Jane Austen: Livros e Filmes

Jane Austen, Thibaudet e um retrato da burguesia do séc. 18 Nascida em 16 de dezembro de 1775, a britânica Jane Austen foi uma das...

Mostrando postagens com marcador netflix. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador netflix. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 27 de agosto de 2021

10 superséries baseadas em livros, por Ademir Pascale

Como bom leitor, adoro assistir séries baseadas em livros (também sou cinéfilo) e nesses tempos conturbados de pandemia, passei a assistir ainda mais longas e séries e foi nos últimos meses que descobri que existem ótimas adaptações que saíram das páginas de vários livros. A série mais recente que assisti (assisti ontem o último capítulo da primeira temporada de Amigas Para Sempre), deixou-me ansioso pela segunda temporada. E a série mais top das 10 que selecionei, pelo menos no meu ponto de vista e que indico fortemente para os apaixonados por livros, pois o leitor/cinéfilo encontrará várias referências de outras obras nos episódios (o protagonista trabalha numa livraria), o título é You (Você), tanto que deixo o trailer dessa série no final da página. 

E você, tem outras séries baseadas em livros para indicar? Deixe nos comentários ;)


Lupin

Inspirado pelas aventuras de Arsène Lupin, o ladrão gentil Assane Diop quer se vingar de uma família rica por uma injustiça cometida contra o pai dele.

Estrelando: Omar Sy,Ludivine Sagnier,Clotilde Hesme

Criação: George Kay

Amigas para Sempre

Amigas inseparáveis desde a adolescência, Tully e Kate sempre apoiaram uma à outra, nos bons e nos maus momentos.

Estrelando: Katherine Heigl,Sarah Chalke,Ben Lawson

Criação: Maggie Friedman

Você (You)

Obsessivo e perigosamente charmoso, ele vai ao extremo para entrar na vida de quem o fascina. Você pode acabar fisgada sem nem perceber. Aí, pode ser tarde demais.

Estrelando: Penn Badgley,Elizabeth Lail,Victoria Pedretti

Criação: Greg Berlanti,Sera Gamble

Anne with an E

Neste filme baseado no livro "Anne de Green Gables", uma impetuosa órfã é adotada por engano por um casal de irmãos solteirões do interior.

Estrelando: Amybeth McNulty,Geraldine James,R.H. Thomson

Criação: Moira Walley-Beckett

O Gambito da Rainha

Em um orfanato nos anos 1950, uma garota-prodígio do xadrez luta contra o vício em uma jornada improvável para se tornar a número 1 do mundo.

Estrelando: Anya Taylor-Joy,Bill Camp,Marielle Heller

Criação: Scott Frank,Allan Scott

Bom Dia, Verônica

Uma policial investiga um predador sexual e acaba descobrindo um casal com um segredo horrível e um esquema de corrupção sinistro.

Estrelando: Tainá Müller,Eduardo Moscovis,Camila Morgado

Criação: Raphael Montes

Altered Carbon

Após 250 anos no gelo, ele retorna em um novo corpo com uma missão: solucionar um complexo mistério e conquistar sua liberdade.

Estrelando: Anthony Mackie,Lela Loren,Simone Missick

Criação: Laeta Kalogridis

Por Trás de Seus Olhos

Uma mãe solo se envolve em um jogo perigoso ao ter um caso com o chefe e fazer amizade com a enigmática esposa dele.

Estrelando: Simona Brown,Eve Hewson,Tom Bateman

The 100

Quase 100 anos após um apocalipse nuclear devastar a Terra, 100 sobreviventes de uma estação espacial voltam para avaliar as condições do planeta.

Estrelando: Eliza Taylor,Paige Turco,Bob Morley

Criação: Jason Rothenberg

The Sinner

Em uma pequena cidade de Nova York, um detetive busca respostas para crimes perturbadores enquanto luta contra os próprios demônios.

Estrelando: Jessica Biel,Bill Pullman,Carrie Coon

Criação: Derek Simonds

TRAILER DA SÉRIE YOU

OBS.: verifique a classificação indicativa de cada série, pois algumas são para maiores de 18 anos.

Compartilhe:

quarta-feira, 7 de julho de 2021

Vikings – a série

 


Durante a maior parte da baixa Idade Média, os nórdicos invadiram e aterrorizaram grande parte da Europa. Em suas viagens chegaram até mesmo à América. É a história desse povo que é contada na série Vikings, criada pelo produtor e roteirista Michael Hirst para o canal History.

A trama é centrada em Ragnar Lothbrok, um agricultor que sonha encontrar novas terras e, com a ajuda de seu amigo Floki, o construtor de barcos, chega à Inglaterra, onde saqueiam um mosteiro e aprisionam um monge.

Esse fato pequeno irá mudar toda a história do povo nórdico e do próprio Ragnar, que, em decorrência disso acabará se tornando lorde e até mesmo rei. Em geral com a ajuda de sua esposa Lagertha, a escudeira, irá ter tantas conquistas que se tornará um herói mítico. Posteriormente a trama se foca nos filhos de Ragnar.

Ragnar de fato existiu, ou pelo menos assim contam as lendas, assim como sua esposa escudeira Lagertha, Bjorn e a maior parte dos personagens da série. Michael Hirst consegue unir com perfeição realidade e ficção, modificando fatos quando necessário ou completando quando as crônicas não são claras o bastante. Essas mudanças são necessárias para o andamento da trama e o desenvolvimento do roteiro e dos personagens.

Há pequenos erros históricos e muita liberdade poética (em especialmente a partir da quinta temporada), como uma igreja com características góticas em plena baixa idade média. Mas no geral, Vikings é uma aula de história. Uma aula sobre os vikings, sua cultura, modos e costumes, sua religião – nesse sentido é interessante como Hirst sempre introduz algo da mitologia nórdica nas tramas. É alguém que conta alguma lenda, é alguém que faz uma alusão aos deuses, é alguém que faz uma comparação entre o que está acontecendo com o que já aconteceu com um deus.  

Mas é também uma história do mundo na época, com uma trama que percorre locais tão diferentes quanto a França, a Inglaterra e a Rússia e até mesmo a Sicília. E o roteirista  Michael Hirst é extremamente hábil ao trabalhar com intrigas palacianas. De fato na Idade Média, os palácios eram um local em que não se podia confiar em ninguém e quanto mais poder, maior a chance de alguém ser morto ou matar para se manter no cargo.

Traições, envenenamentos, emboscadas, tudo isso é muito bem explorado na série.

As cenas de guerra também impressionam tanto pelo realismo visual quanto pelas estratégias adotadas. O cerco de Paris, por exemplo, é um ótimo exemplo de como defender uma cidade fortificada (e não aquela palhaçada de GOT).

O elenco é igualmente brilhante, encabeçado por Travis Fimmel no papel de Ragnar. Pequenos trejeitos, olhares, um jeito de piscar, tudo contribuiu para construir o personagem com perfeição. Outro grande destaque é Gustaf Skarsgård no papel de Floki. Sua atuação remete diretamente ao deus Loki – e fico imaginando como ele poderia dado um outro ar, mais matreiro e risonho para o personagem da Marvel. Esses são apenas dois de um elenco que merece elogios por completo.

Unida a essas ótimas atuações, um roteiro que caracteriza muito bem cada um dos personagens, em especial Ragnar, visto aqui como uma mistura de aventureiro, estrategista e filósofo – características que serão herdadas individualmente pelos filhos. 

A série tem seis temporadas e, claro, tem altos e baixos, mas no geral os altos são muito mais frequentes e a última temporada está indo num crescendo em termos dramáticos.

Vikings é tudo aquilo que GOT prometia ser.

Compartilhe:

domingo, 13 de junho de 2021

Lupin, série da Netflix, é renovada para a 3ª temporada

Cena da 2ª temporada de Lupin (NetFlix)

Foi disponibilizada no último dia 11 a 2ª temporada da série Lupin, inspirada no personagem Arsène Lupin, coletânea de nove histórias do escritor francês Maurice Leblanc, que constituem as primeiras aventuras de Arsène Lupin.

A 2ª temporada, assim como a primeira, é curta, com apenas 5 episódios, dirigidos por Ludovic Bernard e Hugo Gélin. A série é uma das mais assistidas da Netflix, e muitos fãs (assim como nós) aguardávamos pela continuação. Agora a Netflix anunciou a 3ª temporada e acreditamos que será disponibilizada ainda em dezembro/2021.  

SOBRE A 2ª TEMPORADA:  A busca de Assane (protagonista) por vingança contra Hubert Pellegrini devastou sua família. Encurralado, ele agora precisa pensar em um novo plano, mesmo que para isso tenha que se colocar em perigo. Ação (e até uma pitada de drama) é o que não falta nos novos  episódios. 

Diversão garantida.

ASSISTA AO TRAILER DA 2ª TEMPORADA

Compartilhe:

sexta-feira, 4 de junho de 2021

Resenha da série Altered Carbon (NetFlix), baseada no livro de mesmo título, por Ademir Pascale


SOBRE O LIVRO: Carbono alterado é o eletrizante thriller de ficção científica que inspirou a série da Netflix. No século XXV, a humanidade se expandiu por toda a galáxia, monitorada pelos olhos vigilantes da Organização das Nações Unidas. Apesar de divisões por etnia, religião e classe ainda existirem, os avanços tecnológicos serviram para redefinir o próprio conceito de vida. Trata-se de uma época em que a consciência de uma pessoa pode ser armazenada em um cartucho na base do cérebro e baixada para um novo corpo quando o atual parar de funcionar. A morte, agora, nada mais é que um contratempo inconveniente, uma falha no programa. Takeshi Kovacs, um ex-Emissário da ONU que nunca havia posto os pés na Terra, já morreu antes. Sua última morte, porém, causada após um serviço malsucedido, se revelou particularmente dolorosa. Agora em Bay City, a antiga São Francisco, Kovacs é trazido de volta à vida para solucionar o assassinato de um magnata - função imposta pela própria vítima. Mal sabe ele, porém, que esse jogo de gato e rato vai lançá-lo no centro de uma conspiração perversa até para os padrões de uma sociedade que trata a existência humana como um produto a ser comercializado.Para Kovacs, o projétil que o atingiu em cheio no peito foi só o começo. Carbono alterado é o primeiro volume da série.

SOBRE A SÉRIE: Após 250 anos no gelo, Takeshi Kovacs retorna em um novo corpo com uma missão: solucionar um complexo mistério e conquistar sua liberdade.

Estrelando: Anthony Mackie, Lela Loren, Simone Missick

Criação: Laeta Kalogridis


RESENHA CRÍTICA DA SÉRIE: A ideia da série Altered Carbon, baseada no livro de mesmo título, é impecável. Através dos avanços tecnológicos (e de tecnologia alienígena) as pessoas tornaram-se imortais. O corpo falece, mas a memória perpetua através de um dispositivo semelhante a um HD, que, implantado em outra capa (é assim que eles chamam os novos corpos na série), a pessoa revive. A tecnologia elevou-se tanto que as pessoas podem se considerar deuses imortais (ou não), pois se o dispositivo for destruído, será semelhante a morte. As cenas de lutas são ótimas e o cenário futurista é impecável. A ideia toda foi muito bem elaborada e gera uma leve semelhança com o antigo filme Matrix. E para quem é fã de Edgar Allan Poe (assim como eu sou) vai adorar ver um sósia dele, que é o anfitrião de um hotel. O Poe da série é diferente dos outros personagens. Ele não é humano, mas uma máquina muito avançada idêntica aos humanos; tem sentimentos, decisões e é filosófico (até mais que alguns humanos da nossa realidade). O cenário do seu hotel tem corvos e em alguns episódios o personagem cita trechos de algumas das obras do Poe. E para quem não sabe, o escritor Edgar Allan Poe não escrevia apenas obras do gênero terror, mas também do gênero policial, detetivesco e ficção científica.

A primeira temporada é excelente. E foram produzidas apenas 2 temporadas. Tem faixa etária para maiores de 18 anos, pois algumas cenas são pesadas, tem cenas de nudez, etc. 

Já a segunda temporada o plano muda, muitos personagens da primeira temporada foram excluídos, as cenas de luta foram reduzidas em alguns episódios e o diálogo exaustivo faz parte de muitas cenas, o que fez a série decair e a Netflix infelizmente não renovou a terceira temporada, cancelando a série.

De qualquer forma fica a dica para os fãs de ficção científica, uma boa história e Edgar Allan Poe.

ASSISTA AO TRAILER:

Compartilhe:

sábado, 17 de abril de 2021

Crítica: Os Irregulares de Baker Street - Série baseada no universo de Arthur Conan Doyle tem um Sherlock Holmes bem diferente


Na Londres da Era Vitoriana, um grupo de jovens investiga crimes sobrenaturais para o Dr. Watson e Sherlock Holmes

Baseada nos personagens criados pelo escritor Arthur Conan Doyle, na série, que tem como roteirista Tom Bidwell, Holmes (Henry LLoyd-Hughes) e Watson (Royce Pierreson) não passam de meros coadjuvantes e, Holmes, aparece menos que Watson nos episódios. Diferente de outras adaptações que o famoso detetive teve, na série ele precisa de ajuda, tem problemas com drogas e uma aparência bem diferente da habitual apresentada em outras séries e filmes. Então não espere muito dele. Já Watson é enigmático e em alguns momentos parece ser o vilão; frio e calculista. Mas o destaque, sem dúvida, vai para os jovens encarregados em desvendarem os casos sobrenaturais. A série é para adolescentes, tem cenário e figurino incríveis, já efeitos especiais e histórias razoáveis, que poderiam ser mais criativas. Alguns episódios, que são apenas 8 desta primeira temporada, pende para o romance entre adolescentes (o príncipe e a plebeia), além de um certo drama e aventura. Não bota medo, apesar de ser tratada como série com assuntos sobrenaturais, mas não deixa de apresentar alguns fatos interessantes, sendo que o primeiro episódio, com corvos, lembra um dos famosos textos do escritor Edgar Allan Poe, intitulado "O Corvo". A série tem uma pegada interessante e pode fazer com que o leitor prossiga para os próximos episódios (sinceramente, se não gosto do primeiro episódio de uma série, não assisto os demais) e até espere por uma segunda temporada. 

Cena de um dos episódios da série

Voltando aos jovens da série, no livro Um Estudo em Vermelho, de 1887, um grupo de meninos de rua ajudam o famoso detetive Holmes, então essa ideia na série, não é algo que foi criado especialmente para a Netflix, mas foi criativo e interessante usarem esses garotos, focando nos dramas e histórias pessoais de cada um, dando destaque especial para a jovem chinesa Bea (Thaddea Graham), que é a líder do grupo.

Recomendo. 

APROVEITE E ASSISTA AO TRAILER DE "OS IRREGULARES DE BAKER STREET"

Compartilhe:

terça-feira, 23 de março de 2021

O mito do blues Robert Johnson, o filme e o livro Encruzilhada


Dizem que um jovem norte-americano, de nome Robert Johnson (1911-1938), tocava violão como ninguém: um som mágico, irreverente e que contagiava quem quer que fosse. Dizem também, que numa noite qualquer, antes do seu sucesso no Blues, levou o seu violão numa encruzilhada, e que um homem negro, muito alto e forte, surgiu do nada, pediu o seu instrumento emprestado e afinou as suas cordas. Johnson deixou o fato registrado na faixa de 1937, intitulada Me and the Devil Blues.

As garotas ficavam encantadas com o jovem, os homens, com ciúmes. Mas o sucesso durou pouco tempo, pois numa noite enluarada, após uma apresentação num bar, em sua casa, o mesmo homem que afinou as cordas do seu violão, bateu à sua porta. Robert Johnson foi encontrado morto no dia seguinte.

Outros dizem que o dono do bar onde fez a sua última apresentação, com ciúmes da esposa que ficara encantada com o rapaz, envenenara a sua bebida.

Robert Johnson não teve autópsia, constando em seu óbito apenas Sem Médico Legista.

E até hoje, encontra-se cravada em sua lápide, a figura do seu violão mágico.

Me and the Devil

was walkin' side by side

Me and the Devil, ooh

Robert Johnson, Me And The Devil Blues

Esta é a faixa bônus do meu romance Encruzilhada, publicado em 2011 pela Editora Literata. A obra foi inspirada em Robert Johnson. O meu livro também é citado na página da biografia de Robert Johnson na Wikipédia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Robert_Johnson

TRECHO NA WIKIPÉDIA:

Este mito foi difundido principalmente por Son House, e ganhou força devido às letras de algumas de suas músicas, como "Crossroads Blues", "Me And The Devil Blues" e "Hellhound On My Trail". O mito também é descrito no filme de 1986 Crossroads, no episódio 8, da segunda temporada da série Supernatural e no episódio 14 da terceira temporada de Legends of Tomorrow, além da faixa bônus da página 101 do livro Encruzilhada (Literata, 2011), do autor brasileiro Ademir Pascale. O mito ainda explica detalhes sobre ele ter saído desesperadamente do bar Tree Forks, sendo perseguido por cães pretos e foi encontrado com marcas de mordidas profundas, cortes em forma de cruz no rosto e seu violão intacto ao lado do corpo ensanguentado. Robert morreu de olhos abertos e uma expressão tranquila no rosto.

Sinopse do livro Encruzilhada, por Ademir Pascale (Literata, 2011): Um padre ganancioso, frio e calculista, através de um ritual macabro, liberta um dos cinco príncipes do inferno. Um jovem de dezenove anos passa por problemas amorosos, financeiros e familiares. Um pugilista, cansado de ser humilhado desde a infância, tenta alcançar a fama a qualquer preço... (link da página publicada em 2011 com todos os detalhes sobre o livro, como produção da capa, etc.: http://odesejodelilith.blogspot.com/2011/05/encruzilhada-meu-novo-romance-de-horror.html)

O livro não está mais à venda, mas pode ser encontrado em sebos: clique aqui.

Os leitores que curtiram a história também poderão assistir o filme O Diabo na Encruzilhada - A História de Robert Johnson (Netflix, 2019).

ASSISTA O TRAILER DO FILME O DIABO NA ENCRUZILHADA (NETFLIX)


Compartilhe:

sexta-feira, 1 de janeiro de 2021

O Estripador - Netflix


Título Original: The Ripper
Direção: Jesse Vile e Ellena Wood 
Ano Lançamento: 17 de Dezembro de 2020 
Duração: 50 min por episódio 
Episódios:
Temporada:
Origem: Reino Unido 
Gênero: Documental, Crime 

O Estripador é uma série documental centrada em Peter Sutcliffe, um serial killer que, entre 1975 e 1980, aterrorizou o norte da Inglaterra com seus crimes brutais. O homem, que ficou conhecido como o Estripador de Yorkshire, matou 13 mulheres e tentou fazer o mesmo com outras quatro. Assim como Jack, o Estripador, Sutcliffe costumava perseguir e atacar prostitutas, sempre escapando da polícia. A partir de entrevistas com investigadores e testemunhas, a produção conta a história desse assassino implacável, que acabou condenado a 20 prisões perpétuas. 

Impressões: 

Netflix tem mostrado inúmeras facetas em suas produções originais, seja filmes, séries e até mesmo minisséries documentais. O seu mais novo lançamento é intitulado “O Estripador”. Uma obra original que busca dar um sentindo no assassino em série conhecido como “O Estripador De Yorkshire”. 

São quatro episódios que mostra de uma forma intensa e ao mesmo tempo assustadora os ataques de um serial killer e seus métodos brutais de assassinato, além de mostrar todo o empenho da polícia para encontrar o suspeitos nas ruas de Londres nas décadas de 70 e 80. 

Peter Sutcliffe é o nome do serial killer, sendo condenado a 20 prisões perpétuas, porém! Em novembro de 2020 ele foi vítima do novo Covid-19. Entretanto! Essa série busca recriar os seus passos e mostrar os motivos dele ter cometido inúmeras atrocidades, principalmente com mulheres (sendo o seu foco principal prostitutas). 

Um ponto em destaque da minissérie é mostrar o modus operandi do serial killer, sendo o mesmo de outro notório assassino; Jack, o Estripador. Ambos perseguiam prostitutas para dar fim em suas vidas, na mente de ambos, ninguém daria falta daquelas mulheres e assim buscavam cada vez mais saciar sua sede de sangue. 

Sua fama correu o mundo, além de seus assassinatos o criminoso conseguia escapar da polícia e das autoridades, façanha que poderia ter sido retratado em qualquer filme de suspense e terror. 

Partindo de várias entrevistas realizado com o pessoal que está na linha de frente da caçada ao serial killer, esse é o ponto culminante de entender toda natureza humana por parte dos especialistas. Sutcliffe mostrou-se uma pessoa fria, sem amor ao próximo e muito menos piedade, prova é o estado dos corpos que ele deixaria para trás. Essa é uma minissérie recomendada para maiores de 18 anos, para um público que busca conhecer o lado mais perverso do ser humano e suas inúmeras facetas. Inclusive para o público que pretende seguir na carreira de psicológicos ou psiquiatras, essa produção cumpre em mostrar os mínimos detalhes da empreitada pela caçada do assassino.



Compartilhe:

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Anne with an 'E': Livros se destacam após série ser cancelada pela Netflix


Em quase 7 meses o Grupo Editorial Coerência vendeu mais de 12 mil exemplares da Coleção Anne

Anne Shirley conquistou uma legião de fãs por meio da série Anne with an ‘E’, oficialmente exibida pela Netflix. Para a infelicidade do público, o streaming cancelou a produção após 3 temporadas, e no momento, os assinantes recorrem aos livros de L. M. Montgomery para acompanhar a continuação da história. O Grupo Editorial Coerência é uma das empresas que está lançando a Coleção Anne no Brasil e desde maio deste ano as obras se destacam em vendas.

Até o momento, o Grupo Editorial Coerência lançou os três primeiros títulos da Coleção Anne, e um levantamento feito por Lilian Vaccaropublisher da empresa, contabilizou mais de 12 mil exemplares vendidos em quase 7 meses. Entre os títulos, Anne de green gables vendeu mais de 5 mil exemplares, Anne de avonlea mais de 4 mil e Anne da ilha, o mais recente, já foi comprado por mais de 3.500 pessoas.

Apesar de algumas outras empresas editoriais também se comprometerem a lançar os livros da Coleção Anne no Brasil, o Grupo Editorial Coerência chama a atenção do público por trabalhar na edição dos títulos visando o agrado dos fãs que acompanhavam a série da Netflix.

Além dos romances escritos por L. M. Montgomery, a empresa também lançou uma adaptação em graphic novel de Anne de green gables. A obra foi escrita e ilustrada por Marcio Zanini e já vendeu mais de 1000 exemplares desde o lançamento ocorrido no 2° semestre de 2020.

Recentemente o Grupo Editorial Coerência revelou a capa de Anne de Windy Poplars, o quarto livro da Coleção Anne, e além disso, informou ao público que a segunda parte da graphic novel será desenvolvida no próximo ano, ainda pelas mãos de Zanini.

Anne with an ‘E’ é uma série inspirada nos clássicos literários escritos por L. M. Montgomery, apesar de existir diversas adaptações disponíveis em outras plataformas, a da Netflix que conseguiu conquistar o coração de um grande número de fãs ao narrar as aventuras de Anne Shirley após ser adotada pelos irmãos Cuthbert.

Os livros do Grupo Editorial Coerência são vendidos nas maiores livrarias do Brasil e as únicas 3 temporadas da série estão disponíveis na Netflix.
 
Sinopse de Anne de green gables
Anne Shirley é uma órfã muito peculiar. Com a notícia de sua adoção, segue animadamente para Green Gables, na Ilha do Príncipe Eduardo, mas rapidamente descobre que os irmãos Marilla e Matthew Cuthbert na verdade queriam adotar um garoto que pudesse ajudar nos afazeres da fazenda. Apesar do engano, a menininha ruiva de onze anos conquista sua nova família com suas manias imaginativas e sua dramática — ou romântica — forma de encarar a vida. Seus desafios, contudo, estão apenas começando. Guiada por pensamentos à frente de seu tempo e por uma vontade irresistível de questionar tudo ao seu redor, ela terá de encontrar seu lugar em Avonlea ao mesmo tempo em que luta para se manter longe das encrencas que parecem persegui-la. Além disso, caberá à jovem otimista conquistar também o restante da comunidade, que, composta em maioria por pessoas conservadoras, não está acostumada ao seu espírito expansivo e revolucionário.

Sinopse de Anne de avonlea
Anne Shirley agora tem “dezesseis anos e meio”. Após desistir de cursar a faculdade para ficar em Green Gables, está prestes a iniciar suas atividades como a professora da escola de Avonlea. Guiada por seus ideais românticos, planeja atuar com métodos de ensino inovadores, mas, com o tempo, acaba percebendo que muitas vezes a teoria é bem diferente da prática. Nada, porém, é capaz de desanimar Anne, que, com o apoio de Gilbert Blythe e de outros jovens de Avonlea, conquista a confiança da comunidade e efetua diversas melhorias no distrito – e também em seus habitantes. Embora cheia de responsabilidades, a jovem continua conquistando todos ao seu redor com seu espírito livre e cativante. Ao lado de sua fiel amiga, Diana Barry, encontra novos espíritos irmãos conforme vai se aproximando cada vez mais da vida adulta, sem deixar para trás suas manias imaginativas e sua facilidade para se envolver em confusões.

Em seu segundo romance, L. M. Montgomery continua conquistando seu público com palavras encantadoras e um enredo bem-humorado. Como não poderia ser diferente em uma história protagonizada por Anne Shirley, a autora segue conduzindo leitores de todas as idades a refletir acerca dos valores que regem nossa sociedade.

Sinopse de Anne da ilha
Aos dezoito anos de idade, Anne Shirley está pronta para a faculdade. Priscilla Grant e Gilbert Blythe, seus amigos de Avonlea, também seguem para Redmond, na cidade de Kingsport. Lá, Anne não só avança em seus estudos, mas também faz novos amigos e se diverte com sua atual e movimentada vida social. Como sempre, destaca-se entre os outros jovens com seu espírito livre e personalidade encantadora, conquistando pretendentes por onde passa; o que faz com que Gilbert precise se desdobrar se quiser finalmente conquistar o coração da ruiva. Entre uma aventura e outra e idas e vindas à Ilha do Príncipe Eduardo, Anne percebe que terá de conhecer melhor a si mesma, a fim de tomar importantes decisões que podem mudar o seu destino para sempre. E é justamente a partir dessas novas descobertas que ela começará a entender seus confusos sentimentos.

Neste volume, L. M. Montgomery não abre mão de ressaltar a importância dos valores para o convívio em sociedade, mas também explora questões mais maduras e comuns ao dia a dia de jovens, como a descoberta do amor e o amadurecimento pessoal, conduzindo definitivamente Anne Shirley para sua vida adulta.
Compartilhe:

terça-feira, 10 de novembro de 2020

Como encontrar o amor na cultura geek


Livros, séries e filmes têm abordado cada vez mais a ideia de achar um amor fora da zona de conforto

Uma mulher bem-sucedida, com uma vida considerada boa, que por causa de certas circunstâncias se vê em um ambiente totalmente diferente, onde ela descobre novos valores e, claro, um novo amor. Parece familiar para você? Bom, provavelmente você já assistiu ou leu algo com um enredo como esse, e a verdade é que esse plot está bem na moda. 

Filmes da Netflix recentes abordaram histórias como essas, assim como algumas séries e livros. Protagonistas femininas fortes são sempre uma boa pedida, então separamos uma pequena lista para você de obras com essa temática, que saíram em 2020 e que valem a pena conferir. 

Missão Presente de Natal

O filme estreou semana passada na plataforma de streaming Netflix, e já é um dos queridinhos dos telespectadores. Na trama, Erica (Kat Graham), assessora pessoal de uma deputada, viaja para uma pequena ilha onde deve encontrar uma razão para fechar a base militar da cidade. Andrew (Alexander Ludwig), capitão da Missão Presente de Natal, tentará a todo custo evitar o fechamento da base. 

Pousando no amor

Essa série coreana, também produzida pela Netflix, foi um grande sucesso de views na Coreia do Sul. Um de seus episódios bateu o recorde de audiência no país, e, ainda, a avaliação da crítica sobre a obra foi muito positiva. 

Na história, Yoon Se-ri (Son Ye-jin) é uma fashionista de moda e filha de uma família muito rica, que, por acidente, cai de parapente na zona desmilitarizada entre a Coreia do Sul e a do Norte. Com a ajuda de Ri Jung Hyuk (Hyun Bin), Se-ri se adapta ao local e procura uma forma de voltar ao seu país. 

Horizonte Azul

Livro de Natalia Moreno publicado pelo Grupo Editorial Coerência, Horizonte Azul traz a história de Antonella Collins, uma jovem que possui tudo que poderia querer: é rica, herdeira de uma grande rede hoteleira; vive no conforto da cidade grande e não precisa se preocupar com seu futuro. Em prol de beneficiar os negócios de sua família, desiste de se tornar uma artista e aceita um casamento arranjado.

Contudo, uma visita a seu avô doente acaba se tornando seu maior pesadelo: agora, ela terá de viver no campo e lidar com suas inseguranças e com o surgimento de um novo amor. 

É interessante notar que, nesse tipo de enredo, não apenas vemos o nascimento de um romance, mas também acompanhamos as protagonistas aprenderem novos valores e mudarem sua perspectiva sobre muitos assuntos. Personagens que mudam e evoluem dentro da narrativa são, em geral, bem recebidos pelo público — o que pode ser a razão para as obras do entretenimento estarem apostando nessa trama em específico. 

Você encontra o filme e série citados na plataforma Netflix; já o livro de Natalia Moreno pode ser adquirido através do site da Editora Coerência.

Compartilhe:

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

[Filme] O Halloween do Hubie


Título Original: Hubie Halloween 
Direção: Steven Brill 
Ano Lançamento: 07 de Outubro de 2020 
Duração: 01h42min 
Elenco: Adam Sandler, Julie Bowen, Steve Buscemi, 
Kevin James e Rob Schneider 
Gênero: Comédia, Terror 
Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Em O Halloween do Hubie, filme de Adam Sandler para a Netflix, Hubie Dubois é uma figura de grande zombaria para as crianças e adultos, apesar de sua devoção a Salém, sua cidade natal. Quando um assassinato próximo ao Dia das Bruxas ocorre, Hubie assume a responsabilidade de investigar o caso, sendo a esperança para salvação da data. O Halloween do Hubie conta no elenco com Adam Sandler, Maya Rudolph e Noah Schnnap (Stranger Things). 

Impressões: 

Outubro é o mês do Halloween, praticamente todos os anos a plataforma de streaming Netflix entrega um bom filme para não passar em branco esse mês macabro. Porém! Dessa vez é uma mistura de comédia e terror. 

O Halloween do Hubie é nova aposta da Netflix, trazendo Adam Sandler como o protagonista e peça centra de toda trama. 

Hubie Dubois é um sujeito que passa por inúmeras situações de zombaria tanto de crianças e adultos, mesmo assim ele não desiste em mostrar sua devoção a Salém, sua cidade natal. 

Próximo ao dia das bruxas, acontece um misterioso assassinato. É missão do Hubie em investigar o caso e tornar-se o orgulho da cidade e mostrar todo o seu potencial, para que todos parem de tratarem como um idiota. 

Hubie recebe uma missão de patrulhar às ruas na noite de Halloween, porém coisas estranhas começam acontecer, pessoas estão desaparecendo misteriosamente, deixando poucas pistas para Hubie encontrar o verdadeiro assassino. 

Mais uma vez temos Adam Sandler em papel com humor descontraído e bobão. O longa permeia com diversas paródias de clássicos do cinema de terror dos ano 80 e 90. 

O Halloween do Hubie conta com diversas participações de atores consagrados, Steve Buscemi, Bem Stiller e Maya Rudolph, trazendo um valor mais dinâmico ao longo de toda trama. 

Esse é um filme que tem como objetivo principal divertir toda família, no mês do terror. Uma dica? Garrafa térmica de uma importância relevante em todo o longa. Gostosura ou travessuras?



Compartilhe:

quarta-feira, 7 de outubro de 2020

[Série] Challenger: O Voo Final


Título Original: Challenger – The Final Flight 
Direção: Daniel Junge 
Ano Lançamento: 16 de Setembro de 2020 
Duração: 54 min por episódio 
Elenco: June Scobee Rodgers, 
William Hawood e Leslie Serna 
Episódios:
Temporada:
Gênero: Documentário 
Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Engenheiros, oficiais e familiares dos membros da tripulação fornecem sua perspectiva sobre o desastre do Ônibus Espacial Challenger de 1986 e suas consequências. 

Impressões: 

A gigante Netflix apresenta mais uma série original em seu catálogo, divido em quatro capítulos, o espectador vai acompanhar toda tragédia do Ônibus Espacial Challenger, revirando inúmeros arquivos para levar o espectador entender de vez todo o ocorrido. 

A minissérie foi produzida por J.J. Abrams e Glen Jipper, produção examina os eventos da nave espacial que explodiu 73 segundos após o seu lançamento, sendo visto por milhões de espectadores ao redor do mundo. 

São inúmeras entrevistas jamais visto pelo público em geral, arquivos que até então estavam guardados longe da mídia, oferecendo um entendimento melhor das causas que levaram ao ponto dessa terrível tragédia. 

O documentário mostra todo o bastidor da NASA, nos mínimos detalhes. Essa fatídica missão entraria para história ao levar para o espaço a primeira civil para compor o restante da tripulação. 

A professora Christa McAuliffe participou de uma concorrida e árdua seleção para levar um professor ao espaço, com o objetivo de todos poderem acompanhar aulas ao vivo sendo transmitido fora do Planeta Terra. Infelizmente isso não ocorreu. 

Para os amantes de todo esse universo astronômico, essa série é mais que recomendado, livro aberto para os telespectadores entenderem os fatos anteriores e posteriores dessa irreparável tragédia.


Compartilhe:

segunda-feira, 14 de setembro de 2020

Primeiro livro do CEO da NetFlix

Reed Hastings, cofundador da Netflix fala pela primeira vez sobre a cultura nada convencional que rege uma das empresas mais inovadoras e criativas do mundo

“Tive o privilégio de aprender diretamente com Reed e de estudar a cultura da Netflix. Os insights deste livro são inestimáveis para qualquer pessoa que queira experimentar, criar e manter uma cultura organizacional.” — Satya Nadella, CEO da Microsoft
 
São Paulo - 10 de Setembro de 2020 - Nunca houve uma empresa como a Netflix. Essa afirmação vai além de sua posição ímpar como líder de mercado ou de seu crescimento como o maior serviço de streaming de entretenimento do mundo, com mais de 193 milhões de assinantes em 190 países. A Netflix é uma empresa revolucionária por sua cultura de gestão radical e surpreendente, que desafia as convenções e as expectativas. Ao fundar a Netflix, Reed Hastings desenvolveu uma filosofia corporativa e um conjunto de princípios de gestão que iam de encontro à sabedoria convencional, liderando uma cultura organizacional que faria da Netflix uma das empresas mais criativas do mundo.
A partir de centenas de entrevistas com funcionários e ex-funcionários da Netflix em todo o mundo e de relatos inéditos de tentativas e erros do próprio Reed, A regra é não ter regras: A Netflix e a cultura da reinvenção, escrito por Reed Hastings e Erin Meyer, à venda a partir de 10 de setembro, é o retrato fascinante e revelador dessa filosofia radical. Ao lado de Erin Meyer, autora best-seller de The Culture Map e uma das principais pensadoras do mundo dos negócios, Reed Hastings esmiúça as ideologias controversas que regem o modo de pensar da Netflix e que estão por trás dos resultados que transformaram a empresa em um exemplo um sucesso global.
Os padrões propostos por Hastings colocam as pessoas acima dos processos, priorizam a inovação em vez da eficiência e dão aos funcionários contexto, em vez de controlá-los. A Netflix não adota políticas de férias nem de despesas. Na Netflix, você faz parte de um time esportivo de alto rendimento, não de uma família. Na Netflix, você não tenta agradar ao chefe. Em vez disso, você dá feedback com sinceridade. Na Netflix, os funcionários não precisam de aprovação, e a empresa paga os maiores salários do mercado. Quando Hastings e sua equipe definiram esses princípios pouco convencionais, ninguém sabia quais seriam as consequências. Mas, pouco tempo depois, esse método gerou uma velocidade e uma audácia incomparáveis, fazendo a Netflix conquistar o posto de uma das marcas mais amadas do mundo.
 “Reed Hastings aprendeu cedo o que é preciso fazer para construir uma empresa grande e duradoura”, afirma o pesquisador americano Jim Collins. “Em A regra é não ter regras, ele e Erin Meyer ensinam a cultura que transformou a Netflix em uma das empresas mais peculiares e marcantes do planeta.” 
“Bem escrito e dinâmico, atemporal e oportuno, inspirador e prático, brilhante e sensato — leia este livro e aprenda a receita do molho secreto da Netflix diretamente com o mestre!” — Jim Collins, pesquisador americano
Reed Hastings é empresário e filantropo. Formado pelas universidades de Bowdoin e Stanford, foi professor voluntário do Corpo da Paz no sul da África, presidente do Conselho de Educação do Estado da Califórnia e integrou o comitê administrativo de diversas organizações educacionais, como Dreambox Learning, KIPP e Pahara. Em 1997, fundou a Netflix — empresa que viria a revolucionar a indústria do entretenimento —, onde até hoje é CEO e presidente.
Erin Meyer é autora do livro The Culture Map e professora da INSEAD, uma das mais conceituadas instituições de ensino de negócios do mundo. Seu trabalho já foi publicado em veículos como Harvard Business ReviewThe New York Times e Forbes.com. Entre 1994 e 1995, também atuou como professora voluntária do Corpo da Paz no sul da África. Em 2019, foi indicada pela lista Thinkers50 como uma das principais pensadoras do mundo dos negócios. Para mais informações, acesse erinmeyer.com.
 A REGRA É NÃO TER REGRAS, de Reed Hastings e Erin Meyer

Tradução: Alexandre Raposo
Editora: Intrínseca
352 páginas
Impresso: R$ 39,90
E-book: R$ 24,90
Compartilhe:

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

QUASE UMA ROCKSTAR, de Matthew Quick

Do mesmo autor de O lado bom da vida, o romance jovem Quase uma rockstar chega às telas pela Netflix e é relançado com sobrecapa inspirada no filme
 
Lançado em 2015 pela Intrínseca, Quase uma rockstar, de Matthew Quick, autor do best-seller O lado bom da vida, conta o drama de uma adolescente homeless apaixonada por música. Vencedor de vários prêmios, entre eles o Yalsa de Melhor Ficção para Jovens, o livro ganha agora as telas em uma produção audiovisual original Netflix, que estreia na plataforma de streaming no dia 28 de agosto. Auli'i Cravalho, atriz que deu voz a Moana na animação da Disney, é quem faz o papel de Amber, a protagonista da história. E para marcar esse lançamento, a Intrínseca preparou uma edição especial do livro com uma sobrecapa inspirada no filme.

Aos 17 anos, Amber Appleton parece não ter motivos para sorrir, já que desde que o namorado de sua mãe as expulsou de casa, as duas moram em um ônibus escolar. O pouco dinheiro que a mãe recebe dirigindo o coletivo é gasto com cigarros e bebida. Amber não come decentemente há meses, não tem um banheiro para tomar uma ducha quente no inverno e, muito menos, roupas apropriadas para suportar o frio. E a vida no terceiro ano do ensino médio parece mais difícil do que nunca. Seu único conforto é Bobby Big Boy, o leal vira-lata que adotou. Mas Amber não se deixa abater.

Dotada de um otimismo admirável e de uma incansável esperança, a menina consegue encontrar saída onde os outros – principalmente adolescentes em plena profusão de hormônios – facilmente enxergariam o desespero e a revolta.  Em vez disso, Amber recusa o aparentemente inevitável papel de vítima, inverte o jogo e foca todas as energias em ajudar as pessoas à sua volta: a mãe alcoólatra, os amigos estranhos e excluídos, o padre Chee e as Divas Coreanas por Cristo, uma octogenária cega e pessimista e um veterano de guerra solitário que escreve haicais.

Mas quando uma terrível tragédia faz seu mundo desabar por completo, Amber deixa de ver o copo metade cheio. Incapaz de enxergar a vida com os mesmos olhos diante de tanta tristeza, ela começa a questionar o significado das boas ações e dos pensamentos positivos. De que adianta levantar todos os dias e lutar se no final nada faz sentido?

 
Quase uma rockstar é a resposta para todos os romances repletos de angústia e dor. Extremamente prazeroso.”
School Library Journal

“Uma vigorosa história de redenção. É praticamente impossível ficar indiferente a Amber.”
Publishers Weekly

MATTHEW QUICK é autor de diversos romances, entre eles o best-seller O lado bom da vida, que inspirou o filme de sucesso. As obras de Quick já foram traduzidas para mais de trinta idiomas e lhe renderam críticas elogiosas e menções honrosas importantes, entre as quais a do PEN/Hemingway Award. Pela Intrínseca, publicou também Perdão, Leonard Peacock, Quase uma rockstar, A sorte do agora, Garoto21 e Todas as coisas belas.


QUASE UMA ROCKSTAR, de Matthew Quick

Tradução: Dênia Sad e Carolina Selvatici
Páginas: 256
Editora: Intrínseca
Livro impresso: R$ 34,90
E-BOOK: R$ 19,90
Compartilhe:

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

Filme: Power - Netflix


Título Original: Project Power
Direção: Henry Joost, Ariel Schulman 
Duração: 01h50 min 
Ano Lançamento: 14 de Agosto de 2020 
Elenco: Jamie Foxx, Joseph Gordon-Levitt, 
Rodrigo Santoro e Dominique Fishback 
Gênero: Ação, Ficção Científica 
Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Em Power, a notícia de que uma nova pílula capaz de liberar superpotências para cada um que a experimentar começa a se espalhar nas ruas de Nova Orleans. Poderes como pele à prova de balas, super força e invisibilidade apareceram em usuários, porém, é impossível saber o vai realmente acontecer até tomá-la. Mas tudo muda quando a pílula acaba aumentando o crime na cidade, fazendo com que o policial local (Joseph Gordon-Levitt) se una a um traficante adolescente (Dominique Fishback) e um ex-soldado com sede de vingança (Jamie Foxx) para combater o poder com poder, chegando na origem da pílula. 

Impressões: 

Mais um lançamento imperdível da plataforma de streaming, Netflix. Eles não brincam em serviço. O seu mais novo sucesso é uma mescla de ação e muito porrada e tiroteio que vai agradar os espectadores mais exigentes. 

Power é uma nova droga, comercializada nas ruas de Nova Orleans, essa misteriosa droga ativa superpoderes em seus usuários. Porém! Esse poder tem duração de apenas cinco minutos, além dos inúmeros efeitos colaterais. O barato da coisa é experimentar essa pílula e descobrir o seu poder. 

Vamos mencionar logo de cara o elenco. Jamie Foxx, Joseph Gordon-Levitt e Rodrigo Santoro. Um time de peso que faz toda diferença no decorrer do longa. O dinamismo e toda criativa perdura em boa parte do trabalho entre os atores. 

Power não deixa de lado toda ação com assaltos à bancos, roubos de pedestres e toda corrupção rolando solta na sociedade completamente corrompida. 

Existe três personagens principais, uma adolescente, um ex soldado e um policial, que buscam descobrir cada qual da sua maneira mais informações sobre essa tal droga misterioso e tentar contar o avanço entre os jovens. 

O roteiro foi escritor por Mattson Tomlin, ele soube dosar toda trama entre os personagens principais, explorando o conflito de cada um, mas sem excessos. Destaque para toda vibe misteriosa que o filme deixa no desenrolar de toda trama. 

Uma história empolgante mesclando com inúmeras cenas de ação, combinando efeitos visuais de primeira, deixa o expectador dentro da história ao lado dos personagens principais, uma experiência única de emoção e dinamismo. 

Power foge dos padrões, entregando uma história bem delineada, saindo das produções teen e focando em outro tipo de público, os amantes de super-heróis. Uma ótima pedida para ser assistindo em um final de semana. 




Compartilhe:

terça-feira, 1 de setembro de 2020

Filme: Origens Secretas - Netflix

 

Título Original: Origenes Secretos
Direção: David Galán Galindo
Duração: 01h39 min
Ano Lançamento: 28 de Agosto de 2020
Elenco: Leonardo Sbaraglia, Verónica Echegui, Álex Garcia II, 
Brays Efe e Carlos Areces
Gênero: Ação, Drama
Origem: Espanha

Sinopse:

Madri, 2019. Um serial killer espalha caos pela cidade, assassinando pessoas anônimas sem vínculo aparente e recriando as primeiras aparições dos super-heróis mais famosos. Cosme, o melhor detetive da delegacia, está prestes a se aposentar contra a sua vontade, e o jovem e impulsivo David será seu substituto. Juntos, eles têm a missão de solucionar esse mistério e para isso contarão com a ajuda de Jorge Elías, filho de Cosme, um nerd gente boa, dono de uma loja de quadrinhos, e da delegada Norma, fã de mangás e cosplay. Todo mundo tem que fazer a sua parte para salvar o mundo — por que não com traje de super-herói?

Impressões:

Mais uma produção original da Netflix, entrando na lista dos mais visualizados da plataforma online. Um filme produzido na Espanha, mesclando todo o universo nerd, com mistério, ação e muito bom humor.

O personagem principal é um detetive que está em uma intrincada investigação, envolvendo um serial-killer. Esse mesmo assassino escolhe suas vítimas e recria toda origem de alguns dos maiores super-heróis.

Um dos pontos principais é o espectador manter o foco do começo ao fim, pois durante o longa, existem inúmeras referencias do universo nerd. Tudo bem até aqui? Certo!

A trama vai se desenrolando quando o detetive David encontra ajuda do jovem Jorge Elias, um nerd de carteirinha que inclusive possui uma loja de quadrinhos e age como um nerd de primeira.

Em determinados momentos, o longa mescla o humor para deixar toda uma situação mais tranquila, além de inúmeras sátiras aos filmes de heróis. Deixando assim, um filme dinâmico e intuitivo.

O roteiro é bem estruturado, consegue prender o espectador. Outro detalhe é possuir diversos planos, inclusive, explorar os conflitos entre os dois personagens principais e formando um excelente enredo. Mais um ponto positivo para produção original da Netflix.



Compartilhe:

terça-feira, 14 de julho de 2020

Netflix - Ligue Djá: O Lendário Walter Mercado


Título Original: Mucho Mucho Amor: The Legendo of Walter Mercado 

Direção: Cristina Costantini e Kareem Tabsch 

Duração: 01h35 min 

Ano Lançamento: 08 de Julho de 2020 

Elenco: Walter Mercado, Willy Acosta e Lin-Manuel Miranda 

Gênero: Biografia, documentário 

Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Todos os dias, ao longo de décadas, Walter Mercado — o astrólogo icônico que não seguia limitações de gênero — encantava 120 milhões de telespectadores latinos com sua extravagância e positividade. 

Impressões: 

Ligue Djá! Quem não se lembra do icônico bordão dos anos 90 através da televisão brasileira? Pois é! O tempo passa muito rápido, estamos ficando velho e ligando o modo saudosista para relembrar toda explosão de quem foi o Walter Mercado. 

Netflix apostou e acertou! Um documentário que segue uma linha através do tempo, para contar quem foi o astrólogo e vidente, Walter Mercado. Conquistando o Mundo com o seu carisma, jeito misterioso e suas roupas chamativas. 

Walter Mercado foi um enorme sucesso nas décadas de 90 e início de 2000. Mas, muito antes, de forma mais simples ele já era fenômeno na américa latina, arrastando verdadeiros fieis que o seguiam para aonde ele fosse. 

O documentário leva para o público de forma nua e crua os altos e baixos do astrólogo, mostrando inclusive o duro golpe que ele sofreu com seu antigo empresário, acabando até mesmo na justiça em busca dos seus direitos. 

Infelizmente, três meses após o lançamento desse documentário Walter Mercado veio falecer por complicações renais. 

Um dos pontos principais do documentário é o grande evento de celebração aos 50 anos de carreira de Walter Mercado. Mostrando uma legião de fãs que viajaram de todos os cantos para estarem na celebração única do vidente. 

Walter Mercado não nega o seu nível alto de narcisismo, mesmo estando “aposentado” dos holofotes e mídia em geral, ele continua se preocupando com sua aparência, modos de vestir e até mesmo com alguns luxos. Merecido! 

Inclusive! O documentário é imparcial, mostrando o depoimento de várias pessoas que conviveram com Walter, até mesmo aquele empresário que deu um duro golpe na vida do vidente. 

Vale a pena? Sim! Vamos voltar para os anos 90 e relembrar de forma carinhosa o jeito extravagante de Walter Mercado, com suas previsões para o futuro, mensagens de amor e o principal. Levar paz para todos com o seu jeito irreverente.


Compartilhe:

domingo, 12 de julho de 2020

Netflix: #AnneFrank – Vidas Paralelas



Título Original: #AnneFrank: Parallel Stories 

Direção: Sabina Fedeli e Anna Migotto 

Ano Lançamento: 01 de Julho de 2020 

Duração: 01h 35min 

Elenco: Helen Mirren, Arianna Szorenyi 

Gênero: Documentário 

Origem: Itália 

Sinopse: 

Helen Mirren usa o diário de Anne Frank para contar sua história no filme, que é dedicado à sua memória e foi criado para marcar o que seria seu aniversário de 90 anos. O documentário também presenta a história de outras cinco mulheres que, quando jovens, também foram deportadas para campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. 

Impressões: 

Apenas um único diário foi responsável para fazer sucesso no mundo inteiro. Dentro dele? O sonho de uma garota judia ser destroçado pelo regime nazista. Anne Frank é o retrato sensível de uma família que busca de todas as maneiras fugir da crueldade da Segunda Guerra Mundial. 

#AnneFrank – Vidas Paralelas, mostra de uma forma ainda mais sensível o sofrimento daquelas pessoas (milhões) que perderam suas vidas em diversos campos de concentração. Famílias inteiras, sonhos perdidos e vidas perdidas por um motivo banal: eliminar os judeus. 

É inegável o sucesso que o diário de Anne Frank é para o Mundo. Ela trouxe toda sua angustia em páginas que mostram eles se escondendo dos soldados nazistas, porém! O final trágico para todos da família. 

O documentário é o mais novo sucesso da Netflix. Helen Mirren narra de forma ampla todos os familiares que perderam alguém do seu vínculo nos campos de concentração, tendo o foco e ligações entre a família Frank. 

Destaque para filmagens originais dos campos, mostrando todo o horror de crianças, idosos e mulheres que vivenciaram de perto o horror da Guerra. Esse documentário não é recomendado para pessoas sensíveis, por conter em alguns trechos, cenas fortes do período mencionado. 

O roteiro é gradual, mostrando de forma cronológica o período que toda família de Anne ficou escondido no anexo secreto da casa. Vale ressaltar que sendo o documentário, é de se esperar inúmeras fotos do acervo pessoal, cumpriram de forma brilhante o seu papel, mostrando foto até então desconhecidas do público. 

Foi um período nebuloso na história da humanidade, perdurando até os dias de hoje na memória dos sobreviventes e de pessoas que nunca imaginaram tamanha crueldade do ser humano para com o seu semelhante. 

#AnneFrank – Vidas Paralelas cumpre de forma intensa, emocionante e sensível o objetivo de levar para os espectadores os momentos da pequena Anne junto com sua família, mostrar os vários lados da crueldade com os judeus.


Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels