Autor(a) divulgue o seu livro, conheça o Pacote Divulgação Para Autores

Autor(a), saiba como divulgar o seu livro conosco, acesse: http://www.revistaconexaoliteratura.com.br/2020/09/autora-divulgue-o-seu-livro-co...

Mostrando postagens com marcador Sesc. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Sesc. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 10 de maio de 2022

Sesc Avenida Paulista apresenta atividades integradas à exposição "Cartas ao Mundo"

 Instalação de Cyril Lancelin e encontros educativos complementam a programação da exposição criada por Bia Lessa, inspirada na obra de Glauber Rocha 

Black Sun, obra de de Cyril Lancelin
Créditos: Carol Vidal
 

Sesc Avenida Paulista promove atividades integradas à exposição-manifesto Cartas ao Mundo, criada por Bia Lessa, em cartaz até o dia 29 de maio. A mostra crítica, inspirada na obra de Glauber Rocha, modifica-se diariamente, várias vezes ao dia, incluindo diferentes montagens do ambiente expositivo, exibições de filmes, performances e cortejos contestadores na Avenida Paulista. Além dessa programação, a instituição promove ações educativas paralelas e gratuitas. 

 

Black Sunobra de de Cyril Lancelin, ocupa a área externa do Sesc, até o dia 29 de maio, aos domingos, das 10h às 16h. Lancelin é um artista francês que combina tecnologia e arte, misturando ficção e realidade. O trabalho, em grande escala, convida o público a questionar a sua própria relação com o ambiente construído. Ele cria estruturas complexas e, com a ajuda de um software de computador, imerge essas estruturas num cenário realista. 

Todas as instalações físicas do artista estão associadas à relação com o corpo humano, sendo questionada a escala e a identidade de cada imagem social. Seus projetos destacam a “nuvem social”, que define a vida diária dos humanos. As instalações de Lancelin foram exibidas em instituições públicas e privadas em todo o mundo, como China, Oriente Médio, Europa, América do Sul e EUA.

No encontro Ações Inclusivas: proposta de Acessibilidade Comunicacional em Exposições, com Amanda Tojal e Claudia Aoki, dia 11 de maio, das 19h às 22h, serão abordados conteúdos referentes às questões de planejamento de Projetos de Acessibilidade Comunicacional em Exposições e Instituições Culturais e exemplos de programas de acessibilidade implantados nos últimos anos. Também serão apresentados os recursos de acessibilidade desenvolvidos especialmente para Cartas ao Mundo - Ações Inclusivas e as mediações que estão sendo realizadas com esses recursos para os públicos, com e sem deficiência*.  

Amanda Tojal é museóloga e educadora de museus. Graduada em Educação Artística pela Faculdade Armando Álvares Penteado e Pós-graduada em Museologia pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo. Mestre em Artes e Doutora em Ciências da Informação pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo.


Claudia Aoki é Assistente de consultoria em acessibilidade cultural e produção de recursos de acessibilidade em exposições e instituições educativas e culturais. Graduada em Licenciatura em Pedagogia pela UNICID-Universidade Cidade de São Paulo, técnica contábil com especialidade em gerenciamento financeiro e administrativo. 

No dia 21, sábado, das 14h às 16h, acontece o evento online Partilha Pedagógica, com Ka Gestão em Arte, Cultura e Educação. Serão coletadas histórias com os professores sobre suas experiências com as linguagens de cenografia, teatro e cinema em contexto com o Brasil que Glauber traz, sobre a fúria e as emergências. Como prática, ocorrerá a proposição em grupo com as questões recolhidas na etapa anterior, trazendo ao corpo, os gestos e a respiração, e principalmente a consciência das experiências anunciadas. 


A Ka Gestão em Arte, Cultura e Educação é formada por artistas educadores. Partem do princípio de que todo cidadão é um artista ao desenvolver sua criatividade e atuar em sua comunidade. Acreditam na arte como um campo político de ação que possibilita a reorganização social e desejam promover, por meio da educação não formal, ações que gerem o encontro, a criação coletiva de ideias e a inserção cultural, fomentando a produção e discussão no contexto artístico e educacional.

Serviço

 

Instalação Black Sun, de Cyril Lancelin
Ação externa
De 1 a 29/5, domingos, das 10h30 às 16h
Livre

 

Ações Inclusivas: proposta de Acessibilidade Comunicacional em Exposições, com Amanda Tojal e Claudia Aoki

Lab 2 – ETA – 4º Andar

Dia 11 de maio, das 19h às 22h
Livre

Até 30 pessoas

Retirada de ingressos 30 minutos antes da atividade. 

 

Partilha Pedagógica, com Ka Gestão em Arte, Cultura e Educação

Ação online

Dia 21/5, sábado, das 14h às 16h

Não recomendado para menores de 18 anos

Até 20 pessoas

Inscrições no site do Sesc a partir de 17/05 às 14h

 

Exposição Cartas ao Mundo 
Quando: até  29 de maio de 2022, terça a sexta, das 12h às 21h, sábados e domingos, das 10h às 18h30. 
Local: Praça (Térreo). 
Classificação etária: Livre. 
Grátis. 
Agendamento de grupos: agendamento.avenidapaulista@sescsp.org.br 

 

Terças 

12h Exposição Asfixia

19h30 Exibição do filme Asfixia

20h45 Exposição Mercadoria

 

Quartas

12h Exposição Mercadoria

19h30 Exibição do filme Mercadoria

20h45 Exposição O Comum

 

Quintas

12h Exposição O Comum

19h30 Exibição do filme O Comum

21h05 Exposição Asfixia

 

Sextas

12h Exposição Asfixia

19h30 Exibição do filme Asfixia

20h45 Exposição Mercadoria

 

Sábados

10h45 Exposição Asfixia

12h Exibição do filme Asfixia

13h15 Exposição Mercadoria

14h30 Exibição do filme Mercadoria

15h45 Exposição O Comum

17h Exibição do filme O Comum

 

Domingos

10h45 Exposição Asfixia

12h Exibição do filme Asfixia

13h Exposição Mercadoria

13h Cortejo

14h30 Exibição do filme Mercadoria

15h45 Exposição O Comum

17h Exibição do filme O Comum

 

Horário de funcionamento da unidade:  

Terça a sexta, das 10h às 21h30.  

Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h30.  

É necessário apresentar comprovante de vacinação contra COVID-19. Crianças de 5 a 11 anos devem apresentar o comprovante evidenciando uma dose, pessoas a partir de 12 anos, das duas doses (ou dose única), além de documento com foto para ingressar nas unidades do Sesc no estado de São Paulo.  

Compartilhe:

segunda-feira, 10 de janeiro de 2022

Prêmio Sesc de Literatura abre inscrições para edição 2022

 


As inscrições são gratuitas e os escritores podem concorrer com obras inéditas

nas categorias Conto e Romance

 

Rio de Janeiro, 10 de janeiro de 2022 – O Prêmio Sesc de Literatura, um dos mais importantes e consagrados do país na distinção de escritores inéditos, abre hoje as inscrições (10/01). Podem concorrer autores não publicados nas categorias Romance e Conto. O Prêmio avalia trabalhos com qualidade literária para edição e circulação nacional. Os interessados têm até 11 de fevereiro para concluir o processo de inscrição, que é gratuito e online. O regulamento completo pode ser acessado em www.sesc.com.br/premiosesc.

 

Ao oferecer oportunidades aos novos escritores, o Prêmio Sesc de Literatura impulsiona a renovação no panorama literário brasileiro e enriquece a cultura nacional. Os vencedores têm suas obras publicadas e distribuídas pela editora Record, parceira do Sesc no projeto, com tiragem inicial de 2.500 exemplares. O anúncio dos vencedores será divulgado no mês de maio.  Desde a sua criação em 2003, mais de 17 mil livros foram inscritos e 33 novos autores revelados.

 

A parceria com a editora Record contribui para a credibilidade e a visibilidade do projeto, pois insere os livros na cadeia produtiva do mercado editorial. “Chegamos à 19ª edição com o propósito de revelar novos escritores, que é nossa maior meta. A premiação foi criada em 2003 e se consolidou como a principal do país para autores iniciantes. No ano passado, tivemos a inscrição de 1.688 livros, sendo 850 em Romance e 838 em Conto. O cronograma não foi afetado pela pandemia, porque foi todo executado por trabalho remoto. Dessa forma, o resultado pôde ser divulgado no prazo previsto” explica o analista de Literatura do Departamento Nacional do Sesc, Henrique Rodrigues. 

O processo de curadoria e seleção das obras é criterioso e democrático. Os livros são inscritos pela internet, gratuitamente, de forma anônima. Isso impede que os avaliadores reconheçam os reais autores, garantindo a imparcialidade no processo de avaliação. Os romances e contos são avaliados por escritores profissionais renomados, que selecionam as obras pelo critério da qualidade literária. 

A relevância do Prêmio Sesc de Literatura também pode ser medida por meio do sucesso dos seus vencedores, que vêm sendo convidados para outros importantes eventos internacionais, como a Primavera Literária Brasileira, realizada em Paris, o Festival Literário Internacional de Óbidos, em Portugal, e a Feira do Livro de Guadalajara, no México. 

Vencedores 2021 

Na edição de 2021, foram vencedores o paraense Fábio Horácio-Castro, com o romance O réptil melancólico, e o pernambucano Diogo Monteiro, com a coletânea de contos O que a casa criou receberam o Prêmio Sesc de Literatura. A origem dos autores reafirma o estímulo da premiação à diversidade e a capacidade de projetar escritores das mais distintas regiões do país.

Fábio Horácio-Castro, jornalista de formação, tem 52 anos, e é professor universitário. “É a minha primeira participação no Prêmio Sesc e não esperava vencer na categoria. Escrevo mais sobre pesquisas relacionadas à Amazônia. Como eu tinha um projeto deste livro, aproveitei o isolamento da pandemia, finalizei a obra e me inscrevi. Fiquei muito contente com o retorno”, contou. Diogo Monteiro, de 43 anos, também é jornalista e atua com pesquisa de opinião e estratégia. “Sempre escrevi e participava de algumas coletâneas, mas nunca tinha pensado no Prêmio Sesc. Em 2021, tive um livro infantojuvenil publicado. Depois veio o prêmio, sendo a segunda vez em que coloco uma obra para o público, agora na categoria conto”, destaca.

Em 18 anos de prêmio, diversos autores foram descobertos e se consolidaram na literatura nacional, graças ao incentivo da Instituição, entre eles Juliana Leite, Rafael Gallo, Luisa Geisler, André de Leones, Franklin Carvalho, Sheyla Smanioto, Tobias Carvalho e Lucia Bettencourt.

Compartilhe:

quarta-feira, 3 de novembro de 2021

Prêmio Sesc de Literatura lança os livros vencedores de 2021 em evento virtual


Fabio Horácio-Castro e Diogo Monteiro
, ganhadores nas categorias Romance e Conto, participam de live no dia 08 de novembro

 

Rio de Janeiro, 01 de novembro de 2021- Os dois livros vencedores do Prêmio Sesc de Literatura 2021 serão lançados no próximo dia 08, às 19h, em evento virtual, promovido pelo Sesc e pela editora Record. Na live, Fabio Horácio-Castro e Diogo Monteiroganhadores nas categorias Romance e Conto, apresentam suas obras ao público e falam sobre o processo criativo e a expectativa em relação ao ingresso no mercado editorial. O encontro será transmitido pela página do Prêmio Sesc no Facebook e pelo YouTube Sesc Brasil. 

 

No bate-papo, os vencedores vão dialogar sobre o conteúdo dos seus livros, a trajetória de cada um deles na literatura e como conduzem o processo criativo. Eles também vão ler trechos dos seus livros durante o evento.  

 

Neste lançamento virtual, o público também poderá rever os vencedores da edição de 2020, Caê Guimarães e Tônio Caetano, que participam do debate com os novos autores. Eles vão contar suas experiências e como o Prêmio contribuiu para divulgar sua arte literária.

 

Haverá lançamentos presenciais em Belém, dia 12 de novembro, com a presença do autor paraense Fabio Horácio-Castro, e no Recife, no dia 10 de novembro, com a presença do pernambucano Diogo Monteiro.

 

Neste ano, o Prêmio recebeu a inscrição de 1688 livros, sendo 850 em Romance e 838 em Conto. Há 18 anos, o Prêmio Sesc de Literatura revela anualmente dois escritores, sempre nas categorias Romance e Conto. Nesse período, se tornou uma das mais importantes premiações do país, ao oferecer oportunidades a novos escritores contribuindo para impulsionar a renovação no panorama literário brasileiro. O Prêmio é considerado referência por críticos literários, escritores brasileiros e visto como porta de entrada para o mercado editorial do país. 

 

Sobre os livros vencedores

 

O réptil melancólico fala de colonialidade, colonialismo e colonização. De questões de identidade e pertencimento. Dos sentidos e das narrativas da história. Das alegorias sobre a Amazônia e da Amazônia como alegoria. A narrativa parte do retorno de Felipe para sua cidade, após longa estadia fora do país. Ele seguira para o exílio na primeira infância, levado por sua mãe, militante política perseguida e torturada pelo regime militar brasileiro. Nesse processo de retorno, reestabelece contato com sua família paterna, particularmente com seu primo Miguel, que está fazendo o processo oposto: o de partir da cidade.

 

O que a casa criou é um livro sobre o espanto. Todos os seus 16 contos, inclusive o que dá nome ao volume, tratam de alguma forma sobre a possibilidade de encontrar o inusitado a qualquer momento, na virada de uma esquina ou no abrir de uma porta. São histórias sobre a fragilidade do real e do nosso confortável conceito de realidade, e sobre como a quebra dessa normalidade age sobre pessoas, lugares e coisas. 

Sobre os autores

Fabio Horácio-Castro, paraense e jornalista de formação, tem 52 anos, é professor universitário e venceu com o romance O réptil melancólico. “É a minha primeira participação no Prêmio Sesc e não esperava vencer na categoria. Escrevo mais sobre pesquisas relacionadas ao Amazonas. Como eu tinha um projeto deste livro, aproveitei o isolamento da pandemia, finalizei a obra e me inscrevi. Fiquei muito contente com o retorno”, comemora.

Já o pernambucano Diogo Rios Monteiro, de 43 anos, também é jornalista e atua com pesquisa de opinião e estratégia. Ele venceu com a coletânea de contos O que a casa criou. “Sempre escrevi e participava de algumas coletâneas, mas nunca tinha pensado no Prêmio. Este ano, tive um livro infanto-juvenil publicado pela primeira vez, o Relógio de Sol. Agora, será a segunda vez que coloco uma obra para o público com o Prêmio Sesc, na categoria conto”, destaca.

O Prêmio Sesc de Literatura hoje figura ao lado das maiores premiações nacionais. Os vencedores têm suas obras publicadas e distribuídas pela editora Record, parceira do Sesc no projeto.

 

Mais informações em www.sesc.com.br/premiosesc 

Compartilhe:

quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Memória é tema de semana literária promovida pelo Sesc PR

 
Tradicional evento literário é reformulado e, em 2020, será realizado em formato digital

No período de 24 a 26 de novembro, o Sesc PR promove a 39ª edição da Semana Literária Sesc & XVIII Feira do Livro da Editora UFPR, em uma edição on-line e gratuita que abordará a temática Literatura e Memória: fragmentos do tempo.

De acordo com o gerente de Cultura do Sesc PR, Marcio Barbosa Norberto, o evento demonstra a atenção que o Sesc PR destina à formação cultural e educativa e aos estímulos permanentes para contribuir com o desenvolvimento da sociedade. “Ao trazer ao centro do palco o tema literatura e memória, o evento celebra a multiplicidade de ideias e as muitas interpretações do real”. Para os curadores da semana, trata-se também de um “convite para pensar e fazer literatura por meio da intersecção com outras linguagens artísticas”.

Programação

Como a pandemia do coronavírus ainda é uma realidade, o evento precisou ser reformulado e, neste ano, será realizado de forma virtual e, por isso, a programação foi toda pensada para este novo ambiente.

Durante os três dias serão ofertadas oficinas, clubes de leitura, apresentações cultuais e contações de histórias. Como as vagas são limitadas para clubes de leitura e oficinas, será necessário efetuar a pré-inscrição pelo site www.sescpr.com.br/semanaliteraria.

Todas as noites, às 19h, pelo canal do Sesc PR no YouTube, serão transmitidas ao vivo as mesas-redondas com autores convidados que abordarão o tema memória em três eixos. A noite de abertura (24) contará com a participação do jornalista e biógrafo Ruy Castro, autor de diversas obras literárias, e que falará sobre “Memória: aquilo que fica” – uma abordagem sobre a preservação do material e do imaterial e sobre como as diversas narrativas são capazes de contar uma mesma história. A mesa-redonda será mediada por Rodrigo Tadeu Gonçalves, diretor da Editora UFPR.

Na quarta-feira (25), a escritora curitibana Giovana Madalosso, uma das revelações da literatura estadual, destacará a relação entre memória e ficção, na mesa-redonda “Memória: vivida ou inventada?”. O encontro será mediado pela jornalista e mestre em Estudos Literários, Gisele Eberspächer.

Para encerrar a programação do evento, na quinta-feira (26), o escritor, dramaturgo e jornalista Marcelo Rubens Paiva, será o responsável pela temática “Memória: o povo como personagem”.  A mediação será feita pelo escritor e criador do canal Livrada!, Yuri Al´Hanati.

O conteúdo das três mesas-redondas somente será transmitido ao vivo pelo canal https://www.youtube.com/sescpr e não ficará disponível para visualização posterior nas redes socais digitais do Sesc PR.

Feira de Livros

Para contribuir com o mercado livreiro, especialmente diante do atual cenário pandêmico, o  evento, que tem a parceria com a Universidade Federal do Paraná e Editora UFPR, também promoverá a comercialização de livros e possibilitará que o empresário do setor possa divulgar sua marca, popularizar o livro, incentivar a leitura e divulgar a produção literária. Diversas livrarias e editora foram selecionadas via edital.

As vendas de livros poderão ocorrer em lojas físicas ou via e-commerce, da própria livraria parceira. Toda a programação estará disponível no site www.sescpr.com.br/semanaliteraria.

Compartilhe:

quinta-feira, 20 de agosto de 2020

Livro analisa as raízes da cultura brasileira na produção musical nacional, apontando expoentes e conexões de tempos passados aos mais atuais

Uma árvore da música brasileira, organizada pelo músico e produtor Guga Stroeter e pela pesquisadora Elisa Mori, estabelece uma árvore genealógica para discutir as influências na produção musical nacional

Fruto de uma longa pesquisa que foge ao caráter acadêmico, o livro Uma árvore da música brasileira (já disponível em e-book e na versão impressa) nasce da paixão de seus organizadores pelo tema. Partindo da ideia de uma árvore genealógica que cresce e se ramifica, o músico Guga Stroeter e a pesquisadora Elisa Mori analisam as influências negra, europeia e indígena na produção musical nacional, uma leitura particular sobre seus principais expoentes, aqueles que sucederam uns aos outros e as conexões entre artistas contemporâneos.
O livro disponível nas lojas virtuais Amazon, Apple iBooks Store, Kobo, Google Play e Wook (em Portugal) e outras livrarias discorre sobre diferentes representações musicais brasileiras, celebrando a diversidade e sofisticação deste nosso Brasil, um país de dimensões continentais, indo desde a modinha, o lundu, o maxixe, o choro, o samba, o baião, o caipira, o sertanejo, a bossa nova, passando por movimentos como a jovem guarda, a tropicália e o mangue beat, até chegar no rock, no hip hop e na música eletrônica.
Composto por 23 artigos, a publicação apresenta as reflexões de diferentes profissionais da música – como artistas, pesquisadores e produtores musicais – a respeito das impressões e experiências vividas por esses autores em relação ao gênero sobre o qual se debruçaram. Temos, assim, a afeição de Fernando Faro pela música popular brasileira, “Caipira e sertanejo” por Paulo Freire, “Música instrumental” por Nelson Ayres, “Tropicália” por Júlio Medaglia e “Hip hop” por Xis, entre outros.
“Os textos reúnem depoimentos de artistas e especialistas representativos dos principais estilos musicais brasileiros, com descrições de experiências profissionais e pessoais, análises de conceitos musicais e observações de contextos históricos”, completa Guga.
O trabalho é acompanhado por um pôster encartado que reproduz uma árvore e expõe as múltiplas ramificações da música brasileira. O leitor encontrará também uma linha do tempo em que é possível acompanhar a evolução de cada gênero musical. Ambos podem ser visualizados e baixados gratuitamente.
“O pôster, que dá nome ao projeto, é uma síntese visual do nascimento, da consolidação e das transformações da música brasileira. Temos, então, as raízes indígenas, europeias e africanas que sustentam e alimentam o tronco com seus gêneros musicais estruturantes e, por fim, as ramificações e bifurcações constituídas pelas mais complexas combinações sonoras”, diz Elisa.

             
Ambos com visualização e download gratuitos (clique na imagem)
SOBRE AS EDIÇÕES SESC SÃO PAULO
Pautadas pelos conceitos de educação permanente e acesso à cultura, as Edições Sesc São Paulo publicam livros em diversas áreas do conhecimento e em diálogo com a programação do Sesc. A editora apresenta um catálogo variado, voltado à preservação e à difusão de conteúdos sobre os múltiplos aspectos da contemporaneidade. Seus títulos estão disponíveis nas Lojas Sesc, na livraria virtual do Portal Sesc São Paulo, nas principais livrarias e em aplicativos como Google Play e Apple Store.
Compartilhe:

sexta-feira, 19 de junho de 2020

Prêmio Sesc de Literatura anuncia os Vencedores da edição 2020

Tônio Caetano - Crédito: Rafael de Oliveira
Caê Guimarães foi o escolhido na categoria Romance com ‘Encontro você no oitavo round’ e Tônio Caetano, na categoria Conto, por ‘Terra nos Cabelos’ 

Há 17 anos, o Prêmio Sesc de Literatura revela anualmente dois escritores, sempre nas categorias Romance e Conto. Nesse período, se tornou uma das mais importantes premiações do país, ao oferecer oportunidades a novos escritores e impulsionar a renovação no panorama literário brasileiro, sendo hoje considerado referência por críticos literários, escritores brasileiros e visto como porta de entrada para o mercado editorial no Brasil.

Neste ano foram inscritos 1358 livros, sendo 692 romances e 666 contos. O cronograma, por ser executado por trabalho remoto, não foi afetado pela pandemia, de modo que o resultado pôde ser divulgado no prazo previsto. Na edição de 2020, os selecionados foram o capixaba Caê Guimarães, na categoria Romance, por ‘Encontro você no oitavo round’, e Tônio Caetano, na categoria Conto, por ‘Terra nos Cabelos’, reafirmando o aspecto de diversidade do projeto.

Caê Guimarães nasceu em 1970 no Rio de Janeiro. Foi criado no Espírito Santo, onde vive atualmente. É poeta, escritor, jornalista, redator e roteirista. Com “Encontro você no oitavo round”, apresenta uma narrativa que trata de redenção: um pugilista se debate entre um incômodo zumbido e a memória de outra ocupação antes de se dedicar ao boxe. Dias antes da sua última luta, ele conhece uma jornalista disposta a desvendar o que o fez tomar o caminho dos ringues. “Eu recebi com muita alegria a notícia que o meu primeiro romance foi o vencedor do Prêmio Sesc de Literatura. É uma oportunidade muito potente de levar meu trabalho pra outras praças, conhecer autores, públicos e outras formas de fazer literatura e estar no mundo”, afirma Caê.

Caê Guimarães - Crédito: Fabrício Zucoloco1
Tônio Caetano nasceu em Porto Alegre, em 1982. Trabalha como servidor público municipal e é especialista em Literatura Brasileira pela PUC-RS. Já participou de várias antologias literárias. No volume de contos “Terra nos cabelos”, são trilhados diferentes percursos da mulher na nossa sociedade, envolvendo questões que abordam o mundo do trabalho, o primeiro beijo, ritos de iniciação e as violências externas e internas submetidas ao sexo feminino. “A literatura faz parte da minha vida desde a infância. Ganhar o Prêmio Sesc me faz a pessoa mais feliz e também me dá um baita frio na barriga. Eu ainda estou assimilando tudo o que representa este momento. A minha única certeza é que vai me tornar um escritor melhor.”, comenta Tônio.

“É interessante sempre termos um resultado que mostra a diversidade do país, que revela como nós temos boa literatura, sendo produzida em qualquer lugar. É muito

emocionante dar a notícia para os autores, porque começa uma nova etapa nas suas vidas. São duas grandes obras, que temos prazer em anunciar como vencedoras do Prêmio Sesc de Literatura de 2020!”, comemora Henrique Rodrigues, analista de Literatura do Departamento Nacional do Sesc.

Os vencedores têm suas obras publicadas e distribuídas pela editora Record, parceira do Sesc no projeto.  A curadoria e seleção dos livros segue um padrão criterioso e democrático. Os livros são inscritos gratuitamente pela internet e protegidos por anonimato. Em seguida, as obras são avaliadas por escritores profissionais renomados, cujos nomes mudam a cada edição, e escolhem os vencedores pelo critério da qualidade literária, legitimando o processo. Esse ano as comissões foram comandadas por Renata Pimentel e Samarone Lima, na categoria Romance, e por Ana Paula Maia e Marcelo Moutinho, na categoria Conto.

Desde 2003, diversos autores foram descobertos e se consolidaram na literatura nacional, graças ao incentivo da Instituição, entre eles Juliana Leite, Rafael Gallo, Luisa Geisler, André de Leones, Franklin Carvalho, Sheyla Smanioto e Lucia Bettencourt.

Compartilhe:

domingo, 8 de março de 2020

Curso de Escrita Criativa do Sesc Belenzinho ajuda jovens para o mercado de trabalho


Projeto Empregabilidade Jovem tem cursos, oficinas e bate-papos para instrumentalizar aqueles que procuram ingressar no mercado de trabalho

A partir do dia 14 de março de 2020, o Sesc Belenzinho recebe Ricardo Lísias no curso de Escrita Criativa para Jovens. Atividade acontece até 4 de abril, aos sábados às 11h, na Sala de Oficinas III da unidade. 

A prática da escrita criativa ampliou-se ao alcançar um público que não só está em busca das relações literárias da atividade, mas, também, de desenvolver habilidades de concentração e sair dos padrões textuais, podendo dar um trato mais elaborado às produções. Partindo disso, profissionais das mais variadas áreas de atuação encontraram na escrita criativa uma nova possibilidade de sair do senso comum e mergulhar em diferentes gêneros textuais, como poemas, crônicas, contos, romances e roteiros de cinema.

O curso do professor Ricardo Lísias desenvolve habilidades necessárias para o aprofundamento da capacidade de redação, por meio da prática, usando a crônica como gênero de análise principal, por sua característica central de aproximação e retrato da vida cotidiana.

Com quatro encontros, o curso se dá através de encontros divididos em duas partes metodológicas. Na primeira delas, Lísias apresenta uma discussão teórica sobre a escrita criativa, crônica e dicas de redação, passos que preparam os alunos para a segunda etapa, onde é feita a leitura e análise dos textos produzidos antes de cada aula.

A atividade integra o projeto Valorização Social do Sesc São Paulo, que propõe atividades que estimulam a compreensão das etapas de criação e produção em suas dimensões simbólicas e materiais, por meio do desenvolvimento de habilidades criativas e estímulo ao protagonismo, bem como o projeto Empregabilidade Jovem do Sesc Belenzinho, que instrumentaliza o jovem com cursos, oficinas e bate-papos na busca do primeiro emprego.

Ricardo Lísias é escritor, autor dos romances O céu dos suicidas, Divórcio, A vista particular, entre outros. Criou a Família Tobias, com a qual produz diversas obras em várias plataformas, como o e-book Delegado Tobias e o livro-objeto Inquérito Policial Família Tobias, assim como a peça Vou, com Meu Advogado, Depor sobre o Delegado Tobias onde atuou como dramaturgo e ator. É doutor em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (USP), com estágio de pós-doutorado na Unifesp.

ESCRITA CRIATIVA PARA JOVENS

Com Ricardo Lísias
De 14 de março a 4 de abril de 2020. Sábados, das 11h às 13h
Local: Sala de Oficinas III
Grátis mediante inscrição prévia presencial a partir de 6/3 (público geral)
Recomendação etária: indicado para maiores de 14 anos
Sesc Belenzinho
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000.
Belenzinho – São Paulo (SP)
Telefone: (11) 2076-9700

Estacionamento
De terça a sábado, das 9h às 22h. Domingos e feriados, das 9h às 20h.
Valores: Credenciados plenos do Sesc: R$ 5,50 a primeira hora e R$ 2,00 por hora adicional. Não credenciados no Sesc: R$ 12,00 a primeira hora e R$ 3,00 por hora adicional.

Para espetáculos pagos, após as 17h: R$ 7,50 (Credencial Plena do Sesc - trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo). R$ 15,00 (não credenciados).

Transporte Público
Metro Belém (550m) | Estação Tatuapé (1400m)
Compartilhe:

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Prêmio Sesc de Literatura lança os livros vencedores de 2019 em São Paulo

João Gabriel Paulsen e Felipe Holloway. Crédito: Conrado Secassi
João Gabriel Paulsen e Felipe Holloway, ganhadores nas categorias Conto e Romance, participam de bate-papo com público e sessão de autógrafos, dia 26 de novembro, no Sesc Avenida Paulista

No dia 26 de novembro, às 19h30, acontecerá no Sesc Avenida Paulista, o lançamento dos livros vencedores do Prêmio Sesc de Literatura 2019. Felipe Holloway e João Gabriel Paulsen ganharam o prêmio dedicado a escritores estreantes, nas categorias Romance e Conto, com os livros ‘O legado de nossa miséria’ e ‘O doce e o amargo’. Também serão realizadas sessões de autógrafos nos estados de residência dos autores: dia 28 de novembro no Sesc Arsenal, em Cuiabá (MT), e dia 3 de dezembro no Sesc Palladium, Belo Horizonte (MG).

Durante o evento em São Paulo, os autores participarão de um bate-papo com Juliana Leite e Tobias Carvalho, conhecendo um pouco da experiência dos vencedores da edição de 2018. Ao final da cerimônia, eles recebem o público para uma sessão de autógrafos. As obras publicadas pela Editora Record, acabam de ser lançadas no mercado, com tiragem inicial de 2 mil exemplares, cada.

Em 16 anos, o Prêmio Sesc de Literatura se firmou como um dos principais concursos literários do país, sendo dedicado a escritores estreantes. Entre os escritores descobertos, chama atenção a trajetória de Juliana Leite, que após vencer o Prêmio Sesc em 2018, com seu romance de estreia, recebeu o Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte, e é finalista no prêmio português Oceanos, no São Paulo de Literatura, no Rio de Literatura e no Prêmio Jabuti. Também é destaque a presença de jovens autores, como Luisa Geisler, que em 2011 aos 19 anos, ganhou na categoria Conto e no ano seguinte, repetiu a dose vencendo o prêmio de melhor Romance; Tobias Carvalho, vencedor em 2018, com 22 anos e este ano, João Gabriel Paulsen, com 19 anos, ambos ganhadores na categoria Conto.

O romance vencedor de Felipe Holloway, ‘O legado de nossa miséria’, conta a história de um crítico de literatura e professor universitário que é convidado para um evento sobre jornalismo literário, numa fictícia cidade do interior de Minas Gerais. Lá ele conhece um famoso escritor cuja obra sempre admirou. Os personagens rememoram suas respectivas carreiras, nas quais os fracassos éticos e estéticos se alternam. Felipe Holloway nasceu em Canindé, no Ceará, e mora desde criança em Cuiabá. O autor de 30 anos é professor de Língua Portuguesa da rede estadual, formado em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso e mestrando em Estudos Literários pela mesma instituição. Começou a escrever aos 17 anos, quando se dedicava mais aos contos e tempos depois passou a escrever narrativas mais longas.

O ganhador na categoria Conto é João Gabriel Paulsen com o livro 'O doce e o amargo'. O jovem escreveu uma coletânea composta por nove contos que tratam das tensões geracionais e os conflitos ocasionados pelos ritos de passagem. Paulsen nasceu em Juiz de Fora, onde mora. É estudante de filosofia na Universidade Federal de Juiz de Fora e escreve desde os 15 anos, tendo iniciado pela poesia e depois avançado na prosa.

O Prêmio Sesc de Literatura hoje figura ao lado das maiores premiações nacionais. Desde 2003, premia anualmente obras inéditas nas categorias Conto e Romance, sendo considerado referência por críticos literários e escritores brasileiros e visto como porta de entrada para o mercado editorial no Brasil.

Mais informações em www.sesc.com.br/premiosesc

Serviço:
Lançamento dos livros vencedores do Prêmio Sesc de Literatura 2019
Data: 26 de novembro
Horário: 19h30
Local: Sesc Avenida Paulista - Av. Paulista, 119 - Bela Vista, São Paulo
Compartilhe:

sábado, 29 de junho de 2019

FLIP 2019: Sesc promove programação gratuita durante a Festa Literária

Invenção Nordeste - Foto: Daniel Torres
Serão cerca de 100 atrações com exposições, oficinas, bate-papos, cafés literários, lançamentos de livros, cinema, música e intervenções artísticas em quatro espaços fixos e nas ruas de Paraty

Rio de Janeiro, junho de 2019 – Pelo nono ano seguido o Sesc participa da Festa Literária Internacional de Paraty – FLIP - com uma ampla programação. De 11 a 14 de julho, a instituição promoverá uma série de atividades, mostrando aos visitantes do evento um pouco do trabalho que desenvolve diariamente em suas unidades, por todo o país. Serão cerca de 100 atrações com exposições, oficinas, bate-papos, cafés literários, lançamentos de livros, cinema, música e intervenções artísticas em quatro espaços fixos e nas ruas da cidade. As atividades acontecerão nas unidades Santa Rita e na Casa Edições Sesc, no Centro Histórico; na unidade Caborê e no espaço do Areal do Pontal, onde estará estacionada uma unidade do  BiblioSesc, biblioteca itinerante de incentivo à leitura. Também haverá intervenções artísticas nas ruas da cidade.

“O Sesc Paraty possui uma atuação permanente na cidade. Durante a Flip ampliamos a nossa programação de modo a enriquecer ainda mais a Festa Literária e oferecer outras possibilidades para o público, além das mesas oficiais. Mais uma vez teremos diversas atividades com escritores, poetas, atores e músicos”, conta  Daniel Ourique, gerente do Sesc Paraty.
Cao Laru - Thais Andressa


A maratona de atrações começa com a abertura da exposição ‘Câmara de Ecos’, na unidade Caborê, no dia 11 de julho, às 10h. Inspirada no poema de Waly Salomão e idealizada por seu filho, Omar Salomão, a instalação em formato de ninho permitirá uma experiência sensorial. Por meio de alto-falantes espalhados em nichos, o visitante ouvirá nove poemas do autor declamados por diferentes vozes, em ritmo e tempo próprios. O público poderá conferir a exposição durante os quatro dias do evento, sempre das 10h às 19h.  Outro destaque do primeiro dia será o bate-papo com os rappers Rincon Sapiência, MC Marechal e Pelé do Manifesto. A partir das 14h, também na unidade Caborê, os três vão debater sobre os sobre os desafios de se fazer Rap no Brasil, o papel social e como o ritmo transforma vidas, além de dar dicas para quem pretende ingressar na carreira de MC.

Na unidade Santa Rita, localizada no centro Histórico da cidade, acontecem os Cafés Literários,  espaço de encontro do público com grandes autores. Nomes representativos da literatura nacional discutem diferentes temas. Entre os confirmados estão a poetisa pernambucana Luna Vitrolira e Ricardo Aleixo, poeta, músico e artista plástico, na mesa “A palavra performada”; Tobias Carvalho, vencedor do Prêmio Sesc 2018, e Amara Moira, professora de literatura e feminista, debatem o gênero na escrita, em “Literatura tem gênero?”; Bárbara Prince, blogueira literária e youtuber, estará ao lado do escritor e roteirista de literatura policial Raphael Montes, no debate “A literatura é pop?”; Márcia Kambeba,  poeta e geógrafa brasileira, e Cristino Wapichana, músico, compositor e escritor brasileiro, discutirão as “Literaturas originárias”.

Ainda na Santa Rita, no dia 11, às 19h30, será lançado o livro “Da lama ao caos: que som é esse que vem de Pernambuco?”, com a participação do autor José Teles e de Lauro Lisboa Garcia, organizador da coleção de livros digitais Discos da Música Brasileira. Com o mesmo nome do disco lançado por Chico Science & Nação Zumbi em 1994, o livro reconstrói a trajetória do álbum seminal que transformou a música brasileira. No mesmo local, Felipe Holloway e João Gabriel Paulsen, vencedores do Prêmio Sesc de Literatura 2019, participam de bate-papo com o público no dia 13 de julho. Os dois foram escolhidos nas categorias Romance e Conto, com os livros “O legado de nossa miséria” e “O doce e o amargo”, respectivamente.

O grupo Carmin é um dos destaques da programação teatral e levará à Flip o aclamado espetáculo “A invenção do Nordeste”. A peça venceu os prêmios Shell (de melhor autor), Cesgranrio (de melhor espetáculo) e APTR - Associação de Produtores de Teatro do Rio (melhor autor e ator em papel coadjuvante).

Entre as atrações musicais, o público poderá conferir as apresentações do cantor e compositor Chico Cesar; Cátia de França, cantora que tem a literatura como marca registrada em suas cancões; Dandara Manoela, que apresentará o álbum Retrato Falado e a Orquestra Mundana, formada por músicos brasileiros, imigrantes e refugiados.

A programação do Sesc contemplará também o público infantil. O espaço ‘Ler e brincar é só começar’ propõe um encontro de brincadeiras com a leitura, na unidade Santa Rita, durante os quatro dias da Flip. As crianças, de 5 a 12 anos, também poderão conferir a oficina Mini Lambes, com linguagem lambe-lambe.  No Sesc Areal do Pontal, o bate-papo “Criança escrevendo para crianças”, contará com a presença da escritora amazonense Beatriz Guimarães Menezes, que publicou seu primeiro livro aos 8 anos. Hoje, aos 18 anos, ela compartilha sua experiência com o público. Haverá, ainda, contação de histórias, intervenções poéticas, performances circenses e apresentações artísticas.

Durante os quatro dias, a Casa Edições Sesc terá lançamentos de livros, como “Eça de Queiros: leituras brasileiras e portuguesas”, com presença do organizador da publicação, Benjamin Abdala Jr., e das autoras Marli Fantini e Elza Miné. “Memória da Amnésia: políticas do esquecimento”, com a autora Giselle Beiguelman, Solange Ferraz, diretora do Museu Paulista, e Alexander Kellner, diretor do Museu Nacional.

A programação completa e detalhada está disponível no site www.sescparaty.com.br

SERVIÇO:
PROGRAMAÇÃO DO SESC NA FLIP 2019
11 a 14 de julho (quinta-feira a domingo)
Santa Rita: Rua Dona Geralda 15 – Centro Histórico
Caborê: Rua Octávio Gama, 1709 – Bairro Caborê
Sesc Areal do Pontal: Av. Nossa Sra. dos Remédios
Casa Edições Sesc: Rua Marechal Santos Dias 43, Centro Histórico
Funcionamento dos espaços do Sesc: quinta a sábado, 10h às 22h e domingo, 10h às 17h
Entrada gratuita

Compartilhe:

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Prêmio Sesc de Literatura anuncia os vencedores de 2019

Felipe Holloway - Foto divulgação
Felipe Holloway e João Gabriel Paulsen são os ganhadores da 16ª edição do concurso literário. Este ano foram inscritos 1.969 trabalhos, sendo 926 livros de contos e 1.043 romances

Rio de Janeiro, junho de 2019 – O Prêmio Sesc de Literatura revela dois novos escritores: Felipe Holloway e João Gabriel Paulsen são os ganhadores da edição 2019, nas categorias Romance e Conto, com os livros “O legado de nossa miséria” e “O doce e o amargo”, respectivamente. Essa edição teve recorde de inscritos, com 1.969 trabalhos, sendo 926 livros de contos e 1.043 romances. A avaliação final ficou por conta de duas comissões formadas pelos escritores e críticos literários Ana Miranda, Tércia Montenegro, Verônica Stigger e Júlian Fúks. 

A premiação completa 16 anos de criação este ano e tem como objetivo identificar escritores estreantes, cujas obras possuam qualidade literária para edição e circulação em todo o país. Além do reconhecimento nacional, os vencedores têm suas obras publicadas e distribuídas pela editora Record, com tiragem inicial de 2 mil exemplares.

“O Prêmio Sesc de Literatura oferece uma oportunidade a novos escritores e cumpre um importante papel na área cultural, contribuindo para uma renovação no panorama literário brasileiro”, destaca Henrique Rodrigues, analista de Cultura do Departamento Nacional do Sesc. “Um balanço das 16 edições aponta que superamos a marca de 13 mil livros inscritos e revelamos 29 novos autores de todas as regiões do país”, reforça.

O romance vencedor veio do estado do Mato Grosso. “O legado de nossa miséria” conta a história de um crítico de literatura e professor universitário que é convidado para um evento sobre Jornalismo Literário numa fictícia cidade do interior de Minas Gerais. Lá ele conhece um famoso escritor cuja obra sempre admirou. No evento, os personagens rememoram suas respectivas carreiras, nas quais os fracassos éticos e estéticos se alternam. Numa estrutura narrativa que aos poucos adquire o caráter de thriller, o romance reflete sobre os limites do uso da obra de arte como fator de redenção para vidas deploráveis.

“Ser contemplado com esse prêmio é maravilhoso e funciona como um aval de que podemos e devemos seguir escrevendo”, conta Felipe Holloway, de 30 anos. Ele vê a premiação como uma virada completa na vida pessoal e profissional. “Primeiro porque a insegurança que sempre nutri em relação à qualidade e à legitimidade de meus próprios escritos ganha um contraponto significativo. Ainda mais quando a vitória é num prêmio de prestígio e concorrido como o Prêmio Sesc , que abre uma excelente possibilidade no âmbito literário. Por fim, sei o quanto histórias como a minha podem influenciar novos autores a persistir em suas jornadas”, declara.
João Gabriel Paulsen - Foto divulgação
Ganhador da categoria Conto, com “O doce e o amargo”, o mineiro João Gabriel Paulsen tem 19 anos de idade, é estudante de Filosofia e skatista nas horas vagas. Seu livro é uma coletânea composta por nove contos que tratam das tensões geracionais e os conflitos ocasionados pelos ritos de passagem. Entre crianças que vão ao enterro da mãe, a busca do amor fugidio como saída para o vazio existencial e um rapaz preso numa cela com um demônio, o livro oscila entre o onírico e o real como plataformas de uma prosa densa e ao mesmo tempo fluente.

“A sensação é indescritível. Receber uma confirmação dessas – de que você produz literatura de qualidade – é fenomenal”, comemora João Gabriel.   “Sempre tive muita afinidade com as palavras, o que me levou ao amor pela literatura. A vitória abre uma série de possibilidades no campo da produção literária, é uma indicação do que posso vislumbrar a partir de agora para o meu futuro”, declara.

Breve currículo dos vencedores

Felipe Holloway nasceu em Canindé, no Ceará, e mora desde criança em Cuiabá (MT). O autor de 30 anos é professor de Língua Portuguesa da rede estadual, formado em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e mestrando em Estudos Literários pela mesma instituição. Começou a escrever aos 17 anos, quando se dedicava mais aos contos e tempos depois passou a escrever narrativas mais longas.

João Gabriel Paulsen tem 19 anos, nasceu em Juiz de Fora (MG), onde mora. É estudante de filosofia na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e escreve desde os 15 anos, tendo iniciado pela poesia e depois avançado na prosa. Segundo o autor, tudo que aprendeu veio do seu hábito de ler bastante.

Sobre o Prêmio Sesc

Criado em 2003, o Prêmio inclui os autores em programações literárias do Sesc e também abre as portas do mercado editorial aos estreantes. O processo de curadoria e seleção das obras é criterioso e democrático. Os livros são inscritos pela internet, gratuitamente, protegidos pelo anonimato. Quem avalia os livros não sabe quem os escreveu.

Nos últimos anos os vencedores do Prêmio Sesc também se destacaram em outras importantes premiações literárias:  Franklin Carvalho, ganhador com o Romance “Céus e Terra”, em 2016, e vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2017; a paulista Sheyla Smanioto Macedo, vencedora da edição 2015, com o Romance “Desesterro”, conquistou o Prêmio Machado de Assis 2016; Marcos Peres, com “O Evangelho Segundo Hitler”, vencedor dos prêmios Sesc de Literatura 2013 e São Paulo de Literatura 2014 (categoria Estreantes); Debora Ferraz, autora do livro “Enquanto Deus não está olhando”, vencedora dos prêmios Sesc 2014 e São Paulo de Literatura 2015.

Mais detalhes sobre o Prêmio Sesc de Literatura em www.sesc.com.br/premiosesc.
Compartilhe:

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Marcelo Labes (SC) e Milton Rosendo (AL) estarão no Arte da Palavra, no Sesc do Rio de Janeiro

Marcelo Labes - Foto divulgação 
Projeto de leitura do Sesc receberá os escritores no Rio de Janeiro

O Espaço Cultural Escola Sesc, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, recebe mais uma edição do Arte da Palavra – Rede de Leituras, projeto que percorre o país com debates e oficinas literárias, reunindo escritores de diferentes vertentes da literatura brasileira e também de localidades distintas, permitindo a circulação mais ampla de suas obras e suas ideias. Desta vez, Marcelo Labes, de Santa Catarina, e Milton Rosendo, de Alagoas, foram convidados pelo Sesc a compartilhar experiências e ideias num bate-papo com o público na quarta-feira, 15 de maio, às 15h. A entrada é franca.

Além da mesa debates os autores também apresentam suas obras e discutem aspectos inerentes à fruição literária, incentivando o gosto pela leitura e escrita. Marcelo Labes publicou cinco obras: Falações [EdiFurb, 2008], Porque sim não é resposta [Antítese, Hemisfério Sul, 2015], O filho da empregada [Antítese, Hemisfério Sul, 2016] e Trapaça [Oito e Meio, 2016]. Integrou a mostra Poesia Agora [edição carioca, 2017]. Tem poemas publicados em Mallarmagens, Livre Opinião – Ideias em Debate, Ruído Manifesto e Cidadão Cultura. 

Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal de Alagoas, Milton Rosendo trabalha com literatura brasileira, poesia, intertextualidade, metalinguagem, representação e semiótica. Desde 2016 é mediador dos projetos Pé de Página e Arte da Palavra- Rede de Leituras ambos desenvolvidos pelo Sesc.
Milton Rosendo - foto divulgação
Lançado em 2017, o Arte da Palavra atua em toda a cadeia literária, desde a formação e divulgação de novos escritores e valorização das obras e autores brasileiros até novas formas de produção e prazer pela leitura.  Ao trabalhar em diferentes frentes, o Sesc vem contribuindo para a democratização do acesso à leitura, abrangendo públicos de diversas faixas etárias. Já se apresentaram no Arte da Palavra – Rede Sesc de Leitura autores de Norte a Sul do país tais como: Luci Colin (SC), Casé Lontra Marques (ES), Cida Pedrosa (PE), Vanessa Trajano (PI), Lívia Nestrovski e Fred Ferreira (RJ), Nilton Resende (AL) e Lívia Nathalia (BA), André de Leones e Jorge Nascimento.

Serviço
Arte da Palavra – Rede Sesc de Leituras
Data/Hora: 15 de maio, 15h
Local:  Biblioteca da Escola Sesc de Ensino Médio (Avenida Ayrton Senna, 5677 Jacarepaguá, RJ)
Capacidade: 100 lugares
Classificação: Livre
Entrada: gratuita

Números da falta de leitura
De acordo com pesquisa realizada pelo Ibope  44% da população brasileira não lê e 30% nunca comprou um livro. A pesquisa aponta ainda que 74% da população não comprou nenhum livro nos últimos três meses. Entre os que compraram livros em geral por vontade própria, 16% preferiram o impresso e 1% o e-book. Um dado alarmante: 30% dos entrevistados nunca comprou um livro. As mulheres continuam lendo mais: 59% são leitoras. Entre os homens, 52% são leitores. A pesquisa ouviu 5.012 pessoas, alfabetizadas ou não, mesma amostra da pesquisa passada. Isso representa, segundo o Ibope, 93% da população brasileira.. Entre os que os homens, compraram livros em geral por vontade própria, 16% preferiram o impresso e 1% o e-book. Um dado alarmante: 30% dos entrevistados nunca comprou um livro. As mulheres continuam lendo mais: 59% são leitoras. Entre 52% são leitores. A pesquisa ouviu 5.012 pessoas, alfabetizadas ou não, mesma amostra da pesquisa passada. Isso representa, segundo o Ibope, 93% da população brasileira.
Compartilhe:

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Coreógrafo e professor Ivaldo Bertazzo lança Fases da vida: da gestação à puberdade, pelas Edições Sesc

Ivaldo Bertazzo - Foto Gal Oppido
Em seu livro, especialista oferece uma experiência transmídia, com série documental integrada por QR code, sobre o desenvolvimento psicomotor até o início da adolescência

Professor e coreógrafo com larga experiência no estudo do movimento, Ivaldo Bertazzo tem dedicado a vida a explicar e ensinar como o ser humano pode se exercitar em qualquer idade. Por meio do método Bertazzo, ele vem propondo às pessoas rever hábitos do dia a dia e experimentar novas maneiras de preservar e reeducar seus movimentos.

A nova publicação de Ivaldo Bertazzo explica a psicomotricidade, faculdade cuja compreensão é fundamental para estimular o desenvolvimento do ser humano desde seus primeiros meses de existência e em toda a sua vida. Após uma trilogia publicada com foco no público adulto, Fases da vida aborda as principais etapas do desenvolvimento psicomotor do pré-natal até o fim da infância e início da adolescência, período não contemplado especificamente nos livros anteriores de Bertazzo.

O livro ainda inclui uma série de ilustrações e vídeos acessíveis por QR codes, conduzindo o leitor de forma didática e dinâmica na aplicação de exercícios e manobras articulares e musculares para estimular a psicomotricidade nas primeiras fases da vida. Os vídeos podem ser assistidos no site www.sescsp.org.br/fasesdavida

Ficha técnica:
Fases da vida: da gestação à puberdade
Ivaldo Bertazzo

2018 | 224 páginas | 16 × 23 cm
ISBN 978-85-9493-112-2
Preço: R$ 85,00

Serviço
Lançamento do livro Fases da vida: da gestação à puberdade

SOBRE AS EDIÇÕES SESC SÃO PAULO

Pautada pelo conceito de educação permanente e acesso à cultura, as Edições Sesc São Paulo publicam livros em diversas áreas do conhecimento. Em diálogo com a programação do Sesc, a editora apresenta um catálogo variado, voltado à preservação e à difusão de conteúdos sobre os múltiplos aspectos da contemporaneidade. Além dos títulos impressos, que estão disponíveis nas Lojas Sesc, na livraria virtual do Portal do Sesc e nas livrarias físicas e virtuais, as Edições Sesc vêm convertendo seu catálogo em e-books, que podem ser adquiridos em lojas virtuais como Livraria Cultura, Livraria Saraiva e Amazon, e em aplicativos do Brasil e do mundo como Google Play e Apple Store.
Compartilhe:

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Edições Sesc São Paulo no 60° Prêmio Jabuti

As Edições Sesc São Paulo e o Sesc São Paulo concorrem nesta 60ª edição do Prêmio Jabuti, com oito finalistas

No eixo Literatura estão os livros Imaginai! O teatro de Gabriel Villela, de Dib Carneiro Neto e Rodrigo Audi, na categoria Artes; Abismo de rosas: vida e obra de Canhoto, de Sérgio Estephan, na categoria Biografia; e Era o hotel Cambridge: arquitetura, cinema e educação, de Carla Caffé, na categoria Economia Criativa.

No eixo Livro, Abecedário de personagens do folclore brasileiro, uma coedição das Edições Sesc São Paulo e Editora FTD está em duas categorias: Ilustração e Impressão. Também em Impressão são finalistas, Rubens Matuck: tudo é semente, de Rosely Nakagawa, e Teatro Sesc Anchieta.

Finalmente, o Sesc São Paulo é finalista no eixo Inovação, na categoria Formação de Novos Leitores, com o Projeto BiblioSesc.

Os ganhadores do 60° Jabuti serão conhecidos no dia 8 de novembro em cerimônia de no Auditório do Ibirapuera, quando será anunciado ainda o ganhador do Livro do Ano.

SOBRE AS EDIÇÕES SESC SÃO PAULO

Pautadas pelo conceito de educação permanente e acesso à cultura, as Edições Sesc São Paulo publicam livros em diversas áreas do conhecimento. Em diálogo com a programação do Sesc, a editora apresenta um catálogo variado, voltado à preservação e à difusão de conteúdos sobre os múltiplos aspectos da contemporaneidade. Além dos títulos impressos, as Edições Sesc vêm convertendo seu catálogo em e-books que podem ser adquiridos em lojas virtuais como Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Amazon, Google Play e Apple Store.

As publicações das Edições Sesc São Paulo podem ser adquiridas em todas as unidades do Sesc São Paulo (capital e interior), nas principais livrarias e também pelo portal www.sescsp.org.br/livraria

Os e-books das Edições Sesc São Paulo podem ser encontrados em livrarias virtuais como portal Sesc São Paulo, Amazon, Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Kobo e Apple Store
Compartilhe:

sábado, 24 de março de 2018

Sesc Pompeia apresenta espetáculo de dança na Biblioteca

Jorge Alencar e Neto Machado. Crédito: Leonardo França
Em Biblioteca da Dança, cada performer é como um livro vivo ocupando a biblioteca da unidade

Contações dançantes de histórias realizadas por "artistas-volumes" entre as estantes de livros. Essa é a proposta de "Biblioteca de Dança", dirigido por Jorge Alencar e Neto Machado, e que será apresentado na Biblioteca do Sesc Pompeia de 24 de março a 1º de abril, sábado e domingo, das 14h às 17h, terça a quinta-feira, das 15h às 18h.

Na instalação coreográfica, os artistas conversam com o público para compartilhar coreografias que marcaram suas vidas. Cada dançarino participante é como um livro vivo que está disponível, em uma biblioteca, por algumas horas, para que o público acesse diferentes  histórias, por quanto tempo deseje, ao redor de uma mesa.

O trabalho estabelece um relação de intimidade e cumplicidade entre artista e público, gerando uma abordagem afetuosa e emotiva com a história da dança e com a história de vida dos espectadores. A cada narrativa contada (e dançada) um espaço de diálogo é aberto entre dançarinos e visitantes da biblioteca, aproximando vida, arte, documento, ficção e emoção.

Participam desta performance os artistas Cláudia Müller, Diane Ichimaru, Félix Pimenta, Jorge Alencar, Natasha Vergílio, Neto Machado e Rosângela Alves.
Foto: Patricia Ameida
A "Biblioteca de Dança" foi desenvolvida em três contextos internacionais de residência artística: Akademie Schloss Solitude (Stuttgart - Alemanha), #StationONE - Service for Contemporary Dance (Belgrado - Sérvia) e Graner - Centro de creación del cuerpo y el movimiento (Barcelona -Espanha) com apoio da Funarte - Fundação Nacional das Artes (Brasil). Desde sua estreia em 2017, foi apresentada em: Stuttgart (Alemanha), Barcelona (Espanha), Belgrado (Sérvia), Salvador (Bahia), Campinas (SP), Brasília (DF).

​SERVIÇO:
Biblioteca de dança
De 24 de março a 1º de  abril de 2018, aos sábados e domingos, das 14h às 17h, de terça a quinta-feira, das 15h às 18h.
Biblioteca
Ingressos: Gratuito.
Classificação indicativa: Livre

FICHA TÉCNICA
Concepção e direção: Neto Machado e Jorge Alencar
Criação e Performance: Neto Machado, Jorge Alencar, Cláudia Muller, Diane Ichimaru Felix Pimenta, Natasha Vergilio, Rosangela Alves
Produção: Ellen Mello / Dimenti Produções Culturais
Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93, Pompeia - São Paulo
Não temos estacionamento. Para informações sobre outras programações, acesse o portal sescsp.org.br/pompeia

Nos acompanhe!
instagram.com/sescpompeia
facebook.com/sescpompeia
twitter.com/sescpompeia 

Para credenciamento, encaminhe pedidos para: imprensa@pompeia.sescsp.org.br
                         
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA
clique sobre a capa

DO INCISIVO AO CANINO - BERT JR.

MAFRA EDITIONS

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

DIVULGUE O SEU LIVRO

FUTURO! - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels