Mostrando postagens com marcador Paraíso Perdido. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Paraíso Perdido. Mostrar todas as postagens

domingo, 5 de agosto de 2018

Paraíso Perdido - Uma das histórias mais poderosas de todos os tempos recontada em uma deslumbrante graphic novel


Após serem expulsos do Paraíso, os anjos planejam sua vingança nas chamas do Inferno. Impedidos de atacar diretamente o céu, decidem confrontar a criação divina: o homem. “Mais vale reinar no Inferno do que servir no Céu.”

Há 350 anos, o conflito entre Deus e Satã narrado em PARAÍSO PERDIDO, obra-prima de John Milton, virou um marco na literatura. Seus dez mil versos sobre a criação do mundo, a tentação e o desejo por redenção receberam reconhecimento instantâneo e serviram de inspiração para peças de teatro, músicas, pinturas e livros, ecoando na obra de mestres como Mary Shelley, C.S. Lewis e Neil Gaiman.

Milton criou seu épico mergulhado nas trevas de uma cegueira repentina. Entre as angústias reais do luto após a perda de sua segunda mulher e de sua filha mais nova, além da culpa religiosa enraizada na sua formação, Milton também precisou rever sua vida e a relação distante com a família.

Determinado a não deixar a perda da visão e o sofrimento provocado pela gota afetarem seu ofício, ditou PARAÍSO PERDIDO do começo ao fim para ajudantes, amigos e até mesmo suas filhas. Fruto de um árduo trabalho e reflexo da perseverança do autor, o poema levou cerca de cinco anos para ser concebido, e foi publicado em 1667 em sua primeira versão. Milton morreu em 1674, o mesmo ano em que foi lançada a edição definitiva de seu clássico.

Agora, a obra colossal foi reimaginada pelo premiado quadrinista e ilustrador espanhol Pablo Auladell. Com seu traço sombrio, quase desolado, o tributo captura o lirismo de Milton para quem ainda não teve o prazer de ler os cantos originais. Ao mesmo tempo, complementa a experiência do leitor, dando ainda mais vida ao texto. Assim como o poema ganhou notoriedade pela beleza de suas palavras, a graphic novel conquista pelas imagens, retratando a complexidade e tragédia de uma história atemporal com um toque pessoal, mas que respeita totalmente o texto original de John Milton.

Por seu belíssimo trabalho em PARAÍSO PERDIDO, Auladell ganhou o grande Premio Nacional de Cómic, da Espanha. O quadrinista já transformou clássicos em obras-primas dos quadrinhos: por suas mãos já passaram os livros de Mark Twain, As Aventuras de Tom Sawyer e As Aventuras de Huckleberry Finn.

PARAÍSO PERDIDO deixou sua marca em artistas de várias gerações e também foi fonte de inspiração para o escritor Andrew Pyper, primeiro autor best-seller da DarkSide® Books. A epopeia inglesa é objeto de estudo de David Ullman, protagonista de O Demonologista. No universo DarkSide®, tudo está conectado.

Agora, a graphic novel inspirada na grande obra de Milton chega para fazer parte da linha DarkSide® Graphic Novel numa edição que deixaria Adão em apuros, com capa dura, bordas douradas e todo aquele cuidado que os fãs merecem.

Já fica aqui a recomendação para você abrir espaço na estante para este clássico, pois PARAÍSO PERDIDO não pode faltar na sua coleção. Sabemos que ninguém resiste a um combate entre o bem e o mal. Chegou a hora da redenção.

John Milton nasceu em 9 de dezembro de 1608, em Londres, na Inglaterra. Poeta, dramaturgo e político, foi um grande estudioso da religião na Inglaterra no século XVII e seus escritos refletiam suas convicções pessoais, além de discussões pertinentes sobre a turbulência política de sua época. Graduou-se em 1629 na Universidade de Cambridge e, alguns anos depois, ingressou em uma viagem pela França e Itália, onde encontrou-se com Galileu Galilei. O poema épico PARAÍSO PERDIDO é considerado sua maior obra, e se tornou um clássico da literatura que inspirou diversos escritores ao longo dos anos.

Pablo Auladell é quadrinista e ilustrador espanhol cujo trabalho sempre sugere um diálogo entre a tradição e a contemporaneidade. Foi eleito autor revelação no Saló del Cómic de Barcelona, em 2006, pela graphic novel La Tour Blanche. Por seu trabalho em PARAÍSO PERDIDO, ele recebeu o Premio Nacional de Cómic, do Ministério da Cultura da Espanha. Atualmente, dá aulas de ilustração na Ars in Fabula, em Macerata, na Itália. Saiba mais em pabloauladell.com.

SERVIÇO:
 Título | PARAÍSO PERDIDO
Autor | John Milton
Ilustrador | Pablo Auladell
Tradutor | Érico Assis
Editora | DarkSide®
Edição | 1a
Idioma | Português
Especifcações | 320 páginas, Limited Edition (capa dura)
Dimensões | 21 x 27 cm
ISBN | 978-85-9454-106-2
Compartilhe:

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Por que você deve reler (ou ler) Paraíso Perdido?




O maior poema épico da língua inglesa, Paraíso Perdido de John Milton, dividiu os críticos - mas sua influência na literatura inglesa fica atrás somente de Shakespeare, escreve Benjamin Ramm. 

Paraíso Perdido, de Milton, é raramente lido hoje em dia. Mas este poema épico continua a ser um trabalho de gênio, incomparável, que molda a literatura inglesa até hoje.

Em mais de 10.000 linhas de versos, ele conta a história da guerra no céu e da expulsão do homem do Jardim do Éden. Suas dezenas de seções, são uma tentativa ambiciosa de compreender a perda do paraíso - das perspectivas do anjo caído, Satanás, e do homem, afastado da graça de Deus. Mesmo para os leitores em uma era secular, o poema é uma poderosa meditação sobre a rebelião, anseio e o desejo de redenção.

Quando Milton começou a escrever Paraíso Perdido em 1658, ele estava de luto. Foi um ano de sofrimento, marcado pela morte de sua segunda esposa, homenageada em seu belo Soneto 23 , e do Lord Protector da Inglaterra, Oliver Cromwell, que precipitou a desintegração gradual da república. O Paraíso Perdido é uma tentativa de dar sentido a um mundo caído: "justificar os caminhos de Deus aos homens", e sem dúvida ao próprio Milton.

Mas esses aspectos biográficos não devem minimizar a centralidade da teologia para o poema. Uma razão pela qual Milton é menos lido agora é que seu léxico religioso - que tentava explicar um mundo "caído" - caiu do uso. Milton, o puritano, passou a vida envolvido em discussões teológicas sobre temas tão diversos como a tolerância, o divórcio e a salvação.

O poema começa com Satanás, o "Anjo Traidor", lançado no inferno depois de se rebelar contra seu criador, Deus. Recusando-se a submeter-se ao que ele chama de "a Tirania do Céu", Satanás procura vingança tentando no pecado a criação preciosa de Deus: o homem. Milton dá um vívido relato da "Primeira Desobediência do Homem" antes de oferecer um guia para a salvação.
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Posts mais acessados da semana

Anuncie e Divulgue Conosco

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels