Mostrando postagens com marcador série. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador série. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 7 de outubro de 2020

[Série] Challenger: O Voo Final


Título Original: Challenger – The Final Flight 
Direção: Daniel Junge 
Ano Lançamento: 16 de Setembro de 2020 
Duração: 54 min por episódio 
Elenco: June Scobee Rodgers, 
William Hawood e Leslie Serna 
Episódios:
Temporada:
Gênero: Documentário 
Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Engenheiros, oficiais e familiares dos membros da tripulação fornecem sua perspectiva sobre o desastre do Ônibus Espacial Challenger de 1986 e suas consequências. 

Impressões: 

A gigante Netflix apresenta mais uma série original em seu catálogo, divido em quatro capítulos, o espectador vai acompanhar toda tragédia do Ônibus Espacial Challenger, revirando inúmeros arquivos para levar o espectador entender de vez todo o ocorrido. 

A minissérie foi produzida por J.J. Abrams e Glen Jipper, produção examina os eventos da nave espacial que explodiu 73 segundos após o seu lançamento, sendo visto por milhões de espectadores ao redor do mundo. 

São inúmeras entrevistas jamais visto pelo público em geral, arquivos que até então estavam guardados longe da mídia, oferecendo um entendimento melhor das causas que levaram ao ponto dessa terrível tragédia. 

O documentário mostra todo o bastidor da NASA, nos mínimos detalhes. Essa fatídica missão entraria para história ao levar para o espaço a primeira civil para compor o restante da tripulação. 

A professora Christa McAuliffe participou de uma concorrida e árdua seleção para levar um professor ao espaço, com o objetivo de todos poderem acompanhar aulas ao vivo sendo transmitido fora do Planeta Terra. Infelizmente isso não ocorreu. 

Para os amantes de todo esse universo astronômico, essa série é mais que recomendado, livro aberto para os telespectadores entenderem os fatos anteriores e posteriores dessa irreparável tragédia.


Compartilhe:

terça-feira, 12 de maio de 2020

NetFlix anuncia série baseada em novo livro de Elena Ferrante


A vida mentirosa dos adultos chega ao Brasil pela Intrínseca e os assinantes do clube intrínsecos receberão o livro em primeira mão em junho
Após cinco anos de espera, A vida mentirosa dos adultos, o novo livro de Elena Ferrante, será publicado no Brasil pela Intrínseca. O livro chega primeiro em junho, exclusivamente para os assinantes do nosso clube de livros, o intrínsecos. A obra será adaptada para uma série original da Netflix, ainda sem data prevista de lançamento.

Até 31 de maio é possível se associar ao clube intrínsecos (www.intrinsecos.com.br) e receber a obra em junho. Para não assinantes, o lançamento nas livrarias será em setembro.

Em A vida mentirosa dos adultos, Ferrante esmiúça a crucial transição da juventude para a vida adulta usando a voz de Giovanna, moradora de um respeitável bairro de classe média de Nápoles. Seu destino é selado por um comentário do pai, que compara a falta de beleza da filha com a de Vittoria, tia da menina há muito afastada da família.

Cultuada pela crítica e por uma legião de fãs em todo o mundo, Ferrante ficou conhecida por manter em sigilo sua real identidade. Até hoje não se sabe o verdadeiro nome da escritora italiana, que se recusa a aparecer publicamente e dá raras entrevistas, apenas por e-mail. No Brasil, a Intrínseca lançou outros três livros da autora: Um amor incômodo, A filha perdida e o infantil Uma noite na praia.

Compartilhe:

domingo, 12 de abril de 2020

Intrínseca lança nova edição de Pequenos incêndios por toda parte com sobrecapa inspirada na série do Hulu


A história do livro começa com a impactante descrição de um incêndio na casa de Elena Richardson, cidadã exemplar do subúrbio de Shaker Heights. Indícios apontam para a possibilidade de o fogo ter sido proposital. Com o mistério instaurado, a narrativa volta no tempo e a autora aos poucos costura a cadeia de eventos que levou àquela tragédia. É quando ganha espaço a personagem de Mia Warren, uma mulher jovem e enigmática que há pouco se mudou para o lugar e, ao contrário da Sra. Richardson, vive para desafiar as regras.

A trama instigante do best-seller Pequenos incêndios por toda parte, lançado pela Intrínseca em 2018, deu origem à série que estreou em março na plataforma de streaming Hulu, sob a batuta de Reese Witherspoon, que produz e atua na premiada Big Little Lies, e Kerry Washington, a protagonista de Scandal. Para marcar o lançamento da adaptação para a TV, a Intrínseca lança a edição do livro com sobrecapa inspirada na série.

Mãe solteira e artista determinada, Mia leva uma vida nômade com sua filha, Pearl. A adolescente parece acostumada às mudanças constantes, mas logo se vê fascinada pela casa, pelas roupas, pela beleza e pelo comportamento dos filhos dos Richardson, dos quais se torna amiga. As famílias se aproximam, ainda que paire no ar certa desconfiança. No entanto, quando um casal de moradores de Shaker Heights decide adotar um bebê sino-americano e se envolve em uma batalha pela guarda da criança, Elena e Mia se posicionam em lados opostos — um choque de diferentes visões de mundo que se mostrará avassalador para a comunidade.

"Uma experiência de leitura totalmente envolvente, muitas vezes dolorosa e capaz de causar profunda empatia."
The New York Times Book Review

CELESTE NG nasceu nos Estados Unidos e já morou em Shaker Heights. Formou-se em Harvard e cursou o Master in Fine Arts na Universidade de Michigan, onde ganhou o Hopwood Award. Com o romance de estreia Tudo o que nunca contei, recebeu o Massachusetts Book Award, o Asian/Pacific American Award for Literature e o ALA's Alex Award. Celeste mora na cidade americana de Cambridge, Massachusetts, com o marido e o filho.

PEQUENOS INCÊNDIOS POR TODA PARTE
Tradução: Julia Sobral Campos       
Editora: Intrínseca
Páginas: 416
Impresso: R$ 44,90
E-book: R$ 29,90
Compartilhe:

terça-feira, 3 de março de 2020

Série baseada no livro Em nome dos pais, de Matheus Leitão, estreia na HBO no dia 4 de março

Foto divulgação
Desde pequeno, Matheus Leitão ouvia as expressões "perseguição", "prisão" e "porão" sussurradas por seus pais, os jornalistas Marcelo Netto e Míriam Leitão. A assustadora palavra "tortura" apareceu bem mais tarde. Movido pela curiosidade de compreender o passado, ele passou a costurar os retalhos de uma história dolorosa. A partir do que conseguiu reunir, Matheus escreveu o livro Em nome dos pais, lançado pela Intrínseca em maio de 2017, que agora virou série documental produzida pela HBO. Com 4 episódios, a produção estreia amanhã, dia 4 de março, às 20 horas, no canal HBO Mundi.

No livro, Matheus Leitão volta à época em que Míriam e Marcelo eram militantes do PCdoB quando, em 1972, foram presos e torturados. Naquela ocasião, Míriam estava grávida de seu primogênito, Vladimir. Em nome dos pais é uma viagem pessoal e familiar, mas também a narrativa da jornada de um cidadão brasileiro que busca entender as aflições da geração que enfrentou a repressão. O autor deu início às suas investigações há mais de dez anos, analisando documentos oficiais, antes mesmo da criação da Comissão Nacional da Verdade e da aprovação da Lei de Acesso à Informação. 
Jornalista investigativo e vencedor de um prêmio Esso, Matheus entrevistou militantes de esquerda, militares e o "companheiro" que delatou Míriam e Marcelo. O livro recria o ambiente dos piores anos da ditadura e revela a identidade dos torturadores de Miriam e Marcelo. O autor conta em detalhes a trajetória dos pais no movimento estudantil, passando pelo dia em que seus caminhos se cruzaram pela primeira vez. Também descreve as circunstâncias da prisão do casal, que estava a caminho da praia, bem como o sofrimento do pai durante os nove meses em que ficou preso em uma solitária. Passado e presente se entrelaçam nesta obra que reconstitui com rigor eventos do início dos anos 1970 e, ao mesmo tempo, apresenta a emocionante peregrinação do autor atrás de respostas. É acima de tudo uma história sobre um país que ainda reluta em acertar as contas com um passado obscuro.

Compartilhe:

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Naomi Grossman, atriz que interpretou Pepper em American Horror Story, participou da Horror Expo

Se você acompanha séries e assistiu Amerin Horror Story, você conhece Naomi Grossman, que interpretou Pepper e Samantha Crowe na série que conquistou fãs. A atriz norte-americana esteve presenta na maior feira de horror da América Latina, a Horror Expo, que aconteceu no último final de semana (18, 19 e 20 de outubro) no Pavilhão do Anhembi, que fica localizado na cidade de São Paulo.

A atriz nasceu no Colorado, mas tem uma forte ligação com a América do Sul, posto que já morou na Argentina. Ela também fala castelhano e arriscou falar português na Horror Expo.

Na segunda temporada da franquia - American Horror Story: Asylum -  a atriz interpretou a marcante Pepper, uma das internas de Briarcliff e que sofria de microcefalia. Já em American Horror Story: Freak Show, a personagem teve o seu passado contado, ou seja, foi a primeira personagem da série que participou mais de uma temporada.

Naomi interpretando Pepper em American Horror Story

A aparência de Pepper mexeu muito os fãs, principalmente quando descobriram como era Naomi fora das câmeras. Para a composição da personagem ela levava de duas a três horas para realizar a maquiagem, colocar as próteses e se transformar.

Sua volta à série se deu interpretando a satanista Samantha Crowe em American Horror Story: Apocalypse, a mais recente temporada da série e que foi veiculada em 2018.

No último dia da Horror Expo, Naomi participou de um painel em que falou sobre sua carreira e teve espaço para perguntas do público que estava no local.


Compartilhe:

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Comercial live action da Renault mostra o provável final da série "Caverna do Dragão" e gera comoção entre os fãs

Atores que interpretaram os personagens do desenho animado "Caverna do Dragão", no comercial da Renault
Os jovens que passaram pela década de 80 certamente irão recordar do desenho animado "Caverna do Dragão", que assim como eu, não perdia nenhum capítulo sequer. Foram 27 episódios que foram transmitidos durante o programa Xou da Xuxa, da Rede Globo, mas que infelizmente nunca teve um episódio final. Vários boatos sobre o último episódio surgiram no decorrer dos anos. Proposital ou não para fazer o espectador imaginar qual seria o melhor final, restou a dúvida se os garotos retornariam para casa.

No último dia 23, a Renault liberou o incrível comercial que poderia até tornar-se num longa-metragem. Com efeitos especiais incríveis e atores idênticos aos personagens do desenho animado, sendo: Sheila (Samantha Heck Müller), Hank, Eric (Alex Paulo Lopes Conrado), Presto (Fhelipe Gomes) Uni e Bobb (Thiago Doncev) e até o Mestre dos Magos (Giovanni Venturini). 

E segundo a peça publicitária da Renault, o último episódio da série não deixaria de ser emocionante.

Agora resta esperarmos e torcermos que esse longa-metragem venha a tona com esses mesmos atores e efeitos especiais.

Obrigado Renault.

Assistam o vídeo abaixo e compartilhem ;)


Compartilhe:

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Entrevista: André Soska comenta sobre a série "Black Ice" e futuros projetos

André Soska - Foto divulgação
André Soska nasceu em dezembro de 1987 e reside em Cachoeirinha – RS. Entre as coisas que mais gosta de fazer, está a produção de textos, no geral, poesias e histórias de super-heróis. Produziu o seu primeiro texto oficial quando tinha apenas 13 anos, desde então, nunca parou de escrever. Atualmente, administra os sites e fanpages de "Força, Fé e Esperança" e "Black Ice Universe". O primeiro, é onde o autor publica textos mais reflexivos, enquanto, no segundo, publica as histórias do universo do super-herói de mesmo nome.

ENTREVISTA:


Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

André Soska: Eu comecei aos 13 anos, graças a uma professora chamada Naira, para a qual mostrei um dos meus textos reflexivos. Ela gostou e leu para todos da classe e, aparentemente, eles gostaram. A partir desse dia nunca mais parei de escrever.

Conexão Literatura: Você é o autor da série “Black Ice”. Poderia comentar?
André Soska: Eu tive a ideia de começar esta série porque sempre fui fã de super-heróis, desde que me conheço por gente. Sempre gostei de ler quadrinhos, assistir a desenhos, filmes e séries deste gênero. Eu comecei criando o personagem titular com a ideia de quadrinhos, mas, como os desenhos que faço demoram muito para ficarem prontos, resolvi escrever apenas as histórias, colocando alguns desses desenhos entre os capítulos dos livros. Depois que escrevi os dois primeiros livros é que surgiu a ideia de criar uma série inteira, não somente do personagem titular, mas, de todo um universo que o rodeia. Os livros englobam não somente a ação e a ficção científica, mas, também, romance, um toque de comédia, mistério, tem de tudo um pouco.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seus livros?

André Soska: Na verdade, eu não precisei pesquisar muito a fundo, pois, já tinha uma bagagem muito grande a respeito de super-heróis, o que fiz foi tentar fugir do convencional, mas, sem esquecer do essencial. Quanto ao tempo, o primeiro livro demorou um pouco, pois, precisei criar toda a origem dos poderes e dos personagens, o resto fluiu naturalmente.


próximos livros da série





Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho de cada um dos seus livros dos quais você acha especial?

André Soska: Eu destacaria a frase inicial de cada livro, pois, ela condiz com um dos temas principais que serão abordados durante a história e seu objetivo é fazer o leitor refletir um pouco mais sobre o assunto ou sobre algo que tenha relação com ele. Como, por exemplo, a frase inicial do primeiro livro, onde eu gostaria que o leitor refletisse um pouco sobre o que é ser um herói: Um herói não é, somente, um ser extraordinário dotado de incríveis poderes, mas, toda e qualquer pessoa que pratica o bem sem jamais se esquecer da humildade, integridade e honra.   

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir os seus livros e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

André Soska: Basta acessar o site oficial da série ou a fanpage. Os livros são disponibilizados gratuitamente, disponíveis para download e leitura online.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

André Soska: Com certeza! Além dos dois livros já publicados, um está sendo postado no site oficial e na fanpage atualmente e há mais um pronto para publicação, que sairá no segundo semestre deste ano. Além dos livros já escritos, estou trabalhando atualmente em outro e tenho ideias para, pelo menos, mais uns cinco. Se os leitores continuarem curtindo, a série vai longe!

Perguntas rápidas:

Um livro: A Favor do Vento (Duca Leindecker). Me prendeu muito com a trama!
Um (a) autor (a): Duca Leindecker. Gosto da simplicidade da escrita dele.
Um ator ou atriz: Damon Wayans. Ele sabe ser engraçado tanto quanto dramático, é muito versátil.
Um filme: O Todo Poderoso. Porque nos faz refletir e ensina uma valiosa mensagem.
Um dia especial: Meu casamento. Um dia inesquecível!

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

André Soska: Gostaria apenas de explicar como as postagens dos livros funcionam, lembrando que o leitor não precisa pagar nada para ter acesso a eles. Eu não os libero de uma só vez, mas, publico um capítulo por semana. Atualmente, publico um livro por semestre e toda quinta-feira libero um capítulo. Também publico vídeos com os capítulos narrados, além de outras coisas. Sugiro a todos que acessem o site oficial para conferirem:
https://andresoska.wixsite.com/blackice 
Fanpage: https://www.facebook.com/blackiceuniverse
Compartilhe:

domingo, 26 de novembro de 2017

Série - Marvel’s The Punisher


Titulo: O Justiceiro
Título Original: Marvel’s The Punisher
Direção: Gail Barringer
Duração: 55 – 60 min
Lançamento: 7 de novembro de 20167
Elenco: Joe Bernthal, Ebon Moss-Bachrach, Bem Barnes e Amber Rose Revah
Temporadas: 1
Episódios: 13
Gênero: Drama, policial e ação
Origem: Estados Unidos

Sinopse: O crime não dura quando Frank Castle está por perto. O veterano de guerra é impiedoso na sua guerra contra malfeitores, alimentada pelo ódio gerado quando sua família foi pega no fogo cruzado durante um tiroteio entre mafiosos.

Saudações literárias! Leitores da Revista Conexão Literatura, tudo bem com vocês? Espero que sim! Hoje trago mais uma crítica de uma série original da nossa amada e querida Netflix! A série em questão é “O Justiceiro”, o anti-herói da Marvel que finalmente ganhou uma série solo. 

Frank Castle é o personagem principal, cuja família foi brutalmente morta em um fogo cruzado durante um tiroteio no Central Park, Nova York. Sua sede de vingança foi em busca desses sujeitos que cometeram esse terrível crime, matando todos! Castle é um ex-fuzileiro naval e utiliza-se de habilidades com armas brancas e armas de fogo, para combater o crime na cidade de Nova York. No submundo do crime, Castle ganha o apelido de “Justiceiro”.


Ele aparece pela primeira vez, na série original da Netflix “O Demolidor”, o sucesso foi tão grande que decidiram fazer uma série solo do anti-herói mais famoso dos quadrinhos Marvel. Uma dica! Vale à pena assistir primeiro O Demolidor pra só depois cair de cabeça no O Justiceiro, pois no decorrer dos episódios, existem muitas referências e até personagens que fizeram parte do seriado anterior. 

Dividido em treze episódios, com duração de aproximadamente 60 minutos, vamos acompanhar um pouco mais da vida de Frank Castle, notamos vários flashbacks mostrando sua família no trágico atentando, fazendo isso um pesadelo diário em sua vida.

No geral, a série não perdeu o foco de toda sua premissa original dos quadrinhos, os produtores fizeram pequenas alterações que não muda nada em toda série e no acompanhamento de Frank Castle por justiça e sede de vingança.


Essa série é indicada para todos aqueles que gostam de uma dose bem generosa de pancadaria, tiroteio e muito, mas muito sangue. 

A produção está impecável! Eles souberam explorar todo o submundo de Nova York com Castle na cola dos bandidos. Só uma dica! Não chega ser spoilers, mas o primeiro episódio está de arrasar, é muito punk!


Destaco toda atuação de Joe Bernthal, ele deu vida ao personagem dos quadrinhos, atuação impecável que não tem nenhum aspecto negativo, ficou incrível! 



Essa é uma série que mostra o lado negro dos seres humanos, capaz de moldar um homem em fera na busca de suas presas.

Foi uma conquista de peso essa parceria Marvel e Netflix, foi uma aposta que deu muito certo.




Compartilhe:

sábado, 18 de novembro de 2017

Entrevista com William Tannure, autor da série O Legado da Ruína

William Tannure - Foto divulgação
William Tannure tem 35 anos e é médico oftalmologista residente em Petrópolis, RJ. Louco por diversos elementos da cultura nerd, em especial por comics e literatura fantástica, decidiu colocar algumas ideias para fora e começar sua saga e mitologia própria com a série O Legado da Ruína e seu primeiro volume, Lobo e Gelo. Nos horários livres, ele costuma ler seus títulos de preferência e tenta colocar em dia os jogos pendentes do PS, conciliando os mundos nerd e "real" sempre que possível.

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia contar para os nossos leitores como foi o seu início no meio literário?

William Tannure: Eu resolvi escrever por conta própria. Após uma conversa com meu irmão mais novo, o mesmo havia sugerido que como eu conhecia muito sobre literatura fantástica por gostar de ler sobre o gênero, que eu deveria escrever uma história minha. Assim nasceu O Legado da Ruína.

Conexão Literatura: Você é autor do livro “O Legado da Ruína – Lobo e Gelo” (Chiado). Poderia comentar?

William Tannure: Lobo e Gelo é o primeiro de uma série de sete volumes, com foco em ambientes fantásticos fortemente inspirados em idade média e na obra de JRR Tolkien.

Conexão Literatura: Como foram as suas pesquisas e quanto tempo levou para concluir seu livro?

William Tannure: Demorei algo em torno de uma ano para escrever o livro. Usei como pesquisa a bagagem literária que já havia lido e continuo lendo, associado a pesquisa em livros de história sobre a Idade Média, era Viking, e outros períodos históricos brutais.

Conexão Literatura: Poderia destacar um trecho do qual você acha especial em seu livro?

William Tannure: "...eu aprendi ao longo da minha vida que todos nós temos um rumo a seguir, mas que não o conhecemos quando nascemos."

Conexão Literatura: Como o leitor interessado deverá proceder para adquirir um exemplar do seu livro e saber um pouco mais sobre você e o seu trabalho literário?

William Tannure: O livro esta sendo vendido pelo site da editora chiado e pela amazona via e-book. Cópias físicas podem ser adquiridas pela Rede Saraiva, Livraria da Cultura, Martins Fontes Paulista, Nobel e Livraria da Travessa. Temos também o perfil no facebook e instagram, onde costumo escrever contos que se relacionarão em algum momento com a história de um dos livros futuros.

Conexão Literatura: Existem novos projetos em pauta?

William Tannure: Existem. Após a série o Legado da Ruína tenho dois outros projetos planejados. Sem querer soltar spoilers, eles se chamam Apogeu e Apocalipser.

Perguntas rápidas:

Um livro:Tormenta das Espadas
Um (a) autor (a): JRR Tolkien
Um ator ou atriz:Travis Fimmel
Um filme: John Wick
Um dia especial: 25 de dezembro

Conexão Literatura: Deseja encerrar com mais algum comentário?

William Tannure: As vezes podemos achar que nossas ideias são loucas demais para serem ditas, Nunca desista de nenhuma delas, por mais que outros discordem de você. Talvez um dia elas possam virar um livro, ou sete.

Para adquirir o livro: Clique aqui.
Compartilhe:

domingo, 20 de agosto de 2017

LEGO, para fãs da série The Big Bang Theory

A LEGO produziu o set The Big Bang Theory, que vem com 484 peças para montar. Na figura podemos notar a sala do apartamento do Sheldon e Leonard, além de seus principais itens, como o sofá, quadro branco, telescópio, etc, além dos principais personagens além dos já citados: Penny, Howard, Raj, Amy e Bernadette.  Um produto excelente para fãs da série, assim como eu.

O legal é que o produto começou a ser vendido também aqui no Brasil e já podemos encontrá-lo até no Mercado Livre, com preços que variam de R$ 469,00 até R$ 1.000,00 a caixa. Também existe a opção de adquirir apenas os personagens por preços bem mais em conta, até por R$ 10,00 cada personagem. Confira: clique aqui.

 
Compartilhe:

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Black Mirror: quais os 5 melhores episódios da série?


Black Mirror é uma série de Ficção Científica que ganhou popularidade há pouco tempo, quando passou a fazer parte do catálogo da Netflix, mas sua estreia aconteceu em 2011, no pequeno canal britânico Channel 4. O sucesso foi tamanho que a Netflix encomendou mais temporadas da série. A terceira já está disponível no serviço de streaming e a quarta vem por aí em 2017.

Influenciada por séries como Além da Imaginação, Black Mirror tem episódios com histórias isoladas, sem conexões umas com as outras. O que as une é a forma realista e perturbadora de pensar o futuro enquanto faz o expectador refletir sobre o presente.

Nessa lista, selecionamos os 5 melhores episódios de Black Mirror (sem spoilers). Confira a seguir:


Hino Nacional (The National Anthem S01E01)


Black Mirror já começa com o pé na porta e mostra o dilema do primeiro-ministro britânico que tem a filha sequestrada e, como única exigência para o resgate, é pedido que ele faça sexo com um porco com transmissão ao vivo pela TV. O problema é que o vídeo feito pelos sequestradores com a exigência foi postado no Youtube, o que gerou um verdadeiro frisson na população. Aqui, a forma como lidamos com o mórbido e o drama alheio são levados ao extremo e chega a ser perturbador pensar que tudo no capítulo poderia ser real.


Urso Branco (White Bear S02E02)


Uma mulher acorda sem memória em uma cidade pequena, ela sai na rua sem nem mesmo lembrar o próprio nome e se depara com pessoas mascaradas com armas que tentam matá-la. O restante da população, em vez de ajudá-la, simplesmente tira foto e filma com seus celulares. Se você ainda não assistiu a Urso Branco, isso é tudo o que pode saber sem receber spoiler. O clima de tensão que acontece em toda a história e o final surpreendente são o grande mérito deste episódio.


Natal (White Christmas S02E04)


Lançado originalmente como um especial de Natal, White Christmas traz a história de dois homens em uma área gélida e isolada que contam o que os levou a aceitar o emprego para trabalhar em um lugar tão distante de tudo e praticamente sem comunicação com o mundo. Conforme as histórias de ambos vão se desenrolando, uma reviravolta une todos os pontos e finaliza o capítulo de forma brilhante.


Queda Livre (Nosedive S03E01)


Em um futuro próximo, as pessoas utilizam o celular para ranquear as outras com notas em um aplicativo. Ter uma boa nota permite privilégios, como morar em um lugar melhor. Na esperança de conseguir um ranking maior, uma mulher aceita fazer uma longa viagem para ser a dama de honra de um casamento influente. Queda Livre nos faz refletir sobre a importância que damos às redes sociais atualmente, e como muitas vezes mentimos sobre quem somos apenas para agradar e sermos bem vistos.


Engenharia Reversa (Men Against Fire S03E05)


Um soldado vai para sua primeira missão em um futuro onde monstros deformados, chamados de baratas, atacam e roubam a população. É difícil falar sobre o Engenharia Reversa sem dar spoiler, mas é impossível não lembrar de Hitler e da Segunda Guerra Mundial.


Achou que algum episódio deveria estar nessa lista? Diga qual nos comentários.


Compartilhe:

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Série: Murder


How to get away with murder, ou para maioria dos fãs, HTGAWM, na tradução: “Como defender um assassino”. 

Essa série é transmitida pela ABC, tendo inicio no dia 25 de setembro de 2014. O produtor é Peter Nowalk e tendo como produtora executiva Shonda Rhimes. Vai ser a primeira resenha que faço de um seriado, será um desafio e tanto, vou me esforçar para ficar um post bem legal. 


A série Murder tem como foco principal a personagem Annalise Keating, uma advogada criminal de grande prestígio, ela também da aulas de direito na Universidade de Middleton, Filadélfia. 

Durante o decorrer dos episódios, ela seleciona cinco dos seus melhores alunos para trabalharem com ela em seu escritório, formando uma espécie de tropa de elite de advogados. 

Tudo começa entrar em colapso na vida amorosa e profissional de Annalise, levando junto os seus cinco alunos, em uma trama envolvendo traições, assassinatos e casos amorosos. 

Em cada episódio, os telespectadores ficam espantados e até mesmo estarrecidos com os casos do qual Annalise terá que defender e provar inocência dos seus clientes. 


A série mostra os conflitos dos outros cinco estudantes e dos assistentes de Annalise, deixando o seriado ainda mais emocionante. O clima fica mais tenso com uma narrativa fragmentada, voltando para o passado em diversas cenas, tornando cada minuto da série indispensável. 

Um dos pontos fortes da série são os temas polêmicos, sobre homossexualidade entre alguns personagens principais, traições e envolvimento em alguns crimes e até assassinatos. How to get away whit murder é uma série madura que por si só agradou o público e críticos, conquistando diversos prêmios.



Compartilhe:

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Dicas de Stranger Things para melhorar a sua escrita



A série Stranger Things conseguiu roubar a cena. Logo após seu lançamento, já era um dos assuntos mais comentados nas redes sociais e obteve elogios de figurões como Guilhermo Del Toro e Stephen King. 

Na semana passada, publiquei aqui na Revista Conexão Literatura dicas de 4 livros para quem quer começar a escrever. Tendo um deles em mente – o “Para ler como um escritor” –, resolvi assistir a série como um escritor, analisando o que poderia tirar de aprendizado de Stranger Things para melhorar a minha escrita

Compartilho abaixo a minha análise (se você ainda não assistiu à série, fica o aviso de spoilers):

Personagens bem construídos

Talvez o maior destaque de Stranger Things seja a construção dos personagens. Note que quase todos possuem algum dilema interno não resolvido e, além de lidar com o desaparecimento de Will, precisam resolver seus próprios conflitos. O xerife Jim Hopper, por exemplo, precisa superar a perda da filha. Nancy, a adolescente estudiosa, gosta de Steve, e precisa lidar com o jeito diferente do garoto enquanto se pergunta se não é melhor namorar Jonathan, com uma personalidade mais parecida com a dela. Esses conflitos internos dão densidade aos personagens e facilitam a identificação por parte dos expectadores. Afinal, todos temos conflitos internos a serem resolvidos no dia a dia.   

Fechamento de capítulos

A forma como os capítulos são finalizados é um mérito narrativo a parte, deixando sempre uma situação de mistério em suspensão, o que força o expectador a assistir ao episódio seguinte para ver a desfecho. Acredito que essa seja a causa de a série ser tão “maratonada”: você fica curioso para ver a conclusão da cena e, quando dá por si, já assistiu três ou quatro episódios. Aí resolve assistir até o fim. Ao compararmos com um livro, fica o conselho de saber, em momentos-chaves, suspender o mistério para fisgar o leitor.

Objetividade

O foco do roteiro é que os personagens encontrem Will e ponto. Nada de sustos vazios, teorias que serão derrubadas perto do fim da trama, suspeitos variados e caminhos desnecessários. O roteiro é direto. A objetividade de Stranger Things mostra que não é necessário uma trama  mirabolante, cheia de reviravoltas, para agradar. Muitas vezes menos é mais, e o que acaba valendo, de fato, é a experiência que acompanhar a história proporciona ao expectador/leitor.

Construção do cenário

A história se passa na cidade interiorana de Hawkings, com poucos habitantes e, até então, raríssimos crimes. Mas a Hawkings retratada na série não é uma Hawkings qualquer. Note que, mesmo sendo um lugar pacífico, ela é pintada quase sempre em tons escuros (grande parte das cenas acontecem à noite), aumentando a sensação de estranheza e mistério. Ou seja, o cenário pode e deve ajudar a passar informações para o leitor, e não apenas as ações dos personagens.

Boa utilização da Jornada do Herói

Os dois núcleos (adulto e infantil) passam por todas as principais etapas da famosa Jornada do Herói. A título de exemplificação: Jim Hopper, o xerife, tem o chamado à aventura, com Joyce perturbando sua manhã de “café e contemplação”; travessia do primeiro limiar (quando visita a empresa misteriosa e acredita que ela tenha ligação com o desaparecimento de Will); provação (é pego pelo vilão) e o retorno com o elixir (volta do mundo invertido com Will vivo). Ele também passa por outras etapas, que não vou citar para não deixar o texto muito extenso.

Utilizar a Jornada do Herói não é condição sine qua non para que a história seja boa, mas, já que o roteiro se propõe a fazê-la, é necessário que seja de maneira bem feita, sem trocar ordens de etapas ou não considerar algumas das mais relevantes.

Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Anuncie e Divulgue Conosco

Posts mais acessados da semana

COMUNIDADE INFLUXO

SONHOS FULGURANTES - ROBERTO MINADEO

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels