Mostrando postagens com marcador Os excluídos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Os excluídos. Mostrar todas as postagens

sábado, 3 de julho de 2021

Jonathan Aguiar e o livro Os excluídos podem sonhar, brincar e criar, por Cida Simka e Sérgio Simka


Fale-nos sobre você.

Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) na linha de pesquisa Inclusão, Ética e Interculturalidade. Psicopedagogo pela Faculdade de Educação São Luiz (FESL/SP). Graduado em Pedagogia pela Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (FE/UFRJ). Brinquedista pela Associação Brasileira de Brinquedotecas (ABBri/SP). Normalista pelo Instituto de Educação Carmela Dutra (IECD). Pesquisador científico do Laboratório de Pesquisa, Estudos e Apoio à Participação e à Diversidade em Educação (LaPEADE) sob a coordenação e fundação da Profa. Dra. Mônica Pereira dos Santos. Atuou como docente no Colégio de Aplicação da UFRJ, membro do Observatório Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica (OIIIIPe), e orientador do Programa de Pós-Graduação em Gestão Pública Municipal da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF). Idealizador do projeto “Bússola do ser Brincante”. Organizador e avaliador desde 2018 do Prêmio Literário Estudantil de Paraíba do Sul/RJ. Apresentador dos Programas “Conectando Ideias” e “Educa-Cutuca” pela Wak Editora. Autor do livro “Educação, Lúdico e Favela – quantos tiros são necessários para aprendizagem?” publicado pela Wak Editora.

Instagram: @jonathanaguiaroficial

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre o livro. O que o motivou a escrevê-lo?

Acredito que seja a luta por mais inclusão, não somente no espaço escolar, mas em qualquer ambiente em que habita a vida humana. Até porque em algum momento de nossas vidas não nos sentimos parte de algo, nos sentimos excluídos. Então, é entender que inclusão é um processo diário para além do público-alvo da Educação Especial, na qual resulta em ações diárias, cotidianas, que podem acolher adolescentes, jovens, idosos. Logo, este livro resulta das minhas vivências como favelado, professor e pesquisador, no sentido de sonhar com um mundo, uma cidade, um bairro em que a educação seja potência para transformação social e integral de qualquer sujeito humano. 

Como tem sido a recepção do seu outro livro (Educação, lúdico e favela)? 

O livro foi bem recebido tanto pela comunidade científica quanto por professores da educação básica, fico feliz por ter alcançado muitos profissionais na área da educação, de modo especial também aquelas pessoas que não atuam na educação e se sentiram representadas ora pela escrita poética, segundo o relato de uma mãe, ora de como pensar no lúdico no campo educacional e na favela. 

Como anda a pesquisa para o seu doutorado?

Último ano de doutorado, posso dizer que tem sido intenso com muitas leituras e provocações. Em breve rumo à defesa da tese! Por uma epistemologia no lúdico. Tá nascendo, vai nascer... 

O que fazer para criar um espaço lúdico-inclusivo em nossas escolas?

Se lúdico é um estado pleno da vida humana, se inclusão é um processo, logo um espaço lúdico-inclusivo perpassa a este movimento de plenitude do sujeito diante de sua ação. Que esta ação seja mais inclusiva! Ah, quer saber mais? Adquira a obra que vocês vão saber mais detalhes desta construção epistemológica. 

Link para o livro:

https://wakeditora.com.br/produto/os-excluidos-podem-sonhar-brincar-e-criar-por-uma-educacao-que-transforma-humanos/

Link para outra entrevista com Jonathan Aguiar:

https://www.revistaconexaoliteratura.com.br/2019/07/jonathan-aguiar-e-o-livro-educacao.html


CIDA SIMKA

É licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Autora, dentre outros, dos livros O enigma da velha casa (Editora Uirapuru, 2016), Prática de escrita: atividades para pensar e escrever (Wak Editora, 2019), O enigma da biblioteca (Editora Verlidelas, 2020), Horror na biblioteca (Editora Verlidelas, 2021) e O quarto número 2 (Editora Uirapuru, 2021). Organizadora dos livros Uma noite no castelo (Editora Selo Jovem, 2019), Contos para um mundo melhor (Editora Xeque-Matte, 2019), Aquela casa (Editora Verlidelas, 2020), Um fantasma ronda o campus (Editora Verlidelas, 2020) e O medo que nos envolve (Editora Verlidelas, 2021). Colunista da revista Conexão Literatura.

SÉRGIO SIMKA

É professor universitário desde 1999. Autor de mais de seis dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a série Mistério, publicada pela editora Uirapuru. Colunista da revista Conexão Literatura. Seu mais recente trabalho acadêmico se intitula Pedagogia do encantamento: por um ensino eficaz de escrita (Editora Mercado de Letras, 2020) e seu mais novo livro juvenil se denomina O quarto número 2 (Editora Uirapuru, 2021). 

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels