Conexão Nerd: Teoria da Conspiração, por Ademir Pascale

Cena do filme Teoria da Conspiração POR ADEMIR PASCALE Hoje não irei comentar sobre colecionáveis ou heróis, mas sobre um filme, um li...

Mostrando postagens com marcador Pelo Bem da Humanidade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Pelo Bem da Humanidade. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Durval Lourenço Pereira e o livro “Pelo Bem da Humanidade” (Insight Books)

Durval Lourenço Pereira - Foto divulgação
Durval Lourenço Pereira é tenente-coronel R/1 do Exército Brasileiro. Bacharel em Ciências Militares pela Academia Militar das Agulhas Negras, é mestre em Operações Militares pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais. Foi assessor militar do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, é membro da Academia Campineira de Letras, Ciências e Artes das Forças Armadas. É o produtor e diretor dos documentários O Lapa Azul – Os homens do III Batalhão do 11º Regimento de Infantaria na II Guerra Mundial, Navalha – Um batalhão brasileiro na Linha Gótica, e autor do livro Operação Brasil – O ataque alemão que mudou o curso da II Guerra Mundial.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Durval Lourenço Pereira: Na verdade, meu trabalho no campo literário teve início em outra área: a produção audiovisual. Comecei a produzir documentários sobre a participação brasileira na Segunda Guerra Mundial, e isso levou à pesquisa aprofundada do tema. Verifiquei que havia muita informação nova e interessante a ser passada ao público, que ultrapassava os limites de um filme. Foi quando comecei a escrever sobre o assunto.

Conexão Literatura: Você é autor do livro “Pelo Bem da Humanidade” (Insight Books). Poderia comentar?

Durval Lourenço Pereira: A história das origens da Segunda Guerra Mundial foi moldada por variados interesses e muita desinformação, que se acentuaram com o decorrer dos anos. Sobretudo, essa narrativa careceu de fontes de informações básicas, como as dos arquivos soviéticos — que os historiadores ocidentais jamais puderam acessar. Em meu livro anterior (Operação Brasil – 2015), pude mostrar, baseado em fontes primárias da Marinha de Guerra da Alemanha, que a real origem da entrada brasileira no último conflito mundial pouco ou nada tinha a ver com a história oficial, ou com os mitos que cercaram os afundamentos dos navios mercantes na costa brasileira, em agosto de 1942. Pelo Bem da Humanidade segue a mesma linha de abordagem. Com base em arquivos da extinta URSS, o livro reconstitui a ascensão ao poder de alguns dos piores regimes do século XX, na Alemanha, Brasil, Espanha, Itália e Rússia, e mostra como as ideologias totalitárias levaram o mundo ao conflito mundial. Sobretudo, oferece ao leitor uma visão de como o totalitarismo sobreviveu ao conflito, lançando a culpa pelas atrocidades cometidas em bodes expiatórios, metamorfoseando-se em versões “palatáveis” que hoje habitam disfarçadas entre nós.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro?

Durval Lourenço Pereira: A pesquisa durou cerca de três anos, acessando fontes primárias e secundárias, nacionais e internacionais, de diversos países. Foi a pesquisa mais extenuante que já empreendi, mas o resultado final valeu a pena. Trata-se de uma obra com abordagem original e escrita de forma franca e direta, sem evasivas ou temor do “politicamente correto”.

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do qual você acha especial em seu livro?

Durval Lourenço Pereira: Apreciei o resultado final do capítulo sobre as origens e a ascensão do nazismo na Alemanha. Vivemos em uma sociedade cada vez mais antagonizada e intolerante, dividida, basicamente, entre os de “direita” e os de “esquerda”. Ao contrário da versão geralmente aceita — de que a origem desses termos remonta à Revolução Francesa — mostro que tal divisão foi efêmera e logo desapareceu. Prova disso, nem Karl Marx nem Friedrich Engels politizaram esses vocábulos (direita e esquerda) no Manifesto Comunista (1848) ou nos encorpados volumes de O Capital (1867). Trata-se de um ardil totalitário, baseado no dualismo, utilizado para manipular as massas, que é abordado em detalhes no livro. A solução de boa parte dos problemas contemporâneos passa pelo desmascaramento desse artifício insidioso.

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir um exemplar do seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

Durval Lourenço Pereira: O livro está sendo oferecido pela editora em www.pbhumanidade.com e também na Amazon, tanto na versão impressa quanto na edição em Kindle. O website possui links para os meus trabalhos pregressos.
Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Durval Lourenço Pereira: Por enquanto não. Depois de tanto tempo envolvido na produção dessa obra, resolvi me autoconceder umas “férias” merecidas.

Perguntas rápidas:

Um livro: Os Irmãos Karamazov
Um (a) autor (a): Fiódor Dostoiévski
Um ator ou atriz: Clint Eastwood
Um filme: Gran Torino
Um dia especial: O dia em que acordo com uma ideia original.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Durval Lourenço Pereira: Espero que o livro agrade os leitores e permita o entendimento de questões essenciais que afetam a nossa vida cotidiana. O totalitarismo está mais vivo do que nunca; é mister arrancar-lhe suas inúmeras máscaras e expor sua face real ao público. O futuro da civilização ocidental depende disso.
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels