Participe da antologia (e-book) HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOL. VIII. Leia o edital

  Participe da antologia (e-book)  HISTÓRIAS PARA LER E MORRER DE MEDO - VOL. VIII . Leia o edital :  CLIQUE AQUI.

Mostrando postagens com marcador post do Rafa. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador post do Rafa. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 14 de junho de 2022

[Resenha] Diário de Otto Klein - Jaime Kopstein



Título: Diário de Otto Klein

Autor: Jaime Kopstein

Editora: Astrolábio Edições

Páginas: 474

Ano Lançamento: 2022

O “Diário de Otto Klein” foi mantido por um judeu austríaco entre 1922 e 1939. Melhor do que uma narrativa meramente factual, ele registra as vivências do autor (do referido diário) ao longo de seu dia a dia, num texto, portanto, não influenciado pelos ardis e lacunas da memória tão frequentes nos relatos elaborados décadas depois dos acontecimentos. Frequentemente emotivo leva-nos a nos embrenhar, a mergulhar no espírito que prevalecia na Viena daqueles dias, a senti-lo, portanto. A ação nos conduz até o início da hecatombe que tanto abalou a Europa e o mundo na primeira metade do século XX, permitindo-nos acompanhar como aquilo evoluiu em Viena. O dia a dia de um homem em busca de realização pessoal em um meio crescentemente hostil, seus estratagemas para superar as privações familiares em que foi criado, obrigando-se para isso a abrir mão de sua identidade. O diário permite-nos acompanhar as contradições em que é obrigado a viver, as conquistas e perdas em sua vida profissional, social e amorosa até os dias do epílogo tão dramático quanto inesperado. Um interesse adicional da obra é o olhar penetrante que lança o leitor a um período pouco visitado pela literatura que existe a respeito. Refiro-me à determinada inflexão no desenrolar da história do Holocausto. Na verdade, a literatura de ficção inspirada no período da anexação austríaca (Anschluss) é extremamente rara. E esse é justamente o momento culminante do desenrolar de nossa narrativa, o drama do judeu austríaco ao eclodir o Anschluss, a súbita e brutal precipitação do ataque aos judeus, a extinção abrupta de sua identidade como cidadão austríaco, finalmente sua expulsão ou confinamento e morte.

Impressões:

Diário de Otto Klein, traz uma memória e recordação jamais esquecida ou até mesmo apagada através do tempo. Estamos falando do horror que foi toda a Segunda Guerra Mundial.

Jaime Kopstein traz uma obra sensível e intimista que leva o leitor para dentro de toda a história, através da sensibilidade do protagonista, Otto Klein. Uma verdadeira viagem no tempo através dos capítulos.

Esse diário foi guardado a sete chaves, protegido dos olhares de curiosos, preservando uma verdadeira relíquia que narra toda a vida do nosso protagonista, deixando levar pelas lembranças através do tempo.

O autor possuí uma escrita intimista, óbvio! Estamos falando de um livro do qual é baseado em um diário. Fica evidente que o autor soube explorar os mínimos detalhes do personagem principal, contando tudo sobre a vida e a rotina do dia a dia. Ponto positivo! Detalhes e fluidez logo nas primeiras páginas.

Um ponto em destaque que merece atenção, é o fato do protagonista narrar de forma hábil toda situação vivida do início da Segunda Guerra Mundial e sofrimento dos judeus nas mãos dos nazistas.

O livro é sensível e tocante, levando o leitor para fazer parte da vida de Otto, protagonizando diversos momentos marcantes do personagem principal. Uma obra rica em fatos históricos e relevantes para entendermos como foi a Segunda Guerra Mundial pelos olhos dos judeus.





Compartilhe:

segunda-feira, 9 de maio de 2022

[Resenha] História da Imprensa no Brasil - Editora Contexto


Título: História da Imprensa no Brasil

Autores: Ana Luiza Martins

Editora: Contexto

Páginas: 305

Ano Lançamento: 2008

Sinopse:

Qual a relação do cidadão com a imprensa? Qual seu papel ao longo da história? Este livro mostra como a imprensa começou no Brasil em 1808 e como vem atuando duplamente - tanto como observadora quanto como protagonista da nossa história. Os primeiros impressos, a relação com os poderosos, a tecnologia alterando a forma de comunicação; as grandes empresas, a imprensa alternativa, o passado e o futuro da imprensa. Tudo isso é retratado de forma analítica em capítulos contextualizados e recheados de informações.

Impressões:

O jornalismo está presente em nossas vidas de forma direta e indireta, faz parte do nosso cotidiano e molda perfeitamente nosso modo de pensar e transmitir opiniões para diversos públicos e leitores.
No livro, "História da Imprensa No Brasil" a Editora Contexto traz uma obra completa sobre o assunto, trazendo os primórdios do jornalismo escrito no Brasil, sendo na época do império até os dias atuais. E sua relevância para moldar o nosso país.

As autoras propuseram expor seus pontos de vistas analisando de forma meticulosa e ao mesmo tempo crítica nas transformações do jornal através dos tempos, passando por inúmeras fases e caminhos tortuosos. Um exemplo: período da ditadura. Sendo fundamental o papel do jornalista levar em primeira mão os assuntos mais relevantes da época.

Editora Contexto mais uma vez trazendo para os leitores um excelente livro, dessa vez abrangendo tudo a respeito do jornalismo brasileiro; obra completa para os estudantes de jornalismo e leitores que tenham curiosidade de se aprofundar nesse assunto e tema.

Edição com um trabalho gráfico impecável, fontes com um tamanho adequado para leitura e bons espaçamentos. Ponto positivo.

Um dos pontos fortes da obra, é mostrar o futuro do jornalismo no Brasil, com o avanço cada vez mais intenso e presente da tecnologia em nossas vidas, fazendo as notícias chegarem em questão de segundos para os leitores.

Vale a pena? Com toda certeza! Uma leitura rica e histórica, levando o leitor para conhecer toda evolução e transformação do país através dos principais jornais e aqueles que fizeram toda diferença para levar notícia em inúmeras situações e riscos.



Compartilhe:

terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

[Filme] O Massacre da Serra Elétrica – O Retorno de Leatherface




Título Original: Texas Chainsaw Massacre

Direção: David Blue Garcia

Ano Lançamento: 18 de Fevereiro de 2022

Duração: 01h23min

Elenco: Sarah Yarkin, Elsie Fisher, Mark Burnham, 
Jacob Latimore, Moe Dunford, Olwen Fouéré e Alice Krige

Gênero: Terror, Suspense

Origem: Estados Unidos

Nesta sequência, um grupo de jovens decide dar vida nova a uma cidade fantasma no Texas, mas acaba se deparando com Leatherface, o famoso maníaco da serra elétrica.

Impressões:

Leatherface vive! O mais novo remake da franquia "O Massacre da Serra Elétrica", acaba de chegar no catálogo da Netflix, dividindo inúmeras opiniões em relação de toda trama.

O enredo gira em torno dos jovens Melody (Sarah Yarkin), Dante (Jacob Latimore) e Ruth (Nell Hudson), os três são jovens idealistas que buscam construir um mundo melhor para futuras gerações, com isso eles decidem iniciar um projeto na cidade fantasma Harbow, no Texas.

O passado dessa pequena cidade não abala toda determinação dos três amigos, mesmo sabendo que o mal ainda está vivo, pronto para despertar. É a partir daí que começa toda confusão.

Por conta de um despejo forçado de uma antiga moradora, faz iniciar uma fúria contida por parte do temido e perigoso Leatherface, seguindo o seu modus operandi para exterminar todos que estiverem em seu caminho.

Os diretores buscaram levar para o público uma pegada da atualidade, mostrando jovens idealistas preocupados com o mundo em que vivem, fugindo do velho e tradicional clichê de jovens em busca de sexo, drogas e álcool.

É por conta disso que o filme se perde no decorrer de toda trama, personagens confusos e sem personalidades, espalhados e perdidos no meio da carnificina, deixando inúmeras pontas soltas, sem um objetivo claro. Única certeza para os espectadores, é sede de sangue por parte do temido Leatherface.

Esse remake é previsível, debochado e que não sai do lugar, mesmo trazendo inúmeras referências com o primeiro filme da franquia, inclusive com uma personagem chave que foi muito mal aproveitada.

Só temos duas certezas ao longo do filme; matança por parte do Leatherface e sua motoserra funcionando em bom estado de conservação.




Compartilhe:

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2022

Resenha do livro Will, por Rafael Botter

Will Smith - Foto divulgação

Em Will, uma das maiores personalidades do entretenimento se abre em uma biografia corajosa e inspiradora sobre sucesso, felicidade e conexão humana. Ao longo da narrativa, Will Smith descreve em detalhes uma das jornadas mais incríveis já vividas no mundo da música e do cinema. Edição limitada acompanhada de pôster.

O processo de transformação de Will Smith de um jovem do oeste da Filadélfia a um dos maiores astros do rap de sua geração e, posteriormente, um dos nomes mais conhecidos de Hollywood é uma narrativa épica — mas é apenas parte da história.

Will pensava, com razão, que tinha vencido na loteria a vida: ele alcançara o estrelato e toda a sua família fazia parte do mais alto escalão do mundo do entretenimento. Mas não era bem assim que eles percebiam as coisas. A esposa e os filhos se sentiam atrações no espetáculo de Will, um trabalho em tempo integral para o qual não tinham se candidatado. A verdade era que a jornada de aprendizado de Will Smith ainda não havia chegado ao fim.

Escrito em colaboração com Mark Manson, autor do best-seller mundial A sutil arte de ligar o f*da-se, Will conta a história de alguém que conseguiu tomar as rédeas das próprias emoções de uma forma que pode inspirar todos a fazerem o mesmo. Poucas pessoas terão a experiência de se apresentar nos maiores palcos do mundo, mas todas são capazes de entender que o combustível que guia experiências como essa pode ser diferente daquele que nos move no caminho para casa.

Com dois encartes de 16 páginas de fotos inéditas do arquivo pessoal do autor. Will é o resultado de um profundo processo de autoconhecimento, um acerto de contas com tudo o que a motivação é capaz de conquistar e tudo o que pode deixar para trás. A união de sabedoria universal e uma história de vida incrivelmente interessante, por vezes surpreendente, coloca Will, o livro, assim como seu autor, em um panteão único.

Impressões:

Will Smith é um consagrado ator de Hollywood, possuindo inúmeros sucessos de bilheterias com filmes que marcaram uma geração, além de ator, Will mostra todo o seu talento através da música, com um estilo único em suas canções de rap. Levando inúmeros prêmios tanto com seus filmes e suas músicas. Um artista completo!

Will abre o seu coração e vida através dos capítulos de sua biografia, sem medo de ser feliz, o astro de Hollywood conta tudo o que passou, desde sua infância com um pai autoritário, até chegar ao estrelato, ganhando milhares de fãs e admiradores.

A obra possui uma vibe positiva e otimista no decorrer dos capítulos, Will possui uma facilidade para expressar suas emoções em cada linha escrita, deixando ainda mais próximos os leitores dos principais momentos da vida do ator, sendo na área artística, até passando pelos inúmeros obstáculos familiares.

A biografia possui capítulos medianos em tamanho, com uma escrita fluída do começo ao fim, Will Smith dá uma verdadeira aula de otimismo com seus relatos de inúmeras situações embaraçosas e até mesmo, constrangedoras.

Ele consegue manter um ritmo dinâmico, intenso e cativante, um misto de sentimentos em cada detalhe escrito pelo autor. Para os fãs de cinema, essa biografia é leitura obrigatória. Agora! Se você é fã da pessoa “Will Smith”, precisa ter esse livro na sua estante. Uma vida repleta de lutas e conquistas que o levaram para o topo do sucesso, sempre mantendo o otimismo e principalmente, a humildade.

Vale a pena? Com toda certeza! Will Smith esbanja todo o seu carinho, alegria e carisma ao narrar tudo sobre sua vida, o leitor passa entender o quão grandioso é o ser humanado chamado, Will Smith.

Título: Will

Autor: Will Smith

Editora: BestSeller

Páginas: 448

Ano Lançamento: 2021


Compartilhe:

sábado, 1 de janeiro de 2022

[Resenha] Depois - Stephen King



Título Original: Later

Autor: Stephen King

Editora: Suma

Páginas: 190

Ano Lançamento: 2021


Um livro que demonstra todo o talento de Stephen King, "Depois" é assustador e emocionante, e fala dos desafios de crescer e aprender a distinguir o certo do errado. Uma história poderosa, perturbadora e inesquecível sobre o preço de encarar o mal, não importa sob qual forma ele se esconda.

James Conklin não é uma criança comum: ele vê gente morta. Com que frequência? Jamie não sabe bem; afinal, os mortos em geral se parecem muito com os vivos. Exceto pelo fato de que eles ficam para sempre nas roupas em que morreram, e são incapazes de mentir. Sua mãe implora para que ele mantenha essa habilidade em segredo, o que não é problema na maior parte do tempo.

Pelo menos até Liz Dutton, a companheira de sua mãe e detetive do Departamento de Polícia de Nova York, aparecer na saída da escola e anunciar que precisa de ajuda. É assim que Jamie embarca em uma corrida para desvendar o último segredo de um falecido terrorista, e começa a jornada mais assustadora de sua vida.

“Stephen King já está tão consagrado como o mestre do terror sobrenatural que às vezes esquecemos que o talento dele também cobre todas as outras áreas.” New York Times Book Review

Impressões:

Stephen King é audacioso quando escreve uma nova obra, não sabemos o que vamos encontrar em cada capítulo lido, até mesmo com um virar de páginas tudo pode mudar e estarmos dentro da história, envolvidos com os personagens principais. Com tudo isso, vamos passar inúmeras sensações através de um dos seus últimos livros, “Depois” é um misto de drama e terror, com pitadas de sarcasmos.

O pequeno James “Jamie” Conklin vê gente morta, porém! Ele não sabe dizer com que frequência isso acontece em sua vida no cotidiano, apenas sua mãe sabe dessa “situação” que o próprio filho acaba compartilhando para si, deixando-a preocupada com sua segurança tanto física, quanto mentalmente.

Jamie é um personagem carismático, inteligente e divertido, deixando o leitor aguçado para cada vez mais conhecer um pouco de sua vida ao lado da mãe, um dos pontos positivos do jovem Jamie é sua sagacidade e intuição para futuros problemas que podem afetar sua vida familiar. Ponto positivo para o Mestre King!

Ok! Já que estamos falando do Mestre King, vale ressaltar que esse é um dos livros mais curtos do qual o próprio escreveu, pouco mais de 190 páginas, sendo devorado em um final de semana. O autor possui uma escrita dinâmica, apresentando fluidez logo nos primeiros capítulos, lembrando que são capítulos curtos e indo direto ao ponto com diversas situações enfrentadas pelo protagonista.

Essa é outra obra “não terror total” de Stephen King, possui uma dose generosa do sobrenatural, mas na medida certa, ao contrário de outros livros publicados pelo autor. “Depois” traz assuntos pertinentes para sociedade, um viés mais social e impactante para todos.

Voltando para o protagonista. Jamie narra sua jornada familiar ao lado de sua mãe, Thia, do qual possui uma editora e compartilha dos medos, anseios e preocupações com o filho. Isso deixa uma leitura mais intimista, levando o leitor para dentro de toda história.

Você deve estar se perguntando: Oras, mas cadê aquele medinho nível Stephen King? Muita calma nessa hora. Sim! Tem aquele “medinho” bem estilo Stephen King, Jamie vai esbarrar em uma situação da qual vai acarretar sérios problemas em sua vida pessoal, sendo atormentado por pesadelos, perseguições (humanas e sobrenaturais) e dilemas pessoais, segredos bem guardados pela sua mãe.

Vale a pena? Com toda certeza! Uma leitura na medida certa para os fãs do Stephen King, ou aquele leitor que busca uma leitura rápida e dinâmica. Fica nossa indicação para leitura de um final de semana tranquilo.



Compartilhe:

segunda-feira, 27 de dezembro de 2021

Netflix: #AnneFrank – Vidas Paralelas



Helen Mirren usa o diário de Anne Frank para contar sua história no filme, que é dedicado à sua memória e foi criado para marcar o que seria seu aniversário de 90 anos. O documentário também presenta a história de outras cinco mulheres que, quando jovens, também foram deportadas para campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. 

Impressões: 

Apenas um único diário foi responsável para fazer sucesso no mundo inteiro. Dentro dele? O sonho de uma garota judia ser destroçado pelo regime nazista. Anne Frank é o retrato sensível de uma família que busca de todas as maneiras fugir da crueldade da Segunda Guerra Mundial. 

#AnneFrank – Vidas Paralelas, mostra de uma forma ainda mais sensível o sofrimento daquelas pessoas (milhões) que perderam suas vidas em diversos campos de concentração. Famílias inteiras, sonhos perdidos e vidas perdidas por um motivo banal: eliminar os judeus. 

É inegável o sucesso que o diário de Anne Frank é para o Mundo. Ela trouxe toda sua angustia em páginas que mostram eles se escondendo dos soldados nazistas, porém! O final trágico para todos da família. 

O documentário é o mais novo sucesso da Netflix. Helen Mirren narra de forma ampla todos os familiares que perderam alguém do seu vínculo nos campos de concentração, tendo o foco e ligações entre a família Frank. 

Destaque para filmagens originais dos campos, mostrando todo o horror de crianças, idosos e mulheres que vivenciaram de perto o horror da Guerra. Esse documentário não é recomendado para pessoas sensíveis, por conter em alguns trechos, cenas fortes do período mencionado. 

O roteiro é gradual, mostrando de forma cronológica o período que toda família de Anne ficou escondido no anexo secreto da casa. Vale ressaltar que sendo o documentário, é de se esperar inúmeras fotos do acervo pessoal, cumpriram de forma brilhante o seu papel, mostrando foto até então desconhecidas do público. 

Foi um período nebuloso na história da humanidade, perdurando até os dias de hoje na memória dos sobreviventes e de pessoas que nunca imaginaram tamanha crueldade do ser humano para com o seu semelhante. 

#AnneFrank – Vidas Paralelas cumpre de forma intensa, emocionante e sensível o objetivo de levar para os espectadores os momentos da pequena Anne junto com sua família, mostrar os vários lados da crueldade com os judeus.

Título Original: #AnneFrank: Parallel Stories 
Direção: Sabina Fedeli e Anna Migotto 
Ano Lançamento: 01 de Julho de 2020 
Duração: 01h 35min 
Elenco: Helen Mirren, Arianna Szorenyi 
Gênero: Documentário 
Origem: Itália 


Compartilhe:

segunda-feira, 20 de dezembro de 2021

[Resenha] Casa Gucci - uma história de glamour, ganância, loucura e morte

 



Título Original: Casa Gucci - 
Uma história de glamour, ganância, loucura e morte

Autora: Sara Gay Forden

Editora: Seoman

Páginas: 520

Lançamento: 2021


Casa Gucci conta a história do clã Gucci, a família italiana que construiu um império da moda e artigos de luxo. Começando pelo fundador, Guccio Gucci, que abriu a primeira loja em Florença, passando pelo apogeu nos anos 1950 e 1960, com seu filho Aldo, e terminando com o assassinato do último membro da família a dirigir a empresa, Maurizio Gucci. A biografia da família é marcada por luxo, glamour e sucesso, mas também por brigas, processos, cobiça e assassinato. A autora reuniu essas histórias para contar a saga da dinastia Gucci, o assassinato de Maurizio e a condenação de sua ex esposa, Patrizia, como mandante do crime. Ela traça, ainda, um paralelo com o mundo da moda, contando a trajetória de vários estilistas famosos, como Tom Ford, o responsável pelo renascimento da grife Gucci e a briga de dois gigantes do mercado de luxo, LVMH e PPR, pelo controle da empresa.

Impressões:

Uma das grifes mais famosas do mundo, envolta em mistérios, ganância, poder e até mesmo assassinato. Casa Gucci é uma biografia do qual mostra os bastidores de uma das famílias mais poderosas do universo do luxo e glamour.

Sara Gay Forden, traz uma obra biográfica da família Gucci, "família perfeita aos olhos da mídia", do qual constituiu um império da moda através das décadas, com luxo e requinte, conquistando um seleto grupo de alta sociedade.

A autora possuí uma escrita envolvente com características e estilo jornalístico, Sara Gay não poupa esforços em trazer à tona tudo da família Gucci, até mesmo o lado sombrio dos próprios familiares.

Ok! Nem tudo são flores, os leitores vão acompanhar os bastidores da moda e alta grife ao redor o mundo, através da família Gucci e sua marca já consolidada em vários lugares. Um dos pontos marcantes é mostrar de forma intensa toda ganância, rebeldia e traições, tudo por conta do dinheiro.

A marca Gucci representa um estilo de vida e status com suas roupas, acessórios e até mesmo perfume. Eles conseguiram moldar o estilo de vida da alta sociedade e de inúmeras estrelas de Hollywood.

Um dos pontos positivos do livro foi seguir uma linha cronológica, seguindo os primeiros passos do patriarca da família iniciando seus trabalhos através dos anos vendendo e produzindo tecidos na Itália, até os dias atuais mostrando toda transformação da Gucci.

Os leitores estão mais ávidos para acompanhar o fim trágico de Maurizio Gucci, assassinado friamente enquanto estava se dirigindo para o escritório. Sara Gay teve todo cuidado de apresentar os detalhes antes e depois do crime e suas consequências entre os próprios familiares.

É reviravolta atrás de reviravoltas na família Gucci. Em cada capítulo vamos acompanhar todo o processo de investigação para encontrar os verdadeiros culpados e os reais motivos para tal atrocidade. Leitura instigante do começo ao fim!

Vale a pena? Com toda certeza! Uma leitura impacto logo nos primeiros capítulos, levando o leitor para todo universo da moda e da ganância por mais poder e dinheiro. Leitura obrigatória para os amantes da moda e biografia.



Compartilhe:

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

[Filme] Godzilla vs. Kong


Título Original: Godzilla vs. Kong

Direção: Adam Wingar

Ano Lançamento: 06 de Maio de 2021

Duração: 01h53min

Elenco: Alexander Skarsgard, Millie Bobby Brown, Rebecca Hall, 
Brian Tyree Henry e Kyle Chandler

Gênero: Ação, Aventura, Ficção Científica

Origem: Estados Unidos

No primeiro crossover do MonstroVerso, Kong e seus protetores embarcam em uma jornada perigosa para encontrar seu verdadeiro lar. Entretanto, tudo sai do controle quando um Godzilla enfurecido começa a deixar um rastro de destruição pelo planeta. Esse combate épico entre os dois titãs, instigado por forças ocultas, é apenas o começo do mistério que jaz no núcleo da Terra. Será que o mundo sobreviverá ao duelo de monstros?

Impressões:

Para os fãs dos monstros mais famosos do mundo, esse foi um dos crossover mais esperados dos últimos tempos. Juntar King Kong e Godzilla em um filme, sinal de muita pancadaria. Qual é sua torcida?

Toda trama gira em torno da fúria descontrolada do Godzilla, aparentemente ele está com muita raiva e resolveu destruir tudo pelo caminho sem se importar com os seres humanos, seu objetivo é acabar com tudo sem dó nem piedade. Porém! Os seres humanos contam com uma ajudinha.

Uma empresa muito da malvada quer ir ao centro da Terra (Sim! No filme existe uma galera da teoria da terra oca), essa mesma empresa está interessada nisso, afinal, existe uma fonte de energia no centro da Terra.

Existe uma certa rivalidade entre Kong e Godzilla, o espectador vai achar estranho se não tiver assistido aos filmes anteriores de ambos os monstros. O longa de certa forma tenta explicar os motivos do Godzilla tentar eliminar Kong de diversas maneiras. Óbvio que é pancadaria do começo ao filme.

Os protagonistas dessa empreitada levaram todo o longa nas costas. Roteiro é fraco, beirando ao cômico, tentaram criar uma estabilidade entre “humanos” e “feras”, foi um fiasco total. O foco acabou sendo em toda pancadaria das duas feras. Essa parte da terra oca foi pra acabar.

No quesito efeitos especiais é nota 1000! Sem sombra de dúvidas aproveitaram ao máximo esse recurso, seja nos momentos de brigas e até mesmo nas horas de destruição das cidades e adjacentes. Isso salvou boa parte do filme, digamos que 98%.

Vale a pena? Em partes, sim. Afinal, são dois ícones monstruosos da cultura pop dos últimos tempos. Sem contar que essa batalha foi esperada por muitos fãs da franquia. Tirando essa parte da terra oca, vale o divertimento para o final de semana.



Compartilhe:

sexta-feira, 26 de março de 2021

[Resenha] História da Primeira Guerra Mundial – Vitória Na Frente Ocidental

Título Original: Victory On The Western Front

Autor: Martin Marix Evans

Editora: M.Books

Páginas: 216

Ano Lançamento: 2014

Este livro traz o relato das batalhas na França no último ano da Primeira Guerra Mundial, em uma narrativa envolvente com depoimentos vívidos das trincheiras e dos campos de batalha feitos pelos soldados e oficiais de todas as nações, que participaram da guerra. À medida que os exércitos opostos avançavam e recuavam em meio a batalhas em lugares inóspitos e em circunstâncias adversas, Martin Evans mostra a importância dos progressos técnicos e das novas estratégias para derrotar o inimigo.

Impressões:

Editora M.Books apresenta mais um extraordinário livro histórico do qual abrange uma parte do conflito na Primeira Guerra Mundial, mostrando seus principais aspectos que abalaram o Mundo.

O conflito foi marcado por colocar homens contra máquinas, o início dos aviões para fins militares e de alto poder de destruição contra os soldados no campo de batalha.

Martin Evans busca levar para os leitores mais leigos no assunto, os pontos principais da Primeira Guerra, com uma escrita fluída e acessível para qualquer tipo de leitor que tenha curiosidade em entender um pouco mais.

Um dos pontos que merece ser destacado é o uso das primeiras máquinas de guerra para enfrentar o inimigo em qualquer terreno e região. O autor da uma ênfase maior para os primeiros veículos blindados da época.

A obra conta com relato de soldados e oficiais que combateram nas trincheiras, relatos esses do qual parece ter saído de filmes de terror por conta de toda brutalidade.

Trabalho gráfico como um todo está impecável, Editora M.Books mais uma vez apresentando uma obra excepcional para os leitores, possuindo fontes adequadas e bons espaçamentos. Nota 10!

Uma leitura que abrange o último ano do conflito, trazendo capítulos que seguem uma linha histórica, abordando principais campanhas que moldaram todo o Mundo toda economiza mundial.

O leitor que busca conhecer à respeito do tema, essa obra cumpre o seu papel, sendo uma leitura rápida tendo apenas 216 páginas que coloca o leitor nos fatos e acontecimentos de cada batalha.



Compartilhe:

quarta-feira, 24 de março de 2021

[Resenha] Uma Breve História da Segunda Guerra Mundial


Título: Uma Breve História da Segunda Guerra Mundial

Subtítulo: O Maior Conflito Da História Da Humanidade

Autor: Nigel Cawthorne

Editora: M.Books

Páginas: 216

Ano Lançamento: 2015

A segunda Guerra Mundial foi o maior conflito da história ocidental: envolveu mais de cem milhões de pessoas que serviram nas potências do Eixo e nos Aliados e resultou em um número não exato entre 50 a 70 milhões de mortos. Este livro trata da guerra na Europa, no Pacífico e em várias outras frentes de 1939 a 1945.

Impressões:

Segunda Guerra Mundial moldou o mundo do qual vivemos, os acontecimentos políticos reverberaram em todos os continentes, afetando de forma direta e indireta milhões de pessoas no período do conflito, deixando marcas ainda no século XXI.

Nigel Cawthorne apresenta uma obra que mostra os principais pontos do conflito, apontando em tópicos e capítulos curtos algumas das mais importantes operações nos campos de batalha, mobilizando milhões de soldados.

O autor possui uma escrita técnica jornalística, apresentando mapas, gráficos e inúmeras imagens históricas, deixando uma leitura fluída e dinâmica logo no primeiro capítulo.

Editora M.Books mais uma vez mostra sua qualidade ímpar nas edições, trabalho gráfico impecável, fonte adequada para proporcionar uma boa leitura e contendo bons espaçamentos.

Essa obra é indicada para os leitores iniciantes que buscam e tenham curiosidade de compreender mais a respeito da Segunda Guerra Mundial, uma leitura rápida que foge dos padrões de alguns livros mais técnicos e complicados. “Uma Breve História da Segunda Guerra Mundial” é direto ao ponto, uma leitura simplificada não fugindo dos detalhes mais importantes, trazendo todo o contexto histórico de forma gradual e seguindo toda linha do tempo até o final do conflito.







Compartilhe:

segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

Resenha - Quando o Amor Acontece



Título Original: Quando o Amor Acontece 
Autora: Paula Félix 
Editora: Koinonia/ Frutificando 
Páginas: 180 
Ano Lançamento: 2020 

Samira sempre soube que seria professora, tem orgulho de poder seguir a mesma profissão que a mãe. Ela leva uma vida rotineira, mas é feliz vivendo com o pai e a irmã mais nova. Há alguns anos, a vida de Miguel mudou, drasticamente. Após uma noite regada a álcool e diversão, ele sofreu um acidente que infelizmente o deixou cego. Quando Samira cruza seu caminho com a ajudinha de Bruce, seu cão-guia, Miguel tem apenas uma única certeza, será incapaz de ficar longe dela. 

Impressões: 

Existem livros que abalam nossas estruturas emocionais, revirando um misto de amor e ódio com personagens e situações, levando o leitor para dentro de toda história. É o caso da obra “Quando o Amor Acontece”, da autora Paula Félix. 

O romance possui dois protagonistas, Samira e Miguel. Jovens que possuem personalidades diferentes do qual o destino acabou unindo os dois jovens sonhadores. 

Paula Félix mostra uma habilidade ímpar em sua escrita. Em cada linha o leitor sente toda emoção dos personagens criados pela autora. Outro ponto forte que merece ser destacado é pelo dinamismo entre os personagens primários e secundários, deixando assim uma história e trama fluída logo no primeiro capítulo. 

“Quando o Amor Acontece” é recomendado para os leitores que apreciam uma boa história de amor, algo do tipo novela das 7. Possui seus momentos clichês? Sim, possui. Entretanto! Paula Félix soube dosar todos os momentos para que nada fique enjoativo ou cansativo. 

Essa paixão avassaladora de Miguel e Samira faz toda diferença. Ambos possuem vidas e situações completamente diferentes um do outro, porém o amor de ambos superam tudo e todos. Uma obra que merece ser lido e estar na sua estante.



Compartilhe:

sexta-feira, 1 de janeiro de 2021

O Estripador - Netflix


Título Original: The Ripper
Direção: Jesse Vile e Ellena Wood 
Ano Lançamento: 17 de Dezembro de 2020 
Duração: 50 min por episódio 
Episódios:
Temporada:
Origem: Reino Unido 
Gênero: Documental, Crime 

O Estripador é uma série documental centrada em Peter Sutcliffe, um serial killer que, entre 1975 e 1980, aterrorizou o norte da Inglaterra com seus crimes brutais. O homem, que ficou conhecido como o Estripador de Yorkshire, matou 13 mulheres e tentou fazer o mesmo com outras quatro. Assim como Jack, o Estripador, Sutcliffe costumava perseguir e atacar prostitutas, sempre escapando da polícia. A partir de entrevistas com investigadores e testemunhas, a produção conta a história desse assassino implacável, que acabou condenado a 20 prisões perpétuas. 

Impressões: 

Netflix tem mostrado inúmeras facetas em suas produções originais, seja filmes, séries e até mesmo minisséries documentais. O seu mais novo lançamento é intitulado “O Estripador”. Uma obra original que busca dar um sentindo no assassino em série conhecido como “O Estripador De Yorkshire”. 

São quatro episódios que mostra de uma forma intensa e ao mesmo tempo assustadora os ataques de um serial killer e seus métodos brutais de assassinato, além de mostrar todo o empenho da polícia para encontrar o suspeitos nas ruas de Londres nas décadas de 70 e 80. 

Peter Sutcliffe é o nome do serial killer, sendo condenado a 20 prisões perpétuas, porém! Em novembro de 2020 ele foi vítima do novo Covid-19. Entretanto! Essa série busca recriar os seus passos e mostrar os motivos dele ter cometido inúmeras atrocidades, principalmente com mulheres (sendo o seu foco principal prostitutas). 

Um ponto em destaque da minissérie é mostrar o modus operandi do serial killer, sendo o mesmo de outro notório assassino; Jack, o Estripador. Ambos perseguiam prostitutas para dar fim em suas vidas, na mente de ambos, ninguém daria falta daquelas mulheres e assim buscavam cada vez mais saciar sua sede de sangue. 

Sua fama correu o mundo, além de seus assassinatos o criminoso conseguia escapar da polícia e das autoridades, façanha que poderia ter sido retratado em qualquer filme de suspense e terror. 

Partindo de várias entrevistas realizado com o pessoal que está na linha de frente da caçada ao serial killer, esse é o ponto culminante de entender toda natureza humana por parte dos especialistas. Sutcliffe mostrou-se uma pessoa fria, sem amor ao próximo e muito menos piedade, prova é o estado dos corpos que ele deixaria para trás. Essa é uma minissérie recomendada para maiores de 18 anos, para um público que busca conhecer o lado mais perverso do ser humano e suas inúmeras facetas. Inclusive para o público que pretende seguir na carreira de psicológicos ou psiquiatras, essa produção cumpre em mostrar os mínimos detalhes da empreitada pela caçada do assassino.



Compartilhe:

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

[Filme] O Halloween do Hubie


Título Original: Hubie Halloween 
Direção: Steven Brill 
Ano Lançamento: 07 de Outubro de 2020 
Duração: 01h42min 
Elenco: Adam Sandler, Julie Bowen, Steve Buscemi, 
Kevin James e Rob Schneider 
Gênero: Comédia, Terror 
Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Em O Halloween do Hubie, filme de Adam Sandler para a Netflix, Hubie Dubois é uma figura de grande zombaria para as crianças e adultos, apesar de sua devoção a Salém, sua cidade natal. Quando um assassinato próximo ao Dia das Bruxas ocorre, Hubie assume a responsabilidade de investigar o caso, sendo a esperança para salvação da data. O Halloween do Hubie conta no elenco com Adam Sandler, Maya Rudolph e Noah Schnnap (Stranger Things). 

Impressões: 

Outubro é o mês do Halloween, praticamente todos os anos a plataforma de streaming Netflix entrega um bom filme para não passar em branco esse mês macabro. Porém! Dessa vez é uma mistura de comédia e terror. 

O Halloween do Hubie é nova aposta da Netflix, trazendo Adam Sandler como o protagonista e peça centra de toda trama. 

Hubie Dubois é um sujeito que passa por inúmeras situações de zombaria tanto de crianças e adultos, mesmo assim ele não desiste em mostrar sua devoção a Salém, sua cidade natal. 

Próximo ao dia das bruxas, acontece um misterioso assassinato. É missão do Hubie em investigar o caso e tornar-se o orgulho da cidade e mostrar todo o seu potencial, para que todos parem de tratarem como um idiota. 

Hubie recebe uma missão de patrulhar às ruas na noite de Halloween, porém coisas estranhas começam acontecer, pessoas estão desaparecendo misteriosamente, deixando poucas pistas para Hubie encontrar o verdadeiro assassino. 

Mais uma vez temos Adam Sandler em papel com humor descontraído e bobão. O longa permeia com diversas paródias de clássicos do cinema de terror dos ano 80 e 90. 

O Halloween do Hubie conta com diversas participações de atores consagrados, Steve Buscemi, Bem Stiller e Maya Rudolph, trazendo um valor mais dinâmico ao longo de toda trama. 

Esse é um filme que tem como objetivo principal divertir toda família, no mês do terror. Uma dica? Garrafa térmica de uma importância relevante em todo o longa. Gostosura ou travessuras?



Compartilhe:

quarta-feira, 7 de outubro de 2020

[Série] Challenger: O Voo Final


Título Original: Challenger – The Final Flight 
Direção: Daniel Junge 
Ano Lançamento: 16 de Setembro de 2020 
Duração: 54 min por episódio 
Elenco: June Scobee Rodgers, 
William Hawood e Leslie Serna 
Episódios:
Temporada:
Gênero: Documentário 
Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Engenheiros, oficiais e familiares dos membros da tripulação fornecem sua perspectiva sobre o desastre do Ônibus Espacial Challenger de 1986 e suas consequências. 

Impressões: 

A gigante Netflix apresenta mais uma série original em seu catálogo, divido em quatro capítulos, o espectador vai acompanhar toda tragédia do Ônibus Espacial Challenger, revirando inúmeros arquivos para levar o espectador entender de vez todo o ocorrido. 

A minissérie foi produzida por J.J. Abrams e Glen Jipper, produção examina os eventos da nave espacial que explodiu 73 segundos após o seu lançamento, sendo visto por milhões de espectadores ao redor do mundo. 

São inúmeras entrevistas jamais visto pelo público em geral, arquivos que até então estavam guardados longe da mídia, oferecendo um entendimento melhor das causas que levaram ao ponto dessa terrível tragédia. 

O documentário mostra todo o bastidor da NASA, nos mínimos detalhes. Essa fatídica missão entraria para história ao levar para o espaço a primeira civil para compor o restante da tripulação. 

A professora Christa McAuliffe participou de uma concorrida e árdua seleção para levar um professor ao espaço, com o objetivo de todos poderem acompanhar aulas ao vivo sendo transmitido fora do Planeta Terra. Infelizmente isso não ocorreu. 

Para os amantes de todo esse universo astronômico, essa série é mais que recomendado, livro aberto para os telespectadores entenderem os fatos anteriores e posteriores dessa irreparável tragédia.


Compartilhe:

terça-feira, 6 de outubro de 2020

[Resenha] Xuxa Meneghel – Memórias


Título: Xuxa Meneghel – Memórias 

Autora: Xuxa 
Editora: Globo Livros 
Páginas: 272 
Ano Lançamento: 2020 

Sinopse: 

Sem meias palavras, a maior apresentadora do país e um dos nomes mais reconhecidos da cultura pop mundial escreve Memórias 

Com as famosas “xuquinhas” no cabelo e chegando em uma nave, Xuxa conquistou uma legião de fãs nos anos 80 e segue, até hoje, como um dos rostos – e nomes – mais famosos do mundo. Em Memórias ela não se esconde: conta desde a infância – e os terríveis abusos que sofreu –, namoros famosos (como Pelé e Ayrton Senna), o estouro na Globo com o Xou da Xuxa, as polêmicas, além de seu ativismo pela causa animal e pelos direitos das crianças, o nascimento de Sasha, até chegar aos dias atuais. 

Com muita honestidade, Xuxa conta que nem tudo é glamour na vida de uma estrela de sua magnitude: fala de perdas e do trabalho árduo para chegar onde está. Memórias traz mais de 100 fotos selecionadas por Xuxa, muitas delas inéditas e de seu acervo pessoal e texto de orelha escrito pela rainha do rock Rita Lee. A capa também foi concebida pela apresentadora, que doará os royalties para a Aldeia Nissi, na Angola, e para santuários de animais resgatados de maus-tratos no Brasil. 

Impressões: 

Finalmente o tão esperado livro da Xuxa foi lançado, em poucos dias bate recordes de vendagens, liderando o topo dos mais vendidos no Brasil em questão de horas, mesmo estando em pré venda! 

Vamos falar do livro em si. O leitor pode pensar num primeiro momento que trata-se de uma biografia, ledo engano. Escrito pela própria Xuxa, o leitor e fãs da apresentadora, vão conhecer um pouco mais da jovem sonhadora Maria da Graça. 

Para os fãs mais fervorosos, esse livro é mais do mesmo, sem nenhuma grande novidade. Já para o público que não é tão fã, esse livro é uma porta de entrada para ser lido e conhecer toda trajetória da rainha dos baixinhos. 

O livro de memórias traz todo o início de carreira da apresentadora, seus primeiros passos no mundo da moda, até chegar o momento que mudaria sua vida por completo. Conquistando o coração de uma geração. 

Xuxa ganhou o coração de inúmeros baixinhos ao redor do mundo, por conta dos seus programas infantis, sem contar o enorme sucesso com vendas de cds e dvds, quebrando recordes de vendagens. 

Os capítulos são curtos, rápida leitura em um final de semana. Um ponto que vale ser mencionado é da própria Xuxa mostrar sua vida particular com o seu atual companheiro, deixando uma leitura bem intimista com o próprio leitor. 

Outro capítulo que merece ser dito e respeitado, foi o momento em que ela decidiu tornar-se vegana, uma decisão que mudou sua forma de viver e também olhar com outros olhos os animais que tanto ela estima. 

Não poderia faltar o seu relacionamento com o ex piloto de Fórmula 1, Ayrton Senna. Ela conta algumas situações que presenciou ao lado dele enquanto estavam juntos, uma linda história de amor que jamais será esquecido. 

Uma ótima pedida para conhecer um pouco da vida de Xuxa Meneghel, suas conquistas, vitórias e derrotas, afinal, não foi um mar de rosas sua vida. Lutou e conquistou para ser a rainha dos baixinhos.



Compartilhe:

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

Filme: Power - Netflix


Título Original: Project Power
Direção: Henry Joost, Ariel Schulman 
Duração: 01h50 min 
Ano Lançamento: 14 de Agosto de 2020 
Elenco: Jamie Foxx, Joseph Gordon-Levitt, 
Rodrigo Santoro e Dominique Fishback 
Gênero: Ação, Ficção Científica 
Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Em Power, a notícia de que uma nova pílula capaz de liberar superpotências para cada um que a experimentar começa a se espalhar nas ruas de Nova Orleans. Poderes como pele à prova de balas, super força e invisibilidade apareceram em usuários, porém, é impossível saber o vai realmente acontecer até tomá-la. Mas tudo muda quando a pílula acaba aumentando o crime na cidade, fazendo com que o policial local (Joseph Gordon-Levitt) se una a um traficante adolescente (Dominique Fishback) e um ex-soldado com sede de vingança (Jamie Foxx) para combater o poder com poder, chegando na origem da pílula. 

Impressões: 

Mais um lançamento imperdível da plataforma de streaming, Netflix. Eles não brincam em serviço. O seu mais novo sucesso é uma mescla de ação e muito porrada e tiroteio que vai agradar os espectadores mais exigentes. 

Power é uma nova droga, comercializada nas ruas de Nova Orleans, essa misteriosa droga ativa superpoderes em seus usuários. Porém! Esse poder tem duração de apenas cinco minutos, além dos inúmeros efeitos colaterais. O barato da coisa é experimentar essa pílula e descobrir o seu poder. 

Vamos mencionar logo de cara o elenco. Jamie Foxx, Joseph Gordon-Levitt e Rodrigo Santoro. Um time de peso que faz toda diferença no decorrer do longa. O dinamismo e toda criativa perdura em boa parte do trabalho entre os atores. 

Power não deixa de lado toda ação com assaltos à bancos, roubos de pedestres e toda corrupção rolando solta na sociedade completamente corrompida. 

Existe três personagens principais, uma adolescente, um ex soldado e um policial, que buscam descobrir cada qual da sua maneira mais informações sobre essa tal droga misterioso e tentar contar o avanço entre os jovens. 

O roteiro foi escritor por Mattson Tomlin, ele soube dosar toda trama entre os personagens principais, explorando o conflito de cada um, mas sem excessos. Destaque para toda vibe misteriosa que o filme deixa no desenrolar de toda trama. 

Uma história empolgante mesclando com inúmeras cenas de ação, combinando efeitos visuais de primeira, deixa o expectador dentro da história ao lado dos personagens principais, uma experiência única de emoção e dinamismo. 

Power foge dos padrões, entregando uma história bem delineada, saindo das produções teen e focando em outro tipo de público, os amantes de super-heróis. Uma ótima pedida para ser assistindo em um final de semana. 




Compartilhe:

terça-feira, 1 de setembro de 2020

Filme: Origens Secretas - Netflix

 

Título Original: Origenes Secretos
Direção: David Galán Galindo
Duração: 01h39 min
Ano Lançamento: 28 de Agosto de 2020
Elenco: Leonardo Sbaraglia, Verónica Echegui, Álex Garcia II, 
Brays Efe e Carlos Areces
Gênero: Ação, Drama
Origem: Espanha

Sinopse:

Madri, 2019. Um serial killer espalha caos pela cidade, assassinando pessoas anônimas sem vínculo aparente e recriando as primeiras aparições dos super-heróis mais famosos. Cosme, o melhor detetive da delegacia, está prestes a se aposentar contra a sua vontade, e o jovem e impulsivo David será seu substituto. Juntos, eles têm a missão de solucionar esse mistério e para isso contarão com a ajuda de Jorge Elías, filho de Cosme, um nerd gente boa, dono de uma loja de quadrinhos, e da delegada Norma, fã de mangás e cosplay. Todo mundo tem que fazer a sua parte para salvar o mundo — por que não com traje de super-herói?

Impressões:

Mais uma produção original da Netflix, entrando na lista dos mais visualizados da plataforma online. Um filme produzido na Espanha, mesclando todo o universo nerd, com mistério, ação e muito bom humor.

O personagem principal é um detetive que está em uma intrincada investigação, envolvendo um serial-killer. Esse mesmo assassino escolhe suas vítimas e recria toda origem de alguns dos maiores super-heróis.

Um dos pontos principais é o espectador manter o foco do começo ao fim, pois durante o longa, existem inúmeras referencias do universo nerd. Tudo bem até aqui? Certo!

A trama vai se desenrolando quando o detetive David encontra ajuda do jovem Jorge Elias, um nerd de carteirinha que inclusive possui uma loja de quadrinhos e age como um nerd de primeira.

Em determinados momentos, o longa mescla o humor para deixar toda uma situação mais tranquila, além de inúmeras sátiras aos filmes de heróis. Deixando assim, um filme dinâmico e intuitivo.

O roteiro é bem estruturado, consegue prender o espectador. Outro detalhe é possuir diversos planos, inclusive, explorar os conflitos entre os dois personagens principais e formando um excelente enredo. Mais um ponto positivo para produção original da Netflix.



Compartilhe:

terça-feira, 14 de julho de 2020

Netflix - Ligue Djá: O Lendário Walter Mercado


Título Original: Mucho Mucho Amor: The Legendo of Walter Mercado 

Direção: Cristina Costantini e Kareem Tabsch 

Duração: 01h35 min 

Ano Lançamento: 08 de Julho de 2020 

Elenco: Walter Mercado, Willy Acosta e Lin-Manuel Miranda 

Gênero: Biografia, documentário 

Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Todos os dias, ao longo de décadas, Walter Mercado — o astrólogo icônico que não seguia limitações de gênero — encantava 120 milhões de telespectadores latinos com sua extravagância e positividade. 

Impressões: 

Ligue Djá! Quem não se lembra do icônico bordão dos anos 90 através da televisão brasileira? Pois é! O tempo passa muito rápido, estamos ficando velho e ligando o modo saudosista para relembrar toda explosão de quem foi o Walter Mercado. 

Netflix apostou e acertou! Um documentário que segue uma linha através do tempo, para contar quem foi o astrólogo e vidente, Walter Mercado. Conquistando o Mundo com o seu carisma, jeito misterioso e suas roupas chamativas. 

Walter Mercado foi um enorme sucesso nas décadas de 90 e início de 2000. Mas, muito antes, de forma mais simples ele já era fenômeno na américa latina, arrastando verdadeiros fieis que o seguiam para aonde ele fosse. 

O documentário leva para o público de forma nua e crua os altos e baixos do astrólogo, mostrando inclusive o duro golpe que ele sofreu com seu antigo empresário, acabando até mesmo na justiça em busca dos seus direitos. 

Infelizmente, três meses após o lançamento desse documentário Walter Mercado veio falecer por complicações renais. 

Um dos pontos principais do documentário é o grande evento de celebração aos 50 anos de carreira de Walter Mercado. Mostrando uma legião de fãs que viajaram de todos os cantos para estarem na celebração única do vidente. 

Walter Mercado não nega o seu nível alto de narcisismo, mesmo estando “aposentado” dos holofotes e mídia em geral, ele continua se preocupando com sua aparência, modos de vestir e até mesmo com alguns luxos. Merecido! 

Inclusive! O documentário é imparcial, mostrando o depoimento de várias pessoas que conviveram com Walter, até mesmo aquele empresário que deu um duro golpe na vida do vidente. 

Vale a pena? Sim! Vamos voltar para os anos 90 e relembrar de forma carinhosa o jeito extravagante de Walter Mercado, com suas previsões para o futuro, mensagens de amor e o principal. Levar paz para todos com o seu jeito irreverente.


Compartilhe:

terça-feira, 23 de junho de 2020

Filme - O Vendedor de Sonhos


Título Original: O Vendedor de Sonhos 

Direção: Jayme Monjardim 

Duração: 01h38min 

Ano Lançamento: 8 de Dezembro de 2016 

Elenco: César Trancoso, Dan Stulback, Thiago Mendonça, 
Leonardo Medeiro e Guilherme Prates. 

Gênero: Drama 

Origem: Brasil 

Sinopse: 

Júlio César (Dan Stulbach), um psicólogo decepcionado com a vida em geral, tenta o suicídio, mas é impedido de cometer o ato final por intermédio de um mendigo, o "Mestre" (César Troncoso). Uma amizade peculiar surge entre os dois e, logo, a dupla passa a tentar salvar pessoas ao apresentar um novo caminho para se viver. Adaptação do best-seller homônimo do psicoterapeuta e escritor Augusto Cury. 

Impressões: 

O grande sucesso literário de Augusto Cury, ganhou uma adaptação para os cinemas, lançado em 2016, o filme “O Vendedor de Sonhos”, já está disponível no catálogo da Netflix, sendo um dos mais vistos dos últimos dias, desde o lançamento. 

Um dos personagens principais é o psicólogo Júlio César, está decepcionado com a vida, tomando uma atitude drástica, o respeitado psicólogo está decidido por um fim em sua vida. Porém! No último instante, aparece um salvador. 

Um andarilho segue seus instintos e busca ajudar o então desconhecido, Júlio César. Esse misterioso sem-teto começa conversar com o psicólogo, através dessa situação delicada, acaba virando uma amizade. 

O longa é 100% autoajuda, é esperado que muitos expectores não apreciem esse gênero. Vale ressaltar que o filme em questão possui uma mensagem para o momento em que estamos vivendo. 

Júlio César acaba tornando-se discípulo desse andarilho que se intitula como “mestre”, a partir daí eles vão conquistando inúmeras pessoas, com objetivo de ouvir os ensinamentos do mestre. 

Augusto Cury é expert em autoajuda, com o filme não poderia ser diferente. Seus ensinamentos são mostrado de forma intensa no decorrer do longa. 

Dan Stulbach faz o papel do psicólogo suicida, trazendo uma incrível atuação, deixando seu personagem ainda mais realista e intenso. 

O mestre acaba despertando alguns desafetos, colocando sua vida e de seus seguidores em riscos, tudo isso para mostrar o passado do andarilho que só prega paz e ajuda ao seu semelhante. 

O longa pode agradar e ao mesmo tempo desagradar com situações piegas de autoajuda em excesso. Vale uma chance para ser prestigiado o nosso cinema nacional.


Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA
clique sobre a capa

BAIXE O E-BOOK GRATUITAMENTE

APOIO E INCENTIVO À LEITURA

APOIO E INCENTIVO À LEITURA
APOIO E INCENTIVO À LEITURA

INSCREVA-SE NO CANAL

INSCREVA-SE NO CANAL
INSCREVA-SE NO CANAL

DO INCISIVO AO CANINO - BERT JR.

MAFRA EDITIONS

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

DIVULGUE O SEU LIVRO

FUTURO! - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels