Mostrando postagens com marcador Poesias. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Poesias. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 30 de julho de 2020

A flor do corpo reúne poesias inéditas do autor Sérgio Paulo Braga


A flor do corpo reúne poesias inéditas do autor e uma seleção das que foram publicadas em três livros: Poesias com pão, café e Filosofia (março de 2020), Mosaicos (março de 2018) e Plátanos, crônicas e poesias (setembro de 2015).

As poesias inéditas foram escritas durante a quarentena determinada pelos governadores e prefeitos do país em razão do novo coronavírus — um período difícil para todos nós.

A seleção das poesias publicadas em outras obras considerou as reações (“avaliações”) dos leitores às postagens feitas nas redes sociais.

A flor do corpo revela as nudezes do autor, seus elos e seus quebrantos, bem como as inquietações que o levam a mergulhar em seus versos em busca de uma paz de espírito difícil de ser alcançada por quem se pensa e repensa o mundo todos os dias.

Trata-se, portanto, de uma boa dica de leitura mesmo para quem não está muito familiarizado com textos poéticos. Vale a pena dar uma conferida!

Página do autor:

Compartilhe:

segunda-feira, 20 de abril de 2020

Publique na Revista Conexão Literatura

clique sobre a imagem para ampliar

TAXA PARA PUBLICAÇÃO DE TEXTOS NA REVISTA DIGITAL CONEXÃO LITERATURA (CONTOS, CRÔNICAS, ENSAIOS):

A taxa de submissão de textos, sendo conto, crônica, ensaio, poesia, resenha e textos sobre Linguística, Letras, Artes, Filosofia e temas multidisciplinares de caráter opinativo para publicação na Revista Conexão Literatura, sendo até 03 páginas (Times ou Arial, tamanho 12)  é de R$ 50,00. O depósito deverá ser realizado no Banco Bradesco, agência 1449-4, conta poupança 1006770-7, em nome de Ademir Pascale. Enviar cópia ou informação do comprovante de pagamento com a  submissão do texto para o e-mail: ademirpascale@gmail.com 
- Para participar da edição nº 59 (maio/20), enviar o comprovante de depósito no máximo até o dia 21/04/20.
Compartilhe:

quarta-feira, 1 de abril de 2020

"Ato poético" reúne versos pela democracia


Mais de 70 escritores participam do livro "Ato poético - Poemas pela democracia", que terá lançamento virtual, por conta do novo coronavírus, nessa quinta-feira (2), às 18h, com encontro de Marcia Tiburi e Luis Maffei, organizadores da obra. As poesias são reunidas em nove temas: "Desilusão", "Horror", "Estupefação", "Exasperação", "Trânsito", "Combate", "Escárnio", "Afago" e "Futuro". Tiburi e Maffei conversarão sobre o novo livro da editora Oficina Raquel e o momento do país, lembrando que, "quanto mais gente, cada uma em sua casa, aparecer, mais forte será nosso, vosso, coro pela democracia". A inscrição gratuita no evento pode ser feita através do link https://bit.ly/2vOfMYK.

Para os organizadores do ato, é preciso, hoje mais que nunca, defender a democracia. É essa urgência, que resulta de uma situação política de anormalidade, que motivou Marcia Tiburi e Luis Maffei a convocarem um time pleno de diversidade para compor um coro pela democracia, "num momento histórico em que assistimos, sem serenidade, a estratégias discretas ou flagrantemente autoritárias". Segundo eles, a esperança é que o "Ato poético" gere "outros atos que devolvam a poesia à pólis e devolvam a pólis à democracia".

O livro reúne textos de Adalberto Müller, Adriane Garcia, Alice Ruiz S, Ana Chiara, Ana Cristina Joaquim, Ana Kiffer, Annita Costa Malufe, Armando Freitas Filho, Beatriz Azevedo, Bruna Kalil Othero, Bruna Mitrano, Camila Assad, Carla Andrade, Carlos Orfeu, MC Carol, Clarissa Macedo, Claudio Daniel, Dani Balbi, Danielle Magalhães, Dora Dacosta, Éle Semog, Eliza Araújo, Elves França, Evando Nascimento, Flavia Rocha, Guilherme Gontijo Flores, Haroldo Ceravolo Sereza, Heleine Fernandes, Helena Arruda, Hélio de Assis, Horácio Costa, Ismar Tirelli Neto, Janice Caiafa, Júlio Machado, Jussara Salazar, Leila Danziger, Leonardo Gandolfi, Leonardo Tonus, Luciany Aparecida, Luis Maffei, Maiara Gouveia, Manoel Ricardo de Lima, Marcelo Reis de Mello, Marcelo Sandmann, Marcia Tiburi, Márcia Wayna Kambeba, Marcos Siscar, Mariano Marovatto, Masé Lemos, Natasha Felix, Nina Rizzi, Paloma Franca Amorim, Patricia Porto, Paula Glenadel, Paulo Franchetti, Priscilla Campos, Rafael Zacca, Rafaela Figueiredo, Renato Rezende, Ricardo Vieira Lima, Rita Isadora Pessoa, Roberta Ferraz, Rodrigo Garcia Lopes, .rômulo-silva., Ronaldo Cagiano, Sérgio Nazar David, Talles Azigon, Tarso de Melo, Tatiana Pequeno, Thiago Rodrigues, Wanda Monteiro, Wilson Alves-Bezerra e Zé Luiz Rinaldi. 

Com 156 páginas, "Ato poético" pode ser pedido pelo site da Oficina Raquel, por R$ 40, com frete gratuito, e através dos e-commerces das livrarias ou presencialmente, logo que estiverem abertas após a quarentena contra o coronavírus. O título também está disponível em e-book na Amazon, Kobo, Apple e Google.
Compartilhe:

domingo, 14 de outubro de 2018

Resenha: Oníria de Joana Santos Silva

"O vento leva agora as almas de tantas árvores apaixonadas
Que não tiveram a força de vencer as mágoas não amadas
Nascem agora frutos de vão alimentar novos caminhos
E vão dar sorte aqueles que que pensam estar sozinhos... " (trecho do livro)

Compartilhe:

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Laura Figueiredo e o livro O mistério de D. Amélia e outros contos, por Sérgio Simka e Cida Simka

Laura Figueiredo - Foto divulgação
Fale-nos sobre você.

Sou natural de uma pequena cidade do interior paulista chamada Guará. Vivi lá por 20 anos, até o dia em que vim para a cidade grande (ABC Paulista, mais precisamente Santo André). Minha irmã já morava aqui. Veio tentar a vida por aqui e eu a acompanhei. Minha irmã se engajou no mundo do teatro, o que deu muito certo, pois se tornou uma grande atriz. Eu também subi aos palcos algumas vezes. Por exemplo, trabalhei como atriz nas peças: “As aventuras de Ripió Lacraia” - direção de Jonas Block - com Marcos Frota; “Veredas da Salvação” de Jorge  Andrade, direção Augusto Maciel; “O Inspetor Geral” de Nicolai Gogol e “Desgraças de uma criança” – Martins Pena, ambas sob direção de Haydée Figueiredo (minha irmã). Saí de cena para me casar, tive três filhos e passei um longo tempo me dedicando a eles, do que tenho muito orgulho. Depois que eles fizeram suas escolhas, eu voltei a pensar em realizar o meu sonho que era cursar Letras. Ingressei na graduação da UniABC em Letras onde conheci um dos meus mentores, o Prof. Dr. Flávio Botton, além de outros grandes mestres, que eu não poderia deixar de citá-los, visto que todos fazem parte dessa minha jornada, como meus incentivadores: Fernanda Verdasca Botton, Telma Mafra, Eliana Palomares, Marcelo Ribeiro, e outros. Foi em um dos Concursos de Poesias da UniABC, organizado pelo Prof. Dr. Flávio Botton, e incentivada por ele, que participei e fui premiada (3º lugar no IV CONCURSO UNIABC DE POESIA com o poema “TRIBUTO A ROSA”). E isso foi o gatilho para que eu nunca mais parasse de escrever. Atualmente, sou professora de Língua Portuguesa, Língua Inglesa e Literatura na escola de reforço O PONTO DO ESTUDANTE, em São Caetano do Sul (SP).

ENTREVISTA:

Fale-nos sobre seus livros.


Venho compondo há mais ou menos dez anos, e tinha uma produção de 60 poemas e 30 contos. Resolvi mandá-los ao Prof. Flávio Botton, para sua avaliação. Para minha surpresa, ele não só gostou das minhas poesias, como propôs uma publicação. No ano de 2016, “A semântica do caos e outros poemas” foi publicado pela Editora Todas as Musas e neste ano de 2018, mais precisamente no dia 30 de junho, foi lançado o meu livro de contos “O mistério de D. Amélia e outros contos”.

Fale-nos sobre seu processo de criação.
 
Não há um processo predeterminado de criação que todos podem seguir. As poesias surgem como flashes em minha mente e em menos de meia hora estão na tela do computador. É a busca do entendimento da alma; é tentar reconhecer o irreconhecível; é olhar-se sem máscaras. Quanto aos contos, eles representam a visão contada além da realidade; a realidade irreal. Os contos têm resquícios de “causos” ouvidos na minha infância. As poesias revelam uma busca constante de libertação da alma, já os contos me transportam para uma dimensão que vai além do mundo que conhecemos.

Como o leitor interessado deverá proceder para saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho?

O leitor interessado em me conhecer melhor, basta ler minhas obras que estão disponíveis na Livraria da Editora Todas as Musas (www.todasasmusas.org).
Também acessar minha página no Facebook: (https://www.facebook.com/lauramaria.figueiredobartoloni)

Como analisa a questão da leitura no país?


A maioria dos brasileiros não tem o hábito de ler e, isso, está intimamente ligado ao sucateamento da educação no país. Não é apenas a educação escolar, mas, também, o suporte educacional familiar. Na minha opinião, a leitura tem que ser inserida na vida do indivíduo desde a primeira infância. Por experiência própria, o livro deve ser apresentado à criança, mesmo antes de ser alfabetizada. Os meus filhos cresceram ouvindo e acompanhando pelos livros histórias de clássicos infantis, e assim passaram a gostar da leitura.  É difícil fazer o adolescente que não tem o hábito da leitura ler clássicos como Guimarães Rosa ou Carlos Drummond de Andrade. E hoje, com a facilidade da pesquisa na internet, a leitura está cada vez mais distante do aluno, principalmente do adolescente, pelo fácil acesso aos resumos de qualquer livro. Podemos observar que quando os pais têm o hábito da leitura, os filhos também têm.
Um dos caminhos para que a criança passe a gostar da leitura é a implantação de leituras lúdicas, inerentes a cada faixa etária, com continuidade fora da escola, ou seja, em casa, com supervisão dos pais.

O que tem lido ultimamente?

Eu gosto de todo tipo de leitura. Gosto de reler os clássicos, tais como, Sagarana de Guimarães Rosa, que me inspira a explorar ao máximo o significado de cada palavra para minhas criações. Há pouco li dois livros: Escritos do sobrado morto de Manoel Guaranha e Terra Sonâmbula de Mia Couto. Gosto de ler e fazer comparações entre as obras. Tenho na minha cabeceira Laços de Família de Clarice Lispector.

Quais os seus próximos projetos?

Continuo compondo minhas poesias e já dei início a uma outra série de contos, em que certamente haverá um grande mistério a ser desvendado.

*Sérgio Simka é professor universitário desde 1999. Autor de cinco dezenas de livros publicados nas áreas de gramática, literatura, produção textual, literatura infantil e infantojuvenil. Idealizou, com Cida Simka, a coleção Mistério, publicada pela Editora Uirapuru. Membro do Conselho Editorial da Editora Pumpkin e integrante do Núcleo de Escritores do Grande ABC.

Cida Simka é licenciada em Letras pelas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP). Coautora do livro Ética como substantivo concreto (Wak, 2014) e autora dos livros O acordo ortográfico da língua portuguesa na prática (Wak, 2016), O enigma da velha casa (Uirapuru, 2016) e “Nóis sabe português” (Wak, 2017). Integrante do Núcleo de Escritores do Grande ABC.
Compartilhe:

sábado, 11 de agosto de 2018

Poesia não vende? Poeta catarinense prova o contrário

Em edição requintada e 100% colorida, Humanos, do advogado catarinense Mauro Felippe, é uma crítica e um reflexo profundo da sociedade atual

Qual a maneira que o ser humano age no mundo? Interagimos com o que há ao nosso redor? Com as pessoas que encontramos? Sempre estamos atentos e solícitos ou deixamos o lado sombrio transparecer mais do que deveria? O ser humano é complexo e entender suas relações e ações (boas ou ruins) é uma tarefa árdua. Pode-se pensar que a única forma de encontrar tais respostas na arte seria por meio de grandes nomes como o de Carlos Drummond, Cecilia Meireles ou Clarice Lispector, mas não é preciso recorrer às personalidades de sempre. Mauro Felippe é um dos novos nomes de peso da poesia contemporânea e amplia as discussões sobre a humanidade na obra poética Humanos.

Elogiado por muitos, a estimável cantora Ana Decker também apontou o talento do autor. Responsável pelo prefácio de seu livro, as palavras da música para a obra foram: “Mauro imprime sutileza em suas reflexões e paixão em sua poesia, despertando no leitor o olhar de fora”. Mauro usa a delicadeza e graciosidade para transformar seus pensamentos em palavras incisivas que, além de arrebatarem o leitor, também levam a amplas reflexões de grandes temas. A atriz Letícia Sabatella também apreciou a arte do poeta e confirma: “Belos poemas educadores e reflexivos. Bonitos! Lembram-me o Rumi; esses místicos poetas da humanidade”.

Os relacionamentos interpessoais da atualidade e as motivações que levam a sociedade às suas decisões estão entre os principais questionamentos da obra Humanos. Buscando esmiuçar o comportamento da humanidade, Mauro usa uma rica linguagem que leva a insights profundos sobre o homem. Afinal, a sociedade é sempre hipócrita, indiferente e com uma alma questionável, ou esses são picos alcançados casualmente por conta da fragilidade humana? Com o brilhantismo das palavras do autor é possível ter uma intensa discussão sobre os problemas contemporâneos.

Durante às suas vidas os humanos perdem mais tempo e energia tentando recuperar as amizades perdidas do que as manterem. Quando as tinham, desprezavam-nas para definharem presentes dos falsos e para acomodarem seus egos. Assim caminha a humanidade. É pura hipocrisia.

Cheia de complexidade, a obra do poeta é impressionante e atemporal, além de trabalhar com uma ampla visão da realidade do homem. Desde o cerne dos problemas universais, assim como as soluções, sempre com um singelo verso para tocar a alma dos apaixonados pela harmoniosidade da poesia.

O estilo intenso de escrita do autor faz com que suas obras sejam ainda mais cativantes, pois a abordagem vigorosa de suas palavras em temas profundos eleva a curiosidade e envolvimento de quem se aventura na leitura. Mauro também explora as diversas facetas encontradas na convivência em sociedade, intensificando críticas à hipocrisia humana, presente na relação entre pessoas.

Com uma edição belíssima e recheada de ilustrações, as artes de Rael Dionisio dão vida aos pensamentos de Mauro Felippe, que além de encantarem o público, tem o poder de enfeitiçar junto às imagens e levar o leitor às profundezas do eu interior.      

Ficha Técnica
Título: Humanos
Autor: Mauro Felippe
Tamanho: 24 x 17 cm
Páginas: 152
Tipo: Capa Dura
ISBN: 8591833139
Preço: R$ 39,90     

Sobre o autor: Natural de Urussanga/SC, o advogado Mauro Felippe já chegou a cursar Engenharia de Alimentos antes de se decidir pela carreira em Direito. Autor das coletâneas poéticas Nove, Humanos, Espectros e Ócio, já preencheu diversos cadernos em sua infância e adolescência com textos e versos, dos simples aos elaborados (a predileção pelo segundo evidente em sua escrita). As temáticas de suas obras são extraídas de questões existenciais, filosóficas e psicológicas que compreende no dia a dia, sendo que algumas advém dos longos anos da advocacia, atendendo a muitas espécies de conflitos e traumas. Por fim, pretende com a literatura viver dignamente e deixar uma marca positiva no mundo, uma prova inequívoca de sua existência como autor. Participante assíduo de feiras literárias, já esteve como expositor na Bienal Internacional do Livro de São Paulo 2016 e Bienal Internacional do Livro do Rio 2017.
Compartilhe:

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Resenha: Chronus de Joana Santos Silva


"Abraça-me com palavras
Que me dão força às pernas
Este caminho que lavras
De melodias eternas"

(trecho do poema  Medodia - Joana Santos Silva)

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Anuncie e Divulgue Conosco

Posts mais acessados da semana

COMUNIDADE INFLUXO

SONHOS FULGURANTES - ROBERTO MINADEO

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels