Mostrando postagens com marcador versos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador versos. Mostrar todas as postagens

sábado, 5 de dezembro de 2020

Novo livro de Brendda Neves faz o leitor brincar com os versos


O livro Versos Inversos, da jornalista e poeta capixaba Brendda Neves, convida os leitores a brincarem com seus versos inversos, reversos, avessos e travessos do seu mundo interior onde eles se reconhecem e ganham voz. É um livro de poesia autobiográfico, no formato A5, com 85 páginas, com poemas escritos durante um período de oito anos.  

 (...) ‘’Estes versos parecem não ter sentido são inversos ao que eu gostaria de revelar’’(...). Trecho do poema “Versos inversos”, que dá o título ao livro, editado de forma independente na plataforma do Clube de Autores, está em pré-venda nos sites da editora, Amazon, Livraria Cultura e no Google play. Pode ser encontrado nos formatos físico e digital (ePub e PDF). Brendda Neves instiga os leitores a navegarem em sua própria subjetividade, a reconhecerem nos versos os seus significados e também os seus efeitos inversos aos se identificarem nos poemas. Se você, leitor, ama poesia e suas múltiplas significações e interpretações o livro Versos Inversos vai de encontro ao que procura num poema.


Sobre a autora: Natural de Linhares-ES, 25/01/1979. Membro da Academia Internacional de Literatura Brasileira-AILB, n° 212. Membro da Associação Capixaba de Escritores-ACE. Ex-membro da Academia Jovem Espírito-santense de Letras-AJEL (cad.28). Obras: Versos inversos, Brendda Neves, Clube de Autores, 2020; 1° Concurso Literário de Viana 2020; Cotidiano introspectivo-Centenário Lispector, Projeto Apparere, 2020; coletânea de Natal’, Projeto Apparere, 2020; Meu poemar atravessa fronteiras, Editora MWG, 2020; Retalhos, Psiu Editora, 2020; coletâneas Mulher Natal e Mulher Feminina, Editora Jordem, 2020; Revista LiteraLivre, 4° ed. 2017: haicai selecionado em concurso; Antologia 2008 AJEL,  org. Marcelo Netto; Jovens Escritores Capixabas, AJEL, org. Leonardo Monjardim, 2002.

Contato E-mail: brenddaneves@gmail.com  | Instagram literário: @coraverblue

Compartilhe:

terça-feira, 13 de agosto de 2019

"Miscigenação" traduz versos em pinturas

StelH na exposição. Foto Divulgação Luís Henrique Leoni
Pseudônimo da francesa Estelle H., StelH une poesia e artes plásticas nas suas intervenções artísticas. Ela está no Brasil em curta temporada para uma residência artística em Petrópolis (RJ), onde participa da mostra "Miscigenação", com pinturas próprias e criações em conjunto com artistas da cidade e do Rio. A exposição pode ser vista até dia 17 de agosto, no Centro Cultural da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase), na serra fluminense, com entrada franca.

A mostra reúne trabalhos dela com Ana Clara Guinle, Doug, Gardênia Lago, Loan Tammela, Maria Eduarda Gurjão, Sônia Xavier e Claudio Partes (arte e curadoria), além das contribuições dos próprios visitantes. A ideia é convidar o espectador a se tornar ator e a explorar as próprias sensações nas criações propostas. Estudantes da faculdade e da rede municipal de ensino estão entre os convidados. "Nos inspiramos na pluralidade de identidade do Brasil para criar uma exposição onde a arte se torna alquimia, no intuito de conectar nossas humanidades, para entregar uma mensagem de paz", diz a francesa, que publica parte de seus escritos no blog Les Carnets de StelH.

A artista nasceu em 1973, em Montauban, no Sul da França, e chegou à arte como autodidata. Nas telas, utiliza materiais inusitados, como vinho, rosas, areia e vela: "As moléculas do vegetal interagem com a tela, as suas cores evoluem com o tempo de acordo com as interações químicas. As moléculas, em movimento, entram em diálogo, têm vida própria. O aleatório se imiscui nas peças de forma que surja a ordem ocultada na desordem aparente do real."

O curador da mostra "Miscigenação", Claudio Partes, ressalta que a proposta pretende proporcionar, principalmente, a troca de experiências técnicas e culturais entre StelH e artistas brasileiros. "Outro aspecto importante é o centro cultural de uma instituição de ensino promover essa aproximação e intercâmbio, que gera uma troca envolvendo também o público", ressalta o artista plástico. "Todo o processo reforça também o papel da arte como fator importante na formação do estudante e do cidadão", completa Ricardo Tammela, coordenador de Projetos e Extensão da faculdade.

O Centro Cultural da FMP/Fase funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h, e sábado, das 9h às 18h. A faculdade fica Av. Barão do Rio Branco 1003, no Centro de Petrópolis.
Compartilhe:

Baixe a Revista (Clique Sobre a Capa)

baixar

E-mail: ademirpascale@gmail.com

>> Para Divulgação Literária: Clique aqui

Curta Nossa Fanpage

Siga Conexão Literatura Nas Redes Sociais:

Receba nossas novidades por e-mail (você receberá um email. Basta confirmar ):

Posts mais acessados da semana

Anuncie e Divulgue Conosco

CLUBE DO LIVRO UNIÃO

LIVRO: O CLUBE DE LEITURA DE EDGAR ALLAN POE

LIVRO DESTAQUE

FUTURO! - ROBERTO FIORI

SROMERO PUBLISHER

Leitores que passaram por aqui

Labels