Conexão Nerd: Teoria da Conspiração, por Ademir Pascale

Cena do filme Teoria da Conspiração POR ADEMIR PASCALE Hoje não irei comentar sobre colecionáveis ou heróis, mas sobre um filme, um li...

Mostrando postagens com marcador Mashhad. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mashhad. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 9 de agosto de 2021

Autora Yasaman Mahdizadeh e a Obra "As Luzes do Oriente" (Paradise Ocean Books)


Há algo mágico na luz. Na luz em si e, principalmente, na incidência dela sobre os arredores. Essa é a visão que os olhos bem atentos podem ter ao se depararem com os registros de Yasaman Mahdizadeh nesta coleção de fotos. Retratando regiões do Irã, sua terra natal, a fotógrafa tem nas luzes sua principal inspiração. Ela aparece em sua forma visível e também em meio a cenas que acendem nossa imaginação, nossa perspicácia, nossa busca por sentido. Não é essa a nossa luz interior, aquela que ilumina nossas decisões e a visão que temos do mundo?

As fotografias de Yasaman são plenas de expressões de fé e religiosidade, além da sua ótica cultural, passando pela música, arquitetura, ritos e cerimônias tradicionais. Mas ela também faz questão de retratar o cotidiano, as ações corriqueiras, a vida simples, o comércio, a correria das ruas, a simplicidade das crianças. Tudo se mistura em um mundo de cores. Todavia, cientificamente e espiritualmente, só podemos ver as cores na presença da luz. Que As Luzes do Oriente Médio sirvam como lentes para a experiência de se ver toda a expressividade de um povo envolto em uma cultura tão rica.

SOBRE A AUTORA:

Yasaman Mahdizadeh nasceu em 5 de abril de 2004 em Mashhad, IRÃ. Ela é estudante e adora Fotografia e Artes Visuais.

PARA ADQUIRIR A OBRA: CLIQUE AQUI 

Compartilhe:

segunda-feira, 17 de maio de 2021

Negar Emrani e o livro Algum lugar entre o mundo e o espelho (Paradise Ocean Books)


Biografia da Autora:

Negar Emrani, nasceu em Mashhad, Irã, formou-se em Biotecnologia. Após anos de carreira na ciência, devido à crise econômica no Irã, ela encontrou a oportunidade de se especializar em Literatura e na Arte da poesia, que eram seus interesses pessoais há anos.

Algumas de suas obras na forma de poesia contemporânea foram publicadas em jornais não-iranianos, como "Asymptote Journal Tinge Magazine" "Tinderbox", "The Literati Quarterly".

Suas canções e letras também foram publicadas em coleções como "Khorasaneh" (o livro de letras da província de Khorasan), às vezes com música ou apenas por escrito. 

Sinopse da Obra:

Usando uma mistura da linguagem direta com a linguagem emocional subentendida, Negar Emrani traz, em Algum Lugar Entre o Mundo e o Espelho, diversos aspectos que permeiam não apenas vivências pessoais, mas aquelas que, de certa forma, mesmo sendo privadas, são os revérberos de toda uma sociedade.

Neste conjunto de poemas veremos o destrinchar dos mais profundos e – às vezes – controversos sentimentos da consciência humana perante seu ambiente e suas contrariedades, que ora fazem com que o leitor se identifique, ora fazem com que se aprofunde numa cadeia de misteriosas conotações sobre a solidão, a luta, a guerra, a força feminina, a sombra familiar e os reflexos da mente e, principalmente, do coração. Afinal, seriam esses reflexos emocionais, muitas vezes invisíveis para uns, e até mesmo abstratos demais para serem transformados em palavras concretas, mas tratados de forma rica e singela pela autora, justamente o que há entre o mundo e o espelho?

Link da Amazon: https://www.amazon.com/gp/product/B08BF628T6/ref=dbs_a_def_rwt_bibl_vppi_i0


Poesia

A Profetisa

Eu sonhava com terrenos chuvosos,

De uma mulher que estava 

Espalhando os cabelos à luz

Para que os pássaros pudessem colher grãos

Espalhados pelo chão.


Sonhei com dentes de leão 

Que não tinham nada a dizer ao vento.

Sonhei com uma joaninha

De uma asa costurando o chão no céu

E as folhas secas vagando ao léu.


A seca estava sobre nós, e minha mãe 

Estava se encolhendo em um canto da sala,

Juntando a chuva em seus olhos.


Alguma mulher 

Sai do espelho todos os dias,

E ela está se aproximando

Enquanto o mundo 

Aos poucos vai se acabando. 


Um dia para o aniversário dela,

Outro dia para sua morte

Sem sorte.


Alguma mulher 

Dentro do meu punho esquerdo,

Na crista dos meus seios, 

Entre os meus cabelos

Algumas vezes molhados!

Ela sai, e tudo o que resta dela

São as pegadas dela 

Marcadas em minha testa.


Alguma mulher, 

Cujo cabelo é a própria pobreza,

Estica dentro 

Dos meus braços para o amanhã.


Eu nunca soube

Qual dente podre 

Me deu meu sorriso.

Eu tenho escondido

A tristeza entre os pistácios, 

Ano a ano,

Pobre tentativa de fugir dos enganos. 


A morte está próxima.

Sentada, estou assistindo o pôr do sol,

Antes de murchar o último girassol. 


Um dia uma árvore crescerá 

Como uma profetisa em meu corpo,

Uma profetisa sem milagres,

Tudo o que ele poderá fazer

É separar o vento em duas partes.

 

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels