Possessão Alienígena reúne grandes escritores brasileiros de ficção científica

Monitorar, possuir e manipular. De certo modo, a literatura, a mídia e o cinema ajudam na descrença da existência dos alienígenas, tor...

Mostrando postagens com marcador Melissa Mellvee. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Melissa Mellvee. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 30 de setembro de 2021

Já está disponível a nova edição da Revista Conexão Literatura (Outubro/2021)


EDITORIAL

A nossa edição de outubro destaca a jovem e promissora escritora Melissa Mellvee, autora do livro Meu padrasto é a maior viagem. Confira nas páginas da revista a entrevista exclusiva que fizemos com ela. 

Além do grande volume de excelentes contos que estamos publicando em nossas edições, o leitor poderá conferir dicas de livros, entrevistas com autores, crônicas e poesias.

Tenha uma ótima leitura!

Participe da nossa edição de novembro, seja com conto, crônica ou poema. Você também poderá divulgar o seu livro ou editora. Saiba como: clique aqui.

Tenha uma ótima leitura!

Compartilhe:

segunda-feira, 16 de agosto de 2021

Meu padrasto é a maior viagem, de Melissa Mellvee, um livro repleto de referências à cultura Pop

 

Melissa Mellvee - Foto divulgação

Por Fernanda Mellvee[1] 

O livro de estreia de Melissa Mellvee apresenta aos leitores a aventura de Ingrid, uma adolescente porto-alegrense que se muda com a mãe uma aspirante a atriz e com Jimmy, seu cachorro falante para a Estocolmo. Porém, além do choque entre as culturas brasileira e sueca e dilemas típicos da adolescência, o romance de 260 páginas conta com inúmeras referências à cultura pop, que abordam desde o cinema escandinavo contemporâneo até obras de literatura infanto-juvenil. 

            Uma boa parte da inserção de personalidades do cinema na narrativa ocorre a partir do momento em que a protagonista é apresentada ao novo namorado da mãe, que, para a sua surpresa, se trata do seu maior ídolo, um jovem ator sueco que é figura recorrente em filmes de aventuras e séries épicas.

A personagem então – que se autodefine como uma “nerd assumida” – passa a ter contato com as celebridades que somente conhecia através da televisão, como podemos observar nas cenas a seguir:

Para ter uma ideia, as mulheres estão MUITO arrumadas, como se fossem receber o Oscar e os homens usam terno e gravata. Estou me sentindo no baile à fantasia na Casca da Catarina Batista, da novela o “Cravo e a Rosa”, só que eu sou o Petrucchio vestido de homem das cavernas. Tudo bem, isso foi um pouco dramático, mas a minha roupa é ótima para ir ao supermercado ou passear com o meu cachorro, não para uma festa. Até o ridículo do Oran está arrumadinho. Até o seboso do meu padrasto está arrumadinho (P. 157).

 

Começo a correr muito, com nunca corri na vida, pensando no que irei falar para o Gustaf. “Cara, sou muito sua fã, eu simplesmente te adoro, adoro os teus irmãos, principalmente o Valter, que é muito estiloso, mas tu é o meu Skarsgard favorito, então, pelo amor de Deus, pode tirar uma foto comigo?” Não, isso é muito desesperado, penso enquanto desvio de uma pilastra” (p. 234).

 

Outro aspecto bastante interessante da obra é a trilha sonora que acompanha estas personagens ao longo dos 21 capítulos. Entre os artistas mencionados, temos a banda Him, a dupla Kieran O´Reilly & Ragga Ragnars e, principalmente, a banda Harr & Hartberg, que surge quase como um personagem na obra. A banda, que é uma das preferidas da autora, é composta pelos músicos Thorbjørn Harr (vocalista), Aslak Hartberg (baixo), Jørn Øien (piano), Håkon Mjåset Johansen (bateria), Trygve Seim (saxofone), Sjur Miljeteig (trompete) e conta com composições do escritor norueguês Lars Saabye Christensen.

Se este momento fosse uma cena de algum filme ou série, eu realmente não sei que música colocaria como trilha sonora. Pensei em “Find me for me”, de Harr & Hartberg, mas acho que esta música não combina com o meu desespero de fã lunática (P. 234).

 

Já sei! A trilha sonora que ficaria perfeita neste momento é “Doors” de Harr &Hartberg. O que farei com esta informação? Nada! Eu só estou perdendo tempo (P.235). 

Obviamente, existem outras inúmeras referências artísticas em Meu padrasto é a maior viagem, mas para não limitar a viagem cultural do leitor, esta resenha se encerra por aqui. 

Sobre o livro

Número de páginas: 259

Formato: 15 X 21

ISBN: 978-65-992932-2-1

Editora: Berserkir

Preço de capa: 40,00

Adquira o livro por meio do perfil da editora no Instagram: @editoraberserkir



[1] Fernanda Mellvee é escritora, tradutora literária, mestra em literatura comparada, professora de escrita criativa e, principalmente, mãe da autora e editora do livro Meu padrasto é a maior viagem.

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels