Autor(a) divulgue o seu livro, conheça o Pacote Divulgação Para Autores

Autor(a), saiba como divulgar o seu livro conosco, acesse: http://www.revistaconexaoliteratura.com.br/2020/09/autora-divulgue-o-seu-livro-co...

Mostrando postagens com marcador série. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador série. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 25 de janeiro de 2022

The Witcher: livros que inspiraram série têm versão em audiobook

 

Escrito por Andrzej Sapkowski, volume 1 e 2 da saga que contam a vida do bruxo Geralt de Rivia estão disponíveis no Skeelo

O bruxo Geralt de Rivia é provavelmente um dos protagonistas mais conhecidos da ficção nos últimos anos e não só pela série ou jogo, mas também pelos livros que inspiraram todas as produções de The Witcher. Frases como ‘aguenta carpeado’, ‘não toque na plotka’ e ‘a verdade é um fragmento de gelo’ são algumas das marcas desse personagem famoso criado há cerca de 30 anos.

A trama, que se passa na era medieval e mostra os conflitos vividos pelo mutante que caça monstros, é baseada na coleção de obras que têm o mesmo nome e foi escrita pelo polonês Andrzej Sapkowski no final dos anos 80 e publicada no início dos anos 90.

Os livros ‘A espada do destino’ e o ‘Último Desejo’, ambos publicados aqui no Brasil pela WMF Martins Fontes, mostram o início da aventura do bruxo que percorre diferentes povoados oferecendo seus serviços de caça. A história tem claramente influências mitológicas e umas das narrativas mais envolventes do gênero. O que muita gente não sabe é que ambas publicações também existem em formato de audiolivro.

Narrado por Mauro Ramos e disponível na plataforma Skeelo Audiobooks (https://audiobooks.skeelo.app/), as duas obras contadas despertam a imaginação diante de cada acontecimento na trama. Além da caça aos monstros, Geralt enfrenta a rejeição das pessoas e precisa lutar de todas as formas para viver. O enredo também tem espaço para romance. Yennefer é o grande amor do bruxo, mas a relação dos dois é desafiadora e envolve traições, medos e angústias. 

Vale lembrar que volume 1 e 2 da saga formaram a base que inspirou todas as outras produções de sucesso já conhecidas até agora. E para quem ainda não conhece a história, vale conferir o enredo e voltar no tempo com o bruxo Geralt de Rivia.

Compartilhe:

terça-feira, 4 de janeiro de 2022

Gerações de autores latino-americanos se encontram através dos livros

A escritora Conceição Evaristo  (Crédito: Divulgação/Curta!)

NA SÉRIE ‘O LOBO DO LOBO’, CONCEIÇÃO EVARISTO, MARIANA ENRIQUEZ, JORGE VOLPI, WILLIAM OSPINA E INÉS BORTAGARAY REVELAM OS AUTORES QUE INSPIRARAM SUAS OBRAS 

Curta! começa 2022 celebrando a cultura latino-americana! Na primeira semana do ano, o canal estreia a série “O Lobo do Lobo e a Literatura Latino-americana”, dirigida por Daniel Augusto. A produção aborda essa produção literária através do olhar de cinco autores contemporâneos e suas referências — também da América Latina. Cada um dos cinco episódios apresenta o depoimento de um desses escritores, que comentam suas vivências, memórias e sensações, além de contarem como foram influenciados pelos mestres que admiram.

O episódio de estreia traz a escritora mineira Conceição Evaristo, compartilhando sua vivência como mulher, negra, oriunda de uma família pobre que, por eventualidades de vida, acabou tendo a chance de estudar. Tornou-se professora universitária e uma autora conceituada, mas até hoje luta para que suas perspectivas, profundamente impactadas por todos esses fatores, não sejam apagadas diante de um cânone dominado majoritariamente por homens brancos. Sua trajetória entra em interseção com a de outra autora, de uma geração anterior: Carolina Maria de Jesus, nascida em 1914, 32 anos antes de Conceição vir ao mundo.

O encontro se dá através do livro “Quarto de Despejo”, lançado por Carolina e lido por Conceição em 1960. “O que Carolina vivia nas ruas de São Paulo era o que nós vivíamos nas ruas de Belo Horizonte”, relembra Conceição, que, na infância, teve a dolorosa experiência de abandonar compulsoriamente a casa onde vivia, algo semelhante ao que acontece na referida obra. “A vivência dela enquanto mulher pobre, enquanto mulher negra, enquanto mãe solteira, enquanto catadora de papel... e mais do que isso: a Carolina traz para o livro dela esse desejo, esse quase desespero de se apropriar da escrita”, analisa a autora.

Nos episódios seguintes, outros encontros entre gerações de escritores se dão através das obras deixadas pelos mais antigos, como numa passagem de bastão entre o velho e o novo. A série apresenta a escritora e jornalista Mariana Enriquez, que fala sobre sua identificação com Silvina Ocampo; o escritor e “músico frustrado” mexicano Jorge Volpi, que discorre sobre sua admiração por Carlos Fuentes; o colombiano William Ospina, que lembra a importância de Gabriel Garcia Márquez em sua vida; e a uruguaia Inés Bortagaray, que conversa sobre Mario Levrero.

O Lobo do Lobo e a Literatura Latino-Americana” é uma produção da Pacto Filmes viabilizada exclusivamente pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). A estreia é na Quinta do Pensamento, 6 de janeiro, às 21h30.

Helena Ignez por ela mesma, em filme dirigido por
sua filha, Sinai Sganzerla

Helena Ignez, cineasta e atriz-musa do Cinema Novo, mergulha na própria história no documentário “A Mulher da Luz Própria”, dirigido por sua filha, Sinai Sganzerla. O filme vai de seu nascimento, em Salvador, à maturidade e sua parte na construção de um cinema autenticamente brasileiro.

Narrado pela própria Helena, em primeira pessoa, o documentário intercala belíssimas imagens antigas — retiradas dos filmes de que participou e de registros de sua vida pessoal — com cenas feitas exclusivamente para “A Mulher da Luz Própria”. As imagens de várias épocas são entrelaçadas e ajudam a compor a mulher madura que vemos, com suas lembranças e aprendizados.  A exibição é Quarta do Cinema, 5 de janeiro, às 21h30.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 03/01

22h – “Blitz, O Filme” (Documentário)
O documentário apresenta a trajetória da primeira banda consagrada do pop-rock brasileiro, a Blitz. O longa-metragem explora desde o surgimento do grupo nos anos 1980, sob a lona do Circo Voador, na época situada entre Ipanema e Copacabana, até as turnês internacionais e o sucesso ainda hoje. Direção: Paulo Fontenelle. 
Duração: 104min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 04 de janeiro terça-feira, às 02h e às 16h; 05 de janeiro, quarta-feira, às 10h; 08 de janeiro, sábado, às 15h.

PROMOhttps://youtu.be/jr2vkhxaS7o
FOTOShttps://drive.google.com/drive/folders/1EX485Zo01obzlXvYqRYuz6yRGKSYFk0h?usp=sharing

Terça das Artes (Visuais, Cênicas, Arquitetura e Design) – 04/01

23h – "As Aventuras da Arte Moderna” (Série) – Episódio “Meia-noite em Paris”
Irrompe a Segunda Guerra Mundial, e a França mobiliza os seus meios de guerra. Após o fiasco do mês de junho de 1940 e da ocupação da Alemanha nazista, a Europa está em farrapos e os artistas e intelectuais fogem em massa. Diretoras: Amélie Harrault, Valerie Loiseleux. Duração: 52 min. Classificação: 16 anos. Horários alternativos: 05 de janeiro, quarta-feira, às 03h e às 17h; 06 de janeiro, quinta-feira, às 11h; 08 de janeiro, sábado; 19h01.

PROMO: https://www.youtube.com/watch?v=LvayzvrBGt8
FOTOS: https://drive.google.com/open?id=16RAYNbFQSeNsIfSJqFtjRU3uZb1uDQxr

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 05/01

21h30 – " A Mulher da Luz Própria” (Documentário)
“A Mulher da Luz Própria” é um documentário de longa-metragem sobre a atriz e diretora Helena Ignez, uma das principais personalidades femininas do cinema brasileiro. Estrela de filmes do Cinema Novo e do Cinema Marginal, ela se caracterizou por um estilo próprio de interpretação e atualmente dirige filmes independentes. O documentário é narrado pela própria atriz e possui imagens históricas intercaladas com outras mais atuais, que ajudam a descrever parte da história do cinema brasileiro.  Direção: Sinai Sganzerla, Duração: 74 min. Classificação: 12 anos. Horários Alternativos: 06 de janeiro, quinta-feira, às 01h30 e 15h30; 07 de janeiro, sexta-feira, às 09h30; 08 de janeiro, sábado, às 22h40;

PROMOhttps://youtu.be/oPoIEIv8Nvw
FOTOS: https://drive.google.com/drive/folders/1FtcHdGdmVEYjbdk7M7nHE5hScABPY_uH?usp=sharing

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 06/01

21h30 – “O Lobo do Lobo e a Literatura Latino-Americana” (Série) – Ep. “Conceição Evaristo”
Conceição Evaristo admirava como sua mãe criava e contava naturalmente suas próprias histórias enquanto costurava bonecas de pano para as filhas. Ao descobrir o livro "Quarto de Despejo", de Carolina Maria de Jesus, ela se surpreendeu com as semelhanças entre a história escrita por aquela mulher pobre, negra e favelada e as que ouvia da mãe. Conceição Evaristo segue os passos ousados de Maria de Jesus e cunha o termo escrevivência: uma literatura de autoria negra, fundamentada na vida de mulheres negras. Uma literatura do coletivo. Da memória. Um gesto de liberdade. Um gesto de confrontação.  Diretor: Daniel Augusto. Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 07 de janeiro, sexta-feira, às 01h30 e às 15h30; 08 de janeiro, domingo, às 20h10; 09 de janeiro, domingo, às 11h.

PROMO: https://youtu.be/MlczxIrrqIA  
FOTOS: https://drive.google.com/drive/folders/1ynFV32yR9Mz6zES7U06dLknkMeHTI9pM?usp=sharing

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 07/01

21h - “O Pessoal é Político” (Documentário)
Elas nasceram para cuidar do lar e dos filhos. Tornaram-se mulheres guerreiras e politizadas, capazes de se apoderar de todas as armas na luta pelo retorno à democracia e contra as estruturas sexistas de poder. O documentário “O pessoal é político” retrata a Segunda Onda Feminista no Brasil, com destaque para os anos de 1975 a 1985, período instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) como a Década Internacional da Mulher. Diretor: Vanessa de Araújo Souza. Duração: 53 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 8 de janeiro, sábado, às 01h e às 04h20; 10 de janeiro, segunda-feira, às 04h20 e às 15h; 11 de janeiro, terça-feira, às 09h.

PROMOhttps://youtu.be/I1UqVWiZMIE
FOTOShttps://drive.google.com/drive/folders/1Dp1Cr8g4k3JlY-v6EVsM2dLEXo9DLC2a?usp=sharing

Sábado – 08/01

17h – "Matizes do Brasil” (Série) – Episódio: “Arthur Bispo do Rosário”
Diagnosticado com esquizofrenia paranoide aos 30 anos, Arthur Bispo do Rosário passou a maior parte da vida internado em instituições psiquiátricas. E foi dentro delas que ele se dedicou a produzir e organizar uma obra monumental, composta por mais de 800 bordados, assemblages, estandartes, miniaturas e outros objetos artisticamente ressignificados. Esse grandioso trabalho poderia ter passado despercebido pelo mundo da arte não fosse a intervenção do crítico Frederico Morais, depoente deste episódio de Matizes do Brasil, que é dedicado ao legado de Bispo do Rosário. Diretora: Bianca Lenti.  Duração: 26 min. Classificação: Livre. 

PROMO:  https://youtu.be/7tbC8s9huZY
FOTOShttps://drive.google.com/drive/folders/10oPLg82JzHZajGYQv8NuygcT_gvp1kPo?usp=sharing

Domingo – 09/01

21h - “Orson Welles: Sombras e Luz” (Documentário)        
Uma figura lendária, Orson Welles, aos 24 anos de idade, reinventou as linguagens do teatro e do cinema. Homem de mil faces, ele foi um moralista, um humanista, um Don Juan, um americano e um exilado sem lar. Foi ator, cineasta, comediante, poeta e uma eterna criança prodígio buscando retornar ao seu estado de graça. Esse documentário é uma jornada ao coração do homem por trás da lenda. Direção: Elisabeth Kapnist. Duração: 52 min. Classificação: Livre. 

PROMO: https://youtu.be/5KZdM2qgqO0
FOTOS: https://drive.google.com/drive/folders/1k7_qITiC_u-m0ZMc-g80x4JW58fgv0GK?usp=sharing 

Sobre o Grupo Curta!

O Grupo Curta! tem como missão a difusão de conteúdos audiovisuais relevantes nas áreas de artes e humanidades, sejam brasileiros ou estrangeiros, através da TV linear (canal CURTA!), de plataformas de streaming de operadoras de telecom e da internet. A curadoria de conteúdos é, portanto, o motor central do grupo e foi uma das que mais aprovaram projetos originais para financiamento da produção pelo Fundo Setorial do Audiovisual: já foram mais de 125 longas documentais e 872 episódios de 77 séries que chegam ao público em primeira mão através de suas janelas de exibição:

O canal Curta!, linear, está presente nas residências de mais de 10 milhões de assinantes de TV paga e pode ser visto nos canais 556 da NET / Claro TV, 75 da Oi TV e 664 da Vivo Fibra, além de em operadoras associadas à NeoTV; 

Curta!On, o novo clube de documentários do Curta!, no NOW da Claro/NET, conta com mais de 450 filmes e episódios de séries documentais, organizadas  por temas de interesse como Música, Artes, MetaCinema, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mitologia e Religião, Sociedade e Pensamento. Há também pastas especiais com novidades – que estreiam a cada mês –, conteúdos originais exclusivos, biografias, além de uma degustação para quem ainda não é assinante do serviço.

Tamanduá TV, plataforma marketplace aberta para qualquer internauta, já reúne mais de quatro mil conteúdos. O usuário pode alugar filmes e séries específicos ou assinar de forma econômica um dos pacotes que contêm conteúdos segmentados por área de interesse: CineBR, CineDocs, CineEuro, CurtaEducação (para professores e estudantes do Ensino Médio e Enem), MetaCinema (para aficcionados e estudantes de Cinema), entre outros.  Os pacotes CineBR, CineDocs e CineEuro são disponibilizados desde 2018 como serviço de valor agregado (SVA) para perto de oito milhões de assinantes de banda larga fixa (ISP) da operadora CLARO, sem custo adicional. 

As atividades do Grupo Curta! também promovem a geração de royalties para produtores audiovisuais independentes, com a exploração de seus direitos audiovisuais nas diferentes janelas de streaming. O pacotes Cines da Tamandua TV e do Curta!ON estão repassando anualmente mais de R$ 1,5 milhão de reais em royalties para os produtores dos conteúdos que difunde.

Compartilhe:

quarta-feira, 7 de julho de 2021

Vikings – a série

 


Durante a maior parte da baixa Idade Média, os nórdicos invadiram e aterrorizaram grande parte da Europa. Em suas viagens chegaram até mesmo à América. É a história desse povo que é contada na série Vikings, criada pelo produtor e roteirista Michael Hirst para o canal History.

A trama é centrada em Ragnar Lothbrok, um agricultor que sonha encontrar novas terras e, com a ajuda de seu amigo Floki, o construtor de barcos, chega à Inglaterra, onde saqueiam um mosteiro e aprisionam um monge.

Esse fato pequeno irá mudar toda a história do povo nórdico e do próprio Ragnar, que, em decorrência disso acabará se tornando lorde e até mesmo rei. Em geral com a ajuda de sua esposa Lagertha, a escudeira, irá ter tantas conquistas que se tornará um herói mítico. Posteriormente a trama se foca nos filhos de Ragnar.

Ragnar de fato existiu, ou pelo menos assim contam as lendas, assim como sua esposa escudeira Lagertha, Bjorn e a maior parte dos personagens da série. Michael Hirst consegue unir com perfeição realidade e ficção, modificando fatos quando necessário ou completando quando as crônicas não são claras o bastante. Essas mudanças são necessárias para o andamento da trama e o desenvolvimento do roteiro e dos personagens.

Há pequenos erros históricos e muita liberdade poética (em especialmente a partir da quinta temporada), como uma igreja com características góticas em plena baixa idade média. Mas no geral, Vikings é uma aula de história. Uma aula sobre os vikings, sua cultura, modos e costumes, sua religião – nesse sentido é interessante como Hirst sempre introduz algo da mitologia nórdica nas tramas. É alguém que conta alguma lenda, é alguém que faz uma alusão aos deuses, é alguém que faz uma comparação entre o que está acontecendo com o que já aconteceu com um deus.  

Mas é também uma história do mundo na época, com uma trama que percorre locais tão diferentes quanto a França, a Inglaterra e a Rússia e até mesmo a Sicília. E o roteirista  Michael Hirst é extremamente hábil ao trabalhar com intrigas palacianas. De fato na Idade Média, os palácios eram um local em que não se podia confiar em ninguém e quanto mais poder, maior a chance de alguém ser morto ou matar para se manter no cargo.

Traições, envenenamentos, emboscadas, tudo isso é muito bem explorado na série.

As cenas de guerra também impressionam tanto pelo realismo visual quanto pelas estratégias adotadas. O cerco de Paris, por exemplo, é um ótimo exemplo de como defender uma cidade fortificada (e não aquela palhaçada de GOT).

O elenco é igualmente brilhante, encabeçado por Travis Fimmel no papel de Ragnar. Pequenos trejeitos, olhares, um jeito de piscar, tudo contribuiu para construir o personagem com perfeição. Outro grande destaque é Gustaf Skarsgård no papel de Floki. Sua atuação remete diretamente ao deus Loki – e fico imaginando como ele poderia dado um outro ar, mais matreiro e risonho para o personagem da Marvel. Esses são apenas dois de um elenco que merece elogios por completo.

Unida a essas ótimas atuações, um roteiro que caracteriza muito bem cada um dos personagens, em especial Ragnar, visto aqui como uma mistura de aventureiro, estrategista e filósofo – características que serão herdadas individualmente pelos filhos. 

A série tem seis temporadas e, claro, tem altos e baixos, mas no geral os altos são muito mais frequentes e a última temporada está indo num crescendo em termos dramáticos.

Vikings é tudo aquilo que GOT prometia ser.

Compartilhe:

domingo, 13 de junho de 2021

Lupin, série da Netflix, é renovada para a 3ª temporada

Cena da 2ª temporada de Lupin (NetFlix)

Foi disponibilizada no último dia 11 a 2ª temporada da série Lupin, inspirada no personagem Arsène Lupin, coletânea de nove histórias do escritor francês Maurice Leblanc, que constituem as primeiras aventuras de Arsène Lupin.

A 2ª temporada, assim como a primeira, é curta, com apenas 5 episódios, dirigidos por Ludovic Bernard e Hugo Gélin. A série é uma das mais assistidas da Netflix, e muitos fãs (assim como nós) aguardávamos pela continuação. Agora a Netflix anunciou a 3ª temporada e acreditamos que será disponibilizada ainda em dezembro/2021.  

SOBRE A 2ª TEMPORADA:  A busca de Assane (protagonista) por vingança contra Hubert Pellegrini devastou sua família. Encurralado, ele agora precisa pensar em um novo plano, mesmo que para isso tenha que se colocar em perigo. Ação (e até uma pitada de drama) é o que não falta nos novos  episódios. 

Diversão garantida.

ASSISTA AO TRAILER DA 2ª TEMPORADA

Compartilhe:

sexta-feira, 4 de junho de 2021

Resenha da série Altered Carbon (NetFlix), baseada no livro de mesmo título, por Ademir Pascale


SOBRE O LIVRO: Carbono alterado é o eletrizante thriller de ficção científica que inspirou a série da Netflix. No século XXV, a humanidade se expandiu por toda a galáxia, monitorada pelos olhos vigilantes da Organização das Nações Unidas. Apesar de divisões por etnia, religião e classe ainda existirem, os avanços tecnológicos serviram para redefinir o próprio conceito de vida. Trata-se de uma época em que a consciência de uma pessoa pode ser armazenada em um cartucho na base do cérebro e baixada para um novo corpo quando o atual parar de funcionar. A morte, agora, nada mais é que um contratempo inconveniente, uma falha no programa. Takeshi Kovacs, um ex-Emissário da ONU que nunca havia posto os pés na Terra, já morreu antes. Sua última morte, porém, causada após um serviço malsucedido, se revelou particularmente dolorosa. Agora em Bay City, a antiga São Francisco, Kovacs é trazido de volta à vida para solucionar o assassinato de um magnata - função imposta pela própria vítima. Mal sabe ele, porém, que esse jogo de gato e rato vai lançá-lo no centro de uma conspiração perversa até para os padrões de uma sociedade que trata a existência humana como um produto a ser comercializado.Para Kovacs, o projétil que o atingiu em cheio no peito foi só o começo. Carbono alterado é o primeiro volume da série.

SOBRE A SÉRIE: Após 250 anos no gelo, Takeshi Kovacs retorna em um novo corpo com uma missão: solucionar um complexo mistério e conquistar sua liberdade.

Estrelando: Anthony Mackie, Lela Loren, Simone Missick

Criação: Laeta Kalogridis


RESENHA CRÍTICA DA SÉRIE: A ideia da série Altered Carbon, baseada no livro de mesmo título, é impecável. Através dos avanços tecnológicos (e de tecnologia alienígena) as pessoas tornaram-se imortais. O corpo falece, mas a memória perpetua através de um dispositivo semelhante a um HD, que, implantado em outra capa (é assim que eles chamam os novos corpos na série), a pessoa revive. A tecnologia elevou-se tanto que as pessoas podem se considerar deuses imortais (ou não), pois se o dispositivo for destruído, será semelhante a morte. As cenas de lutas são ótimas e o cenário futurista é impecável. A ideia toda foi muito bem elaborada e gera uma leve semelhança com o antigo filme Matrix. E para quem é fã de Edgar Allan Poe (assim como eu sou) vai adorar ver um sósia dele, que é o anfitrião de um hotel. O Poe da série é diferente dos outros personagens. Ele não é humano, mas uma máquina muito avançada idêntica aos humanos; tem sentimentos, decisões e é filosófico (até mais que alguns humanos da nossa realidade). O cenário do seu hotel tem corvos e em alguns episódios o personagem cita trechos de algumas das obras do Poe. E para quem não sabe, o escritor Edgar Allan Poe não escrevia apenas obras do gênero terror, mas também do gênero policial, detetivesco e ficção científica.

A primeira temporada é excelente. E foram produzidas apenas 2 temporadas. Tem faixa etária para maiores de 18 anos, pois algumas cenas são pesadas, tem cenas de nudez, etc. 

Já a segunda temporada o plano muda, muitos personagens da primeira temporada foram excluídos, as cenas de luta foram reduzidas em alguns episódios e o diálogo exaustivo faz parte de muitas cenas, o que fez a série decair e a Netflix infelizmente não renovou a terceira temporada, cancelando a série.

De qualquer forma fica a dica para os fãs de ficção científica, uma boa história e Edgar Allan Poe.

ASSISTA AO TRAILER:

Compartilhe:

sábado, 17 de abril de 2021

Crítica: Os Irregulares de Baker Street - Série baseada no universo de Arthur Conan Doyle tem um Sherlock Holmes bem diferente


Na Londres da Era Vitoriana, um grupo de jovens investiga crimes sobrenaturais para o Dr. Watson e Sherlock Holmes

Baseada nos personagens criados pelo escritor Arthur Conan Doyle, na série, que tem como roteirista Tom Bidwell, Holmes (Henry LLoyd-Hughes) e Watson (Royce Pierreson) não passam de meros coadjuvantes e, Holmes, aparece menos que Watson nos episódios. Diferente de outras adaptações que o famoso detetive teve, na série ele precisa de ajuda, tem problemas com drogas e uma aparência bem diferente da habitual apresentada em outras séries e filmes. Então não espere muito dele. Já Watson é enigmático e em alguns momentos parece ser o vilão; frio e calculista. Mas o destaque, sem dúvida, vai para os jovens encarregados em desvendarem os casos sobrenaturais. A série é para adolescentes, tem cenário e figurino incríveis, já efeitos especiais e histórias razoáveis, que poderiam ser mais criativas. Alguns episódios, que são apenas 8 desta primeira temporada, pende para o romance entre adolescentes (o príncipe e a plebeia), além de um certo drama e aventura. Não bota medo, apesar de ser tratada como série com assuntos sobrenaturais, mas não deixa de apresentar alguns fatos interessantes, sendo que o primeiro episódio, com corvos, lembra um dos famosos textos do escritor Edgar Allan Poe, intitulado "O Corvo". A série tem uma pegada interessante e pode fazer com que o leitor prossiga para os próximos episódios (sinceramente, se não gosto do primeiro episódio de uma série, não assisto os demais) e até espere por uma segunda temporada. 

Cena de um dos episódios da série

Voltando aos jovens da série, no livro Um Estudo em Vermelho, de 1887, um grupo de meninos de rua ajudam o famoso detetive Holmes, então essa ideia na série, não é algo que foi criado especialmente para a Netflix, mas foi criativo e interessante usarem esses garotos, focando nos dramas e histórias pessoais de cada um, dando destaque especial para a jovem chinesa Bea (Thaddea Graham), que é a líder do grupo.

Recomendo. 

APROVEITE E ASSISTA AO TRAILER DE "OS IRREGULARES DE BAKER STREET"

Compartilhe:

sexta-feira, 1 de janeiro de 2021

O Estripador - Netflix


Título Original: The Ripper
Direção: Jesse Vile e Ellena Wood 
Ano Lançamento: 17 de Dezembro de 2020 
Duração: 50 min por episódio 
Episódios:
Temporada:
Origem: Reino Unido 
Gênero: Documental, Crime 

O Estripador é uma série documental centrada em Peter Sutcliffe, um serial killer que, entre 1975 e 1980, aterrorizou o norte da Inglaterra com seus crimes brutais. O homem, que ficou conhecido como o Estripador de Yorkshire, matou 13 mulheres e tentou fazer o mesmo com outras quatro. Assim como Jack, o Estripador, Sutcliffe costumava perseguir e atacar prostitutas, sempre escapando da polícia. A partir de entrevistas com investigadores e testemunhas, a produção conta a história desse assassino implacável, que acabou condenado a 20 prisões perpétuas. 

Impressões: 

Netflix tem mostrado inúmeras facetas em suas produções originais, seja filmes, séries e até mesmo minisséries documentais. O seu mais novo lançamento é intitulado “O Estripador”. Uma obra original que busca dar um sentindo no assassino em série conhecido como “O Estripador De Yorkshire”. 

São quatro episódios que mostra de uma forma intensa e ao mesmo tempo assustadora os ataques de um serial killer e seus métodos brutais de assassinato, além de mostrar todo o empenho da polícia para encontrar o suspeitos nas ruas de Londres nas décadas de 70 e 80. 

Peter Sutcliffe é o nome do serial killer, sendo condenado a 20 prisões perpétuas, porém! Em novembro de 2020 ele foi vítima do novo Covid-19. Entretanto! Essa série busca recriar os seus passos e mostrar os motivos dele ter cometido inúmeras atrocidades, principalmente com mulheres (sendo o seu foco principal prostitutas). 

Um ponto em destaque da minissérie é mostrar o modus operandi do serial killer, sendo o mesmo de outro notório assassino; Jack, o Estripador. Ambos perseguiam prostitutas para dar fim em suas vidas, na mente de ambos, ninguém daria falta daquelas mulheres e assim buscavam cada vez mais saciar sua sede de sangue. 

Sua fama correu o mundo, além de seus assassinatos o criminoso conseguia escapar da polícia e das autoridades, façanha que poderia ter sido retratado em qualquer filme de suspense e terror. 

Partindo de várias entrevistas realizado com o pessoal que está na linha de frente da caçada ao serial killer, esse é o ponto culminante de entender toda natureza humana por parte dos especialistas. Sutcliffe mostrou-se uma pessoa fria, sem amor ao próximo e muito menos piedade, prova é o estado dos corpos que ele deixaria para trás. Essa é uma minissérie recomendada para maiores de 18 anos, para um público que busca conhecer o lado mais perverso do ser humano e suas inúmeras facetas. Inclusive para o público que pretende seguir na carreira de psicológicos ou psiquiatras, essa produção cumpre em mostrar os mínimos detalhes da empreitada pela caçada do assassino.



Compartilhe:

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Anne with an 'E': Livros se destacam após série ser cancelada pela Netflix


Em quase 7 meses o Grupo Editorial Coerência vendeu mais de 12 mil exemplares da Coleção Anne

Anne Shirley conquistou uma legião de fãs por meio da série Anne with an ‘E’, oficialmente exibida pela Netflix. Para a infelicidade do público, o streaming cancelou a produção após 3 temporadas, e no momento, os assinantes recorrem aos livros de L. M. Montgomery para acompanhar a continuação da história. O Grupo Editorial Coerência é uma das empresas que está lançando a Coleção Anne no Brasil e desde maio deste ano as obras se destacam em vendas.

Até o momento, o Grupo Editorial Coerência lançou os três primeiros títulos da Coleção Anne, e um levantamento feito por Lilian Vaccaropublisher da empresa, contabilizou mais de 12 mil exemplares vendidos em quase 7 meses. Entre os títulos, Anne de green gables vendeu mais de 5 mil exemplares, Anne de avonlea mais de 4 mil e Anne da ilha, o mais recente, já foi comprado por mais de 3.500 pessoas.

Apesar de algumas outras empresas editoriais também se comprometerem a lançar os livros da Coleção Anne no Brasil, o Grupo Editorial Coerência chama a atenção do público por trabalhar na edição dos títulos visando o agrado dos fãs que acompanhavam a série da Netflix.

Além dos romances escritos por L. M. Montgomery, a empresa também lançou uma adaptação em graphic novel de Anne de green gables. A obra foi escrita e ilustrada por Marcio Zanini e já vendeu mais de 1000 exemplares desde o lançamento ocorrido no 2° semestre de 2020.

Recentemente o Grupo Editorial Coerência revelou a capa de Anne de Windy Poplars, o quarto livro da Coleção Anne, e além disso, informou ao público que a segunda parte da graphic novel será desenvolvida no próximo ano, ainda pelas mãos de Zanini.

Anne with an ‘E’ é uma série inspirada nos clássicos literários escritos por L. M. Montgomery, apesar de existir diversas adaptações disponíveis em outras plataformas, a da Netflix que conseguiu conquistar o coração de um grande número de fãs ao narrar as aventuras de Anne Shirley após ser adotada pelos irmãos Cuthbert.

Os livros do Grupo Editorial Coerência são vendidos nas maiores livrarias do Brasil e as únicas 3 temporadas da série estão disponíveis na Netflix.
 
Sinopse de Anne de green gables
Anne Shirley é uma órfã muito peculiar. Com a notícia de sua adoção, segue animadamente para Green Gables, na Ilha do Príncipe Eduardo, mas rapidamente descobre que os irmãos Marilla e Matthew Cuthbert na verdade queriam adotar um garoto que pudesse ajudar nos afazeres da fazenda. Apesar do engano, a menininha ruiva de onze anos conquista sua nova família com suas manias imaginativas e sua dramática — ou romântica — forma de encarar a vida. Seus desafios, contudo, estão apenas começando. Guiada por pensamentos à frente de seu tempo e por uma vontade irresistível de questionar tudo ao seu redor, ela terá de encontrar seu lugar em Avonlea ao mesmo tempo em que luta para se manter longe das encrencas que parecem persegui-la. Além disso, caberá à jovem otimista conquistar também o restante da comunidade, que, composta em maioria por pessoas conservadoras, não está acostumada ao seu espírito expansivo e revolucionário.

Sinopse de Anne de avonlea
Anne Shirley agora tem “dezesseis anos e meio”. Após desistir de cursar a faculdade para ficar em Green Gables, está prestes a iniciar suas atividades como a professora da escola de Avonlea. Guiada por seus ideais românticos, planeja atuar com métodos de ensino inovadores, mas, com o tempo, acaba percebendo que muitas vezes a teoria é bem diferente da prática. Nada, porém, é capaz de desanimar Anne, que, com o apoio de Gilbert Blythe e de outros jovens de Avonlea, conquista a confiança da comunidade e efetua diversas melhorias no distrito – e também em seus habitantes. Embora cheia de responsabilidades, a jovem continua conquistando todos ao seu redor com seu espírito livre e cativante. Ao lado de sua fiel amiga, Diana Barry, encontra novos espíritos irmãos conforme vai se aproximando cada vez mais da vida adulta, sem deixar para trás suas manias imaginativas e sua facilidade para se envolver em confusões.

Em seu segundo romance, L. M. Montgomery continua conquistando seu público com palavras encantadoras e um enredo bem-humorado. Como não poderia ser diferente em uma história protagonizada por Anne Shirley, a autora segue conduzindo leitores de todas as idades a refletir acerca dos valores que regem nossa sociedade.

Sinopse de Anne da ilha
Aos dezoito anos de idade, Anne Shirley está pronta para a faculdade. Priscilla Grant e Gilbert Blythe, seus amigos de Avonlea, também seguem para Redmond, na cidade de Kingsport. Lá, Anne não só avança em seus estudos, mas também faz novos amigos e se diverte com sua atual e movimentada vida social. Como sempre, destaca-se entre os outros jovens com seu espírito livre e personalidade encantadora, conquistando pretendentes por onde passa; o que faz com que Gilbert precise se desdobrar se quiser finalmente conquistar o coração da ruiva. Entre uma aventura e outra e idas e vindas à Ilha do Príncipe Eduardo, Anne percebe que terá de conhecer melhor a si mesma, a fim de tomar importantes decisões que podem mudar o seu destino para sempre. E é justamente a partir dessas novas descobertas que ela começará a entender seus confusos sentimentos.

Neste volume, L. M. Montgomery não abre mão de ressaltar a importância dos valores para o convívio em sociedade, mas também explora questões mais maduras e comuns ao dia a dia de jovens, como a descoberta do amor e o amadurecimento pessoal, conduzindo definitivamente Anne Shirley para sua vida adulta.
Compartilhe:

quarta-feira, 7 de outubro de 2020

[Série] Challenger: O Voo Final


Título Original: Challenger – The Final Flight 
Direção: Daniel Junge 
Ano Lançamento: 16 de Setembro de 2020 
Duração: 54 min por episódio 
Elenco: June Scobee Rodgers, 
William Hawood e Leslie Serna 
Episódios:
Temporada:
Gênero: Documentário 
Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Engenheiros, oficiais e familiares dos membros da tripulação fornecem sua perspectiva sobre o desastre do Ônibus Espacial Challenger de 1986 e suas consequências. 

Impressões: 

A gigante Netflix apresenta mais uma série original em seu catálogo, divido em quatro capítulos, o espectador vai acompanhar toda tragédia do Ônibus Espacial Challenger, revirando inúmeros arquivos para levar o espectador entender de vez todo o ocorrido. 

A minissérie foi produzida por J.J. Abrams e Glen Jipper, produção examina os eventos da nave espacial que explodiu 73 segundos após o seu lançamento, sendo visto por milhões de espectadores ao redor do mundo. 

São inúmeras entrevistas jamais visto pelo público em geral, arquivos que até então estavam guardados longe da mídia, oferecendo um entendimento melhor das causas que levaram ao ponto dessa terrível tragédia. 

O documentário mostra todo o bastidor da NASA, nos mínimos detalhes. Essa fatídica missão entraria para história ao levar para o espaço a primeira civil para compor o restante da tripulação. 

A professora Christa McAuliffe participou de uma concorrida e árdua seleção para levar um professor ao espaço, com o objetivo de todos poderem acompanhar aulas ao vivo sendo transmitido fora do Planeta Terra. Infelizmente isso não ocorreu. 

Para os amantes de todo esse universo astronômico, essa série é mais que recomendado, livro aberto para os telespectadores entenderem os fatos anteriores e posteriores dessa irreparável tragédia.


Compartilhe:

terça-feira, 12 de maio de 2020

NetFlix anuncia série baseada em novo livro de Elena Ferrante


A vida mentirosa dos adultos chega ao Brasil pela Intrínseca e os assinantes do clube intrínsecos receberão o livro em primeira mão em junho
Após cinco anos de espera, A vida mentirosa dos adultos, o novo livro de Elena Ferrante, será publicado no Brasil pela Intrínseca. O livro chega primeiro em junho, exclusivamente para os assinantes do nosso clube de livros, o intrínsecos. A obra será adaptada para uma série original da Netflix, ainda sem data prevista de lançamento.

Até 31 de maio é possível se associar ao clube intrínsecos (www.intrinsecos.com.br) e receber a obra em junho. Para não assinantes, o lançamento nas livrarias será em setembro.

Em A vida mentirosa dos adultos, Ferrante esmiúça a crucial transição da juventude para a vida adulta usando a voz de Giovanna, moradora de um respeitável bairro de classe média de Nápoles. Seu destino é selado por um comentário do pai, que compara a falta de beleza da filha com a de Vittoria, tia da menina há muito afastada da família.

Cultuada pela crítica e por uma legião de fãs em todo o mundo, Ferrante ficou conhecida por manter em sigilo sua real identidade. Até hoje não se sabe o verdadeiro nome da escritora italiana, que se recusa a aparecer publicamente e dá raras entrevistas, apenas por e-mail. No Brasil, a Intrínseca lançou outros três livros da autora: Um amor incômodo, A filha perdida e o infantil Uma noite na praia.

Compartilhe:

domingo, 12 de abril de 2020

Intrínseca lança nova edição de Pequenos incêndios por toda parte com sobrecapa inspirada na série do Hulu


A história do livro começa com a impactante descrição de um incêndio na casa de Elena Richardson, cidadã exemplar do subúrbio de Shaker Heights. Indícios apontam para a possibilidade de o fogo ter sido proposital. Com o mistério instaurado, a narrativa volta no tempo e a autora aos poucos costura a cadeia de eventos que levou àquela tragédia. É quando ganha espaço a personagem de Mia Warren, uma mulher jovem e enigmática que há pouco se mudou para o lugar e, ao contrário da Sra. Richardson, vive para desafiar as regras.

A trama instigante do best-seller Pequenos incêndios por toda parte, lançado pela Intrínseca em 2018, deu origem à série que estreou em março na plataforma de streaming Hulu, sob a batuta de Reese Witherspoon, que produz e atua na premiada Big Little Lies, e Kerry Washington, a protagonista de Scandal. Para marcar o lançamento da adaptação para a TV, a Intrínseca lança a edição do livro com sobrecapa inspirada na série.

Mãe solteira e artista determinada, Mia leva uma vida nômade com sua filha, Pearl. A adolescente parece acostumada às mudanças constantes, mas logo se vê fascinada pela casa, pelas roupas, pela beleza e pelo comportamento dos filhos dos Richardson, dos quais se torna amiga. As famílias se aproximam, ainda que paire no ar certa desconfiança. No entanto, quando um casal de moradores de Shaker Heights decide adotar um bebê sino-americano e se envolve em uma batalha pela guarda da criança, Elena e Mia se posicionam em lados opostos — um choque de diferentes visões de mundo que se mostrará avassalador para a comunidade.

"Uma experiência de leitura totalmente envolvente, muitas vezes dolorosa e capaz de causar profunda empatia."
The New York Times Book Review

CELESTE NG nasceu nos Estados Unidos e já morou em Shaker Heights. Formou-se em Harvard e cursou o Master in Fine Arts na Universidade de Michigan, onde ganhou o Hopwood Award. Com o romance de estreia Tudo o que nunca contei, recebeu o Massachusetts Book Award, o Asian/Pacific American Award for Literature e o ALA's Alex Award. Celeste mora na cidade americana de Cambridge, Massachusetts, com o marido e o filho.

PEQUENOS INCÊNDIOS POR TODA PARTE
Tradução: Julia Sobral Campos       
Editora: Intrínseca
Páginas: 416
Impresso: R$ 44,90
E-book: R$ 29,90
Compartilhe:

terça-feira, 3 de março de 2020

Série baseada no livro Em nome dos pais, de Matheus Leitão, estreia na HBO no dia 4 de março

Foto divulgação
Desde pequeno, Matheus Leitão ouvia as expressões "perseguição", "prisão" e "porão" sussurradas por seus pais, os jornalistas Marcelo Netto e Míriam Leitão. A assustadora palavra "tortura" apareceu bem mais tarde. Movido pela curiosidade de compreender o passado, ele passou a costurar os retalhos de uma história dolorosa. A partir do que conseguiu reunir, Matheus escreveu o livro Em nome dos pais, lançado pela Intrínseca em maio de 2017, que agora virou série documental produzida pela HBO. Com 4 episódios, a produção estreia amanhã, dia 4 de março, às 20 horas, no canal HBO Mundi.

No livro, Matheus Leitão volta à época em que Míriam e Marcelo eram militantes do PCdoB quando, em 1972, foram presos e torturados. Naquela ocasião, Míriam estava grávida de seu primogênito, Vladimir. Em nome dos pais é uma viagem pessoal e familiar, mas também a narrativa da jornada de um cidadão brasileiro que busca entender as aflições da geração que enfrentou a repressão. O autor deu início às suas investigações há mais de dez anos, analisando documentos oficiais, antes mesmo da criação da Comissão Nacional da Verdade e da aprovação da Lei de Acesso à Informação. 
Jornalista investigativo e vencedor de um prêmio Esso, Matheus entrevistou militantes de esquerda, militares e o "companheiro" que delatou Míriam e Marcelo. O livro recria o ambiente dos piores anos da ditadura e revela a identidade dos torturadores de Miriam e Marcelo. O autor conta em detalhes a trajetória dos pais no movimento estudantil, passando pelo dia em que seus caminhos se cruzaram pela primeira vez. Também descreve as circunstâncias da prisão do casal, que estava a caminho da praia, bem como o sofrimento do pai durante os nove meses em que ficou preso em uma solitária. Passado e presente se entrelaçam nesta obra que reconstitui com rigor eventos do início dos anos 1970 e, ao mesmo tempo, apresenta a emocionante peregrinação do autor atrás de respostas. É acima de tudo uma história sobre um país que ainda reluta em acertar as contas com um passado obscuro.

Compartilhe:

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Naomi Grossman, atriz que interpretou Pepper em American Horror Story, participou da Horror Expo

Se você acompanha séries e assistiu Amerin Horror Story, você conhece Naomi Grossman, que interpretou Pepper e Samantha Crowe na série que conquistou fãs. A atriz norte-americana esteve presenta na maior feira de horror da América Latina, a Horror Expo, que aconteceu no último final de semana (18, 19 e 20 de outubro) no Pavilhão do Anhembi, que fica localizado na cidade de São Paulo.

A atriz nasceu no Colorado, mas tem uma forte ligação com a América do Sul, posto que já morou na Argentina. Ela também fala castelhano e arriscou falar português na Horror Expo.

Na segunda temporada da franquia - American Horror Story: Asylum -  a atriz interpretou a marcante Pepper, uma das internas de Briarcliff e que sofria de microcefalia. Já em American Horror Story: Freak Show, a personagem teve o seu passado contado, ou seja, foi a primeira personagem da série que participou mais de uma temporada.

Naomi interpretando Pepper em American Horror Story

A aparência de Pepper mexeu muito os fãs, principalmente quando descobriram como era Naomi fora das câmeras. Para a composição da personagem ela levava de duas a três horas para realizar a maquiagem, colocar as próteses e se transformar.

Sua volta à série se deu interpretando a satanista Samantha Crowe em American Horror Story: Apocalypse, a mais recente temporada da série e que foi veiculada em 2018.

No último dia da Horror Expo, Naomi participou de um painel em que falou sobre sua carreira e teve espaço para perguntas do público que estava no local.


Compartilhe:

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Comercial live action da Renault mostra o provável final da série "Caverna do Dragão" e gera comoção entre os fãs

Atores que interpretaram os personagens do desenho animado "Caverna do Dragão", no comercial da Renault
Os jovens que passaram pela década de 80 certamente irão recordar do desenho animado "Caverna do Dragão", que assim como eu, não perdia nenhum capítulo sequer. Foram 27 episódios que foram transmitidos durante o programa Xou da Xuxa, da Rede Globo, mas que infelizmente nunca teve um episódio final. Vários boatos sobre o último episódio surgiram no decorrer dos anos. Proposital ou não para fazer o espectador imaginar qual seria o melhor final, restou a dúvida se os garotos retornariam para casa.

No último dia 23, a Renault liberou o incrível comercial que poderia até tornar-se num longa-metragem. Com efeitos especiais incríveis e atores idênticos aos personagens do desenho animado, sendo: Sheila (Samantha Heck Müller), Hank, Eric (Alex Paulo Lopes Conrado), Presto (Fhelipe Gomes) Uni e Bobb (Thiago Doncev) e até o Mestre dos Magos (Giovanni Venturini). 

E segundo a peça publicitária da Renault, o último episódio da série não deixaria de ser emocionante.

Agora resta esperarmos e torcermos que esse longa-metragem venha a tona com esses mesmos atores e efeitos especiais.

Obrigado Renault.

Assistam o vídeo abaixo e compartilhem ;)


Compartilhe:

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Entrevista: André Soska comenta sobre a série "Black Ice" e futuros projetos

André Soska - Foto divulgação
André Soska nasceu em dezembro de 1987 e reside em Cachoeirinha – RS. Entre as coisas que mais gosta de fazer, está a produção de textos, no geral, poesias e histórias de super-heróis. Produziu o seu primeiro texto oficial quando tinha apenas 13 anos, desde então, nunca parou de escrever. Atualmente, administra os sites e fanpages de "Força, Fé e Esperança" e "Black Ice Universe". O primeiro, é onde o autor publica textos mais reflexivos, enquanto, no segundo, publica as histórias do universo do super-herói de mesmo nome.

ENTREVISTA:


Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

André Soska: Eu comecei aos 13 anos, graças a uma professora chamada Naira, para a qual mostrei um dos meus textos reflexivos. Ela gostou e leu para todos da classe e, aparentemente, eles gostaram. A partir desse dia nunca mais parei de escrever.

Conexão Literatura: Você é o autor da série “Black Ice”. Poderia comentar?
André Soska: Eu tive a ideia de começar esta série porque sempre fui fã de super-heróis, desde que me conheço por gente. Sempre gostei de ler quadrinhos, assistir a desenhos, filmes e séries deste gênero. Eu comecei criando o personagem titular com a ideia de quadrinhos, mas, como os desenhos que faço demoram muito para ficarem prontos, resolvi escrever apenas as histórias, colocando alguns desses desenhos entre os capítulos dos livros. Depois que escrevi os dois primeiros livros é que surgiu a ideia de criar uma série inteira, não somente do personagem titular, mas, de todo um universo que o rodeia. Os livros englobam não somente a ação e a ficção científica, mas, também, romance, um toque de comédia, mistério, tem de tudo um pouco.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seus livros?

André Soska: Na verdade, eu não precisei pesquisar muito a fundo, pois, já tinha uma bagagem muito grande a respeito de super-heróis, o que fiz foi tentar fugir do convencional, mas, sem esquecer do essencial. Quanto ao tempo, o primeiro livro demorou um pouco, pois, precisei criar toda a origem dos poderes e dos personagens, o resto fluiu naturalmente.


próximos livros da série





Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho de cada um dos seus livros dos quais você acha especial?

André Soska: Eu destacaria a frase inicial de cada livro, pois, ela condiz com um dos temas principais que serão abordados durante a história e seu objetivo é fazer o leitor refletir um pouco mais sobre o assunto ou sobre algo que tenha relação com ele. Como, por exemplo, a frase inicial do primeiro livro, onde eu gostaria que o leitor refletisse um pouco sobre o que é ser um herói: Um herói não é, somente, um ser extraordinário dotado de incríveis poderes, mas, toda e qualquer pessoa que pratica o bem sem jamais se esquecer da humildade, integridade e honra.   

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir os seus livros e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

André Soska: Basta acessar o site oficial da série ou a fanpage. Os livros são disponibilizados gratuitamente, disponíveis para download e leitura online.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

André Soska: Com certeza! Além dos dois livros já publicados, um está sendo postado no site oficial e na fanpage atualmente e há mais um pronto para publicação, que sairá no segundo semestre deste ano. Além dos livros já escritos, estou trabalhando atualmente em outro e tenho ideias para, pelo menos, mais uns cinco. Se os leitores continuarem curtindo, a série vai longe!

Perguntas rápidas:

Um livro: A Favor do Vento (Duca Leindecker). Me prendeu muito com a trama!
Um (a) autor (a): Duca Leindecker. Gosto da simplicidade da escrita dele.
Um ator ou atriz: Damon Wayans. Ele sabe ser engraçado tanto quanto dramático, é muito versátil.
Um filme: O Todo Poderoso. Porque nos faz refletir e ensina uma valiosa mensagem.
Um dia especial: Meu casamento. Um dia inesquecível!

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

André Soska: Gostaria apenas de explicar como as postagens dos livros funcionam, lembrando que o leitor não precisa pagar nada para ter acesso a eles. Eu não os libero de uma só vez, mas, publico um capítulo por semana. Atualmente, publico um livro por semestre e toda quinta-feira libero um capítulo. Também publico vídeos com os capítulos narrados, além de outras coisas. Sugiro a todos que acessem o site oficial para conferirem:
https://andresoska.wixsite.com/blackice 
Fanpage: https://www.facebook.com/blackiceuniverse
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Posts mais acessados da semana

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA

CONHEÇA A REVISTA PROJETO AUTOESTIMA
clique sobre a capa

DO INCISIVO AO CANINO - BERT JR.

MAFRA EDITIONS

ANTOLOGIAS LITERÁRIAS

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

DIVULGUE O SEU LIVRO

FUTURO! - ROBERTO FIORI

Leitores que passaram por aqui

Labels