Jane Austen: Livros e Filmes

Jane Austen, Thibaudet e um retrato da burguesia do séc. 18 Nascida em 16 de dezembro de 1775, a britânica Jane Austen foi uma das...

Mostrando postagens com marcador Luci Collin. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Luci Collin. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Fascinação, peça de Flavio de Souza, inspira livro escrito por ele e Luci Collin

Luci Collin e Flavio de Souza - Foto divulgação
Livro é lançado em São Paulo e traz também ilustrações do próprio Flavio

Conhecido pela criação e roteiro de programas como Castelo Rá-Tim-Bum e Mundo da Lua, ambos na TV Cultura, e Sai de Baixo, da Globo, além de autor diversos livros infantis como Chapeuzinho Adormecida no País das Maravilhas, e cerca de 60 peças, Flavio de Souza lança o livro Fascinação no próximo dia 1º de junho, na Livraria Cultura da Avenida Paulista. Escrito a quatro mãos junto com Luci Collin, o romance (que sai pela Ateliê Editorial)  parte da peça homônima, estrelada por Marisa Orth na década de 90. O livro aprofunda-se na história de Laura, uma atriz famosa de teatro e TV.

A ideia de transformar a peça em livro já passava pela cabeça de Flavio há algum tempo, porém, ele sempre achou que precisava de uma escritora para dar mais vericidade ao que se passava na cabeça da protagonista. A dupla se conheceu pessoalmente num evento em Curitiba, onde moram, em 2017. A identificação foi imediata e o convite surgiu alguns dias depois. "Fiquei muito honrada, mas coloquei uma condição: ambos teríamos que ter total liberdade para mexer no texto um do outro, sem freios, até achar um caminho que agradasse aos dois. Flavio não titubeou e aceitou a proposta", relembra Luci, contando que o processo de escrita durou cerca de um ano.

E o livro foi realmente escrito a quatro mãos, tanto que os autores não conseguem reconhecer quem escreveu o que em alguns trechos. Com isso, a dupla acabou misturando seus estilos e criando um terceiro, híbrido dessa parceria entre um escritor multimeios e uma poeta e escritora que namora com a literatura mais experimental. "A Luci diz que não lembra de nenhuma obra literária nacional escrita realmente a quatro mãos como Fascinação, mas eu iria até mais longe e acho que não conheço nada parecido na literatura mundial", especula Flavio.

Ilustração

A história de uma atriz
Fascinação conta a história de Laura, uma atriz que vive um casamento desgastado e que está em busca de emoção e aventura. Ela encontra essas sensações ao ser raptada e revendo um pouco sua vida. O livro mantém o mesmo roteiro da peça, mas amplia muito mais esse universo, trazendo questões que não foram explorados no teatro, na montagem que tinha Marisa Orth no papel principal, com Paulo Gorgulho e Jacqueline Cordeiro integrando o elenco também.

No livro, Luci e Flavio vão misturando o mundo real com o mundo dos sonhos ou com o que se passa dentro da cabeça de Laura. A edição da obra também possibilita ao público ter contato não só com a escrita literária. O leitor acaba tendo contato com a rotina da protagonista e tem a possibilidade de conhecer um roteiro para TV e outro de filme, inseridos ao longo do texto, percebendo um pouco também da diferença na escrita para essas linguagens. O livro também traz uma série de ilustrações, feitas pelo próprio Flavio.

Outro fato curioso é que o livro acaba fazendo o caminho inverso da maioria das obras literárias. Normalmente, é a literatura que inspira a criação de peças, filmes ou programas de TV. Aqui, a peça gerou o livro. "Há tempos tenho vontade de me aprofundar na história de Laura. Ela traz muito da minha vida também: fui casado com uma atriz, tive contato com várias com quem trabalhei e posso dizer que o funcionamento da cabeça dessas mulheres sempre me fascinou e despertou uma enorme curiosidade. Mas faltava encontrar alguém que topasse a empreitada junto comigo", explica o autor.

Lançamento
No dia 1º de junho, a partir das 16 horas, o público poderá ver um bate-papo dos autores falando sobre o livro e seu processo de escrita. Além disso, a atriz Patricia Gasppar lerá trechos da obra e, logo em seguida, Flavio e Luci autografam exemplares.

Serviço
FASCINAÇÃO
Autores: Luci Collin e Flavio de Souza
Ilustrações: Flavio de Souza
Editora: Ateliê Editorial
229 páginas
Lançamento: Dia 1º de junho, sábado, a partir das 16 horas, na Livraria Cultura (Av. Paulista, 2073 - Conjunto Nacional) - Tarde de autógrafos, bate-papo com autores e leitura de trechos.
Compartilhe:

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Vox Urbe tem final de semana com leituras, bate-papos e shows no Novelas Curitibanas

Luci Collin - Foto divulgação
Na programação, Luci Collin, Paulo Henriques Britto, Rodrigo Madeira e os dez anos do trio Língua Madura; Acesso é gratuito

Curitiba, abril de 2018 – O Vox Urbe 2018, evento de literatura que abre espaço para o intercâmbio entre autores locais e o público, segue a programação no próximo final de semana no Teatro Novelas Curitibanas com bate-papos, literaturas e música. Serão três noites de apresentações, que começam às 19 horas. Todas com entrada gratuita. A iniciativa, que tem direção do escritor, músico e produtor cultural Adriano Esturilho e curadoria do poeta Ricardo Pozzo e Manoela Leão, reúne nomes de peso da literatura local e convidados de fora do estado.

Na sexta-feira (13/04) as escritoras curitibanas Julia Raiz – integrante de movimentos como Totem & Pagu e Pontes Outras – e Luci Collin – prêmio Jabuti 2017 com "A palavra algo" um dos nomes mais representativos da cena local – se encontram para leituras e bate-papo.  A noite termina com show e leituras de Estrela Leminski e Téo Ruiz com o recente "Tudo que não quero falar sobre amor".

No sábado (14/04), o poeta curitibano Marcelo Sandmann fará as honras da casa para o visitante da noite, o poeta e tradutor carioca Paulo Henriques Britto, prêmio Portugal Telecom de literatura brasileira, numa dobradinha de leituras e bate-papo. Ao final da noite, o público poderá conferir a performance de Adriano Esturilho e Eugenio Fim em "Estu! Subtropical: Canções em Tempos de Golpe".

Em seu novo show "Canções em Tempos de Golpe", o multiartista curitibano Adriano Esturilho e seu parceiro Eugênio Fim apresentam parte do repertório de seu projeto musical Estu!subtropical, lançado em CD no último ano, em versões preparadas especialmente para o Vox Urbe. Com uma  ironia constante e viril, as canções por vezes passeiam pela cidade e por nossos temas políticos atuais, criando um rock tropicalista mesclado a elementos eletrônicos. A noite também contará com breves leituras de poemas do novo livro de Esturilho - 32 de dezembro - a ser lançado em maio. As canções e textos apresentados no palco dialogam e lançam um olhar - sutil, mas contundente - sobre os efeitos colaterais dos nossos atuais tempos de retrocesso político e de conservadorismo na visão do autor. Segundo Esturilho, é tempo de resistirmos, com poesia, música e afeto. Acompanham Esturilho e Eugenio Fim no palco a atriz e cantora Taciane Vieira e o músico Thales Lemos.

Finalizando a terceira noite do Vox Urbe, no domingo (15/05), a mesa de leitura e bate-papo reúne a escritora e crítica gaúcha Veronica Stigger e o poeta Rodrigo Madeira, autor do recém-lançado "Baldio" (Kotter/Ateliê Editorial). O show de despedida tem sabor de comemoração: o maestro Octavio Camargo, a instrumentista Barbara Kirchner o poeta Thadeu Wojciechowski se unem para festejar os dez anos do trio Língua Madura.

O evento
O Vox Urbe 2018 foi lançado no último 22 de março na Cinemateca de Curitiba marcando uma série de outros três encontros. Neste ano, recebe patrocínio do PROFICE - Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura, com incentivo da Copel. A iniciativa é um dos principais eventos de poesia em atividade no Paraná e tem como princípio abrir espaço para os poetas da cena local lerem e compartilharem seus poemas e pensamentos com o público. O evento nasceu em 2011 nas noites de terça-feira do já extinto Wonka Bar em Curitiba, com o apoio da empresária e produtora cultural Ieda Godoy, que cedia seu espaço e estrutura.

Agora, neste novo momento, o projeto ganha estrutura de produção, equipe e divulgação para ampliar seu público. Também terá um calendário estruturado com mesas-redondas com autores e coletivos de literatura, shows, oficinas, lançamentos e sessões de autógrafo. O Vox Urbe tem entrada gratuita em todos os eventos e a ideia é transformar esses encontros em noites de trocas culturais com a interseção de outras artes como a música e a performance.
A expressão do latim "vox urbe" (que significa "vozes da cidade") traduz bem o espírito desse evento que proporciona uma experiência literária única. "Mantivemos a tradição do sarau e da leitura de poemas. O foco continua na divulgação dos poetas curitibanos com abertura para o intercâmbio com convidados de outros locais", conta Adriano Esturilho.

Em maio acontece o último encontro do Vox Urbe 2018 também no Novelas Curitibanas.

Serviço:
Vox Urbe 2018
Local: Teatro Novelas Curitibanas – Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1.222
Data: 13 a 15 de abrilHorário: a partir das 19 horas
Entrada gratuita
Projeto aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura – PROFICE da Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado do Paraná.
Apoio: Copel
Compartilhe:

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Poeta paranaense Luci Collin é a convidada da 1ª edição do "Palavração" de setembro com Fernando Monteiro na Biblioteca do Estado terça (19)

Luci Collin - Foto Divulgação
O público terá mais uma oportunidade de discutir poesia como ela é e desta vez com a escritora paranaense Luci Collin que é a próxima convidada do pernambucano Fernando Monteiro no "Palavração", a ser realizado na Biblioteca do Estado, nesta terça (19), a partir das 15h30, em encontro aberto ao público. O projeto, que é integrado à XI Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, traz uma nova discussão do premiado escritor que é homenageado do grande evento literário com a autora de "A Palavra Algo" (Iluminuras, 2016), sua mais recente publicação que tem chamado a atenção da crítica por ser um livro ágil, variado e humorado.  "Com Luci Collin, o projeto vai apresentar uma poeta de obra consolidada, mas cuja inquietação permanece viva em torno não só do lugar da Poesia nos dias de hoje. Luci enfrenta os temas mais universais que correspondem à sua geração (assim como as anteriores), enquanto vemos os poetas do agora às vezes muito autocentrados etc", destaca o escritor Fernando Monteiro, Monteiro (premiado pela Funarte em 1987 com livro "Brennand"), que comanda este encontro que ainda leva a curadoria do jornalista Schneider Carpeggiani.

Ficcionista, a poeta iniciou seus escritos ainda muito jovem chamando assim a atenção de grandes nomes da literatura, como Henfil e Paulo Leminski, que se encantaram com o admirável nível técnico da jovem poeta face aos seus 19 anos. Agora, com 17 livros publicados, esta escritora já ocupa uma célebre cadeira como imortal da Academia Paranaense de Letras. Nada mal para esta filha de uma professora que se graduou no Curso Superior de Piano/ Performance (Escola de Música e Belas Artes do Paraná, 1985) e no Curso de Letras - Português/Inglês (Universidade Federal do Paraná, 1989), e no Curso Superior de Percussão clássica (Escola de Música e Belas Artes do Paraná, 1990).

Contudo, foi na poesia e mais especificamente no seu primeiro projeto literário, "Estarrecer" (poesia), lançado em 1984 que se encontrou e se realizou, recebendo críticas mais do que positivas e consagrando cada vez mais o seu trabalho com grande destaque em obras como "Trato de silêncios" (poesia, 2012, 7letras, Rio de Janeiro) e "Querer Falar" (poesia, 2014, 7 letras, Rio de Janeiro), indicado ao Prêmio Oceanos 2015. Essa incrível e pulsante trajetória da poetisa mostra que a poesia tem o seu próprio lugar na literatura e que atrai a atenção do público leitor jovem. "A Poesia está na base de todas as demais manifestações da arte literária. Discuti-la e debater o seu 'lugar' hoje é enfatizar isso e também corresponder a um interesse (muito grande) que ela suscita nas gerações mais novas, que a praticam (frequentemente mal, reconheçamos) na internet, nas redes sociais, nas 'ferramentas' que hoje existem para todos ou quase todos", destaca Fernando Monteiro que também é ficcionista, poeta, crítico de arte e cineasta.

Nascido no Recife, em 1949, Monteiro vem se destacando como um dos maiores expoentes da literatura nacional. Ele tem mantido um conjunto expressivo na literatura com um olhar real da atualidade, em uma trajetória literária marcada por diversos prêmios. Vencedor em 1975 do Prêmio Othon Bezerra de Melo, da Academia Pernambucana de Letras, com peça teatral em dois atos O Rei Póstumo, ainda se consagrou com outros trabalhos. E, além de ser homenageado da décima primeira edição da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, movimenta desde agosto esses bate-papos do "Palavração" com nomes que fazem a poesia acontecer na atualidade.

Promovida pela Ideação com incentivo do Funcultura, a próxima edição do "Palavração" acontece nesta terça (dia 19), às 15h30, na Biblioteca Pública do Estado, localizado na Rua João Lira, ao lado do Parque 13 de Maio, em Santo Amaro. Realizado em ambiente especial da BPE, os encontros tem capacidade para até 70 pessoas e, em virtude da capacidade limite do seu auditório, o diálogo entre Fernando Monteiro e Luci Collin pode ser conferido ainda através de transmissão ao vivo, via streaming, pela fanpage da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco: https://www.facebook.com/BienalPernambuco/.

SERVIÇO
Palavração - "O Ano das Lágrimas da Chuva!" com Luci Collin
Quando: Terça, dia 19 de setembro, às 15h30.
Onde: Biblioteca Pública do Estado (Rua João Lira, s/n, ao lado do Parque 13 de Maio, Santo Amaro)
Informações e Transmissão ao vivo: https://www.facebook.com/BienalPernambuco/

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels