Mostrando postagens com marcador Poesia na Pandemia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Poesia na Pandemia. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

EM MEIO AO CAOS, DIANTE DA CRISE IMPOSTA PELA PANDEMIA, O QUE VOCÊ TEM FEITO PARA RESISTIR E NÃO SUCUMBIR AO MEDO? A PROFESSORA E POETISA ZENILDA RIBEIRO BUSCOU NA ESCRITA UMA SAÍDA, UMA JANELA


POESIA NA PANDEMIA: poemas para inspirar, denunciar e motivar.

SINOPSE:

Este livro traz parte dos poemas que venho escrevendo nesse período de isolamento, buscando ajudar colegas de trabalho, amigos, familiares e seguidores das minhas redes sociais, mas também ajudar-me, por meio da escrita literária que tem se assemelhado a um processo terapêutico, fazendo-me fluir, ressignificar a vida. Espero poder espalhar, através desses poemas, gotas de luz e de esperança. Espero ainda, poder motivar pessoas a buscarem, na prática das suas habilidades, naquilo que gostam de fazer e que o fazem com paixão, motivos para se reinventar, se ressignificar e seguir sonhando, lutando e acreditando que todo esse caos vai passar. Mesmo que muitas lacunas, dores, saudades, ausências, fiquem, que também fique em cada um de nós a capacidade de ser resiliente, empático e humano.

INFORMAÇÕES:

Editora : Publicação Independente pelo Clube de Autores e Bok2

Idioma: : português

Capa flexível : 101 páginas

ISBN-10 : 6500052536

ISBN-13 : 978-6500052534

Dimensões : 20.8 x 14.6 x 0.8 cm

Link para compra:

Amazon: https://amz.run/4D3Q

Submarino: https://bityl.co/5C2F

Americanas: https://bityl.co/5C2K

Livraria Bok2: https://www.livrariadabok2.com.br/poesia-na-pandemia

Clube de Autores: https://clubedeautores.com.br/livro/poesia-na-pandemia-2

Mercado Livre: https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1646088330-livros-poesia-na-pandemia-_JM

COMENTÁRIOS DE LEITORES:

Ler seus poemas matinais me reabastece e me concede forças para enfrentar a batalha que estamos enfrentando com essa pandemia. Obrigada por proporcionar tanto amor aos seus leitores. 

Rosimery Soares - Professora - 

Os poemas de Zenilda Ribeiro da Silva é um afago na alma. Uma leitura obrigatória nesse momento tão difícil de pandemia. Leitura obrigatória e inspiradora, não é difícil se reconhecer em seus versos, pois falam de gente, de sentimentos e dilemas ao mesmo tempo universal e pessoal. Por vezes senti que seus poemas eram sobre mim. Recomendo a todos! 

Nilson Rutizat - Professor e escritor -

É maravilhoso ter por perto alguém com alma de poeta, que traz nos versos palavras, de conforto, alegria, amor e as vezes de dor. É maravilhoso acordar e já receber a notificação de um poema que está ali aguardando para ser lido. E é ainda mais maravilhoso, quando eu me enxergo naqueles versos. É uma alegria tão grande, que a vontade é de espalhar seus versos para o mundo todo. Para que todos possam também ter a graça de transbordar de alegria e se emocionar. Tão bom quanto ter por perto alguém com alma de poeta e ter alguém que conhece nossa alma. É tipo um “ match” entre mim e a poesia. 

- Mireli Morais – Professora -

BIOGRAFIA DA AUTORA:

Zenilda Ribeiro da Silva, natural de Coremas-PB, residente em João Pessoa-PB, Graduada em Letras pela UFPB, Mestre em Letras pela UFCG. Professora de Língua Portuguesa e Literatura da Educação Básica na Paraíba e escritora. Autora de quatro livros publicados, com participações em mais de quinze Antologias (Nacionais e Internacionais).

Compartilhe:

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Zenilda Ribeiro da Silva e o livro Poesia na Pandemia


Zenilda Ribeiro da Silva, é filha de agricultores, nascida numa família de nove filhos. Cresceu na roça e lá aprendeu a apreciar o luar, as estrelas, os pássaros, a vida que a nós se manifesta nas pequenas coisas. É professora da rede estadual da Paraíba, possui Mestrado em Letras, feito pelo programa Profletras/UFCG. Compreende a linguagem, falada ou escrita, como sendo uma das mais belas manifestações do Criador, através da qual a criatura pode, por meio das interações e trocas, fazer-se e sentir-se sujeito, criando e recriando mundos. Vê na arte literária, (poesia ou prosa), a maneira pela qual esse sujeito pode humanizar-se, transformar-se e ajudar a transformar o mundo aos eu redor. 

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Zenilda Ribeiro da Silva: Pergunta interessante, pois não nasci num ambiente onde me fosse favorável o acesso à leitura literária, logo, esse era um mundo um tanto distante da minha realidade até chegar à vida adulta. Meus primeiros contatos com a leitura eram basicamente leituras religiosas, mas foram essas experiências que formaram a leitora que hoje sou, e posso dizer que foram elas que me introduziram no meio literário, pois antes de ser escritora, sou uma leitora. Mas meu contato primeiro com a Literatura foi na graduação, mais especificamente depois da leitura de Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco. Essa obra me despertou para a percepção do poder transformador, catártico da Literatura. Em seguida passei a mergulhar nos autores brasileiros, fascinei-me por Clarice Lispector, Cecília Meireles, Machado de Assis. Essas, posso dizer, são minhas bases onde busco me orientar dada a beleza da escrita. A partir daí passei a exercitar também a escrita, mas como uma forma terapêutica nos momentos de dificuldades. Depois vieram as redes sociais e passei a escrever sobre experiências, sobre questões sociais etc. Depois, com o ingresso na docência, passei a escrever crônicas, especialmente para ler em sala e ajudar aos alunos na desmistificação do processo da escrita. Ao concluir o Mestrado publiquei a minha pesquisa e pensei em dar continuidade desenvolvendo a temática para uma outra publicação. Vieram outras demandas e parei as pesquisas, continuei apenas com minhas crônicas, mas guardadas, compartilhando-as apenas com um amigo professor e escritor. Até que um dia ele começou a me incentivar a publicação independente daqueles textos, enfim, foi mais ou menos por aí que tudo começou.

Conexão Literatura: Você é autora do livro Um "Poesia na pandemia – Poemas para inspirar, denunciar e motivar”. Poderia comentar? 

Zenilda Ribeiro da Silva: Sim, então, como falei, escrevia crônicas sobre vivências da sala de aula, da minha relação com a minha filha, do meu cotidiano. Mas a chegada da pandemia, como foi para toas as pessoas, no mundo todo, nos colocou numa situação de provar a nossa resiliência. Como se não bastassem as dificuldades que já são enfrentadas por nós, professoras e professores, no regime presencial de ensino, no ensino remoto essas questões se agigantaram. Associe-se a toda essa montanha de situações novas que não nos permitiam aceita ou não. Era aceitar ou aceitar, rsrsrsrs, sou mãe de uma criança que é do grupo de risco, que em 2019 passou por três pneumonias, três internações. Daí você se vê num momento em que um vírus como esse, que pode está em qualquer lugar, precisa se isolar em casa (algo traumático para uma criança de 4 anos), isolar-se dos seus familiares e amigos e conviver com seus medos, suas limitações, as limitações do outro, pois a convivência acentua essas questões, com seus pares de profissão passando por severas dificuldades para se adaptarem a essa realidade e você olha para um lado e para o outro e diz: preciso me fortalecer e fortalecer os demais, preciso de uma janela, que não seja simplesmente uma tela, mas algo que possa ultrapassar a tela fria do celular e abraçar as pessoas a quem amo. Então comecei a escrever poemas, sempre ao amanhecer e compartilhar via redes sociais, com grupos do trabalho, da família e amigos. A experiência foi muito boa, pois ao mesmo tempo em eu escrevia, poderia ir olhando para aquele sofrimento de uma forma mais leve. Essa prática foi e continua sendo para mim uma atividade salvadora, a arte que salva, como diz Nietzsche, “A arte existe para que a verdade não nos destrua”. Creio que essa foi a ideia do Poesia na Pandemia, que inicialmente era só um projeto sem pretensões de publicação. Mas com a aceitação e a importância que se mostrou para o momento, resolvemos fazer a autopublicação.

Conexão Literatura: Como é o seu processo de criação? Quais são as suas inspirações?

Zenilda Ribeiro da Silva: A maioria dos poemas que escrevi e que escrevo nascem pela manhã ou nas madrugadas. Geralmente escrevo após um momento de meditação, leitura (Bíblica e outra leitura), um momento de oração, uma leitura da realidade por meio dos noticiários. Depois, como forma de lidar com as situações, parto de uma palavra, uma notícia, uma angústia que estou vivenciando e transformo em um poema. Mas também há aqueles que surgem num momento de interação com minha filha, numa caminhada que faço. A poesia está na vida, em todas as suas nuances, seja nos momentos de deleite ou de dor, que, a gente tenta transformar, ou pelo menos amenizar, colocando no papel em forma de poema, creio que é isso, porque tem sido assim. Me inspiro para escrever(como modelo, entende?) nos diferentes escritores que conseguem me tocar, que tocam minha alma, como Fernando Pessoa,  Clarice Lispector, Cecília Meireles, Conceição Evaristo, Bráulio Bessa, mas a inspiração nasce da contemplação da vida, como falei anteriormente, seja qual for o momento vivido, especialmente os momentos com minha filha, que muito me ensinam. 

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do seu livro especialmente para os nossos leitores?  

Zenilda Ribeiro da Silva: Sim, sim. Há um poema do qual gosto muito, que fiz pensando no sofrimento de professores angustiados com a pouca participação dos alunos nas aulas remotas. Senti nas falas de alguns uma dor muito grande e busquei um texto para animá-los. O título do poema é PRA INICIAR A SEMANA. Segue um trecho:
Pra começar a nova semana. 
Reavivar as esperanças. 
Uma dica é ter em mente. 
Que nessa viagem que é sua vida.
Assumir a cada dia. 
A função de pilotar.
Novas rotas sempre traçar. 
E se mesmo assim não alcançar. 
As metas que planejou. 
Reconhecer aonde chegou. 
Os esforços que empregou.
E tudo que já conquistou. 
Vai te abrir pra descobrir. 
Sem sofrer ou se punir. 
Onde também fraquejou. 
Sabendo que até as falhas. 
Podem muito te ensinar.
Seja grato e se aceite. 
 
Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir o seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário? 

Zenilda Ribeiro da Silva: Este e outros livros nossos estão disponíveis para compra na maioria dos Marketplaces, especialmente na Amazon. Foram publicados de forma independente, inicialmente pelo Clube de Autores. Depois coloquei também à venda na Bok2. Todos os links para acesso e compra se encontram no link na minha página no Instagram. Através do meu IG também posso trocar ideias e interagir com leitores, já que faço publicações diariamente de trechos de poemas inéditos ou já publicados.

Conexão Literatura: Quais dicas daria para os autores em início de carreira?

Zenilda Ribeiro da Silva: Ler bastante, escrever bastante, procurar criar o hábito da escrita, pois quanto mais escrevemos, mais vamos nos aperfeiçoando. Se escute e escreva com alma, mesmo que deixe transparecer muito de você. Não tenha medo de se expor por meio dos seus textos. Não baixe a cabeça diante das críticas, pelo contrário, encare-as de alma aberta, isso ajuda a crescer, porque nos ajuda no autoconhecimento. Tenha amigos com quem compartilhar os seus escritos e de quem possa receber feedbacks. Procure conhecer a KDP da Amazon e as plataformas de autopublicação. Seus escritos são necessários para alguém, divida-os com o mundo, seja com editora ou não. 

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta? 

Zenilda Ribeiro da Silva: Sim, já há um projeto em andamento. Seria para o início deste ano, mas estou passando por umas demandas familiares e precisei adiar um pouco, mas vem um livro preparado com muito amor, com momentos da mãe, da filha que acompanha a mãe idosa com Alzheimer, da mulher que passa por diferentes crises nos dia-a-dia. Na feitura do tempo, está no forno, rsrsrs.

Perguntas rápidas:

Um livro: A paixão segundo GH – Clarice Lispector
Um ator ou atriz: Fernanda Montenegro
Um filme: Sociedade dos poetas mortos
Um hobby: Assistir filmes com minha filha e viajar com ela nas fantasias
Um dia especial: O dia em que descobri que seria mãe.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário? 

Zenilda Ribeiro da Silva: Só agradecer por este espaço para que possa divulgar o nosso trabalho, mas, acima de tudo, por poder me fazer conhecer pelo público leitor da Revista Conexão Literatura. Dizer que sempre é possível, mesmo num ano de tanta dificuldade como foi o que terminou, que ainda seguimos vivenciando, encontrar sentidos e caminhos para a vida. E que a Literatura me proporcionou isso e pode proporcionar pra você, caro leitor. Desejar um Ano melhor para nosso povo e para vocês que fazem a revista. Grande Abraço.
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels