Jane Austen: Livros e Filmes

Jane Austen, Thibaudet e um retrato da burguesia do séc. 18 Nascida em 16 de dezembro de 1775, a britânica Jane Austen foi uma das...

Mostrando postagens com marcador poesia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador poesia. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 30 de setembro de 2021

“Pão em Poesia” chega às padarias de Itabira


Em uma iniciativa do Instituto Cultural Vale e do Flitabira, vai acontecer, entre os dias 29 de setembro e 9 de outubro, a distribuição das embalagens do projeto “Pão em Poesia” para as padarias dos seguintes bairros de Itabira: Centro, Areão, Amazonas, Vila Santa Rosa, Esplanada, Praia, Pará e Campestre. 

No total, serão entregues 60 mil embalagens em pacotes de um, três e cinco quilos. Dependendo da pesagem e tamanho, alternam-se os poemas “Segredo”, “Estampas De Vila Rica” e “Rifoneiro Divino”, de autoria de Carlos Drummond de Andrade. Além de levar a literatura ao dia a dia dos moradores de Itabira, a ação visa envolver os itabiranos no clima do Festival, que será realizado de 27 a 31 de outubro de 2021, quarta a domingo, em formato híbrido. 

O Flitabira é patrocinado pelo Instituto Cultural Vale, com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo. O projeto conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Itabira, da Secretaria Municipal de Educação de Itabira e da Fundação Carlos Drummond de Andrade.

Confira as padarias que são parcerias do Flitabira no projeto Pão em Poesia:

- Tia Eliana (Praça Nico Rosa, 86 – Centro)

- Tia Eliana (Av. João Pinheiro, 474 – Centro)

- Padaria Central (Av. João Pinheiro)

- Pastelaria Luiza (Guarda-Mor Custódio, 197 – Centro)

- Papelaria Estante (Guarda-Mor Custódio, 206 – Centro)

- Padaria Pires (Osório Sampaio, 45 - Vila Santa Rosa)

- Padaria Ki PãoZão (Av. Rio Doce – Areão)

- Oficina do Pão (Av. Brasil, 766 – Amazonas)

- Point do Açaí (Av. Mauro Ribeiro, 548 – Esplanada)

- Padaria Pão Dourado (R. Mesquita, 62 – Praia)

- Padaria Ki PãoZão (R. João Camilo de Oliveira Torres, 1217 – Praia)

- Pão Ideal de Itabira (R. Dom Prudêncio, 207 – Pará)

- Pão Ideal de Itabira (Av. João Pinheiro, 771 – Centro)

Panificadora Campestre (R. Chácara – Campestre)


Mais informações: www.flitabira.com.br - @flitabira

Compartilhe:

domingo, 15 de agosto de 2021

Quedas no asfalto, poesia de Fernando Aquino


Quando levar uma queda

sinta o sabor do asfalto roçando na pele.


Mas quando conseguir levantar,

siga olhando para frente

e não para baixo 

com raiva do chão,

que ali permanece imóvel.


Ao olhar para as cicatrizes no rosto,

lembre-se da dor 

e continue caminhando

atento aos buracos e pedregulhos,

esperto e consciente das marcas do tempo 

que, agora, carrega no corpo.


Autor: Fernando Aquino


MINIBIOGRAFIA:

Fernando Henrique Franco de Aquino nasceu em Recife-PE, tem 29 anos, é graduado em Direito, servidor público federal e autor de contos, crônicas e poemas. Escrever sempre foi algo muito presente em sua vida. Fernando teve seu primeiro poema publicado aos onze anos em um jornal local de sua cidade e, aos doze anos, sua primeira participação em livro, em uma coletânea de poesias do colégio em que estudou na infância. Fernando teve o seu primeiro livro de poesias, intitulado “Passagem da Chuva”, publicado em 2017 no formato físico e em 2019 no formato digital, sendo este vencedor de prêmios literários como o Prêmio Ecos da Literatura e Book Brasil. O poeta vem divulgando seu trabalho sobretudo através do seu instagram @nandoescritor.


Redes sociais:

https://www.facebook.com/nandoescritor

https://www.instagram.com/nandoescritor

https://www.youtube.com/channel/UC3XRPEIRgo7tybDtYLAssTw

Livro Passagem da Chuva:

https://www.amazon.com.br/Passagem-Chuva-Fernando-Aquino-ebook/dp/B0826XJV35

https://www.skoob.com.br/passagem-da-chuva-1040224ed1042692.html

Compartilhe:

sexta-feira, 13 de agosto de 2021

Quanto vale os nossos sonhos?, poesia de Fernando Aquino


 E se um dia

Aparecesse em sua frente

Um Mercador de Veneza

Disposto a comprar os seus sonhos

E, inesperadamente,

Lhe questionasse:

- Quanto vale os seus sonhos?


Pergunto: o que você faria?

Os venderia?

Ou melhor: seria capaz de negociar o preço?

Indubitavelmente 

Rogo para que não


Quem vende sonhos

Vende a si próprio

Desfaz-se de sua alma

Penhora seu próprio nome

E hipoteca a própria carne


Mas, insisto: quanto vale os nossos sonhos?

Sem valor seriam

Para aqueles que os vendem

E de valor inestimável 

Incalculável

O seriam

Para os que sonham.


Autor: Fernando Aquino


MINIBIOGRAFIA:


Fernando Henrique Franco de Aquino
nasceu em Recife-PE, tem 29 anos, é graduado em Direito, servidor público federal e autor de contos, crônicas e poemas. Escrever sempre foi algo muito presente em sua vida. Fernando teve seu primeiro poema publicado aos onze anos em um jornal local de sua cidade e, aos doze anos, sua primeira participação em livro, em uma coletânea de poesias do colégio em que estudou na infância. Fernando teve o seu primeiro livro de poesias, intitulado “Passagem da Chuva”, publicado em 2017 no formato físico e em 2019 no formato digital, sendo este vencedor de prêmios literários como o Prêmio Ecos da Literatura e Book Brasil. O poeta vem divulgando seu trabalho sobretudo através do seu instagram @nandoescritor.

Redes sociais:

https://www.facebook.com/nandoescritor

https://www.instagram.com/nandoescritor

https://www.youtube.com/channel/UC3XRPEIRgo7tybDtYLAssTw

Livro Passagem da Chuva:

https://www.amazon.com.br/Passagem-Chuva-Fernando-Aquino-ebook/dp/B0826XJV35

https://www.skoob.com.br/passagem-da-chuva-1040224ed1042692.html

Compartilhe:

quarta-feira, 28 de julho de 2021

Ricardo Aleixo, um dos mais importantes nomes da poesia brasileira, lança livro Extraquadro

 

Ricardo Aleixo - Foto divulgação

Poeta, artista e pesquisador das poéticas intermídia, Ricardo Aleixo apresenta, em Extraquadro, poemas produzidos nos últimos oito anos 

Muitas pessoas sabem que o poeta e multiartista Ricardo Aleixo possui uma extensa obra composta por diferentes linguagens. Filmes, videopoemas, performances, peças de teatro, peças sonoras, peças gráficas e, claro, um vasto número de livros publicados, fazem de Ricardo um dos mais importantes poetas e artistas brasileiros. Como bem definiu Sebastião Uchoa Leite, no posfácio do livro Trívio, Aleixo é “inclassificável”. Isso porque suas obras e passos poéticos buscam, constantemente, a experimentação, ou em suas palavras, busca “embaralhar as cartas” da poesia e da literatura, propondo, a cada obra, a ultrapassagem das fronteiras artísticas, ou melhor, a extinção delas. 


Em Extraquadro, Ricardo Aleixo reúne poemas produzidos entre os anos de 2013 a 2020, e sua publicação é resultado da parceria firmada entre o Laboratório Interartes Ricardo Aleixo (o LIRA) e a Impressões de Minas Editora. As pessoas leitoras e amantes da poesia encontrarão, em Extraquadro, a experimentação viva do poeta, em que poemas assumem diferentes composições no livro como uma espécie de partituras. O modo pelo qual Ricardo Aleixo dispõe seus poemas provocará ao leitor não somente o encontro com esses textos, mas, principalmente, o encontro com possibilidades e caminhos para performar cada poema. 


O projeto gráfico do livro, realizado pelo artista e design Mário Vinícius, potencializa os poemas e as imagens feitas por Aleixo presentes na obra, além de dar um diferente trato às páginas, à capa e à sobrecapa. Extraquadro possui um trabalho minucioso na capa que apresenta um corte feito com faca especial no título, criando uma tipografia “vazada”. Já a sobrecapa que envolve todo o livro foi pensada de modo que, ao ser desdobrada, ela se transforme em um pôster. 


Extraquadro é o décimo quinto livro do poeta e artista Ricardo Aleixo, e foi publicado com apoio do Ministério do Turismo e da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo de Minas Gerais, com recursos da Lei Aldir Blanc. 

Sobre o autor


Ricardo Aleixo é artista-pesquisador intermídia, ensaísta e editor. Suas obras mesclam poesia, artes visuais, vídeo, dança, performance, música e design sonoro. Tem 14 livros publicados. O mais recente, Palavrear (Todavia, 2018), voltado para o público infantojuvenil, atingiu a marca de 48 mil exemplares vendidos. Já se apresentou nos seguintes países: Alemanha, Argentina, Portugal, México, Espanha, França, EUA e Suíça. Desenvolve seus projetos de pesquisa, criação e formação no LIRA/Laboratório Interartes Ricardo Aleixo, situado no bairro Campo Alegre, periferia de Belo Horizonte. O mesmo espaço abriga a loja onde são comercializados os seus livros, cartazes, poemisetas e outros produtos.



Informações técnicas do livro


Extraquadro

Autor: Ricardo Aleixo

Projeto gráfico: Mário Vinícius


Impressões de Minas (1ª edição)

1x1 cor

Formato: 12,5x21,6cm

68 páginas

Papel Pólen Bold 90g

ISBN 978-65-86729-11-5

Compartilhe:

quarta-feira, 26 de maio de 2021

Uma nova poeta que, com sensibilidade, fala sobre o que é ser negra e mulher, sobre como nos tornamos quem somos e superamos a dor, a violência, o preconceito e os obstáculos


Eu destilo melanina e mel.

Sou negra, e não peço desculpas por isso.

Após apresentar ao leitor brasileiro a poesia de Amanda Lovelace, autora dos best-sellers A princesa salva a si mesma neste livro e A bruxa não vai para a fogueira neste livro, a LeYa Brasil lança a jovem poeta africana Upile Chisala, nascida no Malawi. Seu livro Eu destilo melanina e mel é uma coleção de poemas curtos que tratam sobre o que é ser negra e mulher, sobre como nos tornamos quem somos e superamos a dor, a violência, o preconceito e os obstáculos, sobre como a alegria e a espiritualidade estão profundamente conectadas e sobre como as palavras têm o poder de transformar a nós mesmos e ao mundo ao nosso redor.

Em poemas corajosos que combinam ternura e contundência (“Sou ao mesmo tempo mel e limão”, diz um deles), Upile parte da própria experiência de viver como uma mulher negra no século 21 para, com muita sensibilidade, atingir leitores de qualquer gênero, idade e cor da pele. Sua escrita cativa e inspira, trafegando com destreza entre o lírico e o confessional em palavras que exalam liberdade e amor próprio. Num dos versos, ela afirma: “Espero fazer com palavras o que dançarinos fazem com braços e pernas”. E cumpre a promessa. Eu destilo melanina e mel é um livro para ser lido e relido.

Sobre a autora:

Upile Chisala, escritora, socióloga e ativista dos direitos humanos, nasceu e foi criada em Zomba, no Malawi. Graduada na Universidade de Oxford, mora em Joanesburgo, na África do Sul. Eu destilo melanina e mel é seu primeiro livro.

ISBN: 978-85-7734-692-9

Formato (LAP): 14x21 cm

Páginas: 128

Gênero: Poesia

Preço:  29,90

Compartilhe:

segunda-feira, 17 de maio de 2021

Negar Emrani e o livro Algum lugar entre o mundo e o espelho (Paradise Ocean Books)


Biografia da Autora:

Negar Emrani, nasceu em Mashhad, Irã, formou-se em Biotecnologia. Após anos de carreira na ciência, devido à crise econômica no Irã, ela encontrou a oportunidade de se especializar em Literatura e na Arte da poesia, que eram seus interesses pessoais há anos.

Algumas de suas obras na forma de poesia contemporânea foram publicadas em jornais não-iranianos, como "Asymptote Journal Tinge Magazine" "Tinderbox", "The Literati Quarterly".

Suas canções e letras também foram publicadas em coleções como "Khorasaneh" (o livro de letras da província de Khorasan), às vezes com música ou apenas por escrito. 

Sinopse da Obra:

Usando uma mistura da linguagem direta com a linguagem emocional subentendida, Negar Emrani traz, em Algum Lugar Entre o Mundo e o Espelho, diversos aspectos que permeiam não apenas vivências pessoais, mas aquelas que, de certa forma, mesmo sendo privadas, são os revérberos de toda uma sociedade.

Neste conjunto de poemas veremos o destrinchar dos mais profundos e – às vezes – controversos sentimentos da consciência humana perante seu ambiente e suas contrariedades, que ora fazem com que o leitor se identifique, ora fazem com que se aprofunde numa cadeia de misteriosas conotações sobre a solidão, a luta, a guerra, a força feminina, a sombra familiar e os reflexos da mente e, principalmente, do coração. Afinal, seriam esses reflexos emocionais, muitas vezes invisíveis para uns, e até mesmo abstratos demais para serem transformados em palavras concretas, mas tratados de forma rica e singela pela autora, justamente o que há entre o mundo e o espelho?

Link da Amazon: https://www.amazon.com/gp/product/B08BF628T6/ref=dbs_a_def_rwt_bibl_vppi_i0


Poesia

A Profetisa

Eu sonhava com terrenos chuvosos,

De uma mulher que estava 

Espalhando os cabelos à luz

Para que os pássaros pudessem colher grãos

Espalhados pelo chão.


Sonhei com dentes de leão 

Que não tinham nada a dizer ao vento.

Sonhei com uma joaninha

De uma asa costurando o chão no céu

E as folhas secas vagando ao léu.


A seca estava sobre nós, e minha mãe 

Estava se encolhendo em um canto da sala,

Juntando a chuva em seus olhos.


Alguma mulher 

Sai do espelho todos os dias,

E ela está se aproximando

Enquanto o mundo 

Aos poucos vai se acabando. 


Um dia para o aniversário dela,

Outro dia para sua morte

Sem sorte.


Alguma mulher 

Dentro do meu punho esquerdo,

Na crista dos meus seios, 

Entre os meus cabelos

Algumas vezes molhados!

Ela sai, e tudo o que resta dela

São as pegadas dela 

Marcadas em minha testa.


Alguma mulher, 

Cujo cabelo é a própria pobreza,

Estica dentro 

Dos meus braços para o amanhã.


Eu nunca soube

Qual dente podre 

Me deu meu sorriso.

Eu tenho escondido

A tristeza entre os pistácios, 

Ano a ano,

Pobre tentativa de fugir dos enganos. 


A morte está próxima.

Sentada, estou assistindo o pôr do sol,

Antes de murchar o último girassol. 


Um dia uma árvore crescerá 

Como uma profetisa em meu corpo,

Uma profetisa sem milagres,

Tudo o que ele poderá fazer

É separar o vento em duas partes.

 

Compartilhe:

sexta-feira, 7 de maio de 2021

Participe da antologia (ebook) - QUINTAL POÉTICO - A VOZ QUE SE MANISFESTA NA POESIA. Leia o edital


PARTICIPE DA ANTOLOGIA (E-BOOK):  QUINTAL POÉTICO - A VOZ QUE SE MANISFESTA NA POESIA

REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO NA ANTOLOGIA DIGITAL " QUINTAL POÉTICO - A VOZ QUE SE MANISFESTA NA POESIA":

1 - Escrever um poema sobre qualquer tema (livre). Aceitaremos até 2 poemas por autor. Caso sejam aprovados, os 2 poemas serão publicados.

2 - SOBRE O POEMA: até 4 páginas, fonte Times ou Arial, tamanho 12, incluindo título. Espaçamento 1,5.
     
3 - Tipo de arquivo aceito: documento do Word (arquivos em PDF serão deletados).

4 - O poema não precisa ser inédito, desde que os direitos autorais sejam do autor e não da editora ou qualquer outra plataforma de publicação.

5 - Idade mínima do autor para participação na antologia: 18 anos completos. Menores de idade irão precisar de autorização dos pais ou responsável, caso o poema seja aprovado.

6 - Envie o poema pré-revisado. Leia e releia antes de enviá-lo.

7 - Data para envio do conto: do dia 12/04/21 até 12/05/21.

8 - Veja ficha de inscrição no final desse texto. Leia, copie as informações e preencha. Envie as informações da ficha + o conto ou poema para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail:  QUINTAL POÉTICO

CUSTO PARA O AUTOR:

R$ 50,00 por poema. Caso o autor envie 2 poemas e tenha os dois selecionados, o valor será R$ 100,00. As informações para depósito serão informadas ao autor no e-mail que enviaremos caso o conto ou poema seja aprovado.
O valor servirá para cobrir os custos de leitura crítica e revisão, diagramação e divulgação da obra.

A antologia será digital (e-book) e gratuita para os leitores baixarem através de download, ela não será vendida. A antologia será amplamente divulgada nas redes sociais da Revista Conexão Literatura: Fanpage e Grupos do Facebook, Instagram e Twitter, que somam cerca de 150 mil seguidores.

O resultado será divulgado no site www.revistaconexaoliteratura.com.br e na fanpage www.facebook.com/conexaoliteratura, até o dia 14/05/21.

OBS: Enviaremos certificado digital de participação para os autores selecionados.


NOSSOS CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO:

A) - Criatividade;

B) - Textos preconceituosos, homofóbicos, racistas ou que usem palavras de baixo calão, serão desconsiderados;

C) - Seguir todas as regras para participação.

OBS.: Ademir Pascale, idealizador do concurso, disponibilizou para download uma apostila intitulada "Oficina Jovem Escritor", com dicas para quem está iniciando no mundo da escrita. Baixe gratuitamente, leia e pratique: CLIQUE AQUI.


FICHA DE INSCRIÇÃO DO AUTOR(A)

Nome completo do autor(a):

Seu Pseudônimo (caso use), para publicação na antologia:

Idade:

Título da poesia:

E-mail 1:
E-mail 2 (caso tenha):

Biografia em terceira pessoa (escreva sobre você num máximo de 7 linhas):


IMPORTANTE: Envie todas essas informações da ficha de inscrição para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail:  QUINTAL POÉTICO

O envio da ficha de inscrição + poesia para o e-mail indicado significa que o autor(a) leu todas as informações e regras dessa página para participação na antologia.

Não fique fora dessa. O concurso cultural será amplamente divulgado nas redes sociais.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.


Compartilhe:

quarta-feira, 17 de março de 2021

Já está disponível o e-book UNIVERSO DA POESIA. Baixe o seu


UNIVERSO DA POESIA - ANTOLOGIA POÉTICA

FICHA TÉCNICA:

Título: Universo da Poesia
Organizador: Ademir Pascale
Coautores:
Zacarias Sousa - Pedidos Informais
Jeferson Ilha - Me Kahlo e O ser Joaquina  
Lucas Pessô Feniman - Abraço textual
Alberto dos Anjos Costa - Rebentos da Esperança
Neuba Maria da Silva - Rostos, traços e rastros
Neila Reis da Silva (Neil Wolf) - Que o vírus não vença e E o voto levou
Policarpo - Amor e Compreensão
Léo Silva - Você há de ter e Eu vi o amor
José Carlos Guimarães Junior (profjc65) - Almas
Letizia Joana Pitol Lopes Zanuso (Luz, a Joana) - Brutal Vitral das Vozes
Priscila Jacobsen Bisker (Priskila) - Dúvida?
Elisângela Maria Ozório - A poltrona e 40
Gisabel Ferreira Gomes (Bel Wells) - A Estrada onde os homens passam
Maria de Fátima Moreira Sampaio - O Tempo que Não Viveu
Júlia de Almeida Sirvente (Sirventes) - Amores Revolucionários e Nuances da Liberdade
Lurdinha Alencar - Amigo
Nº de páginas: 63
Selo: Conexão Literatura
Ano: 2021
Tipo: E-book

PARA BAIXAR O E-BOOK GRATUITAMENTE: CLIQUE AQUI.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.
 
Compartilhe:

quinta-feira, 4 de março de 2021

Confira a lista dos selecionados da antologia UNIVERSO DA POESIA


UNIVERSO DA POESIA - ANTOLOGIA POÉTICA

Parabéns aos selecionados. Confira a lista:

  1 - Zacarias Sousa - Pedidos Informais
  2 - Jeferson Ilha - Me Kahlo e O ser Joaquina  
  3 - Lucas Pessô Feniman - Abraço textual
  4 - Alberto dos Anjos Costa - Rebentos da Esperança
  5 - Neuba Maria da Silva - Rostos, traços e rastros
  6 - Neila Reis da Silva (Neil Wolf) - Que o vírus não vença e E o voto levou
  7 - Policarpo - Amor e Compreensão
  8 - Léo Silva - Você há de ter e Eu vi o amor
  9 - José Carlos Guimarães Junior (profjc65) - Almas
10 - Letizia Joana Pitol Lopes Zanuso (Luz, a Joana) - Brutal Vitral das Vozes
11 - Priscila Jacobsen Bisker (Priskila) - Dúvida?
12 - Elisângela Maria Ozório - A poltrona e 40
13 - Gisabel Ferreira Gomes (Bel Wells) - A Estrada onde os homens passam
14 - Maria de Fátima Moreira Sampaio - O Tempo que Não Viveu
15 - Júlia de Almeida Sirvente (Sirventes) - Amores Revolucionários e Nuances da Liberdade
16 - Lurdinha Alencar - Amigo


Entraremos em contato via e-mail com os autores selecionados.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.
 
Compartilhe:

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

Participe da antologia UNIVERSO DA POESIA - ANTOLOGIA POÉTICA. Leia o edital


PARTICIPE DA ANTOLOGIA (E-BOOK): UNIVERSO DA POESIA - ANTOLOGIA POÉTICA

REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO NA ANTOLOGIA DIGITAL "UNIVERSO DA POESIA - ANTOLOGIA POÉTICA":

1 - Escrever um poema sobre qualquer tema (livre). Aceitaremos até 2 poemas por autor. Caso sejam aprovados, os 2 textos serão publicados.

2 - SOBRE O POEMA: até 4 páginas, fonte Times ou Arial, tamanho 12, incluindo título.
     
3 - Tipo de arquivo aceito: documento do Word (arquivos em PDF serão deletados).

4 - O poema não precisa ser inédito, desde que os direitos autorais sejam do autor(a) e não da editora ou qualquer outra plataforma de publicação.

5 - Idade mínima do(a) autor(a) para participação na antologia: 18 anos completos. Menores de idade irão precisar de autorização dos pais ou responsável, caso o poema seja aprovado.

6 - Envie o poema pré-revisado. Leia e releia antes de enviá-lo.

7 - Não mande o seu texto todo em letra maiúscula.

8 - Data para envio do poema: do dia 03/02/21 até 03/03/21.

9 - Veja ficha de inscrição no final desse texto. Leia, copie as informações e preencha. Envie as informações da ficha + poema para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: UNIVERSO DA POESIA - ANTOLOGIA POÉTICA

CUSTO PARA O AUTOR:

R$ 50,00 por poema. Caso o autor envie 2 poemas e tenha os dois selecionados, o valor será R$ 100,00. As informações para depósito serão informadas ao autor no e-mail que enviaremos caso o poema seja aprovado.
O valor servirá para cobrir os custos de leitura crítica e revisão, diagramação e divulgação da obra.

A antologia será digital (e-book) e gratuita para os leitores baixarem através de download, ela não será vendida. A antologia será amplamente divulgada nas redes sociais da Revista Conexão Literatura: Fanpage e Grupos do Facebook, Instagram e Twitter, que somam cerca de 150 mil seguidores.

O resultado será divulgado no site www.revistaconexaoliteratura.com.br e na fanpage www.facebook.com/conexaoliteratura, até o dia 04/03/21 (a data poderá ser prorrogada).

OBS: Enviaremos certificado digital de participação para os autores selecionados.


NOSSOS CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO:

A) - Criatividade;

B) - Textos preconceituosos, homofóbicos, racistas ou que usem palavras de baixo calão, serão desconsiderados;

C) - Seguir todas as regras para participação.

OBS.: Ademir Pascale, idealizador do concurso, disponibilizou para download uma apostila intitulada "Oficina Jovem Escritor", com dicas para quem está iniciando no mundo da escrita. Baixe gratuitamente, leia e pratique: CLIQUE AQUI.


FICHA DE INSCRIÇÃO DO AUTOR(A)

Nome completo do autor(a):

Seu Pseudônimo (caso use), para publicação na antologia:

Idade:

Título da poesia:

E-mail 1:
E-mail 2 (caso tenha):

Biografia em terceira pessoa (escreva sobre você num máximo de 7 linhas):


IMPORTANTE: Envie todas essas informações da ficha de inscrição para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: UNIVERSO DA POESIA - ANTOLOGIA POÉTICA

O autor é o único responsável pelo seu texto, isentando o organizador Ademir Pascale e a Revista Conexão Literatura que faz os e-books apenas a título de divulgação dos autores e seus textos.

O envio da ficha de inscrição + poesia para o e-mail indicado significa que o autor(a) leu todas as informações e regras dessa página para participação na antologia.

Não fique fora dessa. O concurso cultural será amplamente divulgado nas redes sociais.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.


Compartilhe:

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Zenilda Ribeiro da Silva e o livro Poesia na Pandemia


Zenilda Ribeiro da Silva, é filha de agricultores, nascida numa família de nove filhos. Cresceu na roça e lá aprendeu a apreciar o luar, as estrelas, os pássaros, a vida que a nós se manifesta nas pequenas coisas. É professora da rede estadual da Paraíba, possui Mestrado em Letras, feito pelo programa Profletras/UFCG. Compreende a linguagem, falada ou escrita, como sendo uma das mais belas manifestações do Criador, através da qual a criatura pode, por meio das interações e trocas, fazer-se e sentir-se sujeito, criando e recriando mundos. Vê na arte literária, (poesia ou prosa), a maneira pela qual esse sujeito pode humanizar-se, transformar-se e ajudar a transformar o mundo aos eu redor. 

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

Zenilda Ribeiro da Silva: Pergunta interessante, pois não nasci num ambiente onde me fosse favorável o acesso à leitura literária, logo, esse era um mundo um tanto distante da minha realidade até chegar à vida adulta. Meus primeiros contatos com a leitura eram basicamente leituras religiosas, mas foram essas experiências que formaram a leitora que hoje sou, e posso dizer que foram elas que me introduziram no meio literário, pois antes de ser escritora, sou uma leitora. Mas meu contato primeiro com a Literatura foi na graduação, mais especificamente depois da leitura de Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco. Essa obra me despertou para a percepção do poder transformador, catártico da Literatura. Em seguida passei a mergulhar nos autores brasileiros, fascinei-me por Clarice Lispector, Cecília Meireles, Machado de Assis. Essas, posso dizer, são minhas bases onde busco me orientar dada a beleza da escrita. A partir daí passei a exercitar também a escrita, mas como uma forma terapêutica nos momentos de dificuldades. Depois vieram as redes sociais e passei a escrever sobre experiências, sobre questões sociais etc. Depois, com o ingresso na docência, passei a escrever crônicas, especialmente para ler em sala e ajudar aos alunos na desmistificação do processo da escrita. Ao concluir o Mestrado publiquei a minha pesquisa e pensei em dar continuidade desenvolvendo a temática para uma outra publicação. Vieram outras demandas e parei as pesquisas, continuei apenas com minhas crônicas, mas guardadas, compartilhando-as apenas com um amigo professor e escritor. Até que um dia ele começou a me incentivar a publicação independente daqueles textos, enfim, foi mais ou menos por aí que tudo começou.

Conexão Literatura: Você é autora do livro Um "Poesia na pandemia – Poemas para inspirar, denunciar e motivar”. Poderia comentar? 

Zenilda Ribeiro da Silva: Sim, então, como falei, escrevia crônicas sobre vivências da sala de aula, da minha relação com a minha filha, do meu cotidiano. Mas a chegada da pandemia, como foi para toas as pessoas, no mundo todo, nos colocou numa situação de provar a nossa resiliência. Como se não bastassem as dificuldades que já são enfrentadas por nós, professoras e professores, no regime presencial de ensino, no ensino remoto essas questões se agigantaram. Associe-se a toda essa montanha de situações novas que não nos permitiam aceita ou não. Era aceitar ou aceitar, rsrsrsrs, sou mãe de uma criança que é do grupo de risco, que em 2019 passou por três pneumonias, três internações. Daí você se vê num momento em que um vírus como esse, que pode está em qualquer lugar, precisa se isolar em casa (algo traumático para uma criança de 4 anos), isolar-se dos seus familiares e amigos e conviver com seus medos, suas limitações, as limitações do outro, pois a convivência acentua essas questões, com seus pares de profissão passando por severas dificuldades para se adaptarem a essa realidade e você olha para um lado e para o outro e diz: preciso me fortalecer e fortalecer os demais, preciso de uma janela, que não seja simplesmente uma tela, mas algo que possa ultrapassar a tela fria do celular e abraçar as pessoas a quem amo. Então comecei a escrever poemas, sempre ao amanhecer e compartilhar via redes sociais, com grupos do trabalho, da família e amigos. A experiência foi muito boa, pois ao mesmo tempo em eu escrevia, poderia ir olhando para aquele sofrimento de uma forma mais leve. Essa prática foi e continua sendo para mim uma atividade salvadora, a arte que salva, como diz Nietzsche, “A arte existe para que a verdade não nos destrua”. Creio que essa foi a ideia do Poesia na Pandemia, que inicialmente era só um projeto sem pretensões de publicação. Mas com a aceitação e a importância que se mostrou para o momento, resolvemos fazer a autopublicação.

Conexão Literatura: Como é o seu processo de criação? Quais são as suas inspirações?

Zenilda Ribeiro da Silva: A maioria dos poemas que escrevi e que escrevo nascem pela manhã ou nas madrugadas. Geralmente escrevo após um momento de meditação, leitura (Bíblica e outra leitura), um momento de oração, uma leitura da realidade por meio dos noticiários. Depois, como forma de lidar com as situações, parto de uma palavra, uma notícia, uma angústia que estou vivenciando e transformo em um poema. Mas também há aqueles que surgem num momento de interação com minha filha, numa caminhada que faço. A poesia está na vida, em todas as suas nuances, seja nos momentos de deleite ou de dor, que, a gente tenta transformar, ou pelo menos amenizar, colocando no papel em forma de poema, creio que é isso, porque tem sido assim. Me inspiro para escrever(como modelo, entende?) nos diferentes escritores que conseguem me tocar, que tocam minha alma, como Fernando Pessoa,  Clarice Lispector, Cecília Meireles, Conceição Evaristo, Bráulio Bessa, mas a inspiração nasce da contemplação da vida, como falei anteriormente, seja qual for o momento vivido, especialmente os momentos com minha filha, que muito me ensinam. 

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do seu livro especialmente para os nossos leitores?  

Zenilda Ribeiro da Silva: Sim, sim. Há um poema do qual gosto muito, que fiz pensando no sofrimento de professores angustiados com a pouca participação dos alunos nas aulas remotas. Senti nas falas de alguns uma dor muito grande e busquei um texto para animá-los. O título do poema é PRA INICIAR A SEMANA. Segue um trecho:
Pra começar a nova semana. 
Reavivar as esperanças. 
Uma dica é ter em mente. 
Que nessa viagem que é sua vida.
Assumir a cada dia. 
A função de pilotar.
Novas rotas sempre traçar. 
E se mesmo assim não alcançar. 
As metas que planejou. 
Reconhecer aonde chegou. 
Os esforços que empregou.
E tudo que já conquistou. 
Vai te abrir pra descobrir. 
Sem sofrer ou se punir. 
Onde também fraquejou. 
Sabendo que até as falhas. 
Podem muito te ensinar.
Seja grato e se aceite. 
 
Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir o seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário? 

Zenilda Ribeiro da Silva: Este e outros livros nossos estão disponíveis para compra na maioria dos Marketplaces, especialmente na Amazon. Foram publicados de forma independente, inicialmente pelo Clube de Autores. Depois coloquei também à venda na Bok2. Todos os links para acesso e compra se encontram no link na minha página no Instagram. Através do meu IG também posso trocar ideias e interagir com leitores, já que faço publicações diariamente de trechos de poemas inéditos ou já publicados.

Conexão Literatura: Quais dicas daria para os autores em início de carreira?

Zenilda Ribeiro da Silva: Ler bastante, escrever bastante, procurar criar o hábito da escrita, pois quanto mais escrevemos, mais vamos nos aperfeiçoando. Se escute e escreva com alma, mesmo que deixe transparecer muito de você. Não tenha medo de se expor por meio dos seus textos. Não baixe a cabeça diante das críticas, pelo contrário, encare-as de alma aberta, isso ajuda a crescer, porque nos ajuda no autoconhecimento. Tenha amigos com quem compartilhar os seus escritos e de quem possa receber feedbacks. Procure conhecer a KDP da Amazon e as plataformas de autopublicação. Seus escritos são necessários para alguém, divida-os com o mundo, seja com editora ou não. 

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta? 

Zenilda Ribeiro da Silva: Sim, já há um projeto em andamento. Seria para o início deste ano, mas estou passando por umas demandas familiares e precisei adiar um pouco, mas vem um livro preparado com muito amor, com momentos da mãe, da filha que acompanha a mãe idosa com Alzheimer, da mulher que passa por diferentes crises nos dia-a-dia. Na feitura do tempo, está no forno, rsrsrs.

Perguntas rápidas:

Um livro: A paixão segundo GH – Clarice Lispector
Um ator ou atriz: Fernanda Montenegro
Um filme: Sociedade dos poetas mortos
Um hobby: Assistir filmes com minha filha e viajar com ela nas fantasias
Um dia especial: O dia em que descobri que seria mãe.

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário? 

Zenilda Ribeiro da Silva: Só agradecer por este espaço para que possa divulgar o nosso trabalho, mas, acima de tudo, por poder me fazer conhecer pelo público leitor da Revista Conexão Literatura. Dizer que sempre é possível, mesmo num ano de tanta dificuldade como foi o que terminou, que ainda seguimos vivenciando, encontrar sentidos e caminhos para a vida. E que a Literatura me proporcionou isso e pode proporcionar pra você, caro leitor. Desejar um Ano melhor para nosso povo e para vocês que fazem a revista. Grande Abraço.
Compartilhe:

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

Participe da antologia (e-book) O Legado de Florbela Espanca. Leia o edital


PARTICIPE DA ANTOLOGIA (E-BOOK): O LEGADO DE FLORBELA ESPANCA

REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO NA ANTOLOGIA DIGITAL "O LEGADO DE FLORBELA ESPANCA":

1 - Escrever um conto ou poema inspirado na obra de Florbela Espanca. Aceitaremos até 2 contos ou poemas por autor. Caso sejam aprovados, os 2 contos ou poemas serão publicados.

2 - SOBRE O CONTO ou POEMA: até 4 páginas, fonte Arial, tamanho 12, incluindo título.
     
3 - Tipo de arquivo aceito: documento do Word (arquivos em PDF serão deletados).

4 - O conto ou poema não precisa ser inédito, desde que os direitos autorais sejam do autor e não da editora ou qualquer outra plataforma de publicação.

5 - Idade mínima do autor para participação na antologia: 18 anos completos. Menores poderão participar e caso o conto ou poema seja aprovado, enviaremos um arquivo (autorização) para o responsável pelo menor preencher.

6 - Envie o conto ou poema pré-revisado. Leia e releia antes de enviá-lo.

7 - Data para envio do conto: do dia 08/12/20 até 17/01/2021 (a data poderá ser prorrogada).

8 - Veja ficha de inscrição no final desse texto. Leia, copie as informações e preencha. Envie as informações da ficha + o conto ou poema para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: FLORBELA ESPANCA

CUSTO PARA O AUTOR:

R$ 50,00 por conto ou poema. Caso o autor envie 2 contos ou poemas e tenha os dois selecionados, o valor será R$ 100,00. As informações para depósito serão informadas ao autor no e-mail que enviaremos caso o conto ou poema seja aprovado.
O valor servirá para cobrir os custos de leitura crítica e revisão, diagramação e divulgação da obra.

A antologia será digital (e-book) e gratuita para os leitores baixarem através de download, ela não será vendida. A antologia será amplamente divulgada nas redes sociais da Revista Conexão Literatura: Fanpage e Grupos do Facebook, Instagram e Twitter, que somam cerca de 150 mil seguidores.

O resultado será divulgado no site www.revistaconexaoliteratura.com.br e na fanpage www.facebook.com/conexaoliteratura, até o dia 19/01/2021 (a data poderá ser prorrogada).

OBS: Enviaremos certificado digital de participação para os autores selecionados.


NOSSOS CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO:

A) - Criatividade;

B) - Textos preconceituosos, homofóbicos, racistas ou que usem palavras de baixo calão, serão desconsiderados;

C) - Seguir todas as regras para participação.

OBS.: Ademir Pascale, idealizador do concurso, disponibilizou para download uma apostila intitulada "Oficina Jovem Escritor", com dicas para quem está iniciando no mundo da escrita. Baixe gratuitamente, leia e pratique: CLIQUE AQUI.


FICHA DE INSCRIÇÃO DO AUTOR(A)

Nome completo do autor(a):

Seu Pseudônimo (caso use), para publicação na antologia:

Idade:

Título do conto ou poema:

E-mail 1:
E-mail 2 (caso tenha):

Biografia em terceira pessoa (escreva sobre você num máximo de 7 linhas):

Sinopse do seu conto (se for poema não precisará de sinopse). Escreva no máximo 10 linhas:


IMPORTANTE: Envie todas essas informações da ficha de inscrição para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: FLORBELA ESPANCA

O envio da ficha de inscrição + conto para o e-mail indicado significa que o autor(a) leu todas as informações e regras dessa página para participação na antologia.

Não fique fora dessa. O concurso cultural será amplamente divulgado nas redes sociais.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.



Compartilhe:

domingo, 6 de dezembro de 2020

Participe da antologia (ebook) Poesias ao Vento - Manifestações artísticas. Leia o edital


PARTICIPE DA ANTOLOGIA (E-BOOK): POESIAS AO VENTO - MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS

REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO NA ANTOLOGIA DIGITAL "POESIAS AO VENTO - MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS":

1 - Escrever um poema sobre qualquer tema (livre). Aceitaremos até 2 poemas por autor. Caso sejam aprovados, os 2 poemas serão publicados.

2 - SOBRE O POEMA: até 4 páginas, fonte Times ou Arial, tamanho 12, incluindo título.
     
3 - Tipo de arquivo aceito: documento do Word (arquivos em PDF serão deletados).

4 - O poema não precisa ser inédito, desde que os direitos autorais sejam do autor e não da editora ou qualquer outra plataforma de publicação.

5 - Idade mínima do autor para participação na antologia: 18 anos completos. Menores de idade irão precisar de autorização dos pais ou responsável, caso o poema seja aprovado.

6 - Envie o poema pré-revisado. Leia e releia antes de enviá-lo.

7 - Data para envio do conto: do dia 14/11/20 até 14/12/20.

8 - Veja ficha de inscrição no final desse texto. Leia, copie as informações e preencha. Envie as informações da ficha + o conto ou poema para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: POESIAS AO VENTO

CUSTO PARA O AUTOR:

R$ 50,00 por poema. Caso o autor envie 2 poemas e tenha os dois selecionados, o valor será R$ 100,00. As informações para depósito serão informadas ao autor no e-mail que enviaremos caso o conto ou poema seja aprovado.
O valor servirá para cobrir os custos de leitura crítica e revisão, diagramação e divulgação da obra.

A antologia será digital (e-book) e gratuita para os leitores baixarem através de download, ela não será vendida. A antologia será amplamente divulgada nas redes sociais da Revista Conexão Literatura: Fanpage e Grupos do Facebook, Instagram e Twitter, que somam cerca de 150 mil seguidores.

O resultado será divulgado no site www.revistaconexaoliteratura.com.br e na fanpage www.facebook.com/conexaoliteratura, até o dia 15/12/20.

OBS: Enviaremos certificado digital de participação para os autores selecionados.


NOSSOS CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO:

A) - Criatividade;

B) - Textos preconceituosos, homofóbicos, racistas ou que usem palavras de baixo calão, serão desconsiderados;

C) - Seguir todas as regras para participação.

OBS.: Ademir Pascale, idealizador do concurso, disponibilizou para download uma apostila intitulada "Oficina Jovem Escritor", com dicas para quem está iniciando no mundo da escrita. Baixe gratuitamente, leia e pratique: CLIQUE AQUI.


FICHA DE INSCRIÇÃO DO AUTOR(A)

Nome completo do autor(a):

Seu Pseudônimo (caso use), para publicação na antologia:

Idade:

Título da poesia:

E-mail 1:
E-mail 2 (caso tenha):

Biografia em terceira pessoa (escreva sobre você num máximo de 7 linhas):


IMPORTANTE: Envie todas essas informações da ficha de inscrição para o e-mail: contato@edgarallanpoe.com.br. Escreva no título do e-mail: POESIAS AO VENTO

O envio da ficha de inscrição + poesia para o e-mail indicado significa que o autor(a) leu todas as informações e regras dessa página para participação na antologia.

Não fique fora dessa. O concurso cultural será amplamente divulgado nas redes sociais.

COMPARTILHE ;)

OBS.: para conhecer e participar de outras de nossas antologias: clique aqui.


Compartilhe:

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Para quem não gosta de poesia, por Simone Fontarigo


“Se eu gosto de poesia? Gosto de gente, bichos, plantas, lugares, chocolate, vinho, papos amenos, amizade, amor. Acho que a poesia está contida nisso tudo”

Assim o grande poeta Carlos Drummond de Andrade definiu o que é poesia. E com essa definição derrubou por terra os argumentos de quem dizia não gostar de poesia por ser coisa de pessoas sentimentais e sonhadoras demais. Coisa de mulherzinha...

Ledo engano. Nem só de “que não seja imortal, posto que é chama / mas que seja infinito enquanto dure”, do enorme Vinícius de Morais, vive a poesia. 

Está aí Edgar Allan Poe, grande poeta do terror, com o seu “O Corvo”: 

“E esta ave estranha e escura fez sorrir minha amargura / Com o solene decoro de seus ares rituais / "Tens o aspecto tosquiado", disse eu, "mas de nobre e ousado, Ó velho corvo / emigrado lá das trevas infernais! / Dize-me qual o teu nome lá nas trevas infernais" / Disse o corvo, "Nunca mais".”  

A poesia brasileira, por sua vez, tem diversos exemplos de poetas que usaram a poesia para fazer uma crítica social, sem perder a beleza da forma e a qualidade artística.

O que dizer de Ferreira Gullar e suas poesias que trazem temáticas políticas e sociais:

“O funcionário público não cabe no poema / com seu salário de fome / sua vida fechada em arquivos / Como não cabe no poema o operário / que esmerila seu dia de aço e carvão nas oficinas escuras”
Paulo Leminsk também usa a poesia para fazer críticas sociais:

“Na luta de classes / todas as armas são boas / pedras, noites, poemas”
Poderia citar muitos outros, como Castro Alves e sua “Canção do Africano”, “A Flor e a Náusea”, de Carlos Drummond de Andrade, ou “Epitáfio para o Século XX”, de Affonso Romano de Sant`anna. São poesias lindas, que estão longe se serem sentimentais e sonhadoras. 

Deixo então, aqui, um desafio para quem diz que não gosta de poesia: leia poesia. Se quiser, pode começar pelos poemas citados acima. Ou não. Opção é o que não falta. 

Se colocarmos a palavra “Poesia” na busca no Google, encontramos a mensagem “Aproximadamente 176.000.000 de resultados”. Com certeza, algum desses vai te agradar. Depois me conta. 


Simone Fontarigo é jornalista e escritora, com poesias e contos publicados em diversas antologias. Nascida e criada no Rio de Janeiro, é casada e tem um filho.

simone.fontarigo@gmail.com

 

Compartilhe:

sábado, 31 de outubro de 2020

Mauro Felippe, autor do livro Palavras Têm vidas, é destaque da nova edição da Revista Conexão Literatura (Novembro/nº 65)


EDITORIAL

Mauro Felippe, autor que vem ganhando notoriedade no meio literário, é destaque da nossa edição. Confira nas páginas da revista um especial que fizemos sobre o seu excelente livro Palavras têm vidas.

Textos interessantes preenchem essas páginas com crônicas, contos e poemas.

O leitor também poderá conferir várias entrevistas com escritores, além de dicas de livros.

Participe da nossa edição de Dezembro, seja com conto, crônica ou poema. Você também poderá divulgar o seu livro ou editora. Saiba como: clique aqui.

Tenha uma ótima leitura!


Para baixar a edição da Revista Conexão Literatura nº 65: CLIQUE AQUI.

Assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail notícias atualizadas sobre o mundo da literatura. Chegará um e-mail para você confirmar a inclusão:

Insira o endereço do seu e-mail logo abaixo e receba notícias sobre livros e autores:


Ademir Pascale - Editor-Chefe
.
Compartilhe:

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Instituto Estação das Letras abre em 14/9 duas oficinas de Poesia


O Instituto Estação das Letras abre em 14/9 duas oficinas de Poesia.
A oficina introdutória terá condução da mestre em Teoria Literária Suzana Vargas e se destina a escritores que desejam, a partir de diversos estímulos, trabalhar melhor sua produção poética.

Já a Avançada será ministrada pelo poeta e professor da História da Arte Nuno Rau. A Oficina pretende pensar o que é um poema; o que pode um poema hoje; e como fazer um poema que seja ancorado ao presente.
Por meio de diversas propostas de práticas, leituras e debates, os participantes também serão conduzidos à contextualização da produção em sala com a história, teoria, e as questões fundamentais da poesia contemporânea.

As aulas vão até 14/12, semanalmente às segundas-feiras, das 19h às 21h, e acontecem pela plataforma Zoom.
Inscrições e informações sobre investimento: iel@estacaodasletras.com.br
Compartilhe:

sábado, 18 de julho de 2020

Hugo Porto abraça poesia nas redes sociais

Hugo Porto - Foto: Gabriel Alencar
Autor de "Bóris, meu amigo gay" retoma paixão pela escrita em quarentena

Com a paixão pela literatura no DNA, Hugo Porto está de volta à produção escrita, 7 anos depois do lançamento do seu primeiro livro, "Bóris, meu amigo gay", e do registro, em 2018, de uma segunda obra ainda não publicada. Neto do escritor, poeta e membro da Academia Rio Grandense de Letras João Justiniano da Fonseca, o atual diretor-executivo numa startup de telemedicina viu na quarentena a oportunidade de retomar um projeto antigo em seu perfil pessoal no Instagram (@hugo_porto).

Com um relacionamento recém-terminado e em meio ao isolamento social, Hugo começou a postar poesias que escrevia desde 2019. Sua relação com a escrita é antiga – foi editor do Portal Flavour (precursor em conteúdo para o leitor LGTQIA+ na Bahia) e colunista dos portais Mix Brasil e Vipado –, mas era estreante na publicação de textos mais pessoais, que, em breve, revelariam não só experiências suas, mas também dos seguidores-leitores.

"A intenção ao começar a postar os textos era tocar as pessoas, levando um pouco da minha forma de pensar e reflexões acerca de experiências amorosas que tive, e afastar pessoas que não se encaixassem tanto comigo, com a minha forma de pensar e enxergar a vida e a afetividade", explica o escritor, que revisitou suas relações amorosas para concluir que esse era justamente um dos elementos que havia faltado nelas.

Mesclando vídeos e textos, Hugo passou a receber mensagens privadas de pessoas que compartilhavam suas opiniões, receios, dores e problemas, e tem visto seu perfil ganhar novos seguidores-leitores em ritmo acelerado. "Talvez em função do momento delicado de pandemia, minha poesia teve uma aderência inesperada para mim. Fico feliz de poder levar abraços em forma de palavras para pessoas que nem conheço e, inclusive, de estimular o trabalho de outros autores que não se sentiam confiantes para expor suas produções", reflete.

Compartilhe:

sexta-feira, 15 de maio de 2020

Instituto Ling promove aula de poesia on-line e gratuita em homenagem à escritora Adélia Prado

Crédito da foto: Bruno Cantini/ Clube Atlético Mineiro - Foto divulgação
Em uma tarde literária especial durante a próxima quarta-feira, dia 20 de maio, o poeta e escritor Pedro Gonzaga apresenta detalhes da trajetória e obra da autora, além de dar voz a alguns dos maiores poemas já publicados pela mineira

Em sua primeira edição on-line e gratuita, o projeto Poesia no Ling homenageia a escritora mineira Adélia Prado com uma tarde literária dedicada a leitura, discussão e apresentação da sua obra. No encontro virtual que ocorre na próxima quarta-feira, dia 20 de maio, às 16h, o também poeta e escritor Pedro Gonzaga analisará a trajetória da autora e dará voz a alguns dos poemas mais marcantes já publicados por ela. A atividade será transmitida ao vivo, com possibilidade de interação entre o ministrante e o público. Para participar, é necessário fazer inscrição prévia e sem custo no site www.institutoling.org.br.

Adélia Prado nasceu em Divinópolis, Minas Gerais, em 1935, onde reside até hoje. Formada em Magistério e Filosofia, a professora, contista e poetisa é considerada uma das escritoras mais importantes da literatura brasileira contemporânea. Com linguagem simples e vocabulário coloquial, seus poemas são leves e marcantes, trazendo elementos do feminino, da fé cristã e do cotidiano. Em março deste ano, foi escolhida como Personalidade Literária do Prêmio Jabuti, uma das mais importantes premiações do Brasil. A escritora também foi vencedora do prêmio em 1978 com o livro O Coração Disparado.

Pedro Gonzaga ministrará a aula especial Crédito da foto: Tainá Henn
Pedro Gonzaga é tradutor, poeta e escritor. Doutor em Literatura pela UFRGS, com diversas publicações, desenvolve há anos trabalhos com turmas de escrita criativa, voltadas para o público jovem e adulto. Atualmente é cronista do jornal Zero Hora e do Estado de São Paulo. Nasceu em 1975 em Porto Alegre, cidade onde vive.

O projeto Poesia no Ling é uma visita à obra de grandes autores do gênero. A cada mês, um professor de literatura é convidado a apresentar um determinado autor, além de dar voz a poemas especialmente selecionados. O próximo encontro, também on-line e gratuito, ocorrerá no dia 24 de junho, com Sergius Gonzaga apresentando textos de Pablo Neruda. A atividade é uma realização do Instituto Ling e do Ministério da Cidadania / Governo Federal, com patrocínio de Crown Embalagens, Fitesa e America Tampas. 

SERVIÇO – LITERATURA – EVENTO ON-LINE
Poesia no Ling
Pedro Gonzaga apresenta a obra de Adélia Prado
Dia 20 de maio, quarta-feira, às 16h
Gratuito, mediante inscrição prévia pelo site www.institutoling.org.br

Classificação etária: Livre
Duração: 90 minutos                                                                                                                              
Informações úteis
Fone: 51 3533-5700

Sobre o Instituto Ling
Criado e mantido pela família Ling desde 1995, o Instituto Ling é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a transformação da sociedade. Sua missão é promover o desenvolvimento humano e a evolução da sociedade através da disseminação de diferentes formas do conhecimento, da liberdade de pensamento, da valorização da cultura e da saúde. Na área da educação, desde 1995 auxilia jovens líderes a desenvolverem seus potenciais intelectuais e empreendedores através da concessão de bolsas de estudo para as melhores instituições do mundo. A abertura de seu Centro Cultural em Porto Alegre, no ano de 2014, ampliou e solidificou a atuação do Instituto, firmando-o como centro de referência na disseminação do conhecimento e do livre-pensar, fomentador da educação de excelência em seus múltiplos formatos e provedor de serviços e produtos culturais diferenciados, com elevado padrão de qualidade e estética.

Na área da saúde, o Instituto Ling estabeleceu parceria com o Hospital Moinhos de Vento, em 2015, para a implantação de um centro de referência no tratamento do câncer em Porto Alegre, e com a Santa Casa de Misericórdia, em 2019, contribuindo para a construção do novo prédio do complexo hospitalar em Porto Alegre. A família Ling, mantenedora do Instituto, é proprietária da "holding company" Évora. O grupo empresarial produz e comercializa latas de alumínio para bebidas, não-tecidos de polipropileno (usados principalmente na produção de descartáveis higiênicos) e tampas plásticas para bebidas e produtos de higiene e beleza.

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

POEME-SE

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

CEDRIK - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels