curie foi a maior cientista que o mundo conheceu. Enfrentou muitos obstáculos e preconceitos por ser mulher e, mesmo assim, conseguiu se inserir e se manter no meio científico. É a única pessoa a receber dois prêmios Nobel em duas áreas científicas diferentes. É dona de uma história que merece ser contada, lida e divulgada.

Para o segundo livro era a hora de escolher uma mulher brasileira e optei por contar a história de Zilda Arns, médica pediatra e sanitarista que nasceu em Forquilhinha – SC, porém viveu desde os 10 anos em Curitiba. Sob o título Zilda Arns: a tipsi que amava as crianças, o livro foi lançado no dia das mulheres (08 de março) do ano de 2020 com a delicada e rica ilustração de Lucy Ana Soares Camelo Casagrande que fez sua estreia como ilustradora neste livro. Zilda foi uma mulher forte que aliou a fé religiosa ao conhecimento científico. Ao criar a Pastoral da Criança salvou milhões de vidas mundo afora. Esta instituição, embora vinculada à Igreja Católica, acolhe as famílias sem perguntar qual sua crença religiosa, tem por objetivo salvar vidas. Zilda levou o nome do Brasil mundo afora e espalhou amor por onde andou. Morreu fazendo o que mais amava, disseminando amor, conhecimento e fé.

Em setembro de 2020 foi a vez de lançar o terceiro livro da série no qual resgato a história de Hipátia de Alexandria, a primeira mulher a ser reconhecida  mundialmente como matemática. Por ter vivido nos séculos IV e V d.C. as informações sobre Hipátia são muito raras a ponto de alguns historiadores questionarem a sua existência. Entretanto, considerando que a história das mulheres é ocultada, negada, invisibilizada, é impensável que tenha sido criada uma mulher fictícia com tanta capacidade e conhecimento. Este fato levou ao título do livro que é Hipátia de Alexandria: a matemática, astrônoma e filósofa lendária e que recebeu uma ilustração delicada e impactante de Andrea Martau. Hipátia foi uma mulher que colocou seu amor ao conhecimento no centro de sua vida e acabou sendo cruelmente assassinada por essa causa. 

Dando sequência à série, era a vez de selecionar mais uma brasileira para compor o grupo de mulheres cujas histórias seriam contadas para o público infantojuvenil. A escolhida da vez foi Enedina Marques. Mas quem foi Enedina? Mulher negra, oriunda de família pobre que nasceu no início do século XX em Curitiba, capital do Paraná e viu nos estudos a forma de mudar sua vida. Enedina sonhou ser engenheira e se tornou a primeira mulher negra a concluir este curso no Brasil. Foi ainda a primeira mulher a se tornar engenheira na região sul e a sexta do Brasil. Cursou engenharia na Universidade Federal do Paraná numa época em que este espaço não era pensado e visto como adequado às mulheres, menos ainda a mulheres pretas. Mas Enedina sonhou, ousou, lutou, enfrentou muito preconceito e conseguiu se tornar uma engenheira respeitada e reconhecida por sua capacidade, conhecimento e representatividade. Entretanto, sua história é pouco conhecida pela sociedade em geral e merece chegar até as crianças, pois é uma inegável fonte de inspiração, de modo especial, às crianças negras.

O livro recebeu o título Enedina Marques: mulher negra pioneira na engenharia brasileira, foi lindamente ilustrado por Lhaiza Morena e foi lançado no dia 06 de março de 2021, no evento em comemoração ao dia das mulheres da editora Inverso ocorrido de forma on-line.

Alguns fatos interessantes estão ocorrendo com relação à série. O primeiro é que embora os livros tenham como público-alvo crianças e adolescentes, os adultos estão amando as histórias. Aparentemente seriam livros mais atraentes às meninas, porém tenho recebido retornos maravilhosos do quanto os meninos estão gostando de conhecer essas mulheres fantásticas. Seguidamente recebo indicações de outras mulheres que as pessoas gostariam de ver suas histórias contadas para o público infantojuvenil dentro da série. Algumas artistas se apresentam como possíveis ilustradoras para os próximos livros. Enfim, há uma movimentação em torno da série e expectativa sobre a próxima história a ganhar uma versão escrita por mim e ilustrada por uma mulher brasileira.

No livro Ervilhas tortas, que não pertence a esta série, revisito minha memória e relato alguns episódios de minha infância na roça. Os textos que são escritos com humor simplicidade mostram uma realidade desconhecida da maioria das pessoas e, talvez, inimaginável para as crianças da atualidade.

Como analisa a questão da leitura no país?

A leitura é fundamental para desenvolver a criatividade e a imaginação das crianças. Proporciona que se viaje para universos imaginários, lúdicos, fantásticos. Por isso é importante que se estimule cada vez mais e mais cedo que as crianças desenvolvam o hábito da leitura. Eu sou uma mulher que, quando criança, não desenvolveu o hábito da leitura fazendo isso depois de adulta. Sendo assim, falo por experiência própria da importância de que haja o estímulo à leitura desde a mais tenra idade. Entretanto, acredito que, devido a fatores culturais, as condições financeiras e sociais, a realidade familiar, dentre outros fatores, isso ocorre pouco. A população brasileira precisa ler mais. Acredito que é importante criar projetos que estimulem a leitura da população em geral e, de modo especial, das crianças e adolescentes. A leitura oportuniza a possibilidade de sonhar e sonhar é o primeiro passo para realizar.

O que tem lido ultimamente?

Devido a minha atuação no meio acadêmico como professora de mestrado e doutorado tenho que realizar muitas leituras de temas acadêmicos, de modo especial, livros e artigos com a temática de gênero, área na qual desenvolvo minhas pesquisas. Gosto muito destas leituras e elas me ajudam a ver o mundo com um olhar mais humano e democrático. Motivada pela série que estou produzindo, e pelo amor que tenho pela história das mulheres busco por livros que apresentam histórias de mulheres nas mais diversas áreas profissionais, com variadas formas de escrita e organização. Essa leitura é importante para buscar inspiração e conhecer mais mulheres inspiradoras, porém cria um problema, pois só vai aumentando cada vez mais a lista de histórias que quero contar e sei que não dou conta. A lista só cresce. 

Para descontração e lazer, tenho lido biografias de mulheres e literatura africana. Busco fugir da produção estadunidense e europeia me permitindo conhecer autoras e autores de países periféricos por acreditar que temos muito a aprender com a literatura produzida nestes países. 

E para não dizer que não falei dos clássicos, acabo de ler O pequeno príncipe. Essa era uma dívida que eu tinha e agora está paga. Tem outros na fila de espera.

Uma pergunta que não fizemos e que gostaria de responder.

Tenho o sonho de levar os livros da série para as escolas do ensino fundamental. Tenho o projeto de desenvolver ações junto às escolas e às professoras e professores para fazer a leitura comentada, bem como, atividades baseadas nas histórias contadas nestes livros, porém, devido à pandemia não foi possível colocá-lo em prática. Espero que consigamos sair desse caos que nos encontramos para aplicar o projeto e ver as reações das crianças ao conhecer essas histórias. A pesquisadora que me tornei não me abandona. Estou sempre alerta, analisando, estudando, pesquisando.

Site da editora: https://www.editorainverso.com.br

CIDA SIMKA

É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019), O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020) e Horror na biblioteca (Editora Verlidelas, 2021). Organizadora dos livros Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020), Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020) e O medo que nos envolve (Editora Verlidelas, 2021). Colunista da revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA

É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela editora Uirapuru. Colunista da revista Conexão Literatura. Seu mais recente trabalho acadêmico se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020) e seu mais novo livro infantojuvenil se denomina Horror na biblioteca (Editora Verlidelas, 2021).

Compartilhe:

domingo, 18 de abril de 2021

10 superséries baseadas em livros, por Ademir Pascale

Como bom leitor, adoro assistir séries baseadas em livros (também sou cinéfilo) e nesses tempos conturbados de pandemia, passei a assistir ainda mais longas e séries e foi nos últimos meses que descobri que existem ótimas adaptações que saíram das páginas de vários livros. A série mais recente que assisti (assisti ontem o último capítulo da primeira temporada de Amigas Para Sempre), deixou-me ansioso pela segunda temporada. E a série mais top das 10 que selecionei, pelo menos no meu ponto de vista e que indico fortemente para os apaixonados por livros, pois o leitor/cinéfilo encontrará várias referências de outras obras nos episódios (o protagonista trabalha numa livraria), o título é You (Você), tanto que deixo o trailer dessa série no final da página. 

E você, tem outras séries baseadas em livros para indicar? Deixe nos comentários ;)


Lupin

Inspirado pelas aventuras de Arsène Lupin, o ladrão gentil Assane Diop quer se vingar de uma família rica por uma injustiça cometida contra o pai dele.

Estrelando: Omar Sy,Ludivine Sagnier,Clotilde Hesme

Criação: George Kay

Amigas para Sempre

Amigas inseparáveis desde a adolescência, Tully e Kate sempre apoiaram uma à outra, nos bons e nos maus momentos.

Estrelando: Katherine Heigl,Sarah Chalke,Ben Lawson

Criação: Maggie Friedman

Você (You)

Obsessivo e perigosamente charmoso, ele vai ao extremo para entrar na vida de quem o fascina. Você pode acabar fisgada sem nem perceber. Aí, pode ser tarde demais.

Estrelando: Penn Badgley,Elizabeth Lail,Victoria Pedretti

Criação: Greg Berlanti,Sera Gamble

Anne with an E

Neste filme baseado no livro "Anne de Green Gables", uma impetuosa órfã é adotada por engano por um casal de irmãos solteirões do interior.

Estrelando: Amybeth McNulty,Geraldine James,R.H. Thomson

Criação: Moira Walley-Beckett

O Gambito da Rainha

Em um orfanato nos anos 1950, uma garota-prodígio do xadrez luta contra o vício em uma jornada improvável para se tornar a número 1 do mundo.

Estrelando: Anya Taylor-Joy,Bill Camp,Marielle Heller

Criação: Scott Frank,Allan Scott

Bom Dia, Verônica

Uma policial investiga um predador sexual e acaba descobrindo um casal com um segredo horrível e um esquema de corrupção sinistro.

Estrelando: Tainá Müller,Eduardo Moscovis,Camila Morgado

Criação: Raphael Montes

Altered Carbon

Após 250 anos no gelo, ele retorna em um novo corpo com uma missão: solucionar um complexo mistério e conquistar sua liberdade.

Estrelando: Anthony Mackie,Lela Loren,Simone Missick

Criação: Laeta Kalogridis

Por Trás de Seus Olhos

Uma mãe solo se envolve em um jogo perigoso ao ter um caso com o chefe e fazer amizade com a enigmática esposa dele.

Estrelando: Simona Brown,Eve Hewson,Tom Bateman

The 100

Quase 100 anos após um apocalipse nuclear devastar a Terra, 100 sobreviventes de uma estação espacial voltam para avaliar as condições do planeta.

Estrelando: Eliza Taylor,Paige Turco,Bob Morley

Criação: Jason Rothenberg

The Sinner

Em uma pequena cidade de Nova York, um detetive busca respostas para crimes perturbadores enquanto luta contra os próprios demônios.

Estrelando: Jessica Biel,Bill Pullman,Carrie Coon

Criação: Derek Simonds

TRAILER DA SÉRIE YOU

OBS.: verifique a classificação indicativa de cada série, pois algumas são para maiores de 18 anos.

Compartilhe:

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Descubra quais são as vantagens e desvantagens dos livros de autoajuda


Muita gente se pergunta sobre as vantagens e desvantagens dos livros de autoajuda. Os livros da categoria surgem como instrumentos poderosos na evolução dos aspectos sentimentais, profissionais e até mesmo no lado físico da vida de alguém. Já que são recomendados para elevar autoestima e o bem-estar. 

Os textos possuem expressões fortes, envolventes, que estimulam a transformação de hábitos que antes causavam estagnação. Esta superação de obstáculos culmina em certa independência financeira, afetiva, social e etc. Com a quarentena em vigor, quadros de ansiedade e depressão pioraram. Algumas pessoas viram a vida mudar após perdas familiares, falta de dinheiro e questões de saúde.

Frente ao cenário, o ano de 2020 indicou que os títulos de autoajuda foram os mais vendidos em todo o Brasil. Entre as obras mais solicitadas aparecem: "Ágape" (Padre Marcelo Rossi), “O Milagre da Manhã” (Hal Elrod), “Decida Vencer” (Eduardo Volpato), entre outras. 

Mas, será que este tipo de leitura produz mecanismos úteis a médio e longo prazo? Que efeitos positivos e negativos tem a escrita que dita o autoconhecimento? Descubra quais são as vantagens e desvantagens dos livros de autoajuda.

O que é um livro de autoajuda?

Estamos falando de um dos gêneros de literatura mais consumidos no país. E, embora isso tenha se intensificado no último ano, a venda dos livros de autoajuda já sinalizava a busca por títulos confiáveis que forneçam práticas mais saudáveis.

Isso porque o livro de autoajuda é uma narrativa que provoca reflexões profundas sobre temas contemporâneos. Apontando um conjunto de estratégias direcionadas ao contexto de quem lê. A partir disso, os autores promovem a própria experiência na escrita para mostrar como seus conselhos podem ser úteis. 

As referências de mudança geralmente se relacionam com elementos centrais da experiência humana. Como no âmbito profissional, sentimental, vida social, espiritual e econômica. Cabe ao leitor efetivar as propostas do livro, acreditando na filosofia, nas técnicas de psicologia explícitas e na experimentação de quem escreveu. 

No entanto, até que ponto o guia de autoajuda pode trazer sucesso? Quais são as vantagens e desvantagens desses livros? Confira!

Vantagens dos livros de autoajuda

Visualizar novas trajetórias

Na maioria dos casos, o leitor pretende vencer seus desafios pessoais ao adquirir um exemplar. Já que vê em seu caminho problemas complexos que requerem apoio de especialistas. Ou apenas conselhos para aprimorar suas habilidades.

Os livros de autoajuda oferecem novas trajetórias para que o indivíduo recalcule suas atitudes. A fim de reproduzir os métodos que funcionaram na descoberta do escritor, isto é, diminuindo suas dores de batalha. O que é muito bom na hora de superar as adversidades.

Encontrar o lugar a que pertence

É normal se sentir perdido em áreas específicas, como a profissional, a emocional ou espiritual. Sempre haverá alguém que não sabe qual profissão escolher, qual disciplina priorizar, como se comportar perante outras pessoas ou como lidar com suas crenças. Seja no campo da amizade, relacionamento conturbado, desentendimento familiar, etc.

Encontrar o lugar a que pertence pode ser mais difícil do que se imagina. Por este motivo, os títulos propõem uma jornada de autoconhecimento, esclarecendo as principais dúvidas do ser humano. Com o intuito de “validar” sua passagem pelo mundo, aproximando-se da realização individual.

Iniciar o processo terapêutico

Os quadros mais graves de ansiedade e depressão devem ser tratados junto a profissionais de saúde, como os psicólogos. Alinhado ao que prescrevem, os livros de autoajuda contribuem para iniciar o processo terapêutico de cura.

A leitura por si só já é considerada um escape para reduzir estresse, crise de ansiedade, desânimo e transtornos. Se tratando de obras especializadas nestes assuntos, o leitor procura auxílio imediato através da literatura.

Desvantagens dos livros de autoajuda

Exagerar na confiança em cima dos escritores

Nunca se esqueça: os escritores também são seres humanos propensos ao erro. Obviamente, as dicas apresentadas nos livros podem ser úteis no contexto em que o leitor se encontra. Porém, vale ressaltar que assim como alguns passos podem levar à vitória, outros caracterizam fracassos inesperados.

Até mesmo autores de guias financeiros tendem a falir em algum momento. Nas variadas conjunturas da vida, tudo pode acontecer. Sendo assim, mesmo executando novas práticas, não renuncie ao bom senso.

Levar tudo ao pé da letra e não reconhecer limites

Superar os medos que a existência humana impõe não significa passar por cima de tudo. Muito menos de qualquer maneira. O grande erro de quem lê autoajuda é levar tudo ao pé da letra, não reconhecendo alguns limites.

Para ser invencível você não precisa se colocar em altíssimo risco por livre e espontânea vontade. Uma pessoa que deseja ser mais forte, mais resistente, não deve reagir a um assalto, por exemplo. Tampouco pular de paraquedas sem qualquer tipo de instrução apenas tentando dominar o medo de altura. Ter conhecimentos específicos também é fundamental para realizar certas atividades.

Por isso, lembre-se sempre: a literatura de autoajuda tanto pode ajudar como pode atrapalhar. Vença de maneira consciente, sem ignorar todo tipo de consequência.

Compartilhe:

domingo, 28 de março de 2021

O Universo de Mary Shelley: Frankenstein e seus possíveis derivados, por Ademir Pascale

Prometeu sendo acorrentado

Por Ademir Pascale

NO INÍCIO ERA PROMETEU

Poderemos comparar o Dr. Victor Frankenstein ao titã grego Prometeu, que apoderou-se do fogo divino de Zeus, outorgando aos homens comuns a evolução perante aos outros animais e assim como o ser supremo, também gozava da criação humana. Furioso, devido ao roubo do fogo divino, Zeus castigou Prometeu e o acorrentou ao cume do monte Cáucaso, dando livre arbítrio para um terrível abutre dilacerar o seu fígado que sempre se regenerava, devido a sua imortalidade. Zeus pronunciou o castigo a Prometeu por 30.000 anos, mas, o condenado foi libertado por Hércules que deixou em seu lugar o deus da medicina, o centauro Quíron, pois este já estava condenado devido a uma ferida eterna causada por uma flecha terrivelmente envenenada. 

Em uma atitude nobre, Quíron transfere sua imortalidade pela libertação de Prometeu, com a intenção de acabar com o seu sofrimento devido a dor da ferida eterna que possuía.

Mary Wollstonecraft Shelley (1797-1851) a autora da obra "Frankenstein", inspirou-se na lenda de Prometeu. O título da obra era “Frankenstein” ou “O Moderno Prometeu”. Levantei uma conjectura demais interessante: e se Mary Shelley não for a real autora, criadora da obra "Frankenstein"? Estive analisando o conteúdo da obra "Frankenstein" e ligando alguns fatos interessantes.

Mary Shelley
VAMOS AOS FATOS   

Antes de apresentar os fatos, gostaria de fazer um breve comentário a respeito do poeta inglês, Percy Bysshe Shelley (1792-1822). Percy era casado com Harriet Westbrook e ao mesmo tempo, namorado de Mary Wollstonecraft. Um triste dia, Harriet descobriu a traição e, claro, não aceitou. Impulsivamente, ou quem sabe num gesto de desespero, Percy abandona a esposa gestante e foge com Mary para o continente. Dois anos depois do ocorrido, mais precisamente em 1816, Harriet ainda não conformada com a traição, suicida-se e, sabendo da tragédia, Percy não perde tempo e se casa com Mary. 

PRIMEIRO FATO: na trama "Frankenstein", o pai da horrenda criatura, Victor Frankenstein, era ridicularizado pelos mestres de sua universidade, devido ao grande interesse pela Alquimia, considerada ultrapassada em sua época. Na vida real, o poeta Percy, esposo de Mary, foi expulso da faculdade de Oxford depois de publicar um panfleto sobre a necessidade do ateísmo (doutrina dos ateus. Falta de crença em Deus). Percy arruinou sua carreira acadêmica, mas defendeu suas ideias.  Note a semelhança neste fato entre o personagem Victor Frankenstein e Percy Bysshe Shelley. 

SEGUNDO FATO: o suicídio da primeira esposa do poeta Percy, Harriet. Quando amamos alguém que se vai, não pensamos como seria bom a eternidade da vida humana e às vezes não ficamos descrentes no ser supremo? Na obra "Frankenstein", Victor Frankenstein não teve a terrível ideia de dar vida a um ser inanimado depois da morte de sua mãe? 

TERCEIRO FATO: Percy tinha ideias não convencionais. Uma grande prova deste fato é a admiração pelo autor William Godwin (1756-1836), também possuidor de ideias não convencionais e pai de sua segunda esposa, Mary, além de ter sido expulso da universidade por defender o ateísmo, ideia que ia contra os conceitos da universidade de Oxford. Para a época, a obra "Frankenstein", não seria uma obra não convencional? 

QUARTO FATO: a autora Mary Shelley escreveu cerca de trinta obras, mas somente  “Frankenstein”, fez o estrondoso sucesso.

QUINTO E ÚLTIMO FATO: Percy morre aos 29 anos por afogamento em julho de 1822. Sua esposa Mary Shelley passou a se responsabilizar pela publicação de suas obras.

MINHAS CONCLUSÕES: não seria Percy Bysshe Shelley o real autor da obra "Frankenstein"? A primeira publicação de apenas 500 exemplares foi publicada em 01 de janeiro de 1818 em uma pequena editora de Londres e grande detalhe, a obra não continha o nome do autor. O prefácio da obra foi redigido pelo próprio Percy B. Shelley.

Um ano depois da morte de Percy, em 1823, a segunda edição de Frankenstein é publicada, mas desta vez com o nome da autora, Mary Shelley. 

Percy B. Shelley
Não seria o verdadeiro pai da criatura, do desfigurado ser infernal, Percy B. Shelley? Liguei estes fatos ao pesquisar a vida do poeta Percy, da escritora Mary Shelley e do anarquista filosófico, William Godwin (pai de Mary Shelley). As ligações da obra "Frankenstein" com a vida real de Percy B. Shelley, são imensuráveis. Não existiu o desprendimento do autor com a obra, o qual relatou suas ideias pessoais e íntimas em relação ao ateísmo e em trazer a vida aos falecidos, além do marcante fato de sua expulsão na universidade de Oxford, bater com o terrível tratamento dado pelos professores em relação as suas ideias sobre alquimia do personagem “Victor Frankenstein”. Dificilmente eu acreditaria que fosse Mary Shelley a autora da obra "Frankenstein" depois de correlacionar tais fatos, mas saliento que não deixam de ser conjecturas. Não seria as personagens Victor Frankenstein e a própria criatura o alterego de Percy B. Shelley? Será que não se sentira culpado pelo suicídio de sua primeira esposa, Harriet, comprovando a criação do criador e criatura como uma metáfora? Note que na obra, o monstro sempre está próximo ao seu criador, mas por mais que se esforçasse o pai da besta nunca conseguia alcançá-lo. Seria um sentimento profundo de culpa que Percy sentia pela morte de sua ex-esposa, algo irrevogável e inalcançável, pois ela jamais retornaria a vida. 


FRANKENSTEIN OU APENAS “CRIATURA”?

Sim, apenas criatura. Este era um dos nomes do monstro, ou se preferir “demônio”, “ser infernal” ou simplesmente “desgraçado”. Frankenstein era o sobrenome de seu criador, Victor Frankenstein. O autor da obra não deu nome ao monstro. Talvez o fato de soar estranhamente o nome “criatura”, deu-se o sobrenome do criador e nada mais justo dar o sobrenome do pai ao filho. 
O nome Frankenstein, originou-se de uma importante família da Silésia. Importante porque se deu o nome "Frankenstein" a uma antiga cidade hoje chamada de Zabkowice Slaskie (a Silésia é uma região histórica dividida entre a Polônia, República Checa e Alemanha). Dizem que Mary Shelley conheceu a família “Frankenstein” em uma de suas viagens, mas provavelmente Percy B. Shelley a acompanhava.

AS ADAPTAÇÕES DA OBRA FRANKENSTEIN

Frankenstein está entre as primeiras obras góticas da história. A primeira foi publicada em 1764, intitulada "O Castelo de Otranto", de Horace Walpole (1717-1797). A obra “Frankenstein” é estruturada em romance epistolar, o realismo da história é indescritível e deveras emocionante. Além da inspiração da lenda de Prometeu, o autor (ou autora) da obra “Frankenstein”, também foi inspirado pela obra do autor e representante do classicismo inglês, John Milton (1608-1674). A obra é intitulada “Paradise Lost”. A segunda obra de Milton foi intitulada de "Paraíso Reconquistado", dando sequência ao primeiro livro. 

Trecho de Paradise Lost, traduzido por Antônio José de Lima Leitão (1787-1856).
(...)
“Inferno! Inferno! Que painel terrível
Meus olhos miserandos presenciam!
Em nossa estância habitam criaturas
De outro molde, talvez de terra feitas,
Que, não sendo anjos, só diferem pouco
Dos celestes espíritos brilhantes.
Os meus maravilhados pensamentos
Nelas se engolfam todos: té me sinto
Propenso a amá-las, — tanto lhes fulgura
A semelhança divinal no porte,
E tantas graças nos gentis semblantes
A mão que as construiu pródiga esparze!
Ah! par formoso! Mal agora pensas
Na mudança que perto já te assalta:
Esses prazeres todos vão sumir-se,
E desgraça tremenda lhes sucede
Tanto mais crua quanto sentes hoje
Alegria maior nos seios d’alma.
És feliz, mas durar assim não podes
Porque bem defender-te o Céu não soube; (...)

A obra “Frankenstein” é deveras trabalhada e inspiradora, mas, para alguns, com falhas: Victor Frankenstein junta pedaços humanos e os molda, tentando reconstituir a sua maneira a figura de um ser humano, mas, ao final do processo, após tortuosos estudos, noites em claro e alterações em sua saúde — decorrentes do excesso de trabalho —, o ser inanimado torna-se animado e assim como Percy B. Shelley abandona a esposa gestante, Victor abandona sua obra, ou se preferir, criatura.  

Frankenstein foi inicialmente alterado nas telas do cinema como um ser não tão “pensante”, ao contrário da filosófica criatura da obra de Mary Shelley ou Percy B. Shelley, que é culto e rápido como o relâmpago, “bem” diferente do conhecido Frankenstein do mundo da sétima arte, se bem que alguns diretores tentaram posteriormente modificá-lo, e hoje poderemos notar várias adaptações dele, algumas até cômicas, como no longa-metragem de 1974 “O Jovem Frankenstein” (Young Frankenstein/ 104 min/ 20th Century Fox Film Corporation).

Os leitores também se deleitavam com as adaptações de Frankenstein em quadrinhos, muitas das vezes herói, outras vilão.

O teatro também adaptou a obra e foi o primeiro a gozar de tal feito. Por fim, notamos adaptações de Frankenstein até em jogos futuristas para modernas plataformas de videogames. 

Frankenstein jamais morrerá, assim como os imortais deuses da mitologia, infelizmente, para desespero de Victor Frankenstein, que perdeu a vida tentando destruir o monstro.


ALGUNS POSSÍVEIS DERIVADOS DA CRIATURA DE FRANKENSTEIN:

O Incrível Hulk - Edwards mãos de tesoura - A Noiva Cadáver - Monstro do Pântano e O Médico e o Monstro.

Série "O Incrível  Hulk"




Nota: devemos temer o anormal e o estranho? Afinal, o que é ser normal? É seguir um padrão? Será que nos importamos mais com o visual do que com o conteúdo? Se Frankenstein fosse compreendido pelos humanos, a obra teria um trágico final? Se na vida real compreendermos o que está fora dos nossos padrões visuais, a vida humana não será mais harmoniosa?                   




Compartilhe:

quarta-feira, 24 de março de 2021

Projeto de incentivo à leitura: envie sua foto com um livro e seja publicado na Revista Conexão Literatura


O nosso projeto de incentivo à leitura consiste em indicar livros e incentivar autores e leitores. A publicação das fotos dos leitores com os livros poderão ser feitas no site da revista: www.revistaconexaoliteratura.com.br , nas redes sociais Instagram ou Facebook e até nas edições mensais da revista digital Conexão Literatura.

Tire uma foto com o livro que você está lendo ou que deseja indicar a leitura. Autores também poderão tirar fotos com seus próprios livros.

REGRAS PARA PARTICIPAR:

- Envie uma foto sua com o livro (bem nítida).

- No e-mail que mandar a foto anexada, mande no corpo do e-mail o título do livro e autor, mande seu nome e estado onde reside. Diga também que autoriza a publicação da sua foto.

- Mande tudo para o e-mail: ademirpascale@gmail.com - aos cuidados de Ademir Pascale


Indique para os seus amigos :)

Compartilhe:

terça-feira, 16 de março de 2021

16 frases incríveis para quem ama livros


1 - É claro que meus filhos terão computadores, mas antes terão livros.
Bill Gates

2 - Um país se faz com homens e livros.
Monteiro Lobato

3 - A leitura de todos os bons livros é uma conversação com as mais honestas pessoas dos séculos passados.
René Descartes

4 - O homem que não lê bons livros não tem nenhuma vantagem sobre o homem que não sabe ler.
Mark Twain

5 - Com a liberdade, livros, flores e a lua, quem poderia não ser feliz?
Oscar Wilde

6 - Os livros podem ser divididos em dois grupos: aqueles do momento e aqueles de sempre.
John Ruskin

7 - Em ciência leia sempre os livros mais novos. Em literatura, os mais velhos.
Millôr Fernandes

8 - Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não lêem.
Mario Quintana

9 - O livro traz a vantagem de a gente poder estar só e ao mesmo tempo acompanhado.
Mario Quintana

10 - Sempre imaginei que o paraíso fosse uma espécie de livraria.
Jorge Luis Borges

11 - Bendito aquele que semeia livros e faz o povo pensar.
Castro Alves

12 - De todos os que preenchem nossa solidão, são os livros os mais anárquicos, os mais instigantes. Leia, e seu silêncio ganhará voz.
Martha Medeiros

13 - Queremos livros que nos afetem como um desastre. Um livro deve ser como um machado diante de um mar congelado em nós.
Franz Kafka

14 - Os livros são o tesouro precioso do mundo e a digna herança das gerações e nações.
Henry David Thoreau

15 - Apenas deveríamos ler os livros que nos picam e que nos mordem.Se o livro que lemos não nos desperta como um murro no crânio, para que lê-lo?
Franz Kafka 

16 - Livros dão alma ao universo, asas para a mente, voo para a imaginação, e vida a tudo.
Platão
Compartilhe:

domingo, 28 de fevereiro de 2021

Já está disponível a nova edição da Revista Conexão Literatura (Março/2021). Baixe a sua.


EDITORIAL

Chegamos em março com mais uma edição especial para os leitores apaixonados por livros. Desta vez destacamos em nossa capa a escritora Marília Arnaud, autora de O Pássaro Secreto, obra vencedora da 5ª edição do prêmio Kindle de Literatura. Confira nas páginas da revista a entrevista exclusiva que fizemos com a Marília. 

O leitor também poderá conferir dicas de livros, crônicas, contos, poemas, entrevistas e dicas para participação em antologias de contos e poemas.

Participe da nossa edição de abril, seja com conto, crônica ou poema. Você também poderá divulgar o seu livro ou editora. Saiba como: clique aqui.

Tenha uma ótima leitura!


Para baixar a edição da Revista Conexão Literatura nº 69: CLIQUE AQUI.

Assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail notícias atualizadas sobre o mundo da literatura. Chegará um e-mail para você confirmar a inclusão:

Insira o endereço do seu e-mail logo abaixo e receba notícias sobre livros e autores:


Ademir Pascale - Editor-Chefe
Compartilhe:

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

9 grupos no Facebook que todo bom leitor deve conhecer


Por Ademir Pascale

Todos os dias são criados novos grupos no Facebook sobre assuntos e gostos diversos. Nós leitores e apaixonados por livros sempre estamos buscando bons grupos sobre o assunto. Alguns se destacam dos demais pela interatividade dos administradores e membros. O bom leitor quer compartilhar ideias, dar dicas de suas leituras preferidas e também receber dicas. Editoras e autores também estão envolvidos e querem saber mais sobre os seus leitores. E pensando nisso, selecionamos 9 grupos literários do Facebook para que o leitor fique sempre por dentro desse universo dos livros. Confira :)

1 - BECO DOS LIVROS OFICIAL
Com mais de 88 mil membros, o Beco dos Livros tem uma ótima participação dos seus membros e com postagens que todos nós leitores amamos.   
Acesse: Clique aqui.

2 - EBOOKS E WATTPAD

Grupo super ativo destinado a divulgação de e-books e histórias no Wattpad. Super recomendo.
Acesse: Clique aqui.

3 - LIVRO DESTAQUE
Um excelente grupo para escritores, editoras e leitores e com dicas para divulgação de livros.
Acesse: Clique aqui.

4 - FANÁTICOS POR LIVROS

Se você é fanático por livros, não pode deixar de conhecer esse grupo.
Acesse: Clique aqui.

5 - MY BOOK
O My Book é destinado tanto para conversas e postagens diversas sobre livros impressos como e-books. Confira.
Acesse: Clique aqui.

6 - LITERATURA EM FOCO
Grupo para aqueles que são amantes da literatura, sejam leitores, poetas ou escritores.
Acesse: Clique aqui.

7 - CURTINDO E LENDO LIVROS ADOIDADO
Apesar de novo, o grupo vem crescendo a cada dia. Vale a pena conferir.
Acesse: Clique aqui.

8 - MUNDO DOS LIVROS
Grupo destinado aos amantes dos livros, desde autores, editoras, profissionais envolvidos na produção, divulgação, distribuição e venda, até o leitor. Os participantes também podem divulgar sites e blogs literários.
Acesse: Clique aqui.

9 - LEITORES FANTÁSTICOS
Grupo de discussão sobre leitura em suas mais diversas formas.
Acesse: Clique aqui.

Aproveite e conheça também o grupo da nossa revista: Clique aqui.

E você, conhece grupos legais no Facebook sobre livros. Deixe a sua dica nos comentários ;)

Compartilhe:

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

Aplicativo Mapa de Leitura conecta bibliotecas comunitárias de todo o país


 A tecnologia possibilita fomentar esses lugares de diálogo, de convívio social, de troca de saberes e, principalmente, de educação e cultura para todas as idades

Que os aplicativos fazem parte da nossa rotina diária não é novidade. Mas a criação de uma ferramenta que "mapeia bibliotecas" é uma inovação que pode beneficiar todas as comunidades espalhadas pelo país. Trata-se do aplicativo Mapa da Leitura, uma realização da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC).

De acordo com a bibliotecária Yasmin Wink, fundadora e pesquisadora do Mapa da Leitura, este aplicativo conecta bibliotecas comunitárias de todo o país, possibilitando trocar experiências entre bibliotecas e divulgar atividades, além de se relacionar com leitores, colaboradores, voluntários e parceiros.

“A ferramenta também fornece uma base quantitativa e qualitativa desses espaços no país, contribuindo para que sejam conhecidos e considerados no âmbito das políticas públicas na área de livro, leitura e bibliotecas. O aplicativo estimula ainda a formação de novas redes de bibliotecas, a partir do trabalho conjunto e coletivo numa mesma localidade” explica Yasmin.

O Mapa da Leitura forma uma rede de bibliotecas comunitárias e também leitores, voluntários, colaboradores e parceiros. De acordo com Yasmin, bibliotecas comunitárias de todo o país podem e devem ingressar no aplicativo, cadastrando seu endereço, suas informações e atividades para que os leitores possam encontrar os locais mais próximos, fazer contato ou mesmo conhecer esses espaços pelo país afora. “O aplicativo oferece um fórum de discussão para troca de experiências entre as bibliotecas e entre leitores e eventos” complementa.

O Mapa da Leitura é patrocinado pela Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC), que atualmente conta com mais de 119 instituições. Porém, de acordo com Yasmin, o número de bibliotecas comunitárias espalhadas pelo nosso país continental é bem maior. “O Mapa vai ajudar a localizá-las e conhecê-las”, comemora.

Importância das bibliotecas comunitárias

No Mapa da Leitura é realizado o mapeamento de bibliotecas comunitárias, espaços invisibilizados pelas políticas públicas, mas que nos últimos 10 anos, de acordo com o livro O Brasil que Lê, tiveram um aumento no número de espaços criados.

Muitas vezes essas bibliotecas são os únicos espaços culturais nas periferias das cidades. São criados pela própria população que vê nas bibliotecas lugares de diálogo, de convívio social, de troca de saberes e principalmente de educação e cultura para todas as idades. “A importância do aplicativo está principalmente no fato de podermos ter dimensão das bibliotecas comunitárias brasileiras e, com essas informações, lutarmos por políticas públicas e projetos que visem aperfeiçoá-las ainda mais e ampliá-las. É certamente um espaço de encontro entre pessoas que acreditam no livro e na literatura como um direito para todos”, diz a bibliotecária.

Como foi criado

O projeto teve início em 2016, quando Yasmin Wink, que é bibliotecária e trabalhava com bibliotecas comunitárias em Porto Alegre, e o desenvolvedor Tairon Coelho, viram que poucas pessoas conheciam esses espaços. “Pensamos em criar uma ferramenta que fosse um apoio à elas. A criação se deu em 2017 com a construção do aplicativo e testagem realizada pelas próprias bibliotecas comunitárias. Vencemos o Prêmio Campus Mobile e ao longo dos anos o aplicativo esteve em funcionamento, até que em 2020 a Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias o comprou, realizou aperfeiçoamentos e hoje lançou em outro formato, que não precisa baixar, tornando mais fácil seu uso”, conta Yasmin.

Para mais informações, basta acessar o site do aplicativo do Mapa da Leitura neste link e fazer a inscrição: https://www.mapadaleitura.com.br/

 

Sobre o Conselho Federal de Biblioteconomia

O Sistema CFB/CRB é composto pelo Conselho Federal de Biblioteconomia e pelos Conselhos Regionais de Biblioteconomia. O objetivo do Sistema CFB/CRB é atuar em prol da sociedade brasileira por meio da sua principal missão: fiscalizar o exercício profissional do bibliotecário, cuja operacionalização é feita pelos Conselhos Regionais. Para o Sistema CFB/CRB um país aparelhado com bibliotecas contribuirá na formação de cidadãos esclarecidos, críticos e participativos, condição sine qua non para o progresso de uma nação.


Compartilhe:

domingo, 14 de fevereiro de 2021

Ubook lança seção de Resumos em sua plataforma


ENTRE OS TÍTULOS ESTÃO GRANDES SUCESSOS DAS ÁREAS DE NEGÓCIOS E FINANÇAS, COMO ‘O PODER DO HÁBITO’ E ‘ME POUPE’ 

Ubook – maior aplicativo de audiotainment da América Latina – anuncia a nova seção de Resumos, que traz áudios de livros de sucesso em versões resumidas. Com até 30 minutos de duração, os resumos, narrados em português, trazem as melhores ideias e informações-chave de cada livro. "O Poder do Hábito" (editora Objetiva), "Me Poupe" (editora Sextante), "Mindset" (editora Objetiva), "Os Segredos da mente milionária” e "O Monge e o Executivo" (ambos da editora Sextante) são alguns dos títulos disponíveis.

Assinantes da Ubook têm acesso ilimitado à coleção, bem como aos 400 mil títulos disponíveis da plataforma, por R$ 16,90 (valor mensal). Acesse o site para mais informações. 

Sobre a Ubook

Lançada no início de outubro de 2014, a Ubook é a maior plataforma de audiotainment da América Latina. Por um valor mensal é possível ter acesso ilimitado a todo o catálogo através do aplicativo. Além dos audiobooks e podcasts, a Ubook inovou o segmento trazendo também séries e documentários originais, notícias e ainda ampliou sua oferta ao disponibilizar também ebooks para seus assinantes. Com a crescente demanda por conteúdo em áudio no país, a plataforma lançou recentemente a Ubook Music e a Ubook FM, uma nova área que oferece música de diversos gêneros para assinantes e não assinantes. Para saber mais acesse: www.ubook.com

Compartilhe:

Cláudia Zambrana e seus livros

Cláudia Zambrana - Foto divulgação
Cláudia Lomba Zambrana, nasceu no interior do Espirito Santo, em 15 de janeiro de 1984 , morou em diversas cidades quando criança. Neta de jornalista, formada em Direito, cursando Faculdade de Psicologia, nunca deixou de se dedicar as palavras, sua grande paixão sempre foi escrever… Vive intensamente os momentos que a vida lhe proporciona. Casada, mãe de três filhos... ela divide a maternidade, com o trabalho, estudos e a escrita. E no meio disso tudo, ela se encontra... Para nossa sorte, Cláudia tem um lema que transpassa para seus livros: “Não podemos adiar nossos sonhos, temos que viver o agora de forma intensa...”

ENTREVISTA:

Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Cláudia Zambrana: O meu inicio no meio literário foi por acaso e uma busca pela concretização de um sonho... Eu sempre escrevi... “escrever” sempre foi à maneira como me comunicava com o mundo, desde criança... 

No ano de 2019, no meio de estudos para concurso público, comecei a escrever o livro “24h adolescente e às vezes apaixonada”, porém sem intenção de publicá-lo. Escrevê-lo na verdade era um refúgio para a minha alma, e infelizmente no inicio do ano de 2020, fomos surpreendidos com a pandemia, e a reclusão necessária me abriu asas para me dedicar ao meu mundo literário... Assim como foi a forma de conseguir lidar com todo esse momento tão triste da história da humanidade.

E nesse momento fui cobrada pelos meus próprios pensamentos... sobre como muitas vezes adiamos tanto os nossos sonhos... Então nasceu, melhor eu me assumi como escritora...e comecei a correr atrás desse sonho... terminei o meu livro, iniciei o de poesias, e logo depois os infantis...todos com muito amor e dedicação...

Você é autora dos livros “24h adolescente e as vezes apaixonada”, "Quero Ser Rapunzel" e "Meu tutu mágico". Poderia comentar? 

Cláudia Zambrana: Sim... o “24h adolescente e às vezes apaixonada” é um livro apaixonante, com personagens carismáticos que fazem você torcer e vibrar junto deles...é uma leitura que te envolve por completo, e representa muito a adolescência em todos seus quesitos, até mesmo porque a personagem principal vai amadurecendo no decorrer da leitura e dos outros livros que virão dele a seguir...A personagem principal a “ Bia” ela é muito real. Uma adolescente que pode facilmente retratar alguma conhecida nossa, mesmo com todas as confusões nas quais ela entra. A história é muito dinâmica, cheia de vida, como o próprio adolescente. É uma leitura para os adolescentes, mas também entre pais de adolescentes.

Já os meus infantis, possuem como personagens principais a minha filha mais nova Vivi e o seu ursinho Jujuba, que era meu quando criança. São livros que trabalham o encantamento da infância, da vida, a inocência, as brincadeiras, assim como a empatia. São livros mágicos... 

No livro Meu Tutu Mágico, procuro mostrar a criança que ela deve acreditar em sua capacidade e nos seus sonhos... e que quando ela fizer isso, a mágica acontece e tudo começa a dar certo...

Já no livro Quer Ser Rapunzel, procuro trabalhar de forma muito lúdica sobre a importância da empatia...

Os livros são lindos... cada um com sua essência.

Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seus livros? 

Cláudia Zambrana: Nossa... isso é algo complicado de explicar... O “24h adolescente e às vezes apaixonada” já era uma ideia muito forte quando comecei a escrevê-lo e demorei uma média de 1 ano e meio pata terminar. 

Como sou mãe, tenho três filhos, e a minha mais velha é uma adolescente, isso me ajudou a conseguir descrever com exatidão o mundo do adolescente, lógico que o curso que estou fazendo de Psicologia também, pois leio muito sobre o assunto.

E a minha adolescência em si, as minhas próprias histórias e experiências me ajudaram muito ao escrever. Eu sempre tive um grupo fiel de amigos e como a Bia, personagem do meu livro, procurava fazer tudo com eles... desde a idas ao cinema, como viagens e festas...ou simples saídas para um lanche...e lógico que tudo se tornava um grande evento...

E isso da vida do adolescente é sempre algo muito emocionante, porque eles vibram e vivem intensamente cada sentimento desde o amor até a tristeza, assim como as amizades, os conflitos e as descobertas.

Já os meus livros infantis surgiram como mágica, através de contação de histórias para meus filhos menores na hora de dormir ou de momentos com eles no dia a dia... com muita imaginação e criando mundos mágicos... pois acredito que a fantasia ajuda muito no desenvolvimento intelectual da criança.

Lembro-me de estar preparando a minha filha mais nova para tomar banho, quando ela apareceu segurando o ursinho Jujuba nas mãos e com um tutu de balé por cima do pijama... então saí correndo para o computador para escrever o livro Meu Tutu Mágico...

Poderia destacar qual livro veio primeiramente a sua mente e por quê? E qual trecho deste livro você acha especial?  

Cláudia Zambrana: Sim... foi o livro “24h adolescente e às vezes apaixonada” porque ele descreve a adolescência de uma forma leve e intensa ao mesmo tempo, além de mostrar a importância do diálogo com a família e os riscos da exposição nas redes sociais no mundo atual. Eu tentei inserir no contexto de forma muito leve passagens sobre feminismo, sexo, sexualidade, bullying, autoconhecimento, empatia, amor próprio, autoestima, a insegurança, o medo...situações que estão muito presentes na vida de um adolescente.

O livro todo é muito especial... difícil escolher um trecho...mais vamos lá.... Um deles, inclusive é a forma como eu me via quando adolescente:

“A verdade é que me sinto diferente de qualquer pessoa que existe na face da Terra”

 E o outro trecho, que acho muito importante é uma conversa entre mãe e filha, quando a Bia, considera estar apaixonada por menino, que ela mal conhece:

“— Não podemos amar aquilo que não conhecemos, minha filha. Conheça e depois fale se ama”

São situações muito típicas no cotidiano do adolescente, e que muitas vezes para nós, que hoje somos adultos, são coisas banais, mas que para eles, e até para nós quando fomos adolescentes, eram situações que nos traziam sofrimento e muitas vezes um sentimento de falta de não ser compreendido.

Quais dicas daria aos autores em início de carreira?

Cláudia Zambrana: Não desista dos seus sonhos, escreva, acredite no que você escreveu, e corra atrás para publicar da forma que você considerar ideal para você... seja por uma editora ou de forma independente, mas comece... e não fique triste com portas fechadas... nada na vida acontece por acaso... nem mesmo uma porta que se fecha.

O inicio não é fácil, mas não é impossível...

Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir os seus livros e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário? 

Cláudia Zambrana: Eu vou amar, que as pessoas queiram conhecer meu trabalho e saber um pouco mais sobre a Cláudia. 

Eu tenho o meu instagram @claudiazambrana.l e procuro interagir bastante com meus seguidores. 

Já os meus livros estão disponíveis por várias plataformas. 

O “24h adolescente e às vezes apaixonada” está disponível nas livrarias: Amazon, Livraria da Travessa, Livraria Cultura, Livraria Vírgula, Leitura de Ipatinga, Saraiva, Livraria Martins Fontes, Kobo, Fnac Portugal, Livraria Bertrand em Portugal, Google Books,  site da Editora Chiadobooks. 

E os meus infantis, pelo site da Editora Em Prosa & Verso, na Livraria Leitura de Ipatinga, Livraria Casa na Árvore e a Livraria Portal do Saber.

Existem novos projetos em pauta? 

Cláudia Zambrana  Sim, na verdade estou cheia de projetos.

Estou terminando um romance voltado para o público jovem adulto, que promete ser um grande sucesso, provavelmente para o segundo semestre. E estou terminando um livro sobre maternidade, de um ponto de vista real, de uma mãe de três. Esse livro estará sendo publicado de forma independente por e-book até o mês de abril, no site do Amazon.

E estarei lançando nesse primeiro trimestre dois livros: 

“Verdades Imaginárias” pela editora Penalux, que é um livro de poesia diferente, pois ele retrata o crescimento de uma mulher dentro de seu mundo e de suas verdades, é de  extrema importância, quase que uma leitura obrigatória, pois ele é quase um livro de autoestima e superação  em forma de poesia.

E mais um livro infantil – Vivi e o Lápis Mágico pela editora Inverso, que fala da importância dos sonhos, da responsabilidade, e do incentivo e da autoestima desde cedo, na infância. Lógico, com muita magia...

Perguntas rápidas:

Um livro: A Hora da Estrela ( foi o primeiro livro que li)

Um (a) autor (a): Clarice Lispector

Um ator ou atriz: Betty Faria

Um filme: Os Goonies ( marcou minha infância)

Uma recordação em especial: os passeios com minha mãe na praia ao entardecer...

Deseja encerrar com mais algum comentário? 

Cláudia Zambrana: Sim... gostaria de encerrar a entrevista, agradecendo pela oportunidade e para dizer que os livros estão lindos,  com histórias envolventes, personagens carismáticos e situações de vida...

E todos eles trabalham para um crescimento pessoal positivo, tanto os infantis, como o livro para adolescente, e os outros que ainda serão publicados. 

Então, por favor, leiam bastante... a leitura muda vidas... e é a única forma de mudar uma nação.


CRÉDITO DA ENTREVISTA: ELENIR ALVES - REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

Compartilhe:

domingo, 31 de janeiro de 2021

Já está disponível a Revista Conexão Literatura, nº 68 (Fevereiro). Baixe a sua.


EDITORIAL

“Pratique o hábito da leitura, seja com livros impressos ou digitais”, frase que está em destaque em nossa capa. A leitura nos faz sonhar, viajar e ter mais conhecimento e certamente é uma das melhores ferramentas para o ser humano. Leia, pratique e exercite a sua mente.

Nas páginas da revista o leitor encontrará dicas de livros, crônicas, contos, entrevistas e muito mais.

Participe da nossa edição de março, seja com conto, crônica ou poema. Você também poderá divulgar o seu livro ou editora. Saiba como: clique aqui.

Tenha uma ótima leitura!


Para baixar a edição da Revista Conexão Literatura nº 68: CLIQUE AQUI.

Assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail notícias atualizadas sobre o mundo da literatura. Chegará um e-mail para você confirmar a inclusão:

Insira o endereço do seu e-mail logo abaixo e receba notícias sobre livros e autores:


Ademir Pascale - Editor-Chefe
.
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Posts mais acessados da semana

Anuncie e Divulgue Conosco

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels