9 grupos no Facebook que todo bom leitor deve conhecer

Por Ademir Pascale Todos os dias são criados novos grupos no Facebook sobre assuntos e gostos diversos. Nós leitores e apaixonados...

Mostrando postagens com marcador evolução. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador evolução. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 25 de maio de 2021

Cicero Miranda e o livro O Céu não é Azul - Tópicos contra uma ciência preconceituosa


Paulista, 39 anos, nascido em Ferraz de Vasconcelos, foi professor de História, Geografia, Filosofia e Sociologia.  Formado em História pela faculdade Univesp 2010, com pós-graduação em  ensino de Geografia pela faculdade Cândido Mendes 2015,  especialista no ensino de  Filosofia e sociologia, atualmente estudante do curso de letras na faculdade Univesp é palestrante, autodidata, trilíngue, escritor, autor e pesquisador.  Amante da natureza, e da vida.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Cicero Miranda: Minha paixão pela literatura teve início ao ganhar meu primeiro livro, um livro  de língua portuguesa da escola, quando era criança, eu li todo o livro em uma semana, embora, não tivesse entendido muita coisa, mas, fiquei obcecado pela leitura e nunca mais parei de ler e escrever, a leitura sempre foi algo prazeroso para mim e logo cedo comecei também a escrever mas nunca havia publicado nada, o livro ´´O Céu não é azul`` é meu primeiro trabalho publicado.

Conexão Literatura: Você é autor do livro "O Céu não é Azul - Tópicos contra uma ciência preconceituosa". Poderia comentar?

Cicero Miranda: O livro faz parte de uma pesquisa científica, é um trabalho científico de alta  crítica ao sistema convencional de se fazer ciência, disserto nesta pesquisa, o preconceito criado pela elite científica,  acadêmica, que tende em selecionar subjetivamente os teorias que lhes parecem melhores, mesmo que embora na própria perspectiva científica não o seja propriamente ciência em si, pois não podem ser levadas ao laboratório para serem reproduzidas  como é o caso das teorias aceitas como ciência, uma teoria não pode ser aceita como ciência, a menos que haja comprovação, pois está há apenas um passo de se tornar ciência, a teoria da evolução é um dos principais casos dessas teorias aceitas incontestavelmente como uma supra verdade e quase inquestionável, a elite científica moderna parece  obliterar, desmemoriar, e ouvida-se de que existem outras respostas a teoria da evolução que não a elegida por um grupo específico com finalidade política.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro?

Cicero Miranda: Fui convidado para fazer parte de um grupo de pesquisa acadêmica sobre a evolução, onde participaram 30 pesquisadores e cada um elaborou sua pesquisa individual, e participamos de debates,  várias palestras, também visitas a museus e sítios arqueológicos , as pesquisas tiveram uma duração de 2 anos.

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho que você acha especial em seu livro? 

Cicero Miranda: Eu recomendaria o cap. 18 ́ ́Fraude na ciência``, onde aponto algumas das atividades de cientistas famosos que tentaram burlar o conhecimento científico e enganar o mundo apresentando falsos dados, como foi o caso do professor Prostsh, um famoso colecionador de fósseis, que tentou vender toda sua fraudulenta coleção de crânios de chimpanzés  para o EUA, a universidade de oxford, constatou a farsa e em sua investigação a universidade entendeu que o homem de Hafnhfersand, um Neandertal tinha apenas 7.500 anos e não a estimada de 28 mil anos como ainda afirma a ciência moderna, que mesmo com a descoberta dessas farsas insiste em datar os fósseis com datas supra estimadas.

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir o seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

Cicero Miranda: Como sou iniciante em publicações, para que os leitores fiquem por dentro  dos meus trabalhos de pesquisa, basta aguardar por novas publicações.

O livro ́ ́ O Céu não é azul`` como se trata de uma obra autoral, encontra dificuldades para divulgação pois não temos muitas publicadoras que aceitam livros autorais e esta revista tem contribuído para que autores como eu possam divulgar seus trabalhos, gostaria aqui, de deixar meus agradecimentos pela iniciativa. Os leitores, portanto, que queiram adquirir o livro podem adquiri-lo pela Amazon, no mercado livre onde tenho disponibilizados, mas para aqueles que gostam de ter um livro autografado podem entrar em contato comigo mesmo pelo whatsapp 11 96341-3388. Quero aqui também deixar meus sinceros agradecimentos àqueles que leram o livro e aos que ainda o farão.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

Cicero Miranda: Sim, tenho trabalhado em novas pesquisas, e espero trazer muitas outras boas pesquisas e contribuir com o debate científico.

Perguntas rápidas:

Um livro: O Gande Conflito

Um (a) autor (a):  Drummond

Um ator ou atriz: Charles Chaplin

Um filme: A lista de Schindler

Um dia especial: O hoje, porque supera o passado e nos dá perspectiva para o futuro.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

Cicero Miranda: Não poderia esquecer daqueles que ajudaram a tornar o meu trabalho possível, quero agradecer a todos, e também aos meus leitores, e aos leitores desta prestigiada revista que leiam o livro ´´O Céu não é azul`` tópicos contra um ciência preconceituosa, e que deixem seus comentários sobre a obra na plataforma Amazon.com.br.

Agradeço à revista Conexão literatura por esta oportuna entrevista.

Compartilhe:

segunda-feira, 15 de junho de 2020

Evoluímos muito em pouco tempo

Bárbara Nogueira, diretora da Prime Talent - Carmine Furletti / Divulgação
Bárbara Nogueira *

O mundo se transformou em um curto espaço de tempo, especialmente devido à pandemia do novo Coronavírus, que afeta a todos globalmente. Temos nos transformado a uma velocidade recorde, em meio a tantas mudanças, seja no âmbito profissional, seja pessoal. Isso nos faz refletir sobre nossa evolução e nossos aprendizados até aqui. Em tão pouco tempo, as pessoas mudaram suas ações, forma de pensar, gastar e repensaram, inclusive, valores e crenças. No que diz respeito ao trabalho, boa parte das empresas tem conseguido se reinventar de inúmeras formas e mudar o modus operandi, forçadamente ou não.

Algumas empresas, por exemplo, instituíram o antigo home office, algo que era um receio em muitos casos, tanto pelos entraves jurídicos governamentais para essa implementação, quanto pela postura de controle dos funcionários. Com a pandemia, foi necessário realizar uma mudança cultural repentina, e a digitalização foi colocada em prática nas empresas, sem pedir licença. Aquelas que não estavam preparadas tiveram que sair da “zona de conforto” e se reinventar rapidamente, uma vez que era a única forma possível para manter as entregas aos seus clientes.

O trabalho remoto, via plataformas digitais, naturalmente reforçou a parceria e o comprometimento dos profissionais na grande maioria dos casos. A forma de liderar as equipes também foi alterada, exigindo novas competências e habilidades ainda mais fortalecidas. Em muitos momentos, foi importante ter mais agilidade nas decisões, confiança e menos burocracias. Além disso, a maneira de comunicar foi otimizada e se tornou mais assertiva e objetiva. Até mesmo a estruturação do plano estratégico de curto, médio e longo prazos ganhou força dentro das organizações, assim como as práticas voltadas para a responsabilidade social.

De outro lado, a vida pessoal foi “virada de cabeça para baixo”. Mas algumas mudanças relacionadas ao período de isolamento social tendem a permanecer, como as transformações na forma de conviver em sociedade, de consumir, o cuidado com o próximo, o verdadeiro valor do abraço, do beijo e das relações presenciais com as pessoas que amamos. Como seres humanos, “abrimos nossa mente” e ampliamos nosso nível de consciência sobre questões mais profundas: sustentabilidade, minimalismo, coletivo, solidariedade e empatia.

Com a crise, ainda foi possível desenvolver novas habilidades relativas à inteligência emocional, gestão do tempo e da rotina, foco, feedbacks e gestão remota, dentre outras. Esse é um processo de evolução contínua e é fundamental usá-lo a nosso favor. No que tange à tecnologia, mais do que nunca as pessoas e organizações devem se apropriar positivamente do digital, das plataformas e ferramentas online para ampliar os negócios, gerar relações, construir novos mercados, elaborar treinamentos, inovar e buscar estar à frente das tendências. A educação à distância é outro ponto que ganhou um destaque jamais visto, quebrando outro pré-conceito cultural.

Enfim, o ser humano tem uma capacidade tão grande de se transformar e se movimentar em busca de evolução, que é essencial usar esse período de desafios para se fortalecer e continuar crescendo. A adaptação já é uma das competências mais exigidas de agora em diante. Vale ressaltar que a mudança deve ser de dentro para fora. As empresas e pessoas que estão preparadas para essa realidade conseguem utilizar esse período para se desenvolver e avançar os negócios.

* Bárbara Nogueira é diretora, board advisor e headhunter da Prime Talent, empresa de busca e seleção de executivos, com escritórios em São Paulo e Belo Horizonte. Ao longo de sua carreira, já avaliou mais de cinco mil executivos de alta gestão, selecionando para clientes em toda a América Latina.
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels