Jane Austen: Livros e Filmes

Jane Austen, Thibaudet e um retrato da burguesia do séc. 18 Nascida em 16 de dezembro de 1775, a britânica Jane Austen foi uma das...

Mostrando postagens com marcador exposição. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador exposição. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 3 de novembro de 2020

Piraquê cede espaços de publicidade para exposição de obras de arte


Campanha ArtVertising será realizada ao longo de novembro em São Paulo, com 10 artistas de rua inspirados pela originalidade da marca

Uma das marcas mais icônicas do País, com receitas totalmente originais, Piraquê chega a São Paulo, promovendo a arte que embeleza e dá personalidade a cada canto da cidade: o grafite. Em uma campanha criada pela Lew Lara’ TBWA, a marca convida artistas a pintarem e exporem seus trabalhos em espaços publicitários de mobiliário urbano (OOH), conectados pela originalidade da marca e das obras. 

Ao passear pela cidade, em vez de ver uma propaganda no mobiliário urbano, queremos que as pessoas se deparem com obras de arte. As peças são pinturas e expressões de artistas, inspirados na leitura deles sobre a originalidade da marca”, explica Rodrigo Mainieri, gerente de marketing da M. Dias Branco. No ano em que completa 70 anos de história e anuncia sua expansão nacional, a marca quer reforçar seu posicionamento conectado com expressões populares ligadas à originalidade. Por isso, comprou espaços de mídia e publicidade para que artistas possam expor seus trabalhos. 

Os produtos ícones de Piraquê serão o ponto de partida para a inspiração dos artistas, que criarão suas obras com toda liberdade e respeitando cada interpretação. A iniciativa faz parte de uma plataforma de rejuvenescimento da marca que estará sempre conectada com diferentes dimensões de expressões originais, como é caso da arte de rua.”, detalha Rodrigo. Entre as receitas icônicas e originais de Piraquê, estão o recheado Goiabinha, o salgadinho Presuntinho, o biscoito de Leite Maltado e o cream cracker Gergelim.

A campanha foi iniciada em 27 de outubro e durará até 11 de novembro. Foram escolhidos 10 artistas, que encheram de cor a capital paulista por meios dos OOH da Ótima: Enivo, João Lelo, Karine Guerra, Rocha, Lanó, Kuêio, Leiga, Lídia Viber, SHN e Pomb. Além das artes digitais veiculadas, cinco deles produziram as obras ao vivo e o processo de criação pôde ser acompanhado em tempo real. 

As obras foram produzidas nesta terça-feira, dia 27 de outubro, nos seguintes locais:

  • SHN: AV. PAULISTA, 2026– Consolação
  • POMB: AV. REPÚBLICA DO LIBANO, 1696 - Moema
  • KUÊIO: AV. BRIG FARIA LIMA, 801 - Pinheiros
  • LEIGA: AV. NOVE DE JULHO, 4823 - Itaim
  • LÍDIA VIBER: RUA HEITOR PENTEADO, 1225 – Perdizes

A seleção conta com artistas dos mais variados traços, trabalhos diversificados e, claro, toque de originalidade. 

A comunicação da ação conta com cobertura intensa nas redes sociais, com vídeo teaser (confira aqui) conteúdo dos artistas contando suas inspirações e mais detalhes sobre o processo de criação das obras. Durante o mês de novembro, as pessoas poderão acompanhar a cobertura da ação nas ruas pelo Instagram/Facebook da marca. No YouTube estarão disponíveis os conteúdos, na íntegra, da iniciativa.

Para mais informações sobre a Piraquê, acesse o site www.piraque.com.br e siga a marca nas redes sociais:
Facebook:www.facebook.com/piraque
Instagram:www.instagram.com/piraque
Youtube:www.youtube.com/user/PiraqueOficial

Sobre a Piraquê

Fundada em 1950 e com 70 anos de história, a marca carioca de biscoitos, massas e torradas possui fábricas equipadas com alta tecnologia, que atuam para garantir que os produtos cheguem fresquinhos aos pontos de venda. Tem como missão produzir e disponibilizar, de forma responsável, produtos alimentícios de alta qualidade e com preço justo, proporcionando bem-estar a todas as pessoas. A marca, adquirida pela M. Dias Branco em maio de 2018, está ampliando sua atuação em todo o País.

Sobre M. Dias Branco S. A. Indústria e Comércio de Alimentos

Contando com mais de sessenta e cinco anos de existência, a M. Dias Branco S.A. Indústria e Comércio de Alimentos é uma empresa do setor de alimentos com ações negociadas no segmento do Novo Mercado na B3. A Companhia produz e comercializa biscoitos, massas, farinha e farelo de trigo, margarinas e gorduras vegetais, snacks, bolos, mistura para bolos, cobertos de chocolates e torradas. Sediada em Eusébio (CE), a empresa é líder de mercado em biscoitos e massas no Brasil, é a sexta maior empresa de massas e a sétima de biscoitos no ranking global por faturamento. Suas operações geram mais de 17 mil empregos diretos em diferentes regiões, refletindo o seu compromisso com fatores importantes para o desenvolvimento econômico e social do país.

Sua história começou ainda na década de 40 quando o comerciante e imigrante português, Manuel Dias Branco inaugurou a Padaria Imperial, em Fortaleza (CE). Atualmente, a M. Dias Branco possui um moderno parque industrial com equipamentos de última geração, seguindo os mais rigorosos padrões de qualidade, operando com um modelo de integração vertical que permite a produção de suas mais importantes matérias-primas, a farinha de trigo e a gordura vegetal, utilizadas no processo de produção. Suas marcas são sinônimo de tradição e qualidade, estabelecendo um vínculo de confiança e respeito com o consumidor. A estrutura operacional da M. Dias Branco S.A. Indústria e Comércio de Alimentos, com sede no Estado do Ceará, conta com 15 unidades industriais e mais de 35 filiais comerciais distribuídas em diferentes Estados do País, garantindo uma cobertura nacional que possibilita a presença de suas marcas em todo o território nacional, assim como em mais de 30 países em todos os continentes.

Compartilhe:

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Obras de Aldemir Martins ganham exposição na capital

 

Quadros aguardam o público no Shopping West Plaza até o dia 16/10

  Contribuindo cada vez mais para trazer arte e cultura para os clientes e moradores da capital, o Shopping West Plaza inaugura mais uma exposição de arte. Em parceria com a “Brazil Gallery”, o empreendimento recebe obras do artista plástico Aldemir Martins.

  Reunindo mais de 15 trabalhos do artista brasileiro mundialmente premiado por seu talento, a mostra traz quadros que marcaram gerações. Todos eles estão disponíveis para compras. Aos interessados, basta apontar a câmera do celular para o QR Code encontrado no final de cada obra, realizar a compra pela internet e agendar a retirada.

  A exposição pode ser visitada no Bloco A, 3º piso, até o dia 16 de outubro, das 12h às 22h. “Esta é mais uma opção que o shopping oferece para quem quer mergulhar neste mundo de cultura e grandes histórias. Tudo isso ressaltando a genialidade desse artista nacional que ganhou destaque em tantos países” comenta Marcos Maltez, gerente de marketing do Shopping West Plaza.

  Também é possível apreciar outra exposição “Flores de Goeldi”, do artista Oswaldo Goeldi, disponível ao público no Bloco B, 2º Piso do empreendimento, além de acompanhar pelas redes sociais do West Plaza a programação cultural do Memorial da América Latina e do Tendal da Lapa.

  Para a realização das exposições, todas as medidas de segurança e higienização continuam sendo rigorosamente seguidas pelo shopping, assim como o controle de fluxo de clientes.

Serviço

Exposição Aldemir Martins
Horário: Das 12h às 22h

Local: Bloco A, 3º piso
Endereço: Av. Francisco Matarazzo - Água Branca, São Paulo - SP
Mais informações Shopping West Plaza: pelo site www.westplaza.com.br/ ou pelo telefone (11) 3677 4236.

Exposição gratuita        

Sobre Shopping West Plaza
Inaugurado em 1991, o empreendimento da Zona Oeste de São Paulo é um dos principais centros comerciais da região. Administrado pela rede Aliansce Sonae, o shopping é referência pelas modernas lojas, um refinado polo gastronômico e serviços diferenciados.

Com um mix de 200 lojas, o centro de compras conta com 7 salas de cinema, 12 restaurantes e 25 operações na praça de alimentação. Um Boulevard Gastronômico soma quase 40 mil m² em área aberta e arborizada, interligando os três blocos do shopping, oferecendo ao cliente opções de gastronomia como Jeronimo Burger, Pecorino Bar e Trattoria, L’Entrecôte de Paris, Temakeria e Cia., Outback Steakhouse, Johnny Rockets.
O empreendimento conta ainda com a comodidade de mais de 1,9 mil vagas de estacionamento.
O Shopping West Plaza segue também o conceito de petfriendly, onde animais de estimação são sem bem-vindos.

Compartilhe:

terça-feira, 15 de setembro de 2020

Bairro da Penha ganha exposição pelos seus 353 anos

Realizada pelo Shopping Penha, a mostra retrata a história da região em imagens
  No mês de comemoração dos 353 anos do segundo bairro mais antigo de São Paulo, o Shopping Penha, em parceria com a ‘Página Venha que eu sou da Penha’, realiza a exposição “Retratos da Penha”. A mostra traz histórias de personagens inesquecíveis da região, sua arquitetura histórica e tombada, e claro, uma pluralidade de culturas e religiões características do bairro.
  A exposição que toma conta da praça central de eventos do empreendimento possui em sua curadoria dezenas de imagens históricas dos monumentos que hoje são referência quando falamos da Penha. A construção da Basílica, revolução Paulista, as casas de pau-a-pique e a imagem original do Santuário de Nossa Senhora da Penha são apenas algumas das imagens que enchem os olhos dos visitantes.
  “Nosso bairro é composto por diversas paisagens que fizeram parte da história dos moradores, dos paulistas e até mesmo dos brasileiros. Estamos presentes até em momentos como a longa viagem de D. Pedro I para declarar a Independência do Brasil. Por isso, a exposição chega para trazer um pouco dessa história para quem não conhece ou mesmo faz parte dela,” afirma Renata Barros, gerente de marketing do empreendimento.
  Com a curadoria de Felipe Rodrigo Leite, administrador da Página parceria, a mostra acontece de segunda a domingo, das 12h às 20h, e fica no empreendimento até o dia 30 de setembro. Para a realização, o Shopping Penha continua seguindo rigorosamente as medidas de segurança, higienização e controle de fluxo orientadas pelas autoridades. 
Serviço – Exposição Retratos da PenhaData: Até 30/09Horário: 12h às 20hLocal: Praça de EventosEndereço: Rua Dr. João Ribeiro, 304 – Penha – São Paulo - SPInformações: (11) 2095-8237 – www.shoppingpenha.com.br
Compartilhe:

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Ocupa Beauvoir seleciona ilustradoras para exposição multimídia

Ocupa Beauvoir - Foto: Luisa Ritter
Trabalhos podem ser enviados até 15 de fevereiro e irão compor a mostra Ocupa Minas

A Ocupa Beauvoir, coletivo criada para valorizar a presença das mulheres na literatura, lança, em 2020, uma ação especial: a exposição interativa e itinerante Ocupa Minas, com homenagem a 10 escritoras mineiras em uma exposição inédita. Para começar, está aberta uma convocatória para ilustradoras. As interessadas em participar da seleção podem enviar o portifólio até o dia 15 de fevereiro através do site do projeto www.ocupabeauvoir.com

As ilustradoras selecionadas deverão criar, a partir de elementos enviados pela produção do projeto, homenagens às autoras selecionadas. Depois de prontas, as homenagens em cartazes, estarão disponíveis na exposição multimídia, que ocorrerá na Biblioteca Municipal Centenário, em Poços de Caldas (MG), cidade escolhida como sede do projeto e depois passará pelas escolas estaduais David Campista e Padrão.

A seleção das autoras para a Ocupa Minas será feita a partir de curadoria entre a idealizadora do projeto, Leila Vilhena, e a jornalista especializada em literatura escrita por mulheres, Jéssica Balbino. Ao todo, 10 autoras nascidas no estado de Minas Gerais serão celebradas na instalação, que além de contar um pouco da história de vida de cada uma e da obra, trará entrevistas, leituras na voz das autoras e cartazes disponíveis para doação ao público.

"Estamos muito felizes de poder homenagear escritoras mineiras nessa nova série de cartazes, onde vamos dar destaque a escritoras contemporâneas. Queremos selecionar através da chamada uma pluralidade não só de traços, mas de mulheres de diversas regiões do Brasil, com suas diferentes linguagens e influências de um Brasil tão grande e criativo", diz Leila Vilhena

Sobre a Ocupa Beauvoir

A Ocupa Minas é um projeto que conta com apoio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e acontece durante o ano de 2020 em Poços de Caldas, com patrocínio do DME e apoio do Acervo Móvel. A Ocupa Beauvoir é um coletivo criada em 2018 como um movimento de apoio e fomento ao ativismo contra a desigualdade de gênero no mercado literário, dedicado a estimular o uso de arte urbana como manifesto e também como meio de acesso a leitura de escritoras mulheres.

Em 2019, a Ocupa Beauvoir realizou uma série com mulheres ativistas pelos direitos de outras mulheres assassinadas pelo Estado. Com o nome "de Rosa Luxemburgo à Marielle Franco: quem mandou matar?", o projeto foi exposto na Festa Literária de Paraty, a Flip e teve distribuição gratuita de cartazes, bem como leituras das cartas escritas a estas mulheres pelas autoras convidadas. As cartas e ilustrações podem ser vistas no link http://margens.com.br/ocupa-beauvoir

Além disso, no ano em que foi criado, foi selecionado pelo programa Laboratório de Inovação Cidadã, promovido pela Secretaria Íbero-americana, em Rosário, Argentina. Para 2019 o movimento feminista pretende ainda promover intervenções urbanas inspiradas em escritas mineiras e mulheres da ciência e da tecnologia.ção, corpo, política, velhice, ancestralidade, etc.

Serviço
O quê: seleção de ilustradoras para Ocupa Minas
Quando: até 15 de fevereiro
Inscrições:  https://www.ocupabeauvoir.com
Compartilhe:

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Livro compila ensaios e fotografias da exposição "Muirapiranga", de Elizabeth Titton


Publicação ilustra grandiosa criação da artista, que esteve em cartaz em São Paulo entre 2019 e 2020, e será lançada em 30/1 na Livraria Blooks, do Shopping Frei Caneca

Book_Cover_Mockup_titton 3.1_LRMuirapiranga é o nome de uma árvore amazônica de madeira vermelha, similar ao pau-brasil. Raramente vista por habitantes das grandes cidades, em contraste às suas grandes dimensões, pode ser considerada uma espécie exótica. A percepção sobre este tipo de ‘cegueira’ que assola as sociedades modernas é o combustível para o trabalho de Elizabeth Titton, que levou exposição de mesmo nome à Funarte entre 2019 e 2020, quando suas esculturas de grandes dimensões feitas em aço corten foram reveladas ao público paulistano. Agora, como nova etapa do projeto liderado pela artista, será lançada, no próximo dia 30, às 19h, na Livraria Blooks do Shopping Frei Caneca, publicação com fotos e ensaios sobre o trabalho, com textos da artista e pesquisadora Bernadette Panek  e imagens de Celso A. Oliveira, Diego Souza, Geraldo Hoffmann Jr., José Ernesto Passos, Leo Eloy, Marcos Böhler e Padu Palmerio.

Com primoroso trabalho de diagramação e finalização, a obra, de 108 páginas, alterna ilustrações das 21 obras criadas para a exposição e 35 páginas de textos críticos que filosofam sobre o trabalho, desde a sua concepção – sob influência de Merleau-Ponty em seus estudos sobre percepção –, até o impacto causado pela apreciação do material, que mescla a eternidade do metal presente em suas estruturas cor de ferrugem e a efemeridade das formas.

O registro em forma de livro destaca a experiência sensorial oferecida por Muirapiranga, à medida que sua originalidade, beleza, significado e dimensões substituem, nesse ambiente, o discurso técnico e distante sobre a natureza ignorada no dia a dia. Tal capacidade, entretanto, diz respeito ao resultado de uma experiência de 40 anos no trato com a arte da escultura, além da experiência de Elizabeth como diretora do Museu de Arte Contemporânea do Paraná, nos anos 80, e também como professora do curso superior de Escultura da Escola de Música e Belas Artes do Paraná por 16 anos. Além disso, a temática tem sido recorrente nos estudos da artista sobre mitologia das comunidades indígenas do Xingu.

Todas as ilustrações contidas na publicação possuem QR codes para acesso à audiodescrição, o que traz à tona a preocupação da artista com a apreciação de suas obras por pessoas portadoras de deficiências visuais.



Livro ‘Muirapiranga’
ISBN: 978-65-902180-0-1
Preço: R$ 100
Número de páginas: 108

SERVIÇO
Lançamento do livro ‘Muirapiranga’
Local: Livraria Blooks / Shopping Frei Caneca (3º andar)
Horário: 19h
Compartilhe:

sábado, 3 de agosto de 2019

Expoente do surrealismo, Man Ray ganha exposição inédita no Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo

Retrato de Man Ray em Paris, 1934 - Impressão em gelatina e prata - Library of Congress, Prints & Photographs Division, Carl Van Vechten Collection
PELA PRIMEIRA VEZ NO BRASIL, 255 OBRAS DO ARTISTA SERÃO APRESENTADAS AO PÚBLICO A PARTIR DE AGOSTO

Fotógrafo, pintor, escultor, cineasta... são vários os atributos de Man Ray, um dos maiores artistas visuais do início do século XX e expoente do movimento surrealista. E é parte de sua história criativa - um recorte significativo de seu trabalho - que o público vai poder conhecer de 21 de agosto a 28 de outubro na exposição “Man Ray em Paris” apresentada pelo Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo. Quase 130 anos após seu nascimento, o país recebe 255 obras do artista nunca antes vistas pelo público brasileiro, entre objetos, vídeos, fotografias e serigrafias de tamanhos variados – de 40x30 a 130x90 cm - desenvolvidas durante os anos que viveu em Paris, entre 1921 e 1940, seu período de maior efervescência criativa. Depois do CCBB SP, a mostra segue para a unidade de Belo Horizonte, entre 11 de dezembro e 17 de fevereiro de 2020. A realização é do Centro Cultural Banco do Brasil, com patrocínio do Banco do Brasil e do Ministério da Cidadania.

Com curadoria de Emmanuelle de l’Ecotais, especialista no trabalho do artista e responsável por seu Catálogo Raisonée, a mostra irá ocupar o CCBB SP e será dividida em duas categorias. A primeira trata da fotografia como um instrumento de reprodução da realidade, focando-se em seus famosos retratos - seu ateliê era uma referência entre a vanguarda intelectual que circulava pela Paris da década de 1920 -, nos ensaios para a grife de Paul Poiret e em fotos para reportagens. Já na segunda, outro lado se revela: o da manipulação da fotografia em laboratório com o intuito de criar superposições, solarizações e “rayografias”, um termo criado por Man Ray (do inglês “rayographs”), em alusão a si mesmo. Assim, portanto, ele inventa a fotografia surrealista.

O projeto da exposição prevê, ainda, reproduzir imagens da vida parisiense de Man Ray acompanhado pelos artistas que lhe foram contemporâneos e por sua musa, Kiki de Montparnasse. Além de uma programação de filmes assinados por ele, intervenções como um laboratório fotográfico, com elucidações sobre as técnicas utilizadas em sua obra, marcam a interatividade com o visitante. Ainda fazem parte do evento uma palestra com a curadora Emmanuelle de l’Ecotais no dia 21 de agosto e outra com o fotógrafo Pedro Vasquez sobre as técnicas de fotografia do Man Ray, em data a ser confirmada. A produção executiva é da Artepadilla.

Para a curadora, esta retrospectiva, pela primeira vez no Brasil, procura abranger a imensa e multiforme obra de Man Ray e apresenta a lenta maturação de sua obra e um panorama completo de sua criatividade. Emmanuelle de l’Ecotais ressalta que apesar de ser conhecido principalmente por sua fotografia, é também criador de objetos, realizador de filmes e faz-tudo genial. “Após tornar-se rapidamente fotógrafo profissional, sua obra oscila, de maneira contínua, entre o trabalho de encomenda - o retrato, a moda -, de um lado, e o desejo de realizar uma ‘obra artística’, do outro. Em suas palavras, ‘o artista é um ser privilegiado capaz de livrar-se de todas as restrições sociais, cujo objetivo deveria ser alcançar a liberdade e o prazer’”.

O ARTISTA
Emmanuel Radnitsky, mais conhecido pelo pseudônimo Man Ray, foi pintor, fotógrafo, object-maker, escultor e cineasta, tornando-se um dos mais destacados artistas vanguardistas do século XX. Nasceu na Filadélfia, Estados Unidos, em 1890, e na juventude, mudou-se para Nova York. Lá inicia seus estudos no The Social Center Academy of Art. Ainda na década de 1910, conhece Marcel Duchamp e outros artistas que compunham o movimento dadaísta nova-iorquino. Em 1921, parte para Paris, cidade que o acolhe por quase 20 anos, até o cerco nazista em 1940. O período em que viveu na capital francesa foi de imensa ebulição cultural, não só para ele, mas para diversos outros artistas que consolidaram o local como um dos maiores centros culturais do mundo, num contexto em que diversas formas de arte floresciam, sobretudo nos anos de 1920. Por lá, Man Ray se insere no movimento surrealista e concilia seu trabalho como fotógrafo de renome entre a intelectualidade francesa com seu lado artístico, que manipulava fotos em laboratório para a produção de obras de arte. Durante a Segunda Guerra Mundial, voltou para os Estados Unidos, onde fotografou celebridades de Hollywood e da moda. Regressa à Europa com o fim da guerra e, nos anos seguintes, obteve reconhecimento pela excelência de seu trabalho, conquistando prêmios como a Medalha de Ouro da Bienal de Fotografia de Veneza, em 1961, publicando suas fotos e exibindo sua obra ao grande público. May Ray faleceu em Paris, em novembro de 1976.

A CURADORA
Emmanuelle de l´Ecotais foi por 17 anos curadora de fotografia no Musée d´Art Moderne de la Ville de Paris desde 2001. Com PhD em História da Arte, é especialista na obra de Man Ray tendo organizado diversas exposições sobre o artista entre elas, “Man Ray, la photographie à Lenvers”, no Centre Pompidou/Grand Palais, em 1999. Outras mostras com sua curadoria foram “Alexandre Rodtchenko, la photographie dans lil”(2007), “Bernhard et Anna Blume”, “Polaroïd”, na Maison Européenne de la Photographie (2010), “Linder, Femme-Objet”, no Musée dArt moderne/ARC (2013), “Jean-Philippe Charbonnier, lil de Paris”, no CMP, Paris (2014), “Objectivités, la photographie à Düsseldorf”(2008), “Henri Cartier-Bresson e limaginaire daprès nature”(2009). É autora de diversos ensaios e livros, entre estes “L´esprit Dada” (Editions Assouline,1999), “Man Ray” (Taschen, 2000), “Man Ray Rayographies” (Editions Léo Scheer, 2002) e é membro permanente de comitês de aquisição do Fonds National d´Art Contemporain (2004-2007) e da Maison Européenne de la Photographie (2007-2010). É também parte do júri em artes visuais para jovens talentos de Paris, Prêmios de Fotografia do Royal Monceau Hotel.

A PRODUTORA
A Artepadilla é empresa cultural atuante há 30 anos na área de elaboração, organização, produção, coordenação e administração de projetos culturais. Realizou ciclos de exposições no Centro Cultural Light, nas unidades Brasília, Recife e Rio de Janeiro do Centro Cultural Correios, nas unidades Brasília, Curitiba, Fortaleza, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo da CAIXA Cultural, entre outros. Tem grande experiência na área de eventos internacionais, tendo realizado as exposições: Roy Lichtenstein Vida Animada (em parceria com a Roy Lichtenstein Foundation/ New York City) no Instituto Tomie Ohtake/SP, entre outros. Na área de edição de livros de Arte, realizou Manfredo de Souzanetto Paisagem da Obra, Margaret Mee, Jardim Botânico do Rio de Janeiro 1808/2008, Jorge Hue, entre outros, alguns dos projetos através da Lei de Incentivo à Cultura/Lei Rouanet e da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Serviço:
Exposição Man Ray em Paris
21 de agosto a 28 de outubro
Entrada Gratuita
Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo - CCBB SP
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo -SP
(Acesso ao calçadão pela estação São Bento do Metrô)
(11) 3113-3651/3652 | Todos os dias, das 9h às 21h, exceto às terças.
ccbbsp@bb.com.br  |  bb.com.br/cultura  |  twitter.com/ccbb_sp  |
facebook.com/ccbbsp | instagram.com/ccbbsp
Acesso e facilidades para pessoas com deficiência | Ar-condicionado | Cafeteria e Restaurante | Loja
Estacionamento conveniado: Edifício Zarvos - Rua da Consolação, 228.
Traslado gratuito até o CCBB. No trajeto de volta, a van tem parada na estação República do Metrô.
Valor: R$ 14 pelo período de 6 horas.
É necessário carimbar o ticket na bilheteria do CCBB.
Compartilhe:

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Exposição “Salvem a água potável no mundo” tem início no Metrô Ipiranga


Cartum Expo Água
Cartunistas de todo o mundo se uniram para esse grito de alerta!

A partir do dia 5 de junho, quem passar pela estação do Metrô Alto do Ipiranga verá a exposição do Salão Internacional de Humor Ecológico "Salvem a água potável no mundo", com 34 cartuns de desenhistas de vários países sobre a água potável no mundo, como Argentina, Chipre, Ucrânia, Cuba, Indonésia, Israel, Turquia, Irã, China, Espanha, Luxemburgo, Coréia do Sul, além do Brasil em diversos estilos e, em sua maioria, sem diálogos ou textos que têm o intuito de impactar os milhares de usuários do metrô.

A exposição fica no local até o fim do mês de junho e depois vai para outras estações do Metrô, podendo atingir a um público de quase um milhão de pessoas que passam nas estações diariamente.

A mostra conta com a curadoria dos cartunistas Gualberto Costa e José Alberto Lovetro (JAL), realização da Associação dos Cartunistas do Brasil e apoio do Trata Brasil - ligada à defesa do saneamento básico e recursos hídricos no Brasil -,  e do Metrô de São Paulo, que se juntaram nessa corrente de alerta porque ainda tem tempo de reverter um futuro difícil para a humanidade.

Para o presidente da Associação dos Cartunistas do Brasil, cartunista JAL, essa exposição mostra a grande importância do humor gráfico e seus artistas pelo mundo que, além de seu valor artístico, é a melhor forma de passar informações essenciais para a população sobre problemas como a futura escassez de água no planeta. "O humor gráfico é uma espécie de beliscão no cérebro das pessoas para pensarem de forma leve e inteligente sobre a vida", comenta.

A Associação dos Cartunistas do Brasil se uniu ao Instituto Trata Brasil que é uma Oscip – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, formado por empresas com interesse nos avanços do saneamento básico e na proteção dos recursos hídricos do país e o Metrô de São Paulo, para que, por meio dos cartuns, todos os cidadãos do planeta recebam esse recado.

No Brasil tem 35 milhões de pessoas sem acesso ao abastecimento de água e 100 milhões de brasileiros sem acesso à coleta dos esgotos.

Serviço: 

Data: de 5 a 30 de junho
Horário: de funcionamento do Metrô de São Paulo: 4h40 às 24h00
Local: Estação do Metrô Alto do Ipiranga
Tel.: 0800 770 7722
Site: http://www.metro.sp.gov.br/

Entrada: Para usuários do Metrô
Curadoria: Gualberto Costa e José Alberto Lovetro (JAL)
Realização: Associação dos Cartunistas do Brasil
Apoio: Metrô de São Paulo, Trata Brasil e Salão de Humor Ecológico
Ar condicionado: sim
Acesso para deficientes: sim
Área para fumantes: não
Wifi: não
Local para alimentação: não
Visita monitorada: não
Estacionamento: não
Compartilhe:

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Turma da Mônica participa de exposição em Cabo Verde

Exposição Turma da Mônica - Cabo Verde
A exposição "Turma da Mônica: Viagem aos países da língua portuguesa” tem o objetivo de mostrar ao público infantojuvenil, de maneira lúdica, as diferentes formas de falar o português

Teve início, em 27 de maio, no Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), na Casa Rosa, na Cidade de Praia, em Cabo Verde, a exposição “Turma da Mônica: Viagem aos países de língua portuguesa”.  O objetivo é mostrar ao público infantojuvenil, de maneira lúdica, as diferentes formas de falar o português na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e também divulgar o Vocabulário Ortográfico Comum (VOC).

Com iniciativa da Embaixada do Brasil em Cabo Verde, a mostra é uma obra homônima da adaptação do escritor José Santos e dos estúdios Mauricio de Sousa. É composta por 35 painéis com textos e ilustrações com a Turma da Mônica e permanecerá em cartaz durante os meses de junho e julho com visitas agendadas.
Na exposição, em cartaz no IILP, o público poderá acompanhar as descobertas da Mônica, do Cebolinha, da Magali e demais integrantes da turminha em suas viagens pelos nove países de língua portuguesa.

Os personagens da Turma da Mônica foram criados nos anos 60, pelo desenhista brasileiro Mauricio de Sousa, e suas criações chegam a cerca de 30 países.
Exposição Turma da Mônica - Cabo Verde
Sobre os autores: 
Mauricio de Sousa iniciou sua carreira como ilustrador na região de Mogi das Cruzes, próximo de Santa Isabel, onde nasceu. Aos 19 anos, mudou-se para São Paulo e, durante cinco anos, trabalhou no Jornal Folha da Manhã (atual Folha de São Paulo), escrevendo reportagens policiais. Em 1959 criou seu primeiro personagem, o cãozinho Bidu. A partir daí vieram, Cebolinha, Cascão, Mônica, e tantos outros. Em 1970, lançou a revista Mônica. Depois de passar pela Editora Abril e Editora Globo, assinou contrato com a multinacional italiana Panini. Cerca de 150 empresas nacionais e internacionais são licenciadas para produzir mais de três mil itens, com os personagens de Mauricio de Sousa.

José Santos nasceu em 30 de outubro de 1959, numa família de origem portuguesa, em Santana do Deserto, interior de Minas Gerais. Mesmo antes de aprender a ler, já acompanhava nos suplementos dos jornais, as histórias do Horácio, Astronauta e Piteco. E sua alfabetização teve a ajuda desses simpáticos personagens.

Sempre foi fascinado pelo mundo da literatura, mas só começou a escrever para crianças depois do nascimento de seu primeiro filho, em 1995. De lá para cá, publicou várias obras de poesia e de prosa, com temas bem variados como folclore, terror, moda, astronomia, futebol, fábulas, música e língua portuguesa. Com o livro A Divina Jogada, foi premiado com o Jabuti. E com Infâncias, daqui e de além-mar, em parceria com o poeta José Jorge Letria, recebeu o prêmio de melhor livro na categoria Língua Portuguesa, da Fundação Nacional do Livro Infantojuvenil, FNLIJ.

Falando em língua portuguesa, o primeiro projeto que José e Maurício fizeram em parceria, foi uma publicação mostrando as diferenças do português falado no Brasil e na Europa, chamado Turma da Mônica: uma viagem a Portugal.

E agora, a viagem se amplia à América Latina, onde a turma do bairro do Limoeiro visita 11 países, da Argentina ao México, para aprender sobre seus costumes, geografia e língua.   
Compartilhe:

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Marcelo D2, BNegão, Karol Conka e ícones do rap viram super-heróis em quadrinhos em exposição paulista

PATROCINADO PELA DARKSIDE, A MOSTRA ‘RAP EM QUADRINHOS’ É ASSINADA PELO ILUSTRADOR WAGNER LOUD E PELO YOUTUBER LOAD COMICS

A editora DarkSide Books e a Central Panelaço, espaço vegano do cantor João Gordo, se uniram para apresentar a exposição “Rap Em Quadrinhos”, do ilustrador e designer Wagner Loud e do youtuber Gil Santos – mais conhecido como Løad Comics. O projeto homenageia grandes rappers nacionais que ganham ilustrações no papel de super-heróis do universo das HQs. A abertura do evento será no sábado, 20, e conta com a presença dos idealizadores e com um bate-papo sobre a representatividade na cultura pop, a partir das 17h, na Central Panelaço.

A ideia em unir o rap e os quadrinhos surgiu depois que Løad entrevistou Wagner Loud para o seu canal homônimo, que discute o universo das HQs e sua ligação com o gênero musical. Na época, Wagner Loud estava à frente do projeto “Punk em Quadrinhos” e ambos logo imaginaram fazer uma versão para os rappers nacionais. Por compreenderem que existem vários pontos de conexão entre o que é apresentado por um MC em suas músicas e as discussões que são propostas nas HQs, eles resolveram selecionar, inicialmente, vinte artistas para ilustrarem capas dos quadrinhos.

Depois de divulgarem 19 artes do projeto em suas redes sociais, a dupla os apresenta em exposição física, onde o público poderá conferir as artes impressas. A renda do evento será revertida para o coletivo Imargem, uma iniciativa que promove arte acessível e politizada ressignificando lixo, espaço e fronteiras.

Sobre a editora DarkSide® Books:
Primeira editora brasileira especializada no universo do terror e da fantasia, a DarkSide® Books nasceu em um 31 de outubro, Dia das Bruxas, em 2012. Hoje, com cinco anos de vida, já mobiliza mais de 1 milhão de fãs nas redes sociais, a maioria deles leitores que colecionam seus títulos – edições sempre caprichadas e em capa dura. A DarkSide® – apadrinhada pelo mestre Zé do Caixão, de quem reeditou a biografia – se tornou uma referência entre as novas editoras do mercado e mantém uma relação intensa, de admiração e troca, com seus fãs e seguidores, que não deixam de acompanhar, curtir, sugerir títulos e cobrar lançamentos com a "Caveira" (o símbolo que se tornou apelido da editora nas redes sociais). Além da qualidade quase psicopata do design e acabamento gráfico das edições, esta legião de fãs busca, na DarkSide®, as preciosidades de um catálogo diversificado, que aposta em revelações da literatura mundial, premiadas no exterior (como Andrew Pyper, Caitlín R. Kiernan e Keith Donohue), em ícones do universo do terror e da fantasia (como Robert Bloch, Stephen King e Jim Henson) e em obras-primas que continuavam inéditas no país como Fábrica de Vespas, o premiado livro do autor Iain Banks.

SERVIÇO:
Abertura da exposição “Rap Em Quadrinhos”
Endereço: Central Panelaço (Rua Conselheiro Carrão, 451 – Bela Vista)
Data: 20/10
Horário: 17h
Compartilhe:

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Sesc Santo André recebe encontro com ilustradores e curadores da exposição "Linhas de Histórias - O livro ilustrado em sete autores"

Ilustradores e curadores da exposição “Linhas de Histórias – O Livro Ilustrado em Sete Autores” (crédito: Amanda Costa)
Atividades que acontecem nos dias 28 e 29 de outubro contam com palestras e oficinas

Nos dias 28 e 29 de outubro (sábado e domingo), o Sesc Santo André realiza o Encontro Linhas de Histórias – O Livro Ilustrado Em Sete Autores. As atividades integram o universo da exposição e conta com a presença de cinco dos sete ilustradores, além dos curadores e convidados.

Para abrir as atividades no dia 28/10, acontece o bate-papo “O livro ilustrado é literatura”, com o poeta, professor, crítico e editor, Augusto Massi, que abordará sobre a palavra e a escrita dentro do livro ilustrado. No mesmo dia é possível assistir a palestra “Caminhos da construção do livro ilustrado”, com os ilustradores Nelson Cruz, Roger Mello e Andrés Sandoval. A conversa será sobre os caminhos singulares de construção do objeto gráfico e narrativo, em que cada autor irá compartilhar pensamentos, processos de pesquisa e escolhas em algumas de suas obras.

No dia seguinte, os curadores Stela Barbieri, Fernando Vilela e Odilon Moraes, estarão juntos no debate sobre “A exposição Linhas de História e o livro ilustrado na contemporaneidade”. Neste encontro, eles irão contar como nasceu o projeto da exposição, além de dialogar sobre suas motivações, reflexões, linhas de pesquisa e abordagens. E para encerrar, Eva Furnari e Renato Moriconi estarão juntos na roda de conversa sobre “O humor no livro ilustrado: narrativas inusitadas”. Essa mesa tratará da estrutura da narrativa, dos atributos dos personagens e das cenas inusitadas que capturam nossa atenção ao nos apresentar situações engraçadas.

Além das palestras, o público também é convidado a participar de oficinas, com o intuito de vivenciar o universo do livro ilustrado. No dia 28/10, acontece a “Dramaturgia Visual”, com Roger Melo. A ideia é “compor” um personagem através dos vazios e dos objetos que o cercam e desenvolver peças gráficas que criem narrativas inaugurais. Ainda no dia 28/10, Andrés Sandoval dará a oficina “Desenho Livre”, em que a proposta é trabalhar silhuetas com estêncil e rolinhos de pintura, pintar e desenhar em longas faixas de papel que ao final do encontro serão transformadas em um livro sanfonado.
Já no dia 29/10, Renato Moriconi trabalhará as possibilidades narrativas contidas no uso de colagens na criação de imagens a partir de exemplos de filmes, pinturas, cartazes e de suas experiências, na oficina “A Colagem Como Recurso Narrativo”. Também no dia 29/10, Nelson Cruz irá ministrar “Ilustração: Da criação a Propriedade Intelectual”. Essa oficina será um espaço para deflagrar em cada participante o reconhecimento de um projeto autoral e individual a partir da leitura de fragmentos de textos, pesquisa, criação dos primeiros esboços, layout e pintura.

Cada participante poderá se inscrever em uma oficina por dia, porém é possível se inscrever em todas as mesas, que irão contar com interpretação de Língua de Sinais Brasileira (Libras). As inscrições podem ser feitas a partir do dia 17/10, às 14h, pelo Portal Sesc SP sescsp.org.br ou nas Centrais de Atendimento das unidades do Sesc.

SOBRE A EXPOSIÇÃO “LINHAS DE HISTÓRIAS – O LIVRO ILUSTRADO EM SETE AUTORES”
Em cartaz até o dia 26/11 no Sesc Santo André, a exposição, com curadoria de Fernando Vilela, Odilon Moraes e Stela Barbieri, investiga o processo criativo dos ilustradores Andrés Sandoval, Angela Lago, Eva Furnari, Roger Mello, Renato Moriconi, Nelson Cruz e Javier Zabala, mostrando inspirações e formas de criação singulares de cada um dos artistas. Cada ilustrador é disposto como um planeta no espaço expositivo. Interligados por referências em comum, além de particularidades, eles transformam o local numa espécie de sistema planetário interconectado.
Para quem desejar continuar a visita pela exposição, pode baixar gratuitamente o aplicativo do Sesc São Paulo, disponível nas lojas App Store e Google Play. Nele é possível ter acesso ao conteúdo exclusivo como o vídeo do processo de montagem, galeria de fotos, além do encontro e entrevistas com os artistas e curadores.

PROGRAMAÇÃO DO ENCONTRO:
Abertura: “O livro ilustrado é literatura” - Com Augusto Massi, mediação de Odilon Moraes
Quando: 28/10, sábado, das 15h30 às 17h
Onde: Teatro
Ingresso: Grátis
Com interpretação em Libras.

"Caminhos da construção do livro ilustrado" - Com Nelson Cruz, Roger Mello e Andrés Sandoval. Mediação: Fernando Vilela
Quando: 28/10, sábado, das 17h30 às 19h
Onde: Teatro
Ingresso: Grátis
Com interpretação em Libras.

“A exposição Linhas de História e o livro ilustrado na contemporaneidade” - Com Stela Barbieri, Fernando Vilela e Odilon Moraes. Mediação: Ana Luísa Sirota
Quando: 29/10, domingo, das 15h30 às 17h
Onde: Teatro
Ingresso: Grátis
Com interpretação em Libras.

“O humor no livro ilustrado: narrativas inusitadas” - Com Eva Furnari e Renato Moriconi. Mediação: Stela Barbieri
Quando: 29/10, domingo, das 17h30 às 19h
Onde: Teatro
Ingresso: Grátis
Com interpretação em Libras.

OFICINAS:
“Dramaturgia Visual” - Com Roger Melo
Quando: 28/10, sábado, das 10h30 às 13h
Onde: Espaço de Tecnologias e Artes
Ingresso: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (aposentado, pessoa com 60 anos ou mais, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante), R$ 6,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc  e dependentes). Não recomendado para menores de 16 anos. Vagas Limitadas.

“Desenho Livre” - Com Andrés Sandoval
Quando: 28/10, sábado, das 10h30 às 13h
Onde: Espaço de Eventos
Ingresso: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (aposentado, pessoa com 60 anos ou mais, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante), R$ 6,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc  e dependentes). Não recomendado para menores de 16 anos. Vagas Limitadas.

“A colagem como recurso narrativo” - Com Renato Moriconi
Quando: 29/10, domingo, das 10h30 às 13h
Onde: Espaço de Tecnologias e Artes
Ingresso: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (aposentado, pessoa com 60 anos ou mais, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante), R$ 6,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc  e dependentes). Não recomendado para menores de 16 anos. Vagas Limitadas.

“Ilustração: Da criação a propriedade intelectual” - Com Nelson Cruz
Quando: 29/10, domingo, das 10h30 às 13h
Onde: Espaço de Eventos
Ingresso: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (aposentado, pessoa com 60 anos ou mais, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante), R$ 6,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc  e dependentes). Não recomendado para menores de 16 anos. Vagas Limitadas.

SERVIÇO:
SESC SANTO ANDRÉ
Rua Tamarutaca, 302 – Vila Guiomar – Santo André
Telefone – (11) 4469-1311
Estacionamento (vagas limitadas): Credencial Plena – R$ 5 (R$ 1,50 por hora adicional) |
Outros – R$ 10 (R$ 2,50 por hora adicional).
Informações sobre outras programações:
sescsp.org.br/santoandre | facebook.com/SESCSantoAndre
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels